SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 44
Baixar para ler offline
Msc. Alan de Oliveira Feitosa
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL
UNIDADE I
INTRODUÇÃO À MECÂNICA GERAL E
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
João Pessoa, Agosto de 2013.
MECÂNICA GERAL
INTRODUÇÃO
Definição de Mecânica:
É o ramo das ciências físicas dedicado ao estudo do estado de
repouso ou movimento de corpos sujeitos à ação de forças.
Mecânica dos corpos rígidos;
Mecânica dos corpos deformáveis;
Mecânica dos fluidos.
INTRODUÇÃO
Mecânica Geral:
Estática dos corpos rígidos, discutindo e estudando os
esforços internos (momento fletor, esforço cortante, esforço
normal e momento torsor) nas estruturas planas isostáticas
correntes na Engenharia Civil, como vigas, pórticos, grelhas e
treliças. Esses esforços internos são advindos de cargas
(esforços externos).
Considerações importantes:
Diagrama de corpo livre;
Considerar todas as forças que atuam sobre o corpo;
INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Grandezas Escalares:
Uma grandeza escalar é caracterizada por um número real.
Como exemplo de escalares podem se citar: o tempo, a
massa, o volume, o comprimento, etc.
Intensidade;
Direção;
Grandezas Vetoriais:
Sentido.
Na Estática
Posição;
Força;
Momento.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Grandezas Vetoriais:
Representação gráfica de dois vetores força atuando ao longo dos cabos de
fixação de um poste.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Lei dos Senos:
“Num triângulo qualquer a razão entre cada lado e o seno do
ângulo oposto é constante e igual ao diâmetro da
circunferência circunscrita”.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Lei dos Cossenos:
“Num triângulo qualquer, o quadrado da medida de um lado é
igual à soma dos quadrados das medidas dos outros dois,
menos o dobro do produto das medidas dos dois lados pelo
cosseno do ângulo que eles formam”.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Lei do Paralelogramo:
A resultante de duas forças concorrentes é igual à diagonal
principal do paralelogramo que tem como lados iniciais os
vetores destas forças.
R2 = F1
2+F2
2 – 2F1.F2.cosβ
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Regra do Triângulo:
Regra derivada da lei do paralelogramo.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Exercícios:
1) O parafuso mostrado na figura está sujeito a duas forças F1
e F2.Determine o módulo e a direção da força resultante.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
Construir um esquema usando a regra do paralelogramo;
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
A partir do paralelogramo obtido na figura, pode-se construir o
triângulo de vetores;
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
Aplicando-se a lei dos cossenos, determina-se o módulo da
força resultante FR.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
O ângulo α é determinado a partir da lei dos senos, utilizando-
se o valor calculado para FR.
Com relação ao eixo x positivo, o ângulo θ é dado por:
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Exercícios:
2) Duas lanchas rebocam um barco de passageiros que se
encontra com problemas em seus motores. Sabendo-se que a
força resultante é igual a 30kN, encontre suas componentes
nas direções AC e BC.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
Construir um esquema usando a regra do paralelogramo;
Aplicar lei dos senos;
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
Resolvendo para FCA tem-se que:
Resolvendo para FCB tem-se que:
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Forças Componentes:
Duas ou mais forças que atuam sobre uma partícula podem
ser substituídas por uma força única que tem o mesmo efeito
sobre a partícula. Essas forças são chamadas de componentes
da força original F.
Para cada força F existe um número infinito de possíveis
conjuntos de componentes.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Forças Componentes:
Aplicando a lei dos senos ao triângulo ABC, tem-se:
Quando as forças F1 e F2 são perpendiculares x e y surge um
caso particular, e a fórmula acima fornece:
Rx = Rcosα; Ry = Rsenα
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Forças Componentes:
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Forças Componentes:
A determinação da resultante de um sistema de forças F
qualquer pode ser dada por:
αi – ângulo que a força Fi faz com X;
α – ângulo que a força R faz com X;
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Exercícios:
3) Quatro forças atuam no parafuso A, como mostrado na
figura baixo. Determine a resultante das forças no parafuso.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
Por trigonometria determinam-se as componentes x e y de
cada força.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Momento de uma Força em relação a um Ponto:
Definiremos momento de uma força F em relação a um ponto
fixo O, como sendo o produto vetorial de r x F de acordo com a
figura abaixo.
MO = r x F
O momento MO deve ser perpendicular ao plano que contem O
e a força F.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Momento de uma Força em relação a um Ponto:
Regra da mão direita – convenção de
sinais:
Rotação no sentido horário » Momento negativo
Rotação no sentido anti-horário » Momento positivo
MO = rF senθ = F.d
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Momento de uma Força em relação a um Ponto:
Exemplos de momentos:
Momento no eixo z Momento no eixo x Não há momento no tubo
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Momento de uma Força em relação a um Ponto:
Teorema de Varignon
“A soma dos momentos das componentes é igual ao
momento da resultante”.
r x (F1+F2+.....) = r x F1+ r x F2+.....
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Momento de uma Força em relação a um Ponto:
Teorema de Varignon
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Exercícios:
4) Determine o momento da força em relação ao ponto O em
cada uma das barras mostradas.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
a)
MO = F.d MO = 100.2 = 200 Nm
b)
MO = F.d MO = 50.0,75 = 37,5 Nm
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Exercícios:
5) Determine os momentos da força de 800N em relação aos
pontos A, B, C e D.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
MO = F.d
MA = 2000 NmMA = 800.2,5
MB = 800.1,5 MB = 1200 Nm
MC = 800.0 MC = 0 Nm
MC = 800.0,5 MB = 400 Nm
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Binário:
Um binário é definido como duas forças paralelas de mesma
intensidade, sentidos opostos e separadas por um distância d.
O efeito de um binário é proporcionar rotação ou tendência de
rotação em um determinado sentido.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Binário:
Formulação escalar:
Formulação vetorial:
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Binários Equivalentes:
Dois binários são ditos equivalentes se produzem o mesmo
momento.
O momento resultante de dois binários é obtido pela soma dos
binários.
Formulação escalar:
Formulação vetorial:
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Exercícios:
6) Um binário atua nos dentes da engrenagem mostrada na
figura. Substitua esse binário por um equivalente, composto
por um par de forças que atuam nos pontos A e B.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
Momento do Binário:
M = 24 NmM = 40.0,6
M = F.d
Cálculo das forças:
F = M/dAB
F = 24/0,2 F = 120 N
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Momento de uma Força em Relação a um Eixo:
A força é perpendicular ao plano que contém os eixos.
(x,y) = coordenadas do ponto onde F fura o plano xy.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Redução de um Sistema de Forças a outro
Equivalente:
Representa um sistema no qual a força e o momento
resultantes produzam na estrutura o mesmo efeito que o
carregamento original aplicado.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Exercícios:
7) Substitua as cargas atuantes na viga por uma única força
resultante e um momento atuante no ponto A.
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
Cálculo da força resultante:
RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS
Resolução:
Direção da força resultante:
Momento resultante:
Sistema equivalente:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavancaExercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavancawilkerfilipel
 
