DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE JACAREÍ
NÚCLEO PEDAGÓGICO
ENCONTRO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS
RECUPERAÇÃO INTENSIVA (RI)-...
OBJETIVOS:
 Refletir sobre o perfil e as necessidades dos alunos das turmas de
R.I.;
 Repensar a seleção de conteúdos e ...
PAUTA
MANHÃ
9h30 – café e acolhimento
 Reflexão sobre os alunos de R.I. (perfil, necessidades, seleção de
conteúdos e hab...
TARDE
 “Revendo as etapas de uma sequência didática”
 Uso da webquest no desenvolvimento de uma situação de
aprendizagem...
QUESTÕES NORTEADORAS PARA DISCUSSÃO
 Qual é o perfil dos alunos das turmas de Recuperação
Intensiva – R.I. ?
 Os alunos ...
O CURRÍCULO DO ESTADO DE SÃO PAULO
Uma educação à altura dos desafios contemporâneos.
 Uma escola que também aprende;
 O...
CURRÍCULO PRESCRITO E CURRÍCULO REAL
 Formação de um cidadão crítico;
 Para explicar fenômenos da natureza;
 Para promover intervenções no mundo;
 Para ent...
ESTUDO COLETIVO
ANÁLISE DO CURRÍCULO DE CIÊNCIAS
Fazer a seleção de conteúdos, competências e habilidades
 Considerar as ...
Estratégias, materiais, projetos ou programas:
 Caderno do Professor e do Aluno
 Livros didáticos
 Atividades experimen...
A palavra WebQuest em sua etimologia nos remete para a soma de duas palavras:
web (Internet) e quest (questionamento, busc...
O processo de construção de uma webquest, desde a "tela em branco" até a sua
utilização, se desdobra em três etapas:
Plane...
Possibilitar aos alunos uma estratégia de pesquisa diferenciada;
Criar uma situação problematizadora, investigativa para...
DEFINA O TEMA
WebQuests são atividades curriculares, por isso, escolha um tema que faça parte
do currículo. Pense num assu...
SELECIONE AS FONTES DE INFORMAÇÃO
Numa WebQuest, as fontes de informação são geralmente sites, mas não
exclusivamente. Pod...
DELINEIE A TAREFA
A Tarefa é a alma de uma WebQuest. Por essa razão, dedique seus melhores
esforços para planejar uma Tare...
ESTRUTURE O PROCESSO
Na seção Processo, você deve explicar passo a passo como o grupo deve realizar
a Tarefa e que fontes ...
ESCREVA A INTRODUÇÃO
O texto de Introdução de uma WebQuest deve ser direto, instigante, envolvente,
motivante. Seja direto...
ESCREVA A CONCLUSÃO
Do mesmo modo que a Introdução, a Conclusão deve ser clara, breve e simples.
Entretanto, a Conclusão t...
FAÇA OS ACERTOS FINAIS
Avalie a conveniência de incluir imagens, ou outros elementos, com o objetivo de
enriquecer ou escl...
INTRODUÇÃO
A Introdução é um texto curto, que apresenta o tema e antecipa para os alunos que
atividades eles terão de real...
PROCESSO
O Processo deve apresentar os passos que os alunos terão de percorrer para
desenvolver a Tarefa. Quanto mais deta...
CONCLUSÃO
A Conclusão deve resumir, em poucas frases, os assuntos explorados na webquest
e os objetivos supostamente ating...
http://www.aprendaki.net/webquest/procesa_index_todas.php
http://webquestumaviagemnoespaco.blogspot.com.br/
webquest_ferna...
http://www.aprendaki.net/webquest/
CRIADOR PHP DE WEBQUESTS
http://www.portalwebquest.net/
http://webquest.sp.senac.br/textos/como
http://pt.wikipedia.org/wiki/WebQuest
FONTES DE PES...
WEBQUEST – SEQUÊNCIA DIDÁTICA
SUGESTÃO DE SITES:
http://www.crmariocovas.sp.gov.br
http://www.eciencia.usp.br/
http://chc.cienciahoje.uol.com.br/
 h...
