46 0676

183 visualizações

Publicada em

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
183
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

46 0676

  1. 1. Murcha do manjericão causada por Fusarium oxysporum f.sp. basilici no Brasil Ailton Reis, Bruno Eduardo C. Miranda, Leonardo S. Boiteux, Gilmar P. Henz Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças (CNPH), Embrapa Hortaliças, CP 218, 70.359-970, Brasília-DF. e-mail: ailton@cnph.embrapa.br RESUMO O manjericão (Ocimum basilicum) é utilizado na culinária ou como matéria prima para a indústria de fármacos e óleos essenciais. Plantas com sintomas de murcha, seca de hastes e podridão de colo foram coletadas em Brazlândia (DF) na estação chuvosa de 2005. Outras duas amostras foram coletadas na região de Ponte Alta (DF). Isolados de um fungo, identificado como Fusarium oxysporum, foram obtidos em todas as amostras. Testes de patogenicidade foram conduzidos com mudas de duas cultivares ('Dark Opal' e 'Italian Large Leaf') e com dois acessos da espécie O. americanum, um de O. campechianum (alfavaca), Origanum manjarona (manjerona), Origanum vulgaris (orégano), Mentha arvensis (menta), Coleus blumei (tapete), Leonorus sibiricus (lavanderia) e Leonotis nepetifolia (cordão-de-frade). Todos os isolados fúngicos mostraram-se altamente virulentos sobre nas duas cultivares de manjericão. Em O. campechianum e O. americanum os isolados causaram apenas suave escurecimento vascular e leve redução de crescimento, sendo avirulentos sobre os demais acessos. Este conjunto de dados indicou que o agente causal da doença é F. oxysporum f. sp. basilici, constituindo-se 1 no primeiro registro formal deste patógeno no Brasil. Palavras-chave: Ocimum basilicum, Fusarium oxysporum f. sp. basilici, etiologia, hospedeiros. ABSTRACT – Fusarium oxysporum f. sp. basilici on sweet basil in Brazil. Sweet basil (Ocimum basilicum) is one of the most economically important species within the family Lamiaceae, being employed mainly as a source of essential oils for the pharmaceutical industry. Samples of plants showing symptoms of wilt, stem blight and collar root rot were collected during the hot rainy season in the rural area of Brazlândia (Federal District, Brazil) in 2005. Two other samples displaying identical symptoms were collected under greenhouse and field conditions in Ponte
  2. 2. Alta (DF). The fungus Fusarium oxysporum was consistently isolated in all samples. Pathogenicity tests were conducted using seedlings and stem cuttings of the O. basilicum cultivars 'Dark Opal' and 'Italian Large Leaf' as well as accessions of O. americanum, O. campechianum, Origanum manjarona, O. vulgaris, Mentha arvensis, Coleus blumei, Leonorus sibiricus and Leonotis nepetifolia. All isolates were highly virulent on O. basilicum cultivars, whereas O. campechianum and O. americanum cultivars reacted with a slight vascular browning and with a very mild reduction in the plant growth rate. All isolates were considered avirulent to O. manjarona, O. vulgaris, M. arvensis, C. blumei, L. sibiricus and L. nepetifolia accessions. The experimental data indicated that the causal agent of this disease is the fungus F. oxysporum f. sp. basilici. This is the first formal report of this pathogen in Brazil. Key-words: Ocimum basilicum, Fusarium oxysporum f. sp. basilici, etiology, host range. INTRODUÇÃO O manjericão é a espécie da família Lamiaceae mais intensamente cultivada. Esta hortaliça foi mais amplamente plantada após a vinda de imigrantes italianos para o Brasil, sendo utilizada como folhas verdes em massas, como condimento para consumo “in natura” e como matéria prima para a indústria de óleos essenciais, extraídos de folhas secas (inteiras ou moídas). A área de cultivo