Francisco Ramos Corrêa  A Raíz da Violência no campo brasileiro: Se cuida Brasil !          Guaraí/TO            2009
C824 v          Corrêa, Francisco Ramos.                  A Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil!/ Francisco    ...
PREFÁCIO        Este trabalho consiste em duas partes, e a princí-pio a nossa intenção seria publicação em separado, masde...
ou pelo Poder Político Partidário (poder Estatal) se mis-tura com a atividade religiosa, transformando a religiãoem palco ...
DEDICATÓRIA       Dedico este trabalho à minha família. À esposaIracema da Silva Pinto Ramos, aos nossos Filhos; HugoPinto...
da alma. Não poderia deixar de agradecer e reconhecer a importantís-sima participação voluntária e gratuita do ilustre ami...
SUMÁRIO1 - Apresentacão ..............................................................................092 - A violência no...
Francisco Ramos Corrêa                           9          1 - Apresentacão do autor        	O	meu	nome	é	FRANCISCO	RAMOS...
10              A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !      2 - A VIOLÊNCIA NO CAMPO               BRA...
Francisco Ramos Corrêa                             11               2.1 - Trabalho escravo        Primeiro faço uma observ...
12             A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !       Tal	situação	fez	com	que	houvesse	um	esvaz...
Francisco Ramos Corrêa                        13       Então só é feito assim. Eu mesmo quando morava na roça tra-balhava ...
14               A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !          2.2 - A raiz da violência no         ...
Francisco Ramos Corrêa                         15conquista e bravura. É a chamada “LUTA” tão divulgada nos meiospolíticos ...
16              A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !contemplados	pelos	programas	sociais	(bolsas)	po...
Francisco Ramos Corrêa                          17MENTE; pois uma ação, só se combate com uma ação contrária quea	neutrali...
18             A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !tava nas mãos do Professor JOSÉ RODRIGUES COSTA, ...
Francisco Ramos Corrêa                            19O efeito psicológico social em geral, principalmente para as partesenv...
20               A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !homem do campo no Brasil: Primeiro a inércia do...
Francisco Ramos Corrêa                        21           2.4 - Reforma Agrária e            Direito de Propriedade      ...
22              A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !passar do tempo, adquiriu a condição de funcioná...
Francisco Ramos Corrêa                      23      Enquanto o resto do mundo não mais tolera esse tipo de com-portamento,...
24             A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !       Trecho inserido em 23/10/2008.       Matér...
Francisco Ramos Corrêa                           25grafia	inchada,	o	campo	está	vazio,	porque	os	fazendeiros	não	se	ar-ris...
26             A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !seria	mais	fácil,	mais	prático	e	menos	oneroso	pa...
Francisco Ramos Corrêa                          27de uma coisa partidário e não de interesse nacional. Tem atualmente,em	d...
28             A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !a grande facilidade de manobra ou manipulação do ...
Francisco Ramos Corrêa                        29       ---	Já	dizia	o	saudoso	Luiz	Gonzaga:	“Dar	esmola	a	um	homem	são é v...
30             A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !Público, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Fede...
Francisco Ramos Corrêa                       31mos para essa situação. Porque se prevê isso? Ora, o pequeno agricul-tor	nã...
32              A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !quis colher, alegando que não compensaria. Ora, ...
Francisco Ramos Corrêa                           33ria) para a iniciativa privada no campo brasileiro ajudar no RESGATEDO ...
34             A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !Não	queremos	generalizar,	mas	a	grande	maioria	do...
Francisco Ramos Corrêa                      35des não prevêem esse perigo? É aquela conhecida história: PARA OTRIUNFO	DO	M...
36                 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?            Caríssimo leitor, a partir deste capítulo, você     ve...
37                     RE F L E X Ã O 3 • SALVACÃO DA ALMA               MITO OU VERDADE?       Após a leitura dessa matér...
38                    Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?Vejamos:      Vamos pensar, partindo do ponto de vista lógico e...
Francisco Ramos Corrêa                          39bem maior que tudo que se possa imaginar. Todavia, temos que citarisso	p...
40                   Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?em	todas	as	passagens	bíblicas	que	já	vimos	ou	ouvimos,	a	figura...
Francisco Ramos Corrêa                            41ficaria	 a	 Salvação	 daqueles	 que	 nunca	 tiveram	 qualquer	 orienta...
42                   Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?     3.1 - Origem da vida dos seres                animados     ...
Francisco Ramos Corrêa                          43       Caro leitor, isto é o que tentaremos defender como tese adian-te....
44                   Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?isso, temos que acreditar que Ele quer o mesmo bem para todos os...
Francisco Ramos Corrêa                       45alma e vise-versa NA HORA DA RESSURREIÇÃO. Em resumo:haveria mais corpo que...
46                    Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?biologicamente,	 nem	 que	 seja	 ao	 longo	 de	 milhões	 de	 an...
Francisco Ramos Corrêa                         47         Qual	é	a	média	de	vida	física	do	homem?	Sessenta	oitenta	anos	ou...
48                    Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?judique o conhecimento bíblico ou religioso, mas à questão psic...
Francisco Ramos Corrêa                       49     3.5 - Mentir em nome de Deus        Existe uma enorme leva de leigos a...
50                  Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?escritor Rubens Alves: “As coisas que são ditas ou pensadas têm q...
Francisco Ramos Corrêa                        51porque aquele primeiro casal teria sido tentado por um Espírito Mauou demô...
52                     Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?       Seria o Diabo também uma criação de Deus? Deus teria cr...
Francisco Ramos Corrêa                      53Mistérios deixam dúvidas. Dúvidas não são admitidas em provas. Emprovas, a c...
54                   Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?tais, e os pastores das Igrejas, Universal do Reino de Deus, Ren...
Francisco Ramos Corrêa                       55DA ALMA nesta questão?        Entendo que o correto papel da Igreja é ficar...
56                   Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?       Onde houver ódio, que eu leve o amor.       Onde houver o...
Francisco Ramos Corrêa                    57quem PROMOVE A ORDEM, O BEM SOCIAL E FAZ CUMPRIRAS	 LEIS.	 Qualquer	 Organizaç...
Livro A Raiz da Violência no Campo Brasileiro - Autor: Francisco Ramos Corrêa
Livro A Raiz da Violência no Campo Brasileiro - Autor: Francisco Ramos Corrêa
Livro A Raiz da Violência no Campo Brasileiro - Autor: Francisco Ramos Corrêa
Livro A Raiz da Violência no Campo Brasileiro - Autor: Francisco Ramos Corrêa
Livro A Raiz da Violência no Campo Brasileiro - Autor: Francisco Ramos Corrêa
Livro A Raiz da Violência no Campo Brasileiro - Autor: Francisco Ramos Corrêa
Livro A Raiz da Violência no Campo Brasileiro - Autor: Francisco Ramos Corrêa
Livro A Raiz da Violência no Campo Brasileiro - Autor: Francisco Ramos Corrêa
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Livro A Raiz da Violência no Campo Brasileiro - Autor: Francisco Ramos Corrêa

1.109 visualizações

Publicada em

Livro que aborda dois assuntos polêmicos: político/social e a religiosidade.

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.109
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro A Raiz da Violência no Campo Brasileiro - Autor: Francisco Ramos Corrêa

  1. 1. Francisco Ramos Corrêa A Raíz da Violência no campo brasileiro: Se cuida Brasil ! Guaraí/TO 2009
  2. 2. C824 v Corrêa, Francisco Ramos. A Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil!/ Francisco Ramos Corrêa. Guaraí: S. n., 2009. 64p. Bibliografia. 1. Trabalho escravo. 2. Violência no campo. 3. Reforma agrária. 4. Direitos trabalhistas. I. Título. CDD (21ª ed.) 362.042 (Catalogação na fonte – Bibliotecária Ysabella C. G. Macêdo CRB2/1191)
  3. 3. PREFÁCIO Este trabalho consiste em duas partes, e a princí-pio a nossa intenção seria publicação em separado, masdevido o alto custo, resolvemos pela publicação conjun-ta. Na primeira parte, denominada “A VIOLÊNCIA NOCAMPO BRASILEIRO - Se cuida Brasil”, fomos mo-tivados por discordarmos da maneira que o nosso Paísconsidera e age a respeito do chamado TRABALHOESCRAVO; por considerarmos exagerada a fiscalização trabalhista direcionada ao Campo brasileiro; por en-tendermos que os direitos trabalhistas devem ser dife-renciados e mais flexíveis para o campo brasileiro. Por entendermos que a violência no campo tem raízes no próprio sistema político/social que vem sendo praticadona política fundiária nos últimos anos, e na proliferaçãodo MST, e de ONGs nacionais, subsidiadas pelo própriosistema organizacional federal, por entendermos que o Sistema federativo nacional poderá está praticando umilícito eleitoral aplicando os atuais programas sociais,os conhecidos programas de transferências de bens erenda. E por fim, por percebermos que o direito de pro-priedade está vulnerável em nosso País. A segunda parte denominada SALVAÇÃO DAALMA – mito ou verdade? consiste na nossa manifes-tação quanto à proliferação desordenada das diversasseitas religiosas no Brasil, onde a ganância pelo dinheiro
  4. 4. ou pelo Poder Político Partidário (poder Estatal) se mis-tura com a atividade religiosa, transformando a religiãoem palco político e meio de comércio livre de impostos.Como também percebe-se que a miscigenação da políticapartidária com a religião está crescendo vertiginosamenteno País, onde o Poder Político é facilitado pelo corpora-tivismo religioso, deixando prejudicados os cidadãos co-muns que se inibem e recuam no processo eleitoral, sendoque a sociedade está perdendo estímulo, e o País perden-do na qualidade de uma boa parte de seus políticos. Con-siste ainda em observar a interferência de algumas ONGsreligiosas no sistema Estatal, trazendo sérios transtornos sociais e incentivo à violência no Campo em nosso País.. F R Corrêa :.
  5. 5. DEDICATÓRIA Dedico este trabalho à minha família. À esposaIracema da Silva Pinto Ramos, aos nossos Filhos; HugoPinto Corrêa, advogado, Heitor Pinto Corrêa e Iara Pin-to Corrêa, enfermeiros. A todos os Policiais brasileiros,em especial aos colegas Policiais Rodoviários Federais,colocando em primeiro lugar aqueles com os quais con-vivi diuturnamente na Unidade Operacional de Guaraíem toda a minha trajetória por mais de 29 anos, e os domeu Distrito, no Tocantins. Agradeço imensamente a participação e o incen-tivo daqueles que de alguma forma me ajudaram comcríticas ou elogios como os meus filhos, , e porque não; àqueles que são a razão maior, ou os anfitriões deste hu-milde labor; às vítimas da violência, das invasões em geral, e aos camponeses incompreendidos e que sofremcom peso do braço da Lei trabalhista brasileiros, àque-les que se afligem e se desesperam com a vulnerabi-lidade do direito de propriedade e/ou com a inércia dosistema agrário na regularização fundiária. Dedico tam-bém àqueles que no intuito de conhecer a verdade reli-giosa, às vezes são vítimas de explorações financeiras e torturas psicológicas disfarçadas, praticados por seitasque não primam realmente pelos ensinamentos que di-recione ser humano no caminho da verdadeira Salvação
  6. 6. da alma. Não poderia deixar de agradecer e reconhecer a importantís-sima participação voluntária e gratuita do ilustre amigo, Professor daLíngua Portuguesa, JOSÉ RODRIGUES COSTA (ZÉ CAPOTEIRO)e à sua filha JOQUEBEDE RODRIGUES MOURÃO que fizeram a revisão ortográfica deste trabalho. OBRIGADO! F R Corrêa : .