O professor deverá compartilhar com o Professor Coordenador o
objetivo da orientação técnica e solicitar uma ATPC, para qu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Orientação Técnica: uso de webquest em sala de aula

359 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Orientação Técnica: uso de webquest em sala de aula

  1. 1. DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE JACAREÍ NÚCLEO PEDAGÓGICO ENCONTRO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS RECUPERAÇÃO INTENSIVA (RI)- 2012 Professores responsáveis: Fernanda Rezende Pedroza Luciana Modesto Fonseca
  2. 2. OBJETIVOS:  Refletir sobre o perfil e as necessidades dos alunos das turmas de R.I.;  Repensar a seleção de conteúdos e habilidades para esse público;  Refletir sobre diferentes estratégias e recursos para o ensino de Ciências com o uso de tecnologia;  Reforçar a otimização dos materiais e projetos que já existem na escola e que podem servir de apoio para as atividades realizadas com as turmas de R.I.
  3. 3. PAUTA MANHÃ 9h30 – café e acolhimento  Reflexão sobre os alunos de R.I. (perfil, necessidades, seleção de conteúdos e habilidades para o ensino de Ciências)  Breve retomada: O Ensino de Ciências no Currículo do Estado de São Paulo.  Otimizar os materiais, projetos, programas e tecnologias que já existem na escola como apoio nas aulas de R.I. 13h às 14h – almoço
  4. 4. TARDE  “Revendo as etapas de uma sequência didática”  Uso da webquest no desenvolvimento de uma situação de aprendizagem  Oficina de webquest – elaboração e socialização  Avaliação e tarefa 17h - encerramento
  5. 5. QUESTÕES NORTEADORAS PARA DISCUSSÃO  Qual é o perfil dos alunos das turmas de Recuperação Intensiva – R.I. ?  Os alunos trazem maiores dificuldades que se referem ao 9º ano ou à todo o ciclo (6º ao 9º ano)?  O que devemos priorizar para o ensino de Ciências nessa turma?
  6. 6. O CURRÍCULO DO ESTADO DE SÃO PAULO Uma educação à altura dos desafios contemporâneos.  Uma escola que também aprende;  O Currículo como espaço de cultura;  As competências como referência;  Prioridade para a competência leitora e escritora;  Articulação das competências para aprender;  Articulação com o mundo do trabalho. Princípios para um currículo comprometido com seu tempo
  7. 7. CURRÍCULO PRESCRITO E CURRÍCULO REAL
  8. 8.  Formação de um cidadão crítico;  Para explicar fenômenos da natureza;  Para promover intervenções no mundo;  Para entender o mundo Prof. Dr. Marcelo Motokane FFCLRP/USP Departamento de Biologia POR QUE DEVEMOS APRENDER CIÊNCIAS?
  9. 9. ESTUDO COLETIVO ANÁLISE DO CURRÍCULO DE CIÊNCIAS Fazer a seleção de conteúdos, competências e habilidades  Considerar as prioridades;  Levar em consideração às dificuldades carregadas durante todo o ciclo – 6º ao 9º ano.
  10. 10. Estratégias, materiais, projetos ou programas:  Caderno do Professor e do Aluno  Livros didáticos  Atividades experimentais  Material Ensinar e Aprender  Materiais dos kits Prevenção Também se Ensina e Comunidade Presente  Programa Acessa Escola  Cinema vai à escola  Lugares de Aprender  TICs – navegação e WebQuest
  11. 11. A palavra WebQuest em sua etimologia nos remete para a soma de duas palavras: web (Internet) e quest (questionamento, busca ou pesquisa). Uma webquest é uma metodologia de pesquisa orientada, em que quase todos os recursos utilizados são provenientes da Internet . Sua estrutura é elaborada de forma que os alunos se envolvam no desenvolvimento de tarefas de investigação, utilizando esses recursos pré-selecionados. O conceito da WebQuest surgiu em Fevereiro de 1995, na San Diego State University (SDSU) pelo professor Bernard Dodge e seu colaborador (ex-aluno de graduação) Thomas March, no âmbito das atividades propostas na disciplina EDTEC 596, "Interdisciplinary Teaching with Technology“. O QUE É UMA WEBQUEST? 99504859950485
  12. 12. O processo de construção de uma webquest, desde a "tela em branco" até a sua utilização, se desdobra em três etapas: Planejar - O planejamento é o aspecto pedagógico da elaboração. É o momento de definir o conteúdo da webquest. É uma etapa de criação, que demanda tempo e reflexão, e não exige o uso do computador. Formatar - A formatação é o aspecto editorial da elaboração. É o momento de inserir o conteúdo (definido na etapa de planejamento) num gabarito que contém as seções típicas de uma WQ: Introdução, Tarefa, Processo, fontes de informação, Avaliação, Conclusão. Nessa etapa, vale incluir imagens, revisar e dar acabamento na webquest. Publicar - Publicar significa pôr a webquest no ar. É o momento de tomar as providências técnicas para que a webquest possa ser acessada e utilizada pelas pessoas, na Internet. COMO ELABORAR UMA WEBQUEST?
