As Smart Cities

336 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
336
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As Smart Cities

  1. 1. Página 1 de 7 Avenida da Boavista, Nº 1167, 3º Piso - Sala 3.5 4100-130 – Portugal +351 226 090 960 | geral@strategyxxi.pt strategyxxi.pt As Smart Cities Resumo: O rápido crescimento populacional lança desafios às cidades que devem ser resolvidos mediante a integração de sistemas de gestão e controlo inteligentes, para converter as cidades de hoje em Smart Cities. Filipe Gonçalves Managing Partner da Strategy XXI filipe.goncalves@strategyxxi.pt
  2. 2. Página 2 de 7 Avenida da Boavista, Nº 1167, 3º Piso - Sala 3.5 4100-130 – Portugal +351 226 090 960 | geral@strategyxxi.pt strategyxxi.pt Cerca de 50% da população mundial vive atualmente em cidades, ocupando no entanto apenas cerca de 2% da superfície da Terra. Estima-se que em 2050, a população nas cidades atinja os 70% do total, mas não aumente o espaço que ocupam, estabilizando entre os 2% e os 2,1% da superfície da Terra. Estes números permitem antever um mundo onde as pessoas viverão em cidades cada vez mais densas. Este crescimento populacional lança desafios de vários níveis às cidades que importa antever, para que se possam definir estratégias acertadas para a definição de soluções capazes de responder de forma adequada aos novos paradigmas. Uma dessas estratégias passará, certamente, pela integração de sistemas de gestão e controlo inteligentes, para converter as cidades de hoje, conforme as conhecemos, em cidades inteligentes – as Smart Cities. O objetivo é que as cidades sejam mais seguras, habitáveis, sustentáveis e eficientes e que possam continuar a oferecer serviços de qualidade aos cidadãos. As Smart Cities serão capazes de interagir com os cidadãos e adaptar-se às suas necessidades em tempo real. Nesse sentido, as cidades serão baseadas em seis pilares (segundo a rede European Smart Cities) que reúnem todas as mudanças necessárias para as converter em Smart Cities. Dentro destes pilares (Smart Economy, Smart Governance, Smart Living, Smart Mobility, Smart Environment e Smart People) encontram-se 33 fatores que definem as condições necessárias para que uma cidade se possa tornar inteligente. SMART CITIES Smart Economy Smart Governance Smart Living Smart Mobility Smart Environment Smart People
  3. 3. Página 3 de 7 Avenida da Boavista, Nº 1167, 3º Piso - Sala 3.5 4100-130 – Portugal +351 226 090 960 | geral@strategyxxi.pt strategyxxi.pt
  4. 4. Página 4 de 7 Avenida da Boavista, Nº 1167, 3º Piso - Sala 3.5 4100-130 – Portugal +351 226 090 960 | geral@strategyxxi.pt strategyxxi.pt SMART ECONOMY As Smart Cities devem criar mecanismos que possibilitem fomentar a sua economia e torná-la mais competitiva e vantajosa que economias de cidades e países “concorrentes”. Esses mecanismos que vão desde o foco num sistema de alta qualidade da educação, financiamento público da pesquisa científica, atraentes incentivos fiscais para as empresas, melhoria das infraestruturas, incluindo redes e ligações de alta qualidade nacionais e internacionais, excelentes serviços públicos, entre outros, permitirão criar uma Smart Economy (Economia Inteligente). Importará às cidades entender de que forma poderão tornar a sua economia mais inteligente, para que possam competir com outras cidades e se tornem mais atrativas que estas, a fim de criarem um ciclo contínuo de melhoria e fortalecimento da sua economia. SMART PEOPLE Na base de cada um dos pilares que definem as Smart Cities, estarão sempre as pessoas. A transformação das cidades irá gerar novas oportunidades e requisitos a que os cidadãos terão que responder, quer do ponto de vista da interação com a cidade em si, quer do ponto de vista da resposta aos novos perfis profissionais que serão criados e que vão exigir novos conhecimentos e diferentes níveis de preparação. Deveremos assim estar atentos e assegurar que a transformação das cidades é também acompanhada por uma transformação das pessoas para que possamos, de facto, criar Smart People (População Inteligente) orientadas para entender, utilizar e interagir com as cidades. SMART GOVERNANCE As Smart Cities devem melhorar a gestão pública através de um aumento da tecnologia digital e da inteligência, o que permitirá melhorar a segurança, a saúde e os domínios públicos. A Smart Governance (Administração Pública Inteligente), outro dos pilares, permitirá passar de um sistema de gestão tradicional para um novo modelo de gestão digital que irá facilitar e melhorar o uso dos recursos, tanto da administração pública como dos serviços de segurança, entre outros.
