Plano de Ensino Fitopatologia I

3.922 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.922
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
102
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano de Ensino Fitopatologia I

  1. 1. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO – Campus Urutaí PLANODE ENSINOCURSO: AgronomiaDOCENTE: Milton Luiz da Paz Lima CÓDIGO UNIDADE CURRICULAR PERÍODO ANO/SEMESTRE AGR224 Fitopatologia I (60 H/A) Vespertino 1/2012 OBRIG/OPT/EST PRÉ-REQUISITO CARGA HORÁRIA TOTAL: AGR 308; AGR 407 Teórica 2 Prática 2EMENTA: Histórico e importância econômica. Conceitos de doenças de plantas. Sintomatologia.Etiologia. Características dos principais patógenos de plantas. Variabilidade de agentesfitopatogênicos. Epidemiologia e princípios gerais de controle. Classificação de doenças deplantas. Utilização dos métodos biológicos, químicos, culturais e de resistência no controle dasdoenças causadas por fungos, bactérias, vírus e nematoides das culturas do algodão, arroz, café,cana, feijão, mandioca, soja, milho, trigo, pastagens, batata, ervilha, tomate, hortaliças e fruteirascultivadas e não cultivadas.OBJETIVOS/COMPETÊNCIAS:GERAL: ESPECÍFICOS:- Fornecer conhecimentos - Caracterizar e descrever novas doenças em plantas.técnicos para compreensão dos - Debater e discutir através de artigos publicados envolvendoconceitos gerais que envolvem diferentes agente etiológicos.os agentes causais de doenças - Compreender as diferentes atividades de pesquisa aplicadas ade plantas. patógenos de plantas; - Desenvolver inúmeras atividades de investigação e conhecimento a respeito de microrganismos fitopatogênicos e suas interações.CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:UNIDADE I – Iniciação ao estudo da Fitopatologia.OBJETIVO: Conceitos e natureza das doenças.1. Conceito2. Natureza das doenças de plantasUNIDADE II – Etiologia das doenças.OBJETIVO: Conhecer a descrição dos agentes causais e dos ciclos das principais doenças.1. Agentes causais2. Ciclos das doenças.UNIDADE III – Sintomatologia nas plantasOBJETIVO: Conhecer os diferentes tipos de sintomas e sinais nas plantas.1. Sintomas2. Sinais3. Importância no diagnóstico de doenças
  2. 2. UNIDADE IV – Epidemiologia de doenças de plantas.OBJETIVO: Adquirir conhecimento de como as populações de patógenos se interagem com aspopulações de hospedeiros.1. Diferenciação entre Incidência e Severidade.2. Processo monociclo e policiclo.UNIDADE V - Princípios gerais de controleOBJETIVO: Discutir e elucidar o universo do combate à ação de fitopatógenos.UNIDADE VI – Ciclo das Relações Patógeno-Hospedeiro.Objetivo: Conhecer as etapas do desenvolvimento de doenças.1. Sobrevivência2. Disseminação3. Infecção4. Colonização5. ReproduçãoUNIDADE VII – Variabilidade de Fitopatógenos.OBJETIVO: Conhecer os principais mecanismos que geram variabilidade nos fitopatógenos.1. Fungos2. Bactérias3. VírusUNIDADE VIII – Fisiologia do parasitismo.OBJETIVO: Entender quais são os mecanismos de ataque dos patógenos e como as plantas sedefendem.1. Mecanismos de ataque dos patógenos2. Mecanismos de defesa das plantas3. Reação de hipersensibilidadeUNIDADE IX – Classificação das doenças de plantasOBJETIVO: Saber como são classificadas as doenças, em que se baseia esta classificação, quaisfitopatógenos provocam determinadas doenças e qual a razão disto acontecer.1. Podridão dos órgãos de reserva.2. Tombamento ou Damping-off.3. Podridão das raízes.4. Doenças Vasculares.5. Manchas Foliares, Míldio, Oídio.6. Ferrugens e carvões.ESTRATÉGIAS DE ENSINO:I) ENSINO A metodologia utilizada será a exposição de slides em data-show associado a explicações emquadro branco. Caso