Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
1 
ÍNDICE 
3. Apresentação 
5. Deliberaçã...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
2
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
3 
APRESENTAÇÃO 
O Plano de Atividades e ...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
A notoriedade alcançada pela Empresa, que...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
6
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
7 
OBJETIVOS 
- DIREÇÕES 
DIREÇÃO DE ADMI...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
 Como facilitadora no processo de desenv...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
e Saúde no Trabalho, de modo a aumentar a...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
Outra das áreas a que o SDHAS continuará ...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
11 
DIREÇÃO FINANCEIRA E COMERCIAL (DFC) ...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
 Insistir na política de gestão de exist...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DIREÇÃO DE PLANEAMENTO E EXPLORAÇÃO DE SI...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
 Iniciar uma empreitada, também na fregu...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
A DPES está, também, responsável por um c...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
As prestações de serviços a entidades ext...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DIREÇÃO DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE INFRA...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
funções de cada equipa e a introdução de ...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
19 
- GABINETES 
GABINETE DE APOIO (GA) 
...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
 Execução do Anteprojeto da Fonte Cibern...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
21 
PROJETOS 
Em sincronismo com as ativi...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
GABINETE DE COMUNICAÇÃO E IMAGEM (GCI) 
O...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
GABINETE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (GSI) ...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
Também em 2015 será lançado o concurso pa...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 
25
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 
ANO EC...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 
ANO EC...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 
ANO EC...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 
ANO EC...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 
ANO EC...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 
ANO EC...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 
ANO EC...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 
ANO EC...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 
ANO EC...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
32
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DE RESULTADOS 
3...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
Gastos de depreciação e de amortização 
O...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
Prestações de Serviços 
O valor esperado ...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DOS RESULTADOS P...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISION...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISION...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISION...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISION...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISION...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
BALANÇO PREVISIONAL 
DATAS RUBRICAS 
42 
...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
43 
DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA 
Ati...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
Assim, dos fluxos gerados pelas atividade...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DOS FLUXOS DE CA...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISION...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISION...
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
48
Águas de Coimbra 
Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 
Gabinete de Comunicação e Imagem 
AC, Águ...
Água 
Interrupção de Fornecimento a Pedido do Utilizador 10,00 
até 25 mm 3,9000 Restabelecimento do Fornecimento a Pedido...
áGuasdecoimbra
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

áGuasdecoimbra

731 visualizações

Publicada em

AC

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
731
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
41
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

áGuasdecoimbra

  1. 1. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 1 ÍNDICE 3. Apresentação 5. Deliberação 7. Objetivos Direção de Administração Geral (DAG) Direção Financeira e Comercial (DFC) Direção de Planeamento e Exploração de Sistemas (DPES) Direção de Operação e Manutenção de Infraestruturas (DOMI) Gabinete de Apoio Gabinete de Comunicação e Imagem Gabinete de Sistemas de Informação 25. Plano Plurianual de Investimentos 33. Demonstração Previsional de Resultados 42. Balanço 43. Demonstração dos Fluxos de Caixa 49. Parecer do Fiscal Único
  2. 2. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 2
  3. 3. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 3 APRESENTAÇÃO O Plano de Atividades e Instrumentos de Gestão Previsional para 2015, que aqui se apresentam, expõe um conjunto de objetivos e ações a concretizar no exercício do próximo ano que emanam da estratégia definida pelo Conselho de Administração. Para alcançar a Visão – assegurar o abastecimento de água e a drenagem de águas residuais, bem como a prestação de serviços associados – e cumprir a sua Missão – ser referência nacional na prestação de serviços de excelência aos clientes e na adoção de práticas inovadoras no setor das águas – a Águas de Coimbra adotou, para o período de 2014-2017, as seguintes linhas de atuação estratégica, a saber:  Prestar serviços de excelência aos clientes: disponibilizar água de qualidade com recurso a serviços que vão ao encontro das necessidades e expetativas dos clientes, orientando-os para a simplificação de procedimentos e relacionamento próximo;  Desenvolver práticas inovadoras: criar e desenvolver melhores práticas no âmbito da gestão do negócio e da sua operacionalização;  Garantir a sustentabilidade da empresa: aumentar o volume de negócios pela diversificação de serviços e aumento de escala, incrementar a eficácia e eficiência operacional e gerar valor para as partes interessadas. Dispondo a Águas de Coimbra de significativos recursos infraestruturais, destacando-se no abastecimento de água cerca de 1.197 km de redes de distribuição, 57 reservatórios e 36 estações elevatórias, e na drenagem de águas residuais cerca de 1.106 km de redes de drenagem (dos quais 235 Km são pluviais) e 37 estações elevatórias, que asseguram taxas de cobertura dos serviços de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais urbanas de 100% e de 96%, respetivamente, é agora altura de focar a sua atividade no aumento da durabilidade e na sustentabilidade infraestrutural dos sistemas de distribuição de água e de drenagem de águas residuais existentes, bem como na sustentabilidade económico-financeira e ambiental destes serviços, com destaque para a melhoria de desempenho associada à redução de perdas nas redes de água. Assim, em termos de serviço de abastecimento de água, o esforço está na continuação da manutenção e reabilitação dos sistemas existentes. Em termos de investimento, relativamente ao serviço de drenagem de águas residuais, a ambição é de alargar e reabilitar a rede de coletores e ramais domiciliários. Neste âmbito, vão iniciar-se, também, no ano de 2015 obras de alargamento de rede. Ao nível organizacional, a Águas de Coimbra, após a definição de um conjunto de linhas de atuação estratégica, decidiu implementar práticas destinadas a melhorar o seu desempenho, a referir: a) Balanced Scorecard; b) Desmaterialização de processos no âmbito da gestão documental; c) Gestão de Ordens de Trabalhos.
  4. 4. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 A notoriedade alcançada pela Empresa, que resulta dos prémios atribuídos pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos, por empresas do setor e pelos clientes (a AC continua a liderar a preferência dos consumidores no setor da Água), traduz o nível de excelência desta organização. Este documento previsional evidencia que a Administração da AC tudo fez, ao longo do último ano, e tudo fará para manter um elevado patamar de qualidade nos serviços prestados. Do mesmo modo, este Conselho de Administração que, há um ano atrás, assumiu a redução com caráter transversal da fatura da água - de 5% para consumidores domésticos, de 5% para o comércio indústria e serviços e de 50% para as IPSS´s -, propõe-se a manter as tarifas em 2015. Mais, evidenciando uma sensibilização acrescida com as dificuldades económicas que muitas famílias passam atualmente entendeu-se, para 2015, diminuir em 5% a tarifa variável de água e saneamento do grupo social doméstico. Para o exercício do ano de 2015 releva, a este propósito, a atenção extrema que a Administração desta Empresa Municipal dedica à eventual disponibilidade de Fundos Estruturais e de Coesão, que decorrem do V Quadro de Apoio Comunitário. Há obras prioritárias para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos do Município de Coimbra, cujos projetos estão preparados pela Águas de Coimbra, e que aguardam uma oportunidade de candidatura a esses fundos europeus. A respeito da proposta do Governo para a reestruturação do setor da Água, importa registar neste documento que a Águas de Coimbra vê, em todo esse processo, uma oportunidade para, finalmente, acabar com a cobrança de caudais mínimos, objetivo há muito defendido por esta empresa. Todavia, fica aqui registado o receio de que essa medida seja compensada com um aumento das tarifas cobradas à Águas de Coimbra pela água e pelo tratamento das águas residuais. A verificar-se este aumento, estará a assumir-se que os munícipes de Coimbra paguem os prejuízos de uma má gestão dos sistemas multimunicipais participados pelo Estado. Concluímos, salientando que os níveis de desempenho alcançados por esta organização têm como razão de ser a qualidade dos seus colaboradores. A todos eles uma palavra de agradecimento e de estímulo, para que prossigamos, juntos, a dar uma resposta capaz aos novos desafios que se colocam à Águas de Coimbra. 4
  5. 5. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 6
  6. 6. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 7 OBJETIVOS - DIREÇÕES DIREÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO GERAL (DAG) A Direção de Administração Geral (DAG) nasce com o processo de mudança estrutural na empresa, fruto do desenvolvimento do “Projeto Mais” que, com a envolvência de todos, culminou no “Modelo de Governação da AC, Águas de Coimbra, E.M.” A DAG “superintende diretamente nos serviços de Administração e Gestão do Pessoal (SAGP), Desenvolvimento Humano e Apoio Social (SDHAS), Desenvolvimento Organizacional (SDO) e na Equipa de Expediente Geral e Arquivo (EEGA)”. Como corolário das suas incumbências e no contexto do “CAF-Calendarização das iniciativas do Plano de Ação de Melhoria”, são cometidas à DAG, especificamente, 65 das 85 metas a alcançar, para além da participação conjunta com outras unidades orgânicas em grande parte das restantes metas. Serve este introito para salientar a importância da DAG no alcance do pretendido sucesso empresarial da AC, em termos não só da manutenção dos níveis de eficácia e de eficiência, mas também, do seu crescimento em termos concorrenciais, com a diversificação dos serviços a prestar e do mercado onde se atua. O desafio não é fácil! E como é que isso é possível? A resposta está na adaptabilidade dos recursos humanos que suportam a organização. À flexibilidade externa é imprescindível corresponder a flexibilidade interna. A gestão empresarial atual impõe que as pessoas tenham grande capacidade de adaptação a novos contextos de trabalho, a novos negócios, a novas responsabilidades, a novas funções, que permitam responder de forma rápida e eficiente ao meio, respeitando a identidade própria da empresa em que se inserem. A resposta passa, assim, por novos desafios da gestão de recursos humanos, estribados numa revolução de mentalidades, por uma nova visão do que é o sucesso profissional e por que se reconheça e premeie o trabalho em equipa; para tanto, a mais avançada tecnologia (sem pôr em causa a sua importância) não basta, se aquela não for acompanhada por uma força de trabalho motivada, com um perfil de mentalidades virado para o futuro. A missão e objetivos da função Recursos Humanos acima apontados centra-se no apoio aos seus “clientes internos”, quer como facilitadora, quer como repositório de técnicas e de instrumentos adequados que os auxiliem a conseguir elevados índices de motivação e satisfação na força do trabalho. A gestão de Recursos Humanos - a par do fornecimento de um conjunto de serviços, que vai desde a seleção e recrutamento, à administração salarial, à formação profissional, etc. – assume cada vez maior acuidade a dois níveis:
  7. 7. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015  Como facilitadora no processo de desenvolvimento organizacional (DO);  Como agente ativo na gestão da mudança. Com este desiderato, torna-se importante a implementação de formas de organização do trabalho que permitam o aumento da produtividade através de:  Trabalho em equipas pluridisciplinares;  Polivalência para assegurar a máxima flexibilidade na repartição do trabalho dentro da equipa;  Transferência do poder de decisão para as equipas (empowerment), que disporão da necessária autonomia para organizar e determinar o seu trabalho. Paralelamente, a gestão dos Recursos Humanos deve ter subjacente o desenvolvimento e o encorajamento de um clima organizacional que prepare e crie a apetência pela mudança. A mudança é, em si mesma, um processo gerador de insegurança e stress nas pessoas envolvidas, sendo necessário criar e manter o impulso indispensável para que ela arranque e prossiga, sem vacilações nem riscos de retrocesso. De todo o exposto, ressaltam, claramente, o papel interventor e fundamental do Serviço de Administração e de Gestão de Pessoas (SAGP) e as correspetivas linhas de ação. Numa linha de orientação geral, cabe à DAG, com a envolvência do Serviço de Administração e Gestão de Pessoas (SAGP), do Serviço de Desenvolvimento Humano e Apoio Social (SDHAS) e do Serviço de Desenvolvimento Organizacional (SDO),atentas as suas especificidades, assessorar os gestores na preparação, no arranque, na manutenção do ritmo e no controle dos processos de mudança, assumindo um papel crucial na AC, que se pretende continue na vanguarda das organizações modernas e similares. Concretamente, no que concerne ao Serviço de Desenvolvimento Organizacional (SDO), pretende-se, no ano de 2015, desenvolver um conjunto de atividades que se passam a descrever: - Relativamente ao sistema de gestão integrado da AC, cuja vertente da Qualidade se encontra certificada pela APCER, segundo a norma NPENISO 9001:2008, temos, para cada uma das suas vertentes: 1. Qualidade: o trabalho a desenvolver durante o ano de 2015 tem dois objetivos centrais: a) Melhorar o desempenho da organização, através de melhorias que visem o aumento da sua eficácia e eficiência; 8 b) Manter a Certificação pela entidade externa; c) Preparar o Sistema de Gestão para a versão 2015 da norma NPENISO9001. 2. Segurança no Trabalho: o ano de 2015 marcará a consolidação do trabalho já realizado nesta área, principiando o percurso que terá como objetivo a implementação de um Sistema de gestão de Segurança