para fornecimento de matéria prima para a indústria farmacêutica e consumo in natura vem expandindo no Brasil. Com o incremento da área plantada, problemas fitossanitários tendem a surgir e/ou se agravar. O objetivo deste trabalho foi estudar a etiologia de uma nova doença do manjericão no Brasil e avaliar espécies de plantas da família Lamiaceae que possam funcionar como potenciais hospedeiras alternativas do patógeno. MATERIAL E MÉTODOS Duas visitas foram feitas em plantios comerciais em Brazlândia (DF). Amostras de plantas de manjericão (cv. Dark Opal -DO) coletadas, apresentando sintomas de murcha, seca de ramos e queda de folhas acompanhadas, algumas vezes, de podridão de colo. Outras duas amostras de manjericão, apresentando sintomas similares, foram coletadas em campo (cv. Italian Large Leaf -ILL) e em uma casa 2
  3. 3. de vegetação (cv. Alfavaca Basilicão) em Ponte Alta (DF). Fungos foram isolados em meio BDA com antibiótico. No teste de patogenicidade foram avaliados os seguintes acessos: manjericão ('DO' e 'ILL'); O. americanum ('CNPH-010'); O. campechianum ('CNPH-008'); Manjerona (Isla Sementes Ltda.), Orégano ('CNPH- 005' e 'CNPH-006'), M. arvensis ('CNPH-022'), tapete (Coleus blumei 'CNPH-023') e das invasoras Leonorus sibiricus (lavanderia) e Leonotis nepetifolia (cordão-de-frade). A porção apical das raízes foi cortada com tesoura e mergulhada (por um minuto) em uma suspensão ajustada para 106 conídios/mL. Após a inoculação, as mudas foram transplantadas para vasos plásticos e mantidas em casa de vegetação. Plantas cujo sistema radicular foi imerso apenas em água esterilizada serviram como controles. A avaliação foi feita aos 21 dias após a inoculação com uma escala variando de 1 = plantas sem sintomas a 5 = plantas mortas. RESULTADOS E DISCUSSÃO A lavoura de manjericão, em fase de início do florescimento, apresentava reboleiras (Figura 1A) com plantas murchas (Figura 1B) ou secas (Figura 1C) e algumas apresentando queda de folhas (Figura 1B e C). Todos os isolados apresentaram características típicas do fungo Fusarium oxysporum, já relatado em manjericão no Brasil (MENDES et al., 2003). No teste de patogenicidade os quatro isolados foram capaz de causar murcha (Figura 1D) e matar a maioria das plantas das cultivares 'Dark Opal' e 'ILL'. A capacidade dos isolados em causar doença em O. basilicum é característica peculiar do fungo F. oxysporum f. sp. basilici (FOB) (KEINATH, 1993). Esta doença é um dos principais problemas em diversos países. No entanto, este é, aparentemente, o primeiro registro formal de FOB no Brasil. Os acessos O. americanum e O. campechianum apresentaram apenas um ligeiro escurecimento vascular. Os outros acessos comportaram-se como não-hospedeiras do patógeno. O orégano e a menta já haviam sido relatados como imunes a um isolado norte-americano de FOB. As espécies C. blumei, L. sibiricus e L. nepetifolia não foram infectadas pelo fungo, sendo de relevância epidemiológica, pois estas espécies são invasoras comuns do cultivo do manjericão. A doença poderá tornar-se importante caso não haja controle da sanidade das sementes importadas e/ou produzidas no Brasil. 3
  4. 4. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS KEINATH, A.P. Pathogenicity and host range of Fusarium oxysporum from sweet basil and evolution of disease control. Plant Disease, St. Paul, v. 78, n.12, p.1211- 1215, 1994. MENDES, M.A.S.; VIEIRA, R.F.; OLIVEIRA, A.S.; SANTOS, J.K.P. Murcha de Fusarium em manjericão no DF. Fitopatologia Brasileira, Fortaleza, v. 28, p.S219- S220, 2003. Figura 1. Sintomas da murcha-de-fusário em manjericão: A = Reboleira com plantas murchas, B = Planta murcha, C = Planta desfolhada e seca e D = Planta murcha após teste de patogenicidade. 4 A D B C

×