Vento - 10º C

4.326 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.326
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.928
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vento - 10º C

  1. 1. Física - Química<br />O Vento<br />Trabalho realizado por:<br />Rita Sousa nº1<br />Andreia Mota nº3<br />Márcia Neto nº11<br />10ºC<br />
  2. 2. O que é o vento?<br />O vento é um fenómeno meteorológico formado pelo movimento do ar na atmosfera. O vento é gerado através de fenómenos naturais como, por exemplo, os movimentos de rotação e translação do Planeta Terra.Existem vários factores que podem influenciar na formação do vento, fazendo com que este possa ser mais forte (ventania) ou suave (brisa). Pressão atmosférica, radiação solar, humidade do ar e evaporação influenciam directamente nas características do vento.<br />
  3. 3. Formação do vento<br />Algumas regiões da Terra são menos aquecidas do que outras devido à ausência do Sol. Nas regiões em que possuem florestas, por exemplo, a sombra das árvores impede que o solo se aqueça muito. Porém onde não há florestas, os raios solares incidem directamente sobre o solo, aquecendo-o de forma mais intensa. O calor do solo irradia-se e aquece o ar. Por sua vez, o ar quente fica mais leve e sobe. Nas regiões menos aquecidas o ar desloca-se para ocupar o lugar do ar quente que subiu. Ao subir, o ar quente afasta-se do solo e torna a ficar frio. Com isso, fica mais pesado e desce novamente. Esta é a movimentação do ar é o que denominamos de vento.<br />
  4. 4. Aproveitamento energético do vento<br />Antigamente:<br /> A energia do vento tem sido aproveitada desde a antiguidade para mover os barcos impulsionados por velas ou para fazer funcionar a engrenagem de moinhos ao mover as suas pás. Nos moinhos de vento a energia do vento era transformada em energia mecânica, utilizada na moagem de grãos ou para bombear água, etc.<br />
  5. 5. Actualmente..<br />Na actualidade, a energia do vento, mais conhecida por energia eólica, esta utiliza-se para mover aerogeradores (grandes turbinas colocadas em lugares de muito vento). Essas turbinas têm a forma de um cata-vento ou um moinho, e ao movimentarem-se, através de um gerador, produzem energia eléctrica.<br />A energia eólica é a energia cinética do deslocamentos de massas de ar, gerados pelas diferenças de temperatura na superfície do planeta.<br />
  6. 6. Vantagens:<br />É inesgotável;<br />Não emite gases poluentes nem gera resíduos;<br />Diminui a emissão de gases de efeito de estufa;<br />É uma das fontes mais baratas de energia podendo competir em termos de rentabilidade com as fontes de energia tradicionais.<br />
  7. 7. Principais desvantagens:<br />A intermitência: nem sempre o vento sopra quando a electricidade é necessária, tornando difícil a integração da sua produção no programa de exploração;<br />Provoca um impacto visual considerável: principalmente para os moradores que se encontram lá perto, a instalação dos parques eólicos gera uma grande modificação da paisagem;<br />Impacto sobre as aves do local: principalmente pelo choque destas nas pás, efeitos desconhecidos sobre a modificação de seus comportamentos habituais de migração;<br />Impacto sonoro: o som do vento bate nas pás produzindo um ruído constante (43dB(A)). As habitações mais próximas deverão estar, no mínimo a 200m de distância.<br />
  8. 8. Utilização racional de energia <br />A utilização Racional de Energia (URE) consiste num conjunto de acções e medidas , que têm como objectivo a melhor utilização da energia. <br />Cada vez mais este factor é importante na economia energética e redução de custos , tanto no sector doméstico como no sector industrial e serviços. <br />Pode-se aproveitar todos os benefícios que a energia oferece na medida certa, sem desperdiçar .<br />
  9. 9. Quando o consumidor utiliza racionalmente a energia , ele está preservar os recursos naturais do país e , ao mesmo tempo, evita problemas de abastecimento. São atitudes simples mas que fazem toda a diferença para o consumidor.<br />Devemos sempre que pudermos evitar a utilização de aparelhos electrónicos no horário de ponta do sistema eléctrico que são das 17 ás 22 horas .<br />
