Pape 3 -_concepcoes_alternativas

469 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
469
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pape 3 -_concepcoes_alternativas

  1. 1. Biologia • células são redondas • todas as células têm o mesmo tamanho • as plantas respiram CO2 e libertam O2 3 - Concepções Alternativas • o solo é o alimento das plantas • as plantas transformam a água em alimento • apenas algumas partes do corpo são formadas Perspectivas Atuais do Ensino por células de Matemática e Ciências • os genes são encontrados apenas no sistema reprodutivo • a evolução terminou com o homem11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 1/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 2/79 Química Física• os átomos são menos estáveis que seus íons • se não há movimento, não há força• os elétrons retornam a seus próprios átomos • a gravidade é o resultado da pressão do ar quando uma ligação se quebra • uma mesa não exerce forças sobre um livro• a fumaça não deriva da substância sendo deitado sobre ela queimada • a luz de uma vela não vai tão longe quanto a do• a reação inversa só começa depois que a direta Sol acaba • a energia é consumida pelos elementos de um• as reações químicas são estáticas circuito• no equilíbrio, as concentrações dos reagentes • no verão, a Terra está mais próxima do Sol do são iguais às dos produtos que no inverno11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 3/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 4/79 Matemática• dividir sempre diminui e multiplicar sempre aumenta• não se pode dividir um número menor por Teste Conceitual de Força um maior• frações são apenas partes de alguma coisa• frações não são números• frações são compostas por dois números inteiros11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 5/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 6/79 1
  2. 2. Teste Conceitual de Força Force Concept Inventory • Uma grande caixa está sendo empurrada sobre o chão• problemas do dia a dia a velocidade constante. O que se pode concluir sobre as forças agindo sobre a caixa?• responder sem usar fórmulas a) Se a força aplicada à caixa é dobrada, a velocidade constante da caixa aumentará para o dobro;• usar apenas o bom senso b) A força aplicada à caixa para movê-la a velocidade constante tem ser maior que o seu peso; c) A força aplicada à caixa para movê-la a velocidade constante tem de ser igual às forças de atrito que resistem ao seu movimento; d) A força aplicada à caixa para movê-la a velocidade constante tem de ser maior que as forças de atrito que resistem ao seu movimento; e) Há uma força aplicada à caixa para movê-la mas forças externas tais como as de atrito não são forças «reais», simplesmente resistem ao movimento.11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 7/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 8/79 Force Concept Inventory CA’s em adultos• Se a força aplicada à caixa no problema anterior é subitamente retirada, a caixa irá: a) parar imediatamente; b) continuar a velocidade constante por um período muito curto de tempo e em seguida reduzir a velocidade até parar; c) começar imediatamente a reduzir a velocidade até parar; d) continuar a velocidade constante; e) aumentar a sua velocidade por um período muito curto de tempo e em seguida começar a reduzir a velocidade até parar.11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 9/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 10/79 Conceitos Físicos Física intuitiva• massa, força, luz, eletricidade, etc. • concepções alternativas (misconceptions• apesar de quotidianos, não são simples = concepções errôneas)• têm longa evolução histórica, ontológica e epistemológica • semelhança com concepções pré-• já foram identificadas muitas concepções Newtonianas: alternativas associadas a cada um deles – Física Aristotélica – Física de Filipon – Teoria do impetus (~impulso) (Buridan)11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 11/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 12/79 2
  3. 3. CA’s e sua resistência Mudança conceitual?• CA’s são úteis na descrição do dia a dia • concepções espontâneas não ‘evoluem’ para o conhecimento científico através da• dificuldade em se aceitar errado ‘mudança conceitual’ de Posner et al. (1982)• ⇒ dificuldade em se conseguir a mudança conceitual • são estáveis, resistem à mudança e coexistem com outras representações, inclusive com as do mundo científico11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 13/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 14/79 Formação histórica dos Formação histórica dos conceitos físicos conceitos físicos• “Concepções cientificas, embora • “Em nosso presente sistema de instrução acadêmica, uma discussão profunda e crítica freqüentemente resultado da intuição dos conceitos fundamentais e aparentemente espontânea, tendem a ser moldadas, simples é conscientemente omitida. A