PROJETO SAÚDE NA ESCOLAAlessandra Martins de Souza – Supervisora de Alimentação Escolar; Jacqueline M.Laranjeira Pinto – N...
formando seus hábitos alimentares, sendo possível capacitá-los para escolhas alimentaressaudáveis. Porém também deve envol...
cujos filhos encontram-se na classificação de risco na avaliação nutricional (magreza,sobrepeso e obesidade).       Foi um...
Bolacha                       96                      11,88 %                Salsicha                      84             ...
Foto 4: Ação educativa                                                                         realizada    com     os    ...
Conclusão        A equipe técnica concluiu que o levantamento dos dados antropométricos dascrianças foi de grande importân...
PROJETO SAÚDE NA ESCOLAAlessandra Martins de Souza – Supervisora de Alimentação Escolar; Jacqueline M.Laranjeira Pinto – N...
peso e circunferência abdominal), 19% apresentou sobrepeso, 9.8% obesidade, 3.5%obesidade grave, 0.7% magreza e 0,15% magr...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resumo FENERC 2012 - Santo André 2

646 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Resumo FENERC 2012 - Santo André 2

  1. 1. PROJETO SAÚDE NA ESCOLAAlessandra Martins de Souza – Supervisora de Alimentação Escolar; Jacqueline M.Laranjeira Pinto – Nutricionista; Simone de Cássia Barbosa Genaro - Nutricionista; CássiaCristina Motta dos Santos, Claudia Cecconi Pellegrini, Irany Rodrigues Maciel, ValquíriaAraújo Santos, Vanderli Rodrigues de Limas – Orientadoras de merenda; Juliana Aloise LaSerra, Karine Sales, Marjorie Monteiro Martins, Susana Santiago – Estagiárias de Nutrição.Introdução Conhecer o estado nutricional e os hábitos alimentares da população é defundamental importância para o planejamento de ações educativas de promoção de umaalimentação saudável. E este foi o objetivo do Projeto Saúde na Escola, aplicado em cincoEmeief´s (Escolas Municipais de Educação Infantil e Ensino Fundamental) da cidade deSanto André, que por meio de coleta e tabulação dos dados dos alunos, traçou o perfilnutricional dos mesmos, usando-os como base para as ações educativas, com orientaçõespara uma alimentação adequada, juntamente com a prática de exercícios físicos parapromoção de uma vida saudável.Materiais e métodos Iniciado em 2011, o Projeto Saúde na Escola foi realizado com a parceria daSecretaria da Educação, Secretaria da Saúde e Craisa, envolvendo médicos, nutricionistase estagiárias de Nutrição. Consistiu na avaliação do estado nutricional de 2561 escolares doEnsino Fundamental de cinco Emeief´s, sendo elas: Elaine Cena, Machado de Assis, CoraCoralina, Dom Jorge Marcos de Oliveira e Chico Mendes. Em junho encerrou-se a coleta dos dados de peso, altura e circunferência abdominalde todas as crianças, realizada pela equipe da Secretaria da Saúde e Craisa e feita atabulação dos dados pela Secretaria da Saúde, utilizando o Software da OMS (OrganizaçãoMundial da Saúde) Anthro Plus que avalia o estado nutricional de crianças de cinco a 19anos. Após a obtenção dos resultados (quadro na página cinco), os alunos que obtiveramdiagnóstico de magreza, sobrepeso e obesidade foram encaminhados para consulta compediatra e nutricionista, sob responsabilidade da Secretaria da Saúde. A aplicação deatividades educativas em alimentação e nutrição, foi desenvolvida pela equipe técnica daCraisa e realizadas com os professores, pais e alunos das Emeief´s Elaine Cena ChavesMaia, Machado de Assis e Dom Jorge Marcos de Oliveira. A Educação Nutricional temresultados positivos, principalmente quando desenvolvida com crianças, pois ainda estão 1
