REUTILIZAÇÃO 100%Engº Celso Luís Quaglia Giampá
IMPLANTANDO         SOLUÇÃO    GERENCIAMENTO DOS RSUEDUCAÇÃO AMBIENTAL CONTINUADA NA POPULAÇÃOCOLETA SELETIVA PARA RESÍDUO...
PRETENDEMOS ATENDER À             LEI Nº. 12.305 de 02/08/2010 QUE   INSTITUI A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS     ...
ATERRO OU USINA?
ATERRO OU ENTERRO?
GESTÃO DOS RESÍDUOS
PARTICIPAÇÃO DE TODOS
O DESEJO DA MAIORIA
A PREOCUPAÇÃO COM O LIXO
EDUCAÇÃO AMBIENTAL CONTINUADA    NAS ESCOLAS    EM CASA
COLETA SELETIVA HOJE NAS RUAS   NOS LIXÕES
CATADORES DE LIXOVEÍCULO PRÓPRIO   TRANSPORTADOR
NOSSA PRETENSÃO                   DE ACORDO COM A LEI 12.305   Art. 7o São objetivos da Política Nacional de Resíduos Sóli...
A SELEÇÃO DO LIXO       RSU SECO                     RSU ÚMIDOPAPÉIS (Jornais e revistas)   RESTOS DE ALIMENTOSPAPELÃO ...
COLETA DO RSU SECOVEÍCULO ADAPTADO   VEÍCULO ADEQUADO
COLETA DO RSU ÚMIDOVEÍCULO EM USO   VEÍCULO NOVO
UNIDADE DEPROCESSAMENTO
MODELOS DE USINAS
PRODUÇÃO MENSAL PREVISTA
RECUPERAÇÃO DOS SECOS               TULHA COM EM OPERAÇÃO    ESTEIRA
PROCESSAMENTO DOS SECOS PRENSA PARA   MOINHO PARA   FARDOS       PLÁSTICOS
RSU SECO EMBALADOFARDO PRENSADO   PLÁSTICO MOIDO
RECUPERAÇÃO DOS ÚMIDOS TRITURADOR   FACAS DO TRITURADOR
TRATAMENTO DOS ÚMIDOS COMPOSTAGEM       COMPOSTAGEMNATURAL NO SOLO   NATURAL COBERTA
LEIRAS PARA COMPOSTAGEM                   CONCRETADACONCRETADA LIVRE                     COBERTA
COMPOSTAGEM ACELERADA    BIODIGESTOR CONTÍNUO
PREPARAÇÃO DO ADUBO MODELO DE   PENEIRA OPERANDO  PENEIRA
RSU ÚMIDO PRONTOADUBO ORGÂNICO   LENHA E CARVÃO
O INTERESSE PELO ORGÂNICO
OFERECEMOS ►Apoio na Implantação de um Projeto de Educação Ambiental sobre a   seleção, coleta e disposição do Lixo em to...
SOLICITAMOS►Doação de todos os Resíduos Sólidos Urbanos ao Proponente por um período de vinte (20) anos, renovável por ou...
O OBJETIVO
PRETENDEMOSAcabar com o “Passivo Ambiental” gerado pelos Aterros “Controlados”.Acabar com a exploração dos chamados “Cat...
COMPARAÇÃO                          COM A LEI 12.305  No Art. 7o São objetivos da Política Nacional de Resíduos Sólidos:I ...
O CUSTO DO LIXO      QUEM PAGA POR ISSO?A EXPORTAÇÃO          O VALOR
O Projeto Fênix foi planejado para evitar a necessidade de uma Licitação Pública para a sua      instalação, uma vez que a...
O Plano Municipal de Gestão Integrada de ResíduosSólidos é uma determinação da Lei Nº. 12.035/2010,regulamentada pelo Decr...
As penas previstas ao gestor público são:● Lei 9.605/1998 – Crimes Ambientais: sanções e penasadministrativas derivadas de...
OS PARCEIROSwww.clinicadeengenharia.com.br
Projeto Fênix
Projeto Fênix
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projeto Fênix

1.507 visualizações

Publicada em

Objetivo
› Acabar com os aterros e/ou lixões nos centros urbanos e gerar inclusão social de fato às pessoas que sobrevivem de vasculhar o lixo em busca de sua sobrevivência, com geração de empregos diretos com as garantias previstas em lei para esta população atualmente marginalizada pela sociedade.