análise histórico-crítica das concepções básicas em tanto quanto possível, em analogia com ciências é, portanto, de primordial importância, as concepções da experiência diária.” não apenas para o filósofo profissional ou para o historiador das ciências” (JAMMER, 1957) (JAMMER, 1999, p. vii)11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 15/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 16/79 Psicogênese (Piaget)• período histórico ↔ estádio psicogenético• 1ª fase: Aristóteles A Física Aristotélica – pseudo-necessidades, animismo, finalismo, primado do sensorial, egocentrismo, (384-322 a.C.) centração nos atributos, indiferenciação dos conceitos, contradições• 4ª fase: Newton – transformações reversíveis, explicações causais, estruturação dos conceitos num sistema11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 17/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 18/79 3
  4. 4. A Física Aristotélica A Física Aristotélica• movimentos naturais: • movimento (efeito) ⇒ causa (força) – um “imponderável” tende • ↑ Fogo para o céu • os seres animados e os corpos celestes • ↑ Ar – um “grave” tende para o teriam um “motor próprio” seu “lugar natural”, a terra • ↓ Água • Aristóteles deduziu que os corpos mais• movimentos forçados: • ↓ Terra pesados caem mais depressa – um “motor externo” retira o corpo do seu “lugar natural” • p/ movimento oblíquo: autoperistasis11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 19/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 20/79 A Física Aristotélica Queda dos corpos• movimento impossível no vazio: falta de • “um corpo duas vezes mais pesado cairá referencial da mesma altura na metade do tempo”• no vazio, os corpos cairiam à mesma velocidade ⇒ não há vazio (!) • “Se dois corpos forem amarrados, a• movimento (efeito) ⇒ causa (força) velocidade de queda do combinado será a soma das velocidades de cada um• Lei da Dinâmica: F = p·v separadamente”11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 21/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 22/79 Queda dos corpos Concepções alternativas• “um corpo duas vezes mais pesado cairá • força durante o da mesma altura na metade do tempo” movimento? (impulso?)• “se dois corpos forem amarrados, a • impulso circular velocidade de queda do combinado será a ? • mais pesado cai mais soma das velocidades de cada um depressa separadamente” P11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 23/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 24/79 4
  5. 5. A Física Aristotélica Física• Dominou o pensamento científico até o Medieval século !11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 25/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 26/79 Teoria do impetus• impressão de um poder de auto- movimento O Conceito de Massa• a) impetus• b) impetus × gravidade• c) gravidade11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 27/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 28/79 O conceito de massa O conceito de matéria• derivado através do latim ‘massa’ do • derivado do latim ‘materiæ’, que designa a grego µαζα, significando pasta informe e parte dura do tronco das árvores, como que se relaciona com µασσειν, amassar material de construção uma pasta• derivadas: ‘amassar’, ‘macerar’, ‘massa bruta’, ‘massudo’, ‘maciço’, ‘massificar’, ‘massacre’, ‘em massa’, etc.11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 29/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 30/79 5
  6. 6. Ontologias de massa A reunificação na Relatividade Geral• medida da quantidade de matéria • elevador de Einstein: peso ou aceleração? • experimentos de Eötvös: mi = mg à• carga do campo gravitacional em precisão de 1:1010 p = mg⋅g ou em F = G mg M/r2 • princípio de equivalência: mi º mg • Relatividade Geral: massa º curvatura do• coeficiente de inércia em F = mi⋅a espaço11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 31/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 32/79 O conceito de peso • Porque as coisas caem? • pesquisa de Mariano Gago com adultos: O conceito de peso – P: porque um pássaro voa e não cai? – R: “porque é naturalmente leve.” “porque Deus Nosso Senhor o fez assim, porque tem a constituição própria para voar, porque senão não era pássaro, era peixe ou outra coisa qualquer!”11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 33/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 34/79 O Peso e a Gravidade O conceito de peso• Porque a pedra não cai quando está sobre a • pesar: avaliar, comparar, ponderar mesa? • grave: pesado, sério• O que mantém a Lua em órbita? • derivadas: grávida, situação grave,• Porque o astronauta não sente peso quando em órbita da Terra? pesadelo, pêsames,• Qual é a sensação quando se desce a • ‘weight’ (peso, carga) ‘wagon’ montanha russa? (carruagem), ‘Waage’ (balança)• Qual é a sensação do pára-quedista enquanto • peso: esforço para levantar um objeto do não abre o pára-quedas? chão e carregá-lo • tire-se-nos o apoio e não sentimos peso!11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 35/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 36/79 6
