Plano de trabalho Hyago Roberto Barroso dos Anjos

1.042 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.042
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
603
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano de trabalho Hyago Roberto Barroso dos Anjos

  1. 1. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS URUTAÍ DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO GERÊNCIA DE PESQUISA Rodovia Geraldo da Silva Nascimento, km 2,5, Urutaí-GO Telefone: (64) 3465-1974– E-mail: pibic.urt@ifgoiano.edu.br Plano de Trabalho do Estudante (Edital 02-2012 ICJ/DPPG/IF Goiano – Câmpus Urutaí)Título do Plano de Trabalho: ATIVIDADE Azospirillum basilense E DOSAGENS DENITROGÊNIO NA PROMOÇÃO DE CRESCIMENTO E CONTROLE DE ENFERMIDADES SOBREBrachiaria brizanthaTítulo do Projeto do Orientador: CONTROLE DE DOENÇAS E PROMOÇÃO DE CRESCIMENTODE Azospirillum basilense NA CULTURA DO MILHO, SOJA E Brachiaria brizantha.Nome do Estudante: Hyago Roberto Barroso dos Anjos Urutaí, 18 de novembro de 2012
  2. 2. 1. INTRODUÇÃO Dentre os fatores que levam à degradação das pastagens, a limitação de N é considerada umdos mais importantes (OLIVEIRA et al., 1997). Este nutriente pode ser removido do sistema solo-planta mediante a exportação por produto animal (carne, principalmente), lixiviação, denitrificação evolatilização dos depósitos na forma de excretas bovinas (FERREIRA et al., 2000). Mesmo com observações de perdas de nitrogênio nessas pastagens, relatos na literatura indicamque determinados genótipos de Brachiaria não apresentam reduções significativas em suaprodutividade. As perdas de N poderiam estar sendo compensadas pela fixação biológica donitrogênio atmosférico (FBN), que seria responsável pela introdução de 30 a 40 kg ha-1. ano-1 de Nno sistema solo-planta (LOUREIRO & BODDEY, 1988). Em sistemas de manejo extensivo, nos quaisas vias de perdas são menos expressivas, a quantidade de nitrogênio fixado pode ser suficiente paraproporcionar um balanço nulo ou até positivo de N para o sistema solo-planta e, com isso, permitirmaior longevidade da pastagem com uma produtividade aceitável. A bactéria do gênero Azospirillum sp. (α-subclasse da Proteobactéria) são conhecidas por muitosanos como rizobactérias promotoras de crescimento denominadas pela sigla de PGPR (OKON,1994; OKON e VANDERLEYDEN, 1997). Estas bactéria são isoladas da rizosfera de muitosgramados e plantios de cereais pelo mundo, tanto em ecossistemas tropicais como em ecossistemastemperados (PATRIQUIN et al., 1983). Em experimentos tanto de casa de vegetação como decampo Azospirillum sp. tem mostrado satisfatórios resultados no crescimento e rendimentos dasculturas (OKON e LABANDERA-GONZALEZ, 1994) Até o presente cinco espécies foram descritas: Azospirillum lipoferum, Azospirillum brasilense(TARRAND et al., 1978), Azospirillum amazonense (MAGALHÃES et al., 1983), Azospirillumhalopraefe-rens (REINHOLD et al., 1987) e Azospirillum irakense (KHAMMAS et al., 1989). A rizobactéria Azospirillum representa o melhor gênero de microrganismo promotor decrescimento. Outras dizotróficas de vida livre são detectadas em associação com raízes de plantascomo Acetobacter diazotrophicus, Herbaspirillum seropedicae, Azoarcus spp. e Azotobacter sp. Quatro aspectos que que envolvem a interação de Azospirillum spp. em raízes de plantas como:habitat natural, interação com raízes de plantas, fixação de nitrogênio e biossíntese de hormôniosreguladores de crescimento. Azospirillum são rizobactérias predominantemente colonizadores desuperfícies, contudo A. diazotrophicus, H. seropedica e Azoarcus sp. que são rizobactériasendofíticas. O agregamento de Azospirillum spp. em células das raizes de plantas ocorrem em duasetapas, inicialmente o flagelo polar que produz a flagelina, mostra ser uma glicoproteina que media aadsorção. Este polissacarídeo de superfície encontra-se ainda não identificado, contudo é essencial Página 2
