SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 75
A HISTÓRIA DA
ENFERMAGEM
A Enfermagem era representada por
prostítutas

(para

purificar

seus

pecados)
e por

religiosas freiras para fazer

caridade.
A Enfermagem era representada por prostítutas (para
purificar seus pecados) e por religiosas freiras para fazer
caridade.
O SIGNIFICADO DA LÂMPADA PARA A ENFERMAGEM
SENTINELA,
 VIGÍLIA CONSTANTE,
 CUIDADO CONTÍNUO.
A VIDA DE FLORENCE

1860 – Inglaterra. Florence inaugurou a 1 escola de
enfermagem no Hospital São Tomas.
HISTÓRIA DA ENFERMAGEM NO
BRASIL
1814: nasceu na Bahia Ana Justina

Ferreira (Ana Nery).

Casou-se com

Isidoro Antonio Neri, enviuvando aos
30 anos.
 Em 15 de agosto de 1864 parte para

a Guerra do Paraguai, onde seus filhos
serviam

o

exército.

Improvisa

hospitais e não mede esforços no
atendimento aos feridos.
Ana Néri (1814-1880) foi a pioneira da enfermagem
no Brasil. Prestou serviços voluntários, nos hospitais
militares de Assunção, Corriente e Humaitá, durante
a Guerra do Paraguai.
Ana Néri (1814-1880) nasceu em Vila da Cachoeira

do Paraguaçu, Bahia, no dia 13 de dezembro de
1814. Casou-se aos 23 anos com Isidoro Antônio
Néri, capitão-de-fragata da Marinha, que estava
sempre no mar. Ana acostumou-se a ter a casa sob
sua responsabilidade. Ficou viúva com 29 anos. Em
1843, seu marido morre a bordo do veleiro Três de
Maio, no Maranhão. Criou sozinha os três filhos,
Justiniano, Isidoro e Pedro Antônio. Os dois
primeiros tornaram-se médicos e o Pedro Antônio,
militar.
Em 1865, o Brasil integrou a Tríplice Aliança, que
lutou na Guerra do Paraguai. Os filhos de Ana Néri
foram convocados para lutar no campo de batalha.
Sensibilizada com a dor da separação, no dia 8 de
agosto, escreveu ao presidente da província
oferecendo-se para cuidar dos feridos de guerra,
enquanto o conflito durasse. Seu pedido foi aceito.
Partiu de Salvador, em direção ao Rio Grande do Sul,
onde aprendeu noções de enfermagem com as irmãs
de caridade de São Vicente de Paulo. Com 51 anos,
foi incorporada ao Décimo Batalhão de Voluntários e
durante toda a guerra prestou serviços nos hospitais
militares de Assunção, Corrientes e Humaitá. Tornouse a primeira mulher enfermeira do país.
Apesar da falta de condições, pouca higiene, falta de
materiais e excesso de doentes, Ana Néri chamou a
atenção, por sua dedicação ao trabalho como
enfermeira, por todos os hospitais onde passou.
Ana montou uma enfermaria-modelo em Assunção,
capital paraguaia, sitiada pelo exército brasileiro. No
final da guerra, em 1870, Ana voltou ao Brasil com
três órfãos de guerra. Foi homenageada com a
Medalha Geral de Campanha e a Medalha
Humanitária de Primeira Classe. D. Pedro II, por
decreto, lhe concedeu uma pensão vitalícia.
Ana Justina Ferreira Neri, faleceu no Rio de Janeiro
em 20 de maio de 1880.
Carlos Chagas batizou com o nome de Ana Néri a
primeira escola oficial brasileira de enfermagem, em
1926. O dia do enfermeiro é comemorado no dia 20
de maio.
Agora...
Cabe a nós continuarmos este trabalho
de progressão da nossa profissão,
ampliando os horizontes, estudando
cada vez mais e seguindo os
princípios da ética profissional.
Afinal...
Somos gente que cuida de gente!
Pedra símbolo da
Enfermagem
Esmeralda