  7. 7. SUMÁRIO1 - Apresentacão ..............................................................................092 - A violência no campo brasileiro: se cuida Brasil.......................102.1 - Trabalho Escravo .................................................................... 112.2 - A Raiz da violência no campo brasileiro ................................142.3 - Os direitos trabalhistas rurais precisam ser flexibilizados ......192.4 - Reforma agrária e direito de propriedade ...............................212.5 - Responsabilidade Social e educação ......................................232.6 - Política partidária e os Bolsas Federais ..................................263 - Salvação da Alma: mito ou verdade ..........................................373.1 - Origem da vida dos seres animado .........................................423.2 - Batismo ...................................................................................433.3 - Juízo Final...............................................................................443.4 - A volta de Jesus.......................................................................463.5 - Mentir em nome de Deus........................................................493.6 - Espíritos bons e espíritos maus...............................................503.7 - Ministérios religiosos .............................................................523.8 - Igrejas e movimentos sociais ..................................................543.9 - Política partidária e sacerdócio ...............................................57
  8. 8. Francisco Ramos Corrêa 9 1 - Apresentacão do autor O meu nome é FRANCISCO RAMOS CORRÊA, sou filho de camponês maranhense, nasci em 21 de março de 1948, sou casa-do, pai de três filhos e trabalho na Polícia Rodoviária Federal desde 1979. Presto serviços na Unidade Operacional de Guaraí-TO. Todaa tradição da minha família é camponesa. São pessoas que até hojevivem no campo. Tanto eu como meus pais e quase toda a nossa famí-lia temos terras e atividades no Campo. Então, falo do que conheço,principalmente a lavoura familiar manual. Sou técnico em contabili-dade, mas não cheguei a exercer essa profissão. A profissão que exerci por mais de dez anos, foi a de barbeiro/cabeleireiro, em Miracema do Norte, hoje Miracema do Tocantins, cujo estabelecimento tinha onome de “SALÃO CORRÊA”. Sou católico. Estudei em colégio defreiras. Quando jovem fiz o Chamado TLC – Treinamento de Líderes Cristãos e depois de casado fiz o CURSILHO DE CRISTANDADE, ambos feitos em Centro de Treinamento Católico, e admito que devaparte de minha minúscula formação aos ensinamentos católicos, mashoje vou às missas esporadicamente. Entrei para o quadro da PolíciaRodoviária Federal em 1º de outubro de 1979. Na minha função poli-cial respondi periodicamente pelo menor cargo de confiança aqui na Unidade Operacional de Guaraí-TO, e por pouco tempo. Sempre fuio Policial que atuei apenas no operacional da PRF. Mas sempre gosteide me manifestar nas questões de relevância dessa Instituição, porém nunca fui ouvido por estar como aquele último na fila hierárquica, e como tenho dito por lá, acho que na PRF existe certa inversão devalores que não possibilita o agente ser ouvido. Ainda que licenciadotemporariamente, faço parte da Grande Loja Maçônica do Estado doTocantins, tendo ingressado na Loja Mário Bering nº 08, Guaraí – TOem 1995, na qual fui ao grau de Mestre Maçon.
  9. 9. 10 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil ! 2 - A VIOLÊNCIA NO CAMPO BRASILEIRO SE CUIDA BRASIL!!! Entendo que a VIOLÊNCIA no Brasil é um dos mais com-plexos problemas a se resolver. A origem e as razões da violência envolvem uma gama de fatores de ordem organizacional no sistema brasileiro que precisariam ser revistos em nossa Constituição. Gostaria de me manifestar quanto a esse assunto, estendendoainda o meu ponto de vista a todas as autoridades deste País. Co-meçando pelo chamado TRABALHO ESCRAVO tão badalado nosúltimos tempos, e principalmente sobre a raiz da violência no Campo Brasileiro. Caríssimo leitor, essa matéria ou o seu tema central foi ba-sicamente escrito em setembro de 2006, pois na época eu pretendiaencaminhá-la a um evento que estaria ocorrendo em Palmas-TO so-bre o trabalho escravo, mas ao longo do tempo venho inserindo oumodificando algum tópico para melhor complementá-la ou adequá-la conforme o tempo passa, ou obtenho mais dados, e por fim resolvi torná-la de conhecimento público em forma de livro.
  10. 10. Francisco Ramos Corrêa 11 2.1 - Trabalho escravo Primeiro faço uma observação: Acredito que o assunto TRA-BALHO ESCRAVO aqui no Brasil hoje, é algo sensacionalista e nãocondiz com a realidade. Até porque são casos isolados. Não é uma regra, ou uma tendência no País. Entendo que escravidão é outra coi-sa... Tenho colegas Policiais Rodoviários Federais que participam deplanos estratégicos e operações de combate a este tipo de trabalho, e penso que é um exagero, por exemplo, considerar-se que somenteporque alguém não tem uma carteira de trabalho assinada, seja classi-ficado como trabalhador escravo, pois muitas vezes tais trabalhadores recebem pelo que fazem até numa proporção maior do que o salário mínimo oficial do Governo Federal. Exemplo: Um diarista aqui em nossa Região recebe não menos que 20 reais por dia. (época. Julho de2007). Tirando os feriados, trabalha mais ou menos 25 dias cada mês.Mas é apenas ponto de vista. Vamos ao que interessa, porque sei queesse tipo de trabalho está relacionado ao que segue: Primeiramente vamos aos motivos pelos quais no meu poucoentender houve nas três ou quatro últimas décadas passadas, uma fugaquase em massa dos trabalhadores do campo para as periferias dasgrandes cidades brasileiras. Isso ocorreu a meu ver, principalmente com o advento da Cons-tituição de 88, devido às exageradas ou equivocadas conquistas dossindicalistas, associações e políticos radicais, que reduziram o tem-po para a aquisição do DIREITO DE POSSE. Reduziram também os prazos para que alguém tenha direito à USUCAPIÃO. Leis e medidas trabalhistas diversas estenderam todos os encargos sociais trabalhistasque antes eram aplicados somente no trabalho formal urbano, ao tra-balho no Campo brasileiro.
  11. 11. 12 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil ! Tal situação fez com que houvesse um esvaziamento do cam-po, porque quem mantinha alguém em suas propriedades como sim-ples agregado os mandou embora. Muita gente vivia nas fazendas sem contrato de parcerias e sem vínculo empregatício, (mas ali prestavamserviços e se auto-sustentavam trabalhando na lavoura sob a ADMI-NISTRAÇÃO DO PROPRIETÁRIO DA FAZENDA). É verdade quenão existiam garantias ou vantagens trabalhistas, mas aquele povovivia feliz e não passava fome. Embora a demografia do país fosse menor, o campo era mais povoado. Os fazendeiros tiveram medo de perderem suas propriedades devido à redução dos prazos para Direito de Posse e ao Usucapião, também devido não suportarem o peso dosencargos trabalhistas, somados à burocracia para a regularização dos trabalhadores no Sistema, se viram ameaçados e mandaram toda essagente embora. Esse povo foi para as periferias dos grandes centros ur-banos brasileiros, sem escolaridade, e sem oportunidades de trabalhoou opção de vida. Assim sendo partiram para o óbvio; sobreviver àssuas próprias custas. Era um povo sem escolaridade, sem profissão nem trabalho, e como o crime dá lucro e quase sempre fica impune, muitos partiram para o crime. É o que entendo que houve. Atualmente, os fazendeiros que necessitam de um núme-ro maior de trabalhadores, estão terceirizando o serviço. Em vez de contratar várias pessoas, contratam apenas uma pessoa, o chamado“gato”, que é na verdade um empreiteiro e agenciador informal detrabalhadores. Todos esses trabalhadores só gostam de se alojar omais perto possível do local de trabalho (que é no campo), ou melhordizendo, no mato! Explicando melhor, é que para se abrir uma área no campo, primeiramente tem que se desmatar. Em locais de matasmais densas esse serviço é quase sempre feito de forma manual oucom motos-serra. Assim sendo as condições de trabalho e alojamento são realmente muito rústicas, porém práticas. É ali que está a maiorparte do verdadeiro trabalho que a mídia o chama de TRABALHOESCRAVO.
  12. 12. Francisco Ramos Corrêa 13 Então só é feito assim. Eu mesmo quando morava na roça tra-balhava assim com meus irmãos, o nosso pai e outros companheirosde fora, na maioria das vezes os nossos agregados é que eram pagos para nos ajudar. Esses companheiros de fora, moravam como agrega-dos na nossa propriedade ou nas propriedades vizinhas. Era só avisá-los, administrá-los marcando o dia, a hora, e o serviço era feito. Quando o trabalhador não recebe, aí é outra história. Está erra-do. Então vamos tomar providências. Neste caso não diria que o em-pregador seja um escravizador, mas sim um caloteiro. Acho que não são escravos porque fazem a única coisa que às vezes sabem fazer, e o que querem fazer. O que eles não sabem mesmo é se autoadminis-trarem. Mas se receberem em proporções, não inferior ao salário mí-nimo oficial do governo federal, paciência. Não pode ser escravidão até porque nem sempre é uma situação permanente. É UMA OPÇÃODE TRABALHO TEMPORÁRIO QUE A PESSOA FAZ, PELO LO-CAL E POR AQUELE VALOR. FOI ALÍ QUE ELE ENCONTROU TRABALHO, E SE FOSSE TRABALHAR PARA SÍ PRÓPRIO A SITUAÇÃO PODERIA SER PIOR! É MELHOR TER AQUELE TRABALHO FAZENDO O QUE SABE FAZER, DO QUE NÃO TER NADA.
  13. 13. 14 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil ! 2.2 - A raiz da violência no campo brasileiro Pelos motivos expostos acima, começaram as invasões da coisa alheia, que hoje nada mais é do que “CULTURA DA INVA-SÃO” no Brasil. Aqui, certamente está A RAIZ DA VIOLÊNCIA,SEM CONTROLE E SEM PERSPECTIVA DE CONTROLE den-tro da linhagem da atual política educacional, agrária, trabalhista ede segurança pública que temos, (novembro de 2007). Estou dizendo isso porque sou de origem camponesa e trabalho no rol da segurançapública já completando três décadas, em uma das regiões do País que mais ocorre esse tipo de situação, e vejo que cada dia a coisa só vaipiorando. Falando-se de VIOLÊNCIA, NUNCA SE PODE DIZER:HOJE ESTÁ MELHOR QUE ONTEM! Então não há mais controle. Para reverter essa cruel situação, o País precisa de urgentes mudançasORGANIZACIONAIS NO SEU SISTEMA. O que vemos hoje são pessoas sem esclarecimentos intitula-dos de trabalhadores, manipuladas por irresponsáveis inteligentes,(líderes de Ong’s diversas) desafiando a polícia e o próprio Estado de Direitos. São invasores invadindo até o Congresso Nacional. Onosso País caminha para uma situação em que em breve, as Institui-ções Policiais precisariam pedir ajuda do Ministério do Trabalho no sentido de exigir a sua própria segurança no exercício da função. E oMinistério do Trabalho iria invocar a quem para dar proteção à Polí-cia? Pergunta-se: como será o comportamento futuro, e o conceitode direito de propriedade dessa geração de jovens que vivenciam asinvasões como se fossem algo legítimo e atualmente considerado nor-mal e até banal? Vejam que grande parte desses jovens chega aos as-sentamentos pela via da invasão que a consideram como uma grande
  14. 14. Francisco Ramos Corrêa 15conquista e bravura. É a chamada “LUTA” tão divulgada nos meiospolíticos partidários. Isso não é alimentar a violência? Mas é legítimo.É coisa oficial no Brasil. Se cuida Brasil! Ora, ninguém faz o que está ocorrendo no Brasil sem um ideal, sem dinheiro e muito menos sem liderança ou orientação. Então temalgo por trás... Com que objetivo? Trecho inserido em 08-03-08. “Cenas como as que foram mostradas pelo Jornal Nacional TVGlobo em instalações da VALE, em Açailândia – MA e no Rio de Ja-neiro, hoje, 08/03/08, nos preocupa sobremaneira. Chega-se a pensarque o nosso querido Brasil não é mais o País que queremos morar. OMST, COM SUAS BANDEIRAS VERMELHAS, INSTITUCIONA-LIZOU A VIOLÊNCIA NO PAÍS! Consigo arrasta as demais Ongs de todos os cantos do País, que se somam nos atos de vandalismo eviolência. Prevalecem-se de um discurso democrático em suas con-turbadas ações, mas agem realmente como VÂNDALOS E MALFEI-TORES. A violência é sempre divulgada pelos meios de comunicaçãonacionais, mas QUALQUER PUNIÇÃO NUNCA É CONHECIDA PELA NAÇÃO. Configura-se uma tática para que cada vez mais o cidadão de bem se cale, recue ou nunca reaja. Será que ficam todos impunes mesmo? Chega-se a pensar: Um REGIME DEMOCRÁTI-CO PLENO é realmente viável para um país nas atuais condições do Brasil? Ou a democracia só funciona plenamente nos países de pri-meiro mundo? Sinceramente essa situação nos dá arrepios de medo.São cenas estarrecedoras, onde vândalos destroem ou se apossam doque é alheio. Cadê o direito de propriedade? ---- Caro leitor, você ima-gine: esse tipo de gente é que fica nas margens das estradas brasileiras e muitos recebem cestas alimentícias do Governo Federal através doBOLSA FAMÍLIA, INCRA, FOME ZERO etc. Se são assistidos, ou