  8. 8. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 e Saúde no Trabalho, de modo a aumentar a capacidade de resposta da AC nesta área, reforçando as condições de segurança dos colaboradores. Serão naturalmente desenvolvidos os trabalhos inerentes à Coordenação de Segurança em Obra. 3. Ambiente: dar continuidade à Gestão Ambiental inerente à atividade da AC. Outra componente importante neste domínio é o acompanhamento ambiental das empreitadas da empresa. - O próximo ano marcará o arranque do Balanced Scorecard da AC. Esta ferramenta permitirá controlar o desempenho da organização ao nível estratégico, através da monitorização da implementação das Linhas Estratégicas da AC. - A revisão do Plano de Gestão de Riscos de Corrupção e Infrações Conexas será uma ação a levar a cabo no ano de 2015, de modo a que este documento se mantenha atualizado e adequado. - No que diz respeito ao laboratório de contadores, será dada continuidade à realização das verificações metrológicas legais aos contadores movimentados pela AC. Serão consolidadas algumas melhorias já introduzidas nestas atividades, bem como algumas melhorias ao nível das condições técnicas, com o objetivo de otimizar o desempenho do laboratório. - Pretende-se ainda, continuar com a prestação de serviços a outras entidades gestoras, tendo como objetivo o aumento do volume de trabalhos e de entidades servidas. - Colaboração com as restantes unidades Orgânicas no âmbito das competências do Serviço. Por último, no que diz respeito ao Serviço de Desenvolvimento Humano e Apoio Social (SDHAS): Perante as exigências do serviço público, é decisivo que se continue a investir na melhoria da qualidade da formação dos trabalhadores, sem renunciar à correspondente certificação. Tendo presente que os colaboradores da Águas de Coimbra são a chave da eficácia organizacional, importa continuar a desenvolver o processo de melhoria das suas qualificações por forma a aumentar os seus níveis de produtividade e qualidade. A execução do plano de formação é uma variável chave para se produzirem as competências necessárias para se obter um desempenho eficaz, pelo que continuaremos a implementar o Plano de Formação. O plano de formação procurará ser o mais adequado ao desempenho dos cargos, com vista ao desenvolvimento das competências pessoais, profissionais e, sobretudo, organizacionais. Este processo exige uma análise das necessidades formativas, assente na avaliação rigorosa das competências existentes, que deverá conduzir a uma melhor otimização dos recursos humanos da Águas de Coimbra. Diagnosticar, planear, conceber, organizar, executar e avaliar a formação, de forma a suprir as necessidades formativas dos colaboradores das Águas de Coimbra, poderemos considerar o fulcro da missão do SDHAS. 9
  9. 9. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 Outra das áreas a que o SDHAS continuará a dar a máxima atenção, e que se encontra no âmbito das suas atribuições, prende-se com o acompanhamento social e a saúde dos trabalhadores. Assim, aprofundar-se-ão os objetivos traçados anteriormente, que se consubstanciam na melhoria do ambiente psicossocial e qualidade de vida das pessoas e na promoção da vigilância da saúde dos trabalhadores. A responsabilidade laboral e social da empresa incorpora práticas sociais orientadas para as questões de relacionamento profissional e social. Assume um compromisso diligente, de envolvimento e partilha, com o objetivo da resolução das causas dos problemas individuais, de forma a refletir-se positivamente nos resultados da empresa. Nessa medida e sendo uma empresa socialmente responsável, procurar-se-á assegurar o acompanhamento psicossocial e a reabilitação profissional dos trabalhadores que o necessitem, de forma a contribuir para melhoria do autoconceito individual, com vista a que se repercuta num melhor o desempenho e na procura de uma melhor qualidade de vida desses trabalhadores. O SDHAS dará, ainda, continuidade ao programa integrado de “Prevenção Social e Saúde no Trabalho”, que assenta não só na realização dos exames de diagnóstico (Medicina do Trabalho – exames de admissão, periódicos, ocasionais e complementares) mas, também, na realização de consultas médicas, designadas de Medicina Curativa ou Medicina Preventiva, bem como nas visitas médicas de acompanhamento aos trabalhadores que se encontrem de “baixa prolongada”, entendendo-se, ainda, à prevenção e controlo do consumo excessivo de álcool e na continuidade ao combate à toxicodependência. 10
  10. 10. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 11 DIREÇÃO FINANCEIRA E COMERCIAL (DFC) Em 2015 e anos seguintes, a Direção Financeira e Comercial exercerá a sua atividade em duas áreas principais: relação comercial e financeira e compras. Na relação comercial com o cliente é fundamental focarmo-nos na qualidade do serviço público prestado, procurando manter os níveis de qualidade que têm sido evidenciados no Índice Nacional de Satisfação de Clientes – ECSI Portugal, pelo que destacamos os seguintes objetivos:  Consolidar a presença na Loja do Cidadão, garantindo um horário alargado de atendimento aos clientes para celebrar, alterar e rescindir contratos, apresentar reclamações, dúvidas e sugestões;  Implementar o Balcão Digital, proporcionando aos clientes um novo canal de comunicação, fácil e cómodo;  Melhorar a gestão das reclamações e pedidos de esclarecimento, cumprindo os prazos de resposta definidos para as reclamações escritas. As reclamações serão sempre encaradas como oportunidade de melhoria do serviço prestado;  Proceder à leitura regular (bimestral para a maioria dos consumidores e mensal para os grandes clientes) dos contadores instalados, de forma a garantir o correto processamento da faturação, efetuando uma análise mais detalhada das situações de “consumo zero” e “ausência de leitura”;  Continuar a promover a adesão dos clientes à fatura eletrónica;  Incentivar a adesão dos clientes ao Débito Direto, visto que se trata da modalidade de pagamento das faturas mais cómoda e eficaz;  Atualizar sistematicamente o cadastro de clientes, tendo especial atenção à inserção do NIF, contactos telefónicos e endereços de email;  Implementar a interligação informática entre a AC, Águas de Coimbra, E.M. e o Serviço de Execuções Fiscais do Município de Coimbra, garantindo informação atualizada e execução da dívida dos clientes com maior celeridade;  Promover uma gestão mais eficaz do parque de contadores instalados, através da resolução rápida dos pedidos de serviço solicitados pelos clientes (colocações e levantamentos) e da iniciativa implementada na Empresa (substituições de contadores parados, substituições em obediência às campanhas relativas ao prazo legal de instalação dos aparelhos e levantamentos de contadores que abastecem clientes que não regularizam as suas dívidas após interrupção do fornecimento de água). No âmbito financeiro e das compras destacamos como objetivos mais relevantes:  Dar continuidade a uma política de contratação de bens e serviços através de plataforma eletrónica; • Fomentar o planeamento e negociação das aquisições de bens e serviços de modo a alcançar ganhos de economia no que diz respeito aos preços, quantidades e datas de entrega dos bens e serviços a contratar;
  11. 11. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015  Insistir na política de gestão de existências em armazém baseada na análise da rotatividade e nos stocks de segurança, de modo a reduzir, de forma eficaz, os gastos de armazenagem e a permitir efetuar o abate dos materiais que se encontram em estado obsoleto ou sem utilidade para a Empresa;  Elaborar um manual de controlo interno e de boas práticas para as áreas da contabilidade, 12 aprovisionamento e património;  Concluir a identificação (codificação e localização) do cadastro patrimonial da Águas de Coimbra, através da etiquetagem dos bens do ativo fixo tangível (bens não imóveis);  Monitorizar os bens de imobilizado, de forma a promover o seu abate, quando estiverem completamente amortizados e a sua utilização não se manifestar rentável para a empresa, promovendo, se necessário, a sua substituição.
  12. 12. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DIREÇÃO DE PLANEAMENTO E EXPLORAÇÃO DE SISTEMAS (DPES) Em 2015, as atividades a desenvolver pela Direção de Serviços Planeamento e Exploração de Sistemas (DPES) estarão alinhadas com os objetivos estratégicos da Águas de Coimbra, e com a visão definida para a Empresa Municipal: ser uma referência nacional na prestação de serviços de excelência aos clientes e na adoção de práticas inovadoras no setor das águas. A DPES irá exercer a sua atividade no sentido de aumentar a durabilidade e sustentabilidade infraestrutural dos sistemas de distribuição de água e de drenagem de águas residuais existentes, bem como a sustentabilidade económico-financeira e ambiental destes serviços, com destaque para a melhoria de desempenho associada à redução de perdas nas redes de água, de afluências indevidas nas redes de drenagem de águas residuais domésticas e industriais. Atendendo ao ciclo anual de gestão, ao nível operacional, uma parte significativa do investimento continuará a ser aplicada no serviço de abastecimento de água. Esta ação será consubstanciada por obras de reabilitação das redes existentes, para aumentar o nível de qualidade do serviço prestado e diminuir as perdas de água resultantes da deterioração das tubagens antigas. Neste âmbito, para o ano de 2015, a DPES propõe-se a desenvolver um conjunto de obras e de iniciativas das quais destacamos: - Ao nível da rede de abastecimento de água  Concluir a empreitada de remodelação da rede de água iniciada em 2013, que está a reabilitar e substituir redes pertencentes às ZMC de Ingote/Lordemão, Brasfemes, Rocha Nova, Lordemão Torre, Alto dos 5 Reis, Adémia, Santa Apolónia, Trouxemil, Marmeleira, Botão, Mata de São Pedro, Póvoa do Loureiro), Tovins, Tovim de Cima, Chão do Bispo II, Picoto dos Barbados/Dianteiro;  Concluir outras empreitadas iniciadas em 2014, de remodelação da rede de água nas ZMC de Ceira, Vale de Cântaros Norte, Vale de Cântaros Sul e Setor Noroeste;  Iniciar a empreitada que permitirá reabilitar a substituir redes e ramais em material obsoleto que ainda subsistem, com destaque para a conduta adutora aos Hospitais da Universidade de Coimbra;  Realizar uma empreitada para a construção de mais cerca de duas dezenas de pontos de medição e controlo de perdas de água, e outra de reabilitação apenas de ramais de água, mantendo-se as respetivas condutas onde estes são ligados, para zonas onde se verifica uma significativa percentagem de roturas e fugas apenas nos ramais. 13 - Ao nível da rede de saneamento  Concluir a empreitada, iniciada em 2013, na freguesia de Almalaguês, para dotar as povoações de Flor da Rosa e Ribeira, da rede de drenagem de águas residuais;  Concluir, logo no início de 2015, a empreitada iniciada em outubro de 2014, na povoação da Pedrulha, que servirá uma zona habitacional na parte poente e uma zona industrial na parte nascente desta povoação;
  13. 13. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015  Iniciar uma empreitada, também na freguesia de Almalaguês, para dotar as povoações de Rio de Galinhas e Monforte da rede de drenagem de águas residuais;  Realizar duas empreitadas de reparação e reabilitação de coletores e ramais de águas residuais, principalmente em grês, que apresentam sintomas de colapso estrutural e infiltrações significativas de águas freáticas. 14 - Ao nível da rede de drenagem de águas pluviais  Executar a separação das redes na zona do Vale da Arregaça, coordenada com a intervenção prevista do Metro Mondego;  Realizar a separação dos sistemas de drenagem em zonas onde existam redes unitárias, em que a Câmara Municipal de Coimbra realize obras de requalificação dos arruamentos, em estreita coordenação entre as entidades;  Continuar com a intervenção iniciada em 2013, relativa a coletores pluviais em várias ruas das freguesias de Eiras, Santa Cruz e Torre Vilela. Pretende-se, também, continuar a implementar a instalação de sistemas públicos e prediais de controlo na origem de águas pluviais, de forma a atenuar os caudais de cheia excessivos originados pela significativa expansão urbana no concelho e maior impermeabilização dos terrenos daí decorrente. A definição das melhores soluções continuará a ser realizada de acordo com os Planos Diretores de Drenagem. Para além destas intervenções, e para melhorar significativamente a gestão operacional diária da Empresa, a DPES continuará a dar destaque ao reforço progressivo do Sistema de Informação Geográfica (SIG), através da solução adquirida e iniciada em 2014, construída de acordo com as necessidades da AC, que permite a obtenção de informação de suporte para as restantes atividades da empresa. O SIG é a ferramenta onde reside toda a informação cadastral dos sistemas de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais urbanas e pluviais a cargo da Empresa e, ainda, informação relevante para a elaboração de mapas temáticos úteis à gestão operacional. No âmbito do controlo de perdas de água, irá incidir-se na setorização dos sistemas de abastecimento de água, realizando para o efeito a empreitada de criação de mais pontos de medição e controlo, bem como na implementação de um sistema que permita de modo mais automático e simples, obter informação para os locais a atuar na deteção de fugas e perdas, recorrendo para tal à melhoria dos sistemas de telegestão e telemetria, de modo coordenado com a Direção de Operação e Manutenção de Infraestruturas. Serão, também, promovidas ações de redução das afluências indevidas de águas pluviais e freáticas às redes de drenagem de águas residuais domésticas e industriais, com utilização de metodologias e equipamentos adequados para o efeito.
