SlideShare uma empresa Scribd logo

Mostra arquivo

1 de 43
Baixar para ler offline
USO E IMPORTÂNCIA DOS BENS MINERAIS




João Tarcísio de Almeida, geólogo 7ºDS/DNPM/BA.


                Novembro 2007
          João.almeida@dnpm.gov.br
USO DE BENS MINERAIS




SUMÁRIO
RESUMO
INTRODUÇÃO
CONCEITOS GERAIS
CICLO DAS ROCHAS
OS GRUPOS MINERAIS
ESPÉCIMES MINERAIS
CONSIDERAÇÕES SOBRE USOS DE MINERIAS E METAIS
TABELAS SINTÉTICAS DE USOS
CONCLUSÃO
BIBLIOGRAFIA


João Tarcísio de Almeida, geólogo 7ºDS/DNPM/BA.


Resumo: O Texto trata do uso de minerais e metais e suas diversas implicações
econômicas, sociais e ambientais.
Introdução: Este trabalho foi elaborado a fim de atender a determinação de
“Estudos de Casos” do professor José Batista de Oliveira Júnior da cadeira
Mineração em Ambiente Urbano do Curso de Mestrado em Engenharia Ambiental
e Urbana do DCTM/EPUFBA, depôs modificado e atualizado para ser colocado no
sítio do 7ºDS/DNPM/BA na internet.


                                 Conceitos Gerais


Mineral - substância natural, inorgânica, consistindo de um simples elemento ou
de um composto, tendo uma composição química e uma estrutura cristalina
definida.
Gema natural - mineral ou rocha que por seus atributos de beleza, durabilidade,
raridade, é utilizada como adorno ou ornamento, ou é lapidada e utilizada como
jóia. As gemas se destacam devido a beleza das suas cores e as suas propriedades
óticas especiais.
Minério – material que tem um constituinte valioso, geralmente um metal, que dá
este valor e torna lucrativa a extração Também é chamado minério todo material
mineral ou rochoso de valor econômico.
Metal - Designação comum aos elementos químicos, fusíveis, dúcteis, maleáveis,
eletro positivos, em geral sólidos, brilhantes, bons condutores de calor e
eletricidade.
Petróleo – Combustível fóssil, líquido, natural, constituído quase só de
hidrocarbonetos, e que se encontra preenchendo os poros de rochas sedimentares,
formando depósitos.
Carvão mineral - Substância combustível fóssil, sólida, negra, resultante da
combustão incompleta de materiais orgânicos contidas nas rochas.
Água mineral é a água proveniente de fonte natural ou artificialmente captada,
impregnada de sais minerais ou gases, que possui composição química ou
propriedades físicas ou físico-químicas distintas das águas comuns, com
características que lhes confiram uma ação medicamentosa ou terapêutica.
Rocha é o mais comum material da terra, e pode ser definida como um sólido ou
um agregado natural composto de é de um ou mais minerais.

       A divisão das rochas é feita em três principais famílias baseadas em como
elas são formadas: ígneas, sedimentares e metamórficas. Cada grupo contém uma
coleção de tipos de rocha que deferem uma das outras pelo tamanho, forma e
arranjo dos grãos de minerais.

       O ciclo das rochas é uma ilustração para explicar como os três tipos de
rochas estão relacionados entre si e como os processos da Terra mudam as rochas
de um tipo para outro através do tempo geológico. O movimento das placas
tectônicas é responsável pela reciclagem dos materiais rochosos e é a força
dominante do ciclo das rochas.
O ciclo das rochas




Os grupos minerais
Os minerais são subdivididos em grupos de acordo com suas similaridades,
isto é chamado de classificação. Os minerais são classificados de acordo com sua
composição química. Existem sete principais grupos: Elementos nativos, haletos,
sulfetos, carbonatos, sulfatos, óxidos e silicatos. Existem também diversos grupos
menores, que incluem os sulfosais, nitratos, boratos, tungstatos e molibidatos e
também os fosfatos, arsenatos e vanadatos.
        Aproximadamente 98,5% da massa da crosta terrestre é constituída de oito
elementos: oxigênio 47%, silício 28%, alumínio 8%, ferro 5%, cálcio 3,5%, sódio
2,5%, potássio 2,5%, magnésio 2%. Todos elementos restantes constituem 1,5%, ou
seja, cerca de 90 elementos naturais.
        Alguns minerais são geograficamente abundantes, em termos econômicos,
tais como, ferro, quartzo, sílica, e calcário, podem ser encontrados na maioria dos
paises. Outros estão concentrados em relativamente poucos lugares, como alguns
metais secundários (tântalo e vanádio) e minerais industriais (boratos e rochas
fosfáticas).
        Existem aproximadamente 3.000 minerais na natureza e de acordo com o
Serviço Geológico dos Estados Unidos, existem cerca de 80 commodities minerais. A
maioria composta de metais, mas existem também importantes não metálicos, uns
poucos chamados de metalóides (tais como silício, arsênio, selênio e telúrio) por
terem algumas propriedades metálicas. Alguns metais são usados a milhares de
anos, o cobre, por exemplo, é usado desde 7.000 anos antes de Cristo. Em
contraste, metais como o titânio, tântalo, nióbio, molibdênio e zircônio, tem sido
usado comercialmente a somente 50 anos.




                               Espécimes Minerais·
Mesolita
Na2Ca2Al6Si9O30 - 8H2O, silicato do grupo da zeólitas.




                  Estibnita Sb2S3




                Diamante bruto C




             Cristal de fluorita CaF2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal8ºC
 
Gestão sustentável dos recursos naturais
Gestão sustentável dos recursos naturaisGestão sustentável dos recursos naturais
Gestão sustentável dos recursos naturaisLeonardo Alves
 
Mudanças climáticas
Mudanças climáticas Mudanças climáticas
Mudanças climáticas Marcelo Gomes
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturaisverasanches
 
Recursos naturais introdução
Recursos naturais introduçãoRecursos naturais introdução
Recursos naturais introduçãoadelinacgomes
 
Problemas ambientais vs Energia
Problemas ambientais vs EnergiaProblemas ambientais vs Energia
Problemas ambientais vs EnergiaLuisjoaquim
 
CN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAISCN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAISLuís Ferreira
 
Políticas ambientais no Brasil e a questão energética.
Políticas ambientais no Brasil e a questão energética.Políticas ambientais no Brasil e a questão energética.
Políticas ambientais no Brasil e a questão energética.Jones Godinho
 
Recursos geológicos
Recursos geológicosRecursos geológicos
Recursos geológicosmargaridabt
 

Mais procurados (17)

Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal
 
Gestão sustentável dos recursos naturais
Gestão sustentável dos recursos naturaisGestão sustentável dos recursos naturais
Gestão sustentável dos recursos naturais
 
Mudanças climáticas
Mudanças climáticas Mudanças climáticas
Mudanças climáticas
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Recursos naturais introdução
Recursos naturais introduçãoRecursos naturais introdução
Recursos naturais introdução
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Recursos naturais parte 1
Recursos naturais parte 1Recursos naturais parte 1
Recursos naturais parte 1
 
Recursos naturais
Recursos naturaisRecursos naturais
Recursos naturais
 
Recursos naturais i
Recursos naturais iRecursos naturais i
Recursos naturais i
 
Recursos naturais
Recursos naturaisRecursos naturais
Recursos naturais
 
Problemas ambientais vs Energia
Problemas ambientais vs EnergiaProblemas ambientais vs Energia
Problemas ambientais vs Energia
 
CN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAISCN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAIS
 
Políticas ambientais no Brasil e a questão energética.
Políticas ambientais no Brasil e a questão energética.Políticas ambientais no Brasil e a questão energética.
Políticas ambientais no Brasil e a questão energética.
 
Recursos geológicos
Recursos geológicosRecursos geológicos
Recursos geológicos
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Questões ambientais
Questões ambientaisQuestões ambientais
Questões ambientais
 

Destaque (20)

8 (1)
8 (1)8 (1)
8 (1)
 
haitham_afifi_CV
haitham_afifi_CVhaitham_afifi_CV
haitham_afifi_CV
 
VOCÊ SABIA?
VOCÊ SABIA?VOCÊ SABIA?
VOCÊ SABIA?
 
1891 05
1891 051891 05
1891 05
 
Segunda Empregável - Edição 44
Segunda Empregável - Edição 44Segunda Empregável - Edição 44
Segunda Empregável - Edição 44
 
дайджест №12
дайджест №12дайджест №12
дайджест №12
 
fertilizantesFertilizantes
fertilizantesFertilizantesfertilizantesFertilizantes
fertilizantesFertilizantes
 
General Seed Collection Guidelines for California Native Plant Species
General Seed Collection Guidelines for California Native Plant Species General Seed Collection Guidelines for California Native Plant Species
General Seed Collection Guidelines for California Native Plant Species
 
Bites Snake Spider
Bites Snake SpiderBites Snake Spider
Bites Snake Spider
 
Guía del Comercio electrónico 2012
Guía del Comercio electrónico 2012Guía del Comercio electrónico 2012
Guía del Comercio electrónico 2012
 
Envision HOI FINAL
Envision HOI FINALEnvision HOI FINAL
Envision HOI FINAL
 
Accidentes_aracnidos
Accidentes_aracnidosAccidentes_aracnidos
Accidentes_aracnidos
 
Encontros divinos Zacharia Sitchin
Encontros divinos   Zacharia SitchinEncontros divinos   Zacharia Sitchin
Encontros divinos Zacharia Sitchin
 
Leptospirosis
LeptospirosisLeptospirosis
Leptospirosis
 
Triptico citogenetica SMG 2011 1
Triptico citogenetica SMG 2011 1Triptico citogenetica SMG 2011 1
Triptico citogenetica SMG 2011 1
 
Alans
AlansAlans
Alans
 
Terra fria
Terra friaTerra fria
Terra fria
 
comments_daniels
comments_danielscomments_daniels
comments_daniels
 
Marxism vs. Pan Africanism: A Scholarly Debate
Marxism vs. Pan Africanism: A Scholarly DebateMarxism vs. Pan Africanism: A Scholarly Debate
Marxism vs. Pan Africanism: A Scholarly Debate
 
