SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
Fernanda PiresFernanda Pires
CNCN
6º Ano6º Ano
Alimentação eAlimentação e
alimentosalimentos
 O Homem nem sempre teve ao seu disporO Homem nem sempre teve ao seu dispor
a abundância de bens alimentares quea abundância de bens alimentares que
tem na actualidade.tem na actualidade.
 No entanto, o uso dessa abundânciaNo entanto, o uso dessa abundância
pode-lhe causar-lhe problemas graves depode-lhe causar-lhe problemas graves de
saúde.saúde.
Alimentação eAlimentação e
alimentosalimentos
 No decorrer da sua evolução, o Homem teve deNo decorrer da sua evolução, o Homem teve de
adaptar-se várias vezes a condições de vidaadaptar-se várias vezes a condições de vida
que representaram uma mudança radical.que representaram uma mudança radical.
 Durante essas mudanças, a sua alimentaçãoDurante essas mudanças, a sua alimentação
sempre sofreu grandes alterações.sempre sofreu grandes alterações.
 Hoje temos conhecimentos que nos permitemHoje temos conhecimentos que nos permitem
fazer uma alimentação saudável de maneirasfazer uma alimentação saudável de maneiras
variadas.variadas.
No Paleolítico...No Paleolítico...
•Durante o Paleolítico, sem dúvida o
período mais longo da História, os
seres humanos alimentavam-se de
ervas, raízes, frutos e sementes que
recolhiam, assim como da carne dos
animais selvagens que abatiam.
•O facto dos alimentos serem de
origem vegetal ou animal dependia do
meio ambiente e do clima. Em certos
períodos, foi a carne que
desempenhou papel relevante.
Ainda na Pré-Ainda na Pré-
História...História...
 Neste tipo de economia, que seNeste tipo de economia, que se
baseava na recolecção, umbaseava na recolecção, um
pequeno número de pessoaspequeno número de pessoas
necessitava de um grandenecessitava de um grande
espaço para caçar.espaço para caçar.
 Há cerca de 10 000 anos, aHá cerca de 10 000 anos, a
situação alterou-se, devido aosituação alterou-se, devido ao
desenvolvimento da agricultura.desenvolvimento da agricultura.
 Graças à agricultura e àGraças à agricultura e à
pecuária, o Homem começou apecuária, o Homem começou a
produzir os seus próprios bensproduzir os seus próprios bens
alimentares.alimentares.
E… desenvolveu-se aE… desenvolveu-se a
agriculturaagricultura
 A agricultura tornouA agricultura tornou
o Homem maiso Homem mais
sedentário e, comosedentário e, como
tal, mais dependentetal, mais dependente
das condições locais.das condições locais.
Na época medieval…Na época medieval…
 Por ocasião das secas, pragasPor ocasião das secas, pragas
de gafanhotos e outrasde gafanhotos e outras
catástrofes naturais, viveram-catástrofes naturais, viveram-
se épocas de fome.se épocas de fome.
 Isto aconteceu em muitasIsto aconteceu em muitas
áreas da Europa.áreas da Europa.
 Por exemplo, no último períodoPor exemplo, no último período
da Idade Média, várias regiõesda Idade Média, várias regiões
da Europa sofreram o flageloda Europa sofreram o flagelo
da fome:da fome:
 por um lado a populaçãopor um lado a população
aumentava,aumentava,
 por outro, a produção agrícolapor outro, a produção agrícola
baixava,baixava,
 inicia-se a migração para asinicia-se a migração para as
cidades, onde se agravavam,cidades, onde se agravavam,
ainda mais, as condições de vida.ainda mais, as condições de vida.
No início da IdadeNo início da Idade
ModernaModerna
 No campo, em temposNo campo, em tempos
normais, vivia-se de papasnormais, vivia-se de papas
de cereais, leguminosas,de cereais, leguminosas,
legumes, frutos secos elegumes, frutos secos e
leite.leite.
 A carne e o pão raramenteA carne e o pão raramente
surgiam nas mesas,surgiam nas mesas,
guardados, sobretudo paraguardados, sobretudo para
as ocasiões festivas.as ocasiões festivas.
 Apenas a burguesia podiaApenas a burguesia podia
dar-se ao luxo de ter umadar-se ao luxo de ter uma
alimentação mais rica ealimentação mais rica e
variada.variada.
Os Descobrimentos eOs Descobrimentos e
as novas Culturasas novas Culturas
 Da América e deDa América e de
outros continentesoutros continentes
vieram novas plantasvieram novas plantas
Na Europa usam-seNa Europa usam-se
novos alimentos…novos alimentos…
 Devido a isto e àDevido a isto e à
introdução da batata nointrodução da batata no
séc. XVIII, a baseséc. XVIII, a base
alimentar tornou-se maisalimentar tornou-se mais
estável.estável.
 No séc. XIX aumentouNo séc. XIX aumentou
o cultivo de plantas deo cultivo de plantas de
crescimento rápido ecrescimento rápido e
originárias de outrosoriginárias de outros
países ou de áreaspaíses ou de áreas
geográficas diferentes.geográficas diferentes.
Veio a industrializaçãoVeio a industrialização
 A industrializaçãoA industrialização
e ase as
transformaçõestransformações
sociais com elasociais com ela
relacionadasrelacionadas
alteraramalteraram
radicalmente osradicalmente os
hábitoshábitos
alimentares.alimentares.
Conservação dosConservação dos
AlimentosAlimentos
 Aos antigosAos antigos
processos deprocessos de
conservação - cozer,conservação - cozer,
fumar, acidificar,fumar, acidificar,
salgar e secar –salgar e secar –
Conservação dosConservação dos
Alimentos – novosAlimentos – novos
processosprocessos
 Aparecem novosAparecem novos