permaneçam dúvidas por parte dos alunos, espera-se que estas sejamesclarecidas durante as aulas práticas (saídas de campo e laboratório) e teóricas. E, se ainda assimpersistirem as dúvidas, as aulas serão gravadas (*.wav) e os arquivos serão disponibilizados paraestudo no link [http://www.4shared.com/folder/tuiakZmY/_online.html]. Faz-se necessário por parte dos alunos leituras prévias (bibliografias básicas e complementareslogo abaixo) dos assuntos a serem lecionados, como forma de facilitar e melhorar o aprendizado egarantir uma boa discussão em sala de aula sobre o assunto. Caso haja necessidade o professorpoderá ministrar exame escrito ou objetivo (caráter surpresa), como forma de avaliação do
  3. 3. aproveitamento durante a aula ministrada. A chamada será realizada a qualquer momento durante a aula e fica impossibilitada a entrada ousaída de alunos quando esta estiver sendo realizada, permanecendo com falta os alunos que nãoestiverem presentes ou não responderem a mesma por qualquer motivo (ressalvados aquelesprotegidos pela lei). Os trabalhos que serão realizados durante o semestre, serão:Trabalhos práticos: durante as aulas práticas será cobrado a confecção de um relatório descritivosobre os acontecimentos decorrentes. O relatório de aula prática deverá conter: Introdução teórica(revisão de literatura); Material e métodos (descrição dos métodos e técnicas utilizadas everificadas na aula); Resultados e Discussão (análise crítica dos resultados observados na aula);Considerações finais e Referências bibliográficas (dentro das normas atuais da ABNT ou modelodisponibilizado pelo professor);Prova prática: será composta da apresentação das fotografias realizadas durante as saídas decampo, onde as doenças serão apresentadas e seus agentes causais devidamente identificadosdurante as projeções.Seminário: O aluno deverá apresentar o trabalho oral que será o conteúdo de um artigo científicointernacional. Que será avaliado pelo professor, pelos colegas em sala e auto-avaliado pelo próprioaluno (trabalho escrito). Os Seminários serão apresentados no início de cada aula. Com datapreviamente marcada. A duração máxima será de 10 minutos, podendo o aluno utilizar qualquerrecurso audiovisual disponível. Serão utilizadas fichas técnicas onde o quesito tempo seráanalisado.Relatórios de Saída de Campo: Poderão ser individuais ou em grupos. Deverão ser entregues nasemana após as realizações das aulas práticas. Os sintomas bem como a identificação dos seusagentes etiológicos encontrados no campo serão utilizados nas provas práticas. Devem conter osdesenhos (à mão) dos fungos vistos na aula (desenho dos patógeno vistos ao microscópio). Oaluno ganhará nota de participação se estiver presente nas saídas de campo.Boletim Técnico de uma Doença: O aluno irá compor um boletim descrevendo aspectos, daSintomatologia, Etiologia, Epidemiologia e Controle. Todas as informações deverão seguircritérios estabelecidos dentro da disciplina e conforme modelo disponibilizado pelo professor. Aestrutura básica será [introdução, materiais e métodos, resultados e discussão (prancha de fotos,sintomatologia, etiologia, epidemiologia e controle) e literatura citada.Laboratório: Alunos que não estiverem usando jaleco não poderão assistir aula prática.SITUAÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO:A avaliação será realizada através da aplicação de exames teóricos e trabalhos práticos.MB 1 = média bimestral 1 será composta dos seguintes itens:a) Trabalhos, pesquisa de ocorrências na internet, relatórios de aulas práticas, testes Surpresa = 40% de MB1b) 1ª. Prova Teórica + 1ª. Prova Prática + Seminários + prévia boletim técnico / 4 = 60 % de MB1MB 2 = médias bimestral 2 será composta dos seguintes itens:a) Trabalhos, relatórios de aulas práticas, testes Surpresa, atividades gerais: 40 % de MB2b) Boletim Técnicos de doenças de plantas + 2ª. Prova Escrita e 2ª. Prova Prática: 60 % de MB2.Datas Importantes:Boletim Técnico (prévia) entrega no dia da primeira prova: dia 24/04/12Saída de Campo 1: 10/4/12Saída de Campo 2: 19/06/121ª. Avaliação teórica e prática: 24/04/12