  2. 2. formando seus hábitos alimentares, sendo possível capacitá-los para escolhas alimentaressaudáveis. Porém também deve envolver a família e os educadores, pois existem fatoresque condicionam o comportamento alimentar, portanto a Educação Nutricional deve sermultifatorial.1) Atividades desenvolvidas com os professores: Foi solicitado aos professores exporem suas opiniões nos questionamentos abaixo,para que de acordo com suas respostas fosse possível embasar a linha de trabalho.1) “A Educação Nutricional é um método de aprendizagem em que as crianças podemaprender e adquirir uma alimentação adequada resultando em uma melhor condição desaúde, que está diretamente ligada à redução da incidência de doenças na idade adulta.”Com base no texto acima, qual é a sua opinião sobre o papel do professor na formação dosbons hábitos alimentares das crianças?2) Utilize o espaço abaixo para expor suas dúvidas e/ou sugestões sobre o tema:Alimentação e Nutrição. Realizaram-se encontros com 84 professores, onde a equipe de Nutrição daSupervisão de Alimentação Escolar apresentou para o grupo os resultados obtidos na coletade dados antropométricos das crianças das escolas envolvidas no Projeto. Através destes resultados, a equipe discorreu sobre temas envolvidos comAlimentação e Nutrição e o Programa de Alimentação Escolar, procurando esclarecerpossíveis dúvidas expostas no preenchimento do questionário. O objetivo deste encontro, além de passar informações sobre alimentação e nutrição,foi envolvê-los no processo de educação nutricional continuada, a fim de que sejammultiplicadores dessas informações às crianças e à comunidade. Foto 1: Encontro com os professores da Emeief Dom Jorge.2) Atividade desenvolvida com os pais – “Venha conhecer a Cozinha Central”. Esta atividade foi realizada a partir de um convite para os pais dos alunos visitarem aCozinha Central. Sendo de grande importância incentivar a participação daqueles pais 2
  3. 3. cujos filhos encontram-se na classificação de risco na avaliação nutricional (magreza,sobrepeso e obesidade). Foi uma visita diferenciada realizada com 20 pais de alunos, pois além de possibilitarque conheçam o local onde a alimentação escolar é preparada, o grupo também realizoudegustação de preparações nutritivas alternativas (bolo nutritivo de abobrinha, suco de limãocom inhame e chá de maracujá) seguido de palestra sobre o tema Alimentação Saudável naInfância. Foto 2: Visita realizada à Cozinha Central com os pais dos alunos da Emeief Machado de Assis.3) Atividades desenvolvidas com os alunos. Foram realizadas atividades de educação nutricional com aproximadamente 1675crianças que participaram da coleta de dados para o Projeto Saúde na Escola, desenvolvidaem duas etapas:a) As crianças foram convidadas em sala de aula a desenvolverem a ação “prato e copo”,utilizando panfletos, revistas ou desenhando os alimentos que mais gostam de comer ebeber, com o objetivo de conhecer suas preferências e aversões alimentares, sendoextremamente importante para a realização das atividades educativas relacionadas àAlimentação Saudável. Assim, pudemos direcionar as atividades desenvolvidas de acordocom os principais hábitos alimentares desta população, visando que estes sejammodificados de forma positiva. Foram recolhidos 808 desenhos e feita a contagem dosalimentos mais relevantes. Segue o resultado em números e porcentagem no quadroabaixo: Alimento Quantidade Porcentagem Salada 338 41,83 % Suco 319 39,48 % Refrigerante 304 37,62 % Frutas 292 36,13 % Doces 228 28,21 % Batata frita 160 19,80 % Pizza 111 13,73 % 3