processos deprocessos de
conservação como oconservação como o
de conservar emde conservar em
lata, em recipienteslata, em recipientes
de vidro ou no frio.de vidro ou no frio.
Alteração no modo deAlteração no modo de
cozinharcozinhar
 As alterações dasAs alterações das
condições de vidacondições de vida
decorrentes dadecorrentes da
industrialização e daindustrialização e da
migração para asmigração para as
cidades, do trabalhocidades, do trabalho
feminino e a separaçãofeminino e a separação
dos locais de trabalhodos locais de trabalho
dos locais de habitação,dos locais de habitação,
revolucionaram osrevolucionaram os
hábitos alimentares.hábitos alimentares.
Alimentação rápida eAlimentação rápida e
barata – fast foodbarata – fast food
 Cada vez a alimentaçãoCada vez a alimentação
tinha que ser detinha que ser de
confecção mais rápida econfecção mais rápida e
económica.económica.
 Por isso, foramPor isso, foram
inventados os produtosinventados os produtos
industriais como aindustriais como a
margarina, as sopas demargarina, as sopas de
pacote e os caldos depacote e os caldos de
carne e muitos outros.carne e muitos outros.
Os "pecados" doOs "pecados" do
progressoprogresso
 Com o decorrer dosCom o decorrer dos
tempos, a alimentação ricatempos, a alimentação rica
em vegetais, deu lugar aem vegetais, deu lugar a
uma outra maisuma outra mais
concentrada, rica emconcentrada, rica em
açúcar, proteínas eaçúcar, proteínas e
lípidos.lípidos.
 Por outras palavras,Por outras palavras,
comiam-se menoscomiam-se menos
legumes e fruta, menoslegumes e fruta, menos
pão escuro e menospão escuro e menos
leguminosas.leguminosas.
Os "pecados" doOs "pecados" do
progressoprogresso
 Em vez disso,Em vez disso,
começaram acomeçaram a
aparecer à mesaaparecer à mesa
mais pastéis,mais pastéis,
mais doces,mais doces,
mais carne, maismais carne, mais
fritos e assados.fritos e assados.
Falta de ExercícioFalta de Exercício
físicofísico
 Entretanto, para muitos oEntretanto, para muitos o
trabalho físico reduziu-se etrabalho físico reduziu-se e
tornou-se mais leve. Astornou-se mais leve. As
pessoas hoje mexem-sepessoas hoje mexem-se
menos e comem mais pormenos e comem mais por
apetite do que por fome.apetite do que por fome.
 Nem a digestão nem oNem a digestão nem o
metabolismo do Homemmetabolismo do Homem
conseguiram adaptar-se, aconseguiram adaptar-se, a
alterações tão radicais nosalterações tão radicais nos
hábitos de vida, de trabalho ehábitos de vida, de trabalho e
de alimentação.de alimentação.
Alimentação em excessoAlimentação em excesso
/pouco exercício físico/pouco exercício físico
 Actualmente, sobretudoActualmente, sobretudo
nos países maisnos países mais
desenvolvidos, muitasdesenvolvidos, muitas
pessoas continuam apessoas continuam a
consumir cerca de 3000consumir cerca de 3000
kcal diárias, tal comokcal diárias, tal como
acontecia no séculoacontecia no século
passado, emborapassado, embora
necessitem apenas denecessitem apenas de
2400 kcal.2400 kcal.
Excesso de Peso/Excesso de Peso/
Carências alimentaresCarências alimentares
 O excesso de energiaO excesso de energia
fornecida pelosfornecida pelos
açúcares, lípidos,açúcares, lípidos,
amidos e até proteínas éamidos e até proteínas é
acompanhado por umaacompanhado por uma
carência de substânciascarência de substâncias
essenciais, como é oessenciais, como é o
caso das vitaminas, doscaso das vitaminas, dos
minerais e das fibras,minerais e das fibras,
que são destruídasque são destruídas
quando é feita aquando é feita a
refinação dos alimentos.refinação dos alimentos.
Valor energético deValor energético de
EmentasEmentas
Alimentação SaudávelAlimentação Saudável
 Saber escolherSaber escolher
e preparar ose preparar os
alimentos éalimentos é
fundamentalfundamental
para uma vidapara uma vida
saudável esaudável e
longa.longa.
Dieta TradicionalDieta Tradicional
PortuguesaPortuguesa
 A dieta tradicional portuguesaA dieta tradicional portuguesa
com característicascom características
mediterrânicas está cheia demediterrânicas está cheia de
pratos com alimentos quepratos com alimentos que
dão saúde.dão saúde.
 Sopas ricas em vegetais eSopas ricas em vegetais e
feijão, carne em moderação,feijão, carne em moderação,
peixe com frequência, tudopeixe com frequência, tudo
temperado com azeite, ervastemperado com azeite, ervas
aromáticas e alho, muita frutaaromáticas e alho, muita fruta
e vegetais são os segredose vegetais são os segredos
desta alimentaçãodesta alimentação
verdadeiramente saudável.verdadeiramente saudável.
A importância deA importância de
legumes e frutoslegumes e frutos
E hoje está provado queE hoje está provado que
certos frutos e vegetaiscertos frutos e vegetais
possuem substânciaspossuem substâncias
antioxidantes e fitoquímicasantioxidantes e fitoquímicas
que são agentes poderososque são agentes poderosos
na protecção de doençasna protecção de doenças
como o cancro, doençascomo o cancro, doenças
cardiovasculares e outras.cardiovasculares e outras.
Comer bem para viverComer bem para viver
melhormelhor
História da alimentação
História da alimentação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma AgráriaAgricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Paulo Cerqueira
 