Ancient Greece
Ancient GreeceAncient Greece
Ancient Greece
 

Semelhante a Mostra arquivo

Recursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicosRecursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicosMarisa Ferreira
 
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis 9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis Alexandre Alves
 
Aula de Geografia - Espaço natural e socioeconômico
Aula de Geografia - Espaço natural e socioeconômicoAula de Geografia - Espaço natural e socioeconômico
Aula de Geografia - Espaço natural e socioeconômicoEditora Moderna
 
Os recursos do subsolo
Os recursos do subsoloOs recursos do subsolo
Os recursos do subsoloCatalin Danu
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos MineraisFilipe Leal
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloRaffaella Ergün
 
Metalurgia e siderurgia:transformação de minérios em metais
Metalurgia e siderurgia:transformação de minérios em metaisMetalurgia e siderurgia:transformação de minérios em metais
Metalurgia e siderurgia:transformação de minérios em metaisEverton_p
 
Geologia e a Ação Humana 2º VA
Geologia e a Ação Humana 2º VAGeologia e a Ação Humana 2º VA
Geologia e a Ação Humana 2º VAProfMario De Mori
 
Substâncias presentes na litosfera
Substâncias presentes na litosferaSubstâncias presentes na litosfera
Substâncias presentes na litosferaGlaucia Perez
 
Ementas curso-tecnico-em-recursos-minerais (1)
Ementas curso-tecnico-em-recursos-minerais (1)Ementas curso-tecnico-em-recursos-minerais (1)
Ementas curso-tecnico-em-recursos-minerais (1)Raquel Damasceno
 
Os recursos naturais genina
Os recursos naturais geninaOs recursos naturais genina
Os recursos naturais geninakitty
 

Semelhante a Mostra arquivo (20)

Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
 
Recursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicosRecursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicos
 
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis 9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis
9º ano (cap1) Recursos Naturais e combustíveis fósseis
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
 
GEOLOGIA
GEOLOGIAGEOLOGIA
GEOLOGIA
 
Aula de Geografia - Espaço natural e socioeconômico
Aula de Geografia - Espaço natural e socioeconômicoAula de Geografia - Espaço natural e socioeconômico
Aula de Geografia - Espaço natural e socioeconômico
 
Modulo 09 - A exploração dos recursos minerais
Modulo 09 - A exploração dos recursos mineraisModulo 09 - A exploração dos recursos minerais
Modulo 09 - A exploração dos recursos minerais
 
Recursos minerais
Recursos mineraisRecursos minerais
Recursos minerais
 
Os recursos do subsolo
Os recursos do subsoloOs recursos do subsolo
Os recursos do subsolo
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
 
Aula 7 - Recursos Minerais (1).pdf
Aula 7 - Recursos Minerais (1).pdfAula 7 - Recursos Minerais (1).pdf
Aula 7 - Recursos Minerais (1).pdf
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
 
10 a aula geo cpvem relevo-3
10 a aula geo cpvem   relevo-310 a aula geo cpvem   relevo-3
10 a aula geo cpvem relevo-3
 
Metalurgia e siderurgia:transformação de minérios em metais
Metalurgia e siderurgia:transformação de minérios em metaisMetalurgia e siderurgia:transformação de minérios em metais
Metalurgia e siderurgia:transformação de minérios em metais
 
1º Mc Grupo 06
1º Mc   Grupo 061º Mc   Grupo 06
1º Mc Grupo 06
 
1471 manganês
1471   manganês1471   manganês
1471 manganês
 
Geologia e a Ação Humana 2º VA
Geologia e a Ação Humana 2º VAGeologia e a Ação Humana 2º VA
Geologia e a Ação Humana 2º VA
 
Substâncias presentes na litosfera
Substâncias presentes na litosferaSubstâncias presentes na litosfera
Substâncias presentes na litosfera
 
Ementas curso-tecnico-em-recursos-minerais (1)
Ementas curso-tecnico-em-recursos-minerais (1)Ementas curso-tecnico-em-recursos-minerais (1)
Ementas curso-tecnico-em-recursos-minerais (1)
 
Os recursos naturais genina
Os recursos naturais geninaOs recursos naturais genina
Os recursos naturais genina
 

