SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Baixar para ler offline
2 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO

                                                     Pensamento                                                           Jorge Haddad
DIÁRIO DA REGIÃO
                                                 O afeto que damos nos eleva, nos
                                                                                                                                                         13 Hamilton Pavam

                                                 alegra, nos faz avançar nos caminhos
                                                 da evolução, nos descarrega de
                                                 tensões, nos põe acima das
                                                 depressões... Passe a dar aos demais
                                                 algo de sua capacidade genuína de
 Editor-chefe                                    amar, e comece a sentir alegria
 Fabrício Carareto                               genuína. Pedir seja o que for é
 fabricio.carareto@diarioweb.com.br
                                                 mendicância. Ressentir-se com o não
 Editora-executiva
 Rita Magalhães                                  receber é dependência. Quando se
 rita.magalhaes@diarioweb.com.br
                                                 trata de pedir afeto é que a
 Coordenação                                     mendicância e a dependência se
 Ligia Ottoboni
 ligia.ottoboni@diarioweb.com.br                 tornam mais dolorosas.
 Editor de Bem-Estar e TV
 Igor Galante                                    Trecho do livro “Amor universal - Sabedoria de Hermógenes” (Nova Era)    Pediatra fala de febre em crianças. A
 igor.galante@diarioweb.com.br
                                                                                                                          elevação da temperatura corporal, em
 Editora de Turismo                                                                                                       alguns casos, é uma resposta positiva
 Cecília Demian
 cecilia.demian@diarioweb.com.br                     Editorial                                                            do organismo em defesa do corpo
 Editor de Arte
 César A. Belisário

                                                                                                                          Televisão
                                                                                                                                                         16
 cesar.belisario@diarioweb.com.br




                                                 EMOÇÕES
 Pesquisa de fotos
 Mara Lúcia de Sousa

 Diagramação                                                                                                                                          TV Cultura/Divulgação
 Cristiane Magalhães




                                                 SERENAS
 Tratamento de Imagens
 Luciana Nardelli e Luis Antonio

 Matérias
 Agência Estado
 Agência O Globo
 TV Press
                                                    A reportagem de capa desta edição, “Alma romântica”,
                                                 escrita pela jornalista Gisele Bortoleto, fala da importância
                                                 de o ser humano resgatar sua capacidade de se emocionar.
                                                 O texto usa como uma de suas bases o livro “O Culto da
                                                 Emoção”, do filósofo francês Michel Lacroix, segundo o
                                                 qual as emoções, hoje, neste mundo movido à velocidade,
                                                 só nos são arrancadas por “imagens de tirar o fôlego”.
                                                 Como se para sentir alguma coisa fosse necessário ir ao
                                                 limite. Estaríamos perdendo nossa capacidade de sentir                   Apresentadora da TV Cultura Adriana
                                                 emoções serenas, diante do simples, do singelo. Perdendo                 Couto fala sobre sua carreira e os
                                                 assim a própria dimensão espiritual da vida. “É de lirismo               25 anos do programa “Metrópolis”
                                                 verdadeiro que precisamos, não de adrenalina”, diz Lacroix.
                                                                                                                          Turismo
                                                 COMPORTAMENTO
                                                 Padrões de rotina associada a uma vida levada no “piloto automático”
                                                                                                                                                         24
                                                                                                                                                 Agência O Globo/Divulgação


                                                 conseguem ser quebrados com mudança de atitude e novos
                                                 pensamentos Páginas 6 e 7
                                                 COMPROMETIMENTO
                                                 Tudo aquilo que você prometeu fazer na virada do ano ainda está
                                                 pendente? Saiba que ainda há tempo de salvar as resoluções para
                                                 2013 Páginas 8 e 9
                                                 SENTIMENTO
                                                 Especialistas no comportamento humano esclarecem as diferenças
                                                 entre tristeza e depressão. Muitas vezes, estar triste é sinal de boa
                                                 saúde mental Páginas 10 e 11
                                                 FAMÍLIA
                                                 Novela traz à tona o tema da alienação parental, quando pai e mãe
                                                 separados usam o filho para atacar o outro. Entenda a prática e porque   Bali - terra dos templos e maravilhosas
                                                 ela é considerada crime Página 12                                        praias, na Indonésia
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 3

Espiritualidade




Para ter tudo
na vida                                                          Quando entendermos que cuidar dos outros
                                                                 traz muito mais benefícios para nós,
                                                                 podemos começar a nos doar sem limites


       Um grande sábio kabalista foi desa-      mento. É um grande paradoxo, mas um           do de consciência podemos transcender
   fiado certa vez a explicar todos os segre-   poderoso princípio espiritual: seja uma       nossos medos, dores e problemas. Não
   dos da Bíblia enquanto pudesse manter-       Ferrari novinha ou um ombro para cho-         existe fim para o que a partilha pode fa-
   se equilibrado sobre apenas uma perna.       rar, muito mais do que aquele que rece-       zer por nós, pois ela nos conecta com a
   Sem hesitar, ele levantou um de seus         be, o maior beneficiado do ato de com-        fonte das bênçãos infinitas.
   pés do chão e disse: “Ame o próximo co-      partilhar é quem o pratica, porque este           Quando entendermos que cuidar
   mo a ti mesmo. O resto é comentário”.        acaba criando uma proximidade com o           dos outros traz muito mais benefícios
       Essa frase espiritual contém não ape-    Criador. Afinal, trata-se de uma força in-    para nós, podemos começar a nos doar
                                                finita de doação incondicional, de            sem limites, sem precisarmos de algo
   nas todos os segredos da Bíblia, mas do      amor, de inspiração, de paz de espírito e     em troca – porque sabemos que obte-
   Universo inteiro. Na verdade, é nossa        tudo o que há de bom.                         mos nada mais do que tudo.
   passagem – apenas de ida – para toda ale-        Quando estamos conectados com o               Compartilhar e se importar com os
   gria e plenitude que o Criador quer que      Criador, elevamos nossa consciência a         outros não se trata de ser uma pessoa le-
   sintamos.                                    um patamar no qual podemos alcançar           gal, nem mesmo de sustentar um precei-
       A grande questão é que não nos da-       a realização plena. Ao nos doarmos in-        to religioso ou princípio espiritual. I
   mos conta de que, na realidade, somos        condicionalmente, estamos, por defini-            Trata-se de como obter absoluta-
   os maiores beneficiados desse ensina-        ção, livres do ‘eu’. E por meio desse esta-   mente tudo.




                                                                    Divulgação

                                                                                 Quem é
                                                                                 Yehuda Berg é codiretor do The
                                                                                 Kabbalah Centre e já escreveu
                                                                                 mais de 30 livros sobre assuntos que
                                                                                 abordam desde depressão e
                                                                                 capacitação, até relacionamentos e a
                                                                                 Bíblia. Dois de seus maiores
                                                                                 best-sellers,
                                                                                 “O Poder da Kabbalah” e
                                                                                 “Os 72 Nomes de Deus”, foram
                                                                                 traduzidos para 20 e 14 idiomas,
                                                                                 respectivamente. Mais informações
                                                                                 pelo site www.kabbalahcentre.com.br
4 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO

    Autoconhecimento




Alma romântica                                                                                                Estamos ficando insensíveis. Mas é importante
                                                                                                             resgatar esta condição que nos torna humanos:
                                                                                                                        nossa capacidade de nos emocionar




                                                  O filósofo francês Michel        remos a dimensão espiritual da       lor que é dado a um determina-
Gisele Bortoleto                              Lacroix, em seu livro “O Culto       vida, não cultivaremos nossa al-     do acontecimento. É o compro-        ços. Os pre-
gisele.bortoleto@diarioweb.com.br
                                              da Emoção” (ed. José Olym-           ma: “É de lirismo verdadeiro         metimento que temos em dife-         ços despencaram, as produ-
                                              pio), diz que vivemos em uma         que precisamos, não de adrena-       rentes situações de nossas vi-       ções dispararam e a facilidade
     Na agitação do mundo moder-              época na qual o culto a emo-         lina”, afirma no livro.              das que determina nosso empe-        em se obter bens e serviços su-
no, muitas vezes ficamos tão obce-            ções fortes e trepidantes está di-       A alma romântica, ainda se-      nho, dedicação e prazer em ter       biu vertiginosamente. As op-
cados pelo trabalho e pelo suces-             retamente ligado a insensibili-      gundo ele, não precisa ser açoita-   estado em algum lugar ou feito       ções de crédito permitem o
so que acabamos abrindo mão da-               dade de nossa sociedade. “No         da por “emoções-choque”, infla-      alguma coisa. “O mundo mu-           atendimento de impulsos con-
quilo que mais desejamos: a felici-           mundo atual - dos esportes radi-     ma-se sozinha. O vento, o mur-       dou, disso não temos dúvidas.        sumistas antes mesmo que se
dade. Nosso ritmo da vida nos faz             cais, das raves, dos videoga-        múrio das árvores, as nuvens cor-    A forma como vivemos nossas vi-      planeje lutar por um novo dese-
repensar a importância que da-                mes, das técnicas de desenvolvi-     rendo no céu, o perfume das flo-     das e lidamos com as pessoas que     jo. Estamos abarrotados de coi-
mos às coisas materiais e especial-           mento pessoal - tudo pretende        res ou a silhueta de uma mulher      estão ao nosso redor também pas-     sas que queremos e não precisa-
mente a maneira como conduzi-                 nos fazer vibrar”, diz no livro.     deveriam bastar para provocar o      sou por mudanças drásticas. A        mos. Nossos aparelhos são descar-
mos nosso cotidiano. Não temos                Segundo o autor, as aventuras        voo da imaginação.                   quantidade de estímulos que uma      tados anualmente. A atualização
tido tempo para investir em nós               radicais, a violência banaliza-          Hoje em dia, no entanto, a       criança recebe hoje é dezenas de     do celular determina status so-
mesmos e refletir sobre necessida-            da, os estados de transe e as        situação se inverteu. “A imagi-      vezes maior se comparado a um        cial. Cursos rápidos graduam alu-
des fundamentais como amor e                  imagens de tirar o fôlego são os     nação está empobrecida, en-          menino ou menina da década de        nos desinteressados à distância.
amizade, alimentação, atividade               ingredientes de nossa vida, que      quanto o mundo externo reluz         1970 ou 1980. No entanto, isso       “Não há mais tempo de se maravi-
física, e, com isso, satisfazer as de-        reclama doses crescentes de          com milhares de cores. O balé        não têm gerado felicidade”, diz o    lhar, nem emoções para transbor-
mandas do corpo e da alma.                    adrenalina. Assim, em busca          das imagens, a expansão violen-      psicólogo cognitivo-comporta-        dar nossa alma. A felicidade está
     E alguém já parou para pen-              de sensações fortes, o indiví-       ta dos sons eletrônicos, os raios    mental Alexandre Caprio. As rela-    associada ao próximo produto do
sar que, nessa corrida, muitos de             duo moderno emociona-se mui-         lasers e as diversões ruidosas       ções de consumo mudaram. As          comercial. Ela pode ser obtida
nós estamos perdendo também a                 to. A emoção, no entanto, tor-       são mais reluzentes que nossos       coisas não eram simplesmente ad-     através de uma transação eletrôni-
capacidade de nos emocionar                   nou-se sinônimo de vida agita-       pensamentos. Hoje em dia a in-       quiridas, eram conquistadas. O       ca e dura tão pouco quanto uma
com as coisas mais simples da vi-             da e frenética. Mas será que sa-     terioridade é ressequida, e o        instinto de preservar aquilo que     dose de cocaína.”
da? Muitas vezes não consegui-                bemos verdadeiramente sen-           mundo, encantado”, continua.         dava trabalho para ser conquista-        Hoje, lembra o psicólogo,
mos nos sensibilizar com um nas-              tir? Cada vez mais agitado e ca-                                          do também se estendia às relações.   nós compramos batatas conge-
cer do sol, com a beleza de uma               da vez menos sensível, por que          Comprometimento                       O crescimento da comunica-       ladas no mercado. As crianças
flor, com as conquistas ou com a              terá o homem abandonado as                                                ção fez o mundo diminuir de ta-      sequer imaginam que aquilo es-
dor do semelhante e com o que                 emoções serenas?                        As emoções dependem de            manho, ressalta Caprio. A            tava debaixo da terra. Ignora-
realmente faz a diferença neste                   Para Lacroix, se não der-        nossa rede de pensamentos. A         globalização transformou o pla-      mos de onde elas vieram e des-
mundo. Estamos nos tornando                   mos mais espaço ao recolhi-          capacidade de se emocionar,          neta em um único grande mer-         cartamos rapidamente embala-
insensíveis.                                  mento e à contemplação, perde-       portanto, está relacionada ao va-    cado de ações, produtos e servi-     gens e restos de nossas refei-
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 5