Agropecuária geral e do brasil
Agropecuária   geral e do brasilAgropecuária   geral e do brasil
Agropecuária geral e do brasil
Professor
 
Origem do universo e a evolução humana
Origem do universo e a evolução humanaOrigem do universo e a evolução humana
Origem do universo e a evolução humana
Douglas Barraqui
 
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º anoAula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
7 de Setembro
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
edna2
 
O ser humano chega a america
O ser humano chega a america O ser humano chega a america
O ser humano chega a america
edna2
 
A industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambientalA industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambiental
becresforte
 

Mais procurados (20)

Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma AgráriaAgricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
 
Agropecuária geral e do brasil
Agropecuária   geral e do brasilAgropecuária   geral e do brasil
Agropecuária geral e do brasil
 
Neocolonialismo geral2
Neocolonialismo geral2Neocolonialismo geral2
Neocolonialismo geral2
 
Alimentos e nutrientes
Alimentos e nutrientesAlimentos e nutrientes
Alimentos e nutrientes
 
Segunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrialSegunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrial
 
2° ano Primeiro Reinado e Regências
2° ano   Primeiro Reinado e Regências2° ano   Primeiro Reinado e Regências
2° ano Primeiro Reinado e Regências
 
Imperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIXImperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIX
 
Alimentação sudável
Alimentação sudávelAlimentação sudável
Alimentação sudável
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
Origem do universo e a evolução humana
Origem do universo e a evolução humanaOrigem do universo e a evolução humana
Origem do universo e a evolução humana
 
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º anoAula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
 
E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.
 