  7. 7. O Conceito de Peso II O Peso como um Vetor• “A maioria dos físicos quando fala de peso • “Muitos autores não consideram o peso como uma quantidade vetorial. está a referir-se à força gravitacional • Há dificuldade em compreender a variação do exercida pela Terra sobre o objeto. peso com a localização, quanto mais a variação Entretanto, outros consideram peso como da direção • Tornaria mais claro incluir na mesma discussão a força que é exercida pelo objeto sobre o a variação da magnitude e direção do peso prato da balança.” • Considerar a direção do prumo como a direção da ‘força gravitacional aparente’.” (IONA, Mario, The Meaning of Weight, Phys. Teach. (IONA, Mario, The Meaning of Weight, Phys. Teach. 13(5):263-274, 05/1995, p. 265.) 13(5):263-274, 05/1995, P. 271.)11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 37/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 38/79 Peso ou Massa? Laboratório• “Vigilantes do peso” • experimentos paradoxais• Pesos de balança• Imponderabilidade • conflito cognitivo entre o que se vê e o• Cargas de caminhões que se “sabe”• Compras a peso• Mochilas • NÃO FUNCIONOU!• Peso líquido de contentores” (IONA, Mario, The Meaning of Weight, Phys. Teach. 13(5):263-274, 05/1995, Pp. 264-5.)11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 39/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 40/79 Laboratório Evolução Conceitual• equipamento muito • Moreira & Greca (2003) distante da realidade• dicotomia: – Física do laboratório (teoria: não funciona) – Física do mundo real (prática: não explica)11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 41/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 42/79 7
  8. 8. O Perfil Conceitual • Mortimer (1995): a partir do Perfil Epistemológico de Bachelard (1940) • útil para compreender a coexistência simultânea Perfil Conceitual dessas diferentes visões da realidade num mesmo indivíduo • instrumento para acompanhar a evolução conceitual dos alunos em sala de aula • a consciência por parte do estudante do seu próprio perfil conceitual é relevante para que possa utilizar as suas diferentes visões de realidade nos contextos adequados11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 43/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 44/79 Perfil conceitual Características • as pessoas têm formas diferentes de ver e representar a realidade à sua volta • as zonas contém categorias de análise com poder explanatório crescente • para além das características epistemológicas, as zonas do perfil conceitual distinguem-se também por características ontológicas,11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 45/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 46/79 Perfis já construídos Metodologia• Química: reações químicas, átomo, • estudo da evolução histórica e estados físicos dos materiais, calor, epistemológica do conceito espontaneidade, transformação e energia • levantamento bibliográfico das• Bioquímica: energia concepções alternativas• Matemática: função, fração • reinterpretação à luz da noção de perfil• Física: periodicidade, radiação, massa, • identificação das categorias do perfil força, luz, energia • pesquisa prática: validação do perfil11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 47/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 48/79 8
  9. 9. Formação histórica Perfil conceitual de massa• Os conceitos do pensamento pré-científico comum são, • I: noção vaga, sensorial, indiferenciada de eles mesmos, o resultado do desmembramento arbitrário do coerente e contínuo substrato da volume, pré-teórica, sem relação com experiência sensória. A Ciência como uma atividade referencial teórico, indistinta de peso; técnica nunca tenta, propositadamente, separar-se a si própria das concepções formadas pela experiência peso como propriedade geral da matéria, cotidiana. Ao contrário, concepções cientificas, embora usado também como medida grosseira de freqüentemente resultado da intuição espontânea, tendem a ser moldadas, tanto quanto possível, em quantidade de matéria, embora como analogia com as concepções da experiência diária. quantidade não conservada; (JAMMER, 1957)11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 49/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 50/79 Perfil conceitual de massa Perfil conceitual de massa• II: início da distinção entre peso e massa; • III: massa distinta de peso mas proporcional a massa como conceito realista, mais este e fonte do fluxo de força gravitacional; empírico que lógico, medida pela balança, massa definida em termos da densidade e medida da quantidade de matéria; correlacionada à força e à aceleração; identificação de massa com outras definições relacionais