Ondas e Marés - 10º E

22.127 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
22.127
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7.593
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
329
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ondas e Marés - 10º E

  1. 1. Energia das Ondas e Marés<br />
  2. 2. Título: Energia das Ondas e Marés<br />Trabalho realizado por:<br /> Sara Silva nº23<br />Bruno Miranda nº24<br />Ana Rita Martins nº25<br />Turma: 10º E <br />Professor: Nuno Câmara Manoel<br />Disciplina: Física e Química A<br />Ano lectivo: 2009/2010<br />
  3. 3. Introdução :<br />Os oceanos podem ser uma fonte de energia para iluminar as nossas casas e empresas. Neste momento, o aproveitamento da energia do mar é apenas experimental e raro. Existem três maneiras de produzir energia usando o mar: as ondas, as marés ou deslocamento das águas e as diferenças de temperatura dos oceanos. Mas neste trabalho só iremos falar da energia das ondas e marés.<br />
  4. 4. As Ondas<br />O resultado da combinação de forças exercidas pela gravidade, pela tensão superficial da água e pelos ventos leva à subida e descida da superfície da água do mar e sua propagação: ondas. A profundidade do mar influencia a velocidade das ondas. A manifestação é a energia das ondas enquanto que a sua fonte é o movimento associado às grandes massas do oceano. <br />
  5. 5. Energia das ondas<br />A energia das ondas, provém do aproveitamento das ondas oceânicas. É uma energia “limpa”, isto é, sem quaisquer custos para o ambiente.<br /> As ondas possuem energia cinética e energia potencial. Elas possuem energia cinética devido ao movimento da água, e possuem também energia potencial devido à sua altura.<br />
  6. 6. Centrais de energia das ondas<br />A maioria das instalações são de potência reduzida, situando-se no alto mar ou junto à costa, para fornecerem energia eléctrica a faróis isolados ou carregamento de baterias de bóias de sinalização. A instalação de equipamentos técnicos capazes de gerar este tipo de energia ocorreu pela primeira vez em Portugal no ano de 2008, no parque de ondas da Aguçadoura, a cerca de 3 milhas náuticas da Póvoa de Varzim.<br />
  7. 7. Centrais de energia das ondas (cont.)<br /> Os sistemas para retirar energia das ondas são muito pequenos e apenas suficientes para iluminar uma casa ou algumas bóias de aviso por vezes colocadas no mar.<br />
  8. 8. A elevação da onda numa câmara de ar provoca a saída do ar lá contido; o movimento do ar pode fazer girar uma turbina. A energia mecânica da turbina é transformada em energia eléctrica através do gerador. Quando a onda se desfaz e a água recua o ar desloca-se em sentido contrário passando novamente pela turbina entrando na câmara por comportas especiais normalmente fechadas. Esta é apenas uma das maneiras de retirar energia da ondas. <br />
  9. 9. Problemas na utilização das centrais<br />Existem alguns problemas na utilização de centrais de energia das ondas, que requerem alguns cuidados especiais:<br />as instalações não podem interferir com a navegação;<br />Têm de ser robustas para poder resistir ás tempestades;<br />Têm de ser suficientemente sensíveis para ser possível obter energia das ondas de amplitudes variáveis. <br />
  10. 10. As Marés<br />A energia da deslocação das águas do mar é outra fonte de energia.<br />O resultado da combinação de forças produzidas pela atracção do sol e da lua e do movimento de rotação da Terra leva à subida e descida da água dos oceanos e mares, dando-se o nome de marés. <br />
  11. 11. Como obter energia a partir da energia das marés:<br />Pode obter-se energia a partir das marés de duas formas:<br /> Através da energia associada ao movimento da água que passa quando a maré sobe ou desce;<br /> Através de diques e comportas que retêm a água da maré cheia a são depois abertas quando o desnível for adequado, fazendo com que a água accione um mecanismo, fazendo-o rodar. <br />A desvantagem de se utilizar este processo na obtenção de energia é que o fornecimento não é contínuo e apresenta baixo rendimento. <br />
  12. 12. Tipos de Tecnologias<br />Atenuador – Este é um dispositivo flutuante longo que é alinhado perpendicularmente em relação à frente da onda. O dispositivo flutua efectivamente sobre as ondas e capta a energia quando as ondas o atravessam, devido ao movimento progressivo que estas provocam ao longo do seu comprimento.<br />
  13. 13. Pequeno Sistema Oscilante de Simetria Axial – Esta é uma estrutura flutuante que absorve a energia das ondas em todas as direcções por força dos movimentos das ondas na superfície da água ou perto dela. Este sistema oscilante, tendencialmente com pouco metros de diâmetro, é de pequenas dimensões comparado como comprimento de onda típico.<br />
  14. 14. Conversores Oscilantes de Translação das Ondas – Este é um colector instalado perto da superfície, montado sobre um braço colocado sobre um eixo perto do fundo do mar. O braço oscila como um pêndulo invertido, devido ao movimento das partículas da água nas ondas.<br />
  15. 15. Coluna de Água Oscilante (CAO) – Esta estrutura é parcialmente submersa, oca, com abertura para o mar abaixo da superfície da água, de forma a que o ar contido no seu interior seja comprimido pela coluna de água. Este ar é conduzido através de uma turbina de ar para produzir energia. <br />
  16. 16. Dispositivo de Galgamento– Este dispositivo consiste numa rampa que é galgada pelas ondas e num reservatório de armazenamento que recolhe a água das ondas. As ondas que entram no reservatório criam uma altura de água que é devolvida ao mar através de turbinas convencionais de baixa queda, instaladas no fundo do reservatório. <br />
  17. 17. Dispositivo Submerso de Diferença de Pressão – Este é um dispositivo submerso, normalmente instalado perto da costa e apoiado no fundo do mar. O movimento das ondas provoca a subida e descida do nível da água acima do dispositivo, induzindo uma diferença de pressão que provoca a subida e descida do dispositivo juntamente com as ondas.<br />
  18. 18. Conclusão <br />Apesar destes projectos terem pouco rendimento, por causa de que servem apenas para iluminar uma casa ou algumas bóias de aviso por vezes colocadas no mar, o ser humano tem de começar a utilizar mais estas energias renováveis para ter um bom futuro. <br />
  19. 19. Bibliografia <br />http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/energia-das-mare<br />s/imagens/energia-das-mares-13.gif (Março de 2010)<br />http://ricosurf.globo.com/ (Março de 2010)<br />http://img69.imageshack.us/i/4g3ijgxiy4.jpg/ (Março de 2010)<br />

×