Pré História da América
Pré História da  AméricaPré História da  América
Pré História da América
 
Neolítico revolução agrícola e as primeiras cidades
Neolítico   revolução agrícola e as primeiras cidadesNeolítico   revolução agrícola e as primeiras cidades
Neolítico revolução agrícola e as primeiras cidades
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
 
O ser humano chega a america
O ser humano chega a america O ser humano chega a america
O ser humano chega a america
 
A industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambientalA industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambiental
 

Destaque

Alimentacao historia
Alimentacao historiaAlimentacao historia
Alimentacao historia
Ana Prada
 
Alimentação humana
Alimentação humanaAlimentação humana
Alimentação humana
Edvan Araújo
 
A alimentação na Idade Média - Madalena Quitério
A alimentação na Idade Média - Madalena QuitérioA alimentação na Idade Média - Madalena Quitério
A alimentação na Idade Média - Madalena Quitério
efaparaiso
 
Dimensões da alimentação saudável
Dimensões da alimentação saudávelDimensões da alimentação saudável
Dimensões da alimentação saudável
nucane
 
História da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentosHistória da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentos
Remoov
 
A alimentação na Idade Média - Inácia Pratas
A alimentação na Idade Média - Inácia PratasA alimentação na Idade Média - Inácia Pratas
A alimentação na Idade Média - Inácia Pratas
efaparaiso
 
Projeto Alimento Saudável das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...
Projeto  Alimento Saudável das  Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...Projeto  Alimento Saudável das  Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...
Projeto Alimento Saudável das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...
Aleinat
 
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEISSEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
educacaodetodos
 
A menina que não gostava de fruta
A menina que não gostava de frutaA menina que não gostava de fruta
A menina que não gostava de fruta
Débora Frazao
 
Alimentacao historia 2009
Alimentacao historia 2009Alimentacao historia 2009
Alimentacao historia 2009
Acilu
 
Duendes dos legumes
Duendes dos legumesDuendes dos legumes
Duendes dos legumes
bibabbe
 

Destaque (20)

História da alimentação Mundial-Trabalho desenvolvido por:Jackson santos & Ma...
História da alimentação Mundial-Trabalho desenvolvido por:Jackson santos & Ma...História da alimentação Mundial-Trabalho desenvolvido por:Jackson santos & Ma...
História da alimentação Mundial-Trabalho desenvolvido por:Jackson santos & Ma...
 
Alimentos – ao longo do tempo
Alimentos – ao longo do tempoAlimentos – ao longo do tempo
Alimentos – ao longo do tempo
 
Alimentacao historia
Alimentacao historiaAlimentacao historia
Alimentacao historia
 
Alimentação humana
Alimentação humanaAlimentação humana
Alimentação humana
 
PaleolíTico, NeolíTico AlimentaçãO
PaleolíTico,  NeolíTico  AlimentaçãOPaleolíTico,  NeolíTico  AlimentaçãO
PaleolíTico, NeolíTico AlimentaçãO
 
História da alimentação mundial- Gabriela Caroline 9a
História  da  alimentação mundial- Gabriela  Caroline 9aHistória  da  alimentação mundial- Gabriela  Caroline 9a
História da alimentação mundial- Gabriela Caroline 9a
 
A alimentação na Idade Média - Madalena Quitério
A alimentação na Idade Média - Madalena QuitérioA alimentação na Idade Média - Madalena Quitério
A alimentação na Idade Média - Madalena Quitério
 
Dimensões da alimentação saudável
Dimensões da alimentação saudávelDimensões da alimentação saudável
Dimensões da alimentação saudável
 
História da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentosHistória da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentos
 
Antropologia E NutriçAõ
Antropologia E NutriçAõAntropologia E NutriçAõ
Antropologia E NutriçAõ
 
Origem e Valor Nutricional dos alimentos na historia da evolução
Origem e Valor Nutricional dos alimentos na historia da evoluçãoOrigem e Valor Nutricional dos alimentos na historia da evolução
Origem e Valor Nutricional dos alimentos na historia da evolução
 
Tipos alimentação
Tipos alimentaçãoTipos alimentação
Tipos alimentação
 
A alimentação na Idade Média - Inácia Pratas
A alimentação na Idade Média - Inácia PratasA alimentação na Idade Média - Inácia Pratas
A alimentação na Idade Média - Inácia Pratas
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
 
Projeto Alimento Saudável das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...
Projeto  Alimento Saudável das  Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...Projeto  Alimento Saudável das  Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...
Projeto Alimento Saudável das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...
 
