Situação de aprendizagem

277 visualizações

Publicada em

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM DO CONTO PAUSA DE MOACYR SCLIAR

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
277
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Situação de aprendizagem

  1. 1. SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CONTO PAUSA DE MOACYR SCLIAR Objetivo: que o aluno reconheça a tipologia narrativa, com ênfase em conto; explorar, desenvolver e ampliar capacidades de leitura. Conteúdos: elementos da narrativa, leitura de narrativas. Competências e habilidades: inferir elementos da narrativa, reconhecer elementos da narrativa, analisar características do conto e desenvolver competência leitora. Estratégias: análise e comparação do conto em diferentes mídias, fazendo intervenções por meio de estratégias de leitura. Público alvo: 8ª série/9º ano Recursos: Caderno do professor, livro didático, internet, áudio e vídeo. Avaliação: Leitura e análise de contos, usando questões que contemplem as estratégias de leitura, segundo Roxane Rojo.
  2. 2. PAUSA PARA A LEITURA
  3. 3. ATIVIDADE REALIZADA ANTES DA LEITURA O que significa pausa?  Em que situação acontece a pausa?  O que você espera encontrar na leitura de um texto cujo título é pausa? 
  4. 4. ÀS SETE HORAS O DESPERTADOR TOCOU. SAMUEL SALTOU DA CAMA, CORREU PARA O BANHEIRO, FEZ A BARBA E LAVOU-SE. VESTIU-SE RAPIDAMENTE E SEM RUÍDO. ESTAVA NA COZINHA, PREPARANDO SANDUÍCHES, QUANDO A MULHER APARECEU, BOCEJANDO:
  5. 5. PARA QUAL SITUAÇÃO SAMUEL SE PREPARA?
  6. 6. VAIS SAIR DE NOVO, SAMUEL? FEZ QUE SIM COM A CABEÇA. EMBORA JOVEM, TINHA A FRONTE CALVA, MAS AS SOBRANCELHAS ERAM ESPESSAS, A BARBA, EMBORA RECÉM-FEITA, DEIXAVA AINDA NO ROSTO UMA SOBRA AZULADA. O CONJUNTO ERA UMA MÁSCARA ESCURA. TODOS OS DOMINGOS TU SAIS CEDO – OBSERVOU A MULHER COM AZEDUME NA VOZ. TEMOS MUITO TRABALHO NO ESCRITÓRIO – DISSE O MARIDO, SECAMENTE.
  7. 7. AS HIPÓTESES LEVANTADAS SE CONFIRMAM? ALGUMA INFORMAÇÃO FOI ACRESCENTADA À HIPÓTESE LEVANTADA INICIALMENTE?
  8. 8. ELA OLHOU OS SANDUÍCHES: POR QUE NÃO VENS ALMOÇAR? JÁ TE DISSE: MUITO TRABALHO. NÃO HÁ TEMPO, LEVO UM LANCHE. A MULHER COÇAVA A AXILA ESQUERDA. ANTES QUE VOLTASSE À CARGA, SAMUEL PEGOU O CHAPÉU. VOLTO DE NOITE".
  9. 9. SOBRE AS DUAS PERSONAGENS APRESENTADAS: COMO É O RELACIONAMENTO ENTRE ELAS?
  10. 10. AS RUAS AINDA ESTAVAM ÚMIDAS DE CERRAÇÃO. SAMUEL TIROU O CARRO DA GARAGEM. GUIAVA VAGAROSAMENTE; AO LONGO DO CAIS, OLHANDO OS GUINDASTES, AS BARCAÇAS ATRACADAS.
  11. 11. A LEITURA DESSE PARÁGRAFO PERMITE FORMULAR IDEIAS SOBRE O ESPAÇO E TEMPO (ÉPOCA) DA NARRATIVA?
  12. 12. ESTACIONOU O CARRO NUMA TRAVESSA QUIETA. COM O PACOTE DE SANDUÍCHES DEBAIXO DO BRAÇO, CAMINHOU APRESSADAMENTE DUAS QUADRAS. DETEVE-SE AO CHEGAR A UM HOTEL PEQUENO E SUJO. OLHOU PARA OS LADOS E ENTROU FURTIVAMENTE.