  4. 4. 2ª. Avaliação teórica e prática: 03/07/12Será considerado aprovado o aluno em que as médias das médias bimestrais resulte em nota 6,0.BIBLIOGRAFIA BÁSICA:1 - BERGAMIN FILHO, A., KIMATI, H. & AMORIM, L. Manual de fitopatologia: princípios econceitos. 3a Ed, Vol. 1, Editora Agronômica Ceres Ltda., São Paulo SP, 919p.,1995. (3exemplares).2. GALLI, F. Manual de Fitopatologia. Vol I, Editora Agronômica Ceres, São Paulo, SP. 1978. (3exemplares)3 – BLUM, L.E.B., CARES, J.E. e UESUGI, C.H. Fitopatologia o estudo das doenças de plantas.2ª. Tiragem. Editora Otimismo, Brasília, DF, 2007. (1 exemplar)4 - KIMATI, H ; AMORIM, L. ; BERGAMIN FILHO, A.; CAMARGO, J. F. A. C.; REZENDE, J.A. M. Manual de fitopatologia: Doenças das plantas cultivadas. 3a Ed, Vol. 2, Editora AgronômicaCeres Ltda, São Paulo SP, 774 p.1997. (1 exemplar).5 - GALLI, F. Manual de Fitopatologia. Vol II, Editora Agronômica Ceres, São Paulo, SP. 1980. (2exemplares).6 – ALFENAS, A.C. E MAFIA, R.G. Métodos em Fitopatologia. Editora, UFV, Viçosa, MG 2007.(3 exemplares).7 - ROMEIRO, R.S. Controle Biológico de doenças de plantas – procedimentos. Editora UFV,Viçosa, MG, 2007. (4 exemplares)8 - ROMEIRO, R.S. Métodos em bacteriologia de plantas. Editora UFV, Viçosa, MG, 2001. (eexemplares)BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:9 - AGRIOS, G.N. Plant pathology. 4a Ed., Academic Press. 1997. 606p.10 - BLUM, L.E. B., CARES, J.E. & UESUGI, C.H. Fitopatologia: o estudo das doenças deplantas. Brasília: Otimismo. 265 p. 2006.11 - BERGAMIN FILHO, A. & AMORIM, L. Doenças de plantas tropicais: Epidemiologia econtrole econômico. São Paulo: ed. Agronômica Ceres, 289p., 1996. (1 exemplar).12 - DUARTE, M.L.R. Doenças de plantas no trópico úmido brasileiro. I – Plantas industriais.Embrapa, Belém, Pará, 1999. (2 exemplares)13 - DUARTE, M.L.R. Doenças de plantas no trópico úmido brasileiro. II – Fruteiras nativas eexóticas. Embrapa, Belém, Pará, 1999. (2 exemplares)14 - FERNANDEZ, M. R. Manual para laboratório de fitopatologia. Passo Fundo, R.S. Embrapa-CNPT. Documento, 6, 128p. 1993.15 - FREIRE, F.C.O., CARDOSO, J.E. e VIANA, F.M.P. Doenças de fruteiras tropicais deinteresse agroindustrial. Editora Embrapa, Brasília, DF, 2003.(2 exemplares).16 - HANLIN, R. T. & MENEZES, M. Gêneros ilustrados de ascomicetos. Recife: Imprensa daUniversidade Federal Rural de Pernambuco, 274p., 1996.17 - KIMATI, H; GIMENES-FERNANDES, N.; SOAVE, J.; KUROZAWA, C.; BRIGNANINETO, F.; BETTIOL, W. Guia de fungicidas agrícolas: recomendações por cultura. 2 ed..Jaboticabal:Grupo Paulista de fitopatologia, 225p., 1997.18 - MACHADO, J.C. Patologia de sementes: fundamentos e aplicações. Brasília: Ministério daEducação; Lavras: ESAL/FAEPE, 107p. 1988.19 - MEDEIROS, R.B.;FERREIRA, M.A.S.V.; DIANESE, J.C. Mecanismo de agressão e defesanas interações planta-patógeno. Brasília-DF. Editora Universidade de Brasília. 290p. 2003.20 - MENEZES, M. & HANLIN-SILVA, D. M. W. Guia prático para fungos fitopatogênicos.Recife: Imprensa da Universidade Federal Rural de Pernambuco, 106p., 1997.21 - TIHOHOD, D. Guia prático para a identificação de fitonematóides. Jaboticabal: FCAV,FAPESP, 246p., 1997.22 - TIHOHOD, D. Nematologia agrícola aplicada. Jaboticabal: FUNEP, 372p., 1993.