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEISSEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
 
A menina que não gostava de fruta
A menina que não gostava de frutaA menina que não gostava de fruta
A menina que não gostava de fruta
 
Alimentacao historia 2009
Alimentacao historia 2009Alimentacao historia 2009
Alimentacao historia 2009
 
Duendes dos legumes
Duendes dos legumesDuendes dos legumes
Duendes dos legumes
 
Trabalho agronomia
Trabalho agronomiaTrabalho agronomia
Trabalho agronomia
 

Semelhante a História da alimentação

Telecurso 2000 aula 44 eu preciso pescar para comer
Telecurso 2000 aula 44   eu preciso pescar para comerTelecurso 2000 aula 44   eu preciso pescar para comer
Telecurso 2000 aula 44 eu preciso pescar para comer
netoalvirubro
 
Cartilha SEA 2010
Cartilha SEA 2010Cartilha SEA 2010
Cartilha SEA 2010
nucane
 
Cartilha SAE 2010
Cartilha SAE 2010Cartilha SAE 2010
Cartilha SAE 2010
nucane
 

Semelhante a História da alimentação (20)

A AGRICULTURA E A FOME NO MUNDO revisado
A AGRICULTURA E A FOME NO MUNDO  revisadoA AGRICULTURA E A FOME NO MUNDO  revisado
A AGRICULTURA E A FOME NO MUNDO revisado
 
Projeto políticas publicas
Projeto políticas publicasProjeto políticas publicas
Projeto políticas publicas
 
Aagriculturaeafomenomundo revisado-140417145504-phpapp02
Aagriculturaeafomenomundo revisado-140417145504-phpapp02Aagriculturaeafomenomundo revisado-140417145504-phpapp02
Aagriculturaeafomenomundo revisado-140417145504-phpapp02
 
Dac moda ano internacional das leguminosas 2016
Dac moda ano internacional das leguminosas   2016Dac moda ano internacional das leguminosas   2016
Dac moda ano internacional das leguminosas 2016
 
O surgimento da agricultura e do Estado
O surgimento da agricultura e do EstadoO surgimento da agricultura e do Estado
O surgimento da agricultura e do Estado
 
Telecurso 2000 aula 44 eu preciso pescar para comer
Telecurso 2000 aula 44   eu preciso pescar para comerTelecurso 2000 aula 44   eu preciso pescar para comer
Telecurso 2000 aula 44 eu preciso pescar para comer
 
Artigo 1 dietetica
Artigo 1 dieteticaArtigo 1 dietetica
Artigo 1 dietetica
 
Estilo brasileiro de comer
Estilo brasileiro de comerEstilo brasileiro de comer
Estilo brasileiro de comer
 
Portfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânicaPortfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânica
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
Fitoterapia e Alimentação Saudável
Fitoterapia e Alimentação SaudávelFitoterapia e Alimentação Saudável
Fitoterapia e Alimentação Saudável
 
APRESENTACAO NUTRICAO_ completa e integral para cursos de saúde media e alta....
APRESENTACAO NUTRICAO_ completa e integral para cursos de saúde media e alta....APRESENTACAO NUTRICAO_ completa e integral para cursos de saúde media e alta....
APRESENTACAO NUTRICAO_ completa e integral para cursos de saúde media e alta....
 
