cinematica do truma

8.619 visualizações

Publicada em

1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.619
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
176
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
264
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

cinematica do truma

  1. 1. Basic life suport
  2. 2. CINEMÁTICA DO TRAUMA Definição - É o estudo dos movimentos dos corpos. Introdução – Estuda como a energia agressora (agente) interage com a vítima. Formas de energia: mecânica ou cinética, térmica, química, elétrica e radiação. Energia mecânica é o agente de lesão mais comum. É o agente dos acidentes automobilísticos, quedas traumatismos fechados e abertos ou explosões. Portanto, conhecendo o mecanismo de trauma, poderemos presumir a gravidade das lesões.
  3. 3. Avaliação da Cena Um socorrista não deve tentar um salvamento a menos que esteja treinado para fazê-lo. Tal exercício mental é uma rápida apreciação dos diferentes fatores que estão relacionados com o próprio acidente e faz-se necessário para que o socorrista possa corretamente decidir sobre as ações de emergência que irá desenvolver.
  4. 4. Suspeita de Traumatismo Grave Quedas > 6 metros; Colisão > 36 Km / hora; Ejeção de veículo; Morte de um ocupante; Danos severos ao veículo.
  5. 5. Os Traumas Podem ser Abertos ou Fechados Nos traumatismos abertos/penetrantes o objeto agressor vence a elasticidade dos tecidos e penetra no corpo. Nos traumatismos fechados o impacto se distribui em uma área mais extensa. Causas mais comuns: impacto direto de objetos em movimentos de aceleração e desaceleração.
  6. 6. Colisões de Veículos Em colisões de veículos o dano irá depender, além da energia cinética, da utilização de equipamentos de segurança tais como: cinto de segurança, air bag, banco com encosto de cabeça, arredondamento do interior do veículo, pára-choque traseiro nos caminhões, freio ABS, capacete, luvas, viseiras, joelheiras.
  7. 7. Quatro formas de acidentes Colisão frontal, em corpo não contido lesões múltiplas (face, cabeça, coluna cervical, tórax, abdome, bacia, todo membro inferior). Colisão lateral, principalmente em cruzamentos e derrapagens lesões no braço, ombro, coluna cervical, órgãos tóraco-abdominais, pelve, MI. - Colisão traseira, mais comum com o veículo parado no sinal. O aumento súbito da aceleração hiperextensão da coluna cervical “efeito chicote”. - Capotagem, não há um padrão das lesões. O ocupante ejetado do veículo tem 25x mais chances de morrer que o não ejetado.
  8. 8. Atropelamentos Nestes, as lesões tendem a ser mais graves por falta de proteção do pedestre. Inexiste a carroceria para absorver parte da energia cinética da colisão. A massa do veículo é tão grande, que ocorre transferência de grande quantidade de energia, mesmo em baixa velocidade.
  9. 9. Mecanismos de lesão Pára-choque atinge o corpo. Corpo acelerado atinge o chão ou outro objeto; Impacto inicial com o corpo; Impacto do corpo com o veículo; Impacto do corpo com o solo.
  10. 10. Padrões de lesão O impacto inicial irá depender do tamanho da vítima (adulto/criança), localização da vítima (via de rolamento ou passeio público), tipo de veiculo. Crianças – lesões de cabeça são comuns pelo fato desta, ser a parte mais pesada do corpo. Adulto – geralmente por acidentes de trabalho; tendem a aterrissar com os pés, caindo para trás com as nádegas, se apoiando com as mãos.
  11. 11. Padrões de lesão Fratura de pés ou pernas; Lesões de quadril e pelve; Compressão axial da coluna lombar e cervical; Lesões de órgãos internos; Fratura de Colles nos punhos.
  12. 12. Ferimentos Penetrantes Por arma de fogo: produz uma cavidade permanente pela passagem do objeto através do corpo. A energia cinética do projétil, afasta os tecidos corporais da sua trajetória.
  13. 13. Ferimentos Penetrantes Classificação dos projéteis quanto a velocidade; Baixa velocidade – todas a armas de mão e alguns rifles. Alta velocidade – AR 15, AK 47, FAL causam mais danos devido à pressão hidrostática. As lesões irão depender da área lesada, tamanho do míssil, deformação deste (bala oca e ponta macia que se achata com o impacto) , movimentação do projétil e uso ou não de colete a prova de balas.
  14. 14. Por Arma Branca Geralmente a lesão produzida equivale ao trajeto do objeto. Ex. faca, estilete, garrafas quebradas, espetos etc. Cuidado especial deverá ser tomado nos ferimentos na zona de transição tóraco-abdominal.
  15. 15. Lesões por explosões principalmente nas guerras, atentados terroristas, acidentes de trabalho. A energia contida no explosivo, é convertida em:luz, causando dano ocular, calor provocando queimaduras e pressão, criando ondas de choque que arremessa objetos, desloca a própria vítima e acarreta aumento súbito de um gradiente de pressão entre o ambiente e o interior do corpo acarretando dano principalmente aos tímpanos e pulmões.
  16. 16. Possíveis traumas
  17. 17. Efeito chicote
  18. 18. Fuzil 5.62
  19. 19. Colisão Lateral

×