Reabilitação em cães idosos

1.229 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.229
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reabilitação em cães idosos

  1. 1. Reabilitação em cães idosos Botucatu 2013 Monica Sartori
  2. 2. Idoso: média peso idade Até 10kg Idoso- 9 a 11 anos 11 a 24kg Idoso- 7 a 9 anos 25 a 40kg Idoso- 6 a 8 anos Acima de 41kg Idoso- 4 a 6 anos
  3. 3. Fatores a considerar: Maior tempo de vida: Raças de pequeno porte Raças mestiças Animais castrados Animais de vida doméstica vs animais de vida livre Animais peso ideal vs animais obesos
  4. 4. Efeitos físicos da idade No animal idoso: % de peso corporal é representado por aumento de gordura Pele: mais adelgaçada, hiperpigmentada e com elasticidade diminuída Perda de massa em mms, ossos e cartilagens Artroses são mais comuns Capacidade vital diminuída
  5. 5.  Capacidade expiratória diminuída Potência cardíaca diminuída Perda da elasticidade pulmonar, pode ocorrer fibrose e as secreções estão mais viscosas Pode ocorrer incontinência urinária Numero de cels S.N. diminuem
  6. 6. Exemplo cão idoso
  7. 7. Cão idoso obeso
  8. 8. Efeitos metabólicos da idade Diminui taxa metabólica Diminui competência imunológica Diminui processo de fagocitose e quimiotaxia Doenças autoimunes são mais comuns
  9. 9. Conceitos Baseado no processo de envelhecimento, o fisiatra deve ter em mente as diversas mudanças que ocorrem no animal. Importante: ter conhecimento básico das principais patologias, sem isso não terá sucesso no diagnóstico e consequentemente no tratamento. Fornecer ao proprietário o prognóstico, e quais as possibilidades de tratamento, assim como as “impossibilidades”
  10. 10.  Desafio: diagnóstico, clínico e na reabilitação
  11. 11. Sistemas a considerar: Cardiovascular: arritmias, hipertensão, lesões valvulares Respiratório: paralisia da laringe, síndrome do braquicefálico, colapso de traquéia,.. Gastrointestinal: enteropatias, má absorção,... Hepatobiliar: qualquer doença hepática
  12. 12.  **Endócrinas: hipotireoidismo, hiperadrenocorticismo, diabetes, hipodrenocorticismo Urinário: incontinência, I.Renal,... Hematológico: lupus, poliartrites, anemia hemolitica,.... E em todos: neoplasias
  13. 13. Sistemas importantes na reabilitação Musculo-esquelético: doenças articulares degenerativas, obesidade, tendinites, RLC, luxações patelares, osteocondrose, D.C, displasia de cotovelo, fraturas, neoplasias.... Neurológico: DDIV, mielopatia degenerativa, síndrome da cauda equina, discoespondilite, Wobbler, embolismo fibrocartilaginoso, neoplasias,...
  14. 14. Princípios da reabilitação em cãesidosos- exercícios terapêuticos Exercícios em cães idosos devem ser realizados com tolerância Exercícios de baixo impacto provam melhorar a função e reduzir a dor Exercícios com pesos leves ajudam a estimular o metabolismo da cartilagem e aumentam a difusão de nutrientes
  15. 15. princípios O alongamento periarticular protege as articulações Muitas vezes é necessário o uso de medicações
  16. 16. Medicação para dorcuidados: lesões renais, hepaticas: anamnese
  17. 17. pesos  Fortalecimento muscular  Estimulação de apoio de peso corporeo  Escada- fortalecimento funcional
  18. 18. cones  Deambulação  Alongamento  Equilíbrio  ADM
  19. 19. cavalete  Estimulação ativa da amplitude de movimento  alongamento
  20. 20. Ex: alongamento e fortalecimento
  21. 21. Theratube  Fortalecimento muscular
  22. 22. Bola terapêutica  Suporte do peso  Alongamento articular  Fortalecimento  Estabilização  Empurrando para baixo- contração dos mms extensores
  23. 23. Bola com apoio parcial  Alongamento articular  Suporte do cão
  24. 24. Esteira seca  Fortalecimento de exercícios controlados  Aumento de fase de apoio  Diagnóstico de claudicação
  25. 25. Prancha de equilíbrio  Estimular equilíbrio e propriocepção
  26. 26. Exercícios passivos  ADM  Perda da mobilidade neuromuscoloesquelé tica
  27. 27. Resumindo Praticamente todos os exercícios terapêuticos podem ser realizados em animais idosos, respeitando sempre o limite de cada animal.Ulisses, pug, 10 anos, DCF
  28. 28. Terapia aquática em animais idosos Considerações: Pressão torácica pode resultar em maior dificuldade inspiratória para alguns cães Água quente aquece o corpo, portanto, aumenta pressão cardiovascular Temperatura da água Secar o animal Hidro “assistida” Estresse
  29. 29. Hidro assistida
  30. 30. Massagem
  31. 31. Agentes físicos: crioterapia Sensibilidade ao frio Pele mais sensível- ulcerações Diminuição da frequência cardíaca e respiratória(em aplicações generalizadas) Aumento da rigidez dos tecidos
  32. 32. Calor Áreas com pouca sensibilidade Superaquecimento qdo em imersão- conferir temperatura retal Maior sensibilidade Feridas abertas ou contaminadas Lâmpadas- risco de queimaduras Animal sedado I.C, febre, neoplasias, sangramentos ativos e inflamação aguda
  33. 33. Ultrassom terapêutico Animais com marca-passos Em casos com laminectomia Neoplasias malignas
  34. 34. laser Processos infecciosos Tireóide Neoplasias Globo ocular Glandulas superficiais
  35. 35. eletroterapia TENS- analgesia Evitar em animais epiléticos e com arritmias cardíacas, na região cardíaca ES- marca passo cardíaco, gânglios cervicais, áreas próximas a neoplasias malignas, tromboses. Onde qualquer movimento ativo seja contraindicado
  36. 36. Exemplo:
  37. 37. Magnetoterapia Hemorragias I.C. severa Micoses Tuberculoseassociação de agentes físicos
  38. 38. Fototerapia Neoplasias e “aumentos de volume”-tumores
  39. 39. Infrassom Placas metálicas Áreas cardíacas Zona paravertebral Retardo de consolidação Feridas Tumores Insuficiência vascular
  40. 40. Tecaterapia Sensibilidade Metais Não associar com outros meios físicos Tromboflebite Hemofilia glândulas
  41. 41. Shock Wave Cirurgias recentes Implantes Desordens de coagulação Inflamações agudas
  42. 42. Manejo da dor Medicações Bolsas de água fria TENS Magneto Laser
  43. 43. Considerações nutricionais Diminuir calorias para animais obesos Controle colesterol e triglicérides Restrição Na e P Importante: perda de peso resulta em diminuição da sobrecarga articular, consequentemente diminui a necessidade de medicação em casos de osteoartroses.
  44. 44. Modificações ambientais Ambientes secos e mais quentes Camas acolchoadas ou colchões de água Cobertores para reduzir rigidez matinal Pisos não escorregadios Minimizar o uso de escadas Uso de rampas: portáteis ou não Uso de anti-derrapantes, tênis,.... Evitar excesso de brincadeiras com outros animais
  45. 45. Colete- cervical
  46. 46. Casos clínicos Tuí
  47. 47. Flica
  48. 48. Toti
  49. 49. Toti
  50. 50. contatos Monica Sartori Tel: 11996217569 Consultório: 26098122 Mail: monisartori@hotmail.com

×