REZA ASSIM... COM A VIDA Ajuri
Corri em busca de algo que me falasse de oração. Interroguei e me responderam.
A constelação da Ursa Maior Lá do alto do céu me disse:
“ Rezo brilhando e obedecendo às leis Da minha vida. Com as minhas irmãs estrelas, Canto o poema de louvor a quem nos crio...
A lua, deixando cair um raio de sua claridade, rasgando as trevas e afugentando o medo do nada, proclamou bem alto:
“ Rezo sendo guia para os que se Perdem nas trevas da noite, Iluminando as veredas dos viajantes,
Suavizando a tristeza da solidão dos Marinheiro. Rezo morrendo E nascendo sem cessar”.
A água sem sono, sem se cansar, Beijando as pedras do rio, não teve medo de falar:
“ Rezo e dialogo com meu Pai, correndo, destruindo os obstáculos. Fecundando, deixando-me parar
E aceitando ser lançada de uma altura Impressionante para gerar a força Que clareia e dá a vida.
Rezo quando a criança brinca comigo, Quando sedento me bebe, Quando limpo o que está sujo”.
“ Todos nós,  pedras e minérios do ventre As Terra, rezamos ficando no nosso lugar,
Sendo o que devemos ser, Sem ter inveja de quem ocupa um lugar Diferente do nosso.”
“ A vida que corre dentro de mim Me faz cantar e pular de galho em galho. È a minha oração cotidiana de pequeno sabiá,
Que vive fora das gaiolas, cadeias que não conseguem matar o nosso amor à vida
Na escola da natureza, Onde nenhuma criatura assume atitudes  Sabidas ou professorais,
Todos são alunos e todos professores. Até o burro se sente promovido. Obrigado Senhor,
Porque as tuas criaturas não querem cursar Faculdade ou tirar diploma.
Que elas resistam sempre Ao homem que quer instrumentalizá-las, artificializá-las
Que elas não sejam contagiadas pelos Defeitos do homem, barato imitador Da tua bondade.
Senhor, Desci à cidade dos homens E vi também que rezar é fácil.
A velhinha, á espera da morte, A vida inteira não soube dizer mais do que isto:
“ É Pai de misericórdia”. Não conheceu a teologia.
Conheceu a vida, Apreciou-a e realizou-a, superando os escolhos da miséria e do sofrimento.
A criança, dormindo no regaço da própria mãe, Na expressão da tranqüilidade interior,
Disse que rezar é descansar no coração do amor Que sempre ama.
Senhor, Todos os homens simples, Que não conhecem as complicações.
Da inteligência humana, Acompanham, sem preocupação alguma, O desenrolar da vida de cada dia.
Quero rezar vivendo a minha vida, Acordado ou dormindo, Calmo ou nervoso,
Descansado ou morto de cansaço. Sendo o que  eu sou   com o meu acúmulo de defeitos e com poucas virtudes.
Quero rezar com a voz da inteligência Que penetra, a voz do corpo que reclama, a voz do direito e do dever.
Obrigado, Senhor, se, dormindo ou acordado, o palpitar do meu coração
for o mais terno dos beijos que o homem deposita no teu rosto resplandecente.
Invade-me, ò Espírito do meu Deus, Para que eu seja presença de louvor,
De ação de graça. Possue-me, eterna palavra, Cristo Jesus, Para que, correndo pelas etapas da vida,
Um resto do teu amor Seja a flor que brotará sobre a minha morte.
Perco-me com coragem no seio do Pai, e aí, no eterno,
passarei à vida que não acaba, rezando, contemplando, saciando-me
com a beleza que me criou. Aleluia! Agora e sempre. Amém!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Orando com a natureza

845 visualizações

Publicada em

Deus é eloquente nos falando pela natureza. Orar com a natureza é estar em contato com o próprio Deus criador.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
845
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Orando com a natureza