  15. 15. 16 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !contemplados pelos programas sociais (bolsas) porque razões promo-vem tais atos de vandalismo? Com essa política, ainda que de formaNÃO INTENCIONAL, na prática é como se o DINHEIRO PÚBLI-CO ESTIVESSE FINANCIANDO A VIOLÊNCIA. São organizados, orientados pelas ONGs das quais muitas recebem dinheiro públicopara se manterem, (portanto, coisa oficial ou juridicamente legal), in-clusive ONGs da IGREJA CATÓLICA. Que país é este? Qual seria o louco que atualmente se arriscaria a investir nesse País, na condiçãode desordem que se encontra? SUGESTÃO – O Governo Federal tem que cortar toda e qual-quer assistência para quem fizer parte desse tipo de ação. Precisa urgentemente modificar a Constituição, de modo a proibir terminan-temente que qualquer cidadão que; RECONHECIDAMENTE fizer parte de alguma ONG OU QUE SEJA FILIADO A ALGUM PARTI-DO POLÍTICO, e que venha a fazer parte direta ou indireta nos mo-vimentos sociais que resultem em vandalismo, SE CANDIDATEMa qualquer cargo eletivo no País, pois seriam candidatos ou militantesque estariam concordando ou até incentivando ações criminosas, ti-rando proveito de tais ONGs ou PARTIDOS, para se beneficiarem deixando em enorme desvantagens os candidatos que não fazem parte desses movimentos. Como também não há nenhuma razão para quem está sendo as-sistido ou amparado pela Nação através do DINHEIRO PÚBLICO, seenvolver com vandalismo ou ações criminosas, e muito menos pode crescer politicamente às expensas do dinheiro público. Essas ações só existem porque alguém está levando vantagem. Se tiver vantagem,todos querem e a coisa só vai aumentar! Se o governo não fizer algo para NEUTRALIZAR esse tipo de ação urgentemente, estará proporcionando incentivo à criação denovas Ongs e Movimentos Sociais PARA AGIREM CONTRARIA-
  16. 16. Francisco Ramos Corrêa 17MENTE; pois uma ação, só se combate com uma ação contrária quea neutralize. E aqui fico a imaginar: O artigo 1.210 do Código civil brasileiro diz o seguinte: “O possuidor turbado, (seria o mesmo que invadido) poderá manter-se ou restituir-se por sua própria força, con-tanto que o faça logo; e os atos de defesa ou de esforço, não podemir além do indispensável à manutenção ou restituição da posse.” Ora,se o MST e demais Ongs se organizam, dão treinamentos, cursos, etc. Parece que já têm até Faculdades para esse fim, e vejam; AGINDO SEMPRE NA SOMBRA DA DEMOCRACIA. O discurso é sempremuito democrático. O bandido ignorante é muito perigoso, mas o sa-bido ou inteligente é muito mais perigoso! Esse quadro social deveráobrigar os fazendeiros, o agronegócio e por fim a sociedade de bem e organizada, seguirem o mesmo caminho. Usarem o conhecido discur-so democrático e agirem para se defenderem. É lei natural de quemse sente turbado, ameaçado, ou agredido! E não descarto a possibili-dade de serem criadas ONGs e mais ONGs neste País para combateras ações do MST. Seria o caso de criar-se por exemplo uma ONG com a seguinte sigla: MCI – MOVIMENTO DE COMBATE ÀS IN-VASÕES, com abrangência nacional, com o objetivo de bloquear asinvasões do MST. Seriam ONGs legais e legítimas, podendo inclu-sive ser subsidiadas pelos organismos governamentais e receberemdoações privadas diversas. Porque não, se apenas estariam seguindo o exemplo do MST, e garantidas pela nossa constituição e CódigoCivil? Os Estados do Sul do País já iniciaram ações nesse sentido. Já ouve confronto entre organizações de fazendeiros e o MST. Isso ocor-rendo será a total ausência do Estado de Direito responsável pelagarantia da ordem da Nação. O que poderá ocorrer daí para frete?Não é esse o País que queremos. Queremos um “Brasil próspero, or-ganizado, decente e ordeiro.” “ Nota do autor: Em 26 de fevereiro de 2009 esse trabalho es-
  17. 17. 18 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !tava nas mãos do Professor JOSÉ RODRIGUES COSTA, tendo comocolaboradora a sua filha JOQUEBEDE RODRIGUES MOURÃO, procedendo a sua revisão ortográfica. Então, comungando com o nosso pensamento, o Brasil, e por-que não dizer, boa parte do Mundo assistiu estarrecido o noticiário da Rede Globo de Televisão, Programas Bom Dia Brasil e Jornal Nacio-nal, onde na calada da noite, enquanto o povo brasileiro brincava ocarnaval/2009 o MST também fazia o seu carnaval de invasões pelo País a fora, principalmente em São Paulo. Na oportunidade o Ex-celentíssimo Dr. Gilmar Mendes, então Ministro do Supremo Tribu-nal Federal brasileiro, falara que o repasse de dinheiro público parao MST caracterizava que a sociedade brasileira estava financiando a violência! No mesmo sentido, o respeitável jornalista Alexandre Garciaao comentar os fatos idênticos, onde mais uma invasão havia ocor-rida em Xinguara –PA, dissera no Bom dia Brasil do dia 02/03/2009,que o MST não respeita a Lei e se antecipa onde bem entende, fazen-do justiça com as próprias mãos.... Isso tudo me deixa convicto deque ainda que um pouco atrasado, esse humilde trabalho não ficará em vão!”. Não concordamos que aqui no Brasil, o trabalhador do camposeja enquadrado na Lei trabalhista, nos mesmos requisitos que os tra-balhadores formais urbanos. Mas caríssimas autoridades brasileiras, como não se pode fa-zer uma crítica sem pelo menos apontar uma opção de solução, que-remos dar a nossa sugestão e com a convicção de que o Sistema go-vernamental brasileiro vai ter que fazer algo semelhante ao que esta-mos sugerindo adiante, sob pena de em breve, vermos no Brasil umaREVOLUÇÃO INTERNA! (ISTO É, DE FORMA DECLARADAE RECONHECIDA, PORQUE DE FATO, MAS DE FORMA ABA-FADA JÁ EXISTE HÁ MUITO TEMPO). PRESTEM ATENÇÃO.
  18. 18. Francisco Ramos Corrêa 19O efeito psicológico social em geral, principalmente para as partesenvolvidas, (polícia e traficantes e/ou criminosos e seus familiares) nas operações de combate ao crime organizado no Rio e São Paulo não fazem nenhuma diferença dos mesmos efeitos sofridos pelas par-tes envolvidas, por exemplo, na recente Guerra deflagrada entre os Estados Unidos e o Iraque. E quanto às baixas nas duas comparações também não faz muita diferença. A diferença está apenas nas origens dos conflitos dos dois exemplos. 2.3 - Os direitos trabalhistas rurais precisam ser flexibilizados O governo federal precisa REVER URGENTEMENTE A LEITRABALHISTA DE FORMA DIFERENCIADA para o campo, demaneira a garantir tão somente o seguro desemprego e as aposenta-dorias aos trabalhadores rurais. Nada mais. Tem que mudar requisitosda Constituição, aumentando o prazo para O DIRIETO DE POSSE E PARA A USUCAPIÃO, quando envolver terrenos rurais, mesmopara fins da agricultura familiar. Tem que transferir urgentemente para os Estados TODA A REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA. Porqueo INCRA, SE OS ESTADOS PODEM E TÊM MAIS ESTRUTURAPARA FAZER ESSE TRABALHO? Sabemos que no passado os Es-tados abusavam da distribuição de terras, mas hoje a situação é outra.Para tanto existe aí o Ministério Público federal e estadual como guar-diões da Lei e da sociedade, não se justificando mais somente o go-verno federal através do INCRA distribuir terras. Não estaria a Uniãointerferindo na a u t o n o m i a dos seus Estados, deixando somenteo INCRA com essa responsabilidade? Cada Unidade da Federaçãonão possui os seus respectivos Institutos de Terras? Essas medidascom certeza fariam diminuir a violência no Campo. Tranquilizaria o empregador rural. Resumindo: Três coisas estão aterrorizando o
  19. 19. 20 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !homem do campo no Brasil: Primeiro a inércia do Sistema Fundiário.Temos propriedades esperando regularização há mais de 40 anos. Se-gunda coisa: O peso do braço da Lei trabalhista. E terceiro, as inva-sões promovidas pelas Ongs diversas. É só mexer nesses três pontos e o campo vai se encher de gente. Se a iniciativa privada do agrone-gócio absorver este pessoal, vai DESAFOGAR O GOVERNO, e empouco tempo não será mais necessário manter os programas sociaisde combate à fome e à miséria. A política fundiária ficando somente na alçada do governo federal caracteriza ser o seu maior aliado elei-toral. Queiramos ou não é sim um ilícito eleitoral. A União abraçou a responsabilidade de distribuição e regularização de terras para sí, o que é inviável ou quase impossível de resolver o problema, poisNÃO POSSUI ESTRUTURA FÍSICA NEM FINANCEIRA para re-solver o problema sozinha. Hoje, no Brasil temos um só Ministro de Desenvolvimento Agrário, um só Presidente do INCRA. O governoprecisa REPASSAR A RESPONSABILIDADE de Regularizar Terras para os seus respectivos Estados, pois estes conhecem mais de pertoas suas peculiaridades, desta forma o país terá em cada Estado, umacabeça pensante com toda uma estrutura física e financeira. E quanto à violência? Com a atual política fundiária, o Governo Federal está possibi-litando que as ações do MST aconteçam de forma unificada nacional-mente. Ou seja, Ações desencadeadas em uma determinada Unidade da Federação se somam a militantes dos demais Estados e dá no queestamos vendo. INSTITUÍRAM UM MONSTRO SEM CONTROLE, A VIOLÊNCIA NO CAMPO, que se soma à violência urbana em todoo País. Distribuindo-se estas responsabilidades, iremos enfraquecer asações do MST e demais Ongs a nível Nacional, porque em vez de eles pressionarem somente o Presidente da República, voltarão suas aten-ções para cada governador de Estado. Consequentemente a violência em geral diminuirá.
  20. 20. Francisco Ramos Corrêa 21 2.4 - Reforma Agrária e Direito de Propriedade As invasões e ações de protestos no campo estão hoje em par-te, ligadas à Reforma Agrária. Mas não é somente por isso. Com asmedidas apontadas acima, entendemos que se não acabar, diminuirão.Reinará a paz no campo e desafoga os centros urbanos, e o direito de propriedade não ficará ameaçado como está. Falando-se do direito de propriedade, aqui abro um parênte-se, para comentar um aspecto no mínimo curioso. Vejamos: Todo equalquer funcionário público; isto, do Federal ao Municipal, é impe-dido por lei Federal a receber terras públicas, porque segundo a Lei,eles têm dedicação exclusiva à função pública e já estão beneficiados pelo Estado, inclusive depois de aposentados, que não teria o menorsentido, pois neste caso a pessoa não tem mais a obrigação pela de-dicação exclusiva ao serviço, não havendo mais nada que o impeçaadministrar o que possui, tenha o seu patrimônio a origem que tiver.Neste caso o argumento seria somente o amparo do sistema Estatal.Correto. Estão amparados, porém essa conquista muito raramentevem pela via da ajuda do estado, mas sim dos esforços de cada um.Porque então todos os contemplados dos programas sociais Federais,cujo mérito é exclusivo do estado, os quais são na verdade uma es-pécie de VITALÍCIOS FEDERAIS, portanto também amparados pelo governo, podem receber terras públicas enquanto amparados? Vamosilustrar uma situação de discriminação realmente existente no nos-so País. O cidadão foi inserido no programa do INCRA para receberuma terra em Assentamento. Recebeu a terra, mas sem o documentodefinitivo, pois este só é entregue após cumprir a carência, a chamada Cláusula Resolutiva. Antes de receber o documento definitivo, com o
  21. 21. 22 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !passar do tempo, adquiriu a condição de funcionário público (seria ocaso do professor lá nos assentamentos do INCRA). Aí estará impe-dido de ficar com a sua terra. Estamos falando de situações existentes da qual temos conhecimento. Isso não caracteriza uma discriminação ou penalização ao funcionário público? Falamos no parágrafo anterior que as invasões estão em parte ligadas à reforma agrária, mas que não eram somente por isso. Cita-mos em parte, porque está claro que o objetivo não é somente a buscada tão falada transferência de bens e renda. É BRIGA PELO PODERESTATAL. O discurso é a distribuição ou transferência de renda. Éque A TERRA CUMPRA A SUA FUNÇÃO SOCIAL. O objetivo érealmente outro. É político. E é aí onde está o perigo dessa coisa parao nosso País, caracterizando um enorme desequilíbrio eleitoral onde usam a terra como trampolim para chegarem ao poder Estatal. Quem possui terras com áreas maiores hoje neste país está com o coração na mão, temendo invasões a qualquer momento, ou mesmo a visita do Ministério do Trabalho que muitas vezes revolta, desestimula, ou até inviabiliza o camponês a continuar a sua ativida-de. Não só terras, mas também outros bens do cidadão ou do Estado,principalmente os imóveis. Aliás, não há mais qualquer critério oualvo para as invasões. Há muito tempo, GRUPOS ORGANIZADOS DENOMINADOS SEM... SÃO OS SEM TUDO..., estão atacandocaminhões carregados seja lá do que for, e saqueando as mercadorias nas rodovias, depredando o bem ou a carga, dando demonstração clarade que a luta não é mais somente para sobreviver... Percebe-se que o importante para esses malfeitores é DESA-FIAR O SISTEMA ESTATAL! SÃO AQUELES DO QUANTO PIOR MELHOR. Hoje no Brasil para se investir no Campo tem quepensar duas vezes, porque o MST invade a coisa alheia sem nenhum critério. Acha que está acima da Lei de todos.
