MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO           SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA                INSTITUTO FEDERAL GOIANO...
1. Características.2. Morfologia3. Classificação.4. Testes aplicados em Virologia.UNIDADE IV – NEMATÓIDES1. Característica...
1ª Menção (MB1): Médias de outras atividades (40%) + Média Prova Escrita, prática e DescriçãoMicológica (60%) = Superior a...
10)      ICTV International Committee on Taxonomy of Viruses. Disponível em :<http://ictvonline.org/virusTaxonomy.asp?vers...
PROGRAMAÇÃO DE ATIVIDADES                                                 LEITURA               LEITURAAULA             TE...
46 a   48                                                                              Aula         UNIDADE IV – NEMATÓIDE...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Plano de Ensino - Microbiologia Geral - Agronomia 2-2012

12.162 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Plano de Ensino - Microbiologia Geral - Agronomia 2-2012

  1. 1. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS URUTAI PLANO DE ENSINO CURSO ANO LETIVO PERÍODO Agronomia 2-2012 Vespertino DISCIPLINA CÓDIGO NOME CARGA HORÁRIA CHS CHT MICROBIOLOGIA GERAL 60 EMENTAPrincípios básicos em um laboratório de microbiologia; esterilização e desinfecção; técnicas auxiliaresnos estudos de microbiologias (microscopia, manipulação e utilização). Morfologia, classificação ecaracterísticas dos fungos. Morfologia, classificação e características das bactérias. Morfologia,classificação e características dos nematóides. Morfologia, Classificação e características dos vírus,algas e protozoários. OBJETIVOSEstudar os principais microrganismos de interesse em na área de ciências agrárias (bactérias, fungos,nematóides, vírus e outros) enfocando particularmente a taxonomia, características morfológicas,importância, ecologia, e identificação. CONTEÚDO PROGRAMÁTICOUNIDADE I – PRINCÍPIOS BÁSICOS1. Princípios básicos em microbiologia.2. Assepsia, limpeza, esterilização e desinfecção.3. Preparos de meio de cultura, repicagem, isolamento e conservação.4. Técnicas para estudo em microbiologia.UNIDADE II – FUNGOS1. Características.2. Morfologia3. Classificação.4. Testes Aplicados em Micologia.UNIDADE III – BACTÉRIAS1. Características.2. Morfologia3. Classificação.4. Testes Aplicados em Bacteriologia.UNIDADE III - VÍRUS
  2. 2. 1. Características.2. Morfologia3. Classificação.4. Testes aplicados em Virologia.UNIDADE IV – NEMATÓIDES1. Características.2. Morfologia3. Classificação.4. Testes aplicados em Nematologia.UNIDADE V - PROTOZOÁRIOS1. Características.2. Morfologia3. Classificação.UNIDADE VI - ALGAS1. Características.2. Morfologia3. Classificação. METODOLOGIA DE ENSINOENSINO Utilização de quadro branco e data-show. Sugere-se que todos os termos de desconhecimento doaluno sejam elucidados no momento da apresentação, evitando que suas dúvidas sejam acumuladasdurante o semestre e tenham dificuldades durante a execução das provas e dos trabalhos. Dependendodo evento de aprendizagem a ser ensinado, os alunos podem se envolver em trabalhos individuais e ouem grupos, tais como: Leitura Dirigida: Os alunos são orientados a fazerem leituras prévias de artigos localizados em fontesde pesquisa na internet, em periódicos ou em textos pertencentes à bibliografia do programa do curso; Testes Surpresa: Ao final ou início das aulas serão apresentados testes dissertativos ou de múltiplaescolha de caráter não consultivo. Os conteúdos utilizados nos testes referem-se ao conteúdo das aulasanteriores. Relatórios de Aulas práticas: Após as aulas práticas os alunos ficam responsáveis pela confecção dosrelatórios conforme modelo cedido pelo professor. Descrição