Manual de Normalizacao

384 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Manual de Normalizacao

  1. 1. MANUAL DE NORMALIZAÇÃO Teses e Dissertações (De acordo com a NBR-6023/2000) Organizado por: Maria Célia Carvalho de Resende Belo Horizonte Universidade Federal de Minas Gerais Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional 2007
  2. 2. SUMÁRIO 1 ESTRUTURA DOTRABALHO CIENTÍFICO ....................................................... 4 1.1 Capa................................................................................................................. 4 1.2 Folha de rosto................................................................................................. 4 1.3 Folha de aprovação........................................................................................ 5 1.4 Páginas preliminares...................................................................................... 5 1.5 Listas............................................................................................................... 5 1.6 Sumário........................................................................................................... 5 1.7 Resumo........................................................................................................... 5 1.8 Texto................................................................................................................ 5 1.9 Referências bibliográficas............................................................................. 6 1.10 Anexos........................................................................................................... 6 2 REDAÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO........................................................... 6 2.1 Características da linguagem técnico-cientifica.......................................... 6 2.2 Citações........................................................................................................... 6 2.2.1 Citação textual............................................................................................. 6 2.2.2 Citação livre................................................................................................. 7 2.2.3 Citação de citação....................................................................................... 8 2.3 Notas de rodapé.............................................................................................. 8 2.4 Numeração progressiva................................................................................. 8 2.5 Ilustrações....................................................................................................... 9 2.5.1 Gráficos........................................................................................................ 9 2.5.2 Tabelas......................................................................................................... 9 2.5.2.1 Notas de rodapé das tabelas................................................................... 10 3 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.................................................................... 10 3.1 Definição......................................................................................................... 10 3.2 Objetivo........................................................................................................... 10 3.3 Regras Gerais................................................................................................. 11 3.3.1 Obra de dois ou três autores...................................................................... 11 3.3.2 Obra de mais de três autores...................................................................... 11 3.3.3 Obra de responsabilidade de um editor(Ed.) compilador(Comp.)........... 11 3.3.4 Obra sem autor............................................................................................ 11 3.3.5 Obra de autoria de entidade coletiva......................................................... 12
  3. 3. 3.3.6 Notas especiais............................................................................................ 12 3.3.7 Documento com mais de um local, editora e data................................... 12 3.3.8 Edição........................................................................................................... 12 3.3.9 Dados tipográficos (Local editora)............................................................. 12 3.3.10 Data............................................................................................................. 13 3.4 Especificação e ordem dos elementos......................................................... 13 3.4.1 Livro.............................................................................................................. 13 3.4.2 Capítulo de livros......................................................................................... 13 3.4.2.1 Autores diferentes.................................................................................... 13 3.4.2.2 Autores iguais........................................................................................... 14 3.4.3 Dissertações e teses................................................................................... 14 3.4.4 Congressos, conferências, encontros....................................................... 14 3.4.5 Trabalhos apresentados em congresso.................................................... 14 3.4.6 Artigo de periódico...................................................................................... 15 3.4.7 Artigo de jornal............................................................................................ 15 3.4.8 Portarias, resoluções.................................................................................. 15 3.4.9 Patentes....................................................................................................... 15 3.4.10 Citação de citação..................................................................................... 16 3.5 DOCUMENTOS ELETRÔNICOS..................................................................... 