Estudo e reflexão sobre avaliação biologia 2013

317 visualizações

Publicada em

Estudo e reflexão sobre avaliação biologia 2013

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
317
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo e reflexão sobre avaliação biologia 2013

  1. 1. “Estudo e reflexão sobre Avaliação” Fernanda Rezende Pedroza Professora Coordenadora de Núcleo Pedagógico – Biologia Diretoria de Ensino da Região de Jacareí Setembro - 2013
  2. 2. “A avaliação escolar é um componente do processo de ensino que visa, através da verificação e qualificação dos resultados obtidos, determinar a correspondência destes com os objetivos propostos e, daí, orientar a tomada de decisões em relação às atividades didáticas seguintes”. (LIBÂNEO, 1994, p. )
  3. 3. Objetivos do encontro  Refletir sobre o tema Avaliação: Como avaliamos nossos alunos? Que instrumentos utilizamos? Como utilizamos os resultados para (re) planejar estratégias de atividades e intervenções? As diferenças entre Avaliação Interna e Externa Análise de boletim do SARESP 2012 Ciências da Natureza Análise de alguns itens do SARESP 2012 Ciências da Natureza para reflexão de intervenção.
  4. 4. Nossa Pauta - Manhã 9h30  Palestra: “ Avaliação da Aprendizagem” Elaine Barbeto Supervisora de gestão educacional – Editora Leya  Análise e reflexão sobre a prática  Questão dissertativa – prova mérito
  5. 5. Nossa Pauta - Tarde 13h30  Avaliação Interna e Externa – expectativas e possibilidades  Conhecendo melhor as Avaliações Externas  Estudo e reflexão sobre os resultados do SARESP 2012 Ciências da Natureza  Análise do boletim de cada escola  Análise e reflexão sobre os Relatório do Saresp 2012  Dados gerais  Análise de itens 17h – Encerramento e avaliação
  6. 6. Palestra: “ Avaliação da Aprendizagem” Elaine Barbeto Supervisora de gestão educacional – Editora Leya Dis c us s ã o c o le tiva
  7. 7. REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA 1. Analise sua avaliação interna 2. A proposta está baseada por uma situação problema para aluno? 3. Há algum suporte (texto, imagem, tabela,etc.) para auxiliar o aluno a extrair informações significativas do que lê, para resolver o problema solicitado? 4. Qual é o conteúdo e a habilidade que se pretende verificar? 5. Caso o aluno responda de forma incorreta, é possível verificar as competências cognitivas, ou seja as ações e operações mentais que o alunos realizou para para resolver a situação proposta? 6. A partir da observação da operação mental tomada pelo aluno, é possível fazer uma intervenção em sala de aula? Como seria?
  8. 8. Avaliar...
  9. 9. Avaliação Interna e Externa - A avaliação interna tem como objetivo acompanhar a aprendizagem dos alunos durante o percurso do processo de ensino e de aprendizagem. O professor verifica se os conteúdos e habilidades propostos foram atingidos por meio de estratégias variadas como: questões dissertativas e objetivas, relatórios, seminários, debates, leitura e produção escrita, participações em aula por meio de expressões orais e atividades coletivas. A Avaliação interna possibilita rever as necessidades do aluno e proporcionar intervenções mais rápidas e pontuais, a tempo de melhorar o aprendizado do estudante durante semestre letivo. -A avaliação externa tem como principal objetivo avaliar a qualidade de ensino de um sistema educacional, de uma escola, ou secretaria de educação. Seus resultados permitem repensar políticas públicas, distribuição de recursos financeiros e estruturais, definir metas e indicar caminhos para professores e gestores refletirem quanto às necessidades pedagógicas para séries e disciplinas avaliadas. Portanto, não se trata de uma avaliação individual de aluno, sendo complementar ao trabalho realizado nas avaliações internas.