                                                                                                                                                             Seja leve
                                                                                                                                                                  Preocupe-se menos
                                                                                                                                                             com o que a mídia
                                                                                                                                                             mercantilista oferece e
                                                                                                                                                             mais com aquilo que seus
                                                                                                                                                             sentidos são capazes de
                                                                                                                                                             se encantar
                                                                                                                                                                  Preocupe-se mais com
                                                                                                                                                             aquilo que é bom, justo e
                                                                                                                                                             belo, em vez de se
                                                                                                                                                             preocupar com o que está
                                                                                                                                                             na moda
                                                                                                                                                                  Lembre-se que o que
                                                                                                                                                             sustenta a vida é o apoio e
                                                                                                                                                             o respeito com o próximo e
                                                                                                                                                             do próximo para conosco
                                                                                                                                                                 Repense suas ações.
                                                                                                                                                             Resgate o que realmente
                                                                                                                                                             importa. Desacelere

                                                                                                                                                             Fonte: Mara Lúcia Madureira,
                                                                                                                                                             psicóloga




ções sem qualquer interesse em
descobrir para onde vão. Vive-     emociona com todas as coisas.             Como mudar                        soa começa a perceber seu                 deu para as coisas materiais
mos de forma segmentada, nos       E quando essa emoção se eleva                                               grau de infelicidade, passa a             não supre sua necessidade
isolando de pessoas queridas e     à gratidão, abre-se à sua frente           O resgate dessas emoções         rever seus valores e a perce-             existencial básica”, explica
deixando os verdadeiros valo-      o maravilhoso mundo de                 passa pelo simples. A simplici-      ber que a importância que                 Vânia. I
res para trás.                     Deus”, disse o líder religioso ja-     dade é sempre uma escolha vo-
    Segundo a terapeuta holísti-   ponês, fundador da Seicho-No-          luntária. Para que possamos
ca Vânia Medeiros, como as         Ie, Seicho Taniguchi, no livro         voltar a sentir a emoção do con-
pessoas têm se importado mais      “O Amor Tudo Cura”.                    tato com um animal, de apreciar
com o “ter” do que o “ser”, tu-         “Estamos mais voltados pa-        um por do sol, uma flor, ou de se
do o que está associado aos sen-   ra o mundo de consumo do que           emocionar consigo mesmo, te-
tidos e à emoção perde o valor     para a apreciação da estética”,        mos de fazer escolhas. “Precisa-
por conta do foco na materiali-    diz a psicóloga cognitivo-com-         mos criar e direcionar um tempo
dade. E isso tem provocado         portamental Mara Lúcia Madu-           para aproveitar as coisas simples,
uma doença na alma e deixado       reira. O conceito de beleza, ho-       coisas que não precisam ser com-
as pessoas tristes e distantes.    je, é definido pelo valor comer-       plicadas e que são realmente pra-
“Às vezes, usam essa indiferen-    cial e não pela capacidade de se en-   zerosas”, diz Mara.
ça, esse descaso como defesa,      cantar com o objeto. Não nos emo-          Nossa capacidade de se emo-
porque ao entrar em contato        cionamos mais com os problemas         cionar não está perdida. Apenas
com os sentimentos vai perce-      ou conquistas do próximo, porque       adormecida, subjugada, mas a
ber que tem alguma coisa doen-     estamos imbuídos de um espírito        emoção é uma característica hu-
do muito”, explica.                egoísta, estamos voltados para nos-    mana. Se conseguirmos resgatar
    “O ser humano precisa se       sas próprias preocupações . “O ou-     essa capacidade, vamos tornar o
emocionar. Perder a capacida-      tro e as questões humanas estão fo-    mundo melhor, diz a terapeuta
de de se emocionar é o mesmo       radecogitação.O mundo mercanti-        Vânia Medeiros.
que se tornar homem morto.         listaprepara amente daspessoas pa-         “A mudança depende de
Quando a vida do homem está        ra se preocuparem exclusivamente       um processo de elevação de
em atividade animada, ele se       com elas mesmas”, explica.             consciência. Quando a pes-
6 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO

    Comportamento




Piloto automático                             ca cansado e exige sempre                Cautela                             a psicóloga Cláudia, é que tudo o
A rotina faz parte                            mais. A insatisfação é inevitá-                                              que chega pode estar contamina-
                                              vel devido à mesmice e irritabi-          Na verdade, todos nós esta-        do ou distorcido.
da vida. Mas é                                lidade, que irá interferir em to-     mos sujeitos a cair na cilada              “Quando o sujeito tem
                                                                                                                           um filtro desobstruído, como
                                              dos os relacionamentos.”              desse piloto automático, afirma
possível conviver                                 Ao continuar nesse ritmo re-      a psicóloga clínica de São Pau-
                                                                                                                           uma peneira em que é possí-
                                                                                                                           vel ‘coar o alimento’ da ma-
                                              petitivo, diz a psicóloga clínica     lo. Isso porque a vida, normal-        neira adequada, ele será ca-
com ela de maneira                            e terapeuta familiar, acaba-se        mente, é repleta de obrigações         paz de se relacionar melhor
                                              gerando momentos de estresse          para serem feitas. É comum,            com o outro”, afirma Cláu-
menos burocrática                             e sem criatividade. “São coisas       diante disso, que embarque-            dia, que complementa: “Isso
                                              que poderiam ser melhoradas,          mos em situações sem refletir          sem tantos desgastes, dando
e sem graça                                   mas não estamos parando para          ou questionar o que estamos fa-        o peso real para cada evento e
                                              reavaliar a qualidade de vida e       zendo. Dessa forma, tudo pode          vivência de sua vida.”
                                              o tempo destinado para nossas         passar despercebido.
Elen Valereto                                 prioridades.”
elen.valereto@diarioweb.com.br
                                                                                        Muitas ações realizadas dia-
                                                  As exigências e as crescen-       riamente, por exemplo, como
                                              tes atribuições da rotina levam       dirigir o carro, preparar o café
     A rotina muitas vezes é                  a mente a ficar automatizada,         da manhã, separar os documen-
inevitável. Ela é parte inte-                 porque ela não consegue parar         tos do trabalho em uma pasta e
grante da vida da maioria das                 para se questionar sobre o que
                                                                                    o próprio caminho para levar o
pessoas, mas a forma com                      está fazendo e o que precisa fa-
                                                                                    filho à escola e ir em seguida ao
que cada um lida com ela é o                  zer. Apenas executa.
                                                                                    escritório, são feitas automati-
que faz a diferença.                              A ansiedade, segundo Cláu-
                                                                                    camente. A psicóloga clínica ex-
     Na falta desse “ar mais colo-            dia Longhi Ercolin, psicóloga
                                                                                    plica que isso acontece porque
rido” para passar os dias, o que              e psicodramatista, de Rio Pre-
                                                                                    o cérebro funciona com “econo-
resta é uma vida movida no pi-                to, também tem papel na ori-
                                                                                    mia de energia”, memorizando
loto automático. Viver dessa                  gem desse piloto automático.
                                              Ela é responsável por camuflar        caminhos mais fáceis para re-
forma é aceitar a rotina exata-
                                              o que as pessoas estão fazendo e      solver o que precisar.
mente como ela se apresenta,
                                              o que acontece à sua volta. Na            Nesse processo, a atenção
seguindo as determinações
                                              prática, elas acabam ignorando        acaba ficando reduzida, o que
do dia a dia, conformando-se
                                              os demais, esquecendo compro-         aumenta a probabilidade de errar
com os acontecimentos roti-
                                              missos e datas significativas.        um percurso novo exigido para
neiros sem tentar modificá-                                                         um dia atípico. Geralmente, a per-
los ou aproveitá-los mais po-                 “A pessoa fica engolida somen-
                                              te por seus próprios pensamen-        cepção fica menor exatamente
sitivamente.                                                                        porque o tempo está sendo otimi-
     A psicóloga clínica e terapeu-           tos e, muitas vezes, atropelam e
                                              invadem o outro sem perce-            zado, afirma Miriam. “(O cére-
ta familiar Miriam Barros, de São
Paulo, explica que entre viver no             ber”, afirma Cláudia.                 bro) está tão habituado que, en-
piloto automático e viver a rotina                Mas não é somente na área         quanto está dirigindo, a pessoa es-
há diferenças. Todo mundo tem                 concreta que isso pode aconte-        tá pensando em outras coisas que
uma rotina na qual acorda, toma               cer. No campo emocional, viver        precisam ser resolvidas e feitas na-
banho, lê o jornal, bebe café e vai           nesse piloto automático é preju-      quele dia.”
ao trabalho – dando início então              dicial, já que a pessoa deixa de          As mulheres são campeãs em
a outra rotina, agora no ambien-              perceber e respeitar o outro e a si   ter rotinas pesadas. Suas tarefas
te profissional.                              mesma. A vida torna-se tão co-        diárias, contudo, são elaboradas
     São tarefas para ser feitas              mum que fica impossível para es-      com facilidade, fazendo com que
durante o dia inteiro, em am-                 sa pessoa cuidar melhor de si         elas consigam fazer várias coisas
bientes diferentes, mas que pre-              mesma e oferecer mais atenção         ao mesmo tempo sem refletir so-
cisam ser concluídas. “Como vi-               para quem está ao seu lado.           bre o que estão executando, por-
ver essa rotina é a grande ques-                  “O respeito é fato funda-         que já conhecem o passo a passo
tão”, afirma Miriam. “Entrar                  mental nas relações afetivas e        de cada atribuição.
no modo mecanicista, sem pen-                 também consigo mesmo, pois,               Esse mecanismo nas mulhe-
sar ou aproveitar o momento.                  quando não se percebem, não           res é importante, pois ajudam-
As pessoas fazem várias coisas,               identificam quando parar, isso        nas a filtrar informações, afinal,
mas têm a sensação de que não                 pode gerar doenças psicos-            nem tudo o que nos é oferecido
valeu a pena. A repetição gera                somáticas”, destaca a psicóloga       deve ser processado em nossa
estresse, pois o corpo sente, fi-             rio-pretense.                         mente. O motivo, de acordo com
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 7