17 3.5.1 Documentos disponíveis na Internet......................................................... 17 3.5.1.1 Trabalho individual................................................................................... 17 3.5.1.2 Autor entidade........................................................................................... 17 3.5.1.3 Parte de um trabalho................................................................................ 18 3.5.1.4 Jornal........................................................................................................ 18 3.5.1.5 Artigo de jornal......................................................................................... 18 3.5.1.6 Publicação periódica considerada no todo............................................ 18 3.5.1.7 Artigo de periódico................................................................................... 18 3.5.1.8 Trabalhos acadêmicos, teses, dissertações........................................... 18 3.5.1.9 Trabalhos apresentados em eventos...................................................... 19 3.5.1.10 Entrevista................................................................................................ 19 3.5.1.11 E-mail....................................................................................................... 19 3.5.1.12 Lista de discussão.................................................................................. 19 3.5.2 Documentos disponíveis em meio magnético........................................... 19 3.5.2.1 Disquetes.................................................................................................. 19 3.5.2.2 CD-ROM..................................................................................................... 19
  4. 4. 4 REFERÊNCIAS BIBLIGRÁFICAS...................................................................... 21 5 ANEXOS............................................................................................................. 22 5.1 Modelo de capa.............................................................................................. 23 5.2 Modelo de folha de rosto............................................................................... 24 5.3Encadernação................................................................................................. 25
  5. 5. 4 1 ESTRUTURA DO TRABALHO CIENTÍFICO Elementos necessários à apresentação dos trabalhos científicos: - CAPA - FOLHA DE ROSTO - FOLHA DE APROVAÇÃO* - PÁGINAS PRELIMINARES* DEDICATÓRIA * AGRADECIMENTOS * - SUMÁRIO - LISTAS * - RESUMO * - TEXTO - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS - ANEXOS * Usados para Dissertações e Teses 1.1 Capa Contém dados que identificam o documento: autoria, título e outros dados à critério do autor. (Ver anexo 1). 1.2 Folha de rosto Apresenta, no alto da página, o nome do autor. Em seguida, vem o título do documento, em destaque, no centro da página (deve- se incluir nota explicativa referente ao nível a que se destina o trabalho, incluindo a área de concentração, Unidade, Instituição e Orientador). O dados referentes às notas tipográficas (local, instituição e ano de defesa) devem vir centradas, na parte inferior, um em cada linha. (Ver anexo 2). 1.3 Folha de aprovação Deve conter data de aprovação, nome completo dos membros da banca examinadora e local para assinatura dos mesmos.
  6. 6. 5 1.4 Páginas Preliminares Páginas que antecedem ao sumário. Dedicatória: - Texto, geralmente curto, no qual o autor presta uma homenagem ou dedica seu trabalho a alguém. Agradecimentos: - Manifestação de agradecimento a pessoas e instituições que, de alguma forma, colaboraram para a execução do trabalho. 1.5 Listas Relação de elementos ilustrativos ou explicativos. Lista de ilustrações: - Relação de tabelas, gráficos, fórmulas, lâminas, figuras (desenhos, gravuras, mapas, fotografias), na mesma ordem em que são citadas na tese, com a indicação da página onde estão localizadas. Lista de abreviaturas e siglas: - Relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas, seguidas das palavras a que correspondem, escritas por extenso. Lista de notações: - Relação de sinais convencionados, utilizados no texto, seguidos, dos respectivos significados. 1.6 Sumário Listagem com a indicação do conteúdo do documento. Mostra as divisões e seções na mesma sequência e grafia que aparecem no texto. 1.7 Resumo Recapitulação sucinta das partes mais importantes do texto. É obrigatório em dissertações, relatórios, teses e artigos de periódicos. Deverá ser apresentado em Inglês e português. 1.8 Texto É composto de Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. Deve ser apresentado em papel A4; fonte Time New Roman tamanho 12; espaço 1 1/2 entre as linhas; e margens: superior e inferior = 2,5cm; direita =2,5cm; esquerda = 3 cm.
  7. 7. 6 1.9 Referências Bibliográficas: Relação de todos os documentos consultados e citados numerados e ordenados alfabeticamente pelo autor. 1.10 Anexos Documentos complementares e/ou comprobatórios do texto com informações esclarecedoras, tabelas, ou dados colocados à parte, para não “quebrar” a sequência lógica da exposição. 2 REDAÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO 2.1 Características da linguagem técnico-científica Exatidão Clareza Simplicidade Objetividade Utilização de palavras de uso corrente Emprego de orações simples 2.2 Citações São pensamentos, conceitos, definições retirados das publicações consultadas para a realização do trabalho. Tem por objetivo esclarecer ou complementar as idéias do autor informando a fonte onde foi retirada a informação. Os autores devem ser citados em minúsculas, separados por vírgula. Obras com dois ou mais autores utilizar & como separador (somente nas citações). 2.2.1 Citação textual Transcrição literal do texto de outros autores. Transcrever entre “ “ como aparece no original e indicar a fonte. a) Citações longas: As citações com mais de tres linhas devem constituir um parágrafo independente, recuado e com espaço datilográfico menor (espaço 1).