  10. 10. Vídeo: Avaliação Educacional em Larga Escala Uma breve introdução
  11. 11. 22000088 -- Características:  Itens pré-testados e provas calibradas (BIB);  Resultados comparáveis ao SAEB/Prova Brasil;  Questionários sobre fatores associados ao desempenho;  Todas as disciplinas, bem como as séries utilizam uma mesma escala – SAEB (0-500);
  12. 12. AA rreellaaççããoo Matriz de Referência Cadernos de Prova CURRÍCULO base comum às escolas estaduais
  13. 13.  Métodos de Blocos Incompletos Balanceados (BIB) Permite medir número maior de habilidades e conteúdos. Permite a aplicação de 104 itens de forma a cobrir a Matriz de Referência em cada Ano escolar e disciplina. Em seguida, divide-se esse conjunto em 13 blocos com 8 itens cada, agrupando-os de três em três, em 26 cadernos diferentes de prova. Dessa forma, apesar de estar avaliando um amplo escopo de conteúdos, cada aluno responde apenas a 3 x 8 = 24 itens.  Uso dos resultados para composição do IDESP
  14. 14. SARESP 2012: COMPOSIÇÃO DA PROVA DO 3º EM Conteúdos Nº de itens % Ciências - conteúdos de Biologia 3 2,9 Ciências- conteúdos de Química e Biologia 2 1,9 Ciências- conteúdos de Química 3 2,9 Subtotal 13 12,5 Biologia 39 37,5 Física 26 25,0 Química 26 25,0 Subtotal 91 87,5 TOTAL 104 100,0
  15. 15. Nº de Habilidades Disciplina Matriz de referência Prova SARESP % Biologia 50 39 78,0 Física 47 24 51,1 Química 57 23 40,4 TOTAL 154 86 55,8
  16. 16. Matriz de Referência  É um recorte do currículo  Contempla conteúdos, competências e habilidades esperadas dos alunos por série e disciplina  Norteia a construção das provas - itens  Seus resultados são expressos em uma Escala  Biologia – 50 habilidades
  17. 17. Escala de Proficiência  Panorama das habilidades (inseridas na matriz) de domínio dos alunos  Escala varia de 0-500 (SAEB)  Mesma escala utilizada no SAEB/Prova Brasil/PISA  Mesma para todas as disciplinas e séries 125 150 175 200 225 250 275 300 325 350 375 400 425 Cada ponto da escala descreve as habilidades que os alunos desenvolveram, com base na média de desempenho e na distribuição dos alunos por rede de ensino ou escola nesta escala.
  18. 18. A D E Q U A D O
  19. 19. SARESP – AGRUPAMENTO EM 4 NÍVEIS
  20. 20. FERRAMENTAS DE ANÁLISE DOS RESULTADOS:  Boletim da escola Matriz de Referência de cada disciplina  Relatórios Pedagógicos  Descrição da Escala de Proficiência (SAEB)  Currículo
  21. 21. Reflexão Coletiva  Você considera que os resultados dessa avaliação podem ser utilizados para a melhoria da educação?  De que forma a sua escola utiliza os resultados?  Quais as relações entre o que é proposto nas Matrizes e os testes de Proficiência? Em que material consigo verificar o que os alunos (série) dominaram ou não na prova?
  22. 22. Análise do boletim de cada escola – 3ª EM Verifique e destaque: Nº de alunos participantes: Porcentagem de alunos participantes: Comparação da escola com outras instâncias: Porcentagem de alunos nível abaixo do básico: Porcentagem de alunos no nível adequado: Sugestão: Verificar no final do RReellaattóórriioo PPeeddaaggóóggiiccoo ddoo SSaarreesspp 22001122 oo qquuee aalluunnooss ddoommiinnaamm eemm ccaaddaa uummaa ddooss nníívveeiiss..