  13. 13. A HIPÓTESE DE QUE SAMUEL IRIA TRABALHAR É CONFIRMADA? QUAL A INTENÇÃO DE SAMUEL AO SE DIRIGIR AO HOTEL?
  14. 14. EXPLORAÇÃO DA CARACTERIZAÇÃO DO HOTEL E DAS AÇÕES DOS PERSONAGENS NESSA ETAPA DA LEITURA DO TEXTO, ALGUMAS INFORMAÇÕES LEVANTADAS ANTES DA LEITURA SÃO CONFIRMADAS, OUTRAS NÃO. QUAL SERIA A PAUSA DE QUE O TEXTO FALA?
  15. 15. BATEU COM AS CHAVES DO CARRO NO BALCÃO, ACORDANDO UM HOMENZINHO QUE DORMIA SENTADO NUMA POLTRONA RASGADA. ERA O GERENTE. ESFREGANDO OS OLHOS, PÔS-SE DE PÉ: AH! SEU ISIDORO! CHEGOU MAIS CEDO HOJE. FRIOZINHO BOM ESTE, NÃO É? A GENTE... ESTOU COM PRESSA, SEU RAUL – ATALHOU SAMUEL. ESTÁ BEM, NÃO VOU ATRAPALHAR. O DE SEMPRE – ESTENDEU A CHAVE.
  16. 16. COM QUE FINALIDADE SAMUEL USA O NOME DE ISIDORO PARA O GERENTE DO HOTEL?
  17. 17. ESCADA VACILANTE. AO CHEGAR AO ÚLTIMO ANDAR, DUAS MULHERES GORDAS, DE CHAMBRE FLOREADO, OLHARAM-NO COM CURIOSIDADE: AQUI, MEU BEM! – UMA GRITOU, E RIU: UM CACAREJO CURTO. OFEGANTE, SAMUEL ENTROU NO QUARTO E FECHOU A PORTA À CHAVE. ERA UM APOSENTO PEQUENO: UMA CAMA DE CASAL, UM GUARDA-ROUPA DE PINHO; A UM CANTO, UMA BACIA CHEIA D’ ÁGUA, SOBRE UM TRIPÉ. SAMUEL CORREU AS CORTINAS ESFARRAPADAS, TIROU DO BOLSO UM DESPERTADOR DE VIAGEM, DEU CORDA E
  18. 18. A CARACTERIZAÇÃO DAS PERSONAGENS APRESENTADAS E A ATITUDE DE SAMUEL DIANTE DELAS SUGERE ALGO SOBRE O PROPÓSITO DELE ESTAR NO HOTEL? QUAL PARECE SER A INTENÇÃO DE SAMUEL AO COLOCAR O DESPERTADOR PARA TOCAR?
  19. 19. PUXOU A COLCHA E EXAMINOU OS LENÇÓIS COM O CENHO FRANZIDO, COM UM SUSPIRO, TIROU O CASACO E OS SAPATOS, AFROUXOU A GRAVATA. SENTADO NA CAMA, COMEU VORAZMENTE QUATRO SANDUÍCHES. LIMPOU OS DEDOS NO PAPEL DE EMBRULHO, DEITOU-SE E FECHOU OS OLHOS".
  20. 20. DORMIR EM POUCO, DORMIA. LÁ EMBAIXO, A CIDADE COMEÇAVA A MOVER-SE: OS AUTOMÓVEIS BUZINANDO, OS JORNALEIROS GRITANDO, OS SONS LONGÍNQUOS. UM RAIO DE SOL FILTROU-SE PELA CORTINA, ESTAMPOU UM CÍRCULO LUMINOSO NO CHÃO CARCOMIDO.
  21. 21. SAMUEL DORMIA, SONHAVA. NU, CORRIA POR UMA PLANÍCIE IMENSA, PERSEGUIDO POR UM ÍNDIO MONTADO A CAVALO. NO QUARTO BAFADO RESSOAVA O GALOPE. NO PLANALTO DA TESTA, NAS COLINAS DO VENTRE, NO VALE ENTRE AS PERNAS, CORRIAM. SAMUEL MEXIA-SE E RESMUNGAVA. ÀS DUAS E MEIA DA TARDE, SENTIU UMA DOS LANSCINANTE NAS COSTAS. SENTOU-SE NA CAMA, OS OLHOS ESBUGALHADOS: O ÍNDIO ACABAVA DE TRESPASSÁ-LO COM A LANÇA. ESVAINDO-SE EM SANGUE, MOLHADO DE SUOR, SAMUEL TOMBOU LENTAMENTE; OUVIU O APITO SOTURNO DE UM VAPOR. DEPOIS, SILÊNCIO.
  22. 22. VOLTANDO AS INFORMAÇÕES ANTECIPADAS NO INÍCIO DO TEXTO, QUAL SERIA A SITUAÇÃO CANSATIVA QUE MOTIVA A PAUSA DO TEXTO? QUAL É A FORMA USADA PELO PERSONAGEM PARA DESCANSAR?