  14. 14. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 A DPES está, também, responsável por um conjunto de ferramentas como a telegestão, a telemetria, a inspeção vídeo de coletores e a deteção de ligações indevidas com recurso a fumo, que permitem obter a informação necessária ao funcionamento das infraestruturas de abastecimento de água e drenagem de águas residuais, cuja rentabilização incrementará a eficiência das atividades de exploração, operação e manutenção dos sistemas de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais. Como ações fundamentais para essa eficiência, merecem destaque:  O programa de controlo de qualidade da água (PCQA);  O programa de controlo operacional (PCO);  O plano de descargas na rede de distribuição de água;  O plano de higienização e limpeza de reservatórios, incluindo a aquisição da prestação de serviços;  O plano de controlo de perdas de água com a identificação dos contadores a substituir, deteção de roturas não reportadas, a identificação de ligações clandestinas e a monitorização dos consumos dos grandes clientes;  O plano de gestão do parque de contadores, que reduz a idade média de instalação dos contadores e contribui para a redução das perdas aparentes;  A monitorização e fiscalização de infrações nas redes prediais de abastecimento e drenagem de águas, destacando-se o controlo das descargas industriais na rede pública de drenagem com a finalidade de garantir a conservação do sistema e o menor impacto no bom funcionamento das ETAR;  A aquisição de prestações de serviços de limpeza e desmatação dos espaços exteriores de reservatórios, estações elevatórias, bacias de retenção e zonas de coletores a corta-mato;  A realização de empreitadas de reposição de pavimentos betuminosos a quente, e de trabalhos de manutenção diversos, onde se destaca o levantamento de tampas de câmaras de visita;  A realização de empreitada de melhoria das condições de higiene e segurança em alguns 15 reservatórios e estações elevatórias. Como instrumento fundamental para o planeamento, e no âmbito das suas responsabilidades como entidade gestora, a DPES irá dar continuidade à atualização dos Planos Gerais de Distribuição de Água e de Drenagem. Os modelos de simulação matemática são importantes ferramentas que a AC dispõe, com resultados práticos na elaboração dos Planos Gerais, permitindo também dotar a empresa de importantes ferramentas de simulação das infraestruturas que gere, essenciais para a resolução dos problemas técnicos. A Empresa continuará com a implementação de um Sistema de Gestão Patrimonial de Infraestruturas, que teve uma significativa evolução desde 2013. O objetivo principal é ter uma gestão estratégica e sustentável do património existente em infraestruturas, constituindo uma abordagem de toda a organização, que visa assegurar um equilíbrio entre as dimensões de desempenho, risco e custo, ao longo de todo o seu ciclo de vida. Durante o ano de 2015 a GPI incidirá em sistemas que carecem de uma análise mais detalhada, para definição de táticas que possibilitem o seu melhor desempenho.
  15. 15. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 As prestações de serviços a entidades externas no âmbito das especialidades de trabalho do DPES merecerão algum destaque, quer na fase de elaboração de propostas, quer na sua execução. Para o desenvolvimento destas tarefas, contar-se-á com o apoio e contribuição da Universidade de Coimbra, ao abrigo do protocolo em vigor entre esta instituição e a AC. Pretende-se dar continuidade à elaboração de artigos científicos que divulguem os trabalhos realizados à comunidade técnico-científica e promovam o intercâmbio do conhecimento e melhoria da metodologia de desenvolvimento, contribuindo para o reconhecimento nacional e internacional da Águas de Coimbra, como empresa de referência no setor das águas. 16
  16. 16. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DIREÇÃO DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE INFRAESTRUTURAS (DOMI) Compete à Direção de Operação e Manutenção de Infraestruturas (DOMI) a gestão dos processos de operação e manutenção dos sistemas de água e de águas residuais e pluviais com a missão de assegurar o abastecimento de água e a drenagem de águas residuais, bem como a prestação de serviços associados. Para isso, está apetrechado de um conjunto de ferramentas como a Telegestão, o GOTAS-Si e o ERP-UBS que permitem a informação necessária ao funcionamento das infraestruturas de abastecimento de água e drenagem de águas residuais no entanto, não permitem a integração da informação que é necessária para uma análise célere ao funcionamento dos sistemas. Assim, dando persecução às ações iniciadas em 2014, em 2015 será executada uma atualização ao sistema de Telegestão e deverá ser implementada uma nova ferramenta de Gestão de Ordens de Trabalho com mobilidade para todas as equipas dos setores operacionais. Todas as atividades de manutenção desenvolvidas na DOMI são alvo de uma melhoria contínua, ao nível do planeamento, em função dos resultados obtidos e serão continuadas, com o intuito de atingir níveis de fiabilidade do serviço mais elevados, nos sistemas de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais, através dos planos e dos programas já implementados como:  O Plano de Inspeção e Limpeza de Reservatórios, EEA, EEAR e Bacias de Retenção;  O Plano de Manutenção Eletromecânica Preventiva em Estações Elevatórias;  O Plano de Inspeção e Limpeza de Estações Elevatórias de Águas Residuais;  O Plano de Manutenção de Infraestruturas de Saneamento – Limpeza/Desobstrução;  O Plano de Manutenção de Hidrantes;  O Plano de Manutenção e Limpeza de Sarjetas e Sumidouros. Os trabalhos que decorrem da manutenção e limpeza de válvulas serão sistematizados num plano a implementar em 2015 e, continuará a ser prestado apoio operacional à DPES, na implementação dos seguintes planos:  Plano de Descargas na Rede de Distribuição de Água;  Plano de Higienização e Limpeza de Reservatórios;  Programa de Controlo de Qualidade da Água (PCQA) e Programa de Controlo Operacional (PCO). O aumento da eficiência e fiabilidade das operações de manutenção, preventiva e corretiva, e a diminuição do esforço ambiental, serão também determinantes para os objetivos operacionais estabelecidos. A implementação do Plano de Renovação do Parque Automóvel e a instalação de um sistema de gestão proactiva da frota automóvel por GPS serão determinantes na diminuição dos custos de operação e de manutenção do parque de viaturas e de equipamentos. Isto porque se pretende uma redução da idade média do parque automóvel, uma adequação dos equipamentos e das viaturas à especificidade das 17
  17. 17. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 funções de cada equipa e a introdução de alarmística que contribua para a redução do consumo de combustível nas viaturas. Uma adequada e rigorosa monitorização do funcionamento dos sistemas, permite identificar oportunidades de melhoria da qualidade do serviço prestado pela Águas de Coimbra aos seus consumidores. Por isso, será dado total apoio operacional à DPES, na exploração dos sistemas de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais e ao GPI, na obtenção de dados e métricas mais relevantes que serão tratadas, analisadas e cruzadas para a avaliação do desempenho da empresa ao nível estratégico. 18
  18. 18. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 19 - GABINETES GABINETE DE APOIO (GA) OBRAS DE MANUTENÇÃO E REABILITAÇÃO O Gabinete de Apoio propõe-se executar em 2015 um plano de pequenas obras de manutenção e reabilitação. Estão incluídos nestes trabalhos o Edifício Sede da Rua da Alegria, o Museu da Água no Parque Manuel Braga e o Estaleiro da AC.EM na Rua Entre Vinhas em Eiras. No que ao Edifício Sede diz respeito, o mesmo subdivide-se em Edifício Central, Oficinas, Edifício de Apoio aos Sectores, Edifício do Pessoal Operário e Armazém. Em 2015 merecem destaque as seguintes intervenções: - Edifício Sede:  Reabilitação da Cobertura do Edifício Central, incluindo limpeza geral, limpeza de caleiras e substituição de algumas telhas degradadas;  Elaboração do Anteprojeto de aproveitamento do Edifício Oficinas e utilização do espaço, nomeadamente para arquivos, gabinetes e eventual Salão Nobre;  Alteração da Porta de acesso ao arquivo geral, que de acordo com o Relatório SST, deve abrir para o exterior;  Substituição da cobertura existente no Edifício de Apoio aos Sectores, removendo placas em Lusalite e aplicando placas tipo sandwich com isolamento térmico;  Alteração da formatação interior do Edifício de Apoio aos Sectores, delineando áreas para o Saneamento, a Água, as Obras e um pequeno espaço para os serviços da DPES;  Alteração do Portão da portaria, conferindo-lhe maiores condições de segurança e operacionalidade;  Tratamento e pintura dos paramentos do Edifício Sede. - Estaleiro:  Está em estudo a elaboração de um novo pavilhão de apoio, executado em estrutura metálica com cobertura tipo Blocotelha, apresentando uma dimensão de cerca de 600 m2 (30 x 20);  Execução de nova Portaria, instalações sanitárias e área de apoio, estando previsto para o efeito utilizar contentores pré-fabricados, assentes sobre betonilha a realizar no local; - Museu da Água:  Execução de Projeto de Arquitetura das novas instalações a Norte, planeadas de modo a integrar e reabilitar a galeria ali existente;
  19. 19. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015  Execução do Anteprojeto da Fonte Cibernética a efetuar no rio Mondego, junto às instalações do museu e tirando partido da esplanada ali existente, bem como das condições que o Edifício do Museu pode apresentar para um projeto deste tipo. 20 GESTÃO PATRIMONIAL DE INFRAESTRUTURAS Após aprovação pelo Conselho de Administração em 2014 da primeira versão do Plano Tático de GPI (2013 – 2017), continuar-se-á a alargar o mesmo a mais áreas de análise. Do estudo das novas áreas de análise, surgirá a necessidade de implementação de novas táticas, tendentes a melhorar a eficácia na gestão do planeamento, exploração, manutenção e operação das infraestruturas. De igual modo e não menos importante, em 2015 realizar-se-á a avaliação de desempenho e do grau de implementação de cada uma das táticas anteriormente aprovadas. Com o intuito de melhorar a gestão das infraestruturas pontuais (reservatórios, estações elevatórias, etc.), irá proceder-se à classificação qualitativa e quantitativa das inspeções efetuadas. Promover-se-ão melhorias nos modelos das fichas de inspeção, para sua utilização numa nova campanha de vistorias, coordenada com as áreas de análise em estudo, e com as obras de reabilitação em curso. CAF (COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK – ESTRUTURA COMUM DE AVALIAÇÃO) Resultante da autoavaliação efetuada segundo a metodologia CAF (Common Assessment Framework – Estrutura Comum de Avaliação), realizada em 2014, o próximo ano marcará o início da implementação de um vasto conjunto de medidas que visam melhorar o desempenho da Organização e os níveis motivacionais dos seus Colaboradores. INDICADORES DA QUALIDADE DO SERVIÇO PRESTADO AOS UTILIZADORES E ELABORAÇÃO DO ESTUDO/PROPOSTA DE TARIFÁRIO Importa referir que compete, também, a este Gabinete o reporting à Entidade Reguladora do Serviço de Águas e Resíduo (ERSAR), dos Indicadores da Qualidade do Serviço Prestado aos Utilizadores, bem como a elaboração do Estudo/Proposta de Tarifário, de acordo com as Recomendações da ERSAR e restante legislação aplicável, de modo a cumprir o disposto na Lei nº 73/2013, de 3 de setembro, que entrou em vigor no dia 1 de janeiro de 2014. Destaca-se ainda o reporting mensal junto da Administração de outros Indicadores de Desempenho da empresa, nomeadamente, no que diz respeito ao desenvolvimento da sua atividade de fornecimento de água e saneamento das águas residuais, em termos de evolução dos clientes, consumos e faturação dos diversos serviços prestados aos munícipes.