  10. 10. Conselhos importantes para a redução do consumo ( Sector doméstico )<br />O consumo de energia no sector doméstico representa uma fatia que se situa perto dos 14% do consumo energético total em Portugal, apesar deste valor ser ainda baixo, comparativamente com a média Europeia (25%), verificou-se na última década um crescimento significativo do consumo de energia no sector doméstico que ronda os 3% por ano.<br />Para tal é necessário implementar medidas e acções, que apesar de simples, podem traduzir-se em significativas poupanças energéticas e económicas.<br />
  11. 11. Conselhos por equipamentos:<br />Máquina de lavar roupa: <br />- Utilize preferencialmente programas a baixas temperaturas, uma vez que a maior parte da electricidade gasta numa lavagem é para aquecer a água.- Aproveite a secagem natural.- Mantenha o filtro sempre limpo.<br />
  12. 12. Máquina de secar roupa:<br />- Se a máquina de secar tem um dispositivo de medição da humidade, use-o, pois este irá desligar-lhe a máquina quando as roupas estiverem secas.- Seque os tecidos leves e os pesados em separado. Desta forma terá toda a roupa seca em simultâneo.<br />
  13. 13. Máquina de lavar loiça: <br />- Economize água e energia lavando com carga máxima da máquina indicada pelo fabricante.- Mantenha os filtros sempre limpos.- Passe por água fria a loiça por forma a retirar a maior sujidade e utilizar um programa com menor duração e temperatura.- Utilize o ciclo de lavagem mais adequado e que permita uma maior economia de energia.<br />
  14. 14. Frigorífico <br /> - Opte por um "amigo do ambiente", que não use CFC's prejudiciais à camada do Ozono.- Não se esqueça que um frigorífico maior e mais eficiente pode não gastar menos do que um frigorífico adequado ás suas necessidades mas classificado como menos eficiente.- A instalação do aparelho deve ser feita em local bem ventilado, evitando a proximidade do fogão e de aquecedores ou áreas expostas ao sol, deixando espaço entre as paredes e o electrodoméstico (entre 5 a 10 cm). Siga sempre as recomendações de instalação do fabricante.- Deve evitar abrir desnecessariamente a porta, pense no que vai buscar antes de abrir o frigorífico, uma vez que a abertura das portas pode representar até 20% do consumo global do electrodoméstico.- Não encha demasiado o frigorífico, para deste modo o ar circular livremente entre os alimentos.- Coloque a comida em recipientes de modo a reduzir as trocas de água entre os alimentos e o ar interior do frigorífico..<br />
  15. 15. Ferro de Engomar <br /> - Utilize a temperatura correcta para cada tipo de tecido.- As roupas mais delicadas devem ser passadas primeiro.- Desligue o ferro um pouco antes de terminar.<br />
  16. 16. Fogões e Fornos <br />-Utilize panelas com fundos difusores de calor.<br /> - Mantenha o seu forno limpo, pois assim o calor irá reflectir-se melhor, consumindo menos energia no processo.- Antes de ligar o forno coloque a grelha ou tabuleiro na posição pretendida, para não estar a executar estas tarefas com o forno já ligado, não desperdiçando energia com estas tarefas.- Se tem um forno grande utilize-o somente para cozinhar grandes refeições, porque senão estará a consumir muita energia por pequenas quantidades de comida.- Utilize o microondas para aquecer a comida e cozinhar pequenos pratos uma vez que são mais rápidos e eficientes que os fornos convencionais.<br />
  17. 17. Iluminação<br /> -Desligue a iluminação sempre que não precise.- Utilize lâmpadas com a potência adequada às necessidades do local e tipo de utilização.- Adquira candeeiros que permitam uma boa iluminação por forma a evitar o uso de lâmpadas de maior potência.<br />