  4. 4. Bolacha 96 11,88 % Salsicha 84 10,39 % Salgadinho 69 8,53 % Lanches 66 8,16 % Água 62 7,67 % “Nuggets” 52 6,43 % Bebida alcoólica 32 3,96 % Energético 02 0,24 % Foto 3: Atividades feitas pelos alunos da Emeief Elaine Cena Chaves Maia.b) Com este material, a equipe técnica da Alimentação Escolar desenvolveu atividadeseducativas discutindo sobre os desenhos feitos pelos alunos abordando a PirâmideAlimentar e sua importância para manter uma alimentação equilibrada juntamente com aprática de exercícios, visando uma vida saudável. Foi utilizada uma pirâmide em madeira e os alimentos eram colocados conforme aexplicação da equipe quanto à função, importância e quantidade de cada grupo alimentar.Também foi citada a importância da água e da prática de atividade física diariamente. Apósa ação educativa os alunos degustaram o suco de limão com inhame e receberam ummarcador de páginas com a pirâmide alimentar. Também foi utilizada a atividade “Trem Colorê” para as crianças de quatro a cincoanos da Emeief Dom Jorge, que enfatiza a importância dos três grupos alimentares paramanter uma alimentação equilibrada. Sendo representada por um trenzinho, que nãoconsegue andar se os três vagões (cada um representando um grupo: energético, construtore regulador) não estiverem completos e ligados. Após a ação educativa as crianças tambémdegustaram o suco de limão com inhame e receberam um desenho de alimentos paracolorir. 4
  5. 5. Foto 4: Ação educativa realizada com os alunos da Emeief Dom Jorge e Elaine Cena. Resultados e discussões No quadro abaixo, seguem os resultados obtidos através da tabulação de dados realizada no Software da OMS Anthro Plus: Magreza Obesidade Escola Magreza Eutrofia Sobrepeso Obesidade acentuada grave Elaine Cena 01 04 227 85 46 29 Cora Coralina 0 0 442 121 58 18 Chico Mendes 01 02 238 53 35 06Machado de Assis 01 09 473 119 59 20 Dom Jorge 01 03 332 109 52 17 TOTAL 04 18 1712 487 250 90 Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - 2011) mostram que em 20 anos houve aumento da obesidade entre as crianças de cinco a nove anos de 4,1% para 16,6% entre os meninos e de 2,4% para 11,8% entre as meninas, com maior prevalência na região Centro-Sul. Isso também foi notado no Projeto, pois dentre o total de crianças, 19% apresentou sobrepeso, 9.8% obesidade e 3.5% obesidade grave. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde - 1998), o excesso de peso é determinado por um conjunto de fatores que constitui o modo de vida das populações modernas que consomem cada vez mais alimentos processados, energeticamente densos e ricos em açúcares, gorduras e sódio com uma quantidade de calorias consumidas além da necessidade individual, associados à baixa atividade física. O mesmo estudo mostra que houve grande redução da desnutrição infantil, o que também foi notado no Projeto, onde apenas 0,7% das crianças apresentaram magreza e 0,15% magreza acentuada. 5
  6. 6. Conclusão A equipe técnica concluiu que o levantamento dos dados antropométricos dascrianças foi de grande importância para embasar as ações de educação nutricional. E com essas ações educativas aplicadas, foi possível alcançar aproximadamente1675 alunos, sendo visto que a maioria deles compreenderam as informações que lhesforam passadas. Notamos que as crianças se interessavam, pois expressavam suasexperiências e hábitos alimentares, e questionavam se eram corretos ou não. E acreditamosque as ações tenham auxiliado na melhora dos hábitos alimentares tanto dos alunos, comode seus familiares, com a expectativa de que compartilharam tudo o que aprenderam,tornando-se multiplicadores da mesma.Referências bibliográficasBERNART, Aline e ZANARDO, Vivian P. Skzypek. Educação Nutricional para Criançasem escolas Públicas de Erechim/RS. Vivências, v. 7, n. 13, p. 71-79, outubro 2011.BRASIL. Resolução / FNDE / CD / Nº 38, de 16 de julho de 2009.BRASIL. Lei Nº 11.947, de 16 de junho de 2009.MARIN, Tatiana; BERTON, Priscila e SANTO, Larissa Kelen Rossi do Espírito. EducaçãoNutricional e Alimentar: por uma correta formação dos hábitos alimentares.Fapciência, Apucarana, v. 3, n. 7, p. 72-78, 2009.Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 - Antropometria e estado nutricional decrianças, adolescentes e adultos no Brasil. IBGE. [online] Disponível em www.url:http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1699&id_pagina=1. Arquivo capturado em 16 de dezembro de 2011.PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRÉ. Avaliação do estado nutricional e daalimentação dos escolares da rede municipal de ensino de Santo André. Santo André,2011.PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRÉ. Projeto intersetorial de atendimentonutricional ao obeso nos níveis de atenção primária, secundária e terciária nomunicípio de Santo André. Santo André, 2012. 6
  7. 7. PROJETO SAÚDE NA ESCOLAAlessandra Martins de Souza – Supervisora de Alimentação Escolar; Jacqueline M.Laranjeira Pinto – Nutricionista; Simone de Cássia B. Genaro - Nutricionista; Cássia CristinaM. dos Santos, Claudia C. Pellegrini, Irany R. Maciel, Valquíria Araújo Santos, VanderliRodrigues de Limas – Orientadoras de merenda; Juliana Aloise La Serra, Karine Sales,Marjorie Monteiro Martins, Susana Santiago – Estagiárias de Nutrição.Introdução Conhecer o estado nutricional e os hábitos alimentares da população é defundamental importância para o planejamento de ações educativas de promoção de umaalimentação saudável. E este foi o objetivo do Projeto Saúde na Escola, aplicado em cincoEmeief´s (Escolas Municipais de Educação Infantil e Ensino Fundamental) da cidade deSanto André, que por meio de coleta e tabulação dos dados dos alunos, traçou o perfilnutricional dos mesmos, usando-os como base para as ações educativas, com orientaçõespara uma alimentação adequada, juntamente com a prática de exercícios físicos parapromoção de uma vida saudável.Materiais e métodos Primeiramente foi feita coleta e tabulação dos dados dos alunos, e através doSoftware da OMS Anthro Plus foi obtido o estado nutricional de cada um. Com base nestesresultados foram aplicadas, nas Emeief´s Elaine Cena, Machado de Assis e Dom Jorge,atividades educativas em alimentação e nutrição desenvolvidas pela equipe técnica daCraisa e realizadas com os professores, através de questionário escrito e palestraenvolvendo alimentação e nutrição e o Programa de Alimentação Escolar; com os pais,realizando visita à Cozinha Central para conhecer os processos de preparação daalimentação escolar, seguida de palestra sobre alimentação saudável na infância; e com osalunos, que foram convidados a realizar a atividade prato e copo, onde compartilharam suaspreferências alimentares e participaram da atividade sobre a Pirâmide dos Alimentos.Resultados e discussões Dados da POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares – 2008/2009) mostram que noBrasil, das crianças de cinco a nove anos, 14.3% são obesas, 33.5% estão com excesso depeso e que a desnutrição diminuiu mais da metade do ano de 1974/75 para 2008/09.Notamos que isso foi refletido no Projeto, pois dentre as 2561 crianças medidas (altura, 7
  8. 8. peso e circunferência abdominal), 19% apresentou sobrepeso, 9.8% obesidade, 3.5%obesidade grave, 0.7% magreza e 0,15% magreza acentuada.Conclusão A equipe técnica concluiu que o levantamento dos dados antropométricos dascrianças foi de grande importância para embasar as ações de educação nutricional. E com essas ações educativas aplicadas, foi possível alcançar aproximadamente1675 alunos, sendo visto que a maioria deles compreenderam as informações que lhesforam passadas. Notamos que as crianças se interessavam, pois expressavam suasexperiências e hábitos alimentares, e questionavam se eram corretos ou não. E acreditamosque as ações tenham auxiliado na melhora dos hábitos alimentares tanto dos alunos, comode seus familiares, com a expectativa de que compartilharam tudo o que aprenderam,tornando-se multiplicadores da mesma. 8

×