entre grandezas massa, quantidades; inércia, impetus, calor, frio e peso, força e aceleração, estruturadas num secura proporcionais ao peso ou à “sistema nocional”; quantidade de matéria; falsas relações • IV: massa relativística, não mais absoluta mas entre o peso do corpo e seu tempo de dependente da velocidade, congênere a queda; energia;11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 51/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 52/79 Perfil conceitual de massa Perfis individuais• V: massa dualista na Mecânica Quântica • perfil do conceito de Relativística, com a antimatéria; massa• VI: massa como singularidade na métrica do espaço-tempo, relacionada à curvatura • alunos da cadeira de Física I (engenharias do espaço e definida a partir dos tensores e licenciaturas) da momento-energia e de curvatura; massa ULBRA/Canoas inercial igual à massa gravitacional.11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 53/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 54/79 9
  10. 10. Concepções alternativas • movimento implica em força • maior força determina • velocidade proporcional à movimento força aplicada • última força a agir O conceito de força • aceleração implica em aumento de força determina movimento • maior massa implica maior • compromisso de forças força determina movimento11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 55/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 56/79 Concepções alternativas Força• obstáculos não • impulso circular • Agentes mecânicos: exercem força • onde não há ar, não – força muscular,• somente agentes há gravidade – gravidade, ativos exercem força • gravidade aumenta – vento,• agente mais ativo com a altura – fluxo das águas produz maior força11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 57/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 58/79 Força Força como interação• latim ‘fortis’: bom, útil, honesto, virtuoso, • “Uma força é uma extremidade de uma valente, vigoroso, robusto, com saúde, interação; a interação acontece entre dois poderoso, enérgico, rico corpos, atuando com a mesma intensidade em direções opostas.”• sânscrito ‘dher’: assegurar, fortalecer, consolidar, firme, sólido, com firmeza, (HELLINGMAN, Cornelis, Newton’s Third Law agarrar, apoderar-se, tomar, prender, ter, Revisited, Phys. Educ. 27(2):112-115, 03/1992, p. 115.) dominar, obter, dirigir11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 59/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 60/79 10
  11. 11. Forças mais comuns Tipos de força• Peso • Gravitacional • de ação à distancia,• Normal • Eletromagnética • de contacto,• Tensão • Forte (núcleo) • de atrito (dissipativas),• Atrito • Fraca (decaimento β) • impulsivas,• Elétrica • 5ª (???)• Magnética • etc.11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 61/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 62/79 Formação histórica Perfil do conceito de força• Tomado originalmente em analogia com o poder humano de vontade, influência espiritual ou esforço muscular, o conceito de força foi projetado nos objetos inanimados como um poder residindo em coisas físicas. [...] O conceito de força tornou-se instrumental para a definição de ‘massa’, que por sua vez deu origem à definição de ‘momento’. Subseqüentemente, a Mecânica Clássica redefiniu o conceito de força como a taxa de variação temporal da mudança do momento, excluindo portanto todos os vestígios animísticos das definições anteriores. Finalmente, ‘força’ tornou-se uma noção puramente relacional, quase pronta para ser eliminada de toda a construção conceitual. (JAMMER, 1957)11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 63/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 64/79 Implicações pedagógicas • reconstrução da ciência a partir de níveis pré-lógicos Conclusões • aceleração da criança por comparação com a História da Ciência • necessária atenção à pré-lógica infantil • importância do construtivismo e da História da Ciência no ensino11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 65/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 66/79 11
  12. 12. Conclusões Conclusões• a noção de força e a evolução do • perfil conceitual: instrumento para aceder homem representações dos alunos sobre conceitos em – formas sinônimas (esforço, trabalho, energia) ciências – estratégias de ensino para que os – fortalecimento das idéias prévias dos alunos evoluam para uma noção conceitual estudantes. científica. • importância da tomada de consciência pelo estudante de seu perfil conceitual e o domínio• análise histórica: identificação das zonas do significado de conceitos em ciências, por representativas do perfil conceitual de profissionais da área. força (etapa prévia).11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 67/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 68/79 Referências • POSNER, George J.; STRIKE, Kenneth