Desastres Naturais  x  Tragédias Humanas
A Terra  também grita. E sangra,  e chora. A Terra está enferma e ameaçada. Bem como  a humanidade.
O que está em crise é o modelo de sociedade e  o sentido de vida que adotamos. Os tempos atuais nos urgem a buscar mudança...
As autoridades costumam repetir que as tragédias não têm uma única causa,  –  seriam resultantes  de uma soma inesperada d...
A cada temporal, os políticos carregam nas tintas do imponderável. “ Nunca choveu tanto”, “a água  dos rios atingiu volume...
No entanto, à custa de centenas de mortes e prejuízos incalculáveis, impõe-se outra vez a dura realidade: O descaso do  po...
O descaso do poder público é  o fator primordial a explicar  a dimensão dos estragos causados pela chuva não apenas no Rio...
O descaso do poder público, o desinteresse e alheamento pelo bem coletivo.  E toda a dor  e todo o  sofrimento por  eles o...
Salta aos olhos  a incapacidade  das esferas governamentais de prevenir  as tragédias que se repetem, ignorando  as medida...
E o fato é que o assunto é tratado no dia a dia de todas as esferas de governo como se fosse mais  uma banalidade  a cargo...
Até quando perdurará o  criminoso descaso  e omissão do  poder público?
Funcionários de pelo menos cinco ministérios – Meio Ambiente, Cidades, Transportes, Bem-Estar Social e Integração Nacional...
...já deveriam ter passado pelas cidades da região serrana do estado nos últimos anos e observado que  a ocupação das enco...
Um colunista  do jornal Folha de São Paulo chega a questionar que talvez cinco ministérios não sejam suficientes para cuid...
Qual o limite  da incompetência da gestão pública?
Quantas vidas ainda haverão  de ser ceifadas pelo descaso  e pela cegueira social que  acomete nossos políticos e governan...
Com a tolerância, e até o estímulo irresponsável  do poder público, áreas sob risco permanente de deslizamentos  são ocupa...
Normas de edificação são ignoradas,  os cuidados com  a cobertura  florestal e com a impermeabilização do solo são conside...
Não se trata apenas de incompetência técnica nem falta  de recursos. Muitas vezes, por motivos políticos, autoridades não ...
Estas mesmas autoridades, muitas vezes, facilitaram  a sua ocupação, criando redutos eleitorais em terrenos predestinados ...
A omissão das autoridades só pode ser chamada de criminosa, quando suas vítimas, mais uma vez, se contam às centenas neste...
Criança de nove anos de idade, vítima  dos deslizamentos, é enterrada em Petrópolis/RJ.
“ O ser humano nasce para  uma vida longa e plena.  E se ele morre antes de seu termo, que acontece com  a vida não vivida...
“ Para onde vão  suas alegrias e dores? Os pensamentos que não teve tempo de contemplar,  os atos que  não cumpriu?”
Cada pessoa é única. No oceano  da existência, nenhuma  gota se  repete.
A dor sempre lacerante de quem perde um parente  de modo inesperado.
“ Meu nome? Não sou mais ninguém.” Desabafo de morador de Friburgo que carrega  o caixão da filha. Atrás dele, o corpo da ...
Famílias que num piscar de olhos  deixaram de existir.
Famílias como a formada pela estilista Daniela Conolly, o músico Alexandre França,  e João Gabriel, de apenas dois anos de...
O que acontece com todos os sonhos e planos abruptamente interrompidos?
Quão frágil e incerta é a existência terrena...
Algum dia talvez venhamos a compreender que aquilo  que aflige  uma parte acomete o todo igualmente.
“ Que importa termos muitos corpos?  Nossa alma  é uma só.”  Mahatma Gandhi
Neste momento de dor,  dedicar orações para  as vítimas desta tragédia.
Apoiar com doações as ações de solidariedade  em prol das 5 mil famílias que tiveram as casas devastadas pela enchente.
E, principalmente, exercitar a nossa cidadania,  de modo a tentar reverter a cegueira e a surdez  que acometem políticos e...
Promover a cidadania, contribuindo com a nossa parcela para o bem comum e a dignidade social.
“ Somente a participação cidadã  é capaz de mudar o país.” Betinho
“ Que a Justiça seja nosso ideal. Que a Solidariedade seja nosso ideal.” Betinho
Formatação:  [email_address] Tema musical: “Allegretto Scherzando”, de Beethoven
Foto de criança, perdida em meio aos escombros.  Nova Friburgo/RJ,  13/01/2011
 
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rio: chuva, dor e responsabilidades

710 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
710
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rio: chuva, dor e responsabilidades

