Calor possebon-2 (1)

461 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
461
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Calor possebon-2 (1)

  1. 1. SINTOMAS E EFEITOS DO CALOR • • • • • • • * 1) GOLPE DE CALOR(Hipertermia) * 2) SÍNCOPE PELO CALOR(Exaustão) * 3) PROSTRAÇÃO TÉRMICA * 4) CÃIBRAS DE CALOR * 5) ENF.DAS GLAND. SUDORÍPARAS * 6) EDEMA PELO CALOR * 7) OUTROS EFEITOS
  2. 2. 1) GOLPE DE CALOR • TAMBÉM CHAMADO DE HIPERTERMIA OU • CHOQUE TÉRMICO
  3. 3. 1) GOLPE DE CALOR • Quando o sistema termorregulador é afetado pela sobrecarga térmica, a temperatura interna aumenta continuamente, produzindo alteração da função cerebral, com perturbação do mecanismo de dissipação do calor, cessando a sudorese.
  4. 4. 1) GOLPE DE CALOR • Como os danos às células nervosas são irreversíveis, é importante que os outros trabalhadores reconheçam imediatamente os sinais e sintomas do golpe de calor, para que o tratamento seja feito imediatamente.
  5. 5. 1) GOLPE DE CALOR • SINTOMAS: colapsos, convulsões, delírios, alucinações e coma, sem aviso prévio, sendo parecido com convulsões epilépticas. •
  6. 6. 1) GOLPE DE CALOR • SINAIS EXTERNOS: pele quente, seca e arroxeada, a temp. interna sobe a 40,5 C ou mais, podendo atingir 42 a 45 C no caso de convulsões ou coma. • O golpe de calor é freqüentemente fatal, deixando seqüelas devido aos danos causados ao cérebro, rins e outros órgãos.
  7. 7. 1) GOLPE DE CALOR • INSOLAÇÃO: Golpe de calor provocado pelo sol.
  8. 8. 1) GOLPE DE CALOR • OCORRÊNCIA: Em tarefas físicas pesadas, em condições de calor extremo, quando não há a aclimatização e quando existem certas enfermidades como o diabetes mellitus, enfermidades cardiovasculares e cutânea ou obesidade.
  9. 9. 1) GOLPE DE CALOR • PRIMEIROS SOCORROS: Resfriar o corpo do trabalhador em imersão em água com gelo e massagear a pele resfriada para ativar a circulação ou enrolando-o em uma toalha molhada com água ou com álcool e com sopro forte de um ventilador, seguido de massagem da pele resfriada.
  10. 10. 1) GOLPE DE CALOR • A etapa de resfriamento deve ser parada quando a temperatura corpórea atingir 39 C •
  11. 11. 2) SÍNCOPE PELO CALOR • (EXAUSTÃO PELO CALOR)
  12. 12. 2) SÍNCOPE PELO CALOR • (EXAUSTÃO PELO CALOR) • A vasodilatação periférica reduz o fluxo de sangue nos órgãos internos, podendo ocorrer deficiência de oxigênio, agravando particularmente o cérebro e o coração. Essa situação pode ser agravada no caso de esforço físico intenso.
  13. 13. 2) SÍNCOPE PELO CALOR • (EXAUSTÃO PELO CALOR) • A recuperação é rápida e ocorre naturalmente se o trabalhador deitar-se durante a crise ou sentar-se com a cabeça baixa. • A recuperação total é complementada por repouso em ambiente frio. •
  14. 14. 3)PROSTRAÇÃO TÉRMICA • • PROSTRAÇÃO TÉRMICA POR DESIDRATAÇÃO
  15. 15. 3)PROSTRAÇÃO TÉRMICA • PROSTRAÇÃO TÉRMICA POR DESIDRATAÇÃO • A desidratação ocorre quando a quantidade de água ingerida é insuficiente para compensar a perda pela urina, sudação ou pelo ar exalado.
  16. 16. 3)PROSTRAÇÃO TÉRMICA • PROSTRAÇÃO TÉRMICA POR DESIDRATAÇÃO • Com a perda de 5 a 8% do peso corpóreo, ocorre a diminuição da eficiência do trabalho, sinais de desconforto, sede, irritabilidade e sonolência, além de pulso acelerado e temperatura elevada.
  17. 17. 3)PROSTRAÇÃO TÉRMICA • PROSTRAÇÃO TÉRMICA POR DESIDRATAÇÃO • Uma perda de 10% do peso corpóreo é incompatível com a atividade e com 15% pode ocorrer o choque térmico ou golpe pelo calor.
  18. 18. 3)PROSTRAÇÃO TÉRMICA • PELO DESCRÉSCIMO DO TEOR SALINO. • CAUSA: Quantidade de sal ingerido menor que as perdas por evaporação. As pessoas mais susceptíveis são as não aclimatizadas.
  19. 19. 3)PROSTRAÇÃO TÉRMICA • SINTOMAS: fadiga, tonturas, falta de apetite, náuseas, vômitos e cãibras musculares. As dores de cabeça, a constipação e a diarréia são bastante comuns, podendo ocorrer até a síncope pelo calor.
  20. 20. 4) CÃIBRAS DE CALOR • CAUSAS: perda de cloreto de sódio por sudorese intensa • SINTOMAS: dores agudas nos músculos, em particular os abdominais, coxas e aqueles sobre os quais a demanda física foi intensa.
  21. 21. 4) CÃIBRAS DE CALOR • TRATAMENTO: descanso em local fresco, com a reposição salina através de soro fisiológico(solução a 1%). • Deverá haver acompanhamento médico afim de evitar possível hipertensão.
  22. 22. 5) ENF. GLAND.SUDORIP. • A exposição ao calor por um período prolongado e particularmente em clima muito úmido pode produzir alterações das glândulas sudoríparas que deixam de produzir o suor agravando o sistema de trocas térmicas, podendo levar os trabalhadores á intolerância ao calor.
  23. 23. 5) ENF. GLAND.SUDORIP. • Esses trabalhadores deverão receber tratamento dermatológico e em alguns casos devem ser transferidos para tarefas onde não haja a necessidade de sudorese para a manutenção do equilíbrio térmico.
  24. 24. 6) EDEMA PELO CALOR • Consiste no inchaço das extremidades, em particular os pés e tornozelos. • Ocorre comumente em pessoas não aclimatizadas, sendo muito importante a manutenção do equilíbrio hídrico-salino.
  25. 25. 7) OUTROS EFEITOS - Aumento da susceptibilidade a outras doenças • (maior susceptibilidade às dermatoses e potencialização dos efeitos pela presença de outros agentes)
  26. 26. 7) OUTROS EFEITOS - Diminuição do rendimento • pela sobrecarga do sistema cardiovascular • redução na atividade cerebral e • redução do tempo de reação. •
  27. 27. 7) OUTROS EFEITOS - Catarata(exposição à radiação infravermelha provoca a degeneração do cristalino do olho, muito comum em pessoas idosas)
  28. 28. 7) OUTROS EFEITOS • Efeitos nos órgãos solicitados pela sobrecarga térmica(Cardiovascular, Respiratório e Glândulas internas)

×