  1. 1. REZA ASSIM... COM A VIDA Ajuri
  2. 2. Corri em busca de algo que me falasse de oração. Interroguei e me responderam.
  3. 3. A constelação da Ursa Maior Lá do alto do céu me disse:
  4. 4. “ Rezo brilhando e obedecendo às leis Da minha vida. Com as minhas irmãs estrelas, Canto o poema de louvor a quem nos criou”.
  5. 5. A lua, deixando cair um raio de sua claridade, rasgando as trevas e afugentando o medo do nada, proclamou bem alto:
  6. 6. “ Rezo sendo guia para os que se Perdem nas trevas da noite, Iluminando as veredas dos viajantes,
  7. 7. Suavizando a tristeza da solidão dos Marinheiro. Rezo morrendo E nascendo sem cessar”.
  8. 8. A água sem sono, sem se cansar, Beijando as pedras do rio, não teve medo de falar:
  9. 9. “ Rezo e dialogo com meu Pai, correndo, destruindo os obstáculos. Fecundando, deixando-me parar
  10. 10. E aceitando ser lançada de uma altura Impressionante para gerar a força Que clareia e dá a vida.
  11. 11. Rezo quando a criança brinca comigo, Quando sedento me bebe, Quando limpo o que está sujo”.
  12. 12. “ Todos nós, pedras e minérios do ventre As Terra, rezamos ficando no nosso lugar,
  13. 13. Sendo o que devemos ser, Sem ter inveja de quem ocupa um lugar Diferente do nosso.”
  14. 14. “ A vida que corre dentro de mim Me faz cantar e pular de galho em galho. È a minha oração cotidiana de pequeno sabiá,
  15. 15. Que vive fora das gaiolas, cadeias que não conseguem matar o nosso amor à vida
  16. 16. Na escola da natureza, Onde nenhuma criatura assume atitudes Sabidas ou professorais,
  17. 17. Todos são alunos e todos professores. Até o burro se sente promovido. Obrigado Senhor,
  18. 18. Porque as tuas criaturas não querem cursar Faculdade ou tirar diploma.
  19. 19. Que elas resistam sempre Ao homem que quer instrumentalizá-las, artificializá-las
  20. 20. Que elas não sejam contagiadas pelos Defeitos do homem, barato imitador Da tua bondade.
  21. 21. Senhor, Desci à cidade dos homens E vi também que rezar é fácil.
  22. 22. A velhinha, á espera da morte, A vida inteira não soube dizer mais do que isto:
  23. 23. “ É Pai de misericórdia”. Não conheceu a teologia.
  24. 24. Conheceu a vida, Apreciou-a e realizou-a, superando os escolhos da miséria e do sofrimento.
  25. 25. A criança, dormindo no regaço da própria mãe, Na expressão da tranqüilidade interior,
  26. 26. Disse que rezar é descansar no coração do amor Que sempre ama.
  27. 27. Senhor, Todos os homens simples, Que não conhecem as complicações.
  28. 28. Da inteligência humana, Acompanham, sem preocupação alguma, O desenrolar da vida de cada dia.
  29. 29. Quero rezar vivendo a minha vida, Acordado ou dormindo, Calmo ou nervoso,
  30. 30. Descansado ou morto de cansaço. Sendo o que eu sou com o meu acúmulo de defeitos e com poucas virtudes.
  31. 31. Quero rezar com a voz da inteligência Que penetra, a voz do corpo que reclama, a voz do direito e do dever.
  32. 32. Obrigado, Senhor, se, dormindo ou acordado, o palpitar do meu coração
  33. 33. for o mais terno dos beijos que o homem deposita no teu rosto resplandecente.
  34. 34. Invade-me, ò Espírito do meu Deus, Para que eu seja presença de louvor,
  35. 35. De ação de graça. Possue-me, eterna palavra, Cristo Jesus, Para que, correndo pelas etapas da vida,
  36. 36. Um resto do teu amor Seja a flor que brotará sobre a minha morte.
  37. 37. Perco-me com coragem no seio do Pai, e aí, no eterno,
  38. 38. passarei à vida que não acaba, rezando, contemplando, saciando-me
  39. 39. com a beleza que me criou. Aleluia! Agora e sempre. Amém!

×