  13. 13. Possibilitar aos alunos uma estratégia de pesquisa diferenciada; Criar uma situação problematizadora, investigativa para motivar o aluno; Possibilitar pesquisa a informações por meio de páginas da internet; Orientar a pesquisa dos alunos; Aprender a pesquisar. Além disso, concebidas como publicações típicas do espaço Web (abertas, de acesso livre, gratuitas etc.), as WebQuests são uma forma interessante de cooperação e intercâmbio docente. OBJETIVOS EDUCACIONAIS DE UMA WEBQUEST
  14. 14. DEFINA O TEMA WebQuests são atividades curriculares, por isso, escolha um tema que faça parte do currículo. Pense num assunto para o qual você possa dar uma abordagem interessante e cujo desenvolvimento possa melhorar suas aulas. A escolha do tema está ligada à disponibilidade de fontes de informação, que são geralmente sites ou páginas na Web (mas não somente). Ao pensar sobre o tema, vá navegando na Web para avaliar se há bons sites e páginas sobre o assunto. ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE UMA WEBQUEST
  15. 15. SELECIONE AS FONTES DE INFORMAÇÃO Numa WebQuest, as fontes de informação são geralmente sites, mas não exclusivamente. Podem ser também livros, revistas, jornais, até uma entrevista com um especialista, ou qualquer outra fonte que você julgar conveniente. Para selecionar as fontes de informação ligadas ao tema da sua WebQuest, recomendamos que você: Faça uma seleção inicial de sites e páginas. Reavalie a seleção e fique com os melhores e mais adequados. Avalie a conveniência de utilizar outro tipo de fonte: livros, revistas, artigos, discos, vídeos etc. Defina a lista final de recursos online e offline a ser usada pelos alunos na realização da Tarefa. ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE UMA WEBQUEST
  16. 16. DELINEIE A TAREFA A Tarefa é a alma de uma WebQuest. Por essa razão, dedique seus melhores esforços para planejar uma Tarefa que seja motivante e desafiadora, que realmente possa ser realizada e que tenha a ver com a vida real. Se possível, evite coisas muito escolares como seminários, palestras, questionários. Para delinear a Tarefa, sugerimos que você: Examine Tarefas de boas WebQuests; Determine uma Tarefa que seja realizável e plausível; Dê asas à imaginação: arrisque algo diferente da sua rotina didática; Troque idéias com seus colegas, peça a opinião deles. ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE UMA WEBQUEST
  17. 17. ESTRUTURE O PROCESSO Na seção Processo, você deve explicar passo a passo como o grupo deve realizar a Tarefa e que fontes de informação devem ser usadas em cada etapa. É frequente pedir aos alunos que desempenhem papéis, porque isso permite diferentes perspectivas de um mesmo problema. Se a sua WebQuest é desse tipo, descreva no Processo quais são as características de cada papel e quem vai representar cada um. Em resumo, siga os passos: Estabeleça quais fontes de informação deverão ser consultadas e quando; Descreva e atribua a cada aluno o papel que terá de desempenhar. ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE UMA WEBQUEST
  18. 18. ESCREVA A INTRODUÇÃO O texto de Introdução de uma WebQuest deve ser direto, instigante, envolvente, motivante. Seja direto. Use linguagem clara e compreensível. Lembre-se de que a pessoa estará lendo o texto na tela do computador, por isso, seja breve. Evite abordagem professoral. Escreva um texto dirigido ao seu público-alvo; Motive o público-alvo da sua WQ; Seja breve; Evite didatismo. ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE UMA WEBQUEST
  19. 19. ESCREVA A CONCLUSÃO Do mesmo modo que a Introdução, a Conclusão deve ser clara, breve e simples. Entretanto, a Conclusão tem o papel de promover a reflexão sobre o que foi visto e incentivar a continuidade do trabalho. Reafirme aspectos de interesse registrados na Introdução; Realce a importância daquilo que os alunos exploraram; Aponte caminhos que possam ajudar os alunos a continuar estudos e investigações sobre o tema. ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE UMA WEBQUEST