  3. 3. para esta etapa de ancoragem. Para Azoarcus sp. o processo de agregamento é mediado por um pilitipo IV. Os genes de fixação de nitrogênio (nif) são altamente conservados entre todas as bactériasfixadoras de nitrogênio, e todas as espécies diazotróficas pertencem a classe das proteobactériasexaminadas, e o ativador transcripcional NifA que é requerido para a expressão de outros nif genes éresponsável de dois genes maiores sinalizadores ambientais (oxigênio e fixação de N)(STEENHOUDT e VANDERLEYDEN, 2012). .2. OBJETIVOS DO PLANO DE TRABALHO O objetivo deste plano de trabalho é avaliar a atividade Azospirillum sp. mediante diferentesdosagens de nitrogênio na promoção de crescimento e controle de doenças sobre Brachariabrizantha cv. Marandú.3. METODOLOGIA Na área da Fazenda Palmital (Urutaí, GO) sob condições de Pivô Central (17o29’31” S e48º12’31”O) numa área de aproximadamente 1200 m2 o experimento será instalado na safra agrícola2012-2013. O solo será manejado sob condições de cultivo convencional, sendo utilizada umaoperação de escarificação, uma niveladora e uma sulcadora (espaçamento 0,5 m). A adubação de Pe K será feito a lanço (as adubações nitrogenadas serão distribuídas de acordo com os tratamentos).A cultivar de braquiária utilizada será Marandú. Antes da instalação do experimento serão coletadas amostras de solo para análise físico-química e microbiológica antes da instalação do experimento e após a condução do experimento. A concentração de AZOS será de 108 cfu/mL(100 milhões de células bacterianas por mL). No campo o experimento os tratamentos distribuídos de acordo com o Quadro 1. B1 T1 T2 T3 T4 T5 T6 T7 B2 T4 T5 T2 T1 T7 T6 T3 B3 T2 T1 T4 T6 T3 T7 T5 B4 T6 T4 T2 T3 T7 T5 T1 B5 T5 T3 T7 T6 T2 T1 T4 B6 T7 T6 T1 T2 T3 T4 T5Quadro 1. Croqui da distribuição dos tratamentos. Página 3
  4. 4. O experimento estará distribuídos em blocos ao acaso, com sete tratamentos e seisrepetições, totalizando 42 unidades experimentais, cada parcela terá as dimensões de 2x5 m. Serãoaplicados no momento do plantio sementes de B. brizantha os seguintes tratamentos: 1) Nitrogênio 0%, 2) Nitrogênio 50 %, 3) Nitrogênio 100 %, 4) Nitrogênio 0 % + Azos 500 mL/ha (aplicação em V4),5) Nitrogênio 50 % + Azos 500 mL/ha (aplicação em V4), 6) Nitrogênio 100 % + Azos 500 mL/ha(aplicação em V4), 7) Masterfix 0,5 L para 100 kg de sementes de braquiária (100 mL/ha-¹), sendopor fim representado por 7 tratamentos, quatro repetições, num delineamento em blocoscasualizados. O nitrogênio será aplicado a lanço na parcela. Será considera o valor de tabela de 4 kgde SPV/ha para o calculo de quantidade de sementes de B. brizantha, com aplicação da formula: Kgde sementes = (4 x 100)/VC, onde VC é o valor cultural da semente. Serão avaliados parâmetros de produção e incidência de pragas e doenças representadospor: a) massa fresca de raiz (g), massa seca de raiz (g), massa fresca da parte aérea (g), massaseca da parte aérea (g), altura de planta (cm), número de perfilhos, tipo e número de invasoras eoutras possíveis pragas das pastagens. Esses parâmetros serão avaliados após 15, 28 e 56 dias doplantio. Serão realizadas análises gramatológicas para o comparativo de valor nutricional do capimnos respectivos tratamentos considerando-se as mencionadas idades das plantas. Serão aplicados testes paramétricos do tipo ANOVA e teste de comparação de médias Tukeypara diferenciação dos tratamentos.4. RESULTADOS E IMPACTOS ESPERADOS Espera-se através desse experimento determinar a combinação de adubação nitrogenadaassociada com aplicações de Azospirilum basilense que promovam maiores rendimentos abraquiária, além de verificar o tratamento que reduza a incidência de doenças. Espera-se através desse trabalho verificar a eficiência do isolado testado de AZOS com o isoladocomercial para a cultura da soja. Página 4