  5. 5. Página 5 de 7 Avenida da Boavista, Nº 1167, 3º Piso - Sala 3.5 4100-130 – Portugal +351 226 090 960 | geral@strategyxxi.pt strategyxxi.pt SMART MOBILITY A Smart Mobility (Mobilidade Inteligente) supõe a gestão integrada dos recursos e infraestruturas de uma cidade com vista a melhorar e aumentar a mobilidade dos cidadãos. Esta plataforma permitirá melhorar a mobilidade graças ao aumento da qualidade da informação e permitirá melhorar a interoperabilidade, reduzir o congestionamento e as emissões de C02, otimizar o tempo de viagem, promover os serviços de transportes públicos e até mesmo aumentar a segurança dos condutores. O veículo elétrico, de que se espera um aumento exponencial nos próximos anos, deverá também ser integrado de forma adequada tanto na rede elétrica como nas infraestruturas relacionadas com a indústria automóvel. SMART ENVIRONMENT A nível ambiental serão também verificadas grandes melhorias, não só da redução das emissões de CO2 com a Smart Mobility (referida no ponto anterior) mas também, por exemplo, ao nível da gestão da água. Esta, terá um papel extremamente importante na gestão das Smart Cities já que as cidades deverão fornecer água potável aos seus habitantes, acabando com as perdas da rede que atualmente atingem cerca de 35%. Ter um sistema inteligente de gestão e controlo de água, permitirá atuar sobre todo o ciclo da água, desde a sua captação à reciclagem, passando pelo seu tratamento. Graças à introdução de novos sistemas mais avançados de previsão meteorológica que trarão as Smart Cities, poder-se-á detetar com maior precisão as alterações bruscas do tempo e antecipar possíveis inundações e problemas que daí advenham.
  6. 6. Página 6 de 7 Avenida da Boavista, Nº 1167, 3º Piso - Sala 3.5 4100-130 – Portugal +351 226 090 960 | geral@strategyxxi.pt strategyxxi.pt Ainda dentro deste pilar, importa pensar nas redes energéticas, como a eletricidade e o gás. A criação de redes inteligentes (Smart Grids) de distribuição inteligente, automatizada e flexível, permitirá a realização de medições em tempo real do consumo e oferecer uma resposta rápida e eficaz à procura de energia graças ao inter-relacionamento da rede com os consumidores. Permitirá ainda integrar e gerir as energias renováveis na rede e será a chave para gerir a rede de distribuição em tempo real. SMART LIVING Finalmente será importante “levar” a inteligência para os edifícios e casas. Os Smart Building & Homes (Casas e Edifícios Inteligentes) proporcionarão as ferramentas para ajudar as cidades a otimizar o consumo de energia de instalações comerciais e habitacionais mas também, para aumentar o conforto na utilização destes por parte da população. Os avançados sistemas de domótica permitirão, cada vez mais, automatizar os edifícios e programá-los para que respondam aos hábitos e gostos de cada pessoa. Desde o controlo à distância de todos os equipamentos, à interação do edifício com os seus utilizadores, serão disponibilizados um grande conjunto de serviços que permitirão tornar o nosso dia-a-dia mais inteligente. Uma oportunidade económica Não nos devemos também esquecer que as Smart Cities serão um importante dinamizador da economia a nível mundial. Alguns estudos apontam para um crescimento próximo dos 20%, nos próximos dez anos, para a conversão de cidades inteligentes, sendo espectável que este sector atinja os oitenta mil milhões de euros de investimento nesse período. Se por um lado o investimento para a conversão das cidades é muito elevado, deve-se ter em conta que o seu retorno financeiro é muito rápido, sendo que em média, por cada euro investido em eficiência, será possível poupar dois euros na construção de infraestrutura de produção. Além disso, serão também criados novos perfis profissionais, como o Gestor Energético e os Energy Brokers, oferecendo novas oportunidades aos cidadãos.
  7. 7. Página 7 de 7 Avenida da Boavista, Nº 1167, 3º Piso - Sala 3.5 4100-130 – Portugal +351 226 090 960 | geral@strategyxxi.pt strategyxxi.pt Por último, deve destacar-se que para desenvolver a seis áreas que serão fundamentais nas Smart Cities, é necessária uma plataforma e serviços que permitam integrar estas seis áreas numa solução holística, prática e funcional. As Smart Cities são as cidades em que vivemos e em que incluímos sistemas de gestão e controlo inteligentes para sejam mais eficientes, sustentáveis, seguras e habitáveis.

×