Público-alvo
› Prefeitura e população do município em que o projeto for implantado.

Vantagem
› O Projeto Fênix foi planejado para evitar a necessidade de uma Licitação Pública para a sua instalação, uma vez que a própria legislação (Lei Nº. 8.666) assim o permite, a saber:
Por ser um Projeto de "Notório Saber", pois não tem similar no País.
Por promovermos a educação ambiental voltada à reutilização do Lixo em todos os municípios envolvidos, inclusive por exigência da Lei 12.305/10, já em vigor e com prazo até 03/08/2014 para implantação.
Por promovermos a "Inclusão Social" no município onde se instalará a Unidade, inclusive com o aproveitamento dos "catadores de lixo" e de muitos outros, todos sem qualificação profissional.
Por promovermos a coleta seletiva nos municípios envolvidos, inclusive por exigência da Lei 12.305/10, já em vigor e com prazo até 03/08/2014 para implantação.
Por eliminarmos os lixões/aterros controlados, inclusive por exigência da Lei 12.305/10, já em vigor e com prazo até 03/08/2014 para implantação.
Por eliminarmos o "Ônus Financeiro" dos municípios com a destinação do Lixo por não haver cobrança para isso.
Por cedermos "parte" do Crédito de Carbono, se for obtido, para o Fundo de Meio Ambiente dos municípios envolvidos.
Por não haver problemas na obtenção da licença ambiental, uma vez que não haverá descarte nem residual algum no ar, no solo e na água.
Cumprimento da Lei
› O Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos é uma determinação da Lei Nº. 12.035/2010, regulamentada pelo Decreto Nº. 7.404/2010, que obriga os municípios a implementarem o referido plano até agosto de 2012 e executarem até 2014. O município que não atender o que prescreve esta Lei sofrerá penalidades administrativas, cíveis e criminais, bem como corte de recursos federais pelo tribunal de contas da união, além de processo por improbidade administrativa.

Prazos
Agosto de 2012/ Todos os Municípios devem ter os Planos de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – PMGIRS;
Agosto de 2014/ Eliminação dos aterros controlados e/ou lixões e implementação dos Planos de Resíduos.

Mais detalhes em: http://www.clinicadeengenharia.com.br/preview/projeto-fenix.php

