Transicao

1.339 visualizações

Publicada em

Participe no estudo mensal: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/a-transicao-o-que-pode-nos-acontecer-no-momento-da-morte

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.339
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
49
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Transicao

  1. 1. Passagem da vida corpórea à vida espiritual
  2. 2. Muitas pessoas não temem propriamente amorte, o que temem é o momento da transição. Sofreremos ou não ao fazer essa passagem?
  3. 3. Ao vermos a tranquilidade de algumas mortes e as terríveis convulsões da agonia em outras, jápodemos perceber que as sensações não são sempre as mesmas.
  4. 4. A matéria inerte é insensível.Só a alma experimenta as sensações de prazer e dor.
  5. 5. Durante a vida qualquer desagregação da matéria repercute na alma através de uma impressão mais ou menos dolorosa.É a alma que sofre e não o corpo, pois esse é apenas o instrumento da dor e a alma o paciente.
  6. 6. Após a morte, estando o corpo separado da alma, pode serlivremente mutilado que nada sente. A alma, estando isolada do corpo não é atingida por nenhum efeito da destruição deste.
  7. 7. Durante a vida, o fluido perispiritual impregna todo o corpo, servindo de veículo das sensações físicas para a alma.É também por esse intermediário que a alma age sobre o corpo e dirige os seus movimentos.
  8. 8. A extinção da vida orgânica produz a separação da alma e do corpo pelorompimento da ligação fluídica, mas essa separação nunca se verifica de maneira brusca.
  9. 9. O fluido perispiritual se desprende poucoa pouco de todos os órgãos, de maneira que a separação só se completaquando não resta mais um único átomo do perispírito unido a uma molécula do corpo.
  10. 10. A sensação dolorosa que a almaexperimenta nesse momento está na razão da quantidade de pontos decontato existentes entre o corpo e operispírito, determinando a maior ou menor dificuldade ou a lentidão da separação
  11. 11. Se no momento da extinção da vida orgânica o desprendimento do perispírito já se tiver completado, aalma não sentirá absolutamente nada.
  12. 12. Se nesse momento a união dos dois elementos aindaestiver em toda a sua força, se verificará uma espécie de ruptura.
  13. 13. Se a união já estiverenfraquecida, aseparação será fácil e se dará sem choque.
  14. 14. Se, após a completa extinção da vidaorgânica ainda existirem numerosos pontos de contato entre o corpo e o perispírito, a alma poderá sentir os efeitos da decomposição do corpo até que asligações sejam completamente rompidas.
  15. 15. O sofrimento que acompanha a mortedecorre do estado de aderência do espírito ao corpo e tudo o que possa facilitar a diminuição desse estado e acelerar a separação, torna a passagem menos penosa.
  16. 16. É sobretudo nos casos de suicídio que essasituação se faz penosa. O corpo continuando ligado ao perispírito por todas as suas fibras, faz que repercutam na alma todas assuas convulsões, produzindo-lhes sofrimentos atrozes.
  17. 17. A presteza do desprendimento depende do grau de desenvolvimento moral do espírito.
  18. 18. O amor cobre amultidão de pecados.

×