Cor que representa a
Enfermagem
Verde esmeralda
LEMBRE-SE
“ NOS FAZEMOS A DIFEREN Ç A
ENTRE A VIDA E A MORTE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCentro Universitário Ages
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemDanilo Nunes Anunciação
 
Ética e Bioética na enfermagem
Ética e Bioética na  enfermagemÉtica e Bioética na  enfermagem
Ética e Bioética na enfermagemuniversitária
 
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Humanização Na Assistencia de  EnfermagemHumanização Na Assistencia de  Enfermagem
Humanização Na Assistencia de EnfermagemCharles Lima
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagemresenfe2013
 
Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemIvanete Dias
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelizaçãoGilson Betta Sevilha
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópiaKarla Toledo
 
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdfAULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdfCASA
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemfnanda
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Will Nunes
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoConceição Quirino
 
Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentosJanaína Lassala
 
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.Ravenny Caminha
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Amanda Moura
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importânciaCélia Costa
 

Mais procurados (20)

Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
 
Ética e Bioética na enfermagem
Ética e Bioética na  enfermagemÉtica e Bioética na  enfermagem
Ética e Bioética na enfermagem
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
 
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Humanização Na Assistencia de  EnfermagemHumanização Na Assistencia de  Enfermagem
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
 
Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagem
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
 
Aula 1 historia da enfermagem enf3
Aula 1  historia da enfermagem enf3Aula 1  historia da enfermagem enf3
Aula 1 historia da enfermagem enf3
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
 
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdfAULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagem
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material Esterilizado
 
Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentos
 
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importância
 

Semelhante a Historia Da Enfermagem

1IQpT4kOGRsHFe6ftPbyuIqxyKJYdSQZpvyjvXJY.pdf
1IQpT4kOGRsHFe6ftPbyuIqxyKJYdSQZpvyjvXJY.pdf1IQpT4kOGRsHFe6ftPbyuIqxyKJYdSQZpvyjvXJY.pdf
1IQpT4kOGRsHFe6ftPbyuIqxyKJYdSQZpvyjvXJY.pdfRoseGomes72
 
historia da enfermagem ana Nery Florence
historia da enfermagem ana Nery Florencehistoria da enfermagem ana Nery Florence
historia da enfermagem ana Nery FlorenceLuanMiguelCosta
 
Aula 5 - Ana Nery.pdf
Aula 5 - Ana Nery.pdfAula 5 - Ana Nery.pdf
Aula 5 - Ana Nery.pdfCludiaRCunha
 
Aula 1 - História da Enfermagem (Teoria Ambientalista).pdf
Aula 1 - História da Enfermagem (Teoria Ambientalista).pdfAula 1 - História da Enfermagem (Teoria Ambientalista).pdf
Aula 1 - História da Enfermagem (Teoria Ambientalista).pdfprofalicebolelli
 
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdf
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdfHISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdf
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdfRodrigoBatista51924
 
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdf
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdfHISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdf
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdfRodrigoBatista51924
 
Historia de Florence Nightingale, mãe da enfermagem
Historia de  Florence Nightingale, mãe da enfermagemHistoria de  Florence Nightingale, mãe da enfermagem
Historia de Florence Nightingale, mãe da enfermagemRosaSantos738119
 
Reflexão Crítica: filmes Ana Nery e Florence Nightingale
Reflexão Crítica: filmes Ana Nery e Florence NightingaleReflexão Crítica: filmes Ana Nery e Florence Nightingale
Reflexão Crítica: filmes Ana Nery e Florence NightingaleAnnaSouza40
 
HISTORIA DA ENFzzzzzzzzzzzzzzzzzaERMAGEM.pptx
HISTORIA DA ENFzzzzzzzzzzzzzzzzzaERMAGEM.pptxHISTORIA DA ENFzzzzzzzzzzzzzzzzzaERMAGEM.pptx
HISTORIA DA ENFzzzzzzzzzzzzzzzzzaERMAGEM.pptxJooHenriqueCarvallho
 