  22. 22. Francisco Ramos Corrêa 23 Enquanto o resto do mundo não mais tolera esse tipo de com-portamento, isso ocorre a passos largos no Brasil. Com as medidas sugeridas acima, com um só ato, o governo estaria transferindo milhões de trabalhadores urbanos para a iniciativa priva- da no Campo, e os fixando na terra. 2.5 - Responsabilidade social e educacão O governo federal está com um fardo muitíssimo pesado nascostas, querendo carregar toda a carência social sozinho, como se o povo brasileiro fosse propriedade sua, e que deles faz o que bem qui-ser. Ora, são milhões de pessoas com baixa escolaridade, altamente carentes, (realmente presentes em nossa sociedade) que se encaixariamuito bem na agricultura por ser ainda um mercado de trabalho me-nos exigente na qualificação da mão de obra. Porque não proporcio-nar isso ao País? Da forma que está, achamos que vai chegar um momentoque a “COISA PODERÁ ESTOURAR!” Para evitar esta conse-quência o governo precisa DE IMEDIATO, DIVIDIR RESPON-SABILIDADES. DEPOIS INVESTIR TUDO QUE PUDER NAEDUCAÇÃO como já falamos várias vezes. É claro que a solução pela via da educação será a longo prazo. A menor prazo será a dis-tribuição de responsabilidades administrativas. A solução do país éCONSTITUCIONAL, e está no campo e na educação.
  23. 23. 24 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil ! Trecho inserido em 23/10/2008. Matéria que foi ao ar pela TV Globo Jornal Nacional: confir-mando o que dissemos acima, a TV Globo informa que uma recente econfiável pesquisa, mostrou que 77% da população brasileira é urba-na, e que 29% deste total vive nas favelas ou periferias. Sobram então apenas 23% para o campo. “Se somarmos todas as áreas urbanas dos 5.564 municípios brasileiros e diminuirmos dos 8.511.000 quilôme-tros quadrados que tem o Brasil, veremos que o nosso campo estárealmente despovoado, e que a população favelada é muito grande.” Antes, não tão distantes propriedades rurais mantinham váriosagregados ou empregados. Atualmente quase não tem mais gente nasfazendas, exceto os assentamentos do INCRA que ainda representa um quantitativo muito pequeno em comparação com população do País. Epior, NÃO TEM COMANDO. NÃO HÁ ADMINISTRADOR PARAESSE PESSOAL NOS ASSENTAMENTOS. Ficam à mercê de umpresidente de associação ou sindicato. Esses na verdade só servem deligação entre os assentados, os políticos, o INCRA e os bancos, anga-riando vantagens financeiras ou políticas para si ou seus apaniguados. Quase todos esses líderes viram políticos, tornando esses assentamen-tos em verdadeiros CURRAIS ELEITORAIS FECHADOS. Quando não são candidatos, são cabos eleitorais. Em muitos casos tais assen-tamentos são uma verdadeira FAVELIZAÇÃO RURAL. Ali proli-fera a droga, todo tipo de violência e algo muito grave que é o des-respeito à natureza. Onde existem assentamentos não há mais peixe, nem caça, nem madeira. Outro aspecto que é importante observar-se.Grande parte deles, (por não serem realmente pessoas do campo) nãose fixa por lá. Eles são uma espécie de lançadeiras de tear. Vão e vol-tam, vão e voltam. Existem lotes de determinados assentamentos quejá passaram por inúmeras mãos. Enquanto as grandes cidades brasileiras estão com sua demo-
  24. 24. Francisco Ramos Corrêa 25grafia inchada, o campo está vazio, porque os fazendeiros não se ar-riscam a deixar consigo gente privilegiada com mecanismos legais,que faculta tomar a propriedade de alguém, ou inviabiliza o lucro. Ninguém se arrisca a jogar o que tem fora. Com a atual política de re-forma agrária, tipo “conta gotas” (esta comparação se deve ao obser-var a procura em relação à oferta no INCRA) como a que está sendopraticada pelo INCRA, NÃO SE POVOA o campo brasileiro princi-palmente com justo equilíbrio. As medidas federais têm que ser deforma que com um ato só, atinja a todos de uma só vez, onde a popu-lação escolhe a sua opção de ir para o campo de forma generalizada, sem nenhuma espera imposta pelo sistema agrário, com garantias depermanência para quem optar pelo campo, e garantias também de queo proprietário (empregador) que vier absorver esse pessoal não correrisco de perder o que possui. Daí para frente o papel do Estado, seriadar educação, saúde e infra-estrutura, crédito, incentivos na agricultu-ra, pecuária; em fim, ao agronegócio em geral. A atual política do INCRA limita as áreas a serem Regulariza-das em áreas pequenas. Quando por pressão da política agrícola e da sociedade camponesa, aumenta o tamanho das áreas para regulariza-ção, fica só no papel. O governo só prioriza os assentamentos ou as menores áreas. A coisa existe na Lei, mas não existe de fato. O paísfica sempre amarrado, porque quanto mais o governo assenta gen-te, mais os agenciadores arranjam gente para inserir nos programasde assentamentos, ficando sempre as áreas maiores para trás. Procure saber, caro leitor, se hoje, outubro de 2008 não existe mais gente nalistagem para serem assentados do que outubro do ano passado. Não seria melhor o governo liberar INCONDICIONALMEN-TE o tamanho das áreas e incentivar o cidadão camponês com pro-gramas viáveis, que possibilite os menos favorecidos a se fixarem no campo como agregados, comodatários, arrendatários ou outra moda-lidade nas propriedades rurais com créditos para trabalharem? Não
  25. 25. 26 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !seria mais fácil, mais prático e menos oneroso para o País, em vez de só o INCRA Regularizar e/ou assentar colonos; cada Unidade de Fe-deração fazer essa função e resolver bem mais rápido a sua respectiva situação agrária de acordo com a peculiaridade local? Em que consiste cada Unidade da Federação? Um Estado,subdivisão administrativa da Federação. Em tese estes são AUTÔ-NOMOS. Têm o seu Governador, a sua Constituição a sua estruturaorganizacional, mas na prática são parcialmente autônomos. Porque não assumirem autonomia total e administrarem suas respectivas Ter-ras em seus perímetros geográficos? Se liga Brasil! 2.6 - Política Partidária e os Bolsas Federais Já imaginaram no momento em que o governo federal não pu-der mais dar comida de graça para os milhões de carentes que estão recebendo hoje os benefícios advindos dos atuais programas sociaisde transferência de Renda? Entendemos que esse problema se agra-vou após a INSTITUIÇÃO DA REELEIÇÃO No Brasil. Cada Presi-dente da República que se elege vem com mais medidas populistas,instituindo mais programas tipo os bolsas, com o objetivo de se reele-gerem ou garantir a sucessão. Primeiro foi o chamado BPC – Benefício de Prestação Conti-nuada. Parece-nos que ele atende hoje mais ou menos quatro milhões de pessoas. Não teve um criador específico, neste caso tratou-se de um interesse social nacional. Foi criado pela constituição de 88, ou seja,pelo país através da Constituinte. Tem vinte anos de criação e aindaé pequeno. Em 2004, foi criado pelo sistema de governo federal, oBolsa Família. Essa é na verdade um situação diferente, pois trata-se
  26. 26. Francisco Ramos Corrêa 27de uma coisa partidário e não de interesse nacional. Tem atualmente,em dezembro de 2008, pouco mais de quatro anos de criação e já tem mais de quarenta milhões de pessoas beneficiadas. É muito recente para já estar com esse volume de pessoas. Esse programa é uma via-gem sem volta que o País fez. Ninguém hoje pode se lançar candida-to a Presidente da República no Brasil com um discurso de que vaimudar a política social e que esses programas serão substituídos poroutra coisa, pois estaria fatalmente fora da competição. Mas será queesse é o único caminho para se fazer justiça social, ou é o mais fácil? --- É realmente bem cômodo. É só tirar de quem trabalha e distribuirpara quem não trabalha. --- Não podemos afirmar se por isso, mas a verdade é que temos no Brasil uma carga tributária, talvez a mais cara do Globo Terrestre! Não se estaria no Brasil praticando um ilícito eleitoral ao darde graça benefícios e mais benefícios? A não ser que esses bolsistasNÃO VOTASSEM, o que iria de encontro à nossa Constituição queexceto algumas insignificantes restrições, garante o direito de todos votarem e serem votados. Se o Supremo Tribunal Eleitoral brasileiroproibisse os bolsistas federais votarem, seria bem provável que ne-nhum político falasse em fome no Brasil.... Entendemos que culturalmente a Nação Brasileira não estápreparada para entender o que seja democracia plena, nem o que sãodireitos e deveres governamentais, quando dos 127,4 milhões de elei-tores que temos, mais da metade sabem apenas ler e escrever ou nãoconcluiu o 1º grau (fonte – Jornal do Tocantins, edição de 20/01/2008,fl. 3, (Dora Kramer). Pergunta-se: Quem não tem discernimento, tem capacidade de correta escolha em processo eleitoral? Vejamos quedentro dessa parte menos esclarecida de nossa população é onde estãotodos os Bolsistas Federais e a grande maioria FILIADOS A PARTI-DOS POLÍTICOS, PERTENCENTES À ANTIGA ESQUEDA, QUE HOJE JÁ TORNOU-SE POLLÍTICA DE DIREITA. Isto demonstra
  27. 27. 28 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !a grande facilidade de manobra ou manipulação do nosso povo pelospolíticos. Acorda Brasil! Existem sim, formas de políticas públicasmais eficientes e mais justas para todos! Nós temos no Brasil uma Lei eleitoral que pune severamentea questão da compra de votos. Parabéns! Deve ser realmente coibi-da essa lamentável prática, principalmente porque um candidato nãosabe quanto o seu adversário tem no bolso, todavia pergunta-se: Do ponto de vista prático e objetivo quanto ao sistema eleito-ral, que diferença faz as cestas básicas oficiais dos atuais programas assistenciais do governo federal e aquelas que os candidatos oferecemaos seus submissos eleitores por ocasião das eleições? (As cestas con-sideradas crimes eleitorais) Por acaso os criadores dos programas bol-sas NÃO SOBEM E DISCURSAM NOS PALANQUES DOS SEUS PREFERIDOS CANDIDATOS, isso compreendidos aí do vereadorao Presidente da República? Não foram, não são, ou não serão bene-ficiados por isso? Não distribuem bolsas nas vésperas das eleições? Não serão candidatos em alguma época? Porque somente o governofederal COM O DINHEIRO PÚBLICO, o que é mais grave; pode dis-tribuir benefícios em vésperas de eleições? Quando em alguma época tornarem-se candidatos não serão beneficiados por isso? Aquele que recebe um benefício não ficará eternamente grato? Qual é a única for-ma de pagamento que esses pobres coitados têm para oferecer comopagamento? Agradecidos e sem discernimento suficiente, eles querem retri-buir achando que o governo é bom porque está lhes dando as coisas,e então, pagam com o voto! Aí, se não for compra é aliciamento, podeser troca, submissão etc. A consequência ou o resultado não seriamdiferentes; o voto na urna! Políticas públicas nestas condições eviden-ciam o que verdadeiramente pode se chamar de eleitores CATIVOSOU DE CABRESTO!