Mostra arquivo

  • 1. USO E IMPORTÂNCIA DOS BENS MINERAIS João Tarcísio de Almeida, geólogo 7ºDS/DNPM/BA. Novembro 2007 João.almeida@dnpm.gov.br
  • 2. USO DE BENS MINERAIS SUMÁRIO RESUMO INTRODUÇÃO CONCEITOS GERAIS CICLO DAS ROCHAS OS GRUPOS MINERAIS ESPÉCIMES MINERAIS CONSIDERAÇÕES SOBRE USOS DE MINERIAS E METAIS TABELAS SINTÉTICAS DE USOS CONCLUSÃO BIBLIOGRAFIA João Tarcísio de Almeida, geólogo 7ºDS/DNPM/BA. Resumo: O Texto trata do uso de minerais e metais e suas diversas implicações econômicas, sociais e ambientais. Introdução: Este trabalho foi elaborado a fim de atender a determinação de “Estudos de Casos” do professor José Batista de Oliveira Júnior da cadeira
  • 3. Mineração em Ambiente Urbano do Curso de Mestrado em Engenharia Ambiental e Urbana do DCTM/EPUFBA, depôs modificado e atualizado para ser colocado no sítio do 7ºDS/DNPM/BA na internet. Conceitos Gerais Mineral - substância natural, inorgânica, consistindo de um simples elemento ou de um composto, tendo uma composição química e uma estrutura cristalina definida. Gema natural - mineral ou rocha que por seus atributos de beleza, durabilidade, raridade, é utilizada como adorno ou ornamento, ou é lapidada e utilizada como jóia. As gemas se destacam devido a beleza das suas cores e as suas propriedades óticas especiais. Minério – material que tem um constituinte valioso, geralmente um metal, que dá este valor e torna lucrativa a extração Também é chamado minério todo material mineral ou rochoso de valor econômico. Metal - Designação comum aos elementos químicos, fusíveis, dúcteis, maleáveis, eletro positivos, em geral sólidos, brilhantes, bons condutores de calor e eletricidade. Petróleo – Combustível fóssil, líquido, natural, constituído quase só de hidrocarbonetos, e que se encontra preenchendo os poros de rochas sedimentares, formando depósitos. Carvão mineral - Substância combustível fóssil, sólida, negra, resultante da combustão incompleta de materiais orgânicos contidas nas rochas. Água mineral é a água proveniente de fonte natural ou artificialmente captada, impregnada de sais minerais ou gases, que possui composição química ou propriedades físicas ou físico-químicas distintas das águas comuns, com características que lhes confiram uma ação medicamentosa ou terapêutica. Rocha é o mais comum material da terra, e pode ser definida como um sólido ou um agregado natural composto de é de um ou mais minerais. A divisão das rochas é feita em três principais famílias baseadas em como elas são formadas: ígneas, sedimentares e metamórficas. Cada grupo contém uma coleção de tipos de rocha que deferem uma das outras pelo tamanho, forma e arranjo dos grãos de minerais. O ciclo das rochas é uma ilustração para explicar como os três tipos de rochas estão relacionados entre si e como os processos da Terra mudam as rochas de um tipo para outro através do tempo geológico. O movimento das placas tectônicas é responsável pela reciclagem dos materiais rochosos e é a força dominante do ciclo das rochas.
  • 4. O ciclo das rochas Os grupos minerais
  • 5. Os minerais são subdivididos em grupos de acordo com suas similaridades, isto é chamado de classificação. Os minerais são classificados de acordo com sua composição química. Existem sete principais grupos: Elementos nativos, haletos, sulfetos, carbonatos, sulfatos, óxidos e silicatos. Existem também diversos grupos menores, que incluem os sulfosais, nitratos, boratos, tungstatos e molibidatos e também os fosfatos, arsenatos e vanadatos. Aproximadamente 98,5% da massa da crosta terrestre é constituída de oito elementos: oxigênio 47%, silício 28%, alumínio 8%, ferro 5%, cálcio 3,5%, sódio 2,5%, potássio 2,5%, magnésio 2%. Todos elementos restantes constituem 1,5%, ou seja, cerca de 90 elementos naturais. Alguns minerais são geograficamente abundantes, em termos econômicos, tais como, ferro, quartzo, sílica, e calcário, podem ser encontrados na maioria dos paises. Outros estão concentrados em relativamente poucos lugares, como alguns metais secundários (tântalo e vanádio) e minerais industriais (boratos e rochas fosfáticas). Existem aproximadamente 3.000 minerais na natureza e de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos, existem cerca de 80 commodities minerais. A maioria composta de metais, mas existem também importantes não metálicos, uns poucos chamados de metalóides (tais como silício, arsênio, selênio e telúrio) por terem algumas propriedades metálicas. Alguns metais são usados a milhares de anos, o cobre, por exemplo, é usado desde 7.000 anos antes de Cristo. Em contraste, metais como o titânio, tântalo, nióbio, molibdênio e zircônio, tem sido usado comercialmente a somente 50 anos. Espécimes Minerais·
  • 6. Mesolita Na2Ca2Al6Si9O30 - 8H2O, silicato do grupo da zeólitas. Estibnita Sb2S3 Diamante bruto C Cristal de fluorita CaF2
  • 7. Rodocrosita MnCO3 Calcita CaCO3 sobre ametista SiO2 Milerita NiS Topázio Al2(SiO4)(F,OH)2 Quartzo( SiO2) rutilado (Rutilo TiO2)
  • 8. Considerações sobre Usos de Minerais e Metais As pessoas se beneficiam do uso dos minerais e metais e dos produtos derivados deles de uma quantidade infinita de formas. Em muitos casos o benefício é indireto, como a energia que alimenta um computador que se origina da queima do carvão, ou do movimento de uma turbina de metal. As pessoas se beneficiam também da produção mineral, diretamente através do emprego na mineração, no beneficiamento, no refino, na reciclagem, e indiretamente nas rendas e nos meios de vida gerados na elaboração e venda de produtos minerais e produtos derivados. Uma forma de se avaliar a necessidade de minerais, consiste em se analisar os benefícios derivados do uso de produtos minerais, desde os usados diretamente, como suplementos dietéticos de zinco, até os produtos duráveis com ferramentas, tijolos, ladrilhos, aeroplanos, carros, e de produtos não minerais, obtidos mediante a utilização de minerais (como alimentos que para sua produção requerem o uso de tratores, arados e outros equipamentos fabricados de metal). Hoje em dia a sociedade depende enormemente de materiais relacionados com minerais para geração e transmissão de energia, movimentação, transporte, informação, comunicação, abastecimento de alimentos, atenção à saúde, e um sem número de outros serviços. O uso e a produção mineral são também essenciais a subsistência das pessoas, através da geração de emprego e renda e para um número importante de economias nacionais. É provável que a demanda por produtos minerais aumente com o crescimento da população e da renda real per capitã. A julgar pela experiência dos paises mais industrializados, o incremento da renda, conduz a maior expectativa de vida e ao aumento da população. A medida que o desenvolvimento segue seu curso, a educação e os serviços de saúde se fazem extensivos as mulheres. Por esta e por outras razões, o índice de natalidade diminui e o crescimento da população se faz mais lento. Pode-se esperar uma tendência similar nos paises em desenvolvimento durante os próximos 50 a 100 anos. Qualquer discussão sobre as necessidades de minerais termina vinculada à disponibilidade: existe suficiente disponibilidade física de certos minerais para continuar satisfazendo as necessidades humanas? A sociedade será capaz e estará disposta a assumir os custos econômicos, sociais e ambientais da obtenção de minerais em formas utilizáveis? O crescimento da população mundial, junto com o melhoramento da qualidade de vida em muitos paises e a aparição de novos usos para os minerais, acelerou o ritmo da explotação. Isto em parte foi facilitado pelos avanços tecnológicos que permitem a extração mais eficiente e a menor custo, além do aumento dos níveis de reciclagem. A produção, o uso, o reuso, e a reciclagem de minerais e matais tem um papel fundamental no desenvolvimento econômico das sociedades, constituindo uma importante atividade na criação da riqueza e do emprego de uma nação. O setor de minerais e metais dá aos paises a base econômica de modo que os mesmos possam alcançar as suas aspirações sociais, como diminuição da pobreza,
  • 9. desenvolvimento de sua infra-estrutura, educação, e treinamento. Estes desenvolvimentos precisam ser realizados de maneira sustentáveis e responsáveis, levando-se em conta os aspectos sociais, ambientais e econômicos. Atualmente, o mundo está envolvido na globalização e promoção do comércio internacional e os investimentos estrangeiros tem se tornado um dos principais elementos da estratégia para o desenvolvimento econômico. Isto sem dúvida causa impacto no setor de minerais e metais, que produz numerosas commodities. As barreiras tradicionais de comercio de mercadorias, serviços e pessoas em alguns casos tem diminuído. Mas, ao mesmo tempo em que blocos comerciais regionais estão sendo estabelecidos em áreas de importantes interesses comuns, estas relações têm se tornado complexas e de difícil negociação. Como estas barreiras comercias tendem a desaparecer, os paises diante da competição, tem que encontrar abordagens inovativas para proteção de seus mercados. Uma área que tem recebido uma atenção crescente é a área de proteção ambiental. A tendência internacional se move para maiores controles e restrições ao uso de produtos químicos, incluindo minerais e metais, em alguns casos sem o adequado suporte cientifico. Esta é uma importante questão, porque pode ter um importante e negativo impacto no uso de minerais e metais em aplicações múltiplas e em importantes mercados. O papel dos governos é de trabalhar para um melhor entendimento dos aspectos sociais, econômicos, da produção de minerais e metais, devendo ficar atentos para responder as questões que possam inapropriadamente restringir o acesso ao mercado de minerais e metais. Os paises precisam também participar internacionalmente de fóruns relacionados a minerais e metais de modo a discutir suas posições nacionais e suas prioridades. Ainda como papel dos governos, cabe a promoção e participação ativa na coordenação do desenvolvimento das posições nacionais. Estas posições nacionais podem resultar de processos de consultas a mais as importantes organizações governamentais e não governamentais. As posições nacionais devem refletir as prioridades locais/regionais A grande maioria das pessoas reconhece que o mercado internacional está mudando. Os consumidores não estão somente preocupados com qualidade e custo, mas estão também preocupados com segurança e de potencial efeito ambiental adverso relacionado aos produtos e seus usos. A comercialização de “produtos verdes”, produtos com rotulação ecológica, com análise de ciclo de vida, e a adoção de modelos e códigos e práticas internacionais como a ISO 14.000, são reflexos desta tendência. Mas não só o governo como a industria mineral deve está atenta a estas tendências e devem participar no desenvolvimento de modelos internacionais que melhor reflitam as condições e prioridades relacionadas com suas operações.