  18. 18. Aquecimento de água <br /> - Feche a torneira para se ensaboar.- A utilização de chuveiros eficientes e a redução do tempo nos duches, ajudam a reduzir custos. - Utilize alternativas renováveis como colectores solares térmicos. Este sistemas são capazes de reduzir até 80% da energia necessária para o aquecimento das AQS.- Desligue o termoacumulador quando não for necessário água quente e volte a ligá-lo antes da utilização. Podem ser utilizados relógios programados para desligar, por exemplo, durante a noite.<br />
  19. 19. Reciclagem <br />- Para reciclar uma tonelada de latas gasta-se apenas 5% da energia necessária para produzir a mesma quantidade de alumínio pelo processo primário.- Quando o aço é produzido inteiramente a partir da sucata, a economia de energia chega a 70% do que se gasta com a produção a base do minério de origem.- A fabricação de plástico reciclado economiza 70% de energia, considerando todo o processo desde a exploração da matéria-prima primária até a formação do produto final.<br />
  20. 20. Conselhos importantes para a redução do consumo ( Sector Serviços e Sector Industrial )<br />Estes dois sectores juntos representam a maior percentagem de consumos em energia final, com cerca de 41%, os serviços com 9% e o sector industrial 32% (valores de 2000).Através de acções de sensibilização junto de responsáveis e de funcionários com o objectivo de promover uma utilização adequada dos equipamentos e da energia, é possível reduzir consumos e gastos desnecessários, resultantes de iluminação e aquecedores ligados desnecessariamente, utilização de aparelhos de climatização com portas e/ou janelas abertas, etc., assim como o investimento e equipamentos e máquinas mais eficientes.<br />
  21. 21. Iluminação: <br />-Para iluminação exterior poderão ser utilizadas lâmpadas de vapor de sódio da baixa pressão, que apesar de apresentar um índice de restituição da cor muito baixo (factor menos importante nestas aplicações), são as mais eficientes.- A aplicação de balastros electrónicos podem representar reduções de consumos na ordem do 20 a 30%.- A utilização de armaduras mais eficientes permitem também reduzir a potência instalada através de uma melhoria no fluxo luminoso.- O correcto seccionamento dos circuitos de iluminação facilitam a boa gestão e aplicação dos conselhos de poupança energética. Instale disjuntores por secções de laboração e interruptores com um máximo de 6 pontos de luz, propiciando assim a utilização só nos locais em que é necessária.<br />
  22. 22. Fornos industriais :<br />- Determinar regularmente o consumo específico de energia do forno (unidade de combustível/unidade de produção), por forma a acompanhar a evolução do seu desempenho e a detectar (e corrigir) situações anómalas.- No caso de fornos eléctricos, efectuar um planeamento da produção, de modo a evitar a sua laboração nas horas de ponta, altura em que o custo unitário do KWh é muito superior, quer ao que se verifica nas horas cheias (- 70%), quer nas horas de vazio (- 150%).- Efectuar uma manutenção preventiva dos fornos, para evitar paragens imprevistas e garantir uma eficiência elevada.<br />
  23. 23. Secadores:<br /> - Dar preferência, sempre que possível, a sistemas de aquecimento directo do secador (gases de combustão), em detrimento do aquecimento indirecto (ar quente), pois o rendimento térmico deste último processo, é sempre inferior.- Averiguar da disponibilidade de efluentes térmicos de baixa temperatura na instalação (por exemplo, ar de arrefecimento de compressores), que possam ser recuperados para o secador, reduzindo assim as suas necessidades energéticas.- Instalar sistemas automáticos para controlo dos parâmetros de secagem, por forma a laborar permanentemente, nas condições de máxima eficiência.<br />
  24. 24. Banhos de Tratamentos:<br />- Minimizar o volume do banho, pois a energia absorvida é directamente proporcional ao volume do líquido.- Isolar a superfície dos tanques ou tinas, por forma a reduzir as perdas térmicas pelas respectivas paredes.- Reduzir ao mínimo a superfície livre do banho. <br />
  25. 25. Cuida do teu mundo por ti , pelos teus e por todos nós , para que futuramente juntos possamos ser felizes saudavelmente ! <br />

×