  1. 1. Desastres Naturais x Tragédias Humanas
  2. 2. A Terra também grita. E sangra, e chora. A Terra está enferma e ameaçada. Bem como a humanidade.
  3. 3. O que está em crise é o modelo de sociedade e o sentido de vida que adotamos. Os tempos atuais nos urgem a buscar mudanças e novos paradigmas civilizatórios.
  4. 4. As autoridades costumam repetir que as tragédias não têm uma única causa, – seriam resultantes de uma soma inesperada de fatores.
  5. 5. A cada temporal, os políticos carregam nas tintas do imponderável. “ Nunca choveu tanto”, “a água dos rios atingiu volume recorde”, “fomos pegos de surpresa”.
  6. 6. No entanto, à custa de centenas de mortes e prejuízos incalculáveis, impõe-se outra vez a dura realidade: O descaso do poder público.
  7. 7. O descaso do poder público é o fator primordial a explicar a dimensão dos estragos causados pela chuva não apenas no Rio, mas também em São Paulo, Minas e pelo país afora.
  8. 8. O descaso do poder público, o desinteresse e alheamento pelo bem coletivo. E toda a dor e todo o sofrimento por eles ocasionados.
  9. 9. Salta aos olhos a incapacidade das esferas governamentais de prevenir as tragédias que se repetem, ignorando as medidas necessárias para proteger as populações das áreas de risco.
  10. 10. E o fato é que o assunto é tratado no dia a dia de todas as esferas de governo como se fosse mais uma banalidade a cargo da burocracia federal. Não é.
  11. 11. Até quando perdurará o criminoso descaso e omissão do poder público?
  12. 12. Funcionários de pelo menos cinco ministérios – Meio Ambiente, Cidades, Transportes, Bem-Estar Social e Integração Nacional–...
  13. 13. ...já deveriam ter passado pelas cidades da região serrana do estado nos últimos anos e observado que a ocupação das encostas não podia acabar bem.
  14. 14. Um colunista do jornal Folha de São Paulo chega a questionar que talvez cinco ministérios não sejam suficientes para cuidar do assunto, e propõe a criação de mais um, o Ministério da Catástrofe.
  15. 15. Qual o limite da incompetência da gestão pública?
  16. 16. Quantas vidas ainda haverão de ser ceifadas pelo descaso e pela cegueira social que acomete nossos políticos e governantes?
  17. 17. Com a tolerância, e até o estímulo irresponsável do poder público, áreas sob risco permanente de deslizamentos são ocupadas desordenadamente.
  18. 18. Normas de edificação são ignoradas, os cuidados com a cobertura florestal e com a impermeabilização do solo são considerados dispensáveis.
  19. 19. Não se trata apenas de incompetência técnica nem falta de recursos. Muitas vezes, por motivos políticos, autoridades não se dispõem a pagar o preço de remover os habitantes das áreas ameaçadas.
  20. 20. Estas mesmas autoridades, muitas vezes, facilitaram a sua ocupação, criando redutos eleitorais em terrenos predestinados à tragédia.
  21. 21. A omissão das autoridades só pode ser chamada de criminosa, quando suas vítimas, mais uma vez, se contam às centenas nestes dias.
  22. 22. Criança de nove anos de idade, vítima dos deslizamentos, é enterrada em Petrópolis/RJ.
  23. 23. “ O ser humano nasce para uma vida longa e plena. E se ele morre antes de seu termo, que acontece com a vida não vivida?”
  24. 24. “ Para onde vão suas alegrias e dores? Os pensamentos que não teve tempo de contemplar, os atos que não cumpriu?”
  25. 25. Cada pessoa é única. No oceano da existência, nenhuma gota se repete.
  26. 26. A dor sempre lacerante de quem perde um parente de modo inesperado.
  27. 27. “ Meu nome? Não sou mais ninguém.” Desabafo de morador de Friburgo que carrega o caixão da filha. Atrás dele, o corpo da mulher.
  28. 28. Famílias que num piscar de olhos deixaram de existir.
  29. 29. Famílias como a formada pela estilista Daniela Conolly, o músico Alexandre França, e João Gabriel, de apenas dois anos de idade.
  30. 30. O que acontece com todos os sonhos e planos abruptamente interrompidos?
  31. 31. Quão frágil e incerta é a existência terrena...
  32. 32. Algum dia talvez venhamos a compreender que aquilo que aflige uma parte acomete o todo igualmente.
  33. 33. “ Que importa termos muitos corpos? Nossa alma é uma só.” Mahatma Gandhi
  34. 34. Neste momento de dor, dedicar orações para as vítimas desta tragédia.
  35. 35. Apoiar com doações as ações de solidariedade em prol das 5 mil famílias que tiveram as casas devastadas pela enchente.
  36. 36. E, principalmente, exercitar a nossa cidadania, de modo a tentar reverter a cegueira e a surdez que acometem políticos e governantes.
  37. 37. Promover a cidadania, contribuindo com a nossa parcela para o bem comum e a dignidade social.
  38. 38. “ Somente a participação cidadã é capaz de mudar o país.” Betinho
  39. 39. “ Que a Justiça seja nosso ideal. Que a Solidariedade seja nosso ideal.” Betinho
  40. 40. Formatação: [email_address] Tema musical: “Allegretto Scherzando”, de Beethoven
  41. 41. Foto de criança, perdida em meio aos escombros. Nova Friburgo/RJ, 13/01/2011

×