  20. 20. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 21 PROJETOS Em sincronismo com as atividades propostas, o Gabinete de Apoio irá promover o acompanhamento dos projetos de maior importância, apoiando o Conselho de Administração na identificação, na gestão das prioridades e das matérias estruturantes para a organização. São exemplo o Balcão Digital, o Sistema de Informação Geográfica, a Gestão e Planeamento das Tarefas de Operação e Manutenção e os Indicadores Internos e Externos.
  21. 21. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 GABINETE DE COMUNICAÇÃO E IMAGEM (GCI) O Plano de Atividades do Gabinete de Comunicação e Imagem inclui um conjunto diversificado de iniciativas, dirigidas a toda a comunidade, sobre várias temáticas ambientais, sociais e economicamente sustentáveis, que serão implementadas com recurso a diferentes metodologias, adequadas aos objetivos e metas definidos para cada uma das áreas. Em 2015, a Comunicação Externa, irá continuar a focar-se em ações que procuram melhorar, em particular, o indicador relativo à contribuição positiva da AC para a sociedade, aumentar a percentagem de clientes que bebem água da torneira, apesar de atualmente a percentagem ser claramente superior à estimada para o conjunto do sector das Águas (86,9% Vs. 70,5%) e esclarecer e sensibilizar os clientes sobre as diferenças entre o preço da água da torneira e a água engarrafada, e a respetiva “pegada hídrica”. Neste âmbito merecem destaque as seguintes ações:  Iniciativa “H2O - Viver a Empresa”;  Iniciativa “H2O – Tours” - passeios pela história e cultura hidráulica;  Campanha de divulgação do Balcão Digital;  Campanha de divulgação da qualidade da água da torneira “beber água da torneira é beber água de qualidade”, uma campanha que contará com a parceria de algumas entidades e figuras públicas da cidade;  Atualização do filme institucional;  Criação de uma aplicação de alertas para telemóveis e Tablet. Será, também, dada continuidade à Comunicação Direta ao Cliente, através do envio dos relatórios das análises à água, de cartas informativas e da atualização de informação em www.aguasdecoimbra.pt, www.museudaagua.com e nas redes sociais. Continuará a merecer destaque toda a ação de Educação Ambiental e Cidadania, dirigida à comunidade, que a AC exerce através do Museu da Água, com a execução de um programa que assenta particularmente na sensibilização e pedagogia. Neste âmbito destacamos o estudo de reabilitação e ampliação do Museu da Água de Coimbra e o estudo e criação do percurso pedestre/turístico “Uma visita aos esgotos”. As Prestações de Serviços a Entidades Externas merecerão o apoio do GCI, quer na fase de elaboração de propostas, quer na sua execução. Neste âmbito, como resultado das propostas apresentadas em 2014, a AC espera alargar em 2015, a prestação de serviços associados às mais diversas entidades privadas e públicas, nacionais ou internacionais. 22
  22. 22. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 GABINETE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (GSI) O renovado Gabinete de Sistemas de Informação propõe-se executar em 2015 um plano de remodelação de algumas infraestruturas e a expansão de alguns serviços que foram objeto de atualização em 2014. Dentro deste âmbito será remodelado todo o sistema de videovigilância dos espaços principais da empresa, nomeadamente no edifício-sede, no Museu da Água e no Estaleiro de Eiras. Esta remodelação visa dotar o sistema de maior versatilidade e funcionalidade, tendo por base tecnologias recentes que permitem encarar o futuro com alguma tranquilidade, mesmo em termos de possível expansão do sistema a todas as outras instalações da empresa. Outro ponto a abordar prende-se com a substituição da infraestrutura base do sistema de virtualização, dado que as mais recentes atualizações deste software, vieram demonstrar a necessidade de também fazer evoluir o hardware de suporte. Um outro aspeto a abordar será a dotação de melhores condições de monitorização e controlo no acesso ao datacenter da empresa. Esta necessidade decorre de alguns problemas que a antiguidade daquela infraestrutura tem levantado. Continuar-se-á a fazer evoluir o conceito de disaster recovery iniciado no presente ano, efetuando a mudança da unidade de replicação para a Casa Municipal de Proteção Civíl e dotando-a de infraestrutura de virtualização de servidores. Algo que tem sido recorrente na atuação do GSI, é a renovação de computadores afetos aos utilizadores internos. A política do GSI de substituir os computadores mais antigos e que costumam, por isso mesmo, causar mais problemas de manutenção e de operacionalidade, por modelos mais recentes visa diminuir os pedidos internos de suporte e facilitar o quotidiano dos colaboradores dando-lhes as melhores condições tecnológicas que for possível. Uma outra componente que será equacionada será a possível substituição dos servidores que suportam as aplicações do CRM, faturação e finishing. Esta hipótese estará em aberto se se concretizar a possibilidade de substituição daquelas aplicações por uma nova plataforma mais eficaz. Quanto à componente aplicacional, continuar-se-á a fazer evoluir e a consolidar as aplicações de recursos humanos, contabilidade e património, compras e armazéns, de modo a permitir adequá-las às necessidades que vão surgindo e aos prolíficos enquadramentos legais em voga. Tal como referimos no parágrafo anterior, poderá estar em equação a substituição de uma parte das aplicações atuais, mudança essa que visa dotar aqueles setores de meios mais modernos e que permitam melhorar a eficácia, até na integração com outros softwares. Outro projeto em mente que poderá ser concretizado em 2015, prende-se com a disponibilização de soluções de mobilidade para a área técnica e de exploração e manutenção de redes. Este tipo de soluções permitirá maior celeridade na atuação das equipas no terreno, juntando uma melhor definição das tarefas a executar e a recolha mais concisa de informação. Em termos de outros projetos aplicacionais, estarão ainda enquadrados a implementação do Balcão Digital, a consolidação e ampliação dos âmbitos do SIG e da Telegestão, a remodelação do sistema de gestão documental e a implementação de uma ferramenta de Balanced Score Card que visa dar um apoio mais eficaz ao nível da gestão. 23
  23. 23. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 Também em 2015 será lançado o concurso para as telecomunicações móveis (de voz e dados), dado que o contrato vigente terá o seu términus em Março. O objetivo será o de conseguir um contrato mais económico, alargando a panóplia de ferramentas aos dispor dos utilizadores da empresa. Uma área onde o GSI também presta apoio, é a parte tecnológica do Museu da Água. Para 2015 estamos a prever efetuar a renovação de alguns dos componentes dessa infraestrutura e a melhoria do apoio que aquele espaço pode dar a população estudantil. 24
  24. 24. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 25
  25. 25. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO ECONÓMICO DE 2015 Re aliz ad o ant e s d e 2 0 15 b ) 26 To t al em Iní c io 3 1- 12 - 14 Pre vis ão d as d e s p e s as d e inve s t imento Do tação p ara 2 0 15 Do tação para o s ano s To t al Pag o a t é 3 1-12 -14 Inve s t ime nt o t o t al a) De f inid a A d e f inir 2 0 16 2 0 17 S e g uint e s Co nt a SNC Dí vid a em 3 1-12 -14 Data Fas e Fim Có d ig o De s c riç ão d o inve s t ime nt o 2 1 INVES TIMENTOS EM ATIVOS FIXOS TANGÍVEIS - S ETOR DE ÁGUA 2 1 3 Re mo de la ç ã o d e e quipame nto 2 1 3 1- Remode la ç ã o de e quipamento e le c trome c â nico e de tra tamento - á gua . 212.000 01/04 12/18 167.000 167.000 45 15.000 15.000 10.000 10.000 10.000 2 1 3 2 - Instrumenta ç ã o, te lege stão e equipamento de dia gnóstic o e inspe c ç ã o. 950.000 01/07 12/18 790.000 790.000 45 100.000 100.000 20.000 20.000 20.000 2 1 4 Re s e rva tó rio s e e s ta ç õ e s e le va tó ria s 2 1 4 3 - Grande s repa ra ç õe s em rese rva tórios. 399.000 01/04 12/18 359.000 359.000 45 10.000 10.000 10.000 10.000 10.000 2 1 4 4 -Obra s de adapta ç ã o à s norma s de higiéne e seguranç a em re se rva tórios e esta ç õe s e leva tória s de á gua. 1.520.000 11/09 09/15 1.360.000 1.360.000 45 160.000 160.000 2 1 5 Amp lia ç ã o e re a bilita ç ã o d a re de e xis te nte 2 1 5 5 - Remode la ç ã o da Rede de Água na Fregue sia de Alma laguê s / Sistema de Va le Câ nta ros. 2.122.000 11/05 12/18 1.592.000 1.592.000 45 460.000 460.000 50.000 10.000 10.000 2 1 5 11 - Rama is domic iliá rios e prolongame ntos. 2.021.000 01/00 12/18 1.621.000 1.621.000 45 100.000 100.000 100.000 100.000 100.000 2 1 5 13 - Obra s c omplementa re s de remode la ç ã o da rede de á gua . 792.000 01/07 12/18 332.000 332.000 45 400.000 400.000 20.000 20.000 20.000 2 1 5 16 - Re forço a o S e c tor Noroe ste (Adémia - Lama rosa ). 3.403.000 01/08 12/18 523.000 523.000 45 60.000 60.000 400.000 1.820.000 600.000 2 1 5 17 - Remode la ç ã o da rede de á gua e m Ca sa l do Lobo e Cova do Ouro. 350.200 01/10 12/17 100 100 45 100 100 100.000 250.000 2 1 5 18 - Re abilita ç ã o de rama is domic iliá rios de a ba ste c imento de á gua . 220.000 01/10 12/18 100.000 100.000 45 50.000 50.000 30.000 20.000 20.000 2 1 5 20 - Obra s de re a bilita ç ã o do sistema de distribuiç ã o de água - 5.ª fa se . (Sistema Infe rior) 1.483.000 10/10 03/15 1.481.000 1.481.000 45 2.000 2.000 2 1 5 22 - Obra s de re a bilita ç ã o do sistema de distribuiç ã o de água - 6.ª fa se . (Sistema s de P.Ma rrocos, Santa Cla ra , Alto Ba rre iros, Ce rna che , Cruz Morouç os) 1.191.000 10/10 03/15 1.189.000 1.189.000 45 2.000 2.000
