10a aula

1.569 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.569
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
135
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

10a aula

  1. 1. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA 10ª Aula: Propagaçao Assexuada: Enxertia 2a Parte: Tipos de enxertia
  2. 2. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Obtenção do Porta-Enxerto Sementes Propagação assexuada Sementes Facilidade de obtenção de um grande número de plantas Plantas sadias e vigorosas Tipo de sistema radicular Pouca exigencia em tratos culturais Baixo Custo Desvantagem: Grande desuniformidade (Por que?)
  3. 3. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Propagação Assexuada Mantem as características genéticas da planta-matriz Plantas uniformes Custo elevado Estaquia, mergulhia, microestacas A escolha depende: Facilidade de obtenção das sementes Capacidade de enraizamento Variabilidade genética custo sucetibilidade a pragas e doenças
  4. 4. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Tipos de enxertia: Borbulhia: T Normal T Invertido Placa ou escudo Anel Gema com lenho Garfagem Fenda cheia Fenda simples Fenda dupla Encostia Lateral simples Lingueta ou lateral inglesa Topo
  5. 5. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Borbulhia Borbulha: gema com pedaço de casca T Normal; diâmetro porta-enxerto: 6 a 8 mm incisão na forma de T altura do corte: 5 a 23 cm do solo corte so da casca que será desprendida do lenho gema com a casca sem o lenho Cuidados com a oxidação e desidratação no corte do porta enxerto
  6. 6. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Borbulhia em T normal Retirada da borbulha Corte em T Abertura da janela Encaixe da borbulha Amarrio do enxerto
  7. 7. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Borbulhia em T invertido: Difere da anterior apenas na posição do corte horizontal
  8. 8. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Borbulhia em placa ou escudo Utilizado em espécies que apresentam casca grossa ( goiabeira) Porta enxerto com diâmetro de 15 a 25 mm
  9. 9. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Borbulhia em anel Borbulhia de gema com lenho Utilizada quando a casca não se desprende facilmente, dificultando a enxertia em T. Retira-se a gema com uma porção de lenho, a qual é introduzida no porta-enxerto em uma incisão de mesmo tamanho da borbulha .
  10. 10. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Enxertia por garfagem Quando o enxerto consiste em um garfo, ou segmento de ramo contendo duas ou mais gemas. Tipos: Fenda cheia:
  11. 11. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Fenda Simples ou ingles simples
  12. 12. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Fenda dupla ou ingles complicado
  13. 13. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Enxertia Por Encostia União lateral de plantas com sistemas radiculares diferentes, Após a união do enxerto, separar uma das plantas do seu sistema radicular e a outra, da sua parte aérea Tem pouco uso em nível comercial .T ipos: Encostia Lateral
  14. 14. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Encostia em lingüeta Encostia de topo:
  15. 15. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Tipos de Enxertia quanto a época de realização Enxertia de inverno: Plantas estão no período de repouso vegetativo, característico em espécies de clima temperado. Mais comum garfagem, embora possa também ser utilizada a borbulhia em placa. Por se trabalhar, normalmente, com tecidos mais lignificados, o risco de desidratação é menor, ocasionando bons índices de pegamento Enxertia de primavera-verão: Realizada no período de crescimento vegetativo intenso. Como as células estão em plena atividade metabólica e . mitótica, os tecidos cicatrizam com mais facilidade Bom e rápido pegamento. Maior facilidade em se desprender a casca para introdução da gema.
  16. 16. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Enxertia de verão-outono: Enxertia de gema dormente Este tipo de enxertia é adotado quando os porta-enxertos não atingem diâmetro suficiente para a enxertia de primavera-verão.
  17. 17. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Formas especiais de enxertia Sobre-enxertia, porta-enxerto é uma planta adulta, útil em casos em que a copa foi seriamente danificada por pragas ou doenças, necessidade de troca da cultivar-copa falta de plantas polinizadoras em um pomar. Normalmente é feita por garfagem (fenda cheia ou fenda dupla), substituindo total ou parcialmente a copa. é possível produzir em uma mesma planta, diferentes cultivares
  18. 18. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Formas especiais de enxertia Interenxertia enxerto intermediário entre o porta-enxerto e o enxerto, garfagem. Usado quando enxerto e o porta-enxerto são incompatíveis entre si, devendo-se utilizar um interenxerto compatível com ambos, E quando há necessidade de controlar o vigor da copa devido ao porta-enxerto induzir elevado vigor
  19. 19. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Formas especiais de enxertia Sub-enxertia, Realizada quando houve um dano significativo no sistema radicular da planta. Consiste em se enxertar, na copa, um novo porta-enxerto, Garfagem, especialmente de fenda dupla, é o sistema mais adotado neste caso.
  20. 20. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA

×