  5. 5. _______________________ _______________________ ________________________Prof. Dr. Milton Luiz Paz Lima Coordenador de Curso Coordenação Pedagógica Urutaí, GO, 07 / 02/ 2012 ANEXOI CRONOGRAMA DATA PREVISTA N° AULAS CONTEÚDO DA AULA 07/2 04 Apresentação da disciplina. Unidade I. Iniciação ao estudo da Fitopatologia. Prática: Boas Práticas de operação de microscópio estereoscópio e ótico. Noções sobre um laboratório de fitopatologia. 14/2 04 História da Fitopatologia; Prática: Preparo de meio de cultura 28/2 04 Etiologia das doenças de plantas. Buscas Bibliográficas na internet (trabalho) / Seminário; Prática: Preparo de lâminas semipermanentes e rápidas. 6/3 04 Sintomatologia de Doenças de Plantas / Seminário Prática: Isolamento de fungos fitopatogênicos. Preparo de lâminas. 13/3 04 Epidemiologia das Doenças de Plantas / Seminário; Prática: Isolamento de Bactérias Fitopatogênicas. Preparo de lâminas. 20/3 04 Calibração visual da avaliação de doenças / Seminário; Prática: Teste de patogenicidade. 27/3 04 Princípios gerais de Controle / Seminário; Prática: Avaliação de testes de patogenicidade 3/4 04 Ciclo das relações patógeno Hospedeiro / Seminário; Prática: Técnicas de microfotografia. 10/4 04 Saída de Campo 17/4 04 Ciclo das relações patógeno Hospedeiro / Seminário; Prática: Detecção, isolamento e identificação de doenças coletadas no campo. 24/4 04 Primeira Prova Teórico-Prática/entrega da prévia da descrição de uma doença 8/5 04 Variabilidade de Fitopatógenos; Prática: Patologia de semente 15/5 04 Fisiologia do Parasitismo; Prática: Avaliação de experimento com sementes 22/5 04 Classificação das doenças de Plantas – Grupo I Podridões de órgãos de reserva; Prática: Elaboração de curvas de progresso de doenças.
  6. 6. 29/5 04 Grupo II e III Tombamentos e Podridões de raízes; Prática: Testes Histoquímicos em tecidos infectados. 5/6 04 Grupo IV e V Doenças vasculares e manchas foliares, míldios, oídios e ferrugens; Prática: Círculo de hospedeiros e especificidade. 12/6 04 Grupo V manchas foliares, míldios, oídios e ferrugens; Prática: Análise de amostras para Boletim Técnico. 19/6 04 Saída de Campo 2 26/6 04 Grupo VI Viroses, carvões, nematóides de galhas; Prática: Análise de amostras para Boletim Técnico. 3/7 04 Segunda Prova Teórico-Prática 10/7 04 Prova de RecuperaçãoOBSERVAÇÕES: A N E X O III PLANEJAMENTO DE VISITAS TÉCNICAS DATA LOCAL OBJETIVO10/04 Produtor rural próximo à cidade Diagnosticar problemas de Urutaí, GO fitossanitários apontando alternativas e soluções para resolução dos problemas.19/06 Embrapa Hortaliças Verificar as pesquisas em fitopatologia em laboratório e campo.

×