Resolução da lista de exercícios 1 complementos de rm-7
Resolução da lista de exercícios 1  complementos de rm-7Resolução da lista de exercícios 1  complementos de rm-7
Resolução da lista de exercícios 1 complementos de rm-7Eduardo Spech
 
Reações de Apoio em Estruturas
Reações de Apoio em EstruturasReações de Apoio em Estruturas
Reações de Apoio em Estruturascamilapasta
 
Centro de gravidade, centro de massa e centroide
Centro de gravidade, centro de massa e centroideCentro de gravidade, centro de massa e centroide
Centro de gravidade, centro de massa e centroidemai3286
 
Estatica dos-corpos-rigidos parte3
Estatica dos-corpos-rigidos parte3Estatica dos-corpos-rigidos parte3
Estatica dos-corpos-rigidos parte3José Wilson Coelho
 
Aula 4 vibração forçada hamonicamente sem e com amortecimento 1 gdl
Aula 4 vibração forçada hamonicamente sem e com amortecimento  1 gdlAula 4 vibração forçada hamonicamente sem e com amortecimento  1 gdl
Aula 4 vibração forçada hamonicamente sem e com amortecimento 1 gdlJunior Tonial Espinha
 
NOTAS DE AULA – RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I
NOTAS DE AULA – RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS INOTAS DE AULA – RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I
NOTAS DE AULA – RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS IUeiglas C. Vanderlei
 