Cartilha SEA 2010
Cartilha SEA 2010Cartilha SEA 2010
Cartilha SEA 2010
 
Cartilha SAE 2010
Cartilha SAE 2010Cartilha SAE 2010
Cartilha SAE 2010
 

Mais de Maria Pires (20)

Vitaminas_alunos
Vitaminas_alunosVitaminas_alunos
Vitaminas_alunos
 
Roda dos alim
Roda dos alimRoda dos alim
Roda dos alim
 
Planificação geral aulas reprodução humana
Planificação geral aulas reprodução humanaPlanificação geral aulas reprodução humana
Planificação geral aulas reprodução humana
 
óGãos funções m-f
óGãos funções m-fóGãos funções m-f
óGãos funções m-f
 
Habitos alimentares
Habitos alimentaresHabitos alimentares
Habitos alimentares
 
Food
FoodFood
Food
 
Dieta mediterrânica
Dieta mediterrânica Dieta mediterrânica
Dieta mediterrânica
 
Dieta mediterrânica
Dieta mediterrânicaDieta mediterrânica
Dieta mediterrânica
 
Dieta mediterrânica(1)
Dieta mediterrânica(1)Dieta mediterrânica(1)
Dieta mediterrânica(1)
 
Aula7 rep masc
Aula7 rep mascAula7 rep masc
Aula7 rep masc
 
Aula n 29_e_30
Aula n 29_e_30Aula n 29_e_30
Aula n 29_e_30
 
Aula n 28
Aula n 28Aula n 28
Aula n 28
 
Aula n 26_e_27
Aula n 26_e_27Aula n 26_e_27
Aula n 26_e_27
 
Aula 23 e_24
Aula 23 e_24Aula 23 e_24
Aula 23 e_24
 
Aula 21 e_22
Aula 21 e_22Aula 21 e_22
Aula 21 e_22
 
Aula 20
Aula 20Aula 20
Aula 20
 
Aula 18 e19
Aula 18 e19Aula 18 e19
Aula 18 e19
 
Aula 14 e_15
Aula 14 e_15Aula 14 e_15
Aula 14 e_15
 
Aula 12
Aula 12Aula 12
Aula 12
 
Aula 7 8_rep_fem
Aula 7 8_rep_femAula 7 8_rep_fem
Aula 7 8_rep_fem
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 

Último (20)

Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.pptnocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 