Micológica: Cada estudante deverá cultivar em meio de cultura um isolado fúngico edescrevê-lo através de um documento escrito. Este trabalho e estudante deverá entregá-lo em duasversões (uma no primeiro bimestre e outra no segundo). CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A avaliação será realizada através da aplicação de provas teóricas. O aluno também será avaliado quanto a sua participação, referente à assiduidade, pontualidade,companheirismo, coletividade, participação em aula e cumprimento das tarefas. O aluno que cumprircom essas considerações o professor se reservará ao direito de uma forma subjetiva refletindo nacorreção das provas, trabalhos e seminários.Processo avaliativo:
  3. 3. 1ª Menção (MB1): Médias de outras atividades (40%) + Média Prova Escrita, prática e DescriçãoMicológica (60%) = Superior a nota 6,0. 2ª Menção (MB2): Médias de outras atividades (40%) + Prova Escrita e Prova Prática(60%) =Superior a nota 6,0.OBSERVAÇÕES: 1) O relatório de aula prática deverá conter: Introdução teórica (revisão de literatura); Material e métodos (descrição dos métodos e técnicas utilizadas e verificadas na aula); Resultados e Discussão (análise crítica dos resultados observados na aula); Considerações finais e Referências bibliográficas (dentro das normas atuais da ABNT); 2) O Relatório deverá ser elaborado pelos alunos e entregue, impreterivelmente na duas aulas subseqüentes. Poderá considerar aprovado na disciplina aquele aluno que tiver média igual ou superior a 6,0 nasduas menções bimestrais. BIBLIOGRAFIABIBLIOGRAFIA BÁSICA1) BERGAMIN FILHO, A., KIMATI, H. & AMORIM, L. Manual de Fitopatologia: princípios econceitos. 3a Ed, Vol. I, Editora Agronômica Ceres Ltda, São Paulo SP. 1995 (11 exemplares).2) SILVA, N., CANTÚSIO NETO, R., JUNQUEIRA, V.C.A., SILVEIRA, N.F.A. Manual demétodos de análise microbiológica da água. Editora Livraria Varela. São Paulo, SP, 2005. (4exemplares).3) BLUM, L.E.B., CARES, J.E. & UESUGI, C.H. Fitopatologia o estudo das doenças de plantas.2ª. Tiragem. Editora Otimismo, Brasília, DF, 2006. (1 exemplar)4) ROMEIRO, R.S. Métodos em bacteriologia de plantas. Editora UFV, Viçosa, MG. 2001. (3exemplares).5) LORDELLO, L.G.E. Nematóides das plantas cultivadas. Biblioteca Rural, Livraria Nobel, SãoPaulo, SP, 1968. (1 exemplar).6) VERMELHO, A.B., BASTOS, M.C.F., SÁ, M.H.B. Bacteriologia Geral. Editora GuanabaraKoogan, Rio de Janeiro, RJ, 2007 (2 exemplares).7) BARBOSA, H. R.; TORRES, B. B. Microbiologia Básica. Ateneu: São Paulo, 1999. 196p. (5exemplares).8) TORTORA, J.G; FUNKE, B.R.; CASE, C.L. Microbiologia. 6ª ed. Porto Alegre: ARTMED,2000. (18 exemplares)9) TRABULSI, L.R. & ALTHERTHUM, F. Microbiologia 5ª. Ed. Editora Atheneu, São Paulo, SP.2008.(10 exemplares)10) PELCZAR, M.J., CHAN, E.C.S. e KRIEG, N.R. Microbiologia conceitos e aplicações. 2ª. Ed.Ed. Pearson, 1997 (6 exemplares)11) HUNGRIA, M.; ARAUJO, R.S. Manual de métodos empregados em estudo de microbiologiaagrícola. Brasília: Embrapa-CNPAF/Embrapa-CNPSO/Embrapa-SPI, 1994. 542p. (Download:http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/CNPAF/8927) (1 exemplar).12) ROMEIRO, R. da S. Bactérias fitopatogênicas. Viçosa: UFV, 1995 (5 exemplares).BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR6) AGRIOS, G.N. Plant pathology. 4a Ed., Academic Press. 1997. 606p.7) CARDOSO, E. J.B. N, TSAI, S.M., NEVES, M.C.P. Microbiologia do solo. Campinas: SBCS, 1992.8) CENARGEN, Disponível em: http://pragamall.cenargen.embrapa.br/aiqweb/michtml/fgbanco01.asp. Acessado em junho de 2010.9) FARR & ROSMAN, SBML Systematic Botany of Mycological Resources. Disponível em:<http://www.ars.usda.gov/main/site_main.htm?modecode=12-75-39-00>. Acesso em: 24 de setembrode 2012.