  5. 5. 5. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES ANO 2012 ANO 2013 ANO 2014 Atividade NOV DEZ FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JANAnálise físico-química Xdo solo emicrobiológicaPlantio e instalação Xdos do experimento:Aplicação de AZO XAvaliação de X X X XparâmetrosprodutivosAvaliação de X X X Xparâmetros sanitáriosAnálise dos dados X X XInterpretação dos X X XresultadosRedação do relatório X X X X X X X X X XApresentação dos X X X Xdados no Congressode IC e Especializado Obs: foi adicionado dois meses do ano de 2012 devido necessidade de plantio de acordo com cronograma do ano agrícola. Página 5 de 6
  6. 6. 6. REFERÊNCIASFERREIRA, E.; REZENDE, C.P.; GALINDO, L.L.G.; RESENDE, A.S.; TARRÉ, R.M.; MACEDO,R.O.; OLIVEIRA, O.C.; ALVES, B.J.R.; URQUIAGA, S. & BODDEY, R.M. Recuperação donitrogênio da urina bovina pela pastagem de Brachiaria humidicola (Rendle) Schweicktcultivada no sul da Bahia. In: Reunión Latinoamericana de Produccion Animal, 17; CongresoUruguayo de Produccion Animal, 3., Montevideo, 2000. Anais. Montevideo, 2000. CD-ROM.KHAMMAS, K.M., AGERON, E., GRIMONT, P.A.D. e KAISER, P. Azospirillum irakense sp.nov., a nitrogen-fixing bacterium associated with rice roots and rhizosphere soil. Res. Microbiol.140, 679-693 1989.LOUREIRO, M.F. & BODDEY, R.M. Balanço de nitrogênio em quatro gramíneas do gêneroBrachiaria. Pesq. Agropec. Bras., 23:1343-1353, 1988.MAGALHÃES, F.M., BALDANI, J.I., SOUTO, S.M., KUYKENDALL, J.R. e DOBEREINER, J. Anew acid-tolerant Azospirillum species. An. Acad. Bras. Cienc. 55, 41-429. 1983.OKON, Y. Azospirillum plant associations, pp. 175. CRC Press, Boca Raton, FL. 1994.OKON, Y. e LABANDERA-GONZALEZ, C.A. (1994) Agronomic applications of Azospirillum: anevaluation of 20 years worldwide field inoculation. Soil Biol. Biochem. 26, 1551-1601.OKON, Y. e VANDERLEYDEN, J. Root-associated Azospirillum species can stimulate plants.ASM News 63, 366-370. 1997.OLIVEIRA, O.C.; OLIVEIRA, I.P.; FERREIRA, E.; ALVES, B.J.R.; CADISCH, G.; MIRANDA,C.H.B.; VILELA, L.; BODDEY, R.M. & URQUIAGA, S. A baixa disponibilidade de nutrientes dosolo como uma causa potencial da degradação de pastagens no cerrado brasileiro. In:SIMPÓSIO NACIONAL DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS, 3., Ouro Preto, 1997.Anais. Ouro Preto, 1997. p.110-117.PATRIQUIN, D.G., DOBEREINER, J. e JAIN, D.K. Sites and processes of association betweendiazotrophs and grasses. Can. J. Micro-biol. 29, 900-915. 1983.PIONEER Sementes, tecnologia que rende. Disponívelem:http://www.pioneersementes.com.br/ProdutosDetalheMilho.aspx?id=12, acessado emnovembro de 2012.REINHOLD, B., HUREK, T., FENDRIK, I., POT, B., GILLIS, M., KERSTERS, K., THIELEMANS,S. e DE LEY, J. Azospirillum halopraeferens sp. nov., a nitrogen fixing organism associated withroots of Kallar Grass (Leptochloa fusca (L.) Kunth). Int. J. Syst. Bacteriol. 37, 43-511987STEENHOUDT, O., VANDERLEYDEN, J. Azospirillum, a free-living nitrogen-fixing bacteriumclosely associated with grasses: genetic, biochemical and ecological aspects. MicrobiologyReviews 24 487-506 2000.TARRAND, J.J., KRIEG, N.R. e DOBEREINER, J. A taxonomic study of the Spirillum lipoferumgroup, with descriptions of a new genus, Azospirillum gen. nov. and two species, Azospirillumlipoferum (Beijerinck) comb. nov. and Azospirillum brasilense sp. nov.. Can. J. Microbiol. 24,967-980. 1978. Página 6
  7. 7. Urutaí, 20 de novembro de 2012. ___________________________________________ Milton Luiz da Paz Lima Assinatura do Orientador ___________________________________________ Hyago Roberto Barroso dos Anjos Assinatura do Estudante Página 7

×