GESTÃO DE STOCKSGestão de stocks ou Administração de stocks é uma área crucial aboa administração das empresas, pois o des...
Classificação de stocks•Classes preconizadas por Plossl .• Matéria-prima - são diversos tipos demateriais usados no proces...
Vantagens na constituição de stocks       •Podem-se constituir stocks com uma       finalidade especulativa, comprando-se ...
Desvantagens na constituição de stocks         Principais inconvenientes na constituição         de stocks .         •Um d...
Decisões na gestão de stocks   •Periodicidade;   •Encomenda única;   •Mais de uma encomenda;   • Origem;   •Exterior ao fo...
Custos da gestão de stocksCustos de aprovisionamentoCorresponde ao custo de processamento da encomenda, que poderá ser aco...
Sistemas de procura independente: modelos determinísticos•Um dos factores principais que levam as organizações a constitui...
FLÁVIO SOARES    8º7 , Nº6
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Gestão de stocks fláá

5.502 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.502
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
148
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
82
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestão de stocks fláá

  1. 1. GESTÃO DE STOCKSGestão de stocks ou Administração de stocks é uma área crucial aboa administração das empresas, pois o desempenho nesta área temreflexos imediatos nos resultados comerciais e financeiros da empresa
  2. 2. Classificação de stocks•Classes preconizadas por Plossl .• Matéria-prima - são diversos tipos demateriais usados no processo de fabrico e queservirão para a obtenção do produto final;• Componentes - subconjuntos que irãoconstituir o conjunto final do produto;• Produtos em via de fabrico - componentesou materiais que estão em espera no processoprodutivo;• Produtos acabados - são os produtos finaisque se encontram para venda,para distribuição ou armazenagem.
  3. 3. Vantagens na constituição de stocks •Podem-se constituir stocks com uma finalidade especulativa, comprando-se os mesmos a baixos preços para os vender a preços altos; • Para assegurar o consumo regular de um produto em caso de a sua produção ser irregular; • Geralmente, na compra de grandes quantidades beneficia-se de uma redução do preço unitário; • Não sendo prático o transporte de produtos em pequenas quantidades, opta-se por encher os veículos de transporte no intuito de economizar nos custos de transporte, o que se traduz numa constituição de stock;
  4. 4. Desvantagens na constituição de stocks Principais inconvenientes na constituição de stocks . •Um dos inconvenientes diz respeito à própria fragilidade de certos produtos, que não possuem condições de serem mantidos em stock ou poderão ser mantidos em períodos muito curtos; •Outro problema, diz respeito ao custo de posse traduzido no facto de existir material não vendido que vai acabar por imobilizar capital sem acrescentar valor; •A ruptura apresenta-se como um enorme inconveniente, visto que a ocorrência desta irá provocar vendas perdidas e em casos extremos poderá levar à perda de clientes.
  5. 5. Decisões na gestão de stocks •Periodicidade; •Encomenda única; •Mais de uma encomenda; • Origem; •Exterior ao fornecedor; •Do fornecedor; •Procura; •Procura constante; •Procura variável; •Procura independente; •Procura dependente; •Lead time ou tempo de aprovisionamento; •Lead time constante; •Lead time variável; •Sistemas de gestão de stocks; •Revisão contínua; •Revisão periódica; •Quantidade óptima de encomenda;
  6. 6. Custos da gestão de stocksCustos de aprovisionamentoCorresponde ao custo de processamento da encomenda, que poderá ser acompra feita a um fornecedor, mas também aos custos associados àinspecção e transferência do material, assim como os custos relativos àprodução.Custos de posseSão os custos directamente relacionados com a manutenção dos artigosem stock, poderão ser de obsolescência, de deterioração ,impostos, seguros, custo do armazém e sua manutenção e custos do capital.Custos de rupturaEstes custos surgem quando não há material disponível para fazer face ao(s)pedido(s) do(s) cliente(s). Com isso, não só são gastas mais horas e trabalhona elaboração de novos pedidos, como em casos extremos poderá levar àperda do(s) cliente(s) .Embora estes sejam considerados os três principais custos associados àgestão de stocks, Plossl , refere ainda um quarto grupo, designado por custoassociado à capacidade, que são os custos relacionados com questões laboraiscomo horas extraordinárias ,subcontratações, despedimentos, formações eperíodos de inactividade por parte do trabalhador.
  7. 7. Sistemas de procura independente: modelos determinísticos•Um dos factores principais que levam as organizações a constituir stock é apossibilidade dessa mesma organização poder adquirir ou produzir artigos em lotes dequantidade económica. As organizações que usam lotes de quantidadeeconómica, fazem-no sentido de manter um stock de artigos mais ou menosregular, artigos esses, que têm uma procura constante e independente. Os lotes dequantidade económica são estabelecidos por estes modelos determinísticos paraartigos com procura independente, sejam eles produzidos ou adquiridos. Paradeterminar a melhor política no que toca à gestão de stocks, é necessária informaçãosobre previsões da procura, custos associados à gestão de stocks e tempo deaprovisionamento. Nos modelos determinísticos, as variáveis e todos os parâmetrossão conhecidos ou podem ser calculados. A taxa de procura e os custos são tambémconhecidos com elevado grau de certeza e pressupõe-se que o tempo dereaprovisionamento é constante e independente da procura .Sistemas de quantidade fixa de encomenda•As respostas às questões quando e quanto encomendar, dependem do natureza daprocura e dos parâmetros usados para caracterizar o sistema. Neste caso, é assumidoque a procura é conhecida e constante, o que significa que o número de artigos aencomendar e o tempo entre o processamento de encomendas não sofrem tambémeles variação. Os artigos são sujeitos a uma revisão contínua e quando o ponto deencomenda atinge um determinado nível, é feito o pedido de uma nova encomendacom um número fixo de artigos.
  8. 8. FLÁVIO SOARES 8º7 , Nº6

×