Saneamento basico

644 visualizações

Publicada em

presentação marcia - faculdade

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
644
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Saneamento basico

  1. 1. Tratamento de efluentes será esse o caminho? Tratamento biológico de afluente
  2. 2. Tratamento biológico de efluente • O objetivo de um processamento industrial é a transformação de matérias primas • em produtos. Como decorrência desse processamento, além do produto de • interesse, são produzidos outros materiais de maneira não-intencional, alguns dos • quais tem valor comercial e outros que são totalmente indesejáveis. Estes últimos • são os resíduos industriais, os quais devem ter um destino, pois não podem ser • acumulados indefinidamente nos locais onde são gerados. • A água é uma das formas de transporte desses resíduos: lavagem de • equipamentos, pisos e produtos; águas de processo contendo substâncias • indesejáveis em suspensão ou em solução; águas de refrigeração e aquecimento • etc. As descargas dessas águas residuárias nas redes coletoras de esgotos podem • 63 • provocar corrosão de coletores, problemas de saúde nos trabalhadores • responsáveis pela manutenção e toxidez ou sobrecarga aos processos biológicos de • tratamento. Deve-se ainda considerar que a disposição dessas águas no solo pode • provocar a contaminação dos lençóis freáticos ou o acúmulo de produtos tóxicos em • plantas e animais. Se lançados em cursos de água, esses efluentes podem provocar • a destruição da vida aquática originalmente ali existente.
  3. 3. Graus de tratamento •Os graus de tratamento de efluentes podem ser de 3 tipos:
  4. 4. · Tratamento primário Promove a remoção física de resíduos sólidos em suspensão, facilmente removíveis por sedimentação ou flotação. O ajuste de pH ou de temperatura também podem fazer parte deste tratamento.
  5. 5. Tratamento secundário Consiste na remoção da matéria orgânica dissolvida e de uma parcela maior de sólidos em suspensão de forma a se obter um efluente com baixa concentração de matéria orgânica, praticamente isento de sólidos em suspensão, com pH neutro e temperatura ambiente.
  6. 6. Tratamento terciário Consiste na remoção, quando necessária, de nutrientes como N e P, os quais podem causar eutrofização dos corpos de água, bem como de outros compostos tóxicos específicos, como metais pesados.
  7. 7. formas possíveis de tratamento de águas residuárias: Tratamento Primário Tratamento Secundário Tratamento Terciário Gradeamento Lagoas Troca iônica Câmara de areia Lodos ativados Carvão ativado Sedimentação primária Digestão anaeróbica Filtração Flotação Filtros biológicos Coagulação
  8. 8. 1) Lodos Ativados • Consiste em um sistema no qual uma massa biológica cresce e flocula, sendo continuamente recirculada e colocada em contato com a matéria orgânica do despejo líquido na presença de oxigênio puro, ou através de aeradores mecânicos de superfície. • As bactérias são consideradas a base do floco do lodo ativado, tanto estrutural quanto funcionalmente. Elas são as principais responsáveis pela estabilização da matéria orgânica. Bactérias formadoras de flocos, bactérias nitrificadoras e as filamentosas formam o lodo ativado. Depois das bactérias, os protozoários são os organismos mais numerosos e importantes
  9. 9. Tanques de aeração onde se processa o tratamento de efluentes pelo sistema de lodo ativado
  10. 10. 2) Filtros Biológicos • São constituídos de um leito de material que serve de suporte, ao qual os microrganismos se aderem e, através do qual o efluente a ser tratado é percolado, após ser distribuído sobre o topo do leito por um distribuidor rotativo geralmente acionado pela ação de um jato do líquido efluente.
  11. 11. filtro biológico Vista superior dos compartimentos Filtro biológico aerado em escala piloto
  12. 12. filtros • Os filtros são geralmente construídos em concreto com um dreno inferior para a coleta do efluente tratado e dos sólidos biológicos que se desprendem do material do leito. • Assim como nos lodos ativados, as bactérias formam o grupo predominante de organismos nos filtros biológicos, sendo seguidas por protozoários, micrometazoário e fungos.
  13. 13. 3) Lagoas de Estabilização e Lagoas Aeradas • Consistem em grandes tanques de pequena profundidade, definidos por diques de terra, e nos quais as águas residuárias são tratadas por processos biológicos inteiramente naturais, envolvendo principalmente bactérias e algas. • Nessas condições, a velocidade de oxidação é baixa e, como decorrência, tem-se longos períodos de retenção hidráulica (dezenas de dias), sendo conseqüentemente • necessárias grandes extensões de terreno. • De uma forma geral, nas lagoas estabilização, as algas têm o papel de fornecedores de oxigênio, que por sua vez é utilizado pelas bactérias para a degradação da matéria orgânica. As bactérias então produzem CO2, que é utilizado
  14. 14. Exemplo de um sistema de lagoa aerada. Presença dos aeradores mecânicos de superfície
  15. 15. Tratamento Biológico Anaeróbico • Consiste em um processo de degradação anaeróbica de substâncias biodegradáveis. É realizado por meio da fermentação bacteriana que ocorre em ambientes isentos de oxigênio livre. Como conseqüência, a matéria orgânica • complexa é convertida em metano e gás car- bônico, produzindo assim o biogás.
  16. 16. Bibliografia: Livro didático Tópicos de biotecnologia cederj Autores: Cristina ferreira Juliana Aguiar Laira Pessanha Patrícia Rangel

×