  20. 20. FAÇA OS ACERTOS FINAIS Avalie a conveniência de incluir imagens, ou outros elementos, com o objetivo de enriquecer ou esclarecer certos aspectos. Coloque os créditos. Nada mais descuidado que uma WebQuest sem autores. Indique todas as fontes que usou, sejam sites ou livros. Agradeça a quem colaborou. Revise o material e procure testá-lo, para depois fazer ajustes finais. Em resumo, sugerimos que você: Coloque imagens para enriquecer ou esclarecer aspectos da WQ; Coloque os créditos; Revise todo o conteúdo; Revise o texto; Teste a sua WQ com um grupo de alunos; Peça a colegas que avaliem a sua WQ. ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE UMA WEBQUEST
  21. 21. INTRODUÇÃO A Introdução é um texto curto, que apresenta o tema e antecipa para os alunos que atividades eles terão de realizar. Ela deve ser motivadora, instigar o aluno a buscar as informações , ser o “detetive” para o assunto que lhe foi proposto. TAREFA A Tarefa descreve que “produto” se espera dos alunos ao final da webquest. Exemplos: resolver um problema, formular e defender uma opinião, elaborar um resumo, criar um blog, elaborar um cartaz informativo, redigir um relato jornalístico, ou qualquer coisa que exija dos aprendizes processar e transformar as informações coletadas. ESTRUTURA DE UMA WEBQUEST
  22. 22. PROCESSO O Processo deve apresentar os passos que os alunos terão de percorrer para desenvolver a Tarefa. Quanto mais detalhado for o processo, melhor. RECURSOS OU FONTES DE INFORMAÇÃO Os recursos são os sites e páginas Web que o professor escolhe e que devem ser consultados pelos alunos para realizar a Tarefa. Eles costumam ser parte integrante da seção Processo, mas também podem constituir uma seção separada. AVALIAÇÃO Na seção Avaliação, o aluno deve ser informado sobre como o seu desempenho será avaliado e em que casos a verificação será individual ou coletiva. O professor também pode elaborar um gabarito de avaliação por etapas, onde cada etapa deve conter os níveis que o aluno atingiu. ESTRUTURA DE UMA WEBQUEST
  23. 23. CONCLUSÃO A Conclusão deve resumir, em poucas frases, os assuntos explorados na webquest e os objetivos supostamente atingidos. REFERENCIAS A seção de Créditos deve apresentar as fontes de todos os materiais utilizados na WebQuest: imagens, músicas, textos, livros, sites, páginas Web. Se as fontes são sites ou páginas Web, colocam-se os links. Quando os materiais são físicos, colocam-se as referências bibliográficas. ESTRUTURA DE UMA WEBQUEST
  24. 24. http://www.aprendaki.net/webquest/procesa_index_todas.php http://webquestumaviagemnoespaco.blogspot.com.br/ webquest_fernanda.ppt CONHECENDO ALGUMAS WEBQUESTS
  25. 25. http://www.aprendaki.net/webquest/ CRIADOR PHP DE WEBQUESTS
  26. 26. http://www.portalwebquest.net/ http://webquest.sp.senac.br/textos/como http://pt.wikipedia.org/wiki/WebQuest FONTES DE PESQUISA
  27. 27. WEBQUEST – SEQUÊNCIA DIDÁTICA
  28. 28. SUGESTÃO DE SITES: http://www.crmariocovas.sp.gov.br http://www.eciencia.usp.br/ http://chc.cienciahoje.uol.com.br/  http://www.zenite.nu/ - astronomia  http://www.webciencia.com/16_oceania.htm  http://teoriadetudo.blogfolha.uol.com.br/2012/03/23/todas-as- teorias-e-a-teoria-final/ http://www.ambiente.sp.gov.br
  29. 29. O professor deverá compartilhar com o Professor Coordenador o objetivo da orientação técnica e solicitar uma ATPC, para que juntos, possam multiplicar aos outros professores que lecionam nas turmas de Recuperação Intensiva ; Propor aos professores das outras disciplinas a elaboração de uma webquest, podendo ser de uma única disciplina, ou área ou ainda interdisciplinar. O professor multiplicador e o coordenador devem, juntos, elaborar um relato sobre a multiplicação na ATPC, descrevendo como foi a participação dos professores, seus comentários e a cópia da webquest elaborado por eles. Encaminhar o relato e webquest para os emails dejacnpe@see.sp.gov.br e aos cuidados de Fernanda e Luciana até o dia 18/06/2012. AÇÃO NA ESCOLA

×