  28. 28. Francisco Ramos Corrêa 29 --- Já dizia o saudoso Luiz Gonzaga: “Dar esmola a um homem são é viciar o cidadão.” Como será o futuro do Brasil com essa ava-lanche de cidadãos viciados a tudo receber de graça, principalmentea classe jovem? E o pior, são organizados social, político e financei-ramente através de ONGS, para forçar o governo a lhes darem mais emais. É aquela história, tudo que vier é lucro, e se não der..., já sabe! Há outro aspecto interessante que se observa com essa práticade política e que vale ressaltar: A quantidade de pessoas que são in-cluídas nos programas sociais, os bolsas, é muito maior do que as quesaem. Pelo menos aqui na nossa Região, (Região Norte) são poucos osque deixam de fazer parte desses programas por ter conquistado prin-cipalmente através do governo, uma situação privilegiada que dispen-se o tal benefício. ELES PRATICAMENTE SÓ ENTRAM E NUNCA SAEM DOS BOLSAS. O que os fariam sair dos programas sociais?Significativa melhora financeira proporcionada pelo Estado, ou pela iniciativa privada, ou escolaridade à altura de poder competir no mer-cado de trabalho. Sabemos que a alternativa por meio da educação sópoderia ocorrer a longo prazo. Daqui a no mínimo vinte anos. Seria coisa para os filhos dos atuais bolsistas, porque eles próprios não estu-dam mais e não conseguem significantes melhora financeira por si só, que dispense o benefício. O que se observa na atualidade é que aindaque melhorem de condições financeiras, eles permanecem. São umaespécie de vitalícios Federais. Então está claro que o objetivo não ésomente tirar os milhares de carentes e INESCLARECIDOS do Caosda Necessidade Humana. O discurso é uma coisa, mas a realidade éoutra coisa. ACORDA BRASIL!... O sistema trabalhista brasileiro está impondo na marra, que oagronegócio se responsabilize a carregar esse pesado fardo, que é a equiparação dos encargos trabalhistas formais urbanos, com o traba-lho no campo. É uma espécie de ROLO COMPRESSOR do governofederal agindo no campo, com o Ministério do Trabalho, Ministério
  29. 29. 30 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !Público, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal integrados aindacom os organismos Estaduais, com um discurso de que estão comba-tendo o tal “TRABALHO ESCRAVO.” Quem mais sofre com isso? O empregador rural e o próprio trabalhador que ainda não conseguiuse encaixar nos Programas Sociais Federais, porque aquele que é re-almente trabalhador se é vítima do mau empregador, é uma potencialvítima do próprio sistema brasileiro, porque ainda que com uma car-teira de trabalho assinada, quando ocorre essa repressão aí sim ele fica realmente desempregado. Primeiro porque fica mal visto pelo empre-gador que vai informando para os demais sobre o chamado “dedoduro”. Aquele que denuncia. Aí, aquele não consegue mais trabalhona Região. Nem pouco nem muito! (Caro leitor, não existe nada piorpara um cidadão, do que uma má informação que lhe desfavoreça.Como também, ao contrário, nada melhor que uma boa informação!)Qual o destino dele? Resta-lhe alojar-se às margens das rodovias ma-nipuladas por um espertalhão chefe de grupos, geralmente aquele queestá sempre denunciando ou incentivando as denúncias trabalhistas,com o objetivo de trazer mais gente para o seu grupo ou associação. Quem passa a ser o maior ganhador nessa questão, o cidadão indivi-dualmente ou os políticos que pretendem se perpetuarem no poder?Acorda Brasil, acorda povo brasileiro! Você é o vilão dessa jogada enão percebe quem é o ganhador? Porque igualar direitos, se no Campo o cidadão não paga:ALUGUEL, IPTU, AGUA, ESCOLAS PARA FILHOS, E ATÉ ALUZ quando existe é paga pelo patrão? No bojo da legislação tra-balhista estão inseridos benefícios para os trabalhadores, que nem opróprio empregador rural tem para si ou para a sua família. Exemplo:banheiro com água quente. Na maioria das fazendas de nossa Região (centro do Tocantins) nem a energia elétrica existe. Se continuar assim, nós brasileiros poderemos ter uma grandefome no Brasil. Quando? Não sabemos, mas achamos que caminha-
  30. 30. Francisco Ramos Corrêa 31mos para essa situação. Porque se prevê isso? Ora, o pequeno agricul-tor não se garante. O que ele produz não excede a sua alimentação, e às vezes não dá. E as outras necessidades? --- Quem abastece o País atualmente é a lavoura comercial industrializada. E quando a lavoura comercial parar de produzir por tornar-se inviável, o que pode aconte-cer? Observa-se que grande parte das terras que eram plantadas aquiem nossa região já estão simplesmente abandonadas e pior; devastadasporque foram desmatadas e não se recuperam sem reflorestamento. A fome generalizada é uma coisa plenamente possível de acon-tecer porque estão invadindo e saqueando áreas plantadas e produti-vas aleatoriamente. Isso é revoltante e altamente desestimulante paraalguém investir! Pouco ou quase nunca sofrem uma punição. Se exis-te punições o País não conhece. Mas quando há uma reação por parte das vítimas das invasões é um Deus nos acuda. O mundo inteiro toma conhecimento através da mídia e dos DIREITOS HUMANOS. Direi-tos humanos devem ser praticados dessa forma mesmo? Sabemos que o País tem dados estatísticos quanto à real situ-ação da nossa agricultura (pois só se ouve boas notícias as quais con-trariam esse nosso pensamento) mas mesmo assim vamos ilustrar umasituação para se ter maior clareza com exemplos dos mais simples possível: Para se colher um saco de arroz (em casca) hoje, estamos gastando no mínimo 50 ou 60 reais. (situação de maio de 2006 no To-cantins) Nesta mesma proporção estão os demais gêneros, milho, sojaetc. Na época da colheita ninguém os vende por mais da metade docusto de produção. A questão da carne também não é muito diferente.Isso é o que se constata na prática do mercado. Não tem meio termo.É real. Conheço caso que o agricultor plantou e não colheu porquenão compensava. (Faz. Cajá, Município de Guaraí-TO. Informação in loco.) Ofereceu para alguém colher e levar tudo para si, mas ninguém
  31. 31. 32 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !quis colher, alegando que não compensaria. Ora, um diarista custa 25reais (novembro de 2006). O fardo com 5 quilos de arroz limpo custa até menos de cinco reais nas prateleiras dos supermercados. O feijãoe a carne idem. Tem mais os bolsas. Para que trabalhar? Claro queessa não pode ser a regra nem a tendência nacional, mas o fato é queexiste esse tipo de situação. Conheço fatos, que o empregado NÃOQUER TER A CARTEIRA DE TRABALHO – CTPS, ASSINADA PORQUE RECEBE UMA BOLSA. Se tiver carteira assinada perde a bolsa que é mais cômoda. Será que o governo vai se responsabilizar, começando com os pais, amanhã com os filhos, e por fim cuidando de toda a descendência que vier? Aqui arriscamos uma previsão: Éprovável que essa situação perdure somente até a próxima eleição pre-sidencial que deverá ser em 2010. Senhores governantes e legisladores: Quem tem visão e tem realmente interesse de possuir terra neste País, TEM TERRAS. PARAQUEM NÃO SABE SE AUTO ADMINISTRAR, NÃO ADIANTA DAR TERRA. Mas a política agrária contemporânea acha que todosque procuram ou que são agenciados para tanto, devem receber terrasdo INCRA. Não se conhece uma política com critérios de seleçãopara alguém receber terras. A única imposição é não ter terras em seunome. O resto é por ordem de chegada nos acampamentos de esperanas margens das Rodovias, pois dessa forma chamam mais as aten-ções da mídia, reforçam e fundamentam tal política, que no final de-ságua com milhões de votos nas campanhas eleitorais, principalmente as de Presidentes da República. Respeitáveis autoridades, vamos dar educação em primeiro lu-gar, mas vamos proporcionar emprego acompanhado de orientaçãotécnica, que garanta equilibro financeiro e o auto- sustento do cida-dão. Para tanto e a menor prazo, só vemos como saída que resolva ou amenize este crítico quadro social se o governo der condições (por atacado, Isto é, com um só ato como foi sugerido ao longo desta maté-
  32. 32. Francisco Ramos Corrêa 33ria) para a iniciativa privada no campo brasileiro ajudar no RESGATEDO TRABALHO E EMPREGO. Não podemos fazer neste País a CULTURA DO “TUDO DAR DE GRAÇA”! É Constitucional: A coisa pública não pode ser de gra-ça para ninguém. Será que o governo brasileiro pensa em reaver emdinheiro os financiamentos e incentivos gasto pelo INCRA com os assentados? Está na Lei, que existe uma carência para os assentadoscomeçarem a pagar. Só que ninguém paga! Se alguns estão pagandoé com o objetivo de pegar mais dinheiro. Isto é; REFORMAR O SEUFINANCIAMENTO AMPLIANDO-O PARA MAIOR VALOR. Aprópria Constituição reza: “A pequena propriedade rural, assim de-finida em Lei desde que trabalhada pela família não será objeto de penhora para pagamento de dívidas”... O governo está assentandogente em latifúndios? Não, todos estão sendo assentados em peque-nas propriedades. Então jamais irá receber. Não pagarão, até porquenão conseguirão condições financeiras para tanto por si só. Pergun-tamos: Por quanto tempo o País suportará tamanha responsabilidadefinanceira? Como já dissemos, estamos repetindo; percebe-se que nos últimos anos o INCRA só prioriza os assentamentos e pequenas áreas para serem regularizadas. Transparece então, haver um consenso para um alinhamento apenas de pequenas ou mini propriedades, ficando evidente uma política ante-progressista. Com que objetivo? Se o cam-po brasileiro proporcionasse condições de empregar, jamais teríamos essa caótica situação de violência e miséria no País. E como ficará a aposentadoria futura desse povo que não são empregados, não contri-buem com nenhuma previdência, e que tudo recebem de graça? Enquanto o governo der, eles entendem que têm direito a rece-ber tudo de graça para o resto de suas vidas. Desta forma poderá serentendido como se o próprio sistema organizacional brasileiro esteja incentivando a vadiagem, que é uma contravenção penal prevista nocódigo penal brasileiro, e que daria cadeia se fosse levada a sério.
  33. 33. 34 A Raíz da Violência no campo brasileiro: se cuida Brasil !Não queremos generalizar, mas a grande maioria dos chamados SEM TERRAS que fica aglomerada nas margens de nossas rodovias são verdadeiros JOGUETES MANIPULADOS POR ESPERTALHÕES.Muitos têm casas, carros, profissão, e, portanto teriam serviços, po-dendo viver por conta própria. Mas reconhecemos que outros são re-almente carentes. Temos que separar o joio do trigo. As invasões são um constante ciclo: INVASÕES ASSENTA-MENTOS, INVASÕES ASSENTAMENTOS. Isso passa de geraçãopara geração. Os pais invadem, os filhos invadem e deu no que esta-mos vendo. Criou-se um MONSTRO que não respeita mais nada. Atéparece que são superiores a tudo e a todos. Invadem, matam queimam,depredam e fica por isso mesmo. O INCRA assenta hoje duas famílias vizinhas, cada qual com vários filhos. Estes se casam, se multiplicam e formam nova leva de SEM.... Repito: Essas ONGs nunca respeitam aLei. E ainda pior; recebem dinheiro de cada assentado para incluí-losnos grupos ou associações, o que pode ser entendido como se alguém esteja sendo remunerado COM O DINHEIRO PÚBLICO para nãorespeitar a Lei, tumultuando a Ordem Pública, e causando enormesdespesas para a Nação. Por fim quase todos os dirigentes ou lideres viram políticos como candidatos ou cabos eleitorais. Estes dispensamcomentários, mas provocam uma coisa bem mais grave: Inibe grandeparte dos cidadãos que são realmente de bem, e reconhecidos de bonscostumes, a NÃO SE PROPOREM NO PROCESSO ELEITORAL. Caríssimas autoridades, a “COISA EXISTE e corre frouxo”.Quero que fique bem claro, estamos apenas advertindo como agentes da Lei, e usando a nossa liberdade de expressão garantida constitu-cionalmente. Somos um daqueles que nunca é ouvido por estarmosna ponta da fila dos que trabalham na Segurança Pública. Já ouvimos relatos estarrecedores. São pessoas doutrinadas para formar grupos emais grupos, e também doutriná-los e que estão ganhando e se man-tendo financeiramente com esta prática. Será que nossas autorida-
  34. 34. Francisco Ramos Corrêa 35des não prevêem esse perigo? É aquela conhecida história: PARA OTRIUNFO DO MAL, BASTA QUE O BEM NÃO FAÇA NADA... O que nos preocupa não são tão somente as ações de vandalismo e vio-lência neste País, mas A INÉRCIA E A DEMORA de resposta à alturapor parte dos que dirigem a Nação! Queremos ainda ilustrar uma situação: Imaginemos que alguém (que é líder) e está vivendo da renda advinda da prática de formaçãode grupos e mais grupos que se aglomeram. De forma despercebidae indireta, ele recebe vantagem de um terceiro que recebe legalmentedinheiro público, mas o fato concreto é que por fim, esse espertalhão põe o dinheiro no seu bolso. O que poderá acontecer no momento que ele não tiver mais tal fonte de renda? Veja que ele é um líder. É umformador de opinião. Uma ordem ou opinião sua tem peso! Ele poderáter a grande massa à sua disposição a nível Nacional, no momento quequiser. Acorda Brasil. Acorda enquanto é tempo!
  35. 35. 36 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade? Caríssimo leitor, a partir deste capítulo, você verá um outro assunto que vai lhe parecer completa- mente estranho ou desconexo com o assunto que você acabara de ver, porém entendemos que também seria de interesse do leitor conhecer essa Reflexão a qual ainda que não pareça ou realmente não tenha nada a ver com a violência, pensamos que tem muito a ver com o so- cial do nosso País. O nosso desejo seria publicá-las se- paradamente, mas ficaria muito mais oneroso, portanto resolvemos juntá-las em uma peça. Queremos ressaltar que esta matéria intitulada “Reflexão – Salvação da Alma Mito ou verdade?”, foi iniciada em dezembro de 2005, até um pouco antes que essa denominada “Vio- lência no Campo brasileiro”, e que vem em primeiro lugar, mas doravante se juntam para publicação. Con- to com a compreensão do leitor.
