Há 500 mil anos, a cada nova manhã nossos ancestrais deixavam suas cavernas e saíam pelo mundo  à procura  de alimento.
Ao fim de mais um dia de luta  e labuta,  retornavam felizes para suas cavernas, com a missão cumprida de prover o sustent...
E assim levavam as suas vidas, até o dia em que alguma doença ou acidente ou a velhice lhes apontasse o fim da estrada ter...
Nossos antepassados ainda não conheciam  a arte da palavra, e lhes faltavam todas as inutilidades que hoje julgamos tão ne...
...mas algo nos diz que eles, vivendo segundo as leis da Natureza, eram felizes com o que possuíam.
500 mil anos  se passaram desde o tempo  dos homens  das cavernas.
E de um modo similar aos tempos de outrora,  hoje a cada manhã os homens deixam suas “cavernas” a fim de garantir o susten...
Talvez a maior mudança seja o fato de que hoje geralmente ambos,  homens e mulheres, deixam a “caverna” a fim  de garantir...
É uma prática comum  nos tempos presentes ver casais que passam o dia todo, todos os dias, fora de casa.
Em tempos de consumismo desesperado, ninguém está satisfeito com o que tem. A regra é querer sempre mais e mais e mais...
Mas se ambos,  pai e mãe, passam os dias sobretarefados com mil afazeres, como fica a educação das crianças pequeninas?...
Um dia ainda haveremos de compreender que  a televisão e a internet são péssimas companhias  para crianças pequenas, que e...
Datam de  500 mil anos  os primeiros vestígios da utilização do  fogo pelo  homem.
O fogo se tornou, nas mãos  humanas,  o primeiro meio para modificar  o mundo,  sendo a primeira forma de energia que cons...
Um trovão, um vulcão ou qualquer feliz acaso  levou nossos antepassados a conhecer o fogo,  um precioso recurso contra o r...
Quantos séculos talvez se escoaram antes  que os homens chegassem a poder ver  outro fogo além do fogo do céu?
Quantas vezes não o deixaram  apagar antes de ter adquirido  a arte de o reproduzir?
Quantas vezes, em meio à noite escura,  não se deixaram maravilhar pelas cores,  pelas sombras, e pelo crispar da lenha?
Nos tempos presentes, quem é que ainda se maravilha diante da beleza do fogo?
Tristes tempos os nossos, tão pobres  de encanto e maravilhamento...
É doloroso constatar o quão pouco evoluímos de fato desde  o tempo em que habitávamos  as cavernas, há 500 mil anos.
São tempos duros os nossos, nos quais de um lado vemos  a corrosão das crenças, e do outro a manipulação do imaginário com...
Há quem diga que precisamos mergulhar profundo na desilusão para podermos assumir o enfrentamento espiritual necessário pa...
Mergulhar sob a superfície dos dias e das horas, para tentar sondar a Essência que se oculta, e que não se revela aos sent...
Buscar a espiritualidade  pura e primordial que, sob o verniz da  realidade, se esconde.
Esta existência terrena  é apenas uma etapa de  uma caminhada infinita.
Ter ouvidos para o  Silêncio do Transcendente, capaz de transformar os corações  e de mover o mundo.
A força de um pássaro, a leveza de uma flor. E o céu que nos evoca a  sermos o melhor que podemos.
Um minuto,  uma gota, uma nota,  um instante...
“ Um outro mundo é possível.” Felizes  os que se empenham por transformá-lo. Tema musical:  “Waltz Of Love”, Ernesto Corta...
“ Um outro mundo é possível.” Felizes  os que se empenham por transformá-lo.
 