  • 10. Durante a última década, o principio da precaução foi crescentemente se estabelecendo como um mecanismo de tomada de decisão, em resposta as preocupações ambientais. Isto aumenta a necessidade de assegurar que a necessária evidência científica esteja disponível e que esta informação atenda aos organismos reguladores, como também aos consumidores, de modo que, decisões apropriadas possam ser tomadas. Em geral, os entendimentos científicos sobre minerais e metais e seus compostos ou ligas precisam ser melhorados, levando-se em conta as características específicas, que resultam de considerações sobre a geologia local e regional e do ambiente físico, bem como das prioridades locais/regionais. O uso seguro de minerais e metais requer uma abordagem baseada no risco, durante os vários estágios do ciclo de vida, de modo a atender o gerenciamento ambiental e os objetivos sociais. Há a necessidade de se identificar corretamente características perigosas e avaliar os riscos envolvidos, através de uma análise do risco-benefício de modo a se implementar opções de gerenciamento de risco. A palavra seguro neste contesto não significa segurança absoluta ou ausência de risco, porém limites de aceitabilidade pela sociedade e consistência com os princípios do desenvolvimento sustentável, que pode se resumir no binômio alto benefício, baixo risco. Reconhecendo que minerais e metais são substâncias inorgânicos naturalmente ocorrentes na natureza, e que se comportam diferentemente das substâncias orgânicas, eles requerem metodologias de avaliação de risco apropriadas. Desenvolvimento sustentável - é o desenvolvimento realizado com a preocupação de se satisfazer as necessidades do presente, sem comprometer a capacidade das futuras gerações de satisfazer as suas próprias necessidades. Para uma comunidade ser sustentável, ela deve adotar uma abordagem que considera os recursos econômicos, ambientais e culturais a curto e longo prazo. Desenvolvimento sustentável – é um modelo de transformação social e econômico (ou seja, desenvolvimento) que otimiza os benefícios sociais e econômicos disponíveis no presente sem por em perigo os benefícios similares do futuro. Em geral o mais amplo objetivo do desenvolvimento sustentável é encontrar um nível ótimo de interação entre três sistemas, o biológico e de recursos naturais, o sistema econômico, e sistema social, através de um processo dinâmico adaptativo de negociação. O sistema básico de suporte da vida compreende a proteção do ar, água, terra e biota, juntamente com a proteção da infra-estrutura e instituições necessárias ao controle deste sistema. A reciclagem é um componente fundamental do uso sustentável de minerais e metais. Materiais reciclados representam uma vital segunda fonte de suprimento que amplia o ciclo de vida destes materiais e reduz a pressão por aterros sanitários e contribui com a economia de energia. Atividades sustentáveis de reciclagem requerem sistemas de coletas efetivos e eficientes, tecnologias ambientais e
  • 11. econômicas saudáveis para separação e recuperação de commodities e a capacidade de comercializar estes materiais recicláveis. É necessário que se reconheça o importante papel que os minerais e metais tem na sociedade, não somente como um fator para o desenvolvimento, porém como fator de sustentação da qualidade de vida e que o uso e a produção segura de minerais e metais pode ser feito de modo sustentável, dando-se importância também aos aspectos econômicos, ambientais e sociais. É necessário também que publicamente se enfatize os benefícios sociais para nação e os benefícios regionais no desenvolvimento do emprego e da infra- estrutura, derivados da exploração da produção, do uso, reuso, e da reciclagem segura, de minerais e metais. O princípio do uso seguro contribui para um gerenciamento responsável de minerais e metais em cada estágio do ciclo de vida, assim como contribui o esforço para se maximizar os benefícios, e minimizar os riscos. A indústria, em particular, precisa demonstrar a boa administração de seus produtos, como eles são produzidos e usados. Para que o setor mineral contribua com o desenvolvimento sustentável de forma plena, se deve considerar o consumo de seus produtos junto com as atividades de extração e processamento de minerais e metais. A Agenda 21 O compromisso de ação da Cúpula da Terra de 1992 (No Rio de Janeiro), reconheceu a importância de se considerar todo o ciclo de vida do produto. Este programa chamou a atenção sobre a necessidade de se concentrar as políticas públicas na demanda de “recursos naturais e o uso eficiente destes recursos de forma coerente com o propósito de se minimizar seu esgotamento e reduzir a contaminação”. A adoção de um enfoque “do princípio ao fim” no setor mineral, constitui um desafio especial porque não existe muita ligação entre a produção e o uso de insumos minerais. Mesmo que os consumidores minerais tenham consciência de que aquele material que está em suas mãos se originou de uma mina, geralmente desconhecem a sua origem geográfica ou a forma que foi incorporado ao produto. A diversidade do setor, além da ampla e crescente gama de aplicações dos insumos minerais, se soma a este desafio. Para se assegurar que o grau e os modelos de uso de insumos minerais sejam mais conseqüentes com o desenvolvimento sustentável, será necessário estabelecer vínculos mais estreitos entre produção e consumo. Para isto, é essencial contar com enfoques integrados, que incluem instrumentos de mercado, regulações apropriadas e uma gestão mais efetiva da cadeia de abastecimento. As responsabilidades de se reduzir os impactos negativos, além dos custos associados, deve ser repartidas pelos atores sociais e distribuir-se ao longo da cadeia de valor (todas as atividades do ciclo de minerais). Isto se aplica aos custos incorridos não somente no consumo, porém através de toda a cadeia. Para enfrentar as preocupações sobre a equidade do acesso aos recursos minerais, o consumo “desperdiçador” e os impactos ambientais, o uso de fontes primárias de minerais deve ser manejado de modo mais eficiente, por exemplo, através da reciclagem, um melhor desenho e da reutilização e refabricação dos
  • 12. produtos. Contudo as decisões de se reduzir a dependência de fontes primárias (produzidas a partir de reservas de recursos naturais) devem considerar os impactos que, por exemplo, tem nas pessoas cujos meios de vida dependem da extração destes recursos. É necessário se entender os efeitos que provoca o uso de diferentes produtos minerais no meio ambiente e na saúde das pessoas. As responsabilidades devem ser divididas no contexto de um enfoque de ciclo de vida. Quando os minerais representam riscos potenciais associados ao seu uso, é pertinente aplicar o princípio da precaução. Adiante estão sugeridas medidas que devem ser adotadas para melhor se esclarecer a importância do uso dos minerais e metais 1 - Vincular a produção ao uso. A maioria das pessoas sabe pouco ou nada sobre a origem dos materiais relacionados com minerais e sobre a forma como se produzem os mesmos. É mais provável que os consumidores com motivações ambientais ao comprar um automóvel novo ou um eletrodoméstico se interessem mais na sua eficiência energética e no potencial de poluição do que nos efeitos associados à extração dos recursos minerais. Esta tendência se reflete nos sistemas de etiquetamento ambiental dos produtos que contém minerais, como refrigeradores, lavadoras, etc., onde as etiquetas tendem a concentrar-se na eficiência energética. 2 - Administração da cadeia de abastecimento – O vínculo entre a produção e o uso de insumos minerais pode ser melhorado mediante a gestão mais efetiva da cadeia de abastecimento (os trechos da cadeia de valor situados na fase inicial da operação em questão). O fortalecimento das relações entre as empresas dentro da cadeia pode ajudar que uma delas exerça influência sobre as outras e melhore as práticas comerciais entre elas, de modo que se reduzam os efeitos negativos. A globalização também conduz a novas relações ente as empresas em qualquer cadeia de abastecimento. Devemos salientar que já existem empresas que tem alto padrão, que estão tentando distinguir seus produtos minerais sobre a base de critérios ambientais, por exemplo, a empresa brasileira “PLANTAR”, está promovendo o seu ferro gusa ecológico (green”ou verde), fundido com carvão obtido de florestas certificadas pelo FSC – Forest Stewardship Council, ou Conselho de Manejo Florestal. 3 – Administração de Produtos – A administração de produtos descreve a responsabilidade compartilhada entre os que controlam o ciclo de vida do produto, que incluem produtores, fabricantes, varejistas, recicladores, encarregados do manejo de dejetos, usuários; em todos os custos associados com seus impactos ambientais negativos e com a redução dos mesmos. As associações de minerais tem começado a estimular o diálogo entre as empresas sobre a cadeia de valor com o propósito de melhorar a administração dos produtos, incluindo preocupação com os temas de saúde e segurança com relação aos processos de produção. Estas associações têm cumprido um papel importante na promoção de boas práticas.
  • 13. 4 – Avaliação do Ciclo de Vida – (ACV) – envolve a medição e avaliação dos impactos ambientais de produtos, desde o começo até o fim da sua vida útil. É um instrumento para apoio das decisões referentes a redução destes impactos e fazê- los mais transparentes. A ACV tem sido desenvolvida e promovida por iniciativa do Ciclo de Vida do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente /Sociedade de Toxicologia e Química Ambiental (PNUMA/SETAC) e os métodos utilizados têm sido padronizados segundo a série ISSO 14.000. 5 – Preços que reflitam os custos verdadeiros – na economia de mercado que funciona bem, o preço pago por um produto mineral básico, como de qualquer outro bem ou serviço, deve refletir os custos marginais totais da produção e uso. Para o setor mineral, como para muitos outros, atualmente este não é o caso. Em especial os preços pagos pelos usuários de insumos minerais não refletem os custos ambientais e sociais gerados em todas as etapas do ciclo de vida dos minerais, incluindo os danos ambientais e os transtornos sociais da mineração, como também a poluição proveniente do processamento e dos desperdícios que seguem o uso. 6 – Suficiência, eficiência e uso (Preocupações pelo volume de uso de materiais) – nos últimos anos, um crescente número de petições dos ambientalistas demanda uma redução do volume de uso de minerais em muitas economias nacionais, em especial nos paises industrializados. Tem-se criado numerosos conceitos para se destacar os níveis atuais de dependência do volume de uso dos recursos. Estes se aplicam a produtos, pessoas, e paises. As estatísticas elaboradas a partir de alguns casos são alarmantes. Por exemplo, o Instituto Wuppertal, estimou que 1 Kg de cobre carrega uma “carga ecológica” de 500 Kg de recursos naturais (incluindo água e ar) que se usam e se transformam durante a sua vida. 6.1 – Resposta das Empresas – o marco geral para resposta das empresas a preocupação sobre a eficiência dos recursos é a “eficiência ecológica”: aumentar a relação de benefícios econômicos proporcionados por um bem ou serviço por unidade de impacto ambiental e uso do recurso.(Expressão cunhada pelo Conselho empresarial para o Desenvolvimento Sustentável WBSCD – World Businnes Council for Sustenable Development). 6.2 – Resposta dos Governos – Em 1997 os governos do mundo pediram que se considerasse uma maior eficiência dos recursos em um fator de 4 para 10 durante a próxima duas ou três décadas. (Parágrafo 28 da Seção Especial da Assembléia das Nações Unidas Sobre a Revisão e Avaliação da Implementação da Agenda 21, Nova York, 23 a 27 de junho de 1997). 7 – Chaves para se lograr avanços na reciclagem - planificação pública adequada, para tomada de decisões e para difusão das informações, para implementação de políticas que levem ao avanço tecnológico. 8 – Refabricação e Reutilização – Se complementamos a reciclagem com a refabricação e reutilização, é possível diminuir o crescimento da demanda de insumos minerais. A refabricação se refere ao processo de desmontagem do produto, em que as partes são limpas, reparadas ou recolocadas em adequado