  26. 26. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO ECONÓMICO DE 2015 Re aliz ad o ant e s d e 2 0 15 b ) 27 To t al em Iní c io 3 1- 12 - 14 Pre vis ão d as d e s p e s as d e inve s t imento Do tação p ara 2 0 15 Do tação para o s ano s To t al Pag o a t é 3 1-12 -14 Inve s t ime nt o t o t al a) De f inid a A d e f inir 2 0 16 2 0 17 S e g uint e s Co nt a SNC Dí vid a em 3 1-12 -14 Data Fas e Fim Có d ig o De s c riç ão d o inve s t ime nt o 2 1 5 23 - Obra s de re a bilita ç ã o do sistema de distribuiç ã o de água - 7.ª fase . (Sistema s Ingote /Lordemão/Bra feme s, Alto 5 Re is, Adémia , Chã o do Bispo) 1.642.000 10/10 06/15 1.442.000 1.442.000 45 200.000 200.000 2 1 14 S a ne ame nto bá s ic o a mo nta nte d a s c a pta ç õ e s d a Bo a vis ta 2 1 14 5 - Remode la ç ã o da rede de aba ste c imento de água na Fregue sia de Torre s do Monde go. 96.300 01/07 12/18 76.100 76.100 45 100 100 100 10.000 10.000 2 1 14 6 - Remode la ç ã o da rede e sistema de aba ste c imento de água na Freguesia de Ce ira . 320.000 01/09 12/17 190.000 190.000 45 5.000 5.000 80.000 45.000 S ub- to ta l 2 .1 - Ativo s fixo s ta ng íve is - s e to r de á g ua 16 .7 2 1.5 0 0 11.2 2 2 .2 0 0 11.2 2 2 .2 0 0 1.5 6 4 .2 0 0 1.5 6 4 .2 0 0 8 2 0 .10 0 2 .3 15 .0 0 0 8 0 0 .0 0 0
  27. 27. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO ECONÓMICO DE 2015 Re aliz ad o ant e s d e 2 0 15 b ) 28 To t al em Iní c io 3 1- 12 - 14 Pre vis ão d as d e s p e s as d e inve s t imento Do taç ão p ara 2 0 15 Do taç ão p ara o s ano s To t al Pag o a t é 3 1-12 -14 Inve s t ime nt o t o t al a) De f inid a A d e f inir 2 0 16 2 0 17 S e g uint e s Co nt a SNC Dí vid a em 3 1-12 -14 Data Fas e Fim Có d ig o De s c riç ão d o inve s t ime nt o 2 2 INVES TIMENTOS EM ATIVOS FIXOS TANGÍVEIS - S ETOR DE S ANEAMENTO 2 2 2 Re mo de la ç õ e s d e e quipame nto s 2 2 2 1 - Remode la ç ã o de e quipamentos e le c trome c â nicos - saneamento. 103.000 01/04 12/18 58.000 58.000 45 15.000 15.000 10.000 10.000 10.000 2 2 2 2 - Instrumenta ç ã o, te lege stão e e quipamento de dia gnóstic o e inspe c ç ã o. 271.000 01/07 12/18 221.000 221.000 45 20.000 20.000 10.000 10.000 10.000 2 2 3 Amp lia ç ã o e re mo de la ç ã o d a re de e xis te nte 2 2 3 2 - Remode la ç ã o da rede da Alta da Cidade (sistema sepa ra tivo). 1.700.000 01/07 12/18 265.000 265.000 45 5.000 5.000 20.000 160.000 1.250.000 2 2 3 3 - Remode la ç ã o da rede Solum/Ca lhabé (sistema sepa ra tivo). 2.445.000 01/07 12/18 395.000 395.000 45 100.000 100.000 450.000 300.000 1.200.000 2 2 3 8 - Rama is domic iliá rios e prolongame ntos. 1.679.000 01/00 12/18 1.439.000 1.439.000 45 60.000 60.000 60.000 60.000 60.000 2 2 3 10 - Remode la ç ã o da rede da Ba ixa da Cidade (sistema sepa rativo). 1.605.000 01/07 12/18 10.000 10.000 45 5.000 5.000 30.000 210.000 1.350.000 2 2 3 11 - Obra s complementa re s na rede de saneamento. 3.270.000 01/07 12/18 2.940.000 2.940.000 45 180.000 180.000 50.000 50.000 50.000 2 2 3 14 - Re de de Água s Re sidua is em Ca sa l do Lobo, Cova do Ouro, Dia nte iro, Ca rapinhe ira , Se rra da Rocha , Golpe e Rocha Ve lha . 4.764.200 01/09 12/18 64.100 64.100 45 100 100 500.000 3.300.000 900.000 2 2 3 15 - Remode la ç ã o da rede da Zona Centra l da Cidade (sistema sepa ra tivo). 3.875.000 10/10 12/18 10.000 10.000 45 5.000 5.000 60.000 400.000 3.400.000 2 2 9 Re qua lific a ç ã o ambie nta l da zo na No rte de Co imbra - 2 ª fa s e - Saneamento bá sico da s Ba cia s da s Va la s de Va le Trave sso e Anç ã . 2 2 9 3 - Re de de á gua s re sidua is na Ga nda ra . 570.300 10/11 12/18 100 100 45 100 100 100 70.000 500.000 2 2 10 S a ne ame nto bá s ic o a mo nta nte d a s c a pta ç õ e s d a Bo a vis ta 2 2 10 5 - Re de de á gua s re sidua is na Fre gue sia de Torre s do Monde go. 3.674.300 01/07 12/17 874.100 874.100 45 100 100 100 300.000 2.500.000 2 2 10 6 - Re de de á gua s re sidua is na Fre gue sia de Ce ira . 1.109.200 01/10 12/17 249.100 249.100 45 100 100 380.000 480.000
  28. 28. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO ECONÓMICO DE 2015 Re aliz ad o ant e s d e 2 0 15 b ) 29 To t al em Iní c io 3 1- 12 - 14 Pre vis ão d as d e s p e s as d e inve s t imento Do tação p ara 2 0 15 Do tação para o s ano s To t al Pag o a t é 3 1-12 -14 Inve s t ime nt o t o t al a) De f inid a A d e f inir 2 0 16 2 0 17 S e g uint e s Co nt a SNC Dí vid a em 3 1-12 -14 Data Fas e Fim Có d ig o De s c riç ão d o inve s t ime nt o 2 2 10 9 - Re de de Água s Re sidua is na Fre gue sia de Alma la guê s (4ª fa se ). 812.000 01/09 06/16 162.000 162.000 45 500.000 500.000 150.000 2 2 10 10 - Re de de Água s Re sidua is na Fre gue sia de Alma la guê s (5ª fa se ). 170.000 10/10 06/15 100.000 100.000 45 70.000 70.000 2 2 10 11 - Re de de Água s Re sidua is na Fre gue sia de Alma la guê s (6ª fa se ). 1.100.300 10/10 12/18 100 100 45 100 100 100 100.000 1.000.000 2 2 11 Re qua lific a ç ã o de s is tema s e xis te nte s . 2 2 11 3- Re a bilita ç ã o de c ole c tore s de drenagem de á gua s re sidua is. 1.448.000 01/10 12/18 498.000 498.000 45 350.000 350.000 200.000 200.000 200.000 2 2 11 4- Re a bilita ç ã o de rama is domiciliá rios de drenagem de á gua s re sidua is. 94.000 01/10 12/18 34.000 34.000 45 15.000 15.000 15.000 15.000 15.000 2 2 11 5- Obra s de adapta ç ã o à s norma s de higiéne e seguranç a em e sta ç õe s e le va tória s de á gua s re sidua is. 580.000 01/10 09/15 550.000 550.000 45 30.000 30.000 S ub- to ta l 2 .2 - Ativo s fixo s ta ng íve is - s e to r de s a ne ame nto 2 9 .2 7 0 .3 0 0 7 .8 6 9 .5 0 0 7 .8 6 9 .5 0 0 1.3 5 5 .5 0 0 1.3 5 5 .5 0 0 1.9 3 5 .3 0 0 5 .6 6 5 .0 0 0 12 .4 4 5 .0 0 0 2 3 INVES TIMENTOS EM ATIVOS FIXOS TANGÍVEIS - S ETOR DE ÁGUAS P LUVIAIS 2 3 1 Ampliação
  29. 29. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO ECONÓMICO DE 2015 Re aliz ad o ant e s d e 2 0 15 b ) 30 To t al em Iní c io 3 1- 12 - 14 Pre vis ão d as d e s p e s as d e inve s t imento Do tação p ara 2 0 15 Do tação para o s ano s To t al Pag o a t é 3 1-12 -14 Inve s t ime nt o t o t al a) De f inid a A d e f inir 2 0 16 2 0 17 S e g uint e s Co nt a SNC Dí vid a em 3 1-12 -14 Data Fas e Fim Có d ig o De s c riç ão d o inve s t ime nt o 2 3 1 1 - Amplia ç ã o da rede de drenagem de água s pluvia is na s zona s urbana s do Conc e lho. (a nte rior 2.2.12.2.) 3.216.000 01/07 12/18 1.416.000 1.416.000 45 1.000.000 1.000.000 300.000 250.000 250.000 2 3 1 2 Rama is domic iliá rios e prolongame ntos 160.000 01/15 12/18 45 40.000 40.000 40.000 40.000 40.000 2 3 2 Re qua lific a ç ã o de s is tema s e xis te nte s 2 3 2 1 Re a bilita ç ã o de c ole c tore s de drenagem de á gua s pluvia is. 400.000 01/15 12/18 45 100.000 100.000 100.000 100.000 100.000 2 3 2 2 Re a bilita ç ã o de rama is domiciliá rios de drenagem de á gua s pluvia is. 40.000 01/15 12/18 45 10.000 10.000 10.000 10.000 10.000 S ub- to ta l 2 .3 - Ativo s fixo s ta ng íve is - s e to r de á g ua s p luvia is 3 .8 16 .0 0 0 1.4 16 .0 0 0 1.4 16 .0 0 0 1.15 0 .0 0 0 1.15 0 .0 0 0 4 5 0 .0 0 0 4 0 0 .0 0 0 4 0 0 .0 0 0 2 4 INVES TIMENTOS EM ATIVOS FIXOS TANGÍVEIS - S ETOR COMUM 2 4 1 1 - Remode la ç ã o/conse rva ç ã o de e difíc ios. (ante rior 2.3.1.1.) 1.468.000 01/07 12/18 968.000 968.000 45 200.000 200.000 100.000 100.000 100.000
