Energia das ondas e marés

9.612 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.612
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
232
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Energia das ondas e marés

  1. 1. Energia das ondas e marés
  2. 3. -Energias Renováveis: Definição..............................pág.4 Energia das Ondas e Marés: -Condições naturais necessárias..............................pág.5 -Energia das Ondas...........................................pág.6 -Energia das Marés...........................................pág.7 -Técnicas utilizadas...........................................pág.8 -Transformar em energia...............................pág.9 e 10 -Objectivo....................................................pág.11 -Regiões do mundo onde se está a desnvolver.............pág.12 -A energia das ondas e marés em Portugal................pág.13 -Vantagens e desvantagens...........................pág.16 e 17 -Estruturas Shoreline........................................pág.18 -Estruturas Offshore........................................pág.19 -Gráfico......................................................pág.20 -Archimedes Wave Swing...................................pág.21 -Pelamis.......................................................pág.22
  3. 4. Energia renovável é aquela originária de fontes naturais que possuem a capacidade de regeneração (renovação), ou seja, não se esgotam. Como exemplos de energia renovável, podemos citar: energia solar, energia eólica (dos ventos), energia hidráulica (dos rios), biomassa (matéria orgânica), geotérmica (calor interno da Terra) e mareomotriz (das ondas de mares e oceanos). Ao contrário dos combustíveis não-renováveis (como os de origem fóssil, por exemplo), as fontes de energias renováveis, no geral, causam um pequeno impacto (poluição, desmatamento) ao meio ambiente. Portanto, são excelentes alternativas ao sistema energético tradicional, principalmente numa situação de luta contra a poluição atmosférica e o aquecimento global. Energias Renováveis: definição
  4. 5. As condições necessárias para esta actividade são: <ul><li>Vento
  5. 6. Grande agitação no mar </li></ul>Condições naturais necessárias Energia das ondas e marés
  6. 7. As ondas são formadas pela força do vento sobre a água, e o tamanho destas varia com a velocidade do vento, da sua duração e da sua distância. O movimento da água que resulta da força do vento, transporta energia cinética que pode ser aproveitada por dispositivos próprios para a captação dessa energia – energia das ondas. Energia das ondas
  7. 8. Energia das marés <ul>A energia das marés resulta da deslocação da água do mar, ou seja, com as variações das marés. Ainda existe a energia térmica dos oceanos que apesar de ser menos falada não deixa de ser importante. Como o nome indica este tipo de energia usa as diferenças de temperatura do mar, apesar de estar a ser utilizada no Japão numa fase de demonstração e experimentação. </ul>
  8. 9. Em contraste com os outros renováveis o número de conceções para a conversão da energia das ondas é muito grande. No entanto, podem ser classificados dentro de algumas técnicas genéricas básicas. As estruturas estão categorizadas de acordo com a distância de localização da instalação à costa, perto da costa (shoreline) e estruturas longe da costa (offshore). Técnicas utilizadas
  9. 10. Transformar em energia <ul>A tecnologia Pelamis afigura-se a uma “cobra” articulada que balança à medida que as ondas percorrem o seu comprimento. Esse movimento nas articulações permite accionar geradores de electricidade e a energia é depois recolhida por um cabo submarino e encaminhada para terra. Está previsto que um quilómetro quadrado de oceano seja ocupado com os geradores pelamis disponibilizando uma potência de 24 mil W, podendo alimentar aproximadamente 20000 habitações. </ul>
  10. 11. <ul>As ondas do alto mar podem oferecer uma energia tecnicamente mais estável que a das ondas de rebentação ou mesmo que a gerada pelo aproveitamento do vento. O movimento ondular produz energia cinética que pode pôr uma turbina a funcionar e a energia mecânica da turbina é transformada em energia eléctrica através de um gerador. Actualmente utiliza-se o movimento de subida/descida da onda para dar potência a um êmbolo que se move de cima para baixo num cilindro, o êmbolo pode pôr um gerador a funcionar. </ul>
  11. 12. O objectivo é acabar com a utilização dos recursos não renováveis, não poluindo o ambiente. Objectivo
  12. 13. -Pico (Açores) -La Rance (França) -Póvoa de Varzim Regiões do mundo onde se está a desenvolver
  13. 14. Portugal prepara-se para inaugurar o primeiro parque comercial de energia das ondas, capaz de fornecer energia “limpa“ a 350 mil casas. As máquinas Pelamis, nome latino que designa as serpentes maritimas, desenhados por uma empresa escosesa que é líder mundial neste tipo de energia renovável, são compostas de vários cilindros vermelhos, cada um deles do tamanho de um pequeno comboio regional, conectados entre si, e apontando na direcção das ondas. Energia das ondas e das marés em Portugal
  14. 15. A nova energia baseia-se na introdução da energia criada pelas ondas nos tubos, fazendo com que estes subam e desçam no leito do mar. A energia assim armazenada é depois ligada a um sistema hidráulico que a produz. As três serpentes marítimas serão em breve colocadas num ponto a cerca de cinco quilómetros da costa, apartir da qual a energia será bombeada para a rede nacional. Ao largo da póvoa de Varzim vão ser instaladas máquinas de aproveitamento energético a cerca de 5 quilómetros de terra.
  15. 17. Vantagens <ul><li>é uma energia renovável
  16. 18. não produz qualquer tipo de poluição
  17. 19. estão menos dependentes das condições da costa </li></ul>
  18. 20. Desvantagens <ul><li>instalações de potência reduzida
  19. 21. requer uma geometria da costa, especial e com ondas de grande amplitude
  20. 22. impossibilita a navegação (na maior parte dos casos)
  21. 23. a deterioração dos materiais pela exposição à água salgada do mar </li></ul>
  22. 24. As estruturas Shoreline estão fixas ou submersas em locais perto da costa. Desta forma tem a vantagem de uma maior facilidade de instalação e manutenção. As etruturas shoreline não requerem ancoragens, que são necessárias em águas profundas ou longos cabos eléctricos submersos, utilizados quando as instalações se encontram longe da costa . Uma das estruturas shoreline mais conhecidas é o OWC (oscillating water column – coluna de água oscilante). Estruturas Shoreline Estrutura Shoreline
  23. 25. Esta classe de estruturas explora os regimes de onda com maior potência existente em águas profundas (maior que 40 metros de profundidade). Algumas das estruturas offshore mais promissoras construidas na Europa são: Estruturas Offshore Archimedes Wave Swing Pelamis
  24. 27. Criada pela empresa holandesa Teamwork Technolagy BV, esta estrutura é submersa e funciona devido a variações de pressão hidrostática provocada pela passagem das ondas. Potência de 2 MW. Archimedes Wave Swing
  25. 28. Desenvolvido pela empresa escosesa OPD (Ocean Power Development), prevê-se a construção e instalação de um parque de 4 dispositivos com 3 MW de potência ao largo da Povoa do Varzim pela Enersis. O dispositivo é constituido por 4 tubos flutuantes disposto longitudinalmente, articulados entre si (cada dois tubos) por juntas com dois eixos de rotação perpendiculares, que permitem ao sistema acompanhar a forma das ondas. Cada junta dispõe de 4 cilindros hidráulicos que comprimindo oleo a alta pressão accionam um motor hidráulico ao qual está acoplado um gerador elétrico, produzindo-se deste modo eletrecidade Pelamis

×