3. apres lucas damaceno

298 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
298
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3. apres lucas damaceno

  1. 1. Instituto Federal Goiano câmpus Urutaí. Curso de Agronomia Disciplina de Fitopatologia Doença de bacteria na cultura da uva Xillela Fatidiosa Mal de Percy Apresentador: Lucas Damaceno Nian Wang, Jian-Liang Li, and Steven E. Lindow
  2. 2. Introdução Esse artigo trata de uma doença que afeta a a cultura da uva na américa do norte, conhecida como o Mal de Pierce (Pierce’s disease of grape) representa uma grande ameaça pois é altamente destrutiva e de difícil controle devido sua disseminação natural por vetores aéreos (cigarrinhas) e pelas inúmeras hospedeiras alternativas.
  3. 3. Introdução Essa doença foi por muito tempo considerada causada por vírus, porém investigações mostraram que plantas doentes tratadas com antibióticos e seu material vegetativo imerso em agua quente eliminavam o agente causal; Na década de 70 foi isolada e cultivada em meio artificial e completado o postulado de Koch foi comprovada o agente causal da doença.
  4. 4. Introdução Na decada de 80 foi definitivamente classificada como Xilela Fatidiosa, sendo ela uma bactéria sistêmica do tio bastonete, gram negativa, aerobica, aflagelada e fatidiosa sendo ela limitada aos vasos xilematicos da planta.
  5. 5. Objetivo • Este artigo tem como objetivo a identificação de genes controlados pela sinalização célula-a- célula em Meio de caldo PW e observar a reação em cadeia da polimerase da transcrição reversa comparando Uma espécie selvagem de X. fatidiosa Temecula e uma isogênica rdfF mutante.
  6. 6. Materiais e métodos Estirpes bacterianas e condições de crescimento: Uma espécie selvagem de X. fatidiosa Temecula e uma isogenica rdfF mutante. Essa foram cultivadas a 28°C em meio liquido PW com agitação a 160rpm, Foi confirmado o crescimento da estirpe rpfF mutante meios contendo kanamy- cin (50 ug / m), mas foi cultivado sem antibióticos para análise do transcriptoma.
  7. 7. Materiais e métodos • Modelo de microarranjo : foi utilizada uma técnica experimental denominada de Microarranjo que detecta e quantifica acidos nucleicos (RNAm na forma de cDNA ou DNA genomico) este foi modelado utilizando o eArray(Agilent Technologies, Santa Clara CA).
  8. 8. Materiais e métodos Isolamento do RNA: RNA foi isolado usando um kit RNeasy Mini (Qiagen Inc., Valencia, CA). As células foram sedimentadas diretamente com um Reagente de Bacterias RNAprotect(Qiagen Inc.) 6 dias após a inoculação. Para inoculação em meio PW foi utilizada a concentração inicial das estirpes Selvagem (WT) e rpfF(Densidade óptica a 600 nm [OD 600] = 0,05). O DNA contaminante foi digerido com uma TURBO DNA-free kit(Ambion, Austin, TX). A concentração de RNA foi determinada com um espectrofotómetro NanoDrop (NanoDrop Technologies, Inc.) e a qualidade da amostra foi avaliada utilizando uma Agilent 2100 Bioanalyzer (Agilent Technologies).
  9. 9. Materiais e Métodos Analise do Microarranjo: O cDNA foi gerado utilizando-se o Agilent Two-Color Microarray- Based Prokaryote Analysis kit (Fairplay III labeling; Agilent Technologies), este foi sintetizado a partir de 5µg de RNA total utilizando AffinityScript HC.
  10. 10. Materiais e Métodos Duas réplicas biológicas foram utilizados para esta estudo. A hibridação foi realizada em um forno durante 17,5 h a 65 ° C usando um Gene Expression Hybridization Kit (Agilent Technologies) de acordo com o manual do usuário. As matrizes foram lavadas usando os protocolos recomendados pelo fabricante e digitalizados usando um scanner de microarranjo Dual-laser (Model G2505C;Agilent Technologies)
  11. 11. Materiais e Métodos Foi utilizado o método de aproximação de Benjamini e Hochberg para calcular a falsa taxa de detecção (FDR) e apenas os genes codificadores de proteínas foram submetidas para análise posterior.
  12. 12. Materiais e Métodos Reação em cadeia da polimerase da transcrição reversa : foi realizada usando um sistema ABI 7500 ou 7300 (Applied Biosystems, Inc., Foster City, CA). Os iniciadores utilizados neste estudo foram criados usando v8.1 Lasergene (DNAstar, Madison, WI). O dnaQ encodifica a subunidade de DNA polimerase III foi utilizada como um controle endógeno. As experiências foram repetidas duas vezes com resultados semelhantes e apenas um resultado representativo foi apresentado.
  13. 13. Resultados e Discussão • Identificação de genes controlados pela sinalização célula- a-célula em Meio de caldo PW: Genes de X. fastidiosa que são regulados em uma forma dependente da rpfF foram determinados perfil de trancriçao globa de células recuperadas a partir de relativamente densa as culturas em meio caldo. Nós raciocinamos que meio líquido (PW) melhor simula o ambiente aquoso que X. fastidiosa en- contadores no xilema de um meio solidificado. Como no anterior estudos, observou-se que a estirpe selvagem (WT) de X. fastidiosa formado um anel agregadora de espessura na interface ar / líquido de frascos de cultura que foi muito mais pronunciado após 14 dias de crescimento do que para o mutante rpfF.
  14. 14. Resultados e Discussão • Confirmação dos dados de microarranjos utilizando QRT-PCR. Em geral, estimativas de abundância relativa de RNA para um determinado gene feito utilizando microarranjos de DNA foram confirmadas utilizando qRT-PCR. O rpfF expressão dependente de 24 genes foi determinada usando ambos os métodos. Proporções semelhantes de expressão de 22 dos 24 genesna estirpe WT e o mutante rpfF foram obtidos por ambos métodos
  15. 15. Obrigado!!!

×