CHARTIER Aula 8 Profa.  Sandra Rebel Gomes <ul><li>CHARTIER, Roger. Prólogo: a revolução das revoluções? In: _______ A ave...
Apontamentos para a discussão dos capítulos:  CHARTIER, Roger. Prólogo: a revolução das revoluções? In: _______ A aventura...
O Volumen e o manuscrito <ul><li>O volumen é substituído pelo códex, que era uma compilação de páginas, não mais um rolo. ...
Revolução de Gutenberg <ul><li>Em meados da década de 1450 só era possível reproduzir um texto copiando-o à mão; </li></ul...
<ul><li>Em  1445   Johannes  Gutenberg  projetou um novo tipo de  prensa , baseado naquelas usadas para espremer  uvas . P...
Trajano, Imperador (98-117 dC) <ul><li>Ao se tornar imperador, fez duas guerras contra os Dácios, foi vitorioso e incorpor...
&quot;A Coluna Trajana:  documento de uma  guerra no Império Romano&quot; <ul><li>Comemorando suas vitórias sobre os dácio...
A Coluna Trajana: a dimensão da documentação
<ul><li>Escolástica -  A Escolástica (ou Escolasticismo) é uma linha dentro da filosofia medieval, de acentos notadamente ...
Texto eletrônico:   Universalidade  e Interatividade <ul><li>O  Iluminismo , ou  esclarecimento , foi um movimento intelec...
A Enciclopédia A figura do centro representa a verdade – rodeada por luz intensa (o símbolo central do iluminismo). Duas o...
A Enciclopédia “ Nos projetos enciclopédicos havia a idéia de organização, da classificação e da ordem. Também aí, graças ...
Texto eletrônico:   Universalidade  e Interatividade <ul><li>Immanuel Kant  ( 22 de Abril  de  1724  -  12 de Fevereiro  d...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A8 Chartier Prologo E Ult Capitulo

2.019 visualizações

Publicada em

Aula apresetada pela prof. Sandra Reber - Fontes Bibliográficas II/GCI/UFF

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.019
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
30
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
36
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A8 Chartier Prologo E Ult Capitulo