  8. 8. 7 Exemplo: “Quando falamos (usamos o que vou chamar, por falta de termo melhor, estilo falado), estamos sujeitos a muitas limitações que não existem no caso da escrita: precisamos manter a atenção do interlocutor; não podemos sobrecarregar sua memória (nem a nossa); não podemos voltar e apagar o que acabamos de dizer, e assim por diante.”(Perini,1980). Obs. Recomenda-se citar, após a data, a(s) página(s) de onde se transcreveu o texto. Exemplo (Perini, 1980:15) ou (Perini, 1980, p.15) b) Citações curtas São inseridas no texto. Exemplo: A Inconfidência é uma “falta de fidelidade para com alguém, particularmente para com o soberano ou o Estado” (Ferreira, [1981?]). 2.2.2 Citação livre São reproduzidas idéias do documento sem transcrever as palavras do autor. Formas de fazer citação livre: a) Autor faz parte integrante do texto Exemplo: Como lembra Martins (1980), o futuro desenvolvimento da informação está cada dia mais dependente de uma normalização. b) Indicação da fonte no final da citação - evita quebra na sequência do texto Exemplo: Após esse primeiro isolamento, na Inglaterra, vários casos têm sido descritos em países como Canadá e Noruega. (Glazerbrook et al., 1973; Jones, 1980). c) Sobrenome de autor e data de publicações iguais. Exemplo: AZEVEDO, C. (1957). AZEVEDO, M. (1957). d) Documento sem autoria - Citar pela primeira palavra do título (neste caso em maiúsculas). Exemplo: Conforme análise feita em CONSERVACIONISTAS (1980) os ecologistas nacionais estão empenhados no tombamento da referida montanha.
  9. 9. 8 e) Vários trabalhos do mesmo autor Exemplo: Datas diferentes: Acerloff (1934, 1936, 1937) encontrou 22,08% de machos afetados. Datas iguais: Smith (1978a) Smith (1978b) ou Smith (1978a, b). f) Entidades coletivas - Primeira citação usa-se o nome por extenso seguido da sigla, as citações subsequentes apenas a sigla. Exemplo: A TAB.1 confirma os dados apresentados anteriormente (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, 1975). 2.2.3 Citação de citação Quando um documento é citado e não se tem acesso ao original. Utilizar a expressão “citado por” Exemplo: Marinho, citado por Markoni & Lakatos (1982), apresenta a formulação do problema como uma fase de pesquisa que, sendo bem delimitada, simplifica e facilita a maneira de conduzir a investigação. Obs.: Na referência bibliográfica relacionar as duas obras. Utilizando a expressão apud (em itálico) na obra consultada. Exemplo MARINHO, P. A pesquisa em ciências humanas. Petrópolis: Vozes, 1980 apud MARCONI, M.A.; LAKATOS, E.M. Técnicas pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982. MARCONI, M.A.; LAKATOS, E.M. Técnicas pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982. 2.3 Notas de rodapé As notas de rodapé devem ser reduzidas ao máximo e localizada o mais próximo possível do texto. Para fazer as chamadas das notas de rodapé usam-se algarismos arábicos, com numeração consecutiva dentro de cada capítulo ou parte evitando-se a numeração por página. Quando as notas forem em número reduzido, pode-se adotar uma sequência numérica para todo o texto. As notas de rodapé são colocadas na margem inferior da página, começando com a chamada numérica no texto. São separadas por um traço continuo de 4 cm. e datilografadas em espaço simples e com caracteres menores do que o usado para o texto. Usa-se o espaço duplo para separar as notas entre si.