  23. 23. ÀS SETE HORAS O DESPERTADOR TOCOU. SAMUEL SALTOU DA CAMA, CORREU PARA A BACIA, LAVOU-SE. VESTIU-SE RAPIDAMENTE E SAIU. SENTADO NUMA POLTRONA, O GERENTE LIA UMA REVISTA: JÁ VAI, SEU ISIDORO? JÁ – DISSE SAMUEL, ENTREGANDO A CHAVE. PAGOU, CONFERIU O TROCO EM SILÊNCIO. ATÉ DOMINGO QUE VEM, SEU ISIDORO – DISSE O GERENTE.
  24. 24. NÃO SEI SE VIREI – RESPONDEU SAMUEL, OLHANDO PELA PORTA; A NOITE CAÍA. O SENHOR DIZ ISTO, MAS VOLTA SEMPRE – OBSERVOU O HOMEM, RINDO. SAMUEL SAIU. AO LONGO DO CAIS, GUIAVA LENTAMENTE. PAROU, UM INSTANTE, FICOU OLHANDO OS GUINDASTES RECORTADOS CONTRA O CÉU AVERMELHADO. DEPOIS, SEGUIU. PARA CASA".
  25. 25. DEPOIS DA LEITURA...
  26. 26. MÚSICA: COTIDIANO (CHICO BUARQUE)      Todo dia ela faz tudo sempre igual: Me sacode às seis horas da manhã, Me sorri um sorriso pontual E me beija com a boca de hortelã. Todo dia ela diz que é pr'eu me cuidar E essas coisas que diz toda mulher. Diz que está me esperando pr'o jantar E me beija com a boca de café. Todo dia eu só penso em poder parar; Meio-dia eu só penso em dizer não, Depois penso na vida pra levar E me calo com a boca de feijão. Seis da tarde, como era de se esperar, Ela pega e me espera no portão Diz que está muito louca pra beijar E me beija com a boca de paixão. Toda noite ela diz pr'eu não me afastar; Meia-noite ela jura eterno amor E me aperta pr'eu quase sufocar E me morde com a boca de pavor.       Todo dia ela faz tudo sempre igual: Me sacode às seis horas da manhã, Me sorri um sorriso pontual E me beija com a boca de hortelã. Todo dia ela diz que é pr'eu me cuidar E essas coisas que diz toda mulher. Diz que está me esperando pr'o jantar E me beija com a boca de café Todo dia eu só penso em poder parar; Meio-dia eu só penso em dizer não, Depois penso na vida pra levar E me calo com a boca de feijão. Seis da tarde, como era de se esperar, Ela pega e me espera no portão Diz que está muito louca pra beijar E me beija com a boca de paixão. Toda noite ela diz pr'eu não me afastar; Meia-noite ela jura eterno amor E me aperta pr'eu quase sufocar E me morde com a boca de pavor. Todo dia ela faz tudo sempre igual: Me sacode às seis horas da manhã, Me sorri um sorriso pontual E me beija com a boca de hortelã.
  27. 27. ESTABELECENDO AS RELAÇÕES INTERTEXTUAIS COM O CONTO: SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS.
  28. 28. EM QUE A LETRA SE ASSEMELHA COM O TEMA DO CONTO? AS PERSONAGENS EXPRESSAM OS MESMOS SENTIMENTOS E ATITUDES COM RELAÇÃO À ROTINA? COMO SE COMPORTAM AS MULHERES? O RITMO DA MÚSICA ALTEROU O CONTEXTO? DE QUE FORMA?
  29. 29. Tipos de narrador Adjetivação EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
  30. 30. PRODUÇÃO TEXTUAL: CRIANDO UMA NOVA VERSÃO PARA O CONTO
  31. 31. POR FIM...

×