Imigração e xenofobia

15.986 visualizações

Publicada em

Trabalho desenvolvido por alunos do terceiro ano do Ensino Médio da E.E. Dr. Carlos Augusto de Freitas Villalva Jr.

  • Seja o primeiro a comentar

Imigração e xenofobia

  1. 1. Imigração e a questão da Xenofobia<br />3ºC<br />Grupo:<br />Caique Marcos Vinicius<br />Camila Nayara <br />Christopher Raphael<br />Gabriel Wanderson<br />Helen Yuri<br />
  2. 2. Imigração<br />O que é ?<br />Considera-se como imigração o movimento de entrada, com ânimo permanente ou temporário e com a intenção de trabalho e/ou residência, de pessoas ou populações, de um país para outro. Não se deve confundir a figura do imigrante com a do turista, que ingressa em um país apenas com o intuito de visitá-lo e depois retornar ao seu país natal.<br />
  3. 3. Causas<br /> A imigração em geral ocorre por iniciativa pessoal, pela busca de melhores condições de vida e de trabalho por parte dos que imigram, ou ainda para fugir de perseguições ou discriminações por motivos religiosos ou políticos.<br />
  4. 4. Séculos XIX e XX<br />Imigração da Europa<br /> Durante o século XIX e início do século XX, a situação econômica e política em países da Europa como a Itália, a Alemanha, a Espanha e a Irlanda, e de diversos povos produziu grandes levas de imigrantes. Por outro lado, nações do Novo Mundo com rápida expansão econômica na indústria ou agricultura (Estados Unidos da América, Brasil, Argentina, Uruguai, Chile) necessitavam aumentar sua mão-de-obra para continuar sua expansão. O resultado foi uma grande imigração européia para as Américas.<br />
  5. 5. Imigração do Oriente Médio<br />Do Oriente Médio para as Américas pode-se especialmente destacar a corrente imigratória de povos árabes que se fixaram no Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai e outros, incluindo tanto cristãos quanto muçulmanos. Os imigrantes árabes fixaram-se principalmente nas grandes e médias cidades e dedicaram-se em geral ao comércio. Também vieram numerosos contingentes de japoneses, chineses, indianos e, a partir do século XX, coreanos.<br /> O fluxo da Europa Ocidental para as Américas reduziu-se com o início da Primeira Guerra Mundial, principalmente os oriundos de países como Itália e Alemanha, que se envolveram naquele conflito. Por outro lado, a imigração de povos minoritários dentro dos impérios russo e otomano, tais como os poloneses e ucranianos no primeiro e os armênios no segundo, cresceu.<br />
  6. 6. Imigração Asiática<br /> Para o Brasil, uma expressiva imigração japonesa iniciou-se a partir de 1908, quando aportou no país o navio Kasato Maru trazendo as primeiras famílias, e seguiu até o governo de Getúlio Vargas, que criou cotas de imigração de acordo com o país de origem. O fluxo de japoneses se estancou com o início da Segunda Guerra Mundial e foi retomado no pós-guerra, mas em escala menor. Os chineses de Taiwan seguiram a rota da emigração japonesa para o Brasil a partir dos anos 60. Após a Guerra da Coréia começaram a chegar ao Brasil os primeiros imigrantes coreanos e, mais recentemente, com crescimento após os anos 80, chineses do continente.<br />
  7. 7.
  8. 8. Século XXI<br /> De acordo com a ONU há atualmente 191 milhões de pessoas que deixaram seus países para viver no estrangeiro. Em 1990 este número era de 155 milhões.<br /> Ao contrário do que acontecia antigamente, os migrantes de hoje muitas vezes deixam seus países de origem sem cortar definitivamente seus laços nacionais, encarando a mudança de país como algo transitório, uma espécie de poupança para o futuro. Geralmente não levam suas famílias, para as quais remetem periodicamente parte de sua renda. Este tipo de afluxo de dinheiro acaba por ser uma importante fonte de recursos dos países em desenvolvimento. Em 2004, brasileiros que trabalham no exterior enviaram 3,6 bilhões ao nosso país.<br />
  9. 9. Imigrantes Clandestinos<br /> Imigração clandestina se refere à imigração para além das fronteiras nacionais com a violação de leis de imigração do país de destino. Um imigrante ilegal é tanto um estrangeiro que atravessou ilegalmente uma fronteira política internacional, tanto quanto um estrangeiro que tenha entrado legalmente num país, mas permaneceu lá após o vencimento do visto. Na política, a imigração ilegal pode implicar em várias questões sociais, como na economia, bem-estar social, educação, cuidados de saúde, escravidão, a prostituição, criminalidade, proteções legais, os direitos de voto, os serviços públicos e direitos humanos.<br />
  10. 10.
  11. 11. Consequências da Imigração<br />No país de saída:<br />Diminuição da população<br />Diminuição na taxa de natalidade<br />Envelhecimento da população<br />Diminuição da população ativa<br />Entrada de divisas (moeda estrangeira) enviadas pelos emigrantes<br />No país de entrada:<br /><ul><li>Aumento exagerado da população
  12. 12. Aumento da taxa de natalidade
  13. 13. Rejuvenescimento da população
  14. 14. Aumento da população ativa
  15. 15. Possível aparecimento de bairros degradados
  16. 16. Dificuldades de aceitação de novas culturas, línguas e costumes</li></li></ul><li>Xenofobia <br />O que é ?<br /> Xenofobia é comumente associado a aversão a outras raças e culturas, e também à fobia em relação a pessoas ou grupos diferentes. Atitudes xenofóbicas incluem desde o impedimento à imigração de estrangeiros ou de pessoas pertencentes a diferentes culturas e etnias, consideradas como ameaça, até a defesa do extermínio desses grupos. <br />
  17. 17. O ódio ao estrangeiro, e o racismo crescem rapidamente no mundo globalizado. A concorrência no mercado de trabalho tem sido a principal causa da discriminação de imigrantes nos países ricos. Mas não é a única.<br /> Grupos extremistas unem a xenofobia à intolerância contra as minorias (negros e homossexuais) e praticam atos de extrema violência. É o caso dos skinheads, organização neonazista que age sobretudo na Alemanha. <br />

×