  10. 10. 9 2.4 Numeração progressiva Usa-se a numeração progressiva apenas para as partes do texto propriamente dito, a partir da introdução, incluindo-se os anexos e referências bibliográficas. Isto significa que não devem ser numeradas as partes que contêm listas e resumo, bem como as partes preliminares (dedicatória, agradecimentos, epígrafe, e prefácio). Deve-se ainda, utilizar algarismos arábicos para indicação dos capítulos, partes e divisões. Recomenda-se subdividir, no máximo, até a seção quinária. Exemplo: 1 SEÇÃO PRIMÁRIA 1.1 1.2 Seções secundárias 1.3 1.3.1 1.3.2 Seções terciárias 1.3.3 1.3.3.1 1.3.3.2 Seções quartenárias 1.3.3.3 1.3.3.3.1 1.3.3.3.2 Seções quinárias 1.3.3.3.3 2.5 Ilustrações As ilustrações servem para elucidar, explicar e simplificar o entendimento de um texto. Relacionam-se as ilustrações em listas próprias, logo após o sumário. Devem ser numeradas no decorrer do texto com algarismos arábicos, em uma sequência própria, independente da numeração progressiva ou das páginas da publicação. O título deve ser breve, porém significativo. Devem ser centradas na página e impressas em local tão próximo quanto possível do trecho onde são mencionadas no texto. Quando as ilustrações forem em grande numero e/ou em tamanho maior, podem ser agrupadas no final do trabalho como anexos, mantendo-se a sequência normal na numeração das ilustrações e das páginas. 2.5.1 Gráficos e Figuras Seu título é precedido das palavras GRÁFICO - FIGURA em letras maiúsculas. A citação no texto será pela indicação GRAF. – FIG. , acompanhada do número de ordem a que se refere.
  11. 11. 10 2.5.2 Tabelas Relacionam-se as tabelas em listas próprias, após o sumário, incluindo-se aquelas que foram apresentadas como anexos. Devem ser dotadas de um título claro e conciso localizado acima delas. A citação no texto será pela indicação TAB. São numeradas sequencialmente em todo o trabalho, com algarismos arábicos, segundo a Norma de Apresentação Tabular do IBGE. A disposição dos dados numa tabela deve permitir a comparação e ressaltar as relações existentes, destacando o que se pretende demonstrar. Na construção de uma tabela ou quadro usam-se os seguintes traços: traço duplo horizontal - limitando o quadro. traço simples vertical, separando a coluna indicadora das demais e estas entre si; no corpo da tabela pode ser eliminado desde que o número de colunas seja pequeno e não haja prejuízo na leitura dos dados. No caso de uma linha representar uma soma ou total, deverá ser destacada tipograficamente. O quadro ou tabela não deve ser fechado lateralmente, tampouco se colocam traços horizontais separando os dados numéricos das colunas. 2.5.2.1 Notas de rodapé das tabelas Normalmente as tabelas contêm em sua base algumas notas que podem ser: Nota de fonte: designa a origem dos dados que constam na tabela, devendo indicar autor, data e página. Notas gerais: registram observações ou comentários para conceituar ou esclarecer o conteúdo das tabelas, indicar o critério adotado no levantamento dos dados ou o método de elaboração das estatísticas derivadas. Notas referentes a uma parte específica da tabela: símbolos, fórmulas e outros. Sempre que possível, a tabela deve conter a data em que se colheram os dados. 3 REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA As normas aqui apresentadas são baseadas na norma NBR-6023/2000 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. 3.1 Definição Referência bibliográfica é um conjunto de elementos que permite a identificação, no todo ou em partes, de documentos impressos ou registrados em diversos tipos de material.