Reforce o bem-estar
    Com pensamentos novos e              za, a vida perde seu colorido”,
fortalecimento da essência de            diz a psicóloga clínica e tera-
cada atitude, os padrões de              peuta de casais Miriam Barros.
uma rotina associada a uma vi-           Por isso, é importante traba-
da automática conseguem ser              lhar alguns pontos fragilizados
quebrados. Comece fazendo                para sair dessa situação, a come-
um exercício simples logo pela           çar pela ansiedade, orienta a
manhã: assista a outro progra-           psicóloga e psicodramatista
ma matinal e use um caminho              Cláudia Longhi Ercolin.
alternativo para ir ao trabalho.             Atividades físicas que ofere-
    Busque novos ares, mas, ao           çam qualidade de vida e relaxa-
repeti-los, não deixe de pensar          mento, psicoterapia, medita-
                                         ção, ioga e acupuntura são su-
em tudo o que aconteceu com
                                         gestões que ajudam na conquis-
você para que nada seja sem
                                         ta da tranquilidade, do reequilí-
sentido. Viver nessa velocidade
                                         brio pessoal e autoconhecimen-
contínua e monótona que o pi-            to. Eles oferecem um ritmo
loto automático exige nos impe-          mais adequado a cada pessoa
de de aproveitar bons momen-             para que possam seguir suas ro-
tos da vida. Aproveite um papo           tinas, estimulando ações mais
descontraído durante um café             conscientes e aproveitadas.
ou almoço com um amigo, pres-                “Por meio do autoconheci-
te atenção em uma música no-             mento, o indivíduo começa a se
va no rádio, observe uma nova            conhecer e reconhecer. Passam
loja no caminho para o traba-            a se questionar, identificar seus
lho. Pode ser qualquer coisa,            limites, perceber o que seu com-
desde que isso lhe traga prazer.         portamento gera no outro”,
    “Com a rotina, fica tudo cin-        analisa Cláudia.              (EV)




       Desligue o modo
       automático
             Procure variar as                      Aproveite o almoço para
       atividades que faz em casa;            falar sobre assuntos que não
       vale até trocar a manteiga pelo        sejam referentes ao trabalho
       creme de avelã                             Faça um “happy hour” em
                                              um barzinho que nunca visitou
             Troque o percurso que faz
       para ir ao trabalho ou deixar os             Reflita sobre a importância
       filhos na escola                       das atividades que fez durante o
                                              dia e relaxe I
           Conheça uma música de
       uma banda diferente                    Fonte: Reportagem
8 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO

    Comprometimento




HORA
DE
AGIR
                                                                                  Stock Images/Divulgação




Ainda dá tempo de salvar as
resoluções de ano novo,
basta quebrar grandes metas
em objetivos menores e se
recompensar quando
alcançá-los

Gisele Bortoleto
gisele.bortoleto@diarioweb.com.br



   No começo do ano, muita gente fez uma lista com suas resolu-
ções para 2013: parar de fumar, começar a academia, ser mais orga-
nizado, dormir mais cedo, comer alimentos mais saudáveis... Mas,
passados alguns meses, começa a ficar desanimada ao perceber que
boa parte daqueles planos que fez já foi por água abaixo. O Carnaval
chegou, passou e você não começou a cumprir a maioria das pro-
messas. Calma! Você não está sozinho: pesquisas mostram que ape-
nas pouco mais de 10% das pessoas cumprem suas promessas.
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 9




                            O psicó-    algo diferente do que pretendía-         portante não estabelecer metas impos-          ou a mudança de cidade, por exem-
                        logo britâni-   mos. Quando o sistema é usado de-        síveis do dia para a noite”, diz a psicó-      plo, pois exigem uma programação
                       co Richard       mais, sua capacidade se deteriora e      loga Karina Rodrigues. Planeje-se de           prévia. Planeje-se para isso. Já ou-
                      Wiseman, da       temos mais dificuldades em contro-       acordo com o que é possível realizar.          tras promessas não implicam prepa-
                    Universidade de     lar nossas reações.                      É importante ainda que você se co-             ração anterior. “Neste caso, basta
                   Hertfordshire, es-       Mas isso não serve de desculpa.      nheça e descubra, por exemplo, por-            coragem para tomar a iniciativa de
                 tudou as diferenças    Mesmo que tenhamos falhado, Ri-          que não consegue fazer uma ativida-            começar, mesmo que suas resolu-
               entre os que abando-     chard Wiseman lembra que é pos-          de física para perder peso. E mesmo            ções ainda estejam só no papel. O
              nam suas resoluções e     sível mudar essas estratégias op-        que seu propósito seja emagrecer, vo-          negócio é arregaçar as mangas e
             os que as cumprem. Ele     tando por exemplo por dividir o          cê pode se permitir sair da dieta e co-        continuar na luta, afinal, outros
            acompanhou mais de 3        objetivo final em uma série de pe-       mer uma pizza com amigos num sába-             anos virão e novas promessas serão
         mil pessoas que fizeram sua    quenos objetivos e se dar uma re-        do à noite.                                    feitas, e o que você conseguiu con-
      lista de resoluções e, no iní-    compensa a cada passo, aumen-                Reprimir desejos, fantasiar sobre          quistar já é um grande passo a cami-
   cio, 52% estavam bastante con-       tando assim as chances de suces-         o sucesso ou adotar modelos como re-           nho da mudança”, diz a psicóloga
fiantes, mas após um ano apenas         so. Wiseman diz que as técnicas          ferência – técnicas muito sugeridas            Ingrid Bérgamo.
12% conseguiram.                        mais bem-sucedidas tendem a              em livros de autoajuda – é bem o ti-
    A pesquisa de Wiseman mostra        ser aquelas em que a pessoa faz          po de tática que vai fazer fazer de-                Perseverança
que contar apenas com a força de        um plano e tenta ajudar a si pró-        sistir. “Se você está tentando per-
vontade não é suficiente para con-      pria no alcance de seu objetivo.         der peso, não basta colocar a foto                 O circuito de recompensa do
seguir cumprir as resoluções. A             “As promessas no início do ano       de uma modelo na porta da gela-
                                                                                                                                nosso cérebro é o mecanismo bási-
quebra das promessas de ano novo        são mais motivadas pela esperança        deira ou fantasiar sobre ser ma-
                                                                                                                                co da motivação. Isso significa
acontece porque a maioria usa es-       de um novo tempo, como se ele fos-       gro”, disse Wiseman em uma en-
                                                                                                                                que se você tem uma expectativa
tratégias que não funcionam para        se mágico, do que a motivação pelo       trevista ao jornal inglês The
tentar alcançar seus objetivos.         desejo genuíno das pessoas”, diz a       Guardian. Segundo o psicólogo,                 e percebe um sinal de que vai
    Se você está nesse grupo, pare e    psicóloga Beth Valentim, autora          o que realmente funciona, além                 conseguir atingir seu objetivo,
avalie quantas das suas estratégias     do livro “Essa Tal Felicidade”.          de dividir o plano em etapas, é fo-            há a liberação do neurotransmis-
deram certo e quantas foram aban-       Nessa época, “tudo é festa” e fica       car a atenção no que foi alcançado.            sor dopamina, responsável pela
donadas logo no início? A explica-      mais fácil dizer que é possível              Muitas resoluções são difíceis             sensação de prazer. Só que quan-
ção parece razoável para os estudio-    realizar. Mas quando todos os fo-        de serem cumpridas porque envol-               do espera algo e não percebe que
sos: nossa força de vontade funcio-     gos de artifício se apagam e é pre-      vem mudanças de hábitos e, quan-               vai receber, o nível da dopami-
na como um músculo e pode ser           ciso encarar a realidade, é quan-        do deixamos de cumpri-las, temos               na cai, causando uma grande
exercitada para se fortalecer, mas      do se apresenta o confronto com          de lidar com o sentimento de frus-             tristeza grande, como a que você
entra em fadiga quando usada            as impossibilidades.                     tração, por isso o melhor é prometer           sente quando quer engolir uma
além dos nossos limites.                                                         apenas aquilo que é possível de se al-         barra de chocolate, ir para o Fa-
    O canadense Michael Inzlicht,          Ação                                  cançar. “Estamos num momento de                cebook vasculhar a vida de al-
da Universidade de Toronto, mos-                                                 busca de prazer imediato e criamos             guém ou fumar um cigarro. O
trou que o problema está em uma             A não ser que você queira pas-       metas altas para serem realizadas ra-          que fazer nesse caso? Estabele-
estrutura do cérebro conhecida co-      sar o resto do ano remoendo os ve-       pidamente, e aí vem a frustração.”             cer pequenos passos e, a cada pe-
mo córtex cingulado anterior, en-       lhos problemas, esqueça essa lista.          Grandes projetos devem ser pla-            queno resultado, ter a dose de
volvido na detecção de erros e que      É possível conseguir, desde que vo-      nejados com cautela, como a com-               motivação necessária para dar o
faz soar o alarme quando fazemos        cê use as estratégias corretas. “É im-   pra de um imóvel, um carro novo                próximo passo.




  O segredo dos vencedores                                              No caminho certo
      Quebrar a meta em pequenos passos, que sejam                          Conheça seus limites e tente                      Se cometeu um deslize, não
  “SMART”: eSpecíficos, Mensuráveis, Alcançáveis,                       descobrir porque você se sabota em               considere como um fracasso. Se
  Realistas, Temporalmente embasados. O ideal é criar um                algumas circunstâncias, como não                 resolveu se entupir de comida em um
  mapa dos pequenos passos para acompanhar a                            conseguir parar de fumar ou                      encontro com os amigos, você apenas
  caminhada até o objetivo final                                        comer demais                                     deu um escorregão, não significa que
                                                                                                                         abortou o plano de emagrecer
      Lembrar constantemente dos ganhos que serão                            Escolha uma meta de cada vez.
  obtidos, por meio de uma lista com tópicos,                           Procure começar agora mesmo em vez                    Recomece o que planejou. Não é
  mostrando como a vida seria melhor se o objetivo                      de deixar para amanhã ou para o ano              porque não conseguiu iniciar suas
  fosse alcançado                                                       que vem                                          novas metas que vai empurrar mais um
                                                                                                                         ano para começá-las
       Não desistir diante das recaídas, pois novos hábitos                  Mantenha o foco em metas
  são difíceis de manter no começo, e recaídas fazem parte              específicas, mensuráveis e com prazos                 Converse com a família e amigos
  do processo e não devem ser encaradas como uma                        estabelecidos. Em vez de planejar fazer          e peça ajuda para não se desviar
  falha irreversível                                                    academia todos os dias, você pode                do caminho I
                                                                        correr três vezes por semana,
  Fonte: Richard Wiseman                                                por exemplo                                      Fonte: Reportagem
10 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO

    Sentimento




TRISTEZA NÃO
É DEPRESSÃO
Entenda as diferenças entre a sensação de estar triste e um
quadro depressivo, e como se recuperar de um e de outro

