Instituto Federal Goiano – Campus Urutaí
Curso Agronomia – Disciplina Fitopatologia I
As relações filogenéticas de isolado...
2
INTRODUÇÃO
 Pythium insidiosum é um oomiceto aquático que é um agente causador da
pitiose e afeta principalmente cavalos,...
OBJETIVO
 Investigar as relações filogenéticas de isolados de P. insidiosum de
diferentes regiões do Brasil, utilizando a...
MATERIAL E MÉTODOS
 Isolados brasileiros de P. insidiosum e extração de DNA.
 A amplificação de segmentos específicos de DNA e sequenciamento
ITS1 (50-GTAGTCATAT GCTTGTCTC-30) e ITS4 (50-CTTCCGTCAA
...
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Tabela 2. Propriedades de cada um dos conjuntos de dados moleculares utilizados na análise.
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Tabela 3. Valores de
bootstrap apresentada
para cada um dos
subtipos mostrados nas
Figs. 1-3 por as...
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Tabela 4. Valores de diversidade de nucleotídeos COX II para
cada um dos clados P. insidiosum (ver ...
CONCLUSÃO
o Isolados brasileiros coletados de diferentes regiões do Brasil são
geneticamente similar e compartilham um úni...
REFERÊNCIAS
OBRIGADA!
13
As relações filogenéticas de isolados brasileiros de Pythium  insidiosum com base no seu rDNA e sequências de genes do cit...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

As relações filogenéticas de isolados brasileiros de Pythium insidiosum com base no seu rDNA e sequências de genes do citocromo oxidase II; MARIANNE MONTEIRO S. MOTA

1.270 visualizações

Publicada em

AZEVEDO, M. I.; BOTTON, S. A.; PEREIRA, D. I. B.; ROBE, L. J.; JESUS, F. P. K.; C.D. MAHL, C. D.; COSTA, M. M.; S.H. ALVES, S. H. e SANTURIO, J. M. Phylogenetic relationships of Brazilian isolates of Pythium insidiosum based on ITS rDNA and cytochrome oxidase II gene sequences. Veterinary Microbiology 159 (2012) 141–148.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.270
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
692
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As relações filogenéticas de isolados brasileiros de Pythium insidiosum com base no seu rDNA e sequências de genes do citocromo oxidase II; MARIANNE MONTEIRO S. MOTA

  1. 1. Instituto Federal Goiano – Campus Urutaí Curso Agronomia – Disciplina Fitopatologia I As relações filogenéticas de isolados brasileiros de Pythium insidiosum com base no seu rDNA e sequências de genes do citocromo oxidase II Aluna: MARIANNE MONTEIRO S. MOTA AZEVEDO, M. I.; BOTTON, S. A.; PEREIRA, D. I. B.; ROBE, L. J.; JESUS, F. P. K.; C.D. MAHL, C. D.; COSTA, M. M.; S.H. ALVES, S. H. e SANTURIO, J. M. Phylogenetic relationships of Brazilian isolates of Pythium insidiosum based on ITS rDNA and cytochrome oxidase II gene sequences. Veterinary Microbiology 159 (2012) 141–148.
  2. 2. 2
  3. 3. INTRODUÇÃO  Pythium insidiosum é um oomiceto aquático que é um agente causador da pitiose e afeta principalmente cavalos, cães e humanos nas regiões tropicais e subtropicais.  Avanços em métodos moleculares permitiram maior precisão no diagnóstico da pitiose, nos estudos das relações filogenéticas deste oomiceto.  A pitiose, é popularmente conhecida como “ferida da moda” é provocada por um fungo que se desenvolve em plantas aquáticas, e que, de forma oportunista, infecta principalmente os equinos.
  4. 4. OBJETIVO  Investigar as relações filogenéticas de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil, utilizando a análise de sequências das regiões espaçador interno transcrito 1 e 2, incluindo o gene 5.8S intervenção do DNA ribossomo (ITS) e a sequência parcial de citocromo oxidase II Gene (COX II).  Avaliar o nível de diferenciação do isolados brasileiros, norte-americano e tailandês, este fungo foi isolado para inferir sua história evolutiva.
  5. 5. MATERIAL E MÉTODOS  Isolados brasileiros de P. insidiosum e extração de DNA.
  6. 6.  A amplificação de segmentos específicos de DNA e sequenciamento ITS1 (50-GTAGTCATAT GCTTGTCTC-30) e ITS4 (50-CTTCCGTCAA TTCCTTTAAG-30) para STI FM58 (50-CCACAAATTT CACTACATTGA-30) e FM66 (50-TAGGATTTCA AGATCCTGC-30) para a COX II  A análise filogenética • análise de parcimônia máxima(MP) • Neighbor-joining análise (NJ) • análise de máxima verossimilhança (ML) • análise Bayesiana (BA) MATERIAL E MÉTODOS
  7. 7. RESULTADOS E DISCUSSÃO Tabela 2. Propriedades de cada um dos conjuntos de dados moleculares utilizados na análise.
  8. 8. RESULTADOS E DISCUSSÃO Tabela 3. Valores de bootstrap apresentada para cada um dos subtipos mostrados nas Figs. 1-3 por as árvores construídos usando diferentes reconstrução filogenética métodos.
  9. 9. RESULTADOS E DISCUSSÃO Tabela 4. Valores de diversidade de nucleotídeos COX II para cada um dos clados P. insidiosum (ver Fig. 1).
  10. 10. CONCLUSÃO o Isolados brasileiros coletados de diferentes regiões do Brasil são geneticamente similar e compartilham um único ancestral comum. o O completo sequenciamento do genoma P. insidiosum poderia também esclarecer algumas questões relativas aos fatores de virulência e relação parasita/hospedeiro que são mal conhecidos neste oomiceto.
  11. 11. REFERÊNCIAS
  12. 12. OBRIGADA! 13

×