  12. 12. 11 3.2 Objetivo Indicar ao leitor quais as obras consultadas pelo autor, em suas pesquisas, para possíveis verificações e ampliação do estudo do assunto. 3.3 REGRAS GERAIS 3.3.1 Obra de dois ou três autores Mencionar os autores na mesma ordem em que constam da publicação, separados por ponto e vírgula. BRAY, J. H.; MAXWELL, S. E. Multivariate analysis of variance. 2.ed. New Delhi: Sage, 1986. 79p. 3.3.2 Obra de mais de três autores Mencionar o autor que aparece em primeiro lugar, seguido da expressão et al (em itálico) OBS.: Em casos específicos, nos quais a menção dos nomes for indispensável mencionam-se todos os autores. PARKER, Richard et al (Orgs). A AIDS no Brasil: 1982-1992. 2.ed. Rio de Janeiro: Relume-Dumara, 1994. 360p. 3.3.3 Obra de responsabilidade de um editor (Ed.), compilador (Comp.), organizador (Org.), coordenador (Coord.). Mencionar o nome seguido da abreviatura pertinente, entre parênteses. MOURA, R.A. (Coord.). Técnicas de laboratório. 3. ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 1987. 78p. 3.3.4 Obra sem autor Entrar pelo título, com a primeira palavra escrita em letras maiúsculas. ESTUDIOS sociodemográficos de pueblos indígenas. Santiago, Chile: CELADE, 1994. 324p.
  13. 13. 12 3.3.5 Obra de autoria de entidade coletiva Mencionar o nome da Instituição em letras maiúsculas, seguido da sigla. ASSOCIATION OF OFFICIAL AGRICULTURAL CHEMISTS - AOAC. Official methods of analysis of AOAC International. 16. ed. Arlington: AOAC International, 1995. 2 v. 3.3.6 Notas especiais São acrescentadas no final das referências bibliográficas: Tese, Tradução, Resumo, Nota de aula, Apostila, Nota de série, etc. GOMES, Gustavo Maia. Desenvolvimento e política regional na união européia. Brasília: IPEA, 1997. 119p. (Texto para discussão, 483). 3.3.7 Documento com mais de um local, editora e data Mencionar o primeiro lugar, a primeira editora e a data mais recente. 3.3.8 Edição Mencionar a partir da segunda. 3.3.9 Dados tipográficos Na ausência de algum dado tipográfico, usar as abreviaturas: Sem local [S.l] Sem editora [s.n.] Sem local e sem editora [s.l.: s.n.]
  14. 14. 13 3.3.10 Data A NBR 6023/2000 recomenda não deixar nenhuma referência sem data. Registrar a data aproximada. Data provável [1981?] Data aproximada [ca.1960] Década certa [197-] Década provável [197-?] Século certo [19--] Século provável [19--?] 3.4 Especificação e ordem dos elementos As especificações a seguir, identificam os elementos das referências bibliográficas e estabelecem uma ordem ou sequência padronizada para sua apresentação. Os elementos para referenciação seguem, em geral, uma única ordem de descrição, embora tenham características próprias quanto a forma de apresentação. 3.4.1 Livros AUTOR. Título; subtítulo. Edição. Local: Editora, data. No de páginas. SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. 3.ed. São Paulo: Hucitec, 1996. 157p. MOURA, Hélio A. de. (Org.). A pesquisa social na Amazônia: avanços, lacunas e prioridades. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 1996. 274p. 3.4.2 Capítulo de livros 3.4.2.1 Autores Diferentes AUTOR DO CAPÍTULO. Título do capítulo. In: AUTOR DO LIVRO. Título do livro. Edição. Local: Editora, ano. cap., páginas inicial-final. AMADEO, Edward; CAMARGO, José Márcio. Instituições e o mercado de trabalho no Brasil. In: CARMARGO, José Márcio (Org.). Flexibilidade do mercado de trabalho no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996. p.47-94