  36. 36. 37 RE F L E X Ã O 3 • SALVACÃO DA ALMA MITO OU VERDADE? Após a leitura dessa matéria o leitor poderá ter outro con-ceito referente à SALVAÇÃO DA ALMA SEM MUDAR DA SUARELIGIÃO. O nosso esforço é no sentido de mostrar a fé de formaRACIOCINADA como realmente pensamos que deve ser vista. Queremos afirmar que não temos nada contra qualquer reli-gião, quando agem de forma imparcial, incondicional, honesta esincera, muito menos temos a pretensão de desvirtuá-las, mas o nossoponto de vista, hoje quanto à SALVAÇÃO DA ALMA, é bem diferen-te do que imaginávamos antes. Vemos qualquer religião que prega oCristianismo, ainda que de forma honesta e sincera, apenas como umfreio contra a perversão da humanidade, ou simplesmente comouma satisfação que se dá à sociedade, mas nada a ver com a alme-jada salvação da alma. Não acreditamos que o caminho seja por aí.E vemos o lado vigarista, fanático, e/ou despreparado da religiãocomo algo muitíssimo prejudicial à nossa sociedade!
  37. 37. 38 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?Vejamos: Vamos pensar, partindo do ponto de vista lógico e racional deacordo com o que podemos ver e constatar no mundo em que vive-mos, em se tratando do ser humano, ou seja, aquilo que existe, quesempre existiu, e que sempre existirá na face da Terra SEM SECONSIDERAR QUALQUER OUTRO MEIO COMO FONTEDE PESQUISA OU INFORMAÇÃO PARA ANÁLISE DO SERHUMANO, e das diferentes condições de vidas existentes de pes-soa para pessoa. Acreditamos sem a menor dúvida, que Deus existe. Claro, sóum Ser com poderes sobre todas as coisas poderia ter feito este Mun-do com o Sol, a Lua, Planetas, Galáxias etc. Fez o mundo com tudo que nele existe. Este Ser, que arquitetou o Universo, e que o rege, eque não há outro sobre Ele, sem dúvidas, é o Pai que nos Criou. Pois bem, todo pai ama igualmente a seus filhos, principal-mente se tudo pode, (como acredito que Deus pode) jamais daria tra-tamento diferenciado aos seus filhos. Mas o que vemos de fato, e deforma continuada na face da terra, é que Deus dá tudo de bom etoda felicidade, (saúde, bens materiais), a uns e a outros, dá a miséria,a doença, para muitos até a loucura etc. Como vemos olhando ao nos-so redor, tem gente que nasce em berço de ouro, esbanjando saúde edinheiro, outros nunca vêem a luz do dia nem tem o prazer de andar com as próprias pernas, nem conhecer a beleza das cores, sendo que muitos vivem na extrema precariedade do início ao fim de suas vidas. Não é assim que a raça humana se apresenta na face da terra?Claro que sim... Basta olharmos ao nosso redor! Tenhamos nós osdefeitos ou diferenças, que tivermos, mas todos somos filhos ou cria-turas de um só responsável pela existência, que é DEUS. Caríssimo leitor, observando-se o texto acima, poderá transpa-recer que estaríamos criticando, duvidando ou mesmo zombando de Deus! Queremos afirmar que jamais teríamos esse propósito. Deus é
  38. 38. Francisco Ramos Corrêa 39bem maior que tudo que se possa imaginar. Todavia, temos que citarisso para que fique mais fácil de entender o que vem adiante. Então, somos filhos ou criaturas de um Pai ou Responsável que está acima de todas as coisas que se possa imaginar! É assim quevemos e respeitamos o nosso Criador! Porém, o que citamos é inquestionável. O mundo é assim e estáaí para todos vermos. Sabemos que alguém o fez é comanda a huma-nidade que nele vive. Então, se conclui que Este Pai Justo e Perfeito,dará OPORTUNIDADES IGUAIS aos seus filhos. E é aqui aonde queremos chegar! Pois bem: sem citar qualquer capítulo ou versículo bíblico, (atéporque a nossa intenção aqui não é mostrar conhecimento bíblico,mas apenas fazer com que possamos refletir) sabemos que as escritu-ras sagradas dizem que para que o homem se salve é preciso “nascerde novo”. No nosso humilde entender, eis aqui a grande razão que ex-plica porque uns têm tudo e outros nada têm. Aqui está explicadoporque todos não têm a mesma sorte. Fica claro que ao nascer denovo, existem várias oportunidades para que o espírito do ser humanonão seja discriminado. Isto é, para que todos sejam iguais. Ou seja,aquele que não teve uma vida condizente com os desejos de Deus em uma de suas passagens pela terra, terá em outras passagens ao nascernovamente. Mas este “nascer de novo”, deve ser nascimento físi-co e biológico, onde o espírito do homem se incorpora ao corpofísico; não o nascimento simbólico pelo batismo ou pela conversão,como ensinam as doutrinas cristãs. Inclusive a Bíblia diz que o pró-prio Cristo veio ao à Terra assim, nascendo fisicamente do ventre da virem Maria. A Bíblia diz que o espírito é apenas criação de Deus e não filho de Deus. Vemos esta situação, passível de discordância, porque
  39. 39. 40 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?em todas as passagens bíblicas que já vimos ou ouvimos, a figura de Jesus é citada e considerada como o FILHO DE DEUS. A mãe bio-lógica de Jesus nasceu da forma convencional como todos os demaisseres humanos, e não concebida do Espírito Santo como Jesus. Porquesomente o espírito de Jesus seria filho de Deus e os demais, inclusive o da sua própria mãe com a mesma semelhança, não seria filha e sim criatura? De qualquer forma, fazendo-se uma análise mais profunda, não há tanta diferença entre o homem ser filho ou criatura de Deus, até porque Jesus, o Filho de Deus, foi uma pessoa humana, nascidode uma pessoa humana, CRIATURA de Deus. Ambos seriam OBRASDE DEUS, OU SEJA, A MESMA COISA. Existem ou existiram pormeio de Deus. Então, a Bíblia diz que o homem é que tem que se cuidar, por-que tem o livre arbítrio. Pois bem, a Bíblia é um ensinamento queficou escrito. Ninguém nasce sabendo ler. Neste caso, mesmo usan-do o livre arbítrio, (que nada mais é do que separar o bem do mal)um analfabeto, que nunca teve o acesso ou conhecimento à leitura,por si só, jamais saberia separar o “BEM DO mal” baseado emconhecimentos bíblicos, pois NÃO SABE LER! Sendo assim, osanalfabetos, os índios selvagens, os loucos jamais irão chegar ao Rei-no de Deus porque eles não têm o DISERNIMENTO adquirido peloconhecimento bíblico através da leitura. Vamos mais longe: O Novo Testamento foi escrito de Cristopara cá. Tem então pouco mais de dois mil anos. O Velho Testamen-to é bem mais antigo, mas salvo engano, nos parece que a históriareligiosa, só reconhece a existência humana pouco mais de seis milanos atrás. Porém, a Ciência tem provado que o ser humano existiua milhões de anos antes do Velho Testamento. No entanto as caracte-rísticas do ser humano (Considerando-se apenas a Carne e o Espírito,porque no resto o ser humano ao longo do tempo se modifica e muito.) a partir do primeiro homem, são as mesmas do homem de hoje. Como
  40. 40. Francisco Ramos Corrêa 41ficaria a Salvação daqueles que nunca tiveram qualquer orientação bíblica nem mesmo do Velho Testamento? A razão nos leva a crer que quem existiu ou existe nesta si-tuação não pode ter culpa por isso, e terem como destino o Inferno!Então, a coisa não pode ser assim... Pergunta-se qual é o pai responsável que não cuida ou não edu-ca o seu filho? Considerando-se que Deus não seja Pai, mas o Criador do homem: Qual o criador que não gostaria de ver a sua Obra na mais bela forma ou condição? Até os animais selvagens cuidam, esó abandonam os filhos quando os mesmos estão preparados para a vida. Ora essa! Deus é o mais responsável Pai do Universo! Porquedeixaria o espírito do homem, criatura Dele, à mercê da própria sorte,entregue ao livre arbítrio, sendo que Ele tem Poder para fazer tudo que quiser? Então, a interpretação de que o “nascer de novo da água e doespírito”, seja pelo batismo ou pela conversão, é um tanto duvidosa,porque deixaria claro que Deus usaria dois pesos e duas medidas paracom seus filhos, pois dessa forma Deus não daria ao homem oportu-nidades iguais para se redimirem ou aperfeiçoarem-se ESPIRITUAL-MRNTE, INCLUSIVE AQUELES INOCENTES, OS QUAIS MUI-TOS MORREM AINDA NO FETO, OU APÓS O NASCIMENTO COM VIDAS, MUITOS MORREM INCONCIENTES POR DEFI-CIÊNCIAS VÁRIAS. A Bíblia narra que todos serão julgados pelosseus atos. Alguém incapaz de raciocínio e consciência poderia respon-der pelos seus atos?
  41. 41. 42 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade? 3.1 - Origem da vida dos seres animados Vamos pensar mais um pouco: o espermatozóide que dá ori-gem à vida dos seres animados, e de cujo grupo faz parte o homem, É TRASNPORTADO para o ventre materno por um líquido CHAMA-DO SEMEM no momento do ato sexual, (razão biológica da exis-tência da vida.) Esse líquido é algo semelhante à ÁGUA. Ele molhacomo a água molha. No mínimo a sua maior composição é água. Ofeto sobrevive em uma bolsa de líquido semelhante à água no ven-tre materno até o seu nascimento. E quando é que o FETO humanorecebe o seu espírito? Salvo ledo engano da nossa parte, entendemosque ao primeiro sinal de vida. Ao ser gerado no ventre materno, a par-tir da primeira batida do coração. O incontestável é que feto é geradona água! Ali começa a vida física, dentro da água, de onde vem anascer, e no caso do ser humano, acompanhada de um espírito INTE-LIGENTE, (diferença entre os homens e os demais seres animadosterrestres). Este deve ser o verdadeiro nascer de novo da água e doespírito. Há algo mais lógico ou racional como já citamos? Atéo próprio Cristo veio à Terra desta forma. Diz a história bíblicaque o nosso Pai Eterno enviou o Cristo que foi concebido por Ma-ria, através do Espírito Santo e se fez pessoa humana no ventrede sua mãe, a esposa de São José. Portanto, Jesus já existia paraDeus antes de nascer do ventre de Maria sua mãe carnal. Existiacomo? Em espírito infinitamente evoluído. Tanto é que mereceu aconfiança do Pai Eterno para vir à Terra como filho biológico deMaria com a missão de resgatar os outros filhos de Deus. Quem ousaria ou poderia provar que você que lê esta matéria já não existiu ou veio ao mundo em espírito no passado?