  4. 4. 10) ICTV International Committee on Taxonomy of Viruses. Disponível em :<http://ictvonline.org/virusTaxonomy.asp?version=2009&bhcp=1>, acessado em setembro de 2012.11) ICZN International Commission on Zoological Nomenclature. Disponível em:<http://www.nhm.ac.uk/hosted-sites/iczn/code/>, acessado em setembro de 2012.12) INDEX FUNGORUM. Disponível em: < http://www.speciesfungorum.org/Names/Names.asp>.Acesso em: 24 de setembro de 2012.13) IPNI The International Plant Names Index. Disponível em:< http://www.ipni.org/index.html>,acessado em setembro de 2012.14) ISPP Names of Plant Pathogenic Bacteria. Disponível em:<http://www.isppweb.org/names_bacterial.asp>, acessado em setembro de 2012.15) NIAS Gene Bank. Database of plant disease in Japan. Disponível em:<http://www.gene.affrc.go.jp/databases-micro_pl_diseases_en.php> , acessado em setembro de 2012.16) OKURA, M.H. & RENDE, J.C. Microbiologia – roteiros de aulas práticas. Editora Tecmedd,Ribeirão Preto, SP, 2008.17) PELCZAR, M., REID, R. & CHAN, E.C.S. Microbiologia. McGraw-Hill do Brasil, vol. 1e 2,São Paulo, 1980.18) MYCOLOGY ONLINE The University of Adelaide. Disponível em:<http://www.mycology.adelaide.edu.au/>, acessado em setembro de 2012.19) QBANK Comprehensive databases on quarantine plant pests and diseases. Disponível em:<http://www.q-bank.eu/Fungi/>, acessado em setembro de 2012.20) STUDIES Revista Científica Studies in Mycology. Disponível em:<http://studiesinmycology.org/>, acessado em setembro de 2012.21) PAZ LIMA, Estudos em Doenças de Plantas. Disponível em:<http://fitopatologia1.blogspot.com.br/>, acessado em setembro de 2012.22) SCIENCEDIRECT Busca Bibliográfica em banco de dados. Disponível em:<http://www.sciencedirect.com/>, acessado em setembro de 2012.23) APSNET Site de busca bibliográfica em três jornais científicos importantes em fitopatologiarepresentados por Plant Pathology, Phytopathology e Molecular Plant Microbe. Dispon;ivel em:<http://apsjournals.apsnet.org/loi/phyto>, acessado em setembro de 2012.24) SCIELO Site brasileiro que possui indexado revistas cientificas brasileiras e outras. Disponívelem:< http://search.scielo.org/index.php>, acessado em setembro de 2012. VISTO DO PROFESSOR VISTO DA COORDENAÇÃO
  5. 5. PROGRAMAÇÃO DE ATIVIDADES LEITURA LEITURAAULA TEMA DA AULA BÁSICA MATERIAL ATIVIDADES COMPLEMENTAR 1a3 Apresentação da Disciplina Aula(18/09 UNIDADE I – PRINCÍPIOS 1,3,6,7,8,9,10,11 6, 7,13,15,16,17,19, expositiva ) BÁSICOS 4a6 UNIDADE I – PRINCÍPIOS Aula(25/09 1,2,3,6,7,8,9,10,11 6, 7,13,15,16,19, BÁSICOS expositiva ) 7a9 Aula 6,(02/10 UNIDADE II – FUNGOS 1,3,7,8,9,10 expositiva 7,9,12,15,16,18,19, ) 10 a 12 6, 7, Aula UNIDADE II – FUNGOS 1,3,7,8,9,10(09/10 9,12,15,16,18,19, expositiva ) 13 a 15 6, 7, Aula UNIDADE II – FUNGOS 1,3,7,8,9,10(16/10 9,12,15,16,18,19, Expositiva ) 16 a 18 Aula UNIDADE II – FUNGOS 1,3,7,8,9,10 6, 7, 9, 2,16,18,19,(23/10 expositiva ) 19 a 21 6, 7, Aula UNIDADE II – FUNGOS 1,3,7,8,9,10(30/10 9,12,15,16,18,19, expositiva ) 22 a 24 Aula UNIDADE III – BACTÉRIAS 1,2,3,4,6,7,8,9,10,12 6, 7,14, 15,16,19,(06/11 expositiva ) 25 a 27 Aula UNIDADE III – BACTÉRIAS 1,2,3,4,6,7,8,9,10,12 6, 7, 14,16,19,(13/11 expositiva ) 28 a Primeira prova teórica e prática 30 Entrega Primeira versão do Prova(20/11 vídeo e descrição micológica ) 31 a 33 Aula UNIDADE III – BACTÉRIAS 1,2,3,4,6,7,8,9,10,12 6, 7, 14, 15,16,19,(27/11 Expositiva ) 34 a Aula 36 UNIDADE III - VÍRUS 1,3,7,8,9,10 6, 7,10, 15,16,19, expositiva(4/12) 37 a 39 Aula UNIDADE III - VÍRUS 1,3,7,8,9,10 6, 7, 10, 15,16,19,(11/12 expositiva ) 40 a 42 Aula UNIDADE III - VÍRUS 1,3,7,8,9,10 6, 7, 10, 15,16,19,(18/12 expositiva ) 43 a 45 Avaliação UNIDADE IV – NEMATÓIDES 1,3,5,7,8,9,10 6, 7, 8,11, 15,16,19,(08/01 )
  6. 6. 46 a 48 Aula UNIDADE IV – NEMATÓIDES 1,3,5,7,8,9,10 6, 7,8, 11, 15,16,19,(15/01 expositiva ) 49 a 51 UNIDADE V - PROTOZOÁRIOS 7,8,9,10 6, 7, 8, 15,16,19, Avaliação(22/1) 52 a Aula UNIDADE VI - ALGAS 54 7,8,9,10 6, 7, 15,16,19, expositiva 29/01 55 a 2a prova Teórica e Prática Prova 57 Entrega segunda versão do(17/1) vídeo e descrição micológica 58 a Prova 60 Prova Final(24/1)

×