  • Seja o primeiro a comentar

Projeto Fênix

  1. 1. REUTILIZAÇÃO 100%Engº Celso Luís Quaglia Giampá
  2. 2. IMPLANTANDO SOLUÇÃO GERENCIAMENTO DOS RSUEDUCAÇÃO AMBIENTAL CONTINUADA NA POPULAÇÃOCOLETA SELETIVA PARA RESÍDUOS SECOS E ÚMIDOS USINA DE PROCESSAMENTO DESTINAÇÃO ADEQUADA E DEFINITIVA DOS RSU LOGÍSTICA REVERSA
  3. 3. PRETENDEMOS ATENDER À LEI Nº. 12.305 de 02/08/2010 QUE INSTITUI A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS EMV - Coleta seletiva.VI - Garantir à sociedade informações e participação nos processos das políticas públicas.VII - Destinação final ambientalmente adequada.
  4. 4. ATERRO OU USINA?
  5. 5. ATERRO OU ENTERRO?
  6. 6. GESTÃO DOS RESÍDUOS
  7. 7. PARTICIPAÇÃO DE TODOS
  8. 8. O DESEJO DA MAIORIA
  9. 9. A PREOCUPAÇÃO COM O LIXO
  10. 10. EDUCAÇÃO AMBIENTAL CONTINUADA NAS ESCOLAS EM CASA
  11. 11. COLETA SELETIVA HOJE NAS RUAS NOS LIXÕES
  12. 12. CATADORES DE LIXOVEÍCULO PRÓPRIO TRANSPORTADOR
  13. 13. NOSSA PRETENSÃO DE ACORDO COM A LEI 12.305 Art. 7o São objetivos da Política Nacional de Resíduos Sólidos:XI - Prioridade, nas ações para: a) Produtos reciclados e recicláveis; b)Bens, serviços e obras com padrões de consumo social e ambientalmente sustentáveis;XII - Integração dos catadores em suas ações ;XIV – Incentivar a melhoria dos processos produtivos e ao reaproveitamento dos resíduos sólidos,
  14. 14. A SELEÇÃO DO LIXO RSU SECO RSU ÚMIDOPAPÉIS (Jornais e revistas) RESTOS DE ALIMENTOSPAPELÃO PAPEL HIGIÊNICOVIDROS FRALDA DESCARTÁVELPLÁSTICOS (Cotonetes) ABSORVENTE ÍNTIMOMETAIS (Alumínio/Flandres) PAPÉIS SUJOSMADEIRAS PODAS DE PLANTASCOURO RESTOS DE FEIRAS LIVRESTECIDOS OSSOS DE FRIGORÍFICOS FILTROS DE CAFÉ COM PÓ
  15. 15. COLETA DO RSU SECOVEÍCULO ADAPTADO VEÍCULO ADEQUADO
  16. 16. COLETA DO RSU ÚMIDOVEÍCULO EM USO VEÍCULO NOVO
  17. 17. UNIDADE DEPROCESSAMENTO
  18. 18. MODELOS DE USINAS
  19. 19. PRODUÇÃO MENSAL PREVISTA
  20. 20. RECUPERAÇÃO DOS SECOS TULHA COM EM OPERAÇÃO ESTEIRA
  21. 21. PROCESSAMENTO DOS SECOS PRENSA PARA MOINHO PARA FARDOS PLÁSTICOS
  22. 22. RSU SECO EMBALADOFARDO PRENSADO PLÁSTICO MOIDO
  23. 23. RECUPERAÇÃO DOS ÚMIDOS TRITURADOR FACAS DO TRITURADOR
  24. 24. TRATAMENTO DOS ÚMIDOS COMPOSTAGEM COMPOSTAGEMNATURAL NO SOLO NATURAL COBERTA
  25. 25. LEIRAS PARA COMPOSTAGEM CONCRETADACONCRETADA LIVRE COBERTA
  26. 26. COMPOSTAGEM ACELERADA BIODIGESTOR CONTÍNUO
  27. 27. PREPARAÇÃO DO ADUBO MODELO DE PENEIRA OPERANDO PENEIRA
  28. 28. RSU ÚMIDO PRONTOADUBO ORGÂNICO LENHA E CARVÃO
  29. 29. O INTERESSE PELO ORGÂNICO
  30. 30. OFERECEMOS ►Apoio na Implantação de um Projeto de Educação Ambiental sobre a seleção, coleta e disposição do Lixo em todas as Escolas, Associações e entidades representativas relacionados com a população em geral. ►Apoio na preparação, organização e logística à Empresa Coletora de Lixo, para a Implantação da coleta seletiva na cidade. ►Apoio na divulgação do Projeto e atividades em toda a mídia regional. ►Implantação de uma Unidade Processadora de Resíduos Sólidos Urbanos, com capacidade para operacionalizar até 300 ton./dia, em plena produção, para implantação em no máximo seis (06) meses. ►Capacidade geradora de até 300 empregos diretos e muitos mais indiretos em operação plena.
  31. 31. SOLICITAMOS►Doação de todos os Resíduos Sólidos Urbanos ao Proponente por um período de vinte (20) anos, renovável por outro período se for cumprido adequadamente.►Doação de um terreno com um mínimo de 50.000 metros quadrados, com a infra-estrutura básica definida, para a instalação da Usina de Processamento.►Implantação do Programa de Educação Ambiental sobre o Lixo, com o apoio da Proponente e conforme sua orientação.►Implantação e adaptação, com a Empresa Coletora de Lixo, do Programa de Coleta Seletiva, com a coleta em separado do Lixo Seco e do Lixo Úmido, com apoio da Proponente e conforme sua orientação.►Autorização, Apoio e Participação na obtenção e recepção dos resíduos sólidos Urbanos de outros municípios.
  32. 32. O OBJETIVO