  15. 15. 14 3.4.2.2 Autores Iguais AUTOR DO LIVRO. Título do livro. Edição. Local: Editora, ano. no de páginas. Capítulo. Título do capítulo. Páginas inicial-final. SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. 3.ed. São Paulo: Hucitec, 1996. cap. 11. A organização interna das cidades: a cidade caótica. p.95-97. 3.4.3 Dissertações e teses AUTOR. Título; subtítulo. Ano. No de páginas. Nota de tese ou dissertação. ALVES, José Eustáquio Diniz. Transição da fecundidade e relações de gênero no Brasil. 1994. 298f. Tese (Doutorado em Demografia) – Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1994. 3.4.4 Congressos, Conferências, Encontros NOME DO CONGRESSO, no , ano, local de realização. Título. Local de publicação: Editora, ano. No de páginas ou volumes. ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 10, 1996, Caxambu. Anais. Belo Horizonte: ABEP, 1996. 4v. 3.4.5 Trabalhos apresentados em congressos AUTOR DO TRABALHO. Título. In: NOME DO CONGRESSO, no , ano, Local de realização . Título. Local de publicação: Editora, ano. No de páginas. VASCONCELOS, Ana Maria Nogales. Estatísticas de mortalidade por causas: uma avaliação da qualidade da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 10, 1996, Caxambu. Anais. Belo Horizonte: ABEP, 1996. v.1, p.151-166
  16. 16. 15 3.4.6 Artigo de periódico AUTOR. Título do artigo. Título do periódico, local de publicação, v. , n. , páginas inicial-final, mês e ano. GRAY, H. Peter. The eclectic paradigm: the next generations. Transnational Corporation, New York, v. 5, n. 2, p.51-65, Aug.1996. BRITO, Fausto. Ensaio sobre as migrações internacionais no desenvolvimento do capitalismo. Revista Brasileira de Estudos Populacionais, São Paulo, v.12, n.1-2, p.21-34, jan/dez. 1995 3.4.7 Artigo de jornal AUTOR. Título do artigo. Título do jornal, local, dia, mês, ano. No ou tÍtulo do caderno, seção ou suplemento, páginas inicial-final. NUNES, E. Retrato do nordeste. Estado de Minas, Belo Horizonte, 20 ago.1980. Caderno economia, p.8. FACULDADE pesquisa poder da “Fruta do Lobo”. Hoje em Dia, Belo Horizonte, 14 ago. 1993. Caderno Minas Hoje, p.18. 3.4.8 Portarias, Resoluções ENTIDADE RESPONSÁVEL PELO DOCUMENTO. Tipo do documento, no e data. Dados da publicação onde encontrou o documento. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Portaria n. 1872 de 16 set.1982. Diário Oficial, Brasília, 24 set. 1982. Seção 2, p. 8340-8341. 3.4.9 Patentes NOME E DOMICÍLIO DO DEPOSITANTE, DO INVENTOR E DO TITULAR (con-cessionário ou instituição que colaborou ou patrocinou a invenção e pessoa física ou jurídica, quando houver). Titulo da invenção na língua original. Classificação Internacional de Patentes. Sigla do país seguida do no do depósito, no da publicação e da patente expedida, quando houver. Data do depósito, da publicação do pedido de privilégio e da expedição da carta patente, quando houver. Indicação da publicação onde foi citada a patente.
  17. 17. 16 PRODUTOS ERLAN LTDA, Uberlândia-MG, Paulo César da Fonseca. Ornamentação aplicada a embalagem. C.I.10-3-6. BR n. DI 2300045. 12 set. 1983; 28 maio 1985. Revista da Propriedade Industrial, Rio de Janeiro, n. 762, 28 maio 1985. 3.4.10 Citação de citação AUTOR DA OBRA NÃO CONSULTADA. Título. Edição. Local: Editora, ano. apud Dados da obra consultada com o título em destaque. E também a referência da obra consultada: Obra não consultada MARINHO, P. A pesquisa em ciências humanas. Petrópolis: Vozes, 1980. apud MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982. 157 p. Obra consultada MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982. 157p.