Aula 11 associação de resistores
Aula 11   associação de resistoresAula 11   associação de resistores
Aula 11 associação de resistoresMontenegro Física
 
Tabela de dimensões e unidades
Tabela de dimensões e unidadesTabela de dimensões e unidades
Tabela de dimensões e unidadesDaniellycc
 
Glauco exercicios resolvidos (1)
Glauco exercicios resolvidos (1)Glauco exercicios resolvidos (1)
Glauco exercicios resolvidos (1)Amália Ribeiro
 
Noções de resistências dos materiais: esforços axiais e transversais
Noções de resistências dos materiais: esforços axiais e transversaisNoções de resistências dos materiais: esforços axiais e transversais
Noções de resistências dos materiais: esforços axiais e transversaisSamanta Lacerda
 
Relatório pêndulo simples turma t5
Relatório pêndulo simples   turma t5Relatório pêndulo simples   turma t5
Relatório pêndulo simples turma t5Roberto Leao
 
Tabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricasTabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricasRodrigo Sócrate
 
Apostila de mecânica aplicada
Apostila de mecânica aplicadaApostila de mecânica aplicada
Apostila de mecânica aplicadaCaio Cesar Cardoso
 

Mais procurados (20)

Rm exerc resolvidos
Rm exerc resolvidosRm exerc resolvidos
Rm exerc resolvidos
 
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavancaExercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
 
Notas de aulas_resistencia1
Notas de aulas_resistencia1Notas de aulas_resistencia1
Notas de aulas_resistencia1
 
Resolução da lista de exercícios 1 complementos de rm-7
Resolução da lista de exercícios 1  complementos de rm-7Resolução da lista de exercícios 1  complementos de rm-7
Resolução da lista de exercícios 1 complementos de rm-7
 
Reações de Apoio em Estruturas
Reações de Apoio em EstruturasReações de Apoio em Estruturas
Reações de Apoio em Estruturas
 
Centro de gravidade, centro de massa e centroide
Centro de gravidade, centro de massa e centroideCentro de gravidade, centro de massa e centroide
Centro de gravidade, centro de massa e centroide
 
Teoria estruturas ii_aula1
Teoria estruturas ii_aula1Teoria estruturas ii_aula1
Teoria estruturas ii_aula1
 
Estatica dos-corpos-rigidos parte3
Estatica dos-corpos-rigidos parte3Estatica dos-corpos-rigidos parte3
Estatica dos-corpos-rigidos parte3
 
Aula 4 vibração forçada hamonicamente sem e com amortecimento 1 gdl
Aula 4 vibração forçada hamonicamente sem e com amortecimento  1 gdlAula 4 vibração forçada hamonicamente sem e com amortecimento  1 gdl
Aula 4 vibração forçada hamonicamente sem e com amortecimento 1 gdl
 
Aula estatica
Aula estaticaAula estatica
Aula estatica
 
NOTAS DE AULA – RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I
NOTAS DE AULA – RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS INOTAS DE AULA – RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I
NOTAS DE AULA – RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I
 
Aula 11 associação de resistores
Aula 11   associação de resistoresAula 11   associação de resistores
Aula 11 associação de resistores
 
Tabela de dimensões e unidades
Tabela de dimensões e unidadesTabela de dimensões e unidades
Tabela de dimensões e unidades
 
Glauco exercicios resolvidos (1)
Glauco exercicios resolvidos (1)Glauco exercicios resolvidos (1)
Glauco exercicios resolvidos (1)
 
Noções de resistências dos materiais: esforços axiais e transversais
Noções de resistências dos materiais: esforços axiais e transversaisNoções de resistências dos materiais: esforços axiais e transversais
Noções de resistências dos materiais: esforços axiais e transversais
 
Representação de superfícies equipotenciais geradas pelo campo elétrico entre...
Representação de superfícies equipotenciais geradas pelo campo elétrico entre...Representação de superfícies equipotenciais geradas pelo campo elétrico entre...
Representação de superfícies equipotenciais geradas pelo campo elétrico entre...
 