Trabalho de florence editado
Trabalho de florence editadoTrabalho de florence editado
Trabalho de florence editadoigorcarini
 
1- Introdução a Enfermagem.ppt
1- Introdução a Enfermagem.ppt1- Introdução a Enfermagem.ppt
1- Introdução a Enfermagem.pptBeatrizWilmann
 
Legislação Profissional (Aula 01).pptx
Legislação Profissional (Aula 01).pptxLegislação Profissional (Aula 01).pptx
Legislação Profissional (Aula 01).pptxGizeleSantos10
 
HISTORIA_DE_ENFERMAGEM_Florence_Nighting.pdf
HISTORIA_DE_ENFERMAGEM_Florence_Nighting.pdfHISTORIA_DE_ENFERMAGEM_Florence_Nighting.pdf
HISTORIA_DE_ENFERMAGEM_Florence_Nighting.pdfENFERMAGEMELAINNE
 
História, Origem da Enfermagem + Floren
História, Origem  da Enfermagem + FlorenHistória, Origem  da Enfermagem + Floren
História, Origem da Enfermagem + Florenclaraleticiateixeira1
 
ENFERMAGEM - MÓDULO I - HISTORIA DA ENFERMAGEM, ETICA E LEGISLACAO.pptx.pdf
ENFERMAGEM - MÓDULO I -  HISTORIA DA ENFERMAGEM, ETICA E LEGISLACAO.pptx.pdfENFERMAGEM - MÓDULO I -  HISTORIA DA ENFERMAGEM, ETICA E LEGISLACAO.pptx.pdf
ENFERMAGEM - MÓDULO I - HISTORIA DA ENFERMAGEM, ETICA E LEGISLACAO.pptx.pdfjuliperfumes03
 

Semelhante a Historia Da Enfermagem (20)

1IQpT4kOGRsHFe6ftPbyuIqxyKJYdSQZpvyjvXJY.pdf
1IQpT4kOGRsHFe6ftPbyuIqxyKJYdSQZpvyjvXJY.pdf1IQpT4kOGRsHFe6ftPbyuIqxyKJYdSQZpvyjvXJY.pdf
1IQpT4kOGRsHFe6ftPbyuIqxyKJYdSQZpvyjvXJY.pdf
 
historia da enfermagem ana Nery Florence
historia da enfermagem ana Nery Florencehistoria da enfermagem ana Nery Florence
historia da enfermagem ana Nery Florence
 
Aula 5 - Ana Nery.pdf
Aula 5 - Ana Nery.pdfAula 5 - Ana Nery.pdf
Aula 5 - Ana Nery.pdf
 
Resenha ana nery
Resenha ana neryResenha ana nery
Resenha ana nery
 
Ana neri
Ana neriAna neri
Ana neri
 
Aula 1 - História da Enfermagem (Teoria Ambientalista).pdf
Aula 1 - História da Enfermagem (Teoria Ambientalista).pdfAula 1 - História da Enfermagem (Teoria Ambientalista).pdf
Aula 1 - História da Enfermagem (Teoria Ambientalista).pdf
 
Wanda aguiar
Wanda aguiarWanda aguiar
Wanda aguiar
 
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdf
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdfHISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdf
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdf
 
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdf
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdfHISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdf
HISTORIA DA ENFERMAGEM fund 1.pdf
 
Historia de Florence Nightingale, mãe da enfermagem
Historia de  Florence Nightingale, mãe da enfermagemHistoria de  Florence Nightingale, mãe da enfermagem
Historia de Florence Nightingale, mãe da enfermagem
 
Reflexão Crítica: filmes Ana Nery e Florence Nightingale
Reflexão Crítica: filmes Ana Nery e Florence NightingaleReflexão Crítica: filmes Ana Nery e Florence Nightingale
Reflexão Crítica: filmes Ana Nery e Florence Nightingale
 
HISTORIA DA ENFzzzzzzzzzzzzzzzzzaERMAGEM.pptx
HISTORIA DA ENFzzzzzzzzzzzzzzzzzaERMAGEM.pptxHISTORIA DA ENFzzzzzzzzzzzzzzzzzaERMAGEM.pptx
HISTORIA DA ENFzzzzzzzzzzzzzzzzzaERMAGEM.pptx
 