História da alimentação

  • 2. Alimentação eAlimentação e alimentosalimentos  O Homem nem sempre teve ao seu disporO Homem nem sempre teve ao seu dispor a abundância de bens alimentares quea abundância de bens alimentares que tem na actualidade.tem na actualidade.  No entanto, o uso dessa abundânciaNo entanto, o uso dessa abundância pode-lhe causar-lhe problemas graves depode-lhe causar-lhe problemas graves de saúde.saúde.
  • 3. Alimentação eAlimentação e alimentosalimentos  No decorrer da sua evolução, o Homem teve deNo decorrer da sua evolução, o Homem teve de adaptar-se várias vezes a condições de vidaadaptar-se várias vezes a condições de vida que representaram uma mudança radical.que representaram uma mudança radical.  Durante essas mudanças, a sua alimentaçãoDurante essas mudanças, a sua alimentação sempre sofreu grandes alterações.sempre sofreu grandes alterações.  Hoje temos conhecimentos que nos permitemHoje temos conhecimentos que nos permitem fazer uma alimentação saudável de maneirasfazer uma alimentação saudável de maneiras variadas.variadas.
  • 4. No Paleolítico...No Paleolítico... •Durante o Paleolítico, sem dúvida o período mais longo da História, os seres humanos alimentavam-se de ervas, raízes, frutos e sementes que recolhiam, assim como da carne dos animais selvagens que abatiam. •O facto dos alimentos serem de origem vegetal ou animal dependia do meio ambiente e do clima. Em certos períodos, foi a carne que desempenhou papel relevante.
  • 5. Ainda na Pré-Ainda na Pré- História...História...  Neste tipo de economia, que seNeste tipo de economia, que se baseava na recolecção, umbaseava na recolecção, um pequeno número de pessoaspequeno número de pessoas necessitava de um grandenecessitava de um grande espaço para caçar.espaço para caçar.  Há cerca de 10 000 anos, aHá cerca de 10 000 anos, a situação alterou-se, devido aosituação alterou-se, devido ao desenvolvimento da agricultura.desenvolvimento da agricultura.  Graças à agricultura e àGraças à agricultura e à pecuária, o Homem começou apecuária, o Homem começou a produzir os seus próprios bensproduzir os seus próprios bens alimentares.alimentares.
  • 6. E… desenvolveu-se aE… desenvolveu-se a agriculturaagricultura  A agricultura tornouA agricultura tornou o Homem maiso Homem mais sedentário e, comosedentário e, como tal, mais dependentetal, mais dependente das condições locais.das condições locais.
  • 7. Na época medieval…Na época medieval…  Por ocasião das secas, pragasPor ocasião das secas, pragas de gafanhotos e outrasde gafanhotos e outras catástrofes naturais, viveram-catástrofes naturais, viveram- se épocas de fome.se épocas de fome.  Isto aconteceu em muitasIsto aconteceu em muitas áreas da Europa.áreas da Europa.  Por exemplo, no último períodoPor exemplo, no último período da Idade Média, várias regiõesda Idade Média, várias regiões da Europa sofreram o flageloda Europa sofreram o flagelo da fome:da fome:  por um lado a populaçãopor um lado a população aumentava,aumentava,  por outro, a produção agrícolapor outro, a produção agrícola baixava,baixava,  inicia-se a migração para asinicia-se a migração para as cidades, onde se agravavam,cidades, onde se agravavam, ainda mais, as condições de vida.ainda mais, as condições de vida.
  • 8. No início da IdadeNo início da Idade ModernaModerna  No campo, em temposNo campo, em tempos normais, vivia-se de papasnormais, vivia-se de papas de cereais, leguminosas,de cereais, leguminosas, legumes, frutos secos elegumes, frutos secos e leite.leite.  A carne e o pão raramenteA carne e o pão raramente surgiam nas mesas,surgiam nas mesas, guardados, sobretudo paraguardados, sobretudo para as ocasiões festivas.as ocasiões festivas.  Apenas a burguesia podiaApenas a burguesia podia dar-se ao luxo de ter umadar-se ao luxo de ter uma alimentação mais rica ealimentação mais rica e variada.variada.
  • 9. Os Descobrimentos eOs Descobrimentos e as novas Culturasas novas Culturas  Da América e deDa América e de outros continentesoutros continentes vieram novas plantasvieram novas plantas
  • 10. Na Europa usam-seNa Europa usam-se novos alimentos…novos alimentos…  Devido a isto e àDevido a isto e à introdução da batata nointrodução da batata no séc. XVIII, a baseséc. XVIII, a base alimentar tornou-se maisalimentar tornou-se mais estável.estável.  No séc. XIX aumentouNo séc. XIX aumentou o cultivo de plantas deo cultivo de plantas de crescimento rápido ecrescimento rápido e originárias de outrosoriginárias de outros países ou de áreaspaíses ou de áreas geográficas diferentes.geográficas diferentes.
  • 11. Veio a industrializaçãoVeio a industrialização  A industrializaçãoA industrialização e ase as transformaçõestransformações sociais com elasociais com ela relacionadasrelacionadas alteraramalteraram radicalmente osradicalmente os hábitoshábitos alimentares.alimentares.
  • 12. Conservação dosConservação dos AlimentosAlimentos  Aos antigosAos antigos processos deprocessos de conservação - cozer,conservação - cozer, fumar, acidificar,fumar, acidificar, salgar e secar –salgar e secar –