  33. 33. PRETENDEMOSAcabar com o “Passivo Ambiental” gerado pelos Aterros “Controlados”.Acabar com a exploração dos chamados “Catadores de Lixo”.Acabar com a existência de depósitos clandestinos de lixo catado, chamados “Deposeiros”.Instalar uma Empresa Industrial na Cidade.Liberar a Prefeitura do Ônus Financeiro e a preocupação para a destinação adequada dos RSU.Ajudar as cidades a se enquadrarem como “Município Verde” e a receberem mais subsídios.SOLUCIONAR EM DEFINITIVO A DESTINAÇÃO DO LIXO.
  34. 34. COMPARAÇÃO COM A LEI 12.305 No Art. 7o São objetivos da Política Nacional de Resíduos Sólidos:I - Proteção da saúde pública e da qualidade ambiental;II- No tratamento dos resíduos sólidos com a disposição final ambientalmente adequada;VI- No incentivo à indústria da reciclagem;VII - Na gestão integrada de resíduos sólidos;IX –Na capacitação técnica continuada na área de resíduos sólidos;X- Na regularidade, continuidade e funcionalidade dos resíduos sólidos, com adoção de mecanismos gerenciais e econômicos que assegurem a recuperação urbana e a redução dos custos dos serviços .
  35. 35. O CUSTO DO LIXO QUEM PAGA POR ISSO?A EXPORTAÇÃO O VALOR
  36. 36. O Projeto Fênix foi planejado para evitar a necessidade de uma Licitação Pública para a sua instalação, uma vez que a própria legislação (Lei Nº. 8.666) assim o permite, a saber:1- Por ser um Projeto de "Notório Saber", pois não tem similar no País.2- Por promovermos a educação ambiental voltada à reutilização do Lixo em todos os municípiosenvolvidos, inclusive por exigência da Lei 12.305/10, já em vigor e com prazo até 03/08/2014 paraimplantação.3- Por promovermos a "Inclusão Social" no município onde se instalará a Unidade, inclusive como aproveitamento dos "catadores de lixo" e de muitos outros, todos sem qualificação profissional.4- Por promovermos a coleta seletiva nos municípios envolvidos, inclusive por exigência da Lei12.305/10, já em vigor e com prazo até 03/08/2014 para implantação.5-Por eliminarmos os lixões/aterros controlados, inclusive por exigência da Lei 12.305/10, já emvigor e com prazo até 03/08/2014 para implantação.6- Por eliminarmos o "Ônus Financeiro" dos municípios com a destinação do Lixo por não havercobrança para isso.7- Por cedermos "parte" do Crédito de Carbono, se for obtido, para o Fundo de Meio Ambientedos municípios envolvidos.8- Por não haver problemas na obtenção da licença ambiental, uma vez que não haverá descartenem residual algum no ar, no solo e na água.
  37. 37. O Plano Municipal de Gestão Integrada de ResíduosSólidos é uma determinação da Lei Nº. 12.035/2010,regulamentada pelo Decreto Nº. 7.404/2010, que obriga osmunicípios a implementarem o referido plano até agostode 2012 e executarem até 2014. O município que nãoatender o que prescreve esta Lei sofrerá penalidadesadministrativas, cíveis e criminais, bem como corte derecursos federais pelo tribunal de contas da união, além deprocesso por improbidade administrativa. PRAZOS:Agosto de 2012/ Todos os Municípios devem ter os Planosde Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – PMGIRS;Agosto de 2014/ Eliminação dos aterros controlados e/oulixões e implementação dos Planos de Resíduos.
  38. 38. As penas previstas ao gestor público são:● Lei 9.605/1998 – Crimes Ambientais: sanções e penasadministrativas derivadas de condutas e atividades lesivas aomeio ambiente, de acordo com. Detenção de um a três anos demulta ou reclusão de um a quatro anos e multa.Decreto n°6514/2008 – Infrações Administrativas Ambientais:multa de R$ 5 mil a R$ 50 milhões para os Municípios quepossuem lixões.Lei Complementar n°135/2010 – Lei da Ficha Limpa: os prefeitosque deixarem o mandato no próximo ano e não cumprirem alegislação responderão ações civil e criminal, e poderão ter osbens apreendidos até a conclusão do processo.Lei nº 8.429/1992 – Lei de Improbidade Administrativa: osgestores dos Municípios que não cumprirem nas determinaçõesestarão sujeitos às restrições para o acesso a recursos federais.
  39. 39. OS PARCEIROSwww.clinicadeengenharia.com.br

×