Falácias Informais - Filosofia

860 visualizações

Publicada em

I.T.B. Prof.ª Maria Sylvia Chaluppe Mello
Tuma: Análises Clínicas - ACL2AM
2015
- Ambiguidade
- Contra o homem
- Acidente

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
860
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
186
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Falácias Informais - Filosofia

  1. 1. FALÁCIAS INFORMAIS • Contra o homem • Acidente • Ambiguidade
  2. 2. I.T.B. PROF.ª. MARIA SYLVIA CHALUPPE MELLO FALÁCIAS INFORMAIS • CONTRA O HOMEM • ACIDENTE • AMBIGUIDADE
  3. 3. FALÁCIA Vem do latim fallacia, que indica a característica ou propriedade de algo que é falaz, ou seja, engana ou ilude. Argumento logicamente inconsistente, sem fundamento, inválido ou falho na tentativa de provar o que se alega. Segundo Pedro Hispano (Papa João XXI) : “Falácia é a idoneidade fazendo crer que é aquilo que não é, mediante alguma visão fantástica, ou seja, aparência sem existência”. (p. 426). “É sofista, disse Platão, aquele que em sua disputa se compromete ao afirmar coisas contraditórias e com suas palavras engana de maneira maravilhosa seus ouvintes”. 03
  4. 4. FALÁCIA “A espécie imitativa e suscitadora de contradições da parte dissimuladora da arte baseada na opinião, pertencente ao gênero Imaginário que se prende à arte ilusória da produção de imagens, criação humana, não divina, desse malabarismo ilusório com palavras: quem afirmar que é de semelhante sangue e dessa estirpe que provém o verdadeiro sofista, só dirá, como parece, a pura verdade.” (O Sofista, p. 82) 04
  5. 5. FALÁCIA CONTRA O HOMEM Essa falácia consiste em referir-se ao oponente de forma pessoal e abusiva por meio de insultos e ataques verbais. Usamos como arma para desacreditar ou reduzir a força da argumentação de nosso adversário. Pensa-se que, ao se atacar a pessoa, pode-se enfraquecer ou anular sua argumentação. Ataca-se a pessoa que apresentou um argumento e não o argumento que apresentou. Tentam enfocar nossa atenção às pessoas ao invés de atermos aos argumentos ou às evidências. 05
  6. 6. FALÁCIA CONTRA O HOMEM João afirma que viu Pedro a cometer um crime. Mas toda a gente sabe que o João já esteve preso. Logo, o que o João afirma não é verdade. Neste caso, o ataque consiste em fazer lembrar que o opositor tem uma conduta que não corresponde às ideias que defende. Todos sabemos que o nobre deputado é um mentiroso e trapaceiro. Portanto, como podemos concordar com sua ideia de redução de impostos? Neste caso, é usado para atacar um deputado. Seu adversário afirma que o deputado é um mentiroso e trapaceiro, logo suas ações são desacreditadas. 06
  7. 7. "Eu não imaginei que o neto de Tancredo (Neves) teria tanto ódio. Ele não fala apenas que quer ganhar da Dilma, mas também que quer derrubar o PT, quer tirar a gente do país. Eu sinceramente fico pensando que esse rapaz deve ter problema. Ele é grosseiro. Jamais teria coragem de chamá-la de leviana e mentirosa. Por mais que eu não suportasse ela. Essas coisas vem de berço, a gente não aprende na universidade”. (Lula) 07 http://www.humorpolitico.com.br/tag/cartoon/
  8. 8. FILME: 12 HOMENS E UMA SENTENÇA 12 Angry Men (br: Doze Homens e uma Sentença — pt: Doze Homens em Fúria) é um filme estadunidense de 1957 dirigido por Sidney Lumet. Não quer que acreditemos no rapaz, sabendo o que ele é. Convivi com eles a vida toda. Não se pode acreditar em nada que dizem. Sabem disso. Já nascem mentirosos. Sabem como essa gente mente! Já é uma coisa nata. Que diabos! Não preciso dizer. Eles não sabem o que é verdade. E não precisam de motivo para matar alguém. Não, senhor! […] Ninguém os está culpando. É o modo como são. Entende? Não acho que o tipo de rapaz importe. Os fatos é que determinam o caso. 08 http://omeubau.net/ad-hominem/