  • 13. Conservação dosConservação dos Alimentos – novosAlimentos – novos processosprocessos  Aparecem novosAparecem novos processos deprocessos de conservação como oconservação como o de conservar emde conservar em lata, em recipienteslata, em recipientes de vidro ou no frio.de vidro ou no frio.
  • 14. Alteração no modo deAlteração no modo de cozinharcozinhar  As alterações dasAs alterações das condições de vidacondições de vida decorrentes dadecorrentes da industrialização e daindustrialização e da migração para asmigração para as cidades, do trabalhocidades, do trabalho feminino e a separaçãofeminino e a separação dos locais de trabalhodos locais de trabalho dos locais de habitação,dos locais de habitação, revolucionaram osrevolucionaram os hábitos alimentares.hábitos alimentares.
  • 15. Alimentação rápida eAlimentação rápida e barata – fast foodbarata – fast food  Cada vez a alimentaçãoCada vez a alimentação tinha que ser detinha que ser de confecção mais rápida econfecção mais rápida e económica.económica.  Por isso, foramPor isso, foram inventados os produtosinventados os produtos industriais como aindustriais como a margarina, as sopas demargarina, as sopas de pacote e os caldos depacote e os caldos de carne e muitos outros.carne e muitos outros.
  • 16. Os "pecados" doOs "pecados" do progressoprogresso  Com o decorrer dosCom o decorrer dos tempos, a alimentação ricatempos, a alimentação rica em vegetais, deu lugar aem vegetais, deu lugar a uma outra maisuma outra mais concentrada, rica emconcentrada, rica em açúcar, proteínas eaçúcar, proteínas e lípidos.lípidos.  Por outras palavras,Por outras palavras, comiam-se menoscomiam-se menos legumes e fruta, menoslegumes e fruta, menos pão escuro e menospão escuro e menos leguminosas.leguminosas.
  • 17. Os "pecados" doOs "pecados" do progressoprogresso  Em vez disso,Em vez disso, começaram acomeçaram a aparecer à mesaaparecer à mesa mais pastéis,mais pastéis, mais doces,mais doces, mais carne, maismais carne, mais fritos e assados.fritos e assados.
  • 18. Falta de ExercícioFalta de Exercício físicofísico  Entretanto, para muitos oEntretanto, para muitos o trabalho físico reduziu-se etrabalho físico reduziu-se e tornou-se mais leve. Astornou-se mais leve. As pessoas hoje mexem-sepessoas hoje mexem-se menos e comem mais pormenos e comem mais por apetite do que por fome.apetite do que por fome.  Nem a digestão nem oNem a digestão nem o metabolismo do Homemmetabolismo do Homem conseguiram adaptar-se, aconseguiram adaptar-se, a alterações tão radicais nosalterações tão radicais nos hábitos de vida, de trabalho ehábitos de vida, de trabalho e de alimentação.de alimentação.
  • 19. Alimentação em excessoAlimentação em excesso /pouco exercício físico/pouco exercício físico  Actualmente, sobretudoActualmente, sobretudo nos países maisnos países mais desenvolvidos, muitasdesenvolvidos, muitas pessoas continuam apessoas continuam a consumir cerca de 3000consumir cerca de 3000 kcal diárias, tal comokcal diárias, tal como acontecia no séculoacontecia no século passado, emborapassado, embora necessitem apenas denecessitem apenas de 2400 kcal.2400 kcal.
  • 20. Excesso de Peso/Excesso de Peso/ Carências alimentaresCarências alimentares  O excesso de energiaO excesso de energia fornecida pelosfornecida pelos açúcares, lípidos,açúcares, lípidos, amidos e até proteínas éamidos e até proteínas é acompanhado por umaacompanhado por uma carência de substânciascarência de substâncias essenciais, como é oessenciais, como é o caso das vitaminas, doscaso das vitaminas, dos minerais e das fibras,minerais e das fibras, que são destruídasque são destruídas quando é feita aquando é feita a refinação dos alimentos.refinação dos alimentos.
  • 21. Valor energético deValor energético de EmentasEmentas
  • 22. Alimentação SaudávelAlimentação Saudável  Saber escolherSaber escolher e preparar ose preparar os alimentos éalimentos é fundamentalfundamental para uma vidapara uma vida saudável esaudável e longa.longa.
  • 23. Dieta TradicionalDieta Tradicional PortuguesaPortuguesa  A dieta tradicional portuguesaA dieta tradicional portuguesa com característicascom características mediterrânicas está cheia demediterrânicas está cheia de pratos com alimentos quepratos com alimentos que dão saúde.dão saúde.  Sopas ricas em vegetais eSopas ricas em vegetais e feijão, carne em moderação,feijão, carne em moderação, peixe com frequência, tudopeixe com frequência, tudo temperado com azeite, ervastemperado com azeite, ervas aromáticas e alho, muita frutaaromáticas e alho, muita fruta e vegetais são os segredose vegetais são os segredos desta alimentaçãodesta alimentação verdadeiramente saudável.verdadeiramente saudável.
  • 24. A importância deA importância de legumes e frutoslegumes e frutos E hoje está provado queE hoje está provado que certos frutos e vegetaiscertos frutos e vegetais possuem substânciaspossuem substâncias antioxidantes e fitoquímicasantioxidantes e fitoquímicas que são agentes poderososque são agentes poderosos na protecção de doençasna protecção de doenças como o cancro, doençascomo o cancro, doenças cardiovasculares e outras.cardiovasculares e outras.
  • 25. Comer bem para viverComer bem para viver melhormelhor