  42. 42. Francisco Ramos Corrêa 43 Caro leitor, isto é o que tentaremos defender como tese adian-te. Vejamos: 3.2 - Batismo Todas as religiões que pregam e seguem o Cristianismo en-sinam e interpretam que o “nascer de novo da água e do Espírito éser Batizado ou convertido a Jesus”. É ainda, entregar a vida para Deus, de coração, recebendo-o como único e suficiente salvador. En-tão, batiza-se ou converte-se uma pessoa, de forma identificada eindividual, com um nome. Do contrário, não se saberia quem estariasendo batizado ou convertido ou entregue a Deus, tanto físico ou civil como espiritualmente. Vamos então exemplificar melhor aqui usando nomes simbó-licos para que possamos entender melhor: tomemos como exemplos,João, ou Antônio, ou Miguel etc., filho de José e de Maria ou de quem quer que seja, é nascido de novo pelo Batismo ou pela conversão,com o nome de JOÃO, ou ANTÔNIO OU MIGUEL ou qualquer ou-tro nome. Como o batismo ou a conversão devem ser algo exclusivopara o espírito de cada um, o nome batizado ou convertido prevalece-rá para a eternidade. Então, o João vai existir em espírito BATIZADOpara sempre! A lógica nos mostra isso. Sendo João diferente de seus irmãos carnais, ou mesmo do res-to da humanidade, “dizemos diferente nos referindo às diferenças que estão aos nossos olhos como falamos anteriormente. DIFERENTEEM ESTADO FÍSICO, MENTAL, E CONDIÇÕES DE VIDA.” Então, com essa diferença, se a raça humana só viesse ao mun-do UMA ÚNICA VEZ, DEUS NÃO SERIA JUSTO, porque estariadiscriminando alguns de seus filhos. Seria um Pai muito cruel. Seria um Pai que ninguém queria ter. Mas sabemos que Deus é Justo e infinitamente Bondoso. Por
  43. 43. 44 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?isso, temos que acreditar que Ele quer o mesmo bem para todos osseus filhos e/ou CRIATURAS ESPIRITUAIS, da mesma forma que um pai humano deseja o mesmo bem para os seus filhos biológicos, tanto é que enviou seu Filho Jesus à Terra para resgatar os outrosfilhos que estavam em estado de perversão. Em sendo o nosso Pai Celestial justo, e desejando o mesmobem, tratando as suas criaturas espirituais, sem nenhuma discrimina-ção, Ele deixará, SEM A MENOR DÚVIDA, que elas venham aomundo tantas vezes quantas forem necessárias até que todos alcancem a perfeição que Ele quer que tenhamos em ESPÍRITO. Essa é a teseque defendo. Assim sendo, em cada passagem de um espírito pela Terra, comdiferentes datas de nascimentos ele poderá ser batizado novamente e, provavelmente, com nomes diferentes; ou seja, a cada nascimento físi-co, uma outra data de nascimento, um novo batismo, um novo nome. 3.3 - Juízo final O Cristianismo ensina que haverá um dia do grande juízo final onde serão julgados os vivos e os mortos. Diz que os mortos ressur-girão para serem julgados pelo nosso Pai. Aqui existem DUAS SI-TUAÇÕES QUE SE OPÕEM, à luz da tese defendida acima, a qual achamos que é a que mais se aproxima da verdade, com razão lógica. Primeira situação: Considerando-se que o espírito é realmenteimortal, que é uma criação de Deus que sempre existiu e existirá, queo espírito não nasce com o feto material, mas se incorpora ao feto hu-mano quando é gerado, e acompanha a sua evolução até a morte física.Então, por vários corpos físicos passaria um só espírito imortal. Masnesse caso, no dia do juízo final, haveria mais de um corpo físico(RESSUSCITADO) para um só espírito IMORTAL, (obviamente,também presente para ser julgado.) Haveria corpo à procura de
  44. 44. Francisco Ramos Corrêa 45alma e vise-versa NA HORA DA RESSURREIÇÃO. Em resumo:haveria mais corpo que espírito. A segunda situação, que é opostaà primeira: Considerando-se verdadeira a estória do Juízo final, e de que o homem só vem ao mundo uma única vez, nesse caso estariaevidente a injustiça de Deus que usaria dois pesos e duas medidaspara seus filhos, de acordo com o que se pode constatar, observan-do a raça humana na face da terra. Isto é de acordo com o nossomundo. Pergunta-se: O espírito humano vem ao mundo várias vezes ou Deus é injusto? O que se pode concluir de todo esse imbrólio? Seria o batismo uma mera formalidade social? De acordo as situações aqui delineadas, que conclusão se pode tirar sobre o Grande dia do Juízo final? Como se explicaria? Haverá ou não haverá? A Bíblia estaria com a razão ao afirmar que haverá o dia do Juízo final? Não seria o dia do Juízo final, o dia de nossa própria morte física individual? Entendo que haveria ainda outro aspecto um tantoinjusto quanto à ressurreição: Imaginemos que a vinda de Jesus ocorrano exato momento que você estiver lendo esta matéria. Pronto. JesusVeio! Multidões Ressuscitariam. Só que após o Julgamento, TODOS MORRERIAM NAVAMENTE para que o Universo seja habitado so-mente por espíritos como dizem as escrituras sagradas. Veja você, que os ressuscitados teriam duas mortes físicas. A primeira que é infalívele eles já a tiveram. E a segunda após o julgamento. Aqueles que tives-sem a felicidade de estarem vivos na chegada de Jesus estariam emvantagem, pois só teriam uma única morte física, e os já falecidos eressuscitados na Vinda de Cristo teriam duas agonias da morte física. Acreditando na Tese defendida anteriormente, entendo que paraque o homem chegue à perfeição desejada por Deus, nosso GrandeArquiteto do Universo, tem realmente que vir ao mundo, física e
  45. 45. 46 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?biologicamente, nem que seja ao longo de milhões de anos tantas vezes forem preciso até chegarem à perfeição que Deus lhes deseja. Então vamos deixar de acreditar em utopias, em falsos pas-tores e/ou sacerdotes que estão condicionando as mentes dos seusfiéis, e a grande maioria das seitas estão os extorquindo, moneta-riamente! 3.4 - A volta de Jesus Todas as seitas religiosas do Cristianismo intimidam os fiéis,sendo que algumas até os aterrorizam com preleções assombrosas,BRINCANDO COM A FÉ, com essa história de que Jesus estará vol-tando para julgar a todos a qualquer momento (dia do juízo final).DEPREENDE-SE QUE O DIA EM QUE JESUS VOLTAR SERÁ ODIA DO FIM DA HUMANIDADE, OU FIM DO MUNDO. Que apóso julgamento final, todos, ressuscitados ou não, iremos morrer fisi-camente, e o mundo será habitado somente por espíritos. Não é issoque pregam nas igrejas cristãs? Dizem, então, que o fim do mundoestá próximo e que todos nós devemos estar preparados! Só que essahistória é antiga. Talvez ela já exista desde o rascunho da Bíblia. NÃO PODEMOS DUVIDAR JAMAIS DE QUE JESUS VOL-TE, até porque SE ELE já veio uma vez pode vir mais vezes. E NÃO PODEMOS DUVIDAR DE QUE O MUNDO SE ACABE, MAS UMA GRANDE E INCONTESTÁVEL VERDADE QUE ESTÁ AO ALCANCE DOS NOSSOS OLHOS, PORTANTO NÃO HAVENDONENHUMA DÚVIDA, É QUE SE O MUNDO NÃO SE ACABAR, NÓS OS MORTAIS NOS ACABAREMOS PARA O MUNDO! En-tão, NÃO TEMOS OUTRA SAÍDA. Precisa maior verdade ou razão QUE A INEVITÁVEL MORTE para que o homem esteja sempre pre-parado, venha ela da forma que vier e quando vier?
  46. 46. Francisco Ramos Corrêa 47 Qual é a média de vida física do homem? Sessenta oitenta anos ou mais, mas a verdade é que nós teremos um fim! Toda vida física tem fim. Então, devemos à medida do possível, caminharmos no sen-tido da perfeição desejada pelo nosso Criador. Mas não devemos nosafligir, porque teremos inúmeras oportunidades, as quais são sempre definidas por Deus no momento oportuno. Como se alcançar a perfeição? Simples! Com mente sadia ecom a prática daquilo que o Grande Arquiteto do Universo quer quefaçamos. Amarmos e respeitarmos ao próximo como a nós mes-mos. Caro leitor, gostaria de fazer ainda um esclarecimento: esta nossa opinião nos parece se aproximar da filosofia espírita. Não somos espírita. Admiramos e respeitamos a filosofia espírita, porém, mais como ciência do que como religião. Nunca estivemos em um tem-plo Espírita, muito embora já tenhamos lido algumas obras de ChicoXavier, a quem passamos a admirar, como admiramos inúmeros es-critores e pregadores de outras seitas religiosas. Mas este é o nossopensamento pessoal sem tendência a qualquer religião. O que faz manifestarmos nesta questão é observar a enorme proliferação de igrejas em nosso País sendo que algumas sem qual-quer critério legal. Observamos também que muitas destas seitasestão usando a Bíblia e o nome de Deus como escada para anga-riar dinheiro e promoção pessoal de falsos pastores ou sacerdotes,os quais alguns viram políticos. São aqueles políticos que sempre dei-xam a desejar... Não conhecemos legislação que regulamente a criação de Igre-jas, principalmente na doutrina evangélica (que de regra denomina-sepopularmente como ‘protestantes’) nas quais, parte dos pastores nãosão formados em Teologia ou mesmo qualquer outro curso superior.Não questionamos a falta de um título em formatura superior que pre-
  47. 47. 48 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?judique o conhecimento bíblico ou religioso, mas à questão psicoló-gica como FORMADORES DE OPINIÕES. Vamos exemplificar o nosso questionamento: Coloquemos um leigo sem formação adequada para interpretarum texto literário qualquer e, aí podemos conhecer a sua verdadei-ra capacidade de discernimento e assimilação. Na maioria dos casos,uma negação! Por que razão então, seriam esses Pastores, exímios intérpretes da Bíblia e na sua correta aplicação? Percebe-se que ostextos bíblicos podem sofrer INÚMEROS sentidos. É aqui que ques-tionamos a formação de opiniões... No entanto, basta que um membro de uma determinada seita se sinta insatisfeito no seu meio, debanda-se, Arranja um Templo, vai fundar outra igreja e torna-se “Pastor”. Ali é como se ele estivesse adquirindo uma coisa própria, a suaIgreja. Passa a ser o seu meio de vida! Aliás, pouquíssimos pastorestêm outra atividade que não a atividade pastoral. Assim, também ospadres. Muitos condicionam as mentes dos fiéis com preleções assom-brosas, usando um timbre de voz chorosa, piedosa, melodiosa, cujos adeptos passam a defendê-los por acreditar que somente eles estãocom a verdade religiosa, e que seu Pastor ou o seu Padre é um QUA-SE DEUS... Aí existe apenas a FÉ EMOTIVA E NÃO A FÉ PELARAZÃO! Onde está a Salvação da Alma nessas condições? Vemos com preocupação esse problema social, porque quei-ramos ou não, estes sacerdotes são FORMADORES DE OPINIÕES!Será que estão formando opiniões adequadas para a nossa sociedade, principalmente para a nossa juventude? Não estariam praticando ocharlatanismo? Um dos temores que devemos ter é pelo fanatismo, oque é muito perigoso... Observemos o exemplo dos homens bombasque se explodem e matam aos milhares em nome de Deus, segundo assuas doutrinas pelo mundo afora, onde a política partidária e o PoderEstatal são miscigenados de religião.
  48. 48. Francisco Ramos Corrêa 49 3.5 - Mentir em nome de Deus Existe uma enorme leva de leigos agindo como Pastores e Pas-toras. Dizem que operam milagres. Têm a ousadia de PRÉ-ANUN-CIAR MILAGRES nos meios de comunicações, mentindo em nomede Deus. Sempre se aproveitando dos momentos de fragilidade daspessoas, impregnando-lhes fortes emoções. É o que se pode chamar de “FÉ EMOTIVA E OBSECADA.” Está ocorrendo uma mistura deseitas religiosas. Pastores denominando-se Bispos. Igrejas evangéli-cas usando a cruz nos seus templos como símbolo. Existem padres pregando o Evangelho com rituais de protestantes etc. Está ocorrendouma prática muito difundida atualmente, que é a prática da músicagospel ou sacra como maior fonte de renda em todas as igrejas. Temuma enorme quantidade de cantores tornando-se religiosos, levandovantagens nas vendas de seus produtos musicais. É muita gente fican-do rica, inclusive Padres, à custa da inocência dos outros. As missas eos cultos não têm mais como ponto principal a aplicabilidade do Evan-gelho, mas a apresentação de Shous artísticos com os mais diversosrítimos musicais como chamariscos para atrair o público. Vê-se queo que interessa mesmo é o dinheiro na Caixa de coleta da Igreja e naconta bancária do cantor! Existem seitas que praticam verdadeiroexorcismo! Será que esses leigos, usando a Bíblia e o nome de Deus,têm a necessária formação e condições psicológicas para tanto? Quando dizemos que alguém está mentindo em nome de Deus, poderia ser entendido como se quiséssemos tolher a liberdade de ex-pressão dos pregadores ou intérpretes da Bíblia Sagrada. Longe de nósesta pretensão, até porque reconhecemos que existem pessoas sérias, eque merecem muito respeito no meio religioso. O que queremos dizer é que o falseamento da verdade é terrível e cruel quando alguém acre-dita em algo mentiroso imaginando ser verdade. Bem disse o famoso
  49. 49. 50 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?escritor Rubens Alves: “As coisas que são ditas ou pensadas têm quecorresponder às que são vistas ou percebidas, esta é a verdade”. 3.6 - Espíritos Bons e Espíritos Maus. Atualmente ao ligarmos a TV em qualquer canal Evangélicobrasileiro, logo se vê um Pastor expulsando o diabo do corpo de al-guém. Muda-se de canal e lá tem outro Pastor também expulsando odiabo. Quantos canais você ligar a história é a mesma. Nunca se vê falar este nome no plural. Falam que É DO DIABO, sempre no singu-lar. UM SÓ! No entanto, tem diabo em todo lugar e ao mesmo tem-po! No mesmo instante que tem um Capeta aqui, tem outro em outrolugar. Alguns pastores falam mais no Diabo do que em Cristo em suaspregações. O Diabo também é onipotente, onisciente e tem poderes iguais aos de Deus? Não seria o Diabo, o Satanás, o Capeta, EspíritoMau etc. uma mera invenção do pensamento humano? Se assim for,nada mais é do que a invenção ou a condição psicológica de alguém.Diabo existe mesmo? A Bíblia diz que o primeiro homem criado por Deus foi Adão. A primeira mulher, Eva. Narra ainda que Adão foitentado por um Espírito Imundo, ou seja Adão foi tentado pelo Diabo.Então, o Diabo já existia antes de Adão. Ora, Deus deve ter criado todos os Espíritos em estado puro,santo e perfeito, e ANTES DE CRIAR O HOMEM. Portanto não seexplicaria haver espírito Imundo antes da criação do primeiro homemporque Ele nunca teria sido incorporado em um corpo físico humanopara desvirtuar-se e tornar-se Mau. É O QUE PODERÍAMOS DENO-MINAR DE ESPÍRITO EM ESTADO PURO OU VIRGEM, aquele que nunca foi incorporado ou usado por Deus. Então logicamente umEspírito só teria comportamento impuro, mau, ou satânico, após in-corporar-se em uma pessoa má. Se não existiu ninguém antes de Adão
  50. 50. Francisco Ramos Corrêa 51porque aquele primeiro casal teria sido tentado por um Espírito Mauou demônio? Desta forma até transparece que o Diabo é anterior ousuperior a Deus! Segundo a Bíblia Sagrada, o Plano de Deus era queo homem fosse Puro, e vivesse em estado Santo. Isto é sem pecado.Teria Deus errado no seu Plano? Ora, Deus é o máximo em tudo.Nada se passa no mundo que escape aos Olhos ou ao conhecimentode Deus. Esse é o conceito que temos e devemos ter de Deus. Di-zem as religiões, que o homem peca por pensamentos, palavras, atose omissões. Portanto Deus sabe perfeitamente o que nós pensamos.Porque não teria previsto que o casal Adão e Eva seria tentado e quenão resistiriam à tentação da Carne? Porque ainda não teria previstoou porque teria permitido que um Espírito mau os tentasse, se Ele temo controle de tudo que existe no Universo? Essa história está mesmobem contada? Foi assim mesmo que aconteceu? Não teria o ser hu-mano surgido na face da terra tal e qual como sempre se apresentou,do início até os nossos dias com as mesmas características físicas eanatômicas? (Não se levando em consideração as diferentes carac-terísticas decorrentes das misturas de raças existentes, e que estão emconstante evolução cultural em função da evolução do pensamento,e das descobertas científicas, mas as características raciais, nas suas originalidades definidas como sejam negros e brancos.) Vejamos que é impossível um casal negro ou branco puro sangue conceber filhos ou descendentes com cores ou características fisionômicas diferentes. Assim também foi que surgiram os demais seres do reino animal naface da terra, tal e qual como existem até os nossos dias. Nunca mu-daram as características de suas origens raciais definidas. Só existem diferenças quando há cruzamentos das raças, mas sempre existiram e existem os puros sangues definidos das várias espécies. “Caríssimo leitor, não tenho a menor pretensão de deixá-lo confuso. A Minha intenção é mostrar a Fé de forma racio- nal ou menos misteriosa.