  1. 1. CHARTIER Aula 8 Profa. Sandra Rebel Gomes <ul><li>CHARTIER, Roger. Prólogo: a revolução das revoluções? In: _______ A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1998. p.7-20 </li></ul><ul><li>CHARTIER, Roger. O numérico como sonho de universal. In: _______ A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1998. p.132-155 </li></ul>
  2. 2. Apontamentos para a discussão dos capítulos: CHARTIER, Roger. Prólogo: a revolução das revoluções? In: _______ A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1998. p.7-20; CHARTIER, Roger. O numérico como sonho de universal. In: _______ A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1998. p.132-155; Leitura complementar: CHARTIER, Roger. Do codige ao monitor: A trajetória do escrito. Estudos Avançados, v.8,n.2,1994.p.185-199.
  3. 3. O Volumen e o manuscrito <ul><li>O volumen é substituído pelo códex, que era uma compilação de páginas, não mais um rolo. O volumen era desenrolado conforme ia sendo lido, e o texto era escrito em colunas na maioria das vezes. </li></ul><ul><li>O códex surgiu entre os gregos, mas foi aperfeiçoado pelos romanos nos primeiros anos da Era Cristã . A consolidação do códex acontece em Roma. O uso do formato códex (ou códice) e do pergaminho era complementar, pois era muito mais fácil costurar códices de pergaminho do que de papiro. </li></ul><ul><li>A característica mais marcante da Idade Média é o surgimento do monges copistas, homens dedicados em período integral a reproduzir as obras, herdeiros dos escribas egípcios ou dos ''libraii'' romanos. Nos monastérios era conservada a cultura da Antiguidade </li></ul>Wikipédia - http://pt.wikipedia.org
  4. 4. Revolução de Gutenberg <ul><li>Em meados da década de 1450 só era possível reproduzir um texto copiando-o à mão; </li></ul><ul><li>No Ocidente, em 1455 , Johannes Gutenberg inventa a imprensa com tipos móveis reutilizáveis, o primeiro livro impresso nessa técnica foi a Bíblia em latim </li></ul>Incunábulo é um livro impresso nos primeiros tempos da imprensa com tipos móveis , não escrito à mão. O termo vem do Latim incunabulu , &quot;berço&quot;. Wikipédia - http://pt.wikipedia.org
  5. 5. <ul><li>Em 1445 Johannes Gutenberg projetou um novo tipo de prensa , baseado naquelas usadas para espremer uvas . Preparou uma tinta especial, à prova de borrões. Esse sistema operacional de impressão funcionou tão bem que perdurou praticamente inalterado até 1811 , quando outro alemão, Friedrich Koenig , substituiu a mesa de pressão por um cilindro com accionamento a vapor e capaz de imprimir a fantástica tiragem de 1.100 cópias por hora; </li></ul><ul><li>a partir do século XVIII , foi usada para imprimir jornais, então os únicos veículos jornalísticos existentes </li></ul>Revolução de Gutenberg Wikipédia - http://pt.wikipedia.org <ul><li>Tipografia (do grego typos - &quot;forma&quot; - e graphein - &quot;escrita&quot;) </li></ul>
  6. 6. Trajano, Imperador (98-117 dC) <ul><li>Ao se tornar imperador, fez duas guerras contra os Dácios, foi vitorioso e incorporou a Dácia ao Império Romano como província. </li></ul><ul><li>Construiu o Fórum Trajano e sua coluna. Fundou também a Biblioteca Ulpia. No fórum situavam-se a Basílica Ulpia (um tribunal de justiça)e 2 bibliotecas, uma de obras latinas e outra de obras gregas. </li></ul>
  7. 7. &quot;A Coluna Trajana:  documento de uma guerra no Império Romano&quot; <ul><li>Comemorando suas vitórias sobre os dácios, a Coluna Trajana ainda existe. </li></ul><ul><li>Sua forma espiralada lembra um pergaminho desenrolado: Volumen – a forma primitiva do livro na Antiguidade Romana. </li></ul><ul><li>É como se as pessoas “lessem” a narrativa sobre as duas guerras contra os dácios. Na parte de baixo da coluna, as espirais são mais estreitas. Mais acima, as figuras ficam maiores para facilitar a leitura. Das 2 bibliotecas podia-se ter uma ótima visão da coluna. </li></ul>Coluna Trajana. Roma. A.D. 106-113 http://www.stoa.org/trajan/ Harvey, P. Dicionário Oxford de Literatura Clássica e Latina.
  8. 8. A Coluna Trajana: a dimensão da documentação
  9. 9. <ul><li>Escolástica - A Escolástica (ou Escolasticismo) é uma linha dentro da filosofia medieval, de acentos notadamente cristãos, surgida da necessidade de responder às exigências da fé, ensinada pela Igreja. A questão chave que vai atravessar todo o pensamento escolástico é a harmonização de duas esferas: a fé e a razão. O pensamento de Agostinho , mais conservador, defende uma subordinação maior da razão em relação à fé, enquanto que a linha de Tomás de Aquino defende uma certa autonomia da razão na obtenção de respostas, por força da inovação do aristotelismo, apesar de em nenhum momento negar tal subordinação da razão à fé. </li></ul><ul><li>Samizdat - era uma prática em tempos da União Soviética destinada a evitar a censura imposta pelos governos dos partidos comunistas nos países do Bloco oriental . Mediante esta prática, indivíduos e grupos de pessoas copiavam e distribuíam clandestinamente livros e outros bens culturais que haviam sido proibidos pelo governo </li></ul><ul><li>Solipsismo - Solipsismo (do latim &quot;solu-, «só» +ipse, «mesmo» +-ismo&quot;.) é a crença filosófica de que, além de nós, só existem as nossas experiências . O solipsismo é a consequência extrema de se acreditar que o conhecimento deve estar fundado em estados de experiência interiores e pessoais, não se conseguindo estabelecer uma relação direta entre esses estados e o conhecimento objetivo de algo para além deles. </li></ul>Alguns termos
  10. 10. Texto eletrônico: Universalidade e Interatividade <ul><li>O Iluminismo , ou esclarecimento , foi um movimento intelectual surgido na segunda metade do século XVIII (o chamado &quot;século das luzes&quot;) que enfatizava a razão e a ciência como formas de explicar o universo ; </li></ul><ul><li>O nome se explica porque os filósofos da época acreditavam estar iluminando as mentes das pessoas. É, de certo modo, um pensamento herdeiro da tradição do Renascimento e do Humanismo por defender a valorização do Homem e da Razão </li></ul><ul><li>O Iluminismo foi mais intenso na França, onde influenciou a Revolução Francesa através de seu lema: Liberdade, igualdade e fraternidade. </li></ul>Wikipédia - http://pt.wikipedia.org
  11. 11. A Enciclopédia A figura do centro representa a verdade – rodeada por luz intensa (o símbolo central do iluminismo). Duas outras figuras à direita, a razão e a filosofia, retiram o manto sobre a verdade Frontispício da Encyclopédie (1772) Encyclopédie foi uma das primeiras enciclopédias , tendo sido publicada em França no século XVIII . Os volumes finais foram publicados em 1772 . Contou com a participação de mais de 130 contribuidores: Jean le Rond d'Alembert e Denis Diderot Wikipédia - http://pt.wikipedia.org Capa da Encyclopédie
  12. 12. A Enciclopédia “ Nos projetos enciclopédicos havia a idéia de organização, da classificação e da ordem. Também aí, graças aos instrumentos de pesquisa existentes nos textos, nas imagens ou nos sons eletrônicos, estas funções são bem mais seguras que /.../ as das árvores enciclopédicas como a que abre o “Tableau des connaissances”. A Encyclopédie continha uma taxonomia do conhecimento humano que era inspirada no &quot;Advancement of Knowledge&quot; de Francis Bacon Wikipédia - http://pt.wikipedia.org Bacon propõe a classificação das ciências em três grupos: a poesia ou ciência da imaginação; história ou ciência da memória; filosofia ou ciência da razão. Chartier,R. “A aventura do Livro: do leitor ao navegador”.
  13. 13. Texto eletrônico: Universalidade e Interatividade <ul><li>Immanuel Kant ( 22 de Abril de 1724 - 12 de Fevereiro de 1804 ) : &quot; O Iluminismo é a saída do ser humano do estado de não-emancipação em que ele próprio se colocou. Não-emancipação é a incapacidade de fazer uso de sua razão sem recorrer a outros”. </li></ul><ul><li>“ O sonho de Kant era que cada um fosse ao mesmo tempo leitor e autor, que emitisse juízos sobre as instituições e que, ao mesmo tempo, pudesse refletir sobre o juízo emitido pelos outros. </li></ul><ul><li>CiberCiência A utilização de linguagens não verbais pode constituir o veículo mais eficaz em situações de criação e transmissão de conhecimento. Procura-se, por isso, mostrar como o meio digital se presta a nova formas de aprendizagem pelo recurso, por exemplo, a videoclips, a modelos tridimensionais ou a novos modelos de transmissão da informação científica. </li></ul>Chartier,R. “A aventura do Livro: do leitor ao navegador”. São Paulo: UNESP, 1998. http://www.ciberscopio.net/

×