Respiracao durante exercicio2

569 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
569
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Respiracao durante exercicio2

  1. 1. Respiração durante o exercício
  2. 2.  Sistema respiratório  Realiza as trocas gasosas entre nosso organismo e o meio ambiente.  Tem um papel importante na regulação do equilíbrio ácido-base durante o exercício.
  3. 3. Função dos pulmões  O propósito primário é proporcionar a troca de gases entre o ambiente externo e o corpo  Ventilação refere-se ao processo mecânico de movimentar ar para dentro e fora dos pulmões  Difusão é o movimento randômico das moléculas de uma área de maior concentração para de menor concentração.
  4. 4. Sistema Respiratório
  5. 5. Membrana Respiratória
  6. 6. Troca gasosa nos pulmões  Pressão parcial dos gases:  Pressão que qualquer gás exerce independentemente.  PATM = PN2 + P02 + PC02 + PH20= 760 mmHg. Figure 16.20
  7. 7. Músculos envolvidos na Respiração
  8. 8. INSPIRAÇÃO E EXPIRAÇÃO Rest Inspiration Expiration
  9. 9. A Mecânica da Inspiração e Expiração
  10. 10. Ventilação Pulmonar (V)  Volume de ar que se movimenta para dentro e para fora dos pulmões por minuto  Produto do Volume corrente (VC) e da Frequência respiratória (f) V = VC x f
  11. 11. Volume e Capacidade Pulmonar  Volume tidal ou corrente  Volume inspirado ou expirado por ciclo respiratorio  Capacidade Vital (CV)  Quantidade máxima de ar que pode ser expirada seguida de uma inspiração máxima  Volume Residual (VR)  Ar que permanece nos pulmões depois de uma expiração máxima  Capacidade Total dos Pulmões (CTP)  Soma da CV e VR
  12. 12. Volume e Capacidade Pulmonar Fig 10.9
  13. 13. Pressão parcial e trocas gasosas
  14. 14. Fluxo Sanguíneo nos Pulmões  Circuito Pulmonar  Mesma taxa de fluxo que a circulação sistêmica  Menor Pressão
  15. 15. Circulação Pulmonar  Taxa de fluxo sanguíneo através da circulação pulmonar é = a taxa de fluxo da circulação sistêmica  Pressão média esta em torno de 10 mmHg.  A resistência vascular Pulmonar é menor  Menor pressão produz uma menor filtração comparada aos capilares sistêmicos.  Autoregulação:  As arteríolas pulmonares contraem quando a P02 alveolar diminui  Bronquíolos respondem a alterações na PCO2  Equilibrar a razão ventilação/perfusão.
  16. 16. Fluxo sanguíneo nos Pulmões  Em pé, a maioria do fluxo sanguíneo esta na base do pulmão  Devido a força gravitacional
  17. 17. Relação ventilação- perfusão  Razão ventilação-perfusão.  Indica a relação do fluxo sanguíneo com a ventilação.  Ideal: ~1.0  Base  Superperfusada (razão <1.0)  Ápice  Subperfusada (razão >1.0)
  18. 18. Razão Ventilação- Perfusão
  19. 19. Transporte de O2 no sangue  Aproximadamente 99% do O2 é transportado no sangue ligado a hemoglobina (Hb)  Oxihemoglobina: O2 ligado a Hb  Deoxihemoglobina: O2 não ligado a Hb  Quantidade de O2 que pode ser transportado por volume de sangue é dependente da concentração de hemoglobina
  20. 20. Curva de dissociação da oxiemoglobina
  21. 21. Curva de dissociação O2- Hb Efeito do pH  pH diminui durante o exercício  Resulta em deslocamento para direita da curva  Efeito Borh  Favorece “liberação” de O2
  22. 22.  Aumento da temperatura enfraquece a ligação entre Hb- O2  Deslocamento para direita  Maior “liberação” de O2 para os tecidos Curva de dissociação O2- Hb Efeito da temperatura
  23. 23. Transporte de O2 no músculo  Mioglobina transporta o O2 da membrana celular até a mitocôndria  Maior afinidade pelo O2 que a hemoglobina  Mesmo a baixas PO2  Permite Mb estocar O2
  24. 24. Curva de dissociação para Mioglobina e Hemoglobina