  • 14. funcionamento. A reutilização envolve extender a vida de um produto mediante a sua manutenção ou recondicionamento. 9 – Regulamentação e Uso final – Algumas pessoas acreditam que sob a perspectiva de desenvolvimento sustentável, os custos associados com o uso de certos insumos minerais importam mais do que os benefícios. Este pode ser o caso se, por exemplo, elas consideram que os riscos para a saúde associados com o uso são inaceitáveis ou incertos. Fundamentalmente é responsabilidade do governo equilibrar as incertezas concernentes aos impactos potencialmente negativos que resultam do uso de um produto mineral, com os benefícios obtidos, ao permitir que este ingresse no mercado. Sem dúvida, os governos devem empreender esta tarefa de uma maneira transparente, com plena participação de todos os interessados. IMPORTÂNCIA DOS MINERAIS NAS NOSSAS VIDAS Como vivemos no planeta Terra, toda vida depende da mesma. Como a terra e composta de rochas e as rochas são compostas de minerais, então fica clara a importância dos minerais e metais nas nossas vidas. Mas para relembrarmos desta importância vejamos os tópicos expostos a seguir: Minerais e metais em nossas casas. Muitas coisas que vemos em volta de nós em nossas casas são feitas de minerais e metais. Então vejamos os exemplos abaixo: A geladeira é composta de alumínio, cobre ferro, níquel, e produtos de petróleo e zinco.
  • 15. O sal de cozinha é um produto mineral. O rádio inclui alumínio, cobre ouro, ferro, e produtos de petróleo. Os fiou ou cabos elétricos são feitos de cobre e produtos de petróleo. A torradeira é composta de cobre, ferro, níquel, mica, cromo e produtos de petróleo. O forno de microondas é composto de cobre, ouro, ferro, nefelina sienito, níquel e sílica. O fogão é composto de alumínio, cobre ferro, nefelina sienito, níquel, e sílica. Pratos são compostos de argila. Talheres são compostos de ferro, níquel, e prata. O telefone é composto de cobre, ouro, e produtos de petróleo. A pia de aço é composta de ferro e níquel. O produto de limpeza abrasivo é composto de sílica. O relógio é composto de ferro, nefelina sienito, níquel, produtos de petróleo e sílica. Canetas são compostas de calcário, mica, produtos de petróleo, argila, sílica e talco.
  • 16. Janelas de vidro são compostas de nefelina sienito e sílica. Quadro negro é composto de argila, gesso e calcário. O escorredor de louças é feito de produtos de petróleo. Copos de vidro são feitos de nefelina sienito e sílica. A maçaneta da porta é composta de cobre, zinco, de que é feito o bronze. O carro é feito de alumínio, ferro, barita, calcita, chumbo, mica, nefelina sienito, níquel, produtos de petróleo, argila, sílica e zinco. A calçada de concreto é feita de gesso, ferro, calcário, argila e sílica. A caixa de correio é composta de cobre, zinco, do que é feito o bronze.
  • 17. As telhas são feitas de argila e sílica. Os tijolos são feitos de argila e sílica. As ferramentas são feitas de ferro e níquel. As bicicletas são feitas de ferro, níquel,alumínio e barita e produtos de petróleo. Janelas são feitas de nefelina sienito e sílica. A prancha de skate é composta de alumínio, calcita, ferro, mica, níquel, produtos de petróleo, argila, sílica e talco. A pista de asfalto é composta de produtos de petróleo, e sílica. A televisão é composta de alumínio, cobre, ferro, níquel, e sílica.
  • 18. O estéreo é composto de ouro, ferro, níquel, e produtos de petróleo. O baú metálico é feito de ferro, níquel. Os puxadores de bronze são compostos de cobre e zinco. O carpete é composto de calcário, produtos de petróleo e selênio. A cadeira é feita de alumínio, e produtos de petróleo. A câmera fotográfica é composta de alumínio, ferro, ouro, nefelina sienito, níquel, produtos de petróleo, sílica e prata. O lápis é composto de grafita e argila. O telefone é composto de cobre, ouro, e produtos de petróleo. O computador é feito de ouro, sílica, níquel, alumínio, zinco, ferro, produtos de petróleo e cerca de outros trinta minerais. A Janela de vidro é composta de nefelina sienito e sílica. A mesa de escritório é feita de cobre, ferro, níquel e zinco. Os livros são feitos de argila e calcário. As canetas são feitas de calcário, mica, produtos de petróleo, argila, sílica e talco. O filme fotográfico é feito de produtos de petróleo e prata.
  • 19. O vaso sanitário é feito de argila, cobre, zinco, e produtos de petróleo. A banheira é feita de argila, ferro e níquel. A cortina de plástico do banheiro é feita de produtos de petróleo. Livros são feitos de calcário e argila. O capacho é feito de calcário, produtos de petróleo e selênio. A pasta de dentes é feita de fluorita, barita, calcita. E o recipiente da pasta é feito de produtos de petróleo. O produto de limpeza abrasivo é feito de sílica. Os encanamentos são feito de cobre.
  • 20. A pia do banheiro é feita de argila e produtos de petróleo. As torneiras são feitas de ferro e níquel. Os copos de vidro são feitos de nefelina sienito e sílica. Os cosméticos são feitos de ferro, calcário, mica, produtos de petróleo, sílica, talco e zinco. O espelho é feito de feldspato, sílica e prata. Os azulejos são feitos de argila. Os minerais e matais estão presentes em todas as atividades humanas como poderemos lembrar resumidamente nas situações abaixo relatadas: No Consultório Médico Nas crianças, as erupções de pele provocadas pelo uso prolongado de fraldas, são tratadas com ungüentos contendo zinco. Nas primeiras quedas tanto nas brincadeiras andando de bicicletas correndo nos parques, a tintura de iodo ajuda a curar os cortes e aliviar a dor dos arranhões. Como adultos muitos de nós tomamos leite de magnésia e carbonato de cálcio, para lidar com as tensões e excessos da vida moderna. Além disto, milhões de pessoas tomam todos os dias vitaminas e suplementos minerais como zinco, ferro, cálcio, etc. para manter a saúde.
  • 21. Nutrientes humanos naturais Os nutrientes humanos naturais são: os amino ácidos, os enzimas, os ácidos gordurosos, os minerais e as vitaminas. Os minerais A maioria dos minerais é fácil de ser obtida em quantidades requeridas pelo nosso organismo. Isto é feito através de uma alimentação balanceada saudável. A principal exceção é o ferro para crianças de idade inferior a 4 anos e adolescentes femininos e mulheres na fase de gestação. Estes grupos necessitam uma dieta mais rica em ferro que a dieta normal não supre. O ferro ajuda na produção de células vermelhas do sangue, e também ajuda ao sangue carregar oxigênio dos pulmões para as células. As fontes de alimentação ricas em ferro são a carne, especialmente o fígado, a gema dos ovos, e os vegetais verdes escuros. Todo mundo em todas as idades necessita de cálcio. Este mineral faz parte de nossos ossos e dentes e é necessário para coagulação do sangue. As principais fontes de cálcio são o leite e os queijos duros. Outras são certas folhas verdes, nozes, peixes pequenos como sardinhas, cujos esqueletos ou espinhas podemos mastigar e engolir. O fósforo trabalha com o cálcio para tornar forte os ossos e dentes. Uma dieta que fornece bastante proteína e cálcio também fornece bastante fósforo. Outros minerais importantes são o sódio, o potássio, o iodo, o magnésio, zinco e cobre. As funções dos minerais primariamente estão no metabolismo, como importante parte das enzimas. Os minerais no nosso corpo podem ser categorizados em 2 grupos: os minerais principais, que estão presentes no corpo humano em mais de 5 gramas e os minerais traços presentes no nosso organismo com menos de 5 gramas. Ambos os grupos são importantes como nutrientes essenciais importantes para o funcionamento normal do corpo. A) Os minerais principais – presentes em maiores quantidade são responsáveis por manter o equilíbrio dos fluidos e o equilíbrio eletrolítico e também o equilíbrio ácido-básico. O cálcio é o principal mineral no nosso corpo. E 99% do nosso cálcio é armazenado nos ossos. O sódio também é armazenado na superfície dos ossos e é colocado a disposição do organismo para repor as concentrações no sangue. O potássio é armazenado no interior das células. B) Minerais Traços – As pesquisas concernentes aos minerais traços estão limitadas a animais de laboratório, porque tais minerais são necessários em tão pequenas quantidades que não são possíveis testes em seres humanos, pois os minerais traços são tóxicos em excesso, e são nocivos e arriscados as pessoas que usam suplementos alimentares em grande quantidade. Outro problema reconhecido é que o excesso de um destes minerais traços causa deficiência em outros. Então a melhor maneira de se obter os elementos minerais traços são os alimentos animais e vegetais. Os elementos traços mais importantes são o iodo responsável pela regulação da