A.; HEWSON, Peter W. & GERTZOG, W.A. Accommodation of a scientific conception: Referências toward a theory of conceptual change. Science Education, v. 66, n. 2, pp. 211-227, abr. 1982. • http://ideasprevias.cinstrum.unam.mx:2048/ • MORTIMER, Eduardo Fleury. Construtivismo, Mudança Conceitual e Ensino de Ciências: Para Onde Vamos?. Investigações em Ensino de Ciências, v. 1, n. 1, pp. 20-39, 4/1996.11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 69/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 70/79 Referências Referências• MORTIMER, Eduardo Fleury. Conceptual • Perfil conceitual. In: Wikipédia : a enciclopédia livre Change or Conceptual Profile Change? • GRAÇA, Valéria R. ; SANTOS, Renato P. dos. A Science & Education, vol. 4, n. 3, utilização da História da Física como pp. 265-287, 1995. Metodologia de Trabalho. In Atas do XVI• MOREIRA, Marco Antônio & GRECA, Simpósio Nacional de Ensino de Física, 2005, Rio de Janeiro, RJ. São Paulo, SP : SBF, 2005. Ileana Maria. Cambio conceptual: análisis • PETRY, Priscila Gabriele; SANTOS, Renato P. crítico y propuestas a la luz de la teoria del dos. Evolução conceitual em frações com o uso aprendizaje significativo. Ciência e de Simulações Computacionais. In Atas do IV Educação, v. 9, n. 2, p. 301-315, 2003. CIEM - Congresso Internacional de Ensino da Matemática. Canoas, RS : ULBRA, 200711-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 71/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 72/79 12
  13. 13. Referências Referências• DRUZIAN, Aline Cesar; RADÉ, Tane; SANTOS, • RADÉ, Tane; SANTOS, Renato P. dos. Uma Renato P. dos. Uma proposta de Perfil proposta de Perfil Conceitual para o conceito de Conceitual para os conceitos de luz e visão. In Força. In Atas do V ENPEC - Encontro Nacional Atas do VI ENPEC - Encontro Nacional de de Pesquisa em Educação de Ciências, Bauru, Pesquisa em Educação de Ciências. SP : ABRAPEC, 2005 Florianópolis : ABRAPEC, 2007• GUABIRABA, Semíramis C. S.; SANTOS, • SANTOS, Renato P. dos. Uma Proposta para o Renato P. dos. Sobre a formação do conceito de Perfil Conceitual do Conceito de Massa na fração numa perspectiva histórico-crítica. In Atas Física. Atas do IX EPEF – Encontro de Pesquisa do IV CIEM - Congresso Internacional de Ensino em Ensino de Ciências, Jaboticatubas, MG, da Matemática. Canoas, RS : ULBRA, 2007 SBF, 26 a 29 de outubro de 2004.11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 73/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 74/79 Referências Referências• MORTIMER, Eduardo Fleury & AMARAL, • SCHNETZLER, Roseli Pacheco; ROSA, M. I. P. Edenia Maria Ribeiro. Uma Proposta de Perfil S. Perfil epistemológico de Bachelard e a noção Conceitual para o Conceito de Calor. Revista de perfil conceitual para transformação química, Brasileira de Pesquisa em Educação em in 20ª Reunião Anual da SBQ, 1997, Poços de Ciências, v. 1, n. 3, pp. 5-18, 2001. Caldas. v.3. p.3, 1997• AMARAL, Edenia Maria Ribeiro & MORTIMER, Eduardo Fleury. Conceptual profile of • MICHINEL, José Luís, ALMEIDA, Maria José spontaneinity and the teaching of Pereira Monteiro. O Funcionamento da Leitura Thermochemistry. in 6th European Conference de Textos Divergentes Referentes a Energia: on Research in Chemical Education e 2nd Perfil conceitual de Estudantes de Física. in VII European Conference on Chemical Education, Encontro de Pesquisa em Ensino de Física, Aveiro, 2001. 2000, Florianópolis - SC. São Paulo:SBF, 2000.11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 75/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 76/79 Referências Referências• OLIVEIRA, Gabriel Aguiar; SOUSA, Cristiane • COUTINHO, Francisco Ângelo. O Perfil R.; DA POIAN, Andrea T. & LUZ, Mauricio Conceitual do Conceito de Vida. Tese de Roberto Motta Pinto. Students misconceptions Doutorado (Educação) - Universidade Federal on Energy Yielding Metabolism: Glucose as the de Minas Gerais, 2002. sole metabolic fuel. Advances in Physiology Education. v. 1, 2003. • GOBARA, Shirley Takeco. Profil conceptuel et• CARRIÃO, A. A aquisição do conceito de Situation-problème. Une contribuition à lanalyse função: perfil das imagens produzidas pelos de lapprentissage de la périodicité en Physique, alunos. in: II Encontro Brasileiro de Estudantes Tese de Doutorado, Université Claude Bernarde de Pós-Graduação em Educação Matemática, Lyon I, LYON I, Lyon, França, 1999. 1998, Rio Claro, 1998, p. 99-10311-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 77/79 11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 78/79 13
  14. 14. Referências• ZAÏANE, Najoua. Conceptual profile of pupils and students of the radiation, Proceedings of the 4th ESERA Conference, Noordwijkerhout, Holanda, 2003.• REZENDE, Flávia & BARROS, Susana de Souza. Teoria Aristotélica, Teoria do Impetus ou Teoria Nenhuma. Disponível em <http://www.fc.unesp.br/abrapec/revistas/v1n1a 4.pdf>11-jun-2011 © www.fisica-interessante.com 79/79 14

×