1 locaçao de edificaçoes

736 visualizações

Publicada em

p1raquel

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
736
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
80
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1 locaçao de edificaçoes

  1. 1. LOCAÇÃO DE EDIFICAÇÕES Geomática para Engenharia Civil Prof. Rachel Russo
  2. 2. Após a elaboração do projeto de uma obra de engenharia, a partir de uma planta topográfica, é necessário definir no terreno um conjunto de pontos que traduzam a geometria da obra, para orientar sua construção  A operação de materialização no terreno do conjunto de pontos é designada por Locação de Obras (ou Edificações) OBJETIVO PRINCIPAL
  3. 3. A locação é extremamente importante  significa 60% do tempo gasto com topografia A primeira providência é a definição dos limites geométricos da obra dentro da área  No caso de um prédio define-se sua posição exata no terreno Locação de Edificações
  4. 4. A locação é a operação inversa ao levantamento Levantamento (medição)  campo + escritório Locação (marcação):  escritório + campo Locação de Edificações
  5. 5.  Pode ser executada usando-se sistema de coordenadas retangulares (melhor para alinhamentos retos em projetos arquitetônicos) ou polares (melhor para locação de vias)  Envolve a demarcação de alinhamentos e ângulos através de estacas  Equipamentos comuns para topografia: nível, teodolito, trena de aço, estação total, mira a laser, GPS Locação de Edificações
  6. 6. Diferentes tipos de obras civis (edifícios, pontes, barragens, vias) apresentam problemas específicos de locação exigindo procedimentos apropriados a cada caso Locação de Edificações
  7. 7. Os pontos objeto (pontos que definem a geometria da obra) são relacionados a partir de ângulos, distâncias e desníveis  Elementos da locação da obra Locação de Edificações
  8. 8. Fisicamente, consiste na colocação de sinais materiais indicadores dos alinhamentos (pregos, tintas etc.), as posições e as distâncias entre os elementos estruturais da construção - estacas, blocos, sapatas, vigas, pilares e alvenarias Locação de Edificações
  9. 9. 1. O projeto não apresenta recuo com relação a divisa devido a construção vizinha Neste caso, os sinais de marcação serão perdidos ao longo da obra Condições para implantar a locação
  10. 10. 2. O projeto apresenta recuo com relação a divisa Neste caso estabelece-se um retângulo de tábuas para suporte da locação Condições para implantar a locação
  11. 11. Muitos erros que ocorrem na operação de locação são decorrentes de erros de levantamentos topográficos ! Locação de Edificações
  12. 12. Planta de locação de estacas
  13. 13. Definição da posição de uma estaca
  14. 14.  A posição de uma estaca fica definida pela marcação de pontos na tábua horizontal  Um ponto é definido por 4 marcações no sarrafo Locação de Edificações
  15. 15. Colocação de tábuas (sarrafos nivelados)
  16. 16. Planta (escala 1:50)  Colocação de tábuas (sarrafos)
  17. 17. Colocação de tábuas (sarrafos nivelados)
  18. 18. Locação pelo Projeto
  19. 19. Locação pelas faces das paredes
  20. 20. Locação pelos eixos das paredes
  21. 21. É necessário conhecer a locação do lote Usam-se pontos topográficos ou as guias das ruas como referência Definem-se os alinhamentos das divisas Define-se onde o gabarito será construído (identificação precisa, pintura de proteção contra deformação por umidade, rigidez etc.) Constrói-se o gabarito em nível e no esquadro Locação de Edificações
  22. 22. Projeto de Gabarito
  23. 23. Contenções de vizinhança e gabarito para locação
  24. 24. Por onde começar Referenciais usuais: ponto deixado pelo topógrafo, alinhamento da rua (guias), limites do terreno, postes de iluminação, muro do vizinho Fixação dos alinhamentos  Processo dos cavaletes  Processo da tábua corrida Execução da locação
  25. 25. O terreno deve ser preparado com antecedência
  26. 26. Referencial deixado pela topografia
  27. 27. 3 coordenadas para cada ponto: 2 planimétricas 1 altimétrica Como definir cada ponto
  28. 28. Teodolito e Estação Total Piquetes Cavaletes Tabeira / gabarito / tábua corrida Como materializar os pontos e eixos
  29. 29.  Os alinhamentos são fixados por pregos cravados em cavaletes  Estacas cravadas no solo e uma travessa pregada sobre elas Este processo deve ser evitado pois os cavaletes podem ser facilmente deslocados Processo dos cavaletes
  30. 30.  Consiste da cravação de pontaletes  Nos pontaletes são pregadas tábuas sucessivas, formando uma cinta em torno da área a ser construída É o processo mais indicado pois é muito difícil a perda da marcação do alinhamento Processo da tábua corrida
  31. 31. Processo da tábua corrida
  32. 32. Quando o terreno apresentar desnível, a cinta de tábuas deverá formar degraus e o último alinhamento da tábua de cima deverá ser repetido na tábua debaixo O esquadro entre alinhamentos deve ser realizado com uso de Teodolito ou Estação Total As marcações dos pontos de projeto devem, sempre que possível, ser realizadas com trenas de aço Processo da tábua corrida
  33. 33. 1. Eixo de coordenadas do projeto é um guia para medição 2. Medem-se as distâncias a partir dos eixos e marca-se com pregos 3. As linhas planimétricas cruzam-se e definem um ponto (piquete) 4. As linhas definem eixos e faces de elementos Como utilizar o gabarito
  34. 34. O que marcar: Eixos ortogonais de referência Posição de estacas Eixos de vigas baldrames Centro geométrico e faces dos blocos Eixos de paredes / pilares Como utilizar o gabarito
  35. 35. Gabarito no meio urbano – espaçamentos legais (recuos)
  36. 36. Gabarito
  37. 37. Como utilizar o gabarito...
  38. 38.  Vantagens:  Referencial planimétrico e altimétrico  Para estacas, fundações, pilares e paredes  Boa precisão (menos sujeito a choques)  Facilidade de controle – conferência  Desvantagens:  Maior custo inicial  Pode interferir na sequência executiva – escavação, entrada de equipamentos Gabaritos
  39. 39. Ao terminar a locação, deve-se verificar o alinhamento final e a exatidão do ângulo reto com um aparelho  Se o último e o primeiro esquadros estiverem perfeitos, os intermediários também estarão Execução da locação
  40. 40. A partir de um RN, demarca-se os demais níveis da construção Execução de níveis
  41. 41.  Instrumentos de medida  Exigências de cada elemento Esquadro do gabarito: 2 mm em 10 m Esquadro dos eixos principais: 1 mm em 10 m Hipotenusa do triângulo (3, 4, 5) Tolerância das medidas
  42. 42. Nivelamento do gabarito: 10 mm em 30 m Precisão da trena: 3 mm Elementos de fundação: varia com o tipo  Alicerce: 5 cm  Bloco de fundação: 5 cm  Pilar: 1 cm Tolerância das medidas

×