  18. 18. 17 3.5 DOCUMENTOS ELETRÔNICOS Um documento eletrônico nem sempre tem uma versão impressa ou outra forma equivalente, porém, pode ser semelhante a uma publicação impressa. A referenciação do documento eletrônico deve incluir os dados comumente usados para os documentos convencionais, acrescentando-se os específicos que possibilitem sua localização e recuperação, como por exemplo o endereço eletrônico. Os documentos eletrônicos mais comuns são: monografias, bases de dados, softwares, publicações periódicas, mensagens pessoais, documentos da www,, etc. como também em diferentes suportes como, CD-ROM, disquetes e fitas magnéticas. 3.5.1 Documentos disponíveis na Internet 3.5.1.1 Trabalho individual - com indicação de autoria. JONES, Charles L. Was an industrial revolution inevitable? economic growth over the very long Cambridge, 1999. Disponível em: <http://www.nber.org/papers/w7375>. Acesso em: 16 mar. 2001 - sem indicação de autoria MANUAL redação e estilo. São Paulo: O Estado de São Paulo, [1997?]. Disponível em <http://www1.estado.com.br/redac/manual.html> . Acesso em: 19 maio 1999. 3.5.1.2 Autor entidade UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. Núcleo de Processamento de Dados. Cursos oferecidos: julho/outubro 2000. Disponível em <http://www.npd.ufes.br/cursos/default/html >. Acesso em: 30 jun. 2000 3.5.1.3 Parte de um trabalho SILVA, R. N.; OLIVEIRA, R. Os limites pedagógicos do paradigma da qualidade total na educação. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe, 4, 1996, Recife. Anais eletrônicos. Recife, 1996. Disponível em: <http://www.propesq.ufpe.br/anais/anais/htm>. Acesso em: 21 jan. 1998
  19. 19. 18 3.5.1.4 Jornal JORNAL DO CFO, Rio de Janeiro, ano 6, n.20, dez. 1997/jan. 1998. Disponível em <http://www.dfo.org.br> Acesso em: 20 jul. 2000 3.5.1.5 Artigo de jornal - com indicação de autoria DUARTE, Sérgio Nogueira. Língua viva. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 6 ago. 2000. Disponível em: <http://jb.com.br/longua.html>. Acesso em 6 ago. 2000 - sem indicação de autoria PLASTICCULTURA salva lavaouras do frio. Gazeta do Povo, Curitiba, 6 ago. 2000. Seção Economia. Disponível em: <http://www.gazetadopovo.com.br/jornal/economia/index.html>. Acesso em 6 ago. 2000 3.5.1.6 Publicação periódica considerada no todo CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO. Brasília, DF., v.26, n.3, 1997. Disponível em <http://www.ibict.br/cionline/>. Acesso em: 10 abr. 1998. 3.5.1.7 Artigo de periódico - com indicação de autoria SOUZA, Ailton Elisário de. Penhora e avaliação. Dataveni@, Campina Grande, ano 4, n.33, jun. 2000. Disponível em: <http://datavenia.inf.br/frame-artig.html>. Acesso e:31 lul. 2000 - sem indicação de autoria PROCURADORES do caso Eduardo Jorge vão depor no Senado. Veja On- Line, São Paulo, 7 ago. 2000. Notícia Pública. Disponível em <http://www.veja.com.br>. Acesso em 12 ago. 2000. 3.5.1.8 Trabalhos acadêmicos, teses e dissertações HERNANDEZ VERGARA, Walter. Simuluação cognitiva da tomada de decisão em situações complexas: modelagem do raciocínio humano por meio de caso. 1995. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1995. Disponível em <http://www.eps.ufsc.bt/teses/vergara/index/index.html> . Acesso em: 21 jul. 2000