  30. 30. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO ECONÓMICO DE 2015 Re aliz ad o ant e s d e 2 0 15 b ) 31 To t al em Iní c io 3 1- 12 - 14 Pre vis ão d as d e s p e s as d e inve s t imento Do tação p ara 2 0 15 Do tação para o s ano s To t al Pag o a t é 3 1-12 -14 Inve s t ime nt o t o t al a) De f inid a A d e f inir 2 0 16 2 0 17 S e g uint e s Co nt a SNC Dí vid a em 3 1-12 -14 Data Fas e Fim Có d ig o De s c riç ão d o inve s t ime nt o S ub- to ta l 2 .3 - Ativo s fixo s ta ng íve is - s e to r c omum 1.4 6 8 .0 0 0 9 6 8 .0 0 0 9 6 8 .0 0 0 2 0 0 .0 0 0 2 0 0 .0 0 0 10 0 .0 0 0 10 0 .0 0 0 10 0 .0 0 0 3 INVES TIMENTOS EM ATIVOS DIVERS OS 3 1 INVES TIMENTOS EM ATIVOS FIXOS TANGÍVEIS DIVERS OS 3 1 1 1 - Te rre nos e re c ursos na tura is . 75.000 431 25.000 25.000 25.000 25.000 3 1 1 2 - Edifíc ios e outra s c onstruç õe s. 80.000 432 30.000 30.000 25.000 25.000
  31. 31. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO ECONÓMICO DE 2015 Re aliz ad o ant e s d e 2 0 15 b ) 32 To t al em Iní c io 3 1- 12 - 14 Pre vis ão d as d e s p e s as d e inve s t imento Do tação p ara 2 0 15 Do tação para o s ano s To t al Pag o a t é 3 1-12 -14 Inve s t ime nt o t o t al a) De f inid a A d e f inir 2 0 16 2 0 17 S e g uint e s Co nt a SNC Dí vid a em 3 1-12 -14 Data Fas e Fim Có d ig o De s c riç ão d o inve s t ime nt o 3 1 1 3 - Ma te ria l de c arga e transporte . 680.000 434 280.000 280.000 200.000 200.000 3 1 1 4 - Equipame nto bá sic o, outra s má quina s e insta la ç õe s. 75.000 433 25.000 25.000 25.000 25.000 3 1 1 6 - Equipame ntos de me dida e c ontrolo - Conta dore s de á gua . 150.000 433 50.000 50.000 50.000 50.000 3 1 1 8 - Equipame nto a dministra tivo soc ia l e mobiliá rio dive rso. 30.000 435 10.000 10.000 10.000 10.000 3 1 1 9 - Aquisiç ã o de ha rdwa re e e quipame ntos c ompleme nta re s. 230.000 435 130.000 130.000 50.000 50.000 3 1 1 10 - Outros a tivos fixos ta ngíve is. 80.000 437 60.000 60.000 10.000 10.000 S ub- to ta l 3 . 1 - Ativo s fixo s ta ng íve is d ive rs o s 1.4 0 0 .0 0 0 6 10 .0 0 0 6 10 .0 0 0 3 9 5 .0 0 0 3 9 5 .0 0 0 3 2 ATIVOS INTANGÍVEIS 3 2 1 1 - Aquisiç ã o de softwa re 400.000 443 200.000 200.000 100.000 100.000 3 2 1 2 - De spe sa s de inve stiga ç ã o e de senvolvime nto 300 442 100 100 100 100
  32. 32. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO ECONÓMICO DE 2015 Re aliz ad o ant e s d e 2 0 15 b ) 33 To t al em Iní c io 3 1- 12 - 14 Pre vis ão d as d e s p e s as d e inve s t imento Do tação p ara 2 0 15 Do tação para o s ano s To t al Pag o a t é 3 1-12 -14 Inve s t ime nt o t o t al a) De f inid a A d e f inir 2 0 16 2 0 17 S e g uint e s Co nt a SNC Dí vid a em 3 1-12 -14 Data Fas e Fim Có d ig o De s c riç ão d o inve s t ime nt o S ub- to ta l 3 . 2 - Ativo s intang íve is 4 0 0 .3 0 0 2 0 0 .10 0 2 0 0 .10 0 10 0 .10 0 10 0 .10 0 S ÍNTES E DO PLANO 2 1 INVES TIMENTOS EM ATIVOS FIXOS TANGÍVEIS - S ETOR DE ÁGUA 16 .7 2 1.5 0 0 11.2 2 2 .2 0 0 11.2 2 2 .2 0 0 1.5 6 4 .2 0 0 1.5 6 4 .2 0 0 8 2 0 .10 0 2 .3 15 .0 0 0 8 0 0 .0 0 0 2 2 INVES TIMENTOS EM ATIVOS FIXOS TANGÍVEIS - S ETOR DE S ANEAMENTO 2 9 .2 7 0 .3 0 0 7 .8 6 9 .5 0 0 7 .8 6 9 .5 0 0 1.3 5 5 .5 0 0 1.3 5 5 .5 0 0 1.9 3 5 .3 0 0 5 .6 6 5 .0 0 0 12 .4 4 5 .0 0 0 2 3 INVES TIMENTOS EM ATIVOS FIXOS TANGÍVEIS - S ETOR DE ÁGUAS PLUVIAIS 3 .8 16 .0 0 0 1.4 16 .0 0 0 1.4 16 .0 0 0 1.15 0 .0 0 0 1.15 0 .0 0 0 4 5 0 .0 0 0 4 0 0 .0 0 0 4 0 0 .0 0 0 2 4 INVES TIMENTOS EM ATIVOS FIXOS TANGÍVEIS - S ETOR COMUM 1.4 6 8 .0 0 0 9 6 8 .0 0 0 9 6 8 .0 0 0 2 0 0 .0 0 0 2 0 0 .0 0 0 10 0 .0 0 0 10 0 .0 0 0 10 0 .0 0 0 3 INVES TIMENTOS EM ATIVOS DIVERS OS
  33. 33. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO ECONÓMICO DE 2015 Re aliz ad o ant e s d e 2 0 15 b ) 34 To t al em Iní c io 3 1- 12 - 14 Pre vis ão d as d e s p e s as d e inve s t imento Do tação p ara 2 0 15 Do tação para o s ano s To t al Pag o a t é 3 1-12 -14 Inve s t ime nt o t o t al a) De f inid a A d e f inir 2 0 16 2 0 17 S e g uint e s Co nt a SNC Dí vid a em 3 1-12 -14 Data Fas e Fim Có d ig o De s c riç ão d o inve s t ime nt o 3 1 INVES TIMENTOS EM ATIVOS FIXOS TANGÍVEIS DIVERS OS 1.4 0 0 .0 0 0 6 10 .0 0 0 6 10 .0 0 0 3 9 5 .0 0 0 3 9 5 .0 0 0 3 2 ATIVOS INTANGÍVEIS 4 0 0 .3 0 0 2 0 0 .10 0 2 0 0 .10 0 10 0 .10 0 10 0 .10 0 a) os valore s totais dos inve stime ntos nos se tore s da água, saneame nto, águas pluviais e c omum se rão c orrigidos após a aprovaç ão do re latório e c ontas de 2014 b) somatório do re alizado até final de 2013 c om o pre visto para 2014 TOTAL 5 3 . 0 7 6 . 10 0 2 1. 4 7 5 . 7 0 0 2 1. 4 7 5 . 7 0 0 5 . 0 7 9 . 8 0 0 5 . 0 7 9 . 8 0 0 3 . 8 0 0 . 5 0 0 8 . 9 7 5 . 10 0 13 . 7 4 5 . 0 0 0
  34. 34. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 32
  35. 35. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DE RESULTADOS 33 Gastos Custo das mercadorias vendidas e dos materiais consumidos Na compra de água à sociedade Águas do Mondego, S.A. observa-se uma taxa de crescimento do preço unitário nominal de 1% face ao ano anterior (em 2014: 0,4838€; para 2015: 0,4886€). O total do gasto ascende a 8.336.102€, relativos a 17.061.200 m3 de água (volume mínimo estabelecido no contrato, para 2015). O gasto previsional com outros materiais consumidos (materiais de manutenção e conservação de redes de água e águas residuais) é de 300.000€. A aquisição de água à empresa Inova e à Câmara Municipal de Condeixa ascende a 40.000€. Prevê-se ainda a compra de artigos para venda no Museu da Água no valor de 5.000€. O total do custo das mercadorias vendidas e dos materiais consumidos ascende a 8.681.102€. Fornecimentos e serviços externos Este grupo de gastos engloba a aquisição de um conjunto de bens e serviços sendo de destacar os seguintes: • Drenagem e tratamento de efluentes, pela sociedade Águas do Mondego, S.A. relativos a um volume de 10.129.290m3 (mínimo estabelecido no contrato para 2015) e um preço unitário de 0,5195€/m3 (crescimento de 2,06% em relação ao preço praticado em 2014: 0,5090€). O total deste encargo ascende a 5.262.166€; • Trabalhos especializados orçamentados em 462.000€; • Comissões de cobrança de faturas de água 267.500€; • Conservação e reparação de equipamentos no valor de 450.000€; • Eletricidade dotada em 280.000€; • Combustíveis 230.000€; • Comunicação quantificada em 539.000€; O total de fornecimentos e serviços externos previstos é de 8.142.666€. Gastos com pessoal Prevê-se uma estabilização nos gastos com o pessoal, estimando-se para esta rúbrica o montante de 5.650.020€.
  36. 36. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 Gastos de depreciação e de amortização Os gastos de depreciação e amortização foram calculados com base nos valores reais até 31.12.2013, acrescidos da estimativa efetuada sobre a aquisição ou entrada em funcionamento de investimentos nos anos de 2014 e de 2015. Em 31 de dezembro de 2015, prevê-se o valor de 4.670.626€. 34 Perdas por imparidade Estima-se, para esta rubrica, o valor de 500.500€. Outros gastos e perdas Nos outros gastos e perdas destacamos os seguintes: • Impostos: 22.050€; • Dívidas incobráveis: 10.000€; • Correções relativas a períodos anteriores: 40.000€; • Outros não especificados: 35.000€. O total de outros gastos e perdas previsto é de 117.060€. Gastos e perdas de financiamento Nesta conta destacamos os juros do contrato de mútuo com o Dexia Sabadell, no valor previsional de 20.000€. O valor total previsto para gastos e perdas de financiamento é de 20.200€. Total de gastos previstos: 27.782.174€. Rendimentos e ganhos Venda de mercadorias Nesta rubrica destaca-se a venda de água, prevendo-se um valor de 9.813.910€. Relativamente a vendas de artigos no museu da água, estimamos o montante de 5.000€. Assim, a venda de mercadorias atinge 9.818.910€.
  37. 37. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 Prestações de Serviços O valor esperado em tarifas relativas à exploração de água e saneamento é de 14.975.655€. Trabalhos para a própria entidade O valor previsto nesta rubrica diz respeito à construção de ramais com utilização de meios próprios da empresa. O montante previsto de trabalhos para a própria entidade é de 100.000€. Indemnizações e subsídios à exploração Prevê-se a transferência de 1.591.966€, por parte da Câmara Municipal de Coimbra, proveniente da sociedade Águas do Mondego, S.A., relativa à indemnização por perda de negócio contratualizada em 25 de maio de 2005. 35 O total desta rúbrica ascende a 1.591.976€. Reversões Estimamos, nesta rubrica, o valor de 50.050€. Outros rendimentos e ganhos Ao nível de outros rendimentos e ganhos, destacamos: • A imputação de subsídios para investimentos no montante previsional de 1.307.333€. • Juros obtidos de depósitos bancários e outras aplicações de tesouraria: 120.050€; • Juros debitados aos consumidores e utilizadores gerais pelo atraso no pagamento das suas faturas: 36.500€; • Outros rendimentos similares: 50€. O total de outros rendimentos e ganhos é de 1.513.583€. Total dos rendimentos previsto: 28.050.174€. O resultado antes de impostos, se forem cumpridos os pressupostos descritos, será de 268.000€.
  38. 38. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DOS RESULTADOS POR NATUREZAS RENDIMENTOS E GASTOS Vendas e serviços prestados 24.794.565 Indemnizações e subsídios à exploração 1.591.976 Ganhos/perdas imputados de subsidiárias e empreendimentos conjuntos 36 Variação nos inventários da produção Trabalhos para a própria entidade 100.000 Custo das mercadorias vendidas e das matérias consumidas -8.681.102 Fornecimentos e serviços externos -8.142.666 Gastos com o pessoal -5.650.020 Imparidade de dívidas a receber (perdas/reversões) -450.450 Imparidade de inventários (perdas/reversões) Provisões (aumentos/reduções) Imparidade de investimentos não depreciáveis/amortizáveis (perdas/reversões) Aumentos/reduções de justo valor Outros rendimentos e ganhos 1.513.583 Outros gastos e perdas -117.060 Resul tado antes de depreciações, gastos de f inanciamento e impostos 4.958.826 Gastos/reversões de depreciação e de amortização -4.670.626 Imparidade de activos depreciáveis/amortizáveis (perdas/reversões) Resul tado operacional (antes de gastos de f inanciamento e impostos) 288.200 Juros e rendimentos similares obtidos Juros e gastos similares suportados -20.200 Resul tado antes de impostos 268.000 Imposto sobre o rendimento do período (Impostos diferidos) 93.985 Resul tado l íquido do período 361.985
  39. 39. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DOS RESULTADOS SNC VALORES DESIGNAÇÃO CÓDIGO DAS CONTAS TOTAIS 37 GASTOS CLASSE 6 61 CUSTO DAS M ERCADORIAS VENDIDAS E DAS MATÉRIAS CONSUMIDAS 611 MERCADORIAS 6111 Mercadorias 61111 Água 8.376.102 61112 Outros - museu 5.000 total 611 M ercadorias 8.381.102 Matérias primas, subsidiárias e de consumo 612 Materiais diversos 6123 Materiais diversos (setor de água, saneamento e comum) 300.000 total 612 M atérias -primas, subsidiárias e de consumo 300.000 total 61 CUSTO DAS M .V.M .C . 8.681.102 62 FORNECIMENTOS E SERVIÇOS EXTERNOS 621 Subcontratos 6211 Recolha e tratamento de efluentes 5.262.166 6212 Outros subcontratos 7.000 total 621 Subcontrato s 5.269.166 622 Serviços especializados 6221 Trabalhos especializados 462.000 6222 Publicidade e propaganda 65.000 6223 Vigilância e segurança 10.000 6224 Honorários 6.000 6225 Comissões 267.500 6226 Conservação e reparação 450.000 6227 Equipamentos proteção coletiva 11.000 total 622 Serviços especializados 1.271.500 623 Materiais 6231 Ferramentas e utensílios de desgaste rápido 5.000 6232 Livros e documentação técnica 1.500 6233 Material de escritório 7.000 6234 Artigos para oferta 2.000 total 623 M ateriais 15.500 624 Energia e fluidos 6241 Eletricidade 280.000 6242 Combustíveis 230.000 6243 Água e tarifas conexas 25.000 6248 Outros fluidos 500 total 624 Energia e fluidos 535.500 625 Deslocações, estadas e transportes 6251 Deslocações e estadas 15.000 total 625 Deslocaçõ es, estadas e transportes 15.000
  40. 40. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DOS RESULTADOS SNC VALORES DESIGNAÇÃO CÓDIGO DAS CONTAS TOTAIS 38 626 Serviços diversos 6261 Rendas e alugueres 15.000 6262 Comunicação 539.000 6263 Seguros 85.000 6265 Contencioso e notariado 25.000 6266 Despesas de representação 2.000 6267 Limpeza, higiene e conforto 50.000 6268 Outros fornecimentos e serviços 320.000 total 626 Serviços diversos 1.036.000 total 62 FORNECIM ENTOS E SERVIÇOS EXTERNOS 8.142.666 63 GASTOS COM O PESSOAL 631 Remunerações dos orgãos sociais 85.000 total 631 Remunerações dos o rgãos so ciais 85.000 632 Remunerações do pessoal 6321 Ordenados e salários (remunerações certas e permanentes) 3.800.000 6322 Remunerações adicionais 380.000 6323 Prestações complementares 35.000 6324 Gratificações e prémios de produtividade 10 total 632 Remunerações do pesso al 4.215.010 633 Benefí cios pós emprego 6331 Prémios para pensões 35.000 total 633 Benefí cios pós-emprego 35.000 635 Encargos sobre remunerações 6351 Segurança social 200.000 6354 Caixa geral de aposentações 730.000 total 635 Encargos sobre remunerações 930.000 636 Seguros de acidentes no trabalho e doenças profissionais 60.000 total 636 Seguros de acidentes no trabalho e doenças profissionais 60.000 637 total 637 Gasto s de ação so cial 10 638 Outros gastos com pessoal 6381 Assistência na doença 100.000 6382 Formação de pessoal 30.000 6383 Outros custos 45.000 6384 Outros gastos não especificados 100.000 6385 Medicina, higiene e segurança no trabalho 50.000 total 638 Outros gasto s co m o pesso al 325.000 total 63 GASTOS COM O P ESSOAL 5.650.020 64 GASTOS DE DEPRECIAÇÃO E DE AMORTIZAÇÃO 642/3 Gastos de depreciação e de amortização 4.670.626 total 64 GASTOS DE DEPRECIAÇÃO E DE AM ORT IZAÇÃO 4.670.626 65 PERDAS POR IMPARIDADE 500.500 total 651 Em dívidas a receber 500.500 total 65 P ERDAS POR IM PARIDADE 500.500
  41. 41. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DOS RESULTADOS SNC VALORES DESIGNAÇÃO CÓDIGO DAS CONTAS TOTAIS 39 68 OUTROS GASTOS E PERDAS 681 Impostos 6811 Impostos diretos 50 6812 Impostos indiretos 4.000 6813 Taxas 18.000 total 681 Impo stos 22.050 683 Dí vidas incobráveis 10.000 684 Perdas em inventários 6848 Outras perdas 1.500 total 684 P erdas em inventários 1.500 687 Gastos e perdas em investimentos não financeiros 6871 Alienações 500 6873 Abates 500 total 687 Gasto s e perdas em investimento s não financeiros 1.000 688 Outros gastos operacionais 6881 Correções relativas a períodos anteriores 40.000 6882 Donativos 5.000 6883 Quotizações 1.500 6884 Ofertas de existências próprias 500 6885 Insuficiência de estimativa para impostos 10 6887 Multas e penalidades 500 6888 Outros não especificados 35.000 total 688 Outros gasto s operacionais 82.510 total 68 OUTROS GASTOS E P ERDAS 117.060 69 GASTOS E PERDAS DE FINANCIAMENTO 691 Juros suportados 6911 Empréstimos bancários 20.000 6912 Juros de mora e compensatórios 50 6918 Outros juros 50 total 691 Juros suportados 20.100 698 Outros gastos e perdas de financiamento 6981 Relativos a financiamentos obtidos 50 6988 Outros 50 total 698 Outro s gasto s e perdas de financiamento 100 total 69 GASTOS E P ERDAS DE F INANCIAM ENTO 20.200 to tal 6 TOTAL DE GASTOS 27.782.174 Resultado antes de impostos 268.000 812 TOTAL DE GASTOS + RESULTADO ANTES DE IM POSTOS 28.050.174 818 Imposto sobre o rendimento do período - Imposto diferido 93.985 RESULTADO LÍQUIDO DO P ERÍODO 361.985
  42. 42. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DOS RESULTADOS SNC VALORES DESIGNAÇÃO CÓDIGO DAS CONTAS TOTAIS 40 RENDIMENTOS CLASSE 7 71 VENDAS 711 Mercadorias 7111 Tarifa volumétrica de água 9.813.910 7112 Artigos do museu água 5.000 total 711 M ercadorias 9.818.910 total 71 VENDAS 9.818.910 72 PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS 721 Serviços de exploração do setor de água 7211 Interrupção e restabelecimento do fornecimento a pedido do utilizador 20 7212 Tarifa de interrupção e restabelecimento por incumprimento 59.980 7213 Tarifa de aferição de contador 100 7214 Tarifa de transferência de contador 900 7215 Tarifa disponibilidade do serviço de água 4.252.019 7216 Ligação temporária ao serviço público 50 7217 Aviso prévio de suspensão do serviço 35.000 7218 Leitura extraordinária a pedido do utilizador 20 7219 Vistoria à rede a pedido do utilizador por fogo 25 total 721 Serviços de exploração do seto r de água 4.348.114 722 Serviços de exploração do setor de Saneamento 7222 Tarifa volumétrica de saneamento 7.131.171 7223 Tarifa de disponibilidade do serviço de saneamento 3.062.999 7224 Tarifa de vazamento de fossas séticas 12.489 7225 Tarifa de águas pluviais 300.000 total 722 Serviços de exploração do seto r de Saneamento 10.506.659 725 Serviços secundários 7251 Serviços para particulares do setor de água 14.600 7252 Serviços para particulares setor de saneamento 64.542 7253 Tarifas de vistorias de sistemas prediais 24.450 7254 Outros 560 7255 Museu da água 10 7256 Tarifa de apreciação de projecto predial 14.760 7257 Tarifa de apreciação de projecto simplificado 1.400 7258 Tarifa de apreciação de loteamento 560 total 725 Serviço s secundário s 120.882 total 72 P RESTAÇÕES DE SERVIÇOS 14.975.655 74 TRABALHOS PARA A PRÓPRIA EMPRESA 741 Ativos fixos tangíveis 100.000 total 741 Ativos fixos tangí veis 100.000 total 74 TRABALHOS P ARA A PRÓP R IA EM PRESA 100.000
  43. 43. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DOS RESULTADOS SNC VALORES DESIGNAÇÃO CÓDIGO DAS CONTAS TOTAIS 75 INDEMNIZAÇÕES E SUBSÍDIOS À EXPLORAÇÃO 751 Indemnizações do estado e outros entes públicos 7511 Rendas - Águas do Mondego 7512 Perda de negócio - Águas do M ondego 1.591.966 total 751 Indemnizações do estado e outros entes públicos 1.591.966 752 Subsídios de outras entidades 10 total 752 Subsídios de outras entidades 10 to tal 75 INDEM NIZAÇÕES E SUBSÍDIOS À EXP LORAÇÃO 1.591.976 41 76 REVERSÕES 761 De depreciações e de amortizações 50 total 761 De depreciações e de amort izações 50 762 De perdas por imparidade 7621 Em dívidas a receber 50.000 total 762 De perdas po r imparidade 50.000 to tal 76 REVERSÕES 50.050 78 OUTROS RENDIMENTOS E GANHOS 781 Rendimentos suplementares 7812 Rendas e alugueres de equipamento 10.500 7816 Outros rendimentos suplementares 2.000 total 781 Rendimentos suplementares 12.500 782 Descontos de pagamento obtidos 5.000 total 782 Descontos de pagamento obtidos 5.000 783 Recuperação de dívidas a receber 1.500 total 783 Recuperação de dí vidas a receber 1.500 784 Ganhos em inventários 500 total 784 Ganhos em inventários 500 787 Rendimentos e ganhos em investimentos não financeiros 7871 Alienações 100 total 787 Rendimentos e ganhos em invest imentos não financeiros 100 788 Outros 7881 Correcções relativas a períodos anteriores 5.000 7882 Excesso de estimativa para impostos 50 7883 Imputação de subsídios para investimentos 1.307.333 7886 Indemnizações e coimas 5.000 7888 Outros não especificados 20.000 total 788 Outros 1.337.383 to tal 78 OUTROS RENDIM ENTOS E GANHOS 1.356.983 79 JUROS, DIVIDENDOS E OUTROS RENDIMENTOS SIMILARES 791 Juros obtidos 7911 Depósitos bancários 120.000 7912 De outras aplicações de meios financeiros liquidos 50 7918 De outros financiamentos concedidos 79181 Juros de prorrogação de prazo de pagamento 1.500 79182 Juros de mora pelo atraso no pagamento 35.000 total 791 Juros obt idos 156.550 798 Outros rendimentos similares 50 798 Outros rendimentos similares 50 to tal 79 JUROS, DIVIDENDOS E OUTROS RENDIM ENTOS SIM ILARES 156.600 total 7 TOTAL DE RENDIM ENTOS 28.050.174
  44. 44. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 BALANÇO PREVISIONAL DATAS RUBRICAS 42 BALANÇO 31/12/2015 31/12/2014 ATIVO Activos fixos tangíveis 62.026.594 61.283.754 Propriedades de investimento Goodwill Activos intangíveis 240.693 111.790 Activos biológicos Participações financeiras - m.e.pat. Participações financeiras - Out. met. Accionistas/sócios Outros activos financeiros Activos por impostos diferidos 220.430 126.444 62.487.717 61.521.988 Activo corrente Inventários 328.417 330.417 Activos biológicos Clientes 3.852.899 4.354.633 Adiantamentos a fornecedores Estado e outros entes públicos 224.709 224.709 Accionistas/sócios Outras contas a receber 108.148 103.148 Diferimentos 88.180 88.180 Activos financeiros detidos p.neg. Outros activos financeiros Activos não correntes detidos p.venda Caixa e depósitos bancários 14.766.969 13.992.404 19.369.322 19.093.491 Total do ativo 81.857.039 80.615.479 CAPITAL PRÓPRIO E PASSIVO Capital próprio Capital realizado 40.000.000 40.000.000 Acções (quotas) próprias Outros instrumentos de capital próprio Prémios de emissão Reservas legais 635.284 635.284 Outras reservas 3.592.448 3.592.448 Resultados transitados 176.380 0 Ajustamentos em activos financeiros Excedentes de revalorização Outras variações no capital próprio 19.522.858 18.974.985 63.926.970 63.202.717 Resultado líquido (Imposto diferido) 93.985 95.000 Resultado líquido do período 268.000 81.380 Interesses minoritários Total do capital próprio 64.288.955 63.379.097 Passivo Passivo não corrente Provisões Financiamentos obtidos 7.333.332 8.000.000 Responsabilidades por benefícios pós-emprego Passivos por impostos diferidos 1.491.600 Outras contas a pagar 1.491.600 8.824.932 9.491.600 Passivo corrente Fornecedores 5.330.415 4.650.388 Adiantamentos de clientes Estado e outros entes públicos 421.984 550.274 Accionistas/sócios Financiamentos obtidos 666.667 666.667 Outras contas a pagar 2.324.086 1.877.453 Diferimentos Passivos financeiros detidos para negociação Outros passivos financeiros Passivos não correntes detidos para venda 8.743.152 7.744.782 Total passivo 17.568.084 17.236.382 Total do capital próprio e do passivo 81.857.039 80.615.479
  45. 45. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 43 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA Atividades Operacionais Nas atividades operacionais prevemos o seguinte: • Recebimento de clientes no montante de 26.757.467€; • Pagamento a fornecedores no montante de 18.079.479€; • Pagamentos ao pessoal no valor de 5.675.520€; • Pagamento do imposto sobre o rendimento no valor 128.232€; • Outros recebimentos operacionais no valor de 4.968.823€, onde se destacam a indemnização por perda de negócio e os recebimentos consignados; • Outros pagamentos operacionais no montante total de 3.279.759€, sendo de salientar os pagamentos consignados. Do conjunto das atividades operacionais, resulta um fluxo de caixa positivo de 4.563.300€. Atividades de Investimento Das atividades de investimento destacamos o seguinte: • Pagamento de ativos fixos tangíveis no valor de 4.829.984€; • Pagamento de ativos intangíveis no valor de 166.750€; • Recebimento de 1.192.845€ do INAG, referente à verba restante da revisão do contrato programa celebrado entre o Instituto da Água, a Administração da Região Hidrográfica do Centro e a Câmara Municipal de Coimbra, assinado em 12/06/2009; • Recebimento de 137.760€ de ramais de água e de saneamento; • Recebimento de 73.800€ de prolongamentos de rede de água e de saneamento; • Recebimento de 490.321€ do QREN (POVT). Das atividades de investimento resulta um fluxo de caixa negativo de -3.101.868€. Atividades de Financiamento Das atividades de financiamento prevê-se o pagamento de 666.667€ relativo a amortização do empréstimo com o Dexia Sabadell e o pagamento de 20.200€ de juros e gastos similares. Das atividades de financiamento prevemos um fluxo de caixa negativo de -686.867€.