Relatório pêndulo simples turma t5
Relatório pêndulo simples   turma t5Relatório pêndulo simples   turma t5
Relatório pêndulo simples turma t5
 
Tabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricasTabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricas
 
Apostila de mecânica aplicada
Apostila de mecânica aplicadaApostila de mecânica aplicada
Apostila de mecânica aplicada
 
Leis de ohm
Leis de ohmLeis de ohm
Leis de ohm
 

Semelhante a Aula 1 resultante de um sistema de forças

Estatica dos-corpos-rigidos parte3
Estatica dos-corpos-rigidos parte3Estatica dos-corpos-rigidos parte3
Estatica dos-corpos-rigidos parte3Emerson Assis
 
Mecanica_geral_1_corpos_rigidos_sistemas
Mecanica_geral_1_corpos_rigidos_sistemasMecanica_geral_1_corpos_rigidos_sistemas
Mecanica_geral_1_corpos_rigidos_sistemasgiovannamichelin13
 
Aula_1_1 REVISÃO SOBRE FORÇA resistencia 1.ppt
Aula_1_1 REVISÃO SOBRE FORÇA resistencia 1.pptAula_1_1 REVISÃO SOBRE FORÇA resistencia 1.ppt
Aula_1_1 REVISÃO SOBRE FORÇA resistencia 1.pptIgorLimaFernandes
 
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...everton galvao de neiva
 
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...Carlos A. Silva
 
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...everton galvao de neiva
 
1 resistencia materiais-estaticas_estruturas - importantíssimo - usar este
1   resistencia materiais-estaticas_estruturas - importantíssimo - usar este1   resistencia materiais-estaticas_estruturas - importantíssimo - usar este
1 resistencia materiais-estaticas_estruturas - importantíssimo - usar esteturmacivil51
 
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisãoadelinoqueiroz
 
Energia e Movimentos - 10ºano FQ A
Energia e Movimentos - 10ºano FQ AEnergia e Movimentos - 10ºano FQ A
Energia e Movimentos - 10ºano FQ Aadelinoqueiroz
 
Apostila resistencia dos_materiais_parte_1
Apostila resistencia dos_materiais_parte_1Apostila resistencia dos_materiais_parte_1
Apostila resistencia dos_materiais_parte_1Hudson Luiz Pissini
 
Cargas elétricas num triângulo
Cargas elétricas num triânguloCargas elétricas num triângulo
Cargas elétricas num triânguloEuclidesPiR2
 
07. trabalho e energia cinética
07. trabalho e energia cinética07. trabalho e energia cinética
07. trabalho e energia cinéticaleonardoenginer
 

Semelhante a Aula 1 resultante de um sistema de forças (20)

Estatica dos-corpos-rigidos parte3
Estatica dos-corpos-rigidos parte3Estatica dos-corpos-rigidos parte3
Estatica dos-corpos-rigidos parte3
 
Mecanica_geral_1_corpos_rigidos_sistemas
Mecanica_geral_1_corpos_rigidos_sistemasMecanica_geral_1_corpos_rigidos_sistemas
Mecanica_geral_1_corpos_rigidos_sistemas
 
Estatica corpos rigidos
Estatica corpos rigidosEstatica corpos rigidos
Estatica corpos rigidos
 
Estatica corpos rigidos
Estatica corpos rigidosEstatica corpos rigidos
Estatica corpos rigidos
 
Aula_1_1 REVISÃO SOBRE FORÇA resistencia 1.ppt
Aula_1_1 REVISÃO SOBRE FORÇA resistencia 1.pptAula_1_1 REVISÃO SOBRE FORÇA resistencia 1.ppt
Aula_1_1 REVISÃO SOBRE FORÇA resistencia 1.ppt
 
Apostila estatica
Apostila estaticaApostila estatica
Apostila estatica
 
Apostila estática
Apostila estáticaApostila estática
Apostila estática
 
Estatica 2008
Estatica 2008Estatica 2008
Estatica 2008
 
9 equilibrio dos corpos rigidos
9   equilibrio dos corpos rigidos9   equilibrio dos corpos rigidos
9 equilibrio dos corpos rigidos
 
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
 
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
 
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
1 resistenciamateriaisestaticasestruturas-importantssimo-usareste-13082817034...
 