  20. 20. 19 3.5.1.9 Trabalhos apresentados em eventos: FIGUEIREDO, Carlos. A linguagem racista no futebol brasileiro. Trabalho apresentado no IV Congresso Brasileiro de História do Esporte, Lazer e Educação física, Rio de Janeiro, 1998. Disponível em: <http://www.geocities.com/athens/Stux/9231/racismo.html.> Acesso em: 14 abr. 2000 3.5.1.10 Entrevista SQUEIR, C.A [Entrevista publicada em 3 de setembro de 1999, na Internet] Disponível em: <http://www.odontologia.com.br/artigos/squeir- entrevista.html>. Acesso em 4 jul. 2000 3.5.1.11 E-mail MORAFF, Steve. Jongg CD. [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por mtmendes@ism.com.br em 8 jan. 1997. Obs.: Jongg CD é a indicação do assunto da mensagem 3.5.1.12 Lista de discussão LISTA de discussão sobre Biblioteconomia. Disponível em: <biblioteconomia@gripos.com.br>. Acesso em: 20 jun. 2000 3.5.2 Documentos disponíveis em meio magnético 3.5.2.1 Disquetes VEIGA, I.P. A Analisando proposta de cursos de pedagogia. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO, 8, 1996, Florianópolis. Painéis. Florianópolis: ENDIPE, 1996. 6 disquetes 5 ¼. 3.5.2.2 CD-ROM - Trabalho individual com indicação de autoria CYSNE, Marcus Nicodemus. O cavaleiro luminoso. Vitória: EDUFES, 2000. (Disponível em CD-ROM).
  21. 21. 20 sem indicação de autoria ATLAS histórico Isto É Brasil 500 anos: Império. São Paulo: Ed. Três, 1998. (Disponível em CD-ROM). -Eventos considerados no todo CONGRESSO BRASIELIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, 16, 1998, RIO DE Janerio. Alimento, população desenvolvimento. Rio de Janeiro, SBCTA, 1998. (Disponível em CD-ROM). - Trabalhos apresentados em eventos CARNEIRO, F.G. Numerais em esfero-cristais. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PREGRESSO DA CIÊNCIA, 49, 1997, Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1997. (Disponível em CD-ROM). - Periódicos no todos REVISTA NEO CULTURA E LAZER EM CD-ROM, São Paulo, v.4, n.14, 1997. (Disponível em CD-ROM). - Artigos de periódicos - com indicação de autoria MANSUR, G. Cruzando o sertão. Guia da Internet br., Rio de Janeiro, v.3, n.27, ago. 1998. (Disponível em CD-ROM). - sem indicação de autoria O CANTO da sereia. Guia da Internet br., Rio de Janeiro, v.3, n.27, ago. 1998. 1 CD-ROM.
  22. 22. 21 4. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CRUZ, Anamaria da Costa; PEROTA, Maria Luiza Loures Rocha; MENDES, Maria Tereza Reis. Elaboração de referências (NBR6023/200). Rio de Janeiro: Interciência, 2000. 71p. FRANÇA, Júnia Lessa et al. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 4.ed. revista e aumentada. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.
  23. 23. 22 ANEXOS
  24. 24. 23 5.1 Modelo de Capa José Eustáquio Diniz Alves Transição da fecundidade e relações de gênero no Brasil Belo Horizonte, MG UFMG/ Cedeplar 1994 5.2 Modelo de Folha de rosto
  25. 25. 24 José Eustáquio Diniz Alves Transição da fecundidade e relações de gênero no Brasil Tese apresentada ao curso de doutorado do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais, como requisito parcial à obtenção do Título de Doutor em Demografia. Orientador: Profª. Drª. Maria do Carmo Fonseca Belo Horizonte, MG Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional Faculdade de Ciências Econômicas - UFMG 1994
  26. 26. 25 5.3 Encadernação: As Dissertações e Teses defendidas no Cedeplar deverão ser entregues a Secretaria de Cursos encadernadas em couro preto com escritos dourado somente na lombada, conforme modelo abaixo Obs.: Os dados podem ser transcrito na vertical ou horizontal _____________________ _____________________ José Eustáquio Diniz Alves _____________________ _____________________ Transição da fecundidade e relações de gênero no Brasil _____________________ _____________________ TESE UFMG/CEDEPLAR 1994 _____________________ _____________________

×