  • 22. tiroxina o hormônio responsável pela regularização do metabolismo basal, o ferro, pois, cada célula, planta ou animal contém ferro. 80% do ferro do nosso corpo estão presentes como componentes da proteína hemoglobina nas células vermelhas do sangue. Ou na proteína mioglobina nas células musculares. O ferro nestas proteínas ajuda a manter, carregar e liberar o oxigênio que suporta o trabalho dos tecidos. Em resumo as funções do ferro são transporte do oxigênio, produção de novas células, produção de amino ácidos, hormônios e neurotransmissores. A anemia é uma doença provocada pela deficiência de ingestão de ferro. Cada mineral tem sua contraparte sinergistica ou antagonística. O que significa isto, se a pessoa tem uma quantidade grande ou uma quantidade insuficiente de um mineral específico, ele afetará em contrapartida o seu organismo, causando uma deficiência ou um excesso e um excesso de um mineral traço é nocivo a nossa saúde, e pode ser tóxico. Exemplo, um excesso de cálcio pode causar uma absorção decrescente de fósforo, zinco, magnésio, e manganês. Embora o corpo humano necessite de cerca de 100 elementos minerais, a roda mineral abaixo mostra alguns dos mais importantes e necessários ao nosso corpo, e mais importante ainda, a roda mineral mostra as inter-relações entre os elementos. Os minerais mais importantes, os minerais eletrolíticos, e muitos outros minerais traços são representados na roda mineral. As linhas e setas do diagrama conectam minerais específicos aos outros. A Roda Mineral Ag - Prata Al – Alumínio O – Arsênio Be – Berílio Ca - Cálcio Cd – Cádmio Cu - Cobre Cl - Cloro Co - Cobalto Cr – Cromo F - Flúor Fe - Ferro
  • 23. I – Iodo K – Potássio Li – Lítio. Mg - Magnésio Mn - Manganês Mo - Molibdênio N- Nitrogênio Na - Sódio P- Fósforo S – Enxofre Se - Selênio Zn - Zinco Nutrientes das Plantas Dezesseis elementos químicos são conhecidos como importantes para o crescimento e sobrevivência das plantas. Estes dezesseis elementos são subdivididos em 2 grupos principais, os não minerais e os minerais. Os não minerais são o Hidrogênio (H), O oxigênio (O) e o Carbono (C). Estes nutrientes são encontrados no ar e na água. Nutrientes Minerais Os treze nutrientes minerais, que provem do solo, são dissolvidos em água e absorvidos pelas raízes das plantas. Não existem sempre bastante destes nutrientes no solo para as plantas crescerem saudavelmente. É por isto que muitos fazendeiros e jardineiros usam os fertilizantes para adicionar os nutrientes minerais ao solo. Os nutrientes minerais são divididos em dois grupos: os macros nutrientes e os micros nutrientes. Já os macros nutrientes podem ser subdivididos em dois grupos: os nutrientes primários como o Nitrogênio (N), o Fósforo (P) e o Potássio (P). Estes macros nutrientes em geral estão presentes em quantidades insuficientes, pois as plantas necessitam de grandes quantidades dos mesmos para crescerem e sobreviverem. Os nutrientes secundários são o Cálcio (Ca), o Magnésio (Mg) e o Enxofre (S). Eles em geral estão presentes no solo em quantidades suficientes, mas muitas vezes também precisam ser adicionados ao solo. Muitas vezes o Cálcio e o Magnésio precisam ser adicionados em grandes quantidades quando o solo é ácido, e ai é aplicado o calcário denominado corretivo de solo. O enxofre é comumente encontrado na quantidade suficiente na decomposição lenta da material orgânica do solo. Os micros nutrientes são os elementos essenciais que se necessitam em pequenas quantidades (micro). Eles também são chamados de elementos
  • 24. menores e elementos traços. Os micros nutrientes são Boro (B), Cobre (Cu), Ferro (Fe), Cloro (Cl), Manganês (Mn), Molibdênio (Mo), e Zinco (Zn). Nas Construções e Edificações Construir uma casa seria impossível sem uma serra, martelo e pregos, e estes materiais são possíveis através da mineração. Assim os principais componentes das fundações de suas casas são minerais, como fragmentos de rocha, areia e brita. As argilas são usadas para fabricar tijolos, azulejos e pisos. Os canos de cobre e de produtos de petróleo conduzem a água através de sua casa. O gesso é usado nas paredes e tetos. Bário, manganês, titânio, e talco são usados nas tintas. O linóleo contém carbonato de cálcio, enquanto calcário é usado na fabricação de carpetes. Os vidros das janelas são feitos de sílica e assim por diante. Na Proteção da Natureza
  • 25. O que a mineração retira da terra, nós frequentemente usamos para protegê-la. Nós confiamos no calcário para tratar rejeitos industriais e controlar a poluição do ar. Nossa água é purificada com manganês e carvão ativado. As emissões de carros e caminhões são controladas por platina. A mineração pode estar também no seu jardim, por exemplo, a turfa e o calcário são usados para condicionar os solos. Nas Viagens Aviões, carros, ônibus, trens, trilhos, estradas, todos são dependentes da extração de minerais e metais retirados do subsolo da terra. Imagine como vencer as distâncias da terra, sem o cobalto usado na fabricação de turbinas dos jatos, ou do aço, ferro, cobre zinco, alumínio usados na fabricação de carros, ou sem o bário e a grafite usados na fabricação dos freios destes carros. No total mais de 15 metais e minerais são usados na fabricação de carros As Novas Faces da Indústria Mineral A cara da indústria mineral tem mudado, com as mudanças do mundo moderno. Assim tem mudado a cara dos trabalhadores que a indústria emprega. A velha imagem de mineradores e prospectores com picaretas e pás tem sido substituída por trabalhadores operando robôs, computadores e a maioria dos equipamentos de alta tecnologia. As mulheres hoje em dia são empregadas como engenheiras de mina, operadoras de equipamentos, técnicas, especialistas em meio ambiente e
  • 26. geólogas. Elas trabalham nas minas subterrâneas, nos laboratórios, nas refinarias, nas pesquisas minerais e nos escritórios. A Mineração e os Romances. Através das gerações, casais dizem sim aos seus compromissos com anéis de ouro, diamantes e outras gemas. Nas ocasiões especiais de celebração dos romances, colares, pulseiras e outras jóias são dadas como presentes e reafirmação de seus compromissos. A Mineração Ilumina Nossas Vidas. A mineração está ligada as necessidades de eletricidade do mundo. Carvão, urânio, petróleo, como o muno poderia viver sem eles. O cobre usado nos fios e cabos elétricos distribui a eletricidade pelas cidades e campo e indústrias. Veja como a mineração está presente em tudo, nas turbinas, nas lâmpadas, os bulbos de vidro, feitos de sílica e os filamentos de tungstênio.
  • 27. Observe o Mundo e Veja o Futuro da Mineração. Para vislumbremos o futuro da mineração é necessário que nós olhemos para baixo, para o subsolo. A indústria mineral utiliza aviões equipados, helicópteros e satélites que identificam com precisão as áreas de potencial mineiro. Prospectores usam dispositivos manuais que dão a localização exata usando-se satélites. Muitas empresas de mineração gastam milhões e milhões de dólares por ano em pesquisa mineral e em pesquisa e desenvolvimento de produtos minerais. Tecnologias sofisticadas já são usadas pela indústria mineral e o uso de computadores já é um imperativo. Diversão com Segurança sob a Luz do Sol Os amantes das praias ao redor do mundo podem agradecer a mineração do zinco, que é usado como um ingrediente essencial dos protetores solares. O zinco também é usado para galvanizar as cadeiras de praia, para protegê-las da ferrugem. Todos os amantes das praias e da natureza adoram fazer fotos, cujos filmes são feitos de prata. A Mineração como Elemento Essencial na Cadeia Alimentar.
  • 28. A mineração trabalha contribuindo para colocar alimentos nas nossas mesas. Fertilizantes contém fosfato, nitrogênio, enxofre e potássio, que ajudam frutas e vegetais a crescerem e produzirem. Nós encontramos aço com estanho nas latas que são acondicionados os alimentos e níquel no aço dos utensílios de cozinha usados para cozinhar os alimentos. O sal adiciona sabor a comida e quando a mesma está pronta nós usamos talheres de metais e pratos feitos de argila. A Mineração nos Proporciona uma Boa Diversão A sua televisão não funcionaria sem a mineração de 35 minerais e metais. Sem a barita não se fabricaria o tubo de imagem. O zinco é necessário a fabricação do vidro da tela, enquanto terras raras dão a riqueza das cores. A mineração também é importante para indústria de música. Magnetos dão qualidades ao som produzido pelos alto-falantes. O alumínio é encontrado nos discos compactos, enquanto o bronze uma liga de cobre e zinco é usado numa larga variedade de instrumentos tais como trompetes e trombones. A estimulante busca de medalhas de ouro, prata e bronze
  • 29. Esportistas de todo mundo, lutam pela estimulante busca de medalhas feitas de ligas metálicas banhadas de ouro, prata e bronze. Os skates exigem uma complexa liga metálica, jogadores de futebol, usam chuteiras e tênis feito com o uso de grafite. Em vários outros esportes, diversos equipamentos são feitos com minerais e metais. USOS Mineral ou Produto Mineral Usos Agregados (Areia e Concreto, construção civil, rodagens, pontes, sistemas de água e Cascalhos) esgotos. Alumínio (Bauxita) É o mais abundante metal da crosta terrestre e a bauxita é a principal fonte de alumínio. Embalagens, transporte e construção civil, folhas de alumínio, cosméticos, latas de bebidas, desodorantes, loções para mão, antiácidos, panelas para cozinha etc. Antimônio (estibinita) É um elemento nativo, extraído principalmente da estibinita e usado como endurecedor de ligas com chumbo, para baterias, revestimento de cabos, solda, tubos, folhas e na tecnologia de semi condutores. Os sais de antimônio são usados na industria de borracha, na industria têxtil e na medicina e na fabricação de vidros. Argilas Tijolos, telhas, cerâmicas, aditivos nutricionais, concreto. Arsênio Produção de vidros, semicondutores, preservação de madeiras, pesticidas. Asbestos Como este grupo de minerais silicáticos pode ser separado em fibras finas e fortes, resistentes ao calor e flexíveis e quimicamente inertes, podem ser usados como tecidos a prova de fogo, em fios, papel, tintas, calafetagem, na composição de telhas, agente reforçador em borrachas e plásticos, lonas de freios, ladrilhos, isolantes elétricos e de calor, cimento e produtos químicos. Bário (Barita) Usado com aditivo pesado na lama de perfuração de poços de
  • 30. petróleo, na indústria de papel e borracha, usado como enchedor ou extensor (filler or extender) em tecidos, plásticos, como contrastante em radiografias, em ligas de tubos de vácuo, desoxidante para cobre, lubrificante para rotores e como pigmento branco. Berílio Industria nuclear, em lâmpadas comuns e lâmpadas fluorescentes, ligas fortes usadas na industria aeronáutica, em tubos de raios x, desoxidante na metalurgia do bronze, etc. O berilo é também a fonte de gemas como esmeralda e água marinha. Bismuto Ferros maleáveis, portador de urânio em reatores nucleares, fibras acrílicas, cosméticas e medicina. Boratos Fertilizantes, desinfetantes, detergentes, emolientes para água, inibidor de corrosão, fluxo em soldas, cerâmicas, tintas, papel, vernizes, vidros resistentes ao calor (pirex), farmácia e conservantes de alimentos. Cádmio Peças de reatores nucleares, televisores, baterias, eletrogalvanização. Calcário Pedras dimensionadas, agregados como britas, cimento, cal, papel, plásticos, vidros, tintas, cimento, aço, tratamento e purificação de água, processamento de alimentos e em medicina. Carvão mineral (turfa, O carvão é uma das maiores fontes de energia em alguns paises. linhito, carvão sub betuminoso, carvão betuminoso, antracito) Caulim Conhecido como argila chinesa ou "china clay', Usado em tintas, refratários, plásticos, louças sanitárias, fibras de vidro, adesivos, cerâmica e produtos de borracha. Chumbo (Galena) Baterias de carro, computadores, tanques de combustível, aditivos de gasolina, usado em aplicações elétricas e eletrônicas, tubos de TV, vidros de TV, vidros chumbados, blindagens de raios x,e raios gama, lastros de navios, revestimentos protetores, construção civil, comunicações, chumbos para pescarias, tubos e recipientes, cerâmica e vidros, materiais protetores de som, munição. Cobalto Usado em superligas, em motores de jatos, na industria química ( tintas, catalisadores, coberturas magnéticas) magnetos permanentes, ferramentas de corte. Cobre Usado em fios e cabos elétricos, canos e tubos, maquinarias químicas e farmacêuticas, ligas (latão, bronze) fundição de ligas, cobertura de protetoras para níquel, cromo, zinco etc.