1 resistencia materiais-estaticas_estruturas - importantíssimo - usar este
1   resistencia materiais-estaticas_estruturas - importantíssimo - usar este1   resistencia materiais-estaticas_estruturas - importantíssimo - usar este
1 resistencia materiais-estaticas_estruturas - importantíssimo - usar este
 
Exercícios 2
Exercícios 2Exercícios 2
Exercícios 2
 
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão
 
Energia e Movimentos - 10ºano FQ A
Energia e Movimentos - 10ºano FQ AEnergia e Movimentos - 10ºano FQ A
Energia e Movimentos - 10ºano FQ A
 
Apostila resistencia dos_materiais_parte_1
Apostila resistencia dos_materiais_parte_1Apostila resistencia dos_materiais_parte_1
Apostila resistencia dos_materiais_parte_1
 
Cargas elétricas num triângulo
Cargas elétricas num triânguloCargas elétricas num triângulo
Cargas elétricas num triângulo
 
Vetores oficina - teoria
Vetores  oficina - teoriaVetores  oficina - teoria
Vetores oficina - teoria
 
07. trabalho e energia cinética
07. trabalho e energia cinética07. trabalho e energia cinética
07. trabalho e energia cinética
 

Último

Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfFbioFerreira207918
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Centro Jacques Delors
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivararambomarcos
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxMartin M Flynn
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 

Último (20)

Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 

Aula 1 resultante de um sistema de forças

  • 1. Msc. Alan de Oliveira Feitosa CURSO DE ENGENHARIA CIVIL UNIDADE I INTRODUÇÃO À MECÂNICA GERAL E RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS João Pessoa, Agosto de 2013. MECÂNICA GERAL
  • 2. INTRODUÇÃO Definição de Mecânica: É o ramo das ciências físicas dedicado ao estudo do estado de repouso ou movimento de corpos sujeitos à ação de forças. Mecânica dos corpos rígidos; Mecânica dos corpos deformáveis; Mecânica dos fluidos.
  • 3. INTRODUÇÃO Mecânica Geral: Estática dos corpos rígidos, discutindo e estudando os esforços internos (momento fletor, esforço cortante, esforço normal e momento torsor) nas estruturas planas isostáticas correntes na Engenharia Civil, como vigas, pórticos, grelhas e treliças. Esses esforços internos são advindos de cargas (esforços externos). Considerações importantes: Diagrama de corpo livre; Considerar todas as forças que atuam sobre o corpo;
  • 6. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Grandezas Escalares: Uma grandeza escalar é caracterizada por um número real. Como exemplo de escalares podem se citar: o tempo, a massa, o volume, o comprimento, etc. Intensidade; Direção; Grandezas Vetoriais: Sentido. Na Estática Posição; Força; Momento.
  • 7. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Grandezas Vetoriais: Representação gráfica de dois vetores força atuando ao longo dos cabos de fixação de um poste.
  • 8. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Lei dos Senos: “Num triângulo qualquer a razão entre cada lado e o seno do ângulo oposto é constante e igual ao diâmetro da circunferência circunscrita”.
  • 9. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Lei dos Cossenos: “Num triângulo qualquer, o quadrado da medida de um lado é igual à soma dos quadrados das medidas dos outros dois, menos o dobro do produto das medidas dos dois lados pelo cosseno do ângulo que eles formam”.
  • 10. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Lei do Paralelogramo: A resultante de duas forças concorrentes é igual à diagonal principal do paralelogramo que tem como lados iniciais os vetores destas forças. R2 = F1 2+F2 2 – 2F1.F2.cosβ
  • 11. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Regra do Triângulo: Regra derivada da lei do paralelogramo.
  • 12. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Exercícios: 1) O parafuso mostrado na figura está sujeito a duas forças F1 e F2.Determine o módulo e a direção da força resultante.
  • 13. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: Construir um esquema usando a regra do paralelogramo;
  • 14. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: A partir do paralelogramo obtido na figura, pode-se construir o triângulo de vetores;
  • 15. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: Aplicando-se a lei dos cossenos, determina-se o módulo da força resultante FR.
  • 16. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: O ângulo α é determinado a partir da lei dos senos, utilizando- se o valor calculado para FR. Com relação ao eixo x positivo, o ângulo θ é dado por:
  • 17. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Exercícios: 2) Duas lanchas rebocam um barco de passageiros que se encontra com problemas em seus motores. Sabendo-se que a força resultante é igual a 30kN, encontre suas componentes nas direções AC e BC.
  • 18. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: Construir um esquema usando a regra do paralelogramo; Aplicar lei dos senos;
  • 19. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: Resolvendo para FCA tem-se que: Resolvendo para FCB tem-se que:
  • 20. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Forças Componentes: Duas ou mais forças que atuam sobre uma partícula podem ser substituídas por uma força única que tem o mesmo efeito sobre a partícula. Essas forças são chamadas de componentes da força original F. Para cada força F existe um número infinito de possíveis conjuntos de componentes.
  • 21. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Forças Componentes: Aplicando a lei dos senos ao triângulo ABC, tem-se: Quando as forças F1 e F2 são perpendiculares x e y surge um caso particular, e a fórmula acima fornece: Rx = Rcosα; Ry = Rsenα
  • 22. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Forças Componentes:
  • 23. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Forças Componentes: A determinação da resultante de um sistema de forças F qualquer pode ser dada por: αi – ângulo que a força Fi faz com X; α – ângulo que a força R faz com X;
  • 24. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Exercícios: 3) Quatro forças atuam no parafuso A, como mostrado na figura baixo. Determine a resultante das forças no parafuso.
  • 25. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: Por trigonometria determinam-se as componentes x e y de cada força.
  • 26. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Momento de uma Força em relação a um Ponto: Definiremos momento de uma força F em relação a um ponto fixo O, como sendo o produto vetorial de r x F de acordo com a figura abaixo. MO = r x F O momento MO deve ser perpendicular ao plano que contem O e a força F.
  • 27. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Momento de uma Força em relação a um Ponto: Regra da mão direita – convenção de sinais: Rotação no sentido horário » Momento negativo Rotação no sentido anti-horário » Momento positivo MO = rF senθ = F.d
  • 28. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Momento de uma Força em relação a um Ponto: Exemplos de momentos: Momento no eixo z Momento no eixo x Não há momento no tubo
  • 29. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Momento de uma Força em relação a um Ponto: Teorema de Varignon “A soma dos momentos das componentes é igual ao momento da resultante”. r x (F1+F2+.....) = r x F1+ r x F2+.....
  • 30. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Momento de uma Força em relação a um Ponto: Teorema de Varignon
  • 31. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Exercícios: 4) Determine o momento da força em relação ao ponto O em cada uma das barras mostradas.
  • 32. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: a) MO = F.d MO = 100.2 = 200 Nm b) MO = F.d MO = 50.0,75 = 37,5 Nm
  • 33. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Exercícios: 5) Determine os momentos da força de 800N em relação aos pontos A, B, C e D.
  • 34. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: MO = F.d MA = 2000 NmMA = 800.2,5 MB = 800.1,5 MB = 1200 Nm MC = 800.0 MC = 0 Nm MC = 800.0,5 MB = 400 Nm
  • 35. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Binário: Um binário é definido como duas forças paralelas de mesma intensidade, sentidos opostos e separadas por um distância d. O efeito de um binário é proporcionar rotação ou tendência de rotação em um determinado sentido.
  • 36. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Binário: Formulação escalar: Formulação vetorial:
  • 37. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Binários Equivalentes: Dois binários são ditos equivalentes se produzem o mesmo momento. O momento resultante de dois binários é obtido pela soma dos binários. Formulação escalar: Formulação vetorial:
  • 38. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Exercícios: 6) Um binário atua nos dentes da engrenagem mostrada na figura. Substitua esse binário por um equivalente, composto por um par de forças que atuam nos pontos A e B.
  • 39. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: Momento do Binário: M = 24 NmM = 40.0,6 M = F.d Cálculo das forças: F = M/dAB F = 24/0,2 F = 120 N
  • 40. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Momento de uma Força em Relação a um Eixo: A força é perpendicular ao plano que contém os eixos. (x,y) = coordenadas do ponto onde F fura o plano xy.
  • 41. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Redução de um Sistema de Forças a outro Equivalente: Representa um sistema no qual a força e o momento resultantes produzam na estrutura o mesmo efeito que o carregamento original aplicado.
  • 42. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Exercícios: 7) Substitua as cargas atuantes na viga por uma única força resultante e um momento atuante no ponto A.
  • 43. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: Cálculo da força resultante:
  • 44. RESULTANTE DE UM SISTEMA DE FORÇAS Resolução: Direção da força resultante: Momento resultante: Sistema equivalente: