Sistema respiratorio

1.808 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.808
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
86
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema respiratorio

  1. 1. SISTEMA RESPIRATÓRIO
  2. 2. Professor: João Paulo SISTEMA RESPIRATÓRIO  É constituído por um par de pulmões e por vários órgãos que conduzem o ar para dentro e para fora das cavidades pulmonares  vias aéreas.  Vias aéreas: fossas nasais, boca, faringe, laringe, traquéia, brônquios, bronquíolos e alvéolos  os três últimos localizados nos pulmões.
  3. 3. Professor: João Paulo FOSSAS NASAIS  Duas cavidades paralelas que começam nas narinas e terminam na faringe  separadas uma da outra por uma parede cartilaginosa  septo nasal.
  4. 4. Professor: João Paulo FOSSAS NASAIS  Em seu interior há dobras  conchas ou cornetos nasais  forçam o ar a turbilhonar.  Teto das fossas nasais  células sensoriais  sentido do olfato.
  5. 5. Professor: João Paulo FOSSAS NASAIS  Epitélio de revestimento: células produtoras de muco e células ciliadas  também presentes nas porções inferiores das vias aéreas (traquéia, brônquios e porção inicial dos bronquíolos).  Funções: filtrar, umedecer e aquecer o ar.
  6. 6. Professor: João Paulo BOCA  Abertura comum aos sistemas digestório e repiratório  entrada de ar para as vias respiratórias e de alimento para o tubo digestório.  Não filtra o ar.
  7. 7. Professor: João Paulo FARINGE  Canal comum aos sistemas digestório e respiratório  comunica-se com a boca e com as fossas nasais.  O ar inspirado pelas narinas ou pela boca passa necessariamente pela faringe, antes de atingir a laringe.
  8. 8. Professor: João Paulo LARINGE  Tubo sustentado por peças cartilaginosas  situado na parte superior do pescoço, em continuação à faringe.  Epiglote  funciona como válvula  quando nos alimentamos, a laringe sobe e sua entrada é fechada pela epiglote  impede que o alimento ingerido penetre nas vias respiratórias.
  9. 9. Professor: João Paulo LARINGE  O epitélio que reveste a laringe apresenta pregas, as cordas vocais  capazes de produzir sons durante a passagem de ar.
  10. 10. Professor: João Paulo TRAQUÉIA E BRÔNQUIOS  Traquéia: tubo de aproximadamente 1,5 cm de diâmetro por 10-12 centímetros de comprimento  paredes reforçadas por anéis cartilaginosos.  Bifurca-se na sua região inferior, originando os brônquios, que penetram nos pulmões.
  11. 11. Professor: João Paulo PULMÕES  São órgãos esponjosos, com aproximadamente 25 cm de comprimento, sendo envolvidos por uma membrana serosa denominada pleura.
  12. 12. Professor: João Paulo PULMÕES  Nos pulmões os brônquios ramificam-se profusamente, dando origem a tubos cada vez mais finos, os bronquíolos.
  13. 13. Professor: João Paulo PULMÕES  Árvore brônquica ou árvore brônquica ou respiratória  conjunto altamente ramificado de bronquíolos.
  14. 14. Professor: João Paulo PULMÕES  Cada bronquíolo termina em pequenas bolsas formadas por células epiteliais achatadas e recobertas por capilares sangüíneos  alvéolos pulmonares  hematose.
  15. 15. Professor: João Paulo SISTEMA RESPIRATÓRIO
  16. 16. Professor: João Paulo DIAFRAGMA  A base de cada pulmão apóia-se no diafragma  músculo que separa o tórax do abdomen  promove, juntamente com os músculos intercostais, os movimentos respiratórios.  Localizado logo acima do estômago, o nervo frênico controla os movimentos do diafragma.
  17. 17. Professor: João Paulo FISIOLOGIA DA RESPIRAÇÃO - VENTILAÇÃO PULMONAR -  Inspiração: contração do diafragma e dos músculos intercostais  diafragma abaixa e costelas elevam-se  aumento da caixa torácica  redução da pressão interna  entrada do ar.  Expiração: relaxamento do diafragma e dos músculos intercostais  diafragma eleva-se e costelas abaixam  diminui o volume da caixa torácica  aumento da pressão interna  saída do ar.
  18. 18. Professor: João Paulo FISIOLOGIA DA RESPIRAÇÃO - VENTILAÇÃO PULMONAR -
  19. 19. Professor: João Paulo FISIOLOGIA DA RESPIRAÇÃO - TRANSPORTE DE GASES -  Oxigênio: O2 + hemoglobina (Hb)  oxiemoglobina (HbO2).
  20. 20. Professor: João Paulo FISIOLOGIA DA RESPIRAÇÃO - TRANSPORTE DE GASES - Dióxido de carbono:  maior parte (cerca de 70%): CO2 + H2O  H+ + HCO3   plasma sangüíneo;  cerca de 23%: CO2 + hemoglobina  carboemoglobina;  restante: dissolve-se no plasma.
  21. 21. Professor: João Paulo FISIOLOGIA DA RESPIRAÇÃO - INTOXICAÇÃO POR CO -  O monóxido de carbono (CO), liberado pela “queima” incompleta de combustíveis fósseis e pela fumaça dos cigarros entre outros, combina-se com a hemoglobina de uma maneira mais estável do que o oxigênio, formando o carboxiemoglobina.  Dessa forma, a hemoglobina fica impossibilitada de transportar o oxigênio, podendo levar à morte por asfixia.
  22. 22. Professor: João Paulo FISIOLOGIA DA RESPIRAÇÃO - CONTROLE DA RESPIRAÇÃO -  A respiração é controlada automaticamente por um centro nervoso localizado no bulbo  Centro Respiratório (CR).  Nervo frênico:  deixa a medula espinhal na metade superior do pescoço e dirige-se para baixo, através do tórax até o diafragma.
  23. 23. Professor: João Paulo FISIOLOGIA DA RESPIRAÇÃO - CONTROLE DA RESPIRAÇÃO -  Em condições normais, CR produz, a cada 5 segundos, um impulso nervoso que estimula a contração da musculatura torácica e do diafragma, fazendo-nos respirar. Controle da freqüência respiratória: CO2 + H2O  H2CO3  H+ + HCO3    CO2 no plasma:  íons H+  redução do pH sangüíneo (acidose)  excitação do CR  aumento da freqüência e amplitude dos movimentos respiratórios.   CO2 no plasma:  íons H+  pH acima do normal (alcalose)  depressão do CR  redução da freqüência e amplitude dos movimentos respiratórios.
  24. 24. Professor: João Paulo FISIOLOGIA DA RESPIRAÇÃO - CONTROLE DA RESPIRAÇÃO - Controle da freqüência respiratória em situações especiais:  [ ] O2 nos alvéolos: estimulação de quimiorreceptores nas artérias carótida e aorta  nervos vago e glossofaríngeo  estimulação do CR  aumento da freqüência e amplitude dos movimentos respiratórios.  locais de altitude elevada  ar rarefeito;  infecções respiratórias.  Ansiedade e estados ansiosos: liberação de adrenalina  aumento da freqüência e amplitude dos movimentos respiratórios  hiperventilação  alcalose  contrações dos músculos de todo o corpo (tetania).
  25. 25. Professor: João Paulo CAPACIDADE E VOLUMES RESPIRATÓRIOS

×