Smart Cities

1.527 visualizações

Publicada em

1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Bom trabalho. Parabéns. Gostei. Só senti falta das referências para dar um cunho científico e embaçar corretamente.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.527
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
93
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Smart Cities

  1. 1. Cidade “As Cidades são o maior artefacto já criado pelo homem. Sempre foram objetos de desejos, desafios, oportunidades e sonhos).” (Carlos Leite – Cidades Sustentáveis, Cidades Inteligentes, 2012) As cidades reúnem pessoas, emprego, cultura, inovação… …reúnem vida! As cidades são hoje laboratórios que testam as suas próprias experiências… …em tempo real! Sistemas cada vez mais complexos!
  2. 2. As cidades do futuro serão, necessariamente, diferentes das cidades que conhecemos hoje! Mas serão assim tão diferentes das cidades que já conhecemos?
  3. 3. cidades: como começou o povoamento?
  4. 4. cidades: como começou o povoamento? O povoamento dos territórios começou, tipicamente, com as pessoas a reunirem-se em torno de um poço – elemento central para garantir a subsistência da população. E o tamanho da povoação era aproximadamente a distância que se poderia andar com um pote de água na cabeça.
  5. 5. Ainda hoje, se sobrevoarmos alguns países, como a Alemanha por exemplo, encontramos centenas de pequenas vilas separadas por menos de 2 kms em que se consegue percorrer toda a vila em menos de 20 minutos a pé.
  6. 6. casa – o centro da vida
  7. 7. casa – o centro da vida Durante centenas de anos a nossa casa era, de facto, o centro da vida e era este o modelo que vingava.
  8. 8. Era o centro de entretenimento!
  9. 9. Da produção de energia!
  10. 10. Do trabalho!
  11. 11. Era onde se cuidava da saúde. Onde se nascia e morria.
  12. 12. Industrialização - centralização
  13. 13. Industrialização - centralização As fábricas poluidoras começaram a ser deslocadas para a periferia.
  14. 14. A produção foi centralizada nas fábricas.
  15. 15. Centralizamos a produção de energia.
  16. 16. O ensino foi centralizado nas escolas.
  17. 17. Os cuidados de saúde foram centralizados nos hospitais. E com tudo isto foi preciso criar redes!
  18. 18. redes
  19. 19. redes Criámos redes de água, saneamento, energia, estradas, comunicações Tínhamos funções separadas que era necessário ligar.
  20. 20. Surgiu a rede ferroviária que ligava as áreas residenciais com as industriais.
  21. 21. Criámos uma extensa malha rodoviária, seguindo o modelo de darmos um carro a cada pessoa. E cada pessoa deveria ter um para estacionar esse carro, para onde quer que se deslocasse.
  22. 22. Não era, de todo, um modelo muito funcional! O problema é que ainda hoje vivemos nesse modelo! E o resultado foi este:
  23. 23. Seremos capazes de criar novos “poços” nasCidades: nossas cidades? como começou o povoamento?
  24. 24. Cidades – a mudança Jaime Lerner, ex-prefeito de Curitiba, no Brasil, considera a tartaruga como um dos melhores exemplos de qualidade de vida, precisamente por conjugar casa e trabalho no mesmo local. Para Jaime Lerner mudar a cidade não se trata de uma questão de tempo ou de recursos, mas sim uma questão de perspetiva. Devido à falta de recursos para a instalação de um sistema de metro, Lerner desenvolveu em 1974 um sistema baseado no mesmo princípio mas com os autocarros como meio de transporte. Hoje é tido como um dos mais eficientes sistemas de transporte público do mundo e foi replicado em 83 cidades por todo o mundo! Lerner defende que três anos são suficientes para mudar qualquer cidade em qualquer parte do mundo, desde que se olhe para as coisas da perspetiva certa.
  25. 25. Cidades – a sua evolução Atingimos recentemente uma marca importante na história da humanidade: mais de 50% da população mundial vive em cidades! Há 100 anos apenas 10% das pessoas viviam nas cidades. Em 2050 estima-se que este número aumente para 75%! Na Europa este número é já de 72,78 % e nos EUA 82,29%. Em Portugal tínhamos 27,7% da população a viver em cidades em 1975… …atualmente somos 60%!!!
  26. 26. Cidades – desequilíbrios cidades Como evoluíram as Conceito histórico – poços A população que vive nas cidades é responsável pelo consumo de 75% de Dados estatísticos e previsões toda a energia produzida a nível global… …e por 80% das emissões de carbono. Os 7 biliões de pessoas que atualmente povoam no nosso planeta, ocupam uma área de apenas 2% Estima-se que em 2050 a população humana atinja os 9 biliões, no entanto a superfície ocupada será apenas de 2,1%. Teremos cidades cada vez mais compactas, que levantarão desafios enormes mas que criarão oportunidades fantásticas!
  27. 27. Cidades – desafios A cidade, apelidada muitas vezes de confusa, caótica, poluída, insegura e instável, continua a ser “objeto” de desejo e procura por muitos. Na verdade, atualmente, cerca de 138 pessoas se deslocam para as cidades a cada minuto. Só na China, estima-se que 300 milhões de pessoas se vão deslocar para novas cidades nos próximos 15 anos. Urge por isso que encontremos novas soluções para estes desafios: soluções SMART
  28. 28. Cidades – desafios A migração para as cidades será positiva ou negativa para o planeta?
  29. 29. Para vivermos nas cidades temos que abdicar do campo e da natureza?
  30. 30. Smart City Uma cidade é dita “smart” quando: se efetuam investimentos em capital humano e social, conjugados com uma infraestrutura (transportes) e moderna (T.I.C.), de comunicação tradicional que alimentam um crescimento económico sustentável e uma elevada qualidade de vida, com uma administração eficiente dos recursos naturais, através de uma governança participativa. As Cidades do Futuro deverão assim assentar em três eixos: Inclusão | “SMART” | Sustentabilidade
  31. 31. Smart City Numa Smart City deverão existir três dimensões: • pessoas – agregando os valores e desejos de uma nova classe criativa, constituída pelo talento e conhecimento de cientistas, artistas, empresários, capital de risco e outros criativos; • inteligência coletiva da população – desenvolvimento de cooperação ao nível do conhecimento e da inovação; • inteligência artificial ou digital – tecnologia que uma cidade disponibiliza, quer através de espaços digitais, ou de ferramentas públicas disponíveis para ajudar a resolver os problemas das populações.
  32. 32. Smart City Oportunidades: Necessidade e Oportunidade de desenvolvimento de novos serviços e sistemas para a gestão das cidades. Smart Services in for by e-services and e-governement Cities Cerca de 50% das pessoas que vivem nas cidades estão ligadas diariamente à internet através dos seus telemóveis!
  33. 33. “As melhores cidades… …serão as cidades com as melhores APPs”.
  34. 34. Smart City “Pilares” que suportam uma Cidade Inteligente Smart Economy (competitividade)
  35. 35. Smart City “Pilares” que suportam uma Cidade Inteligente Smart Economy (competitividade) Smart People (capital humano e social)
  36. 36. Smart City “Pilares” que suportam uma Cidade Inteligente Smart Economy (competitividade) Smart People (capital humano e social) Smart Governance (participação)
  37. 37. Smart City “Pilares” que suportam uma Cidade Inteligente Smart Economy (competitividade) Smart People (capital humano e social) Smart Governance (participação) Smart Mobility (transportes e TIC)
  38. 38. Smart City “Pilares” que suportam uma Cidade Inteligente Smart Economy (competitividade) Smart People (capital humano e social) Smart Governance (participação) Smart Mobility (transportes e TIC) Smart Environment (ambiente e recursos humanos)
  39. 39. Smart City “Pilares” que suportam uma Cidade Inteligente Smart Economy (competitividade) Smart People (capital humano e social) Smart Governance (participação) Smart Mobility (transportes e TIC) Smart Environment (ambiente e recursos humanos) Smart Living (qualidade de vida)
  40. 40. Smart City Vantagens Competitivas: Mais acessível Mais sustentável Mais inclusiva Mais inovadora Mais aberta à população
  41. 41. Smart City Adversidades: Exposição / Acesso à Informação Investimento inicial para a reconversão das cidades Má implementação do conceito
  42. 42. Smart City O poder da População: Temos hoje projetos que são financiados por pessoas que nunca viram os seus criadores; Temos a primavera árabe; Temos as manifestações do Brasil; Pessoas que cada vez mais se juntam em torno de uma causa e conseguem mover e fazer cair governos. As pessoas descobriram o poder que têm.
  43. 43. Smart City Transição: Deveremos deixar de pensar a cidade como urbanistas, como arquitetos, engenheiros, juristas ou economistas. Deveremos pensar a cidade enquanto CIDADÃO
  44. 44. It’s ALL about PEOPLE!
  45. 45. Benchmarking Internacional São conhecidos 143 projetos em desenvolvimento em todo o mundo. 35 na América do norte, 11 na América do sul, 47 na Europa, 40 na Ásia e 10 na África e Médio Oriente. É uma tendência global que surge nos países desenvolvidos ou em desenvolvimento, Nas grandes e nas pequenas cidades. Não é uma questão de dimensão… …é uma questão de atitude!
  46. 46. Smart Portugal Évora Distrito Digital – EDD Águeda GaiUrb Lisboa Cascais Coimbra Porto Paredes – PlanIT Valley !?
  47. 47. Smart City O que há a fazer: Consciencializar decisores e população para a necessidade de uma melhor gestão dos recursos; Aprender (e ensinar) a fazer mais, com menos; Sentimento de propriedade -> Usar e não Possuir; Aprender com os melhores -> adaptar à nossa dimensão (e carteira)
  48. 48. Smart Regions Crescimento das cidades periféricas – cidades dormitório Cidades “centrais” concentram serviços e empresas Dispersão de equipamentos e atividades O novo paradigma no financiamento das cidades, obrigará a um novo modelo de gestão! – reorganização territorial ao nível das cidades?!
  49. 49. Smart Regions Será necessário alargar a escala da gestão e potenciar a partilha de recursos, de receitas, de obrigações, de responsabilidade e decisão. As Smart Cities deverão, também, dar suporte aos territórios de baixa densidade que estão próximos de si e que complementam a sua “oferta”. deveremos ser capazes de potenciar a “criação” de Smart Regions
  50. 50. Quer mudar o Mundo? COMECE PELA SUA CIDADE!

×