  23. 23. ANÁLISE DO BOLETIM
  24. 24. COMPARANDO OS RESULTADOS
  25. 25. Análise e reflexão sobre os Resultados do Saresp 2012 – Biologia  Habilidades avaliadas – Pag. 55 e 56  Competências de área (CA) avaliadas – Pág. 57  Comparação 2010 e 2012 – Pág. 73  Nível de dificuldade – Pág. 75  Proporção de acertos por competência de área (CA)  Proporção de acertos por competência do aluno (GI-GII-GIII)
  26. 26. Análise e reflexão sobre ITENS do Saresp 2012 – Biologia  Item abaixo básico – pág. 187  Item adequado – pág. 189  Item avançado – pág. 196 1.Qual a habilidade aferida? 2.Qual competência de área? 3.que estratégias poderiam ser utilizadas em aula para auxiliar os alunos no avanço das habilidades propostas?
  27. 27. Em grupos  Você considera que o Relatório Pedagógico pode contribuir para o trabalho da escola?  A partir dos itens analisados, que estratégias poderiam ser utilizadas em aula para auxiliar os alunos no avanço das habilidades propostas?  Socialização
  28. 28. ADAPTAÇÃO DO CONTO BRANCA DE NEVE Adaptado de utilization-Focused Londres, sage pub. 1997, Michel Quinn Patton
  29. 29. NARRADOR – ERA UMA VEZ UMA RAINHA QUE VIVIA EM UM GRANDE CASTELO. ELA TINHA UMA VARINHA MÁGICA QUE FAZIA AS PESSOAS BONITAS OU FEIAS, ALEGRES OU TRISTES, VITORIOSAS OU FRACASSADAS. COMO TODAS AS RAINHAS, ELA TINHA UM ESPELHO MÁGICO. UM DIA QUERENDO AVALIAR SUA BELEZA, TAMBÉM ELA PERGUNTOU AO ESPELHO. RAINHA – ESPELHO, ESPELHO MEU, EXISTE ALGUÉM MAIS BONITA DO QUE EU? ESPELHO- MINHA RAINHA OS TEMPOS ESTÃO MUDADOS. ESTA NÃO É UMA RESPOSTA TÃO SIMPLES. HOJE EM DIA, PARA RESPONDER A SUA PERGUNTA EU PRECISO DE ALGUNS ELEMENTOS MAIS CLAROS. NARRADOR – ATÔNITA, A RAINHA NÃO SABIA O QUE DIZER. SÓ LHE OCORREU PERGUNTAR. RAINHA – COMO ASSIM?! ESPELHO – VEJA BEM. NARRADOR – RESPONDEU O ESPELHO.
  30. 30. VOSSA MAJESTADE FEZ ESSA PERGUNTA, OU SEJA, O QUE PRETENDE FAZER COM MINHA RESPOSTA. PRETENDE APENAS LEVANTAR DADOS SOBRE SEU IBOPE NO CASTELO? PRETENDE EXAMINAR SEU NÍVEL DE BELEZA, COMPARANDO COM O DE OUTRAS PESSOAS, OU SUA AVALIAÇÃO VISA AO DESENVOLVIMENTO DE SUA PRÓPRIA BELEZA, SEM NENHUM CRITÉRIO EXTERNO? É UMA AVALIAÇÃO CONSIDERANDO A NORMA OU CRITÉRIOS PREDETERMINADOS? DE TODA FORMA, É PRECISO, AINDA, QUE VOSSA MAJESTADE ME DIGA SE PRETENDE FAZER UMA CLASSIFICAÇÃO DOS RESULTADOS.
  31. 31. NARRADOR – E CONTINUOU O ESPELHO: ESPELHO – ALÉM DISSO, EU PRECISO QUE VOSSA MAJESTADE ME DEFINA COM QUE BASES DEVO FAZER ESSA AVALIAÇÃO. DEVO CONSIDERAR O PESO, A ALTURA, A COR DOS OLHOS, O CONJUNTO? QUEM DEVO CONSULTAR PARA FAZER ESSA ANÁLISE? POR EXEMPLO SE CONSULTAR SOMENTE OS MORADORES DO CASTELO, VOU TER UMA RESPOSTA; POR OUTRO LADO, SE UTILIZAR PARÂMETROS NACIONAIS, PODEREI TER OUTRA RESPOSTA. ENTRE A TURMA DA COPA OU MESMO ENTRE OS ANÕES A BRANCA DE NEVE GANHA ESTOURADO. MAS, SE PERGUNTAR AOS SEUS CONSELHEIROS, ACHA QUE MINHA RAINHA TERÁ O PRIMEIRO LUGAR. DEPOIS, AINDA TEM O SEGUINTE. NARRADOR – CONTINUOU O ESPELHO: ESPELHO – COMO VOU FAZER ESSA AVALIAÇÃO? DEVO UTILIZAR ANÁLISES CONTINUADAS? POSSO UTILIZAR ALGUMA PROVA PARA VERIFICAR O GRAU DESSA BELEZA? UTILIZO A OBSERVAÇÃO? NARRADOR- FINALMENTE CONCLUIU O ESPELHO: ESPELHO – SERÁ QUE ESTOU SENDO JUSTO? TANTOS SÃO OS PONTOS A CONSIDERAR...”
  32. 32. A avaliação escolar, hoje, só faz sentido se tiver o intuito de buscar caminhos para a melhor aprendizagem. Jussara Hoffmann Avaliação do encontro Avaliação do encontro Obrigada. Obrigada.

×