  9. 9. 09
  10. 10. 10
  11. 11. EXEMPLO "Como alguém pode ir a tribuna defender a corrupção, se se nega a assinar uma assinatura para o senado mostrar a nação brasileira que está querendo apurar e combater a corrupção nesse país?” O Senador não defende a corrupção. Mas o Senador se nega a assinar a CPI da corrupção. Logo, não podemos concordar com as ideias do Senador, nem confiar nele. 11
  12. 12. FALÁCIA DE ACIDENTE Trata-se de querer aplicar uma regra geral a todos os casos, ignorando as exceções. Uma generalização apressada ocorre quando uma regra geral é aplicada à uma situação particular, mas as características dessa situação particular significam que a regra é inaplicável. É o erro feito quando você vai do geral ao específico. 12
  13. 13. FALÁCIA DE ACIDENTE Ao soldado é permitido matar em tempos de guerra. O soldado X matou sua esposa durante a guerra. O soldado X não pode ser acusado de crime. Generalização indevida. Cristãos geralmente não gostam de ateus. Você é um cristão, então você não deve gostar de ateus. Essa falácia é muitas vezes cometida por pessoas que tentam decidir questões morais ou legais ao aplicar mecanicamente regras gerais. 13
  14. 14. http://pt.slideshare.net/heliacmc/falcias-31999206 14
  15. 15. 15
  16. 16. EXEMPLO Geralmente, o bem é maior que o mal. Pela pesquisa, 42319 pessoas acreditam em Deus e 1672 não acreditam em Deus. Se o bem é a maioria, logo, toda pessoa que acredita em Deus é boa e toda pessoa que não acredita em Deus é má. 16
  17. 17. FALÁCIA DE AMBIGUIDADE São falácias geradas pela falta de clareza no uso de uma frase ou palavra. O mesmo termo é usado em dois sentidos diferentes. (Equívoco) A estrutura de uma frase permite duas interpretações diferentes. (Anfibologia) Sugere um sentido diferente daquele que de fato é enunciado. (Ênfase) 17
  18. 18. FALÁCIA DE AMBIGUIDADE Para ser grande ou pequeno um objeto tem, primeiro, de ser. Logo, o ser do objeto surgiu primeiro. Jogo com os significados lógico e físico de "ser”. Os assassinos de crianças são desumanos. Portanto, os humanos não matam crianças. Joga-se com os significados das palavras. A palavra "humanos" possui vários sentidos, pode ser um tipo de primata (sentido biológico) ou uma boa pessoa (sentido moral), mas a falácia usa a palavra sem considerar a diferença de sentido. 18
  19. 19. http://f5.folha.uol.com.br/televisao/1015546-fatima-abandona- bonner-e-vai-fazer-programa-brinca-jornal-carioca.shtml http://pt.slideshare.net/heliacmc/falcias-31999206 www.analisedetextos.com.br 19
  20. 20. 20 http://pt.slideshare.net/heliacmc/falcias-31999206
  21. 21. REVISÃO Dedução Indução por analogia Indução incompleta Falácias
  22. 22. REVISÃO - FALÁCIAS Aline apresentar de maneira eloquente e convincente uma possível reforma do sistema de cobrança do condomínio. Samuel pergunta aos presentes se eles deveriam mesmo acreditar em qualquer coisa dita por uma mulher que não é casada e já foi presa. Tratamento não cura câncer do paciente Y. Paciente Z com câncer recebeu tratamento e não se curou. Logo, Tratamento não cura câncer. Acidente Contra o homemAmbiguidade Em um julgamento, o advogado concorda que o crime foi desumano. Logo, tenta convencer o júri de que o seu cliente não é humano por ter cometido tal crime, e não deve ser julgado como um humano normal. Ambiguidade Criminalidade é ilegalidade. O julgamento de um roubo ou assassinato são ações criminais. Os julgamentos de roubos e assassinatos são designados de ações criminais. Logo, os julgamentos de roubos e assassinatos são ilegais. 22