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Vida 2011

493 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
493
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vida 2011

  1. 1. Há 500 mil anos, a cada nova manhã nossos ancestrais deixavam suas cavernas e saíam pelo mundo à procura de alimento.
  2. 2. Ao fim de mais um dia de luta e labuta, retornavam felizes para suas cavernas, com a missão cumprida de prover o sustento de seus pares e seus rebentos.
  3. 3. E assim levavam as suas vidas, até o dia em que alguma doença ou acidente ou a velhice lhes apontasse o fim da estrada terrena.
  4. 4. Nossos antepassados ainda não conheciam a arte da palavra, e lhes faltavam todas as inutilidades que hoje julgamos tão necessárias,...
  5. 5. ...mas algo nos diz que eles, vivendo segundo as leis da Natureza, eram felizes com o que possuíam.
  6. 6. 500 mil anos se passaram desde o tempo dos homens das cavernas.
  7. 7. E de um modo similar aos tempos de outrora, hoje a cada manhã os homens deixam suas “cavernas” a fim de garantir o sustento de seus lares e seus rebentos.
  8. 8. Talvez a maior mudança seja o fato de que hoje geralmente ambos, homens e mulheres, deixam a “caverna” a fim de garantir a subsistência da família.
  9. 9. É uma prática comum nos tempos presentes ver casais que passam o dia todo, todos os dias, fora de casa.
  10. 10. Em tempos de consumismo desesperado, ninguém está satisfeito com o que tem. A regra é querer sempre mais e mais e mais...
  11. 11. Mas se ambos, pai e mãe, passam os dias sobretarefados com mil afazeres, como fica a educação das crianças pequeninas?...
  12. 12. Um dia ainda haveremos de compreender que a televisão e a internet são péssimas companhias para crianças pequenas, que estão começando sua jornada pelo mundo.
  13. 13. Datam de 500 mil anos os primeiros vestígios da utilização do fogo pelo homem.
  14. 14. O fogo se tornou, nas mãos humanas, o primeiro meio para modificar o mundo, sendo a primeira forma de energia que conseguimos dominar.
  15. 15. Um trovão, um vulcão ou qualquer feliz acaso levou nossos antepassados a conhecer o fogo, um precioso recurso contra o rigor do inverno.
  16. 16. Quantos séculos talvez se escoaram antes que os homens chegassem a poder ver outro fogo além do fogo do céu?
  17. 17. Quantas vezes não o deixaram apagar antes de ter adquirido a arte de o reproduzir?
  18. 18. Quantas vezes, em meio à noite escura, não se deixaram maravilhar pelas cores, pelas sombras, e pelo crispar da lenha?
  19. 19. Nos tempos presentes, quem é que ainda se maravilha diante da beleza do fogo?
  20. 20. Tristes tempos os nossos, tão pobres de encanto e maravilhamento...
  21. 21. É doloroso constatar o quão pouco evoluímos de fato desde o tempo em que habitávamos as cavernas, há 500 mil anos.
  22. 22. São tempos duros os nossos, nos quais de um lado vemos a corrosão das crenças, e do outro a manipulação do imaginário como arma de exploração pelas leis do mercado.
  23. 23. Há quem diga que precisamos mergulhar profundo na desilusão para podermos assumir o enfrentamento espiritual necessário para regenerar o ser humano e o mundo.
  24. 24. Mergulhar sob a superfície dos dias e das horas, para tentar sondar a Essência que se oculta, e que não se revela aos sentidos.
  25. 25. Buscar a espiritualidade pura e primordial que, sob o verniz da realidade, se esconde.
  26. 26. Esta existência terrena é apenas uma etapa de uma caminhada infinita.
  27. 27. Ter ouvidos para o Silêncio do Transcendente, capaz de transformar os corações e de mover o mundo.
  28. 28. A força de um pássaro, a leveza de uma flor. E o céu que nos evoca a sermos o melhor que podemos.
  29. 29. Um minuto, uma gota, uma nota, um instante...
  30. 30. “ Um outro mundo é possível.” Felizes os que se empenham por transformá-lo. Tema musical: “Waltz Of Love”, Ernesto Cortazar Formatação: um_peregrino@hotmail.com
  31. 31. “ Um outro mundo é possível.” Felizes os que se empenham por transformá-lo.

×