  • 31. panelas e utensílios de cozinha, canaletas e telhados antigos, moedas etc. Columbita -Tantalita Columbio é outro nome para nióbio: Coltan é outro nome usado para os minerais columbita tantalita que ocorrem associados em geral. Usado principalmente como aditivo na fabricação do aço, e de superligas, na fabricação de ligas resistentes ao calor, e na prevenção da oxidação em aços inoxidáveis. E em supercondutores eletro-magnéticos ( telefones celulares etc.,) Cromo (cromita) Industria química e metalúrgica, acessórios cromados (carros, bicicletas, lâmpadas, cozinhas etc.), aço inoxidável. Dolomito Material de construção, agricultura, e aditivos nutricionais. Enxofre (pirita) A pirita é usada na fabricação do enxofre, ácido sulfúrico e dióxido de enxofre, pelotas de poeira de pirita moldada sobre pressão são usadas para recobrir, ferro, ouro, cobre, cobalto níquel etc. usadas em bijuterias. Outros usos do enxofre são: fertilizantes fósforos de cozinha, pneus de carro, produtos químicos, explosivos, refinação de petróleo, vulcanização de borrachas, fungicidas, etc. Feldspato Usado na industria de cerâmica e de vidro, olaria, esmaltados, sabões, abrasivos, cimento e concreto, fertilizantes, e fillers em têxteis e papeis. Ferro Usado na fabricação de aço de diversos tipos, usado em produtos metalúrgicos, magnetos, peças de veículos, catalisadores, ferro radioativo (ferro 59) usado em medicina, ferro como elemento traço é usado na bioquímica e metalurgia, em tintas, tintas de impressão em informática, cosméticos (sombras para olhos), tintura de cabelos, ingredientes em fertilizantes, verniz em tintas de automóveis e eletrodomésticos, óxido de ferro, usado como pigmento, em compostos de polimento, metalurgia, medicina, etc. Fluorita (espatoflúor) Usado na produção de ácido hidrofluórico, que é usado em olaria, cerâmica, ótica, galvanização elétrica, e em plásticos, na industria metalúrgica de tratamento de bauxita, como fluxo nos fornos de aço e na fusão de metais, rodas de esmeril, arcos de soldagem elétrica, pigmento para tinta, pasta de dente, água de beber. Fosfato Usado na produção do ácido fosfórico, por sua vez usado na produção de Fertilizantes, aditivo para alimentos de animais domésticos, na produção de fósforo elementar, e produtos químicos e detergentes. Fósforo Fósforo de segurança, pirotecnia, balas traçadoras, vidros, fabricação de aço, agente de limpeza, pesticida. Gálio Semicondutores em telefones celulares, vidros, espelhos, transistores. Gás natural Combustível, insumo petroquímico, redutor na produção de aço,
  • 32. matéria prima de fertilizantes nitrogenados, combustível automotivo e residencial. Gemas e rochas Anéis para dedos das mãos, dedos dos pés, orelhas, narizes, ornamentais. braceletes ou pulseiras para pulso e tornozelos, colares, pendentes, broches, abotoaduras, botões de gravatas, fivelas e enfeites para cintos e botas. E as gemas tem sido modeladas para uma grande variedade de itens decorativos, ornamentais, simbólicos e funcionais como selos, amuletos, fetiches, talismãs, pedras lapidadas, pedras mágicas, pedras de sorte, esferas, ovos, pirâmides, corações, figuras esculpidas, de imagens, animais etc. pesos e prendedores de papéis, suporte para livros, descanso para canetas, queimadores de insenso, jogos para altares, para garrafas; castiçais; vasos, tigelas, xícaras, pires, caixas para jóias, mosaicos, ladrilhos para pisos paredes, lareiras. Etc. etc. De fato as gemas e rochas ornamentais tem sido modeladas em inumeráveis itens para adornos e ornamentos pessoais durante séculos, de modo a atender a vaidade humana. Gesso Revestimento de paredes, na fabricação de cimento, na agricultura, emplastro, giz. Grafita Lubrificantes de altas temperaturas, escovas para motores elétricos, lonas de freios, baterias e células de combustíveis, lápis, revestimentos de cabos, plásticos e borrachas antiestáticos, eletrodos e aparatos da industria química. Halita ou sal gema ou Sal de cozinha, preservativo de alimentos, degelo. Usado na sal (NaCl). preparação de hidróxido de sódio, carbonato de sódio (Soda Ash ou Trona) usado na fabricação de recipientes de vidro, fibras de vidro, e vidros especiais, também usado na fabricação de vidros planos, detergentes, soda cáustica, ácido hidroclórico, cloro, sódio metálico, esmalte para cerâmica, metalurgia, fabricação de sabões, emoliente de água, fotografia, herbicida, extintor de incêndio, em reatores nucleares, líquidos para limpeza bucal, em medicina, em equipamentos científicos para peças óticas. Cristal usado em espectroscopia, e em transmissão de raios ultravioletas e infravermelhos. Lítio Usado em cerâmica, em vidros, na produção primária de alumínio, em lubrificantes, graxas, propulsores de foguetes, , na síntese da vitamina A, em soldas de prata, baterias em dispositivos de bóias subaquáticas. Magnésio (magnesita) São usados, refratários industrias, em tijolos resistentes ao fogo, na cobertura de ladrilhos de naves espaciais, em medicina, em fertilizantes, em componentes estruturais de aeronaves e espaçonaves, em fogos de artifício, aros e rodas de carro. Manganês Usado na produção de ferro e aço. Mercúrio Termômetros, barômetros, bombas de difusão, aparatos
  • 33. elétricos, eletrodos, baterias, na fabricação do cloreto de sódio, e hidróxido de sódio, tratamento de plantas, pesticidas. Metais do grupo da A platina é usada principalmente como catalisador no controle platina (platina, das emissões de automóveis e plantas industriais, nos paládio, ródio, irídio, catalisadores, para produzirem ácidos, compostos químicos ósmio e rutênio) orgânicos, e farmacêuticos. PGM (platinum groups metals) são usados em revestimentos metálicos para se fazer fibras de vidro, e plásticos reforçados com fibras, e outros materiais avançados, em contatos elétricos, em capacitores, em filmes condutivos e resistentes, usados em circuitos eletrônicos, em ligas dentarias usadas em coroas e pontes, em joalheria, etc. Mica (muscovita, Isolantes eletrônicos (tubos á vácuo), mica moída usada em biotita) tintas, tinturas para cabelo, cosméticos, sabão, plásticos, borracha, lama de perfuração de poços de petróleo. Molibdênio Usado em ligas de aço, para fabricação de peças de automóvel, equipamentos de construção, dutos de transmissão de gás, aço inoxidável, sistemas de distribuição de água, equipamentos de manuseio de alimentos, equipamentos de procedimentos químicos, equipamentos para casa, hospitais e laboratórios, ferramentas de aço, ferro fundido, super ligas, peças para fornos, peças para turbinas á gás, catalisadores, pigmentos de tinta, inibidores de corrosão, retardadores de fumaça e fogo, lubrificante seco, veículos espaciais e resistentes a altas cargas e temperaturas, filamentos suportes nos bulbos das lâmpadas, etc. Nióbio Ligas, aço, sistemas avançados de engenharia (industria espacial), industria nuclear, produtos elétricos, e joalheria. Níquel O níquel é vital na fabricação de ligas para aço inoxidável, e tem um papel importante na industria química e aeroespacial, moedas de níquel, ligas de alumínio, níquel e cobalto. Ouro Odontologia, medicina, joalheria e arte, medalhas, moedas, barras para serem estocadas como valor, para instrumentos científicos e eletrônicos, como eletrólito em eletrogalvanização, computadores, eletrônica. Pedra Pomes Material de construção, pedras para lavagens de tecidos, polimento de metais e vidros, pasta dental, agricultura, cosméticos. Paládio Joalheria, relógios, instrumentos cirúrgicos, odontologia, purificação do gás hidrogênio. Petróleo Usado na produção de gasolina, óleos combustíveis, óleo diesel e óleos lubrificantes, petroquímicos, benzeno, tolueno, xileno, butadieno, etileno, propileno, acetileno, polímeros, polietileno, polipropileno, polistireno, plásticos, tintas, tecidos (poliéster, nilon), detergentes, isopor, asfalto, glicerina, butano, querosene, gás liquefeito de petróleo, solventes, betumem,
  • 34. Potássio (potassa – Potassa é um termo genérico para descrever fertilizantes hidróxido de potássio e potássicos. Não existem substitutos para o potássio como um dos carbonato de potássio) nutrientes essenciais às plantas aos humanos e animais. É também usado em medicina, fabricação de vidros, sabão, explosivos, pasta de dentes.etc. Plutônio Combustível e armas nucleares, Prata Usado em fotografia, química, joalheria, e pela sua alta condutividade, é usado em eletrônica, em moedas, em ligas, destilação de água, catalisador na manufatura do etileno, em espelhos, condutores elétricos, baterias, equipamentos odontológicos, médicos e científicos, soldas galvanização, revestimento de vasos químicos, instrumentos cortantes etc. Ródio Ligas, fibras de vidro, cadinhos de laboratório, instrumentos óticos, joalheria. Selênio Aplicações eletrônicas, vidros, pigmentos, ligas, borrachas, lubrificantes, catalisadores. Sílica (Silício) O cristal de quartzo é usado como gema, também a sílica nas (Quartzo) suas formas criptocrisatalinas como ágata, jasper, ônix, calcedônia, etc. são usados como gemas, etc. Variedades cristalinas como ametista, citrino, quartzo rosa, quartzo esfumaçado, quartzo rutilado, etc., também usados como gemas. Por causa de suas propriedades piezoelétricas o quartzo é usado, calibradores de pressão, osciladores, ressonadores, estabilizadores de ondas. Por causa de sua capacidade de girar o plano de polarização da luz e por sua transparência aos raios ultravioletas ele é usado em lâmpadas de raios de calor, prismas e lentes espectrográficas. Usado também na manufatura de vidros, tintas, abrasivos, refratários, e instrumentos de precisão, relógios de quartzo, e o silício metálico é usado em chips de computadores.A sílica é usada ainda, em vidros, refratários, cerâmicas, abrasivos, filtração de água, cimentos hidráulicos, cosméticos, produtos farmacêuticos, papéis, inseticidas, reforçadores de borrachas, adesivo de têxteis, agentes anticalcinadores em alimentos, agente alisador em tintas, isolante térmico. A sílica fundida é usada como material ablativo em motores de foguetes, e espaçonaves. As fibras de sílica são usadas como reforçadores de plásticos. Talco Usado como ingrediente em cerâmica, papel, e tinta, plásticos, cosméticos, talco para bebês, antiácidos. Tântalo Ligas leves, coberturas de reatores químicos e nucleares, fios, câmeras. Terras raras (lantânio, Usados primariamente como catalisadores nos craqueamentos cério, praseodímio, de fluidos de petróleo, como aditivos metalúrgicos, componentes neodímio, prometio, cerâmicos, magnetos permanentes e substâncias fosforescentes.
