Os Deficientes também têm direito á Educação e Cuidados!                        Todas as crianças                     Têm ...
“Toda a criança tem direito á educação e cuidados especiais, seja elafísica ou mentalmente deficiente”Esta história vai se...
semana. A instituição falou com os psicólogos tanto da instituição como da escola e estespediram para os psicólogos falass...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Direitos das crianças

624 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
624
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
285
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Direitos das crianças

  1. 1. Os Deficientes também têm direito á Educação e Cuidados! Todas as crianças Têm direito á educação Direito a um amigo ou um professor Que lhe de atenção Seja ele deficiente ou não Todas as crianças merecem Um beijo ou um xi-coração Na escola existe brincadeira Por parte dos colegas e dos professores Mas se o aluno, for diferente Não significa que não merece uma amizade verdadeira. A verdade diz se a brincar Com desculpa se perdoa A tristeza fica no olhar Naquela criança deficiente magoa. Realizado por:  Micaela Piedade nº 22  Flávia Correia nº 15
  2. 2. “Toda a criança tem direito á educação e cuidados especiais, seja elafísica ou mentalmente deficiente”Esta história vai ser contada na Escola do Céu. Falamos na menina Finini.Ela era uma menina com apenas seis anos, que vivia numa instituição, na vila onde vivia, foicriada por auxiliares da instituição. Ela tinha atingido os seis anos de idade á três meses atras eencontrava-se ma altura de ser inscrita na escola da vila onde todas as crianças estudavam.Era dia 14 de Setembro, quando a auxiliar encarregue de fazer a inscrição da menina na escola,la se dirigiu. Os superiores desta auxiliar decidiram que a menina também deveria ir com a suaencarregada á escola. No dia seguinte a menina e a sua encarregada dirigiram-se á escola,fizeram a inscrição e depararam-se com um grande problema social – A menina eradeficiente…O funcionário não teve problemas com isso e inscreveu-a então na escola e colocou-a entãonuma turma para alunos de aprendizagem especial. A menina ficou entusiasmada por irexperimentar uma escola nova e com crianças com osmesmos cuidados que ela.A escola começa dentro de 15 dias e estavam todos muitoagitados com a compra do material escolar.A menina estava empolgada por conhecer os seus colegasnovos, embora as auxiliares e os diretores da instituiçãosaberem que não iria ser assim tao fácil.Finalmente chegou o dia, a menina despachou-se e foipara a escola. Quando la chegou reparou que nem todosos meninos tinham os mesmo cuidados que ela. Achou-se diferente e estranha, incluindotambém um certo medo de ser rejeitada. Até que finalmente chegou o seu professor e sedirigiu com ela para a sala de ensino especial. Lá se encontrava a sua turma. Ela adoro-a, foiacolhida bastante bem e imediatamente fez novos amigos, ate que chegou a altura dointervalo. A menina estava receosa, mas mesmo assim tentou arriscar.O intervalo era uma nova realidade. Quando ela saiu da sua sala para brincar com os outrosmeninos, estes rejeitaram-na, gozaram com ela e foram brutos e rudes com a Finini.A menina deparando-se com isto começou a chorar e a correr para dentro da sala de aula, osprofessores tentaram acalma-la mas nada conseguiram fazer por isso, decidiram contactar ainstituição e pedirem que a fossem buscar.A menina chorou a noite toda e como já estavam á espera não quis ir para a escola no diaseguinte. Os auxiliares e respetivos superiores acharam por bem fazer-lhe a vontade, masinfelizmente este pedido não aconteceu uma só vez, a Finini não quis ir às aulas o resto da
  3. 3. semana. A instituição falou com os psicólogos tanto da instituição como da escola e estespediram para os psicólogos falassem com a menina e tentassem fazer com que esta volta-se áescola.A Diretora da escola convocou uma reunião entre encarregados de educação e os alunos daescola, para falar da diversidade de alunos e que todos eles eram bastante diferentes e queestes não podiam tratar mal os alunos de ensino especial, porque embora fossem deficientesnão significava que não podiam brincar, rir, chorar, etc. Os alunos viram que a sua maneira depensar estava errada e que por eles serem diferentes também mereciam uma escola e amigoscom quem brincar no intervalo.A Finini conseguiu voltar á escola e reparou que algo estava mudado, havia crianças a pedirpara brincar com ela e assim conseguiu voltar a estar entusiasmada por ir para a escola doCéu!Realizado por:  Micaela Piedade nº 22  Flávia Correia nº 15

×