  25. 25. Transporte de CO2 no sangue  Dissolvido no plasma (10%)  Ligado a Hb (20%)  Bicarbonato (70%)  CO2 + H2O ↔ H2CO3 ↔ H+ + HCO3 -  Também importante para tamponar H+
  26. 26. Transporte de CO2 no sangue
  27. 27. Liberação de CO2 do sangue Fig 10.19
  28. 28. Controle da Ventilação  Centro de controle respiratório  Recebe estímulos neurais e humorais  Feedback dos músculos  nível de CO2 no sangue  Regula taxa respiratória
  29. 29. Quimioreceptores  Monitoram as mudanças na PC02, P02, e pH no sangue  Central:  Bulbo  Periférico:  Corpos Carotídeos e Aórticos  Controla a respiração indiretamente Insert fig. 16.27
  30. 30. REGULAÇÃO DA RESPIRAÇÃO
  31. 31. Insert fig. 16.29 Figure 16.20
  32. 32. Estímulo do Centro de Controle Respiratório  Quimioreceptor Humoral  Quimireceptor Central  Localizado no bulbo  Concentração de PCO2 e H+ no fluido cerebroespinhal  Quimioreceptor periférico  Corpos Carotídeos e Aórticos  PO2, PCO2, H+ , K+ no sangue  Estímulo neural  Do córtex motor ou músculo esquelético
  33. 33. Efeitos da PO2 Arterial na Ventilação
  34. 34. Controle Ventilatório durante o exercício  Exercício Submáximo  Aumento linear devido ao:  Comando central- cortex  Feedback neural da musculatura  Quimioreceptor Humoral  Exercício Pesado  Aumento exponencial acima do Lvent  Crescente H+ sanguíneo
  35. 35. Controle Ventilatório durante o exercício
  36. 36. Os pulmões podem limitar a Performance?  Intensidade baixa a moderada de exercício  Sistema pulmonar não parece ser uma limitação  Exercício máximo  Não parece ser uma limitação para indivíduos saudáveis ao nível do mar  Pode ser limitante em atletas de elite  Atuais evidências de que pode ocorrer uma fadiga no músculo respiratório durante altas intensidades de exercício.
  37. 37. Trabalho Respiratório  Dois fatores que mais determinam o requerimento energético da respiração 1. Complacência dos pulmões 2. Resistência das vias aéreas ao fluxo de ar  As taxas e a profundidade da respiração aumentam durante o exercício, aumentando também o custo energético.  Exercício máximo, VE> 100 L/m, o custo de oxigênio da respiração representa 10- 20% do VO2 total.
  38. 38. Efeitos do treinamento na Ventilação  Menor ventilação a uma mesma taxa de trabalho após treinamento  Pode ser devido a um menor nível de acidose no sangue  Resulta em menor feedback para estimular a respiração
  39. 39. Efeitos do treinamento aeróbio na Ventilação durante o exercício
  40. 40. Adaptações respiratórias causadas pelo treino aeróbio • O sistema respiratório normalmente não limita o rendimento porque a ventilação pode aumentar em maior grau que o sistema cardiovascular. • Pequeno aumento na Capacidade vital • Pequena diminuição do Volume Residual
  41. 41. Adaptações respiratórias causadas pelo treino aeróbio  Diminuição da freqüência respiratória e redução da ventilação pulmonar exercício submáximo.  Aumento da freqüência respiratória, volume corrente e ventilação pulmonar durante exercício máximo.
  42. 42. VE l/min 0 20 40 60 80 100 120 140 0 50 100 150 200 0 10 20 30 40 50 60 0 50 100 150 200 FR(Respiração/min) 0 0.5 1 1.5 2 2.5 3 3.5 VolumeCorrente(L) Frequência respiratória Volume corrente VE l/min 0 25 50 75 100 125 150 175 200 225 0 20 40 60 80 100 120 140 160 20 30 40 50 60 70 80 0 20 40 60 80 100 120 140 160 FR(respirações/min) 0 0.5 1 1.5 2 2.5 3 3.5 Volumecorrente(L) Frequência resiratória Volume corrente Treinado Não Treinado
  43. 43. • Difusão pulmonar permanece inalterada durante repouso e exercício submáximo. • Aumento da difusão pulmonar durante exercício máximo. – Aumento da circulação e ventilação. – Melhor distribuição do fluxo sanguíneo (parte superior) – Mais alvéolos envolvidos na respiração durante exercício máximo

×