Jéssica Reis                                            desenvolvimento é resultado da ca-       mas de curta duração. Acontece depois       nhem lado a lado. Caprio explica
jessica.reis@diarioweb.com.br
                                                        pacidade de tolerar frustrações, e o     de um evento frustrante. Ela diz que        que a tristeza é uma emoção e a de-
                                                        entristecer-se é característica funda-   durante um episódio de tristeza a pes-      pressão, um transtorno. “A tristeza
    A tristeza é um sentimento que faz                  mental na ampliação desse processo       soa mantém preservada a consciência         é uma emoção natural. Nos senti-
parte da vida, mas é possível superá-la.                de expansão emocional. A criativi-       de sua integridade física e psíquica. Po-   mos tristes quando as coisas não
E embora ninguém goste de se sentir                     dade depende impreterivelmente da        de não estar radiante, mas sabe que a       saem como esperávamos, quando
triste, essa sensação pode ajudar a                     capacidade de recolher-se do mun-        dor é parte da vida.                        passamos por uma perda, quando
crescer e superar dificuldades. Por                     do externo, e isso coincide com o en-        “A tristeza em si não é um pro-         brigamos, nos sentimos ofendidos.
outro lado, especialistas alertam que                   tristecer-se”, explica.                  blema. O problema é quando a pes-           É um sentimento natural. Por meio
é preciso saber distinguir a tristeza                       O especialista ainda lembra que a    soa não dispõe de um conjunto de            da frustração superamos nossas li-
da depressão, que muitas vezes são                      incapacidade de tolerar tristezas po-    habilidades para enfrentar a vida,          mitações, por meio das falhas, nos
confundidos.                                            de nos levar a esconder de nós mes-      não sabe se impor diante das deman-         tornamos mais fortes. Os proble-
    A psicóloga cognitivo-comportamen-                  mos as piores dores da alma. “Contu-     das ou controlar os níveis de estres-       mas não são obstáculos, são de-
tal Mara Lúcia Madureira diz que sentir                 do, essas mesmas dores ainda esta-       se que enfrenta e acaba se abatendo         graus de uma escada que nos eleva
tristeza diante de situações que justifi-               rão ali, atuando em nossa vida e no      e se prejudicando por isso. A triste-       cada vez mais”, afirma.
quem a manifestação de tal sentimento é                 nosso modo de ser, mas agora, como       za não requer tratamento, porque                Segundo Mara Lúcia, a de-
uma evidência de normalidade e de saúde                 se fosse responsabilidade do outro”,     não é doença, mas um sentimento             pressão é um transtorno de hu-
psíquica. “A tristeza é a certeza de que so-            complementa.                             normal, que surge e desaparece sem          mor que envolve aspectos bio-
mos capazes de criar vínculos e lamentar                    A tristeza, de acordo com o psico-   maiores complicações”, complemen-           lógicos, psicológicos e so-
quando estes se rompem, de lamentar                     terapeuta, é corriqueira e componen-     ta a psicóloga.                             ciais. Ela explica que é uma
quando nossos projetos não correspon-                   te do processo normal de maturação           Martino diz que a tristeza é tam-       doença de múltiplas causas,
dem às expectativas e empenhos a eles pe-               mental. “Na realidade, numa mente        bém um sinal de que existe a neces-         não basta passar por alguma
sadamente dispensados. A tristeza, mui-                 saudável momentos de tristeza de-        sidade de resguardar-se por conta           adversidade para manifestar
tas vezes, nos presta o favor da humilda-               vem ser acatados e voltados para as-     de certa fragilidade emocional. Mas         um episódio depressivo. É pre-
de, servindo de controlador da vaidade e                pectos da vida que realmente são dig-    ele alerta que quando não se pode           ciso reunir outros fatores, in-
arrogância, serve para baixar a bola quan-              nos de um olhar entristecedor”, diz.     respeitá-la, a situação pode se agra-       cluindo aspectos cognitivos e
do estamos nos sentindo ‘bacanas além da                    Para Alexandre Caprio, psicólo-      var e gerar um quadro mais severo           comportamentais, como a inabili-
conta’. Momentos tristes são excelentes                 go     cognitivo-comportamental,         de depressão. A insistência em se ex-       dade para lidar com as demandas in-
ocasiões para repensarmos nossas preten-                quando há tristeza a mente calcula       por às experiências emocionais              ternas e externas, não dar conta de li-
sões, presunções e até mesmo a porção de                diversas possibilidade de eliminar       quando se está fragilizado emocio-          dar com autocobranças e exigências
loucura que habita nossa sanidade.”                     aquele estímulo da vida. “Conver-        nalmente pode trazer sérios danos,          ambientais quando estas se apresen-
    O psicoterapeuta e escritor Rena-                   sar com outras pessoas ajuda mui-        podendo levar a uma grave depres-           tam de modo estressante ou além das
to Dias Martino diz que esse estado                     to, porque nos faz ter uma visão di-     são. “A tristeza pode tornar-se um          possibilidades do sujeito; e vulnera-
de espírito deve ocorrer sempre que                     ferente e aumenta nossa capacidade       problema na vida do sujeito quando          bilidade biológica, que envolve a
experimentamos uma grande frustra-                      de análise. Uma mente triste, mas        ela não consegue encontrar lugar pa-        disfunção dos neurônios especializa-
ção, normalmente gerada por algu-                       saudável, encontra as respostas ne-      ra ser acolhida, respeitada e, dessa        dos na receptação e recaptação de se-
ma perda. “Sentir tristeza é inerente                   cessárias para superar a crise que       forma, ser elaborada.”                      rotonina, um neurotransmissor,
ao desenvolvimento emocional, po-                       atravessa”, explica.                         O que muita gente não sabe é que        substância química produzida pelo
demos até ignorá-la, mas ainda as-                          Mara Lúcia lembra que a tristeza é   tristeza não é o mesmo que depres-          cérebro responsável pela regulação
sim ela estará lá. Cada etapa desse                     um sentimento que pode ser intenso,      são, embora muitas vezes cami-              do humor.
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 11


                                   Como tratar
                                       É possível superar a tristeza          senvolvimento de estratégias
                                   e tratar a depressão. Renato               de enfrentamento, treino do
                                   Dias Martino diz que para isso             controle do estresse e da ansie-
Uma mente triste,                  é imprescindível um cuidado                dade e prevenção de novos epi-
                                                                              sódios”, explica Mara Lúcia
                                   especial, em que o respeito ao
mas saudável,                      tempo de cada um (que nunca é              Madureira.
                                                                                  O psicólogo Alexandre Ca-
                                   igual para todos) deve ser consi-
encontra as                        derado. “Fica claro, então, que            prio diz que a terapia cognitivo-
                                                                              comportamental trabalha na
                                   a pressa é um elemento extre-
respostas                          mamente nocivo para a elabora-             correção do pensamento, emo-
                                                                              ção e comportamento das pes-
                                   ção dessa ordem de experiên-
necessárias para                   cias emocionais”, ressalta.
                                                                              soas. Se o modo de perceber o
                                                                              mundo for modificado, a pes-
                                       A depressão pode ser trata-
superar a crise                    da com a combinação das tera-
                                                                              soa continuará desistindo de si
                                                                              mesma. “Se o pensamento não
                                   pêuticas psiquiátrica e psicote-
que atravessa                      rapia cognitivo-comportamen-
                                                                              for remodelado, emoções co-
                                                                              mo tristeza e raiva minarão
                                   tal. “O psiquiatra, especialista           as atividades do paciente até
     Alexandre Caprio, psicólogo   nesse tipo de transtorno, pres-            lançá-lo em um quadro de de-
                                   creve e acompanha o paciente               pressão. Trabalhando as cren-
                                   no tratamento médico, e o psi-             ças e motivações, torna-se mais
                                   cólogo irá desenvolver uma pro-            fácil ajudar o paciente a retor-
                                   grama de tratamento baseado                nar às atividades que aceleram
                                   na compreensão da doença, de-              a melhora.”                  (JR)




                                     Sobre a depressão
                                         O psicólogo Alexandre                culdade no estudo e no traba-
                                     Caprio diz que a depressão é             lho - segundo Caprio, isso
                                     uma espécie de desapego,                 acontece porque o cérebro re-
                                     uma desistência em relação               duz suas atividades, assim
                                     a tudo que era importante.               como o resto do organismo.
                                     A pessoa deixa de demons-                    Mara Lúcia Madureira
                                     trar emoções com a mesma                 explica que a depressão é
                                     frequência que antes, mas é              uma doença que apresenta
                                     comum a prevalência de irri-             muitos sintomas e pode ser
                                     tação e mau humor.                       classifica em leve, moderada
                                         Ele explica que as expres-           e grave, de acordo com o nú-
                                     sões faciais podem dimi-                 mero e a intensidade dos sin-
                                     nuir, podem ocorrer altera-              tomas presentes.
                                     ções no apetite e no sono, e                 Os mais comuns são hu-
                                     a pessoa vai abandonando                 mor deprimido; perda do
                                     gradativamente suas ativida-             prazer, do interesse e da
                                     des diárias.                             energia; sensação de cansa-
                                         Além disso, segundo o es-            ço e fadiga após esforços mí-
                                     pecialista, em um primeiro               nimos ou mesmo sem qual-
                                     momento, a pessoa deixa de               quer esforço; diminuição
                                     fazer as coisas mais fáceis de           da atividade, baixo ou ne-
                                     serem descartadas, como aca-             nhum nível de produtivida-
                                     demia, ioga, trabalhos volun-            de; redução da atenção e
                                     tários. “Essa primeira fase              concentração; baixa autoes-
                                     não causa grande estranhe-               tima, insegurança, senti-
                                     za, porque é justificada de di-          mentos de culpa e inutilida-
                                     ferentes formas: cansaço,                de; pensamentos recorren-
                                     agenda cheia ou mera indis-              tes sobre catástrofes, mor-
                                     posição. Uma letargia come-              tes, acidentes, tragédias; vi-
                                     ça a se desenvolver, gerando             são desolada e pessimista
                                     prejuízos na memória e na                sobre o futuro; sono pertur-
                                     concentração.” A pessoa tam-             bado; choro imotivado ou
                                     bém começa a se sentir pre-              por razões que normalmen-
                                     guiçosa e a apresentar difi-             te não comoveria. I      (JR)
12 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO

    Família




ALIENAÇÃO PARENTAL
Pais separados que usam os filhos como instrumento de vingança contra o outro estão cometendo crime
                                                                                                                                     Stock Images/Divulgação
Jéssica Reis
jessica.reis@diarioweb.com.br
                                                                                                                                                               O que
    A alienação parental é a prá-
tica, por parte da mãe ou do
                                                                                                                                                               diz a lei
pai, de afastar o outro da vida
da criança. Geralmente ocorre                                                                                                                                       Desde 2010 uma lei fede-
com casais que se separaram e                                                                                                                                  ral protege as crianças contra
usam os filhos como instrumen-                                                                                                                                 a alienação parental. De acor-
to de vingança.                                                                                                                                                do o artigo 2º da Lei 12.318,
    O assunto ganhou reper-                                                                                                                                    de 26 de agosto de 2010,
cussão na novela global “Sal-                                                                                                                                  “Considera-se ato de aliena-
ve Jorge”, em que o persona-                                                                                                                                   ção parental a interferência
gem Celso, vivido por Caco                                                                                                                                     na formação psicológica da
Ciocler, manipula a filha fa-                                                                                                                                  criança ou do adolescente
zendo com que ela sempre fi-                                                                                                                                   promovida ou induzida por
que contra a mãe, interpreta-                                                                                                                                  um dos genitores, pelos avós
da por Letícia Spiller.                                                                                                                                        ou pelos que tenham a crian-
                                                                                                                                                               ça ou adolescente sob sua au-
    É importante ressaltar que
                                                                                                                                                               toridade, guarda ou vigilân-
a pessoa mais prejudicada em                                                                                                                                   cia para que repudie genitor
situações como essa é a crian-                                                                                                                                 ou que cause prejuízo ao esta-
ça. A psicóloga, mediadora de                                                                                                                                  belecimento ou manutenção
casal e família Maria Amélia                                                                                                                                   de vínculos com este”.
Mussi afirma que a grande difi-                                                                                                                                     Aindasegundo a lei, algu-
culdade de casais divorciados                                                                                                                                  mas atitudes são classificadas
é separar o vínculo conjugal                                                                                                                                   como alienação parental, co-
do parental.                                                                                                                                                   mo realizar campanha de
    Para o especialista em inteli-                                                                                                                             desqualificação da conduta
gência emocional Rodrigo Fon-                                                                                                                                  do genitor no exercício da pa-
seca, fundador da Sociedade                                                                                                                                    ternidade ou maternidade;
Brasileira de Inteligência Emo-                                                                                                                                dificultar o exercício da auto-
cional, a criança é a primeira a                                                                                                                               ridade parental; dificultar o
se sentir culpada, pois se sente                                                                                                                               contato de criança ou adoles-
responsável pela separação.                                                                                                                                    cente com genitor; dificultar
“Ela se sente culpada por ter                                                                                                                                  o exercício do direito regula-
machucado a parte alienada. É                                                                                                                                  mentado de convivência fa-
uma somatória de culpa muito                                                                                                                                   miliar; apresentar falsa de-
grande. No futuro, ela pode ter                                                                                                                                núnciacontra o genitor,fami-
dificuldade nos relacionamen-                                                                                                                                  liaresdesteou contraavós, pa-
tos, receio de se vincular a ou-                                                                                                                               ra dificultar a convivência de-
tra pessoa por ter medo de so-                                                                                                                                 les com a criança ou adoles-
                                                                                                                                                               cente, entre outras.
frer”, ressalta.
                                                                                                                                                                    As consequências da alie-
    Em alguns casos, o aliena-                                                                                                                                 nação parental podem ser ir-
dor usa a criança como “espiã”                                                                                                                                 reparáveis, pois causa diver-
do ex-parceiro. Esse tipo de                                                                                                                                   sos conflitos internos na
comportamento também pode                     flito de lealdade.”                      Uma das formas de se evitar    juízos emocionais indepen-               criança, que se manifestam,
comprometer a formação da                         Ainda segundo a psicóloga,       os problemas causados pela alie-   dente da idade dos filhos. “A            por exemplo, na forma de
criança. Segundo Maria Amé-                   esse conflito de lealdade traz       nação parental é por meio da       presença do terapeuta fami-              tristeza, isolamento, irrita-
lia, os filhos amam os pais,                  muito sofrimento, uma vez que        mediação familiar, feita com te-   liar nas audiências propicia o           bilidade e dificuldade esco-
não querem fazer parte desse                  os filhos sentem que ser leal a      rapeuta especializado em famí-     encontro de uma escuta inter-            lar. Vale lembrar que a lei
contexto da relação conjugal                  um significa ser desleal com o       lia e casal.                       disciplinar, no desejo de que            também prevê sanções a
e esperam poder conviver                      outro. “É comum que o tema               O objetivo da mediação, se-    casais que se separam possam             quem impede a convivên-
com ambos da melhor manei-                    lealdade seja manipulado pelos       gundo Maria Amélia, é preve-       encontrar enquanto pais um               cia dos filhos com ambos
ra. “Ter liberdade de ir e vir                pais em sua guerra particular”,      nir este comportamento com o       ponto de interseção: o amor pe-          os genitores. I            (JR)
na casa de cada um sem con-                   completa.                            intuito de minimizar os pre-       los filhos.”
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 13

Jorge Haddad
       Pediatra
         Hamilton Pavam




                          Febre na criança
                          Em recém-nascidos há maior oscilação de temperatura,
                          por excesso de roupas e pouca ingestão de leite
                                                                                                                                                                  Stock Images/Divulgação

                              O homem e os mamíferos
                          são considerados homeotérmi-
                          cos, pois o centro termorregula-
                          dor no hipotálamo controla a
                          temperatura corporal por meio
                          de receptores periféricos de
                          frio e calor, mantendo a tempe-
                          ratura abaixo de 37˚, sendo a
                          temperatura de conforto situa-
                          da entre 36,5˚C a 36,9˚C.
                              A febre é uma elevação da
                          temperatura corporal acima de
                          37,8˚ e pode ser um sinal im-
                          portante de doença, principal-
                          mente em crianças.
                              Existem vários fatores que
                          podem elevar a temperatura: in-
                          fecções, vacinas, medicamen-
                          tos, doenças reumáticas, infla-
                          mações, entre outras.Todos os
                          pais ficam muito preocupados
                          quando a temperatura da crian-
                          ça começa a subir, mas rara-
                          mente a febre significa doença
                          grave, na maioria dos casos ela
                          indica uma boa resposta do or-
                          ganismo, pois cria condições
                          ideais para o corpo combater
                                                               não se trata de nenhuma doen-      tões ambientais.Os digitais são            estar na criança.O banho mor-
                          agentes como vírus, bactérias e      ça grave.                          uma boa opção, por serem bara-             no não é imprescindível. So-
                          outros microorganismos, pro-             Se a febre cede e mesmo as-    tos. Deve-se ter atenção para              mente se a criança se sentir con-
                          duzinho substâncias de defesa.       sim a criança continua irritada,   deixar o tempo necessário nas              fortável. Nunca fazer compres-
                          Muito importante lembrar             chorosa ou prostrada, deve-se      axilas, porque se ficar pouco              sas com álcool, pelo risco de in-
                          que, em recém-nascidos, há           procurar atendimento médico        tempo (menos que 3 minutos)                toxicação na criança. Evitar
                          uma maior oscilação de tempe-        precocemente. Febre baixa e        a temperatura aferida pode es-             uso de ácido acetil salicílico.
                          ratura, podendo apresentar fe-       constante também preocupa,         tar errada. Os termômetros de              Manter a criança hidratada,
                          bre por excesso de roupas e pou-     principalmente em crianças         ouvido e infravermelhos, que               pois a febre pode desidratar a
                          ca ingestão de leite. Mas toda fe-   abaixo de 1 ano de idade, e em     medem a temperatura pelo con-              criança e subir mais ainda a
                          bre abaixo de seis meses é preo-     meninas pela incidência eleva-     tato na pele, podem acusar uma             temperatura.
                          cupante, devendo ser avaliada        da de infecção urinária. O pri-    temperatura maior que a axilar
                          por pediatra. A criança abaixo       meiro sinal de febre costuma       e são caros.                                    Medicamentos
                          de dois meses devem ser leva-        ser pés e mãos frios. Depois,
                          das imediatamente para consul-       rosto avermelhado, irritação e        Como tratar                                 É importante, na consulta
                          ta.Porém, a febre faz o organis-     até calafrios.                                                                com o pediatra, já se informar
                          mo gastar energia para se defen-                                            Não agasalhar demais a                 sobre qual medicamento usar
                          der, sendo necessário ser medi-         Como medir                      criança, pois a temperatura po-            em caso de febre, pois alguns
                          cada. Mais importante que a fe-                                         derá se elevar mesmo se estiver            são contraindicados antes de
                          bre é avaliar o comportamento            Existem vários tipos de ter-   com calafrios. Manter com rou-             seis meses de idade. Importan-
                          da criança. Se quando a tempe-       mômetros no mercado. O tradi-      pas adequadas para o ambien-               te saber a dosagem correta,
                          ratura volta ao normal e a crian-    cional é com coluna de mercú-      te. Não dar banho frio, pois a             pois o excesso de medicamen-
                          ça brinca, sorri e fica com o as-    rio, porém hoje em dia existem     água fria produz calafrios e               to pode levar à hipotermia e
                          pecto normal, provavelmente          restrições ao seu uso por ques-    vasoconstricção, causando mal-             intoxicação. I
TV -   14 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO

   Perfil




AMIGO DA CEGONHA
Personagem de Aílton Graça adotará mais bebês em “Flor do Caribe”
                                                                                                                                                                             TV Globo/Divulgação
Agência Estado

    Menos de seis meses depois
de encarar um boêmio farrista
em horário nobre, na novela
“Avenida Brasil” (Globo), Aíl-
ton Graça está no ar novamen-
te. O tempo é realmente curto
para quem, há pelo menos cin-
co anos, engata um trabalho no
outro na telinha. Mas, desta
vez, o ator garante que, apesar
da proximidade dos projetos, o
personagem é bem diferente
dos anteriores. A prova pode
ser tirada na trama das 18h de
Walther Negrão, “Flor do Cari-
be” (Globo).
    “Eu estava saindo da grava-
ção de ‘Avenida Brasil’, na últi-
ma semana, e fui abordado por
Leonardo Nogueira e Jayme
Monjardim (ambos diretores
de ‘Flor do Caribe’). ‘Nós preci-
samos de você’, eles disseram.
Daí, eu falei: ‘Não vou fazer co-
média’ (risos). E eles disseram:
‘Não, é ao contrário’”, diverte-
se o ator ao contar como surgiu
o convite para viver Quirino.
“Comédia eu não queria por-
que estava no quinto trabalho
que tinha esse perfil do humor.
E não é fácil, viu?! Você não
têm ideia de como cansa fazer
humor e elaborar isso, sempre
com perfis diferentes”, brinca.
    Seu mais novo personagem
é um misto de “faz-tudo”, que
trabalha também como piloto
da lancha de Alberto (Igor Ri-
ckli). Nascido em Salvador, aos
18 anos, ele entrou para o semi-
nário com o objetivo de se tor-
nar padre, para o desespero dos
pais. No entanto, às vésperas                  Aílton revela, ainda, que o          sociais. “Fui arte educador du-   nhar a TV. “Se não fosse ator,      gundo semestre, o ator não pen-
de concretizar esse sonho, Qui-            casal deverá adotar mais bebês,          rante muito tempo. Tive a         talvez seria artista circense. Eu   sa em descanso. “Se eu for pin-
rino encontrou um bebê aban-               ao longo da trama. “Não che-             oportunidade de trabalhar na      amo circo. Fui trapezista duran-    çado por algum diretor ou au-
donado pela mãe, que criou co-             ga a ser uma campanha, mas               Febem (atual Fundação Ca-         te muito tempo e palhaço tam-       tor e o personagem for interes-
mo filho, Juliano (Bruno Gisso-            aponta para uma reflexão, que            sa), dando aulas de teatro e      bém. E gosto de gastronomia.        sante, eu vou entrar. Entraria
ni). Doralice (Rita Guedes), go-           é a realidade de milhões de              dança. Eu sei o que é. Eles são   Tenho dois restaurantes. Ado-       na boa. Mas não dá pra nin-
vernanta e cozinheira da casa              crianças que estão aí, precisan-         pequenos diamantes brutos”,       ro receber amigos à mesa e cozi-    guém bater o Tony Ramos, que
dos Albuquerque, é sua grande              do desse tipo de carinho”, ana-          acredita Ailton.                  nhar”, revela.                      emenda um personagem e uma
paixão. Ela o ajuda a criar outra          lisa. A experiência com os pe-               Além de professor, o ator         Ainda sem previsão de fé-       história atrás da outra. Eu acho
criança adotada, William (Ren-             quenos vem da época em que               conta que teve outras experiên-   rias, afinal “Flor do Caribe” de-   que ele nunca tirou férias na vi-
zo Aprouch).                               trabalhou em alguns projetos             cias de trabalho antes de ga-     verá se estender até o fim do se-   da (risos)”. I
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 15 - TV

   Fique Ligado
          Agência Estado


                                                           vez, será no humorístico “Vai que Cola”, título                 gou, em sua conta pessoal no Twitter, a primeira
Conga conga conga                                          provisório dado pelo Multishow. A atração será
                                                           rodada numa pensão, cuja proprietária será Do-
                                                                                                                           foto do elenco de “About a Boy”, adaptação para
                                                                                                                           a TV do filme “Um Grande Garoto”. Nela, o di-
Por essa nem a cantora Gretchen esperava. Sua fi-          na Jô (Catarina Abdala). Samantha Schmütz,                      retor aparece acompanhado de Minnie Driver,
lha, a atriz Thammy Miranda, que na novela “Salve          Emiliano D’Avila, Fiorella Mattheis e Paulo Gus-                David Walton e Benjamin Stockham. O mate-
Jorge”, da Globo, interpreta a policial Jô, se transfor-   tavo também participam.                                         rial está sendo feito sob encomenda pela NBC,
mará na infiltrada Lohane e, entre as muitas peripé-                                                                       mas ainda não há data de estreia definida.
cias que fará, dançará ao som de “Conga Conga Con-
ga”, sucesso de Gretchen. A jovem dirá que é mu-
lher de um traficante que foi preso por Helô (Gio-
                                                           Já tem data                                                     Nova na área
vanna Antonelli) e, como não consegue voltar para o        Miguel Falabella, Marisa Orth, Luis Gustavo,
Brasil, gostaria de trabalhar na boate. De quebra,         Aracy Balabanian e Márcia Cabrita participarão dos
ainda tenta seduzir Russo (Adriano Garib).                 quatro episódios inéditos do “Sai de Baixo”, que vai            Em junho, quando a sexta temporada de “True
                                                           ao ar a partir do dia 21 de maio, no canal Viva. As             Blood” (HBO) for ao ar, os telespectadores te-
                                                           gravações deverão acontecer no mesmo mês, no Tea-               rão uma surpresa. Karolina Wydra, atriz que vi-
Novo galã                                                  tro Procópio Ferreira, antigo cenário da turma em
                                                           São Paulo.
                                                                                                                           veu Dominika em “House”, aparecerá como a
                                                                                                                           vampira Violet, descrita como forte, sexy e peri-
Na Globo, parece que o “trono” de galã, que já foi de                                                                      gosa. Rutger Hauer (“Blade Runner”), Arliss
José Mayer e Antônio Fagundes, agora tem outro do-                                                                         Howard, Jurnee Smollett e Amelia Rose Blaire
no. Nos bastidores de “Salve Jorge”, Domingos
Montagner ganhou o apelido de Tudão. Vai ver por-
                                                           Para todos                                                      também reforçam o elenco.

que, na novela de Glória Perez, o personagem dele,
Zyah, tem à disposição as mulheres interpretadas
                                                           Enquanto o mercado de séries norte-americanas não
                                                           para de lançar títulos novos, alguns consagrados
                                                           começam a chegar aqui, na TV aberta. Três atra-
                                                                                                                           Mais temporada
por Cleo Pires e Tânia Khalill. Comenta-se também
que o cavalheirismo de Montagner tem feito as mu-          ções de sucesso já estão a caminho: “Mad Men”,                  Outra atração da TV norte-americana que ganhou
lheres se derreterem.                                      na TV Cultura; “Smash” e “The Bible - a Bí-                     mais um ano é “Cougar Town” (TBS). Treze epi-
                                                           blia”, na Record.                                               sódios foram encomendados para a quinta tempo-
                                                                                                                           rada. As novas aventuras deverão estrear nos
Férias prolongadas                                         Em dose dupla                                                   EUA somente em 2014, em data a ser definida.
                                                                                                                           No Brasil, a série é exibida pelo canal pago Sony.
Por ter engatado a personagem Suelen, de “Avenida
Brasil” (Globo), e a protagonista de “O Canto da Se-
reia” (Globo), Isis Valverde deve agora descansar.
                                                           O conhecido humorista Moacyr Franco, que recen-
                                                           temente apareceu no longa-metragem “O Palhaço”,                 Caminhando
Ela foi dispensada de mais um compromisso e não            está de volta na mídia. Isso porque Selton Mello, di-
deverá mais ser a protagonista da nova novela das          retor da série “Sessão de Terapia”, no GNT, teria               Apesar de ainda não receber a confirmação do
18h, escrita por Duca Rachid e Thelma Guedes.              chamado o amigo para participar da segunda tempo-               fim de “Smash”, parece que a atriz Debra Mes-
                                                           rada da atração. Ao que tudo indica, as gravações co-           sing está tentando um novo emprego. A atriz

Em campo paulista                                          meçam ainda neste semestre.                                     faz parte agora do elenco de “Mother’s Day”, tí-
                                                                                                                           tulo provisório da nova série da CBS. A atração

Depois de passar pelo Rio de Janeiro, o “Rockgol”
volta a ser realizado em São Paulo. O programa terá
                                                           Vende mais                                                      ganhou a encomenda de um episódio piloto pa-
                                                                                                                           ra avaliação.

como cenário um campo de futebol da cidade e os jo-        Um dos cantores românticos mais conhecidos do país,
gos entre os artistas serão apresentados por Daniel
Furlan, do “Furo MTV”, e Paulinho Serra. As ban-
                                                           Fábio Jr., será, pela terceira vez, astro da campanha da
                                                           Tele Sena do Dia das Mães, título comercializado pela
                                                                                                                           Melhor da tv
das Cidade Negra, Fresno e Skank marcam presen-            Liderança Capitalização, empresa que pertence ao Gru-           Recentemente, Fátima Bernardes, em “Encon-
ça. A exibição será durante o mês de maio.                 po Silvio Santos. Atualmente, ele está viajando pelo país       tro” (Globo), levou ao ar uma rica discussão so-
                                                           com a turnê do seu DVD, intitulado “Íntimo”.                    bre a descoberta da homossexualidade na adoles-

Na biblioteca                                              Diversão garantida
                                                                                                                           cência. Foi emocionante ver o depoimento de
                                                                                                                           um pai que aceitou a condição sexual de seu fi-
                                                                                                                           lho, mesmo o garoto acreditando que isso não se-
As aventuras de quatro jovens que viajaram para lu-                                                                        ria possível. Até o deputado Jean Wyllys chorou.
gares “em conflito” e registraram seus pontos de           Quatorze séries receberam o aval do canal estaduni-             Bravo!
vista com uma câmera ganham as páginas de um li-           dense CBS para novas temporadas. Entre elas estão
vro. Com o mesmo título do programa, “Não Conta            “The Good Wife”, “Elementary”, “Hawaii Five-0” e
Lá em Casa” (Multishow), o trabalho sairá pela edi-
tora Record. A ideia é mostrar os bastidores dessas
                                                           “The Mentalist”. Aparentemente, “Two and a Half
                                                           Men”, “CSI: NY” e “Vegas” não estão entre as esco-
                                                                                                                           Pior da tv
aventuras.                                                 lhidas. Mas nada impede que a emissora aumente es-              A volta do “Teste de Fidelidade”, na RedeTV!
                                                           sa relação e inclua ambas.                                      Para enfrentar o “Pânico na Band” (Band), a
                                                                                                                           emissora de Osasco (São Paulo) decidiu colocar
Mais uma                                                   Caiu na rede                                                    o comediante João Kleber para testar casais no
                                                                                                                           ar. Como era de se esperar, a atividade, que para
Mais uma doméstica entrará para a vida de Cacau                                                                            alguns é levada a sério demais, acaba em confu-
Protásio, a Zezé de “Avenida Brasil” (Globo). Desta        Jon Favreau, o mesmo de “Homem de Ferro”, divul-                são. Triste. I
TV -   16 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO

                        Entrevista




                                                                                                     NO MUNDO
                                                                                                     DAS ARTES
                                                                                                            “A diversidade na televisão é
                                                                                                         importante”, diz Adriana Couto,
                                                                                                          apresentadora do “Metrópolis”
                                                                                                                     Agência Estado

                                                                                                                         Referência para o telespecta-
                                                                                                                     dor que busca notícias sobre ci-
                                                                                                                     nema, música, literatura e artes
                                                                                                                     plásticas, o programa
                                                                                                                     “Metrópolis”, da TV Cultura,
                                                                                                                     está comemorando 25 anos nes-
                                                                                                                     te mês. E motivos para come-
                                                                                                                     morar não faltam. Atualmente,
                                                                                                                     é a única atração diária da tele-
                                                                                                                     visão brasileira dedicada exclu-
                                                                                                                     sivamente ao mundo das artes,
                                                                                                                     indo ao ar de segunda a sexta-
                                                                                                                     feira às 23h30 e, aos domingos,
                                                                                                                     às 20h30.
                                                                                                                         A estreia do programa foi
                                                                                                                     comandada pelos apresentado-
                                                                                                                     res Ricardo Soares e Maria
                                                                                                                     Amélia Rocha Lopes. No entan-
                                                                                                                     to, outros nomes importantes
TV Cultura/Divulgação




                                                                                                                     da televisão já estiveram à fren-
                                                                                                                     te da revista cultural, tais como
                                                                                                                     Lorena Calábria, Cadão Volpa-
                                                                                                                     to, Cuca Lazarotto, Herbert
                                                                                                                     Henning e Patrícia Travassos.
                                                                                                                         Ao longo desses 25 anos, a
                                                                                                                     história do “Metrópolis” tam-
                                                                                                                     bém foi marcada por diversas
                                                                                                                     mudanças estruturais. A princi-
                                                                                                                     pal delas ocorreu em março de
                                                                                                                     2012, quando a TV Cultura
                                                                                                                     anunciou a extinção dos con-
                                                                                                                     sagrados programas “Entreli-
                                                                                                                     nhas” e “Vitrine” - respecti-
                                                                                                                     vamente sobre literatura e
                                                                                                                     bastidores de produções cul-
                                                                                                                     turais - e sua incorporação ao
                                                                                                                     “Metrópolis” na forma de
                                                                                                                     quadros.
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar
O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"
Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"
Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"Fernanda Caprio
 
Acacia julho 2012_
Acacia julho 2012_Acacia julho 2012_
Acacia julho 2012_Vai Totó
 
Revista Catequistas#81
Revista Catequistas#81Revista Catequistas#81
Revista Catequistas#81Bento Oliveira
 
Mocivale - Março 2012
Mocivale - Março 2012Mocivale - Março 2012
Mocivale - Março 2012Freelancer
 
Anônimos virtual ed 6 completo final
Anônimos virtual ed 6 completo finalAnônimos virtual ed 6 completo final
Anônimos virtual ed 6 completo finalFrohls
 
Blog de Jamildo. Veja as primeiras 50 páginas do livro
Blog de Jamildo. Veja as primeiras 50 páginas do livroBlog de Jamildo. Veja as primeiras 50 páginas do livro
Blog de Jamildo. Veja as primeiras 50 páginas do livroJamildo Melo
 
O Bandeirante - n.230 - Janeiro de 2012
O Bandeirante - n.230 - Janeiro de 2012O Bandeirante - n.230 - Janeiro de 2012
O Bandeirante - n.230 - Janeiro de 2012Marcos Gimenes Salun
 
Revista Retrato do Brasil ed. Novembro
Revista Retrato do Brasil ed. NovembroRevista Retrato do Brasil ed. Novembro
Revista Retrato do Brasil ed. NovembroMarcelo Bancalero
 
Retrato do Brasil dez 2012
Retrato do Brasil dez 2012Retrato do Brasil dez 2012
Retrato do Brasil dez 2012megacidadania
 

Mais procurados (20)

Bem estar 11 11-12
Bem estar 11 11-12Bem estar 11 11-12
Bem estar 11 11-12
 
Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"
Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"
Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"
 
Bem estar 16-09-12
Bem estar 16-09-12Bem estar 16-09-12
Bem estar 16-09-12
 
Bem estar 13-05-2012
Bem estar  13-05-2012Bem estar  13-05-2012
Bem estar 13-05-2012
 
Bem estar 190812
Bem estar  190812Bem estar  190812
Bem estar 190812
 
Acacia julho 2012_
Acacia julho 2012_Acacia julho 2012_
Acacia julho 2012_
 
Revista Matria 2009
Revista Matria 2009Revista Matria 2009
Revista Matria 2009
 
Revista Catequistas#81
Revista Catequistas#81Revista Catequistas#81
Revista Catequistas#81
 
Revista N1
Revista N1Revista N1
Revista N1
 
Mocivale - Março 2012
Mocivale - Março 2012Mocivale - Março 2012
Mocivale - Março 2012
 
Anônimos virtual ed 6 completo final
Anônimos virtual ed 6 completo finalAnônimos virtual ed 6 completo final
Anônimos virtual ed 6 completo final
 
Blog de Jamildo. Veja as primeiras 50 páginas do livro
Blog de Jamildo. Veja as primeiras 50 páginas do livroBlog de Jamildo. Veja as primeiras 50 páginas do livro
Blog de Jamildo. Veja as primeiras 50 páginas do livro
 
O Bandeirante - n.230 - Janeiro de 2012
O Bandeirante - n.230 - Janeiro de 2012O Bandeirante - n.230 - Janeiro de 2012
O Bandeirante - n.230 - Janeiro de 2012
 
Bem estar 11-03-12
Bem estar 11-03-12Bem estar 11-03-12
Bem estar 11-03-12
 
Revista Retrato do Brasil ed. Novembro
Revista Retrato do Brasil ed. NovembroRevista Retrato do Brasil ed. Novembro
Revista Retrato do Brasil ed. Novembro
 
Retrato do Brasil dez 2012
Retrato do Brasil dez 2012Retrato do Brasil dez 2012
Retrato do Brasil dez 2012
 
05dejunho oexpresso
05dejunho oexpresso05dejunho oexpresso
05dejunho oexpresso
 
RACCO MANIA 03
RACCO MANIA 03RACCO MANIA 03
RACCO MANIA 03
 
VP - Radar 02/2013 - Tupperware
VP - Radar 02/2013 - TupperwareVP - Radar 02/2013 - Tupperware
VP - Radar 02/2013 - Tupperware
 
Radar 03/2013 - Tupperware
Radar 03/2013 - TupperwareRadar 03/2013 - Tupperware
Radar 03/2013 - Tupperware
 

Destaque

Revista bem estar-acreditar 20130623
Revista bem estar-acreditar 20130623Revista bem estar-acreditar 20130623
Revista bem estar-acreditar 20130623Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20130519
Revista bem estar-20130519Revista bem estar-20130519
Revista bem estar-20130519Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20150426
Revista bem estar-20150426Revista bem estar-20150426
Revista bem estar-20150426Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20141228
Revista bem estar-20141228Revista bem estar-20141228
Revista bem estar-20141228Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20150208
Revista bem estar-20150208Revista bem estar-20150208
Revista bem estar-20150208Fernanda Caprio
 
Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucesso
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucessoRevista bem estar-20140105 o verdadeiro sucesso
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucessoFernanda Caprio
 
Revista bem estar-07-09-14
Revista bem estar-07-09-14Revista bem estar-07-09-14
Revista bem estar-07-09-14Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-27-07-14
Revista bem estar-27-07-14Revista bem estar-27-07-14
Revista bem estar-27-07-14Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20140615
Revista bem estar-20140615Revista bem estar-20140615
Revista bem estar-20140615Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20140706
Revista bem estar-20140706Revista bem estar-20140706
Revista bem estar-20140706Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20150201
Revista bem estar-20150201Revista bem estar-20150201
Revista bem estar-20150201Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20-07-14
Revista bem estar-20-07-14Revista bem estar-20-07-14
Revista bem estar-20-07-14Fernanda Caprio
 
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre Caprio
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre CaprioJORNAL O QUÊ - participação Alexandre Caprio
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre CaprioFernanda Caprio
 
Bem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de contaBem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de contaFernanda Caprio
 
Revista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humanoRevista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humanoFernanda Caprio
 
Revista dominios quando o corpo todo dói
Revista dominios   quando o corpo todo dóiRevista dominios   quando o corpo todo dói
Revista dominios quando o corpo todo dóiFernanda Caprio
 
Revista bem estar-20140316
Revista bem estar-20140316Revista bem estar-20140316
Revista bem estar-20140316Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-14-09-14
Revista bem estar-14-09-14Revista bem estar-14-09-14
Revista bem estar-14-09-14Fernanda Caprio
 

Destaque (20)

Revista bem estar-acreditar 20130623
Revista bem estar-acreditar 20130623Revista bem estar-acreditar 20130623
Revista bem estar-acreditar 20130623
 
Revista bem estar-20130519
Revista bem estar-20130519Revista bem estar-20130519
Revista bem estar-20130519
 
Revista bem estar-20150426
Revista bem estar-20150426Revista bem estar-20150426
Revista bem estar-20150426
 
Revista bem estar-20141228
Revista bem estar-20141228Revista bem estar-20141228
Revista bem estar-20141228
 
Revista bem estar-20150208
Revista bem estar-20150208Revista bem estar-20150208
Revista bem estar-20150208
 
Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303
 
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucesso
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucessoRevista bem estar-20140105 o verdadeiro sucesso
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucesso
 
Revista bem estar-07-09-14
Revista bem estar-07-09-14Revista bem estar-07-09-14
Revista bem estar-07-09-14
 
Revista bem estar-27-07-14
Revista bem estar-27-07-14Revista bem estar-27-07-14
Revista bem estar-27-07-14
 
Revista bem estar-20140615
Revista bem estar-20140615Revista bem estar-20140615
Revista bem estar-20140615
 
Revista bem estar-20140706
Revista bem estar-20140706Revista bem estar-20140706
Revista bem estar-20140706
 
Revista bem estar-20150201
Revista bem estar-20150201Revista bem estar-20150201
Revista bem estar-20150201
 
Revista bem estar-20-07-14
Revista bem estar-20-07-14Revista bem estar-20-07-14
Revista bem estar-20-07-14
 
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre Caprio
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre CaprioJORNAL O QUÊ - participação Alexandre Caprio
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre Caprio
 
Bem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de contaBem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de conta
 
Revista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humanoRevista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humano
 
Revista dominios quando o corpo todo dói
Revista dominios   quando o corpo todo dóiRevista dominios   quando o corpo todo dói
Revista dominios quando o corpo todo dói
 
Revista bem estar-261014
Revista bem estar-261014Revista bem estar-261014
Revista bem estar-261014
 
Revista bem estar-20140316
Revista bem estar-20140316Revista bem estar-20140316
Revista bem estar-20140316
 
Revista bem estar-14-09-14
Revista bem estar-14-09-14Revista bem estar-14-09-14
Revista bem estar-14-09-14
 

Semelhante a O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar

Semelhante a O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar (19)

Bem estar 120812
Bem estar 120812Bem estar 120812
Bem estar 120812
 
Bem estar 26-08-12
Bem estar  26-08-12Bem estar  26-08-12
Bem estar 26-08-12
 
Bem estar querer e poder 31 03-13
Bem estar querer e poder 31 03-13Bem estar querer e poder 31 03-13
Bem estar querer e poder 31 03-13
 
Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012
Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012
Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012
 
Bem estar seja sincero 01-04-12
Bem estar seja sincero 01-04-12Bem estar seja sincero 01-04-12
Bem estar seja sincero 01-04-12
 
Revista opinias nº 8 - janeiro 2015
Revista opinias nº 8  -  janeiro 2015Revista opinias nº 8  -  janeiro 2015
Revista opinias nº 8 - janeiro 2015
 
Estacao 23 final
Estacao 23 finalEstacao 23 final
Estacao 23 final
 
Treino de habilidades sociais e terapia de casais
Treino de habilidades sociais e terapia de casaisTreino de habilidades sociais e terapia de casais
Treino de habilidades sociais e terapia de casais
 
Revista bem estar-20130818
Revista bem estar-20130818 Revista bem estar-20130818
Revista bem estar-20130818
 
Boletim esperança 15
Boletim esperança 15Boletim esperança 15
Boletim esperança 15
 
A Tribuna 04.08.13 (continuação)
A Tribuna 04.08.13 (continuação)A Tribuna 04.08.13 (continuação)
A Tribuna 04.08.13 (continuação)
 
15 essencia de luz
15 essencia de luz15 essencia de luz
15 essencia de luz
 
O melhor conceito começa aqui
O melhor conceito começa aquiO melhor conceito começa aqui
O melhor conceito começa aqui
 
creb do brasil
creb do brasilcreb do brasil
creb do brasil
 
Jornal Trem Doido - 05ª Edição
Jornal Trem Doido - 05ª EdiçãoJornal Trem Doido - 05ª Edição
Jornal Trem Doido - 05ª Edição
 
Revista estiloleste ed01
Revista estiloleste ed01Revista estiloleste ed01
Revista estiloleste ed01
 
321 an 02_março_2011.ok
321 an 02_março_2011.ok321 an 02_março_2011.ok
321 an 02_março_2011.ok
 
Jornal lions
Jornal lionsJornal lions
Jornal lions
 
Proj4
Proj4Proj4
Proj4
 

Mais de Fernanda Caprio

Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"Fernanda Caprio
 
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...Fernanda Caprio
 
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...Fernanda Caprio
 
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...Fernanda Caprio
 
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016Fernanda Caprio
 
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...Fernanda Caprio
 
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016Fernanda Caprio
 
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Fernanda Caprio
 
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...Fernanda Caprio
 
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...Fernanda Caprio
 
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Fernanda Caprio
 
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...Fernanda Caprio
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...Fernanda Caprio
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...Fernanda Caprio
 
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015Fernanda Caprio
 
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...Fernanda Caprio
 
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...Fernanda Caprio
 
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...Fernanda Caprio
 
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...Fernanda Caprio
 
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017Fernanda Caprio
 

Mais de Fernanda Caprio (20)

Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"
 
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
 
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
 
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
 
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
 
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
 
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
 
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
 
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
 
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
 
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
 
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
 
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
 
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
 
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
 
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
 
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
 
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
 

O afeto que damos nos eleva e nos faz avançar

  • 1.
  • 2. 2 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO Pensamento Jorge Haddad DIÁRIO DA REGIÃO O afeto que damos nos eleva, nos 13 Hamilton Pavam alegra, nos faz avançar nos caminhos da evolução, nos descarrega de tensões, nos põe acima das depressões... Passe a dar aos demais algo de sua capacidade genuína de Editor-chefe amar, e comece a sentir alegria Fabrício Carareto genuína. Pedir seja o que for é fabricio.carareto@diarioweb.com.br mendicância. Ressentir-se com o não Editora-executiva Rita Magalhães receber é dependência. Quando se rita.magalhaes@diarioweb.com.br trata de pedir afeto é que a Coordenação mendicância e a dependência se Ligia Ottoboni ligia.ottoboni@diarioweb.com.br tornam mais dolorosas. Editor de Bem-Estar e TV Igor Galante Trecho do livro “Amor universal - Sabedoria de Hermógenes” (Nova Era) Pediatra fala de febre em crianças. A igor.galante@diarioweb.com.br elevação da temperatura corporal, em Editora de Turismo alguns casos, é uma resposta positiva Cecília Demian cecilia.demian@diarioweb.com.br Editorial do organismo em defesa do corpo Editor de Arte César A. Belisário Televisão 16 cesar.belisario@diarioweb.com.br EMOÇÕES Pesquisa de fotos Mara Lúcia de Sousa Diagramação TV Cultura/Divulgação Cristiane Magalhães SERENAS Tratamento de Imagens Luciana Nardelli e Luis Antonio Matérias Agência Estado Agência O Globo TV Press A reportagem de capa desta edição, “Alma romântica”, escrita pela jornalista Gisele Bortoleto, fala da importância de o ser humano resgatar sua capacidade de se emocionar. O texto usa como uma de suas bases o livro “O Culto da Emoção”, do filósofo francês Michel Lacroix, segundo o qual as emoções, hoje, neste mundo movido à velocidade, só nos são arrancadas por “imagens de tirar o fôlego”. Como se para sentir alguma coisa fosse necessário ir ao limite. Estaríamos perdendo nossa capacidade de sentir Apresentadora da TV Cultura Adriana emoções serenas, diante do simples, do singelo. Perdendo Couto fala sobre sua carreira e os assim a própria dimensão espiritual da vida. “É de lirismo 25 anos do programa “Metrópolis” verdadeiro que precisamos, não de adrenalina”, diz Lacroix. Turismo COMPORTAMENTO Padrões de rotina associada a uma vida levada no “piloto automático” 24 Agência O Globo/Divulgação conseguem ser quebrados com mudança de atitude e novos pensamentos Páginas 6 e 7 COMPROMETIMENTO Tudo aquilo que você prometeu fazer na virada do ano ainda está pendente? Saiba que ainda há tempo de salvar as resoluções para 2013 Páginas 8 e 9 SENTIMENTO Especialistas no comportamento humano esclarecem as diferenças entre tristeza e depressão. Muitas vezes, estar triste é sinal de boa saúde mental Páginas 10 e 11 FAMÍLIA Novela traz à tona o tema da alienação parental, quando pai e mãe separados usam o filho para atacar o outro. Entenda a prática e porque Bali - terra dos templos e maravilhosas ela é considerada crime Página 12 praias, na Indonésia
  • 3. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 3 Espiritualidade Para ter tudo na vida Quando entendermos que cuidar dos outros traz muito mais benefícios para nós, podemos começar a nos doar sem limites Um grande sábio kabalista foi desa- mento. É um grande paradoxo, mas um do de consciência podemos transcender fiado certa vez a explicar todos os segre- poderoso princípio espiritual: seja uma nossos medos, dores e problemas. Não dos da Bíblia enquanto pudesse manter- Ferrari novinha ou um ombro para cho- existe fim para o que a partilha pode fa- se equilibrado sobre apenas uma perna. rar, muito mais do que aquele que rece- zer por nós, pois ela nos conecta com a Sem hesitar, ele levantou um de seus be, o maior beneficiado do ato de com- fonte das bênçãos infinitas. pés do chão e disse: “Ame o próximo co- partilhar é quem o pratica, porque este Quando entendermos que cuidar mo a ti mesmo. O resto é comentário”. acaba criando uma proximidade com o dos outros traz muito mais benefícios Essa frase espiritual contém não ape- Criador. Afinal, trata-se de uma força in- para nós, podemos começar a nos doar finita de doação incondicional, de sem limites, sem precisarmos de algo nas todos os segredos da Bíblia, mas do amor, de inspiração, de paz de espírito e em troca – porque sabemos que obte- Universo inteiro. Na verdade, é nossa tudo o que há de bom. mos nada mais do que tudo. passagem – apenas de ida – para toda ale- Quando estamos conectados com o Compartilhar e se importar com os gria e plenitude que o Criador quer que Criador, elevamos nossa consciência a outros não se trata de ser uma pessoa le- sintamos. um patamar no qual podemos alcançar gal, nem mesmo de sustentar um precei- A grande questão é que não nos da- a realização plena. Ao nos doarmos in- to religioso ou princípio espiritual. I mos conta de que, na realidade, somos condicionalmente, estamos, por defini- Trata-se de como obter absoluta- os maiores beneficiados desse ensina- ção, livres do ‘eu’. E por meio desse esta- mente tudo. Divulgação Quem é Yehuda Berg é codiretor do The Kabbalah Centre e já escreveu mais de 30 livros sobre assuntos que abordam desde depressão e capacitação, até relacionamentos e a Bíblia. Dois de seus maiores best-sellers, “O Poder da Kabbalah” e “Os 72 Nomes de Deus”, foram traduzidos para 20 e 14 idiomas, respectivamente. Mais informações pelo site www.kabbalahcentre.com.br
  • 4. 4 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO Autoconhecimento Alma romântica Estamos ficando insensíveis. Mas é importante resgatar esta condição que nos torna humanos: nossa capacidade de nos emocionar O filósofo francês Michel remos a dimensão espiritual da lor que é dado a um determina- Gisele Bortoleto Lacroix, em seu livro “O Culto vida, não cultivaremos nossa al- do acontecimento. É o compro- ços. Os pre- gisele.bortoleto@diarioweb.com.br da Emoção” (ed. José Olym- ma: “É de lirismo verdadeiro metimento que temos em dife- ços despencaram, as produ- pio), diz que vivemos em uma que precisamos, não de adrena- rentes situações de nossas vi- ções dispararam e a facilidade Na agitação do mundo moder- época na qual o culto a emo- lina”, afirma no livro. das que determina nosso empe- em se obter bens e serviços su- no, muitas vezes ficamos tão obce- ções fortes e trepidantes está di- A alma romântica, ainda se- nho, dedicação e prazer em ter biu vertiginosamente. As op- cados pelo trabalho e pelo suces- retamente ligado a insensibili- gundo ele, não precisa ser açoita- estado em algum lugar ou feito ções de crédito permitem o so que acabamos abrindo mão da- dade de nossa sociedade. “No da por “emoções-choque”, infla- alguma coisa. “O mundo mu- atendimento de impulsos con- quilo que mais desejamos: a felici- mundo atual - dos esportes radi- ma-se sozinha. O vento, o mur- dou, disso não temos dúvidas. sumistas antes mesmo que se dade. Nosso ritmo da vida nos faz cais, das raves, dos videoga- múrio das árvores, as nuvens cor- A forma como vivemos nossas vi- planeje lutar por um novo dese- repensar a importância que da- mes, das técnicas de desenvolvi- rendo no céu, o perfume das flo- das e lidamos com as pessoas que jo. Estamos abarrotados de coi- mos às coisas materiais e especial- mento pessoal - tudo pretende res ou a silhueta de uma mulher estão ao nosso redor também pas- sas que queremos e não precisa- mente a maneira como conduzi- nos fazer vibrar”, diz no livro. deveriam bastar para provocar o sou por mudanças drásticas. A mos. Nossos aparelhos são descar- mos nosso cotidiano. Não temos Segundo o autor, as aventuras voo da imaginação. quantidade de estímulos que uma tados anualmente. A atualização tido tempo para investir em nós radicais, a violência banaliza- Hoje em dia, no entanto, a criança recebe hoje é dezenas de do celular determina status so- mesmos e refletir sobre necessida- da, os estados de transe e as situação se inverteu. “A imagi- vezes maior se comparado a um cial. Cursos rápidos graduam alu- des fundamentais como amor e imagens de tirar o fôlego são os nação está empobrecida, en- menino ou menina da década de nos desinteressados à distância. amizade, alimentação, atividade ingredientes de nossa vida, que quanto o mundo externo reluz 1970 ou 1980. No entanto, isso “Não há mais tempo de se maravi- física, e, com isso, satisfazer as de- reclama doses crescentes de com milhares de cores. O balé não têm gerado felicidade”, diz o lhar, nem emoções para transbor- mandas do corpo e da alma. adrenalina. Assim, em busca das imagens, a expansão violen- psicólogo cognitivo-comporta- dar nossa alma. A felicidade está E alguém já parou para pen- de sensações fortes, o indiví- ta dos sons eletrônicos, os raios mental Alexandre Caprio. As rela- associada ao próximo produto do sar que, nessa corrida, muitos de duo moderno emociona-se mui- lasers e as diversões ruidosas ções de consumo mudaram. As comercial. Ela pode ser obtida nós estamos perdendo também a to. A emoção, no entanto, tor- são mais reluzentes que nossos coisas não eram simplesmente ad- através de uma transação eletrôni- capacidade de nos emocionar nou-se sinônimo de vida agita- pensamentos. Hoje em dia a in- quiridas, eram conquistadas. O ca e dura tão pouco quanto uma com as coisas mais simples da vi- da e frenética. Mas será que sa- terioridade é ressequida, e o instinto de preservar aquilo que dose de cocaína.” da? Muitas vezes não consegui- bemos verdadeiramente sen- mundo, encantado”, continua. dava trabalho para ser conquista- Hoje, lembra o psicólogo, mos nos sensibilizar com um nas- tir? Cada vez mais agitado e ca- do também se estendia às relações. nós compramos batatas conge- cer do sol, com a beleza de uma da vez menos sensível, por que Comprometimento O crescimento da comunica- ladas no mercado. As crianças flor, com as conquistas ou com a terá o homem abandonado as ção fez o mundo diminuir de ta- sequer imaginam que aquilo es- dor do semelhante e com o que emoções serenas? As emoções dependem de manho, ressalta Caprio. A tava debaixo da terra. Ignora- realmente faz a diferença neste Para Lacroix, se não der- nossa rede de pensamentos. A globalização transformou o pla- mos de onde elas vieram e des- mundo. Estamos nos tornando mos mais espaço ao recolhi- capacidade de se emocionar, neta em um único grande mer- cartamos rapidamente embala- insensíveis. mento e à contemplação, perde- portanto, está relacionada ao va- cado de ações, produtos e servi- gens e restos de nossas refei-
  • 5. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 5 Seja leve Preocupe-se menos com o que a mídia mercantilista oferece e mais com aquilo que seus sentidos são capazes de se encantar Preocupe-se mais com aquilo que é bom, justo e belo, em vez de se preocupar com o que está na moda Lembre-se que o que sustenta a vida é o apoio e o respeito com o próximo e do próximo para conosco Repense suas ações. Resgate o que realmente importa. Desacelere Fonte: Mara Lúcia Madureira, psicóloga ções sem qualquer interesse em descobrir para onde vão. Vive- emociona com todas as coisas. Como mudar soa começa a perceber seu deu para as coisas materiais mos de forma segmentada, nos E quando essa emoção se eleva grau de infelicidade, passa a não supre sua necessidade isolando de pessoas queridas e à gratidão, abre-se à sua frente O resgate dessas emoções rever seus valores e a perce- existencial básica”, explica deixando os verdadeiros valo- o maravilhoso mundo de passa pelo simples. A simplici- ber que a importância que Vânia. I res para trás. Deus”, disse o líder religioso ja- dade é sempre uma escolha vo- Segundo a terapeuta holísti- ponês, fundador da Seicho-No- luntária. Para que possamos ca Vânia Medeiros, como as Ie, Seicho Taniguchi, no livro voltar a sentir a emoção do con- pessoas têm se importado mais “O Amor Tudo Cura”. tato com um animal, de apreciar com o “ter” do que o “ser”, tu- “Estamos mais voltados pa- um por do sol, uma flor, ou de se do o que está associado aos sen- ra o mundo de consumo do que emocionar consigo mesmo, te- tidos e à emoção perde o valor para a apreciação da estética”, mos de fazer escolhas. “Precisa- por conta do foco na materiali- diz a psicóloga cognitivo-com- mos criar e direcionar um tempo dade. E isso tem provocado portamental Mara Lúcia Madu- para aproveitar as coisas simples, uma doença na alma e deixado reira. O conceito de beleza, ho- coisas que não precisam ser com- as pessoas tristes e distantes. je, é definido pelo valor comer- plicadas e que são realmente pra- “Às vezes, usam essa indiferen- cial e não pela capacidade de se en- zerosas”, diz Mara. ça, