Em medicina, refere-se a qualquer substância com o
potencial de prevenir ou curar doenças ou aumentar
o bem-estar físico o...
Contudo, em um contexto legal e no sentido corrente
(fixado depois de quase um século de repressão ao
consumo de certas dr...
Psicodistropticas ou psicodislépticas (drogas
perturbadoras/modificadoras) – têm por
característica principal a despersona...
Exemplos: Algumas espécies
de cogumelos, LSD, maconha, MDMA ou ecstasy e
o DMT.
Psicolépticas ou estimulantes - produzem a...
Quanto à forma de produção, classificam-se
como:
Naturais - aquelas que são extraídas de plantas.
Exemplos: tabaco, cannab...
Sintéticas - são produzidas através de
componentes ativos não encontrados na
natureza. Exemplos: anfetamina, anabolizante.
Na Família
Ao referir-se às drogas, lícitas ou ilícitas, é quase
automático mencionar os inúmeros efeitos e reações
delas no organism...
Ao optar por reunir-se com os “amigos” para usar, ou
simplesmente perambular pelas ruas atrás de sua droga
de preferência,...
Não são raras as vezes em que somos procurados por
famílias inteiras abatidas, debilitadas emocional e
fisicamente, magoad...
Drogas
Drogas
Drogas
Drogas
Drogas
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Drogas

297 visualizações

Publicada em

sociologia

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
297
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Drogas

  1. 1. Em medicina, refere-se a qualquer substância com o potencial de prevenir ou curar doenças ou aumentar o bem-estar físico ou mental; emfarmacologia, refere-se a qualquer agente químico que altera os processos bioquímicos e fisiológicos de tecidos ou organismos. Portanto, droga é uma substância que é, ou pode ser, incluída numa farmacopeia.
  2. 2. Contudo, em um contexto legal e no sentido corrente (fixado depois de quase um século de repressão ao consumo de certas drogas), o termo "droga" refere-se, geralmente, a substâncias psicoativas e, em particular, às drogas ilícitas ou àquelas cujo uso é regulado por lei, por provocarem alterações do estado de consciência do indivíduo, levando-o eventualmente à dependência química (haxixe, ácido lisérgico,mescalina, álcool etc.). Certos fármacos de uso médico controlado, tais como os opiáceos, também podem ser tratados como drogas ilícitas, quando produzidos e comercializados sem controle dos órgãos sanitários ou se consumidos sem prescrição médica.
  3. 3. Psicodistropticas ou psicodislépticas (drogas perturbadoras/modificadoras) – têm por característica principal a despersonalização ou modificação da percepção (daí o termo alucinógeno para sua designação) em maior ou menor grau.
  4. 4. Exemplos: Algumas espécies de cogumelos, LSD, maconha, MDMA ou ecstasy e o DMT. Psicolépticas ou estimulantes - produzem aumento da atividade pulmonar (ação adrenérgica), diminuem a fadiga, aumentam a percepção ficando os demais sentidos ativados. Exemplos: cocaína, crack, cafeína, teobromina (presente s em chocolates), GHB, metanfetamina, anfetaminas (bolinha , arrebite) etc. Essas drogas podem ser absorvidas de várias formas: por injeção, por inalação, via oral ou injeção intravenosa.
  5. 5. Quanto à forma de produção, classificam-se como: Naturais - aquelas que são extraídas de plantas. Exemplos: tabaco, cannabis, ópio.
  6. 6. Sintéticas - são produzidas através de componentes ativos não encontrados na natureza. Exemplos: anfetamina, anabolizante.
  7. 7. Na Família
  8. 8. Ao referir-se às drogas, lícitas ou ilícitas, é quase automático mencionar os inúmeros efeitos e reações delas no organismo. É possível listar as mais diversas implicações que cada uma dessas substâncias acarreta ao Sistema Nervoso Central e todos os malefícios específicos em cada órgão do corpo humano.
  9. 9. Ao optar por reunir-se com os “amigos” para usar, ou simplesmente perambular pelas ruas atrás de sua droga de preferência, o usuário, despido de qualquer noção de dignidade ou de exposição, carrega consigo o pai, a mãe, a esposa e, possivelmente, mais um ou dois parentes próximos. Evidentemente, não me refiro ao sentido literal da palavra. Refiro-me sim, ao fato destes familiares, muitas vezes, ficarem expostos como o próprio usuário fica, de terem perdas como eles têm, de correrem riscos e de ficarem vulneráveis como eles ficam e de adoecerem, até mesmo cronicamente, como eles adoecem.
  10. 10. Não são raras as vezes em que somos procurados por famílias inteiras abatidas, debilitadas emocional e fisicamente, magoadas, ressentidas, assustadas, consumidas em todos os sentidos, solitárias, esgotadas em suas emoções e até em suas finanças por causa da dependência de um ente querido. Para muitas destas famílias resta apenas um pouco de esperança em ter de volta o seu familiar em sua essência verdadeira.

×