  • 35. samário, európio, gadolínio, térbio, disprósio, olmio, érbio, túlio, viterbio, e lutécio) Titânio (rutilo, Motores de jato, na industria aeroespacial, pigmento para tinta, ilmenita, titanita) cosméticos, loção para mão, sabão, pasta de dentes, tintura de cabelo, inseticida. Tório Fonte de energia nuclear, o óxido de tório é usado em lâmpadas portáteis a gás, o tório é um importante elemento para ligas, na fabricação de vidros especiais, e deste modo usado em lentes de alta qualidade, para câmaras e instrumentos científicos, usado também para converter amônia em ácido nítrico, no craqueamento de petróleo e na produção de ácido sulfúrico. Tungstênio Usado na fabricação de máquinas e equipamentos para construção, transporte, eletricidade, em equipamentos de sondagem, vernizes, tintas, em blindagem de calor e radiação, filamentos de bulbos de lâmpadas, pontas de brocas. Urânio Combustível nuclear gerador de eletricidade, conversão em plutônio para uso em reatores tipo breeder, usado em raios-X na medicina, armas nucleares. Vanádio Usado em ligas metálicas, em ligas metálicas para aplicação aeroespacial, como catalisador na fabricação do ácido sulfúrico, em tinturas e mordentes, em material alvo para raios X. Zeolitas Usado na aquacultura (chocadeiras de peixes, para remover a amônia da água) emoliente de água, em catalisadores, controle de odor, e para remover íons radioativos de efluentes de plantas nucleares. Zinco (esfalerita) Usado como cobertura protetora no aço. Em compostos químicos, em tintas e borrachas, em folhas de zinco, na galvanização do ferro, em peças de automóvel, em anodos elétricos, fungicidas, nutrição, aditivos em óleos e graxas lubrificantes, em medicina, na vulcanização de borrachas, em protetores solares, fertilizantes, cosméticos, xampus anticaspa, moedas, metais galvanizados, latão, baterias de células secas. Zircônio Desodorantes, joalheria. CONSTRUÇÃO USO FINAL PRODUTO/ FUNÇÃO MINERAIS
  • 36. Materiais de Construção Agregados Granito, gabro, basalto, diorito, sienito, dolomito, calcário, corais, conchas, chert, sílex, arenito, grauvaca, quartzito, triturados, britados, areia e cascalho. Cerâmica Tijolos, telhas, Argila, manganês, silica. produtos de olaria. Agregados leves Argila, perlita, pedra pomes, folhelho, vermiculita. Pedras Granito, mármore, ardósia, Dimensionadas ou calcário, travertino, arenito, Ornamentais quartzito. Cimento Ingrediente básico Calcário. Aditivos Bauxita e alumina, argila, gesso, óxido de ferro, pedra pomes, areia quartzosa, vermiculita, asbesto, calcário, mica. Materiais isolantes Isolantes Asbestos, diatomita, perlita, pedra pomes, vermiculita, wollastonita, zeolita. Chapas para Ingrediente básico Gesso. revestimento de paredes e emplastro PROCESSOS METALÚRGICOS & INDUSTRIAIS USO FINAL PRODUTO /FUNÇÃO MINERAIS Matéria prima, insumo, Insumo Oxido de antimônio, berilo, agente ligante. bauxita, cromita, oxido de ferro, manganês, sílica, quartzo, enxofre, minerais de titânio (ilmenita/(rutilo) zircão. Refratários Refratários Asbestos Bauxita, alumina cromita, argila refratária,
  • 37. dolomita, grafita, cianita, magnesita, olivina, sílica/quartzo, zircão. Produtos de fundição Ligador Bentonita Areia de fundição Cromita, olivina, pirofilita, areia quartzosa ou silicosa, zircão. Controle de calor Grafita, perlita, vermiculita. Fundição Bauxita, alumina, argila, grafita, areia quartzosa e zircão Fundentes (soldagens, Agentes fundentes Boratos, dolomito, fluorita, fusões) calcário, magnesita, cal, areia quartzosa, minerais de titânio (ilmenita) wolastonita. Abrasivos Abrasivos Bauxita, alumina, coríndon, esmeril/ corindom, diamante, dolomita, feldspato, granada, óxido de ferro (magnetita), nefeina sienito, olivina, perlita, pedra pomes, sílica areia, Trípoli, (carboneto de silício), ilmenita. Olivina. Lubrificantes Lubrificantes Grafita, lítio, mica, talco. Materiais de fricção Materiais de fricção Asbestos, bauxita, alumina, argilas (atapulgita, sepiolita) Granada, grafita, pirofilita, wolastonita, zircão. Enchedores (Fillers) Barita, argila (caulim), gesso, pedra pomes, mica, sílica, folhelho, zircão. QUÍMICOS USO FINAL PRODUTO MINERAIS
  • 38. /FUNÇÃO Fabricação de produtos Insumos Oxido de antimônio, barita, químicos bauxita, alumina, boratos, brometos, celestita, cromita, dolomita, fluorita, iodo, óxido de ferro, calcário, minerais de lítio, magnesita, manganês, nitratos, fosfatos, hidróxido de potássio, terras raras, sal, sílica/quartzo, carbonato de sódio, sulfato de sódio, enxofre, minerais de titânio, , zircão. Explosivos, pirotécnicos. Insumos Bauxita, alumina, celestita, calcário, nitratos, Potássio, sal. Tinturas, corantes. Insumos Bauxita, alumina, boratos, cromita, iodo, óxido de ferro, manganês, carbonato de sódio, sulfato de sódio, enxofre. Retardadores de fogo/ Insumos Bauxita, alumina, óxidos de conservantes de antimônio, asbestos, madeira boratos, brometo, cromita, diatomita, magnesita magnésia, perlita, fosfatos, pedra pomes, vermiculita, Catalisadores Insumos Argilas (caulim, atapulgita), iodo, lítio, pirofilita, terras raras, minerais de titânio, zeolita, zircão. Limpadores e Insumos Boratos, fosfatos, sílica, detergentes carbonato de sódio, sulfato de sódio, zeolita. CONSUMO HUMANO USO FINAL PRODUTO MINERAIS /FUNÇÃO
  • 39. Fármacos e drogas. Excipientes Argilas ( atapulgita, bentonita, caulim, sepiolita, ) dolomita, gesso, óxido de ferro, calcário, mica, talco, minerais de titânio, Minerais ativos Barita, bauxita, alumina, sais de alumínio, boratos, brometo, iodo, calcário, magnesita, magnésia, manganês, fosfato, sal, carbonato de sódio, sulfato de sódio, enxofre. Cosméticos Matéria prima Boratos, brometo, argilas ( bentonita, caulim,), gesso, calcário, magnesita, magnésia, mica, sílica, flúor precipitado, talco, minerais de titânio. Alimentos Enchedores (fillers)/ Argilas (bentonita e caulim), corantes gesso, calcário, magnesita, magnésia, enxofre, talco, minerais de titânio, zeolitas. Processamento e Argila (bentonita ativada), refino diatomita, fluorita, perlita, nitratos, fosfatos, hidróxido de potássio, sal. FERTILIZANTES & AGRICULTURA USO FINAL PRODUTO MINERAIS /FUNÇÃO Fertilizantes Nutrientes primários Fosfatos, hidróxido de potássio, nitratos. Micronutrientes Boratos, brometo, dolomito, secundários gesso, calcário, magnesita, manganês, sal, sulfato de sódio, enxofre. Fertilizantes, herbicidas Carregadores, Argilas (atapulgita, e inseticidas. bentonita, caulim, sepiolita)
  • 40. pirofilita, talco, zeolitas. Corretivos de solo Aditivos Argilas (bentonita, caulim) gesso, perlita, vermiculita, zeólitas. Alimentação animal Minerais nutricionais Dolomito, gesso, iodo, óxido de ferro, calcário, magnesita, manganês, fosfatos, sal, enxofre. Carregadores e Argilas (bentonita, sepiolita) intensificadores da perlita, talco, vermiculita, digestão zeolitas. VIDROS & CERAMICA USO FINAL PRODUTO MINERAIS /FUNÇÃO Vidros Matéria prima Boratos, caulim, feldspato, calcário, nefelina sienito, sílica/quartzo, carbonato de sódio, sulfato de sódio. Cerâmica Matéria prima Caulim, feldspato, calcário, nefelina sienito, pirofilita, sílica/quartzo, carbonato e sulfato de sódio, talco, wolastonita. Aditivos especiais, Aditivos Oxido de antimônio, bauxita, inclusive fritas, alumina, berílio, boratos, esmaltes. celestita, dolomito, fluorita, oxido de ferro, minerais de lítio, magnesita, manganês, terras raras, hidróxido de potássio, minerais de titânio, zircão. Aeroespacial, óticos, Matéria Prima Bauxita, alumina, berílio, vidros e eletrônicos. boratos, celestita, diamantes, grafita, terras raras, sílica/quartzo, minerais de titânio, zircão.
  • 41. ENCHEDORES, ALONGADORES, PIGMENTADORES USO FINAL PRODUTO MINERAIS /FUNÇÃO Papel Processos Químicos Bauxita, alumina, carbonato de sódio, sulfato de sódio, enxofre. Enchedores Barita, argilas (caulim, funcionais bentonita) diatomita, gesso, calcário, sílica/quartzo, talco, zeólitas. Pigmentos Minerais de titânio, óxido de ferro. Plásticos Enchedores Barita, bauxita, alumina, funcionais argilas, diatomita, gesso, feldspato, calcário, mica, nefelina sienito, sílica/quartzo, talco, zeolitas. Tintas, massas, Enchedores Barita, bauxita, alumina, calafetadores. funcionais argilas, diatomita, gesso, feldspato, calcário, mica, nefelina sienito, pirofilita, sílica/quartzo, talco e zeólitas Selantes e adesivos Cimento Sílica/quartzo enxofre gesso, calcário, magnesita e magnésia. MEIO AMBIENTE, TRATAMENTO DE ÁGUA, FILTRAÇÃO USO FINAL PRODUTO MINERAIS /FUNÇÃO Tratamento de lixo e Aditivos Químicos Bauxita, alumina, bentonita, efluentes dolomita, grafita, gesso, iodo, calcário e cal, magnesita e magnésia, manganês, carbonato e sulfato de sódio, enxofre e zeolitas.
  • 42. Filtros Asbestos, diatomita, granada, óxido de ferro, perlita, pedra pomes, areia, minerais de titânio. FGD (Flue gás Dolomita, calcário, e cal, desulfurization) magnesita e magnésia, Desulfurização ou carbonato e sulfato de sódio e redução das emissões zeólitas. de SO2 (Chuvas ácidas) ENERGIA USO FINAL PRODUTO MINERAIS /FUNÇÃO Petróleo e Gás Lamas de perfuração Asbestos, barita, bauxita, alumina, brometo, argilas, diatomita, grafita, granada, gesso, calcário, cal, magnesita, magnésia, mica, sal, carbonato de sódio, minerais de titânio, vermiculita. Baterias Oxido de antimônio, grafita, lítio, manganês, terras raras, enxofre. Nuclear Urânio, tório, grafita, terras raras, minerais de titânio, zeólitas, zircão. Conclusão: O desafio final para todos os atores envolvidos na mineração, consiste em desenvolver amplo sentido da responsabilidade pela forma como se utilizam os minerais. Bibliografia: Breaking New Ground – The Report of The Mining, Minerals and Sustainable Development Project - Abrindo Novos Caminhos, Projeto de Mineração, Minerais e Desenvolvimento Sustentável - WBCSD/IIED World Business Council for
  • 43. Sustainable Development/ International Institute for Environment and Development - May 2002. Maio 2002. Dana, James D. Manual de Mineralogia, vol. 1 e 2, Ao Livro Técnico S/A Editora da USP, RJ. 1969. Oliveira Júnior, José Batista – Notas de Aula do Curso Mineração em Ambiente Urbano – Mestrado em Engenharia Ambiental e Urbana, DCTM/EPUFBA 1º Semestre 2003. Sumario Mineral 2006, Departamento Nacional de Produção Mineral, Brasília 2006. Natural Resources Canadá - Our Hidden Treasures – 2007.