  23. 23. REVISÃO - FALÁCIAS Acidente Contra o homem Ambiguidade Você é um bêbado e não tem emprego! Ninguém pode acreditar em você! A maior parte dos políticos é corrupto. Então, toda a política é corrupta! 23
  24. 24. REVISÃO Todo metal é dilatado pelo calor. Ora, a prata é um metal. Logo, a prata é dilatada pelo calor. Somente o homem é um animal racional. Nenhuma mulher é homem, portanto, nenhuma mulher é racional. Li um livro muito bom do José de Alencar. Vou ler outro desse autor, pois deve ser igualmente bom. Pedro joga basquetebol e é alto, assim como Carlos e Leonardo. Portanto, todo jogador de basquetebol é alto. Dedução Indução incompletaIndução por analogiaFalácia 24
  25. 25. BIBLIOGRAFIA FALÁCIA. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2015. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Fal%C3%A1cia &oldid=42979533>. Acesso em: 8 ago. 2015.  FALÁCIAS. In: PUC-RS. Disponível em: <http://www.pucrs.br/gpt/falacias.php>. Acesso em:8 ago. 2015.  GUIA DE FALÁCIAS – STEPHEN. Publicado em 2002. Disponível em: < http://www.str.com.br/Scientia/falacias2.htm>. Acesso em 8 ago. 2015. 25
  26. 26. BIBLIOGRAFIA  GUIA DE FALÁCIAS - STEPHEN DOWNES. In: UFPR. Disponível em: <http://www.lemma.ufpr.br/wiki/images/5/5c/Falacias.pdf >. Acesso em: 8 ago. 2015. FALÁCIAS. In: UFF. Disponível em: < http://www.uff.br/lecha/Falacias.pdf >. Acesso em: 8 ago.2015. LÓGICA E FALÁCIAS. In: Martins Fontes Paulista . Disponível em:<http://www.martinsfontespaulista.com.br/anexos/prod utos/capitulos/248209.pdf >. Acesso em : 8 ago.2015. 26
  27. 27. BIBLIOGRAFIA  O AMOR É UMA FALÁCIA. In: Cella. Disponível em: <http://www.cella.com.br/conteudo/conteudo_99.pdf >. Acesso em 8.ago.2015.  ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. MARTINS, Maria Helena Pires. FILOSOFANDO –Introdução à Filosofia. 4ª Edição. São Paulo, 2009. NOÇÕES ELEMENTARES DA LÓGICA. In: UOL Educação. Disponível em : < http://educacao.uol.com.br/disciplinas/matematica/deduca o-e-inducao-nocoes-elementares-de-logica.htm >.Acesso em 9. ago.2015. 27
  28. 28. BIBLIOGRAFIA  PLATÃO. O Sofista. Versão eBook, 2003. Disponível em: < http://lelivros.red/book/download-o-sofista-platao-em- epub-mobi-e-pdf/ >. Acesso em 9.ago.2015.  FALÁCIAS. Fevereiro, 2015. Disponível em: <http://www.resistenciaapologetica.com/2015/02/falacias. html >. Acesso em 9.ago.2015. QUESTÕES COMENTADAS. Março, 2014. Disponível em: http://www.revista.vestibular.uerj.br/questao/questao- objetiva.php?seq_questao=1321>. Acesso em 9.ago.2015 FALÁCIA AD HOMINEM. Novembro, 2012. Disponível em: http://omeubau.net/ad-hominem/ >. Acesso em 9.ago.2015. 28
  29. 29. BIBLIOGRAFIA  Vídeo: Datena - Ateus não prestam. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=5FvWc6T-qk0 >. Acesso em 09.ago.2015. Vídeo: Debate no Senado. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=3t1ucQV6W10 >. Acesso em 09.ago.2015. 29
  30. 30. DIVISÃO  1- 4 Ângela  5 – 6 Mylena  7 – 11 Samantha  12 – 16 – Fernanda  17 – 20 – Eduardo  21 – 24 – Felipe 30
  31. 31. Filosofia – Prof.ª Franco FALÁCIAS

×