  51. 51. 52 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade? Seria o Diabo também uma criação de Deus? Deus teria criadoprimeiro o MAL (o Diabo) para depois criar o HOMEM? Não seriamais cômodo e lógico EXISTIR SOMENTE O BEM? Não teria Deuspoder para impedir que o Diabo tentasse a sua Criatura, o homem que,segundo a Bíblia é a sua imagem e semelhança? Que sentido teria isso? Deus doou ou vai ceder uma parte do seu Universo (O INFER-NO) para o Diabo abrigar os seus? Deus não teria poder para elimi-nar tudo que for prejudicial ao bem da humanidade e que Ele mesmocriou e pode dominar? 3.7 - Mistérios Religiosos No início desta matéria, falei que a mesma seria baseada noque sempre existiu, que existe e que sempre existirá para análise eavaliação das diferentes condições de vida do ser humano na face da terra, SEM SE CONSIDERAR QUALQUER OUTRO MEIO COMO FONTE DE INFORMAÇÃO. Disse também que não iria citar ne-nhum capítulo ou versículo bíblico. Por quê? Porque Relatá-la aquiseria reproduzi-la, e a Bíblia já existe, portando não teria nenhum sentido copiá-la de novo. Mas entendo que se fizéssemos as pergun-tas constantes do tópico “ESPÍRITOS BONS E ESPÍRITOS MAUS” para as autoridades ou para os entendidos religiosos, provavelmenteelas ficariam sem respostas, ou simplesmente diriam que eram mis-térios religiosos. Bom, quero repetir: Sem citar qualquer capítulo ouversículos da bíblia, porque não os guardo de memória, mas simples-mente os analiso à medida que os leio ou ouço leituras ou pregações. Então, dentro do limite do meu raquítico conhecimento bíblico, ob-servei que existem inúmeras contradições ou perguntas sem respostas, que poderiam ser entendidas como mistérios. São aquelas questões que se fossem ser interpretadas como uma prova de título qualquer,não seria possível uma definição concreta porque seriam misteriosas.
  52. 52. Francisco Ramos Corrêa 53Mistérios deixam dúvidas. Dúvidas não são admitidas em provas. Emprovas, a coisa precisa ser exata como dois e dois são quatro, paratermos a certeza do conhecimento. Quando dizemos que conhecemos uma coisa, não pode haver dúvidas. Então, quando estudamos a bí-blia é com objetivo de alcançarmos conhecimentos que irão norteara nossa conduta religiosa. Claro, não teria outro sentido. Mas quecaminho escolhermos sem absoluta certeza de onde precisamos ou gostaríamos de chegar? Devemos confiar ou nos convencer com base em mistérios? Tirar o Diabo de alguém e pré anunciar milagres em cultosreligiosos é realmente mentir em Nome de Deus! Como um Sa-cerdote poderia prevê acontecimentos de milagres, se os milagres sóacontecem pela fé em Deus; e se é impossível ele conhecer, calcular,ou medir a intensidade da fé de quem ele desejaria que recebesse talmilagre? Somente Deus pode operar milagres. O dia, a ora, o local e omerecedor do milagre somente Deus pode saber. Esta é a forma comose deve compreender e aceitar o verdadeiro milagre! São aquelesmilagres que perduram para o resto da vida de quem os alcançam.Os milagres preanunciados pelos Falsos Pastores não acontecem. Sãofabricados por eles na base do fervor de suas pregações, assim como o mágico faz a sua mágica. Quando dizem que acontecem não perduram. No dia seguinte, a situação volta ao que era antes. Milagres ocasionaisaté poderão acontecer, porém ninguém jamais poderá prever se vai ounão acontecer e nem tão pouco marcar o dia e a hora que este irá acon-tecer! É muito cruel, a decepção de alguém que momentaneamente sesente como se tivesse recebido um Milagre e no dia seguinte ou apósterminar o fervor da fé emotiva tudo voltar como era antes, porquerealmente NÃO HOUVE MILAGRE ALGUM! Pode até existiremraríssimos casos, todavia, não por intermédio do Ser humano em vida,mas por intermédio da Fé em Deus. Se os milagres preanunciadosexistissem mesmo; não precisaríamos mais de médicos nem de hospi-
  53. 53. 54 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade?tais, e os pastores das Igrejas, Universal do Reino de Deus, Renascer eMundial já teriam superado a Jesus Cristo em realização de milagres. Teríamos várias figuras contemporâneas em carne e osso no nosso meio, superiores a Jesus Cristo somente no Brasil! Quem neste mun-do, em carne e osso pode ter a ousadia de querer imitar ou superar aCristo? É isso que consideramos mentir em nome de Deus. 3.8 - Igrejas e movimentos sociais A doutrina cristã ensina, condenando o assassinato como sen-do um pecado mortal. Isto significa que matar um ser humano é real-mente um pecado sem perdão. Pois bem: Parte da Igreja Católica vive se envolvendo com “movimentossociais: São os Sem Terra, Pastoral da Criança, Pastoral da Terra,Sem Teto, sem isso sem aquilo etc.”. O catolicismo realiza constan-tes passeatas e/ou caminhadas pela PAZ. Mas as ações das suas Ongs são inversas ao que pregam. Estaria essa facção do Catolicismo usando a Bíblia Sagradacomo degraus para promoções pessoais, e acompanhando a tendência Mundial onde os homens de quase todas as Nações PREGAM A PAZ ENQUANTO SE PREPARAM PARA A GUERRA? Por vezes, líderes destes movimentos incentivam a invasãoda “coisa alheia”,(principalmente invasões de terras) gerandoviolências, resultando ás vezes em inúmeras mortes de inocentes.Isto é público e notório. O mundo inteiro conhece esta história.Não há o que esconder ou negar. Pergunta-se: O “pecado mortal”é de quem semeia a violência que resulte em morte, ou de quem exe-cuta a morte? Em resumo: o pecado é de quem manda matar, de quemfornece arma, ou de quem puxa o gatilho? Onde está a SALVAÇÃO
  54. 54. Francisco Ramos Corrêa 55DA ALMA nesta questão? Entendo que o correto papel da Igreja é ficar neutra, acon-selhar e tentar corrigir o comportamento dos dois lados, quandoexistirem conflitos. O que faz o catolicismo perder espaço para ou-tras religiões é exatamente a preferência declarada pelos menos favo-recidos, como se os mais aquinhoados (CUJOS BENS PARA MUI-TOS, SÃO FRUTOS DO TRABALHO HONESTO E DOS SEUSESFORÇOS) não merecessem também a clemência de Deus. Dessaforma, o catolicismo está sendo parcial e promovendo divisões entre os povos. Ora, quando alguém perguntou para Jesus: “Senhor, na Leide Moisés está escrito que devemos perdoar até sete vezes. E vós o que dizeis?” Jesus respondeu. “Não só sete, mas setenta vezes sete”. Subtende-se que devemos perdoar tantas vezes quantas forem preciso. Por que então, renegar a uns e abraçar a outros? Não somos todoshumanos? Porque discriminar? Se a Doroth Stanght tivesse ficado neutra, e aconselhando os dois lados no conflito de Anapú no Pará, certamente estaria viva e amada por todos. Da mesma forma o PadreJosimo. Resumindo, estes Movimentos Sociais miscigenados ou pin-celados de religiões não têm nada a ver com a salvação da alma, mas sim almejam o poder Estatal ou o dinheiro. E o grave nesse aspecto éque estão interferindo no Sistema Organizacional do Estado quando assim agem! -- Na alçada de um Governo Federal linha dura, a nossaNação vai ter problemas com a Paz interna. A nossa paz interna pode-rá ter consequências imprevisíveis em breves tempos, e neste aspecto,a Igreja Católica é cúmplice. São Francisco de Assis, que pelo teor de seu ensinamento, étalvez o maior conciliador do catolicismo, ao se expressar em oração assim disse: “Senhor, fazei de mim um instrumento de Vossa paz”.
  55. 55. 56 Salvacão da Alma ! “ Mito ou Verdade? Onde houver ódio, que eu leve o amor. Onde houver ofensa, que eu leve o perdão. Onde houver discórdia, que eu leve a união. Onde houver dúvidas, que leve a verdade. Onde houver desespero, que eu leve a esperança. Onde houver tristeza, que eu leve a alegria. Onde houver trevas, que eu leve a luz. Ó mestre! Fazei com que eu procure mais Consolar do que ser consolado, compreender, que ser compre-endido; amar, que ser amado... Essa belíssima oração é uma lição de retidão, amor, paz, coe-rência, humildade, sabedoria, e justiça. Isso é tudo que as religiões de-veriam praticar! Contudo, esse ensinamento, da maior grandeza, con-tradiz o que, na prática, fazem alguns militantes do catolicismo, poisestão sendo parciais quando insuflam a violência incentivando e/ou apoiando invasões de terras com o argumento de que a terra precisa cumprir a função social. A Terra tem que cumprir a sua função socialsim, proporcionando condições de vida digna à humanidade. Todavia, isso não deve e não pode ser atribuição da Igreja e sim do Estado.Com este tipo de comportamento, a igreja estará sempre construindodivisões entre os povos e, consequentemente, a violência. Onde está a Salvação da Alma? A grandeza da IGREJA É ACONSELHAR E APAZIGUAR, ENSINANDO SEMPRE O CAMINHO DA RETIDÃO! Para o bemda “ordem social,” ela não deve ser parcial! Interferir na distribuiçãode terras, por exemplo, é querer assumir o papel do Estado, pois odever de distribuir terras é único e exclusivo do SISTEMA ORGANI-ZACIONAL do Estado de Direito de cada Nação, que por sua vez é
  56. 56. Francisco Ramos Corrêa 57quem PROMOVE A ORDEM, O BEM SOCIAL E FAZ CUMPRIRAS LEIS. Qualquer Organização Não governamental, INCLUSIVE A IGREJA, que tente interferir no Estado, só promoverá baderna etumultua a ORDEM SOCIAL, pois não tem legitimidade para essefim.3.9 - Política partidária e sacerdócio Ideologicamente a igreja Católica TRANSPARECE OU SEAPRESENTA COMO SOCIALISTA. Se assim À

×