Trabalho de florence editado
Trabalho de florence editadoTrabalho de florence editado
Trabalho de florence editado
 
historia da enfermagem.docx
historia da enfermagem.docxhistoria da enfermagem.docx
historia da enfermagem.docx
 
1- Introdução a Enfermagem.ppt
1- Introdução a Enfermagem.ppt1- Introdução a Enfermagem.ppt
1- Introdução a Enfermagem.ppt
 
Legislação Profissional (Aula 01).pptx
Legislação Profissional (Aula 01).pptxLegislação Profissional (Aula 01).pptx
Legislação Profissional (Aula 01).pptx
 
HISTORIA_DE_ENFERMAGEM_Florence_Nighting.pdf
HISTORIA_DE_ENFERMAGEM_Florence_Nighting.pdfHISTORIA_DE_ENFERMAGEM_Florence_Nighting.pdf
HISTORIA_DE_ENFERMAGEM_Florence_Nighting.pdf
 
História, Origem da Enfermagem + Floren
História, Origem  da Enfermagem + FlorenHistória, Origem  da Enfermagem + Floren
História, Origem da Enfermagem + Floren
 
História da Enfermagem 2.pdf
História da Enfermagem 2.pdfHistória da Enfermagem 2.pdf
História da Enfermagem 2.pdf
 
ENFERMAGEM - MÓDULO I - HISTORIA DA ENFERMAGEM, ETICA E LEGISLACAO.pptx.pdf
ENFERMAGEM - MÓDULO I -  HISTORIA DA ENFERMAGEM, ETICA E LEGISLACAO.pptx.pdfENFERMAGEM - MÓDULO I -  HISTORIA DA ENFERMAGEM, ETICA E LEGISLACAO.pptx.pdf
ENFERMAGEM - MÓDULO I - HISTORIA DA ENFERMAGEM, ETICA E LEGISLACAO.pptx.pdf
 

Mais de Fernando Dias

Conduta De Enfermagem Durante o Operatório
Conduta De Enfermagem Durante o OperatórioConduta De Enfermagem Durante o Operatório
Conduta De Enfermagem Durante o OperatórioFernando Dias
 
Lei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalLei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalFernando Dias
 
Exposição a quimioterápicos antineoplasicos.
Exposição a quimioterápicos antineoplasicos.Exposição a quimioterápicos antineoplasicos.
Exposição a quimioterápicos antineoplasicos.Fernando Dias
 

Mais de Fernando Dias (7)

Oximetria De Pulso
Oximetria De PulsoOximetria De Pulso
Oximetria De Pulso
 
Pele e anexos
Pele e anexosPele e anexos
Pele e anexos
 
Conduta De Enfermagem Durante o Operatório
Conduta De Enfermagem Durante o OperatórioConduta De Enfermagem Durante o Operatório
Conduta De Enfermagem Durante o Operatório
 
Sistema Muscular
Sistema MuscularSistema Muscular
Sistema Muscular
 
Sistema Esqueletico
Sistema EsqueleticoSistema Esqueletico
Sistema Esqueletico
 
Lei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalLei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissional
 
Exposição a quimioterápicos antineoplasicos.
Exposição a quimioterápicos antineoplasicos.Exposição a quimioterápicos antineoplasicos.
Exposição a quimioterápicos antineoplasicos.
 

Último

Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxLucasFCapistrano
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanomarla71199
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaANNAPAULAAIRESDESOUZ
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoCelimaraTiski
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfprofesfrancleite
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 

Historia Da Enfermagem

  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9. A Enfermagem era representada por prostítutas (para purificar seus pecados) e por religiosas freiras para fazer caridade.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48.
  • 49.
  • 50.
  • 51.
  • 52. A Enfermagem era representada por prostítutas (para purificar seus pecados) e por religiosas freiras para fazer caridade.
  • 53. O SIGNIFICADO DA LÂMPADA PARA A ENFERMAGEM SENTINELA,  VIGÍLIA CONSTANTE,  CUIDADO CONTÍNUO.
  • 54. A VIDA DE FLORENCE 1860 – Inglaterra. Florence inaugurou a 1 escola de enfermagem no Hospital São Tomas.
  • 55.
  • 56.
  • 57. HISTÓRIA DA ENFERMAGEM NO BRASIL 1814: nasceu na Bahia Ana Justina Ferreira (Ana Nery). Casou-se com Isidoro Antonio Neri, enviuvando aos 30 anos.  Em 15 de agosto de 1864 parte para a Guerra do Paraguai, onde seus filhos serviam o exército. Improvisa hospitais e não mede esforços no atendimento aos feridos.
  • 58.
  • 59.
  • 60.
  • 61.
  • 62.
  • 63.
  • 64. Ana Néri (1814-1880) foi a pioneira da enfermagem no Brasil. Prestou serviços voluntários, nos hospitais militares de Assunção, Corriente e Humaitá, durante a Guerra do Paraguai.
  • 65.
  • 66. Ana Néri (1814-1880) nasceu em Vila da Cachoeira do Paraguaçu, Bahia, no dia 13 de dezembro de 1814. Casou-se aos 23 anos com Isidoro Antônio Néri, capitão-de-fragata da Marinha, que estava sempre no mar. Ana acostumou-se a ter a casa sob sua responsabilidade. Ficou viúva com 29 anos. Em 1843, seu marido morre a bordo do veleiro Três de Maio, no Maranhão. Criou sozinha os três filhos, Justiniano, Isidoro e Pedro Antônio. Os dois primeiros tornaram-se médicos e o Pedro Antônio, militar.
  • 67. Em 1865, o Brasil integrou a Tríplice Aliança, que lutou na Guerra do Paraguai. Os filhos de Ana Néri foram convocados para lutar no campo de batalha. Sensibilizada com a dor da separação, no dia 8 de agosto, escreveu ao presidente da província oferecendo-se para cuidar dos feridos de guerra, enquanto o conflito durasse. Seu pedido foi aceito.
  • 68. Partiu de Salvador, em direção ao Rio Grande do Sul, onde aprendeu noções de enfermagem com as irmãs de caridade de São Vicente de Paulo. Com 51 anos, foi incorporada ao Décimo Batalhão de Voluntários e durante toda a guerra prestou serviços nos hospitais militares de Assunção, Corrientes e Humaitá. Tornouse a primeira mulher enfermeira do país. Apesar da falta de condições, pouca higiene, falta de materiais e excesso de doentes, Ana Néri chamou a atenção, por sua dedicação ao trabalho como enfermeira, por todos os hospitais onde passou.
  • 69. Ana montou uma enfermaria-modelo em Assunção, capital paraguaia, sitiada pelo exército brasileiro. No final da guerra, em 1870, Ana voltou ao Brasil com três órfãos de guerra. Foi homenageada com a Medalha Geral de Campanha e a Medalha Humanitária de Primeira Classe. D. Pedro II, por decreto, lhe concedeu uma pensão vitalícia.
  • 70. Ana Justina Ferreira Neri, faleceu no Rio de Janeiro em 20 de maio de 1880. Carlos Chagas batizou com o nome de Ana Néri a primeira escola oficial brasileira de enfermagem, em 1926. O dia do enfermeiro é comemorado no dia 20 de maio.
  • 71.
  • 72. Agora... Cabe a nós continuarmos este trabalho de progressão da nossa profissão, ampliando os horizontes, estudando cada vez mais e seguindo os princípios da ética profissional. Afinal... Somos gente que cuida de gente!
  • 73. Pedra símbolo da Enfermagem Esmeralda Cor que representa a Enfermagem Verde esmeralda
  • 74.
  • 75. LEMBRE-SE “ NOS FAZEMOS A DIFEREN Ç A ENTRE A VIDA E A MORTE