  46. 46. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 Assim, dos fluxos gerados pelas atividades da Águas de Coimbra, em 2015, espera-se uma variação de caixa positiva de 774.565€. O saldo previsional de caixa e seus equivalentes no fim do período ascenderá a 14.766.969€. 44
  47. 47. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DOS FLUXOS DE CAIXA Fluxos de caixa das atividades operacionais - método direto Recebimentos de clientes 26.757.467 Pagamentos a fornecedores -18.079.479 Pagamentos ao Pessoal -5.675.520 Caixa gerada pelas operações 3.002.468 Recebimento do imposto sobre o rendimento Pagamento do imposto sobre o rendimento -128.232 Outros recebimentos 4.968.823 Outros pagamentos -3.279.759 Fluxos de caixa das atividades operacionais (1) 4.563.300 Fluxos de caixa das atividades de investimento Pagamentos respeitantes a: Ativos fixos tangíveis -4.829.984 Ativos intangíveis -166.750 Investimentos financeiros Outros ativos Recebimentos provenientes de: Ativos fixos tangíveis 100 Ativos intangíveis Investimentos financeiros Outros ativos Subsídios ao investimento 1.894.766 Juros e rendimentos similares Dividendos Fluxos de caixa das atividades de investimento (2) -3.101.868 Fluxos de Caixa das atividades de financiamento Recebimentos provenientes de: Financiamentos obtidos Realizações de capital e de outros instrumentos de capital próprio Cobertura de prejuízos Doações Outras operações de financiamento Pagamentos respeitantes a: Financiamentos obtidos -666.667 Juros e gastos similares -20.200 Dividendos Reduções de capital e de outros instrumentos de capital próprio Outras operações de financiamento Fluxos de caixa das atividades de financiamento (3) -686.867 Variação de caixa e seus equivalentes (4) = (1) + (2) + (3) 774.565 Efeito das diferenças de câmbio Caixa e seus equivalentes no início do período 13.992.404 Caixa e seus equivalentes no fim do período 14.766.969 45
  48. 48. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DOS FLUXOS DE CAIXA Fluxos de caixa das atividades operacionais Valores Recebimentos de clientes Venda de água e outras tarifas 26.757.467 Pagamentos a fornecedores -18.079.479 Pagamentos ao pessoal Remunerações do conselho de administração -85.000 Remunerações do pessoal -3.800.000 Remunerações adicionais -380.000 Prestações complementares -35.000 Gratificações e prémios de produtividade -10 Pensões -35.000 Encargos s/remunerações -930.000 Seguros de acidentes de trabalho -60.000 Gastos de ação social -10 Outros pagamentos ao pessoal -350.500 46 CAIXA GERADA PELAS OPERAÇÕES 3.002.468 Recebimento do imposto sobre o rendimento Pagamento do imposto sobre o rendimento -128.232 Outros recebimentos relativos à atividade operacional Recebimentos de serviços suplementares 12.499 Recebimentos de indemnizações e subsídios à exploração 1.591.976 Outros recebimentos operacionais 188.648 Recebimentos consignados Retenção de imposto sobre o rendimento 661.500 Restantes impostos 600 Contribuições para segurança social e CGA 590.000 Tarifa do lixo 1.850.000 Outros recebimentos consignados 73.600 Outros pagamentos relativos à atividade operacional Pagamentos de impostos directos -50 Pagamentos de impostos indirectos -21.999 Outros pagamentos operacionais -82.010 Pagamentos consignados Retenção de imposto sobre o rendimento -661.500 Restantes impostos -600 Contribuições para segurança social e CGA -590.000 Tarifa do lixo -1.850.000 Outros pagamentos consignados -73.600 FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS (1) 4.563.300
  49. 49. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 DESENVOLVIMENTO DA DEMONSTRAÇÃO PREVISIONAL DOS FLUXOS DE CAIXA Fluxos de caixa das atividades de investimento Valores Pagamentos respeitantes a: Investimentos financeiros Ativos fixos tangíveis -4.829.984 Ativos intangíveis -166.750 Outros ativos Recebimentos provenientes de : Ativos fixos tangíveis 100 Ativos intangíveis Outros ativos Subsídios ao investimento INAG 1.192.845 Comparticipações de particulares Ramais de água 60.270 Ramais de saneamento 77.490 Prolongamentos água 36.900 Prolongamentos saneamento 36.900 Outros 10 QREN - M ais centro 10 QREN - POVT 490.321 Outros fundos comunitários 10 Outros subsídios ao investimento 10 Juros e rendimentos similares Dividendos FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIM ENTO (2) -3.101.868 Fluxos de caixa das atividades de financiamento Valores 47 Recebimentos provenientes de: Financiamentos obtidos Realizações de capital e de outros instrumentos de capital próprio Cobertura de prejuízos Doações Outras operações de financiamento Pagamentos respeitantes a: Financiamentos obtidos -666.667 Juros e gastos similares -20.200 Dividendos Reduções de capital e de outros instrumentos de capital próprio Outras operacões de financiamento FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO (3) -686.867 VARIAÇÃO DE CAIXA E SEUS EQUIVALENTES (4) = (1) + (2) + (3) 774.565 EFEITO DAS DIFERENÇAS DE CÂMBIO CAIXA E SEUS EQUIVALENTES NO INÍCIO DO PERÍODO 13.992.404 CAIXA E SEUS EQUIVALENTES NO FIM DO PERÍODO 14.766.969
  50. 50. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 48
  51. 51. Águas de Coimbra Plano de Atividades | Instrumentos de Gestão Previsional 2015 Gabinete de Comunicação e Imagem AC, Águas de Coimbra, E.M. Rua da Alegria, n.º 111 3000 – 018 Coimbra Coimbra, outubro de 2014 50
  52. 52. Água Interrupção de Fornecimento a Pedido do Utilizador 10,00 até 25 mm 3,9000 Restabelecimento do Fornecimento a Pedido do Utilizador 10,00 >25 mm igual aos Não Domésticos Interrupção de Fornecimento por Incumprimento 20,00 Restabelecimento do Fornecimento 20,00 Leitura Extraordinária a pedido do utilizador 20,00 até 20 mm 5,8400 Aferição do Contador a Pedido do Utilizador 50,00 >20 a 30 mm 14,6100 Transferência de Contador 45,00 >30 a 50 mm 39,4400 Ligação Temporária ao Sistema Público 50,00 >50 a 100 mm 109,6300 Reparação de Rotura junto ao Contador 25,00 >100 a 300 mm 208,3100 Vistoria à Rede a Pedido do Utilizador por fogo 25,00 Tarifa Social 0,0000 Aviso Prévio de Suspensão do Serviço 3,50 Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) 50% (Tarifa Fixa Não Domésticos) Fornecimento de Água em Auto-Tanques 0,8100 €/m3 Construção de ramais de ligação com extensão superior a 20 metros sujeito a orçamento Domésticos 2,9500 Outros Serviços a Pedido do Utilizador sujeito a orçamento Não Domésticos 5,2600 Saneamento Tarifa Social 0,0000 Outros Serviços a Pedido do Utilizador sujeito a orçamento Instituições Particulares de Construção de ramais de ligação com extensão superior a 20 2,6300 Solidariedade Social (IPSS) metros sujeito a orçamento Desobstrução de Ramal Domiciliário de Saneamento 53,00 Domésticos Desobstrução de Redes Prediais de Saneamento 40,00 1º escalão (0 a 5 m³) 0,5500 Vazamento de Fossas Séticas: 2º escalão (>5 a 15m³) 0,8100 Fixa (Domésticos e Não Domésticos) 70,00 3º escalão (>15 a 25m³) 1,6200 Variável (Domésticos) 0,2900 m3 4º escalão ( >25m³) 2,4300 Variável (Não Domésticos) 0,8700 m3 Não Domésticos (escalão único) Apreciação de Projetos Comércio/Indústria/Serviços 1,3000 Apreciação de Processo Predial (Categoria 1) 50,00 Hospitais/Centros Saúde 1,6200 Apreciação de Processo Predial (Categoria 2) 40,00 Outros Serviços Públicos 2,4300 Apreciação de Processo Predial (Categoria 3) 70,00 Escolas Públicas Básico/Secundário 1,6200 Apreciação de Processo Simplificado 10,00 Administração Local 1,3000 Apreciação de Loteamento 80,00 Águas de Coimbra 1,3000 Vistoria Intermédia 50,00 Câmara Municipal de Coimbra 1,3000 Vistoria Final por Contador 65,00 Instituições de Utilidade Pública 1,3000 Associações s/ fins lucrativos 1,3000 Água 0,0191 Instituições Religiosas 1,3000 Saneamento 0,0132 Obras 1,6200 Fins Agrícolas 3,2400 Instituições Particulares de 0,8100 A estas tarifas acresce o IVA à taxa legal em vigor. Solidariedade Social (IPSS) Tarifa Especial Familiar 1º escalão (0 a 5 m³) 0,5500 Apreciação de Projetos Legenda: 2º escalão ( > 5m³) 0,8100 Categoria 1 - Moradias unifamiliares e edificios com quatro fogos inclusivé Tarifa Social Categoria 2 - Fracções de 1 edificio quando apresentadas de forma independente 1º escalão (0 a 15 m³) 0,5200 Categoria 3 - Edificios com mais de 4 fogos, indústrias e outros empreendimentos. 2º escalão ( >15 a 25m³) 1,5400 3º escalão (>25m³) 2,3100 Domésticos 72% (Cv A) Não Domésticos 81% (Cv A) Tarifa Social 72% (Cv A) Instituições Particulares de 72% (Cv A) Solidariedade Social (IPSS) (Cv A) = Valor da Componente Variável do Abastecimento de Água TARIFÁRIO 2015 Data de Entrada em vigor: 01/01/2015 Tarifa Fixa Saneamento (Euros/30 dias) Tarifa Variável Água ( Euros/m³)(base 30 dias) Tarifa Variável Saneamento (Euros/30 dias) (TRH) - Taxa de Recursos Hídricos ( Euros/ m ³) Tarifa Fixa Água (Euros/30 dias) Outras Tarifas (Euros) As TRH são receita da Administração da Região Hidrográfica do Centro - DL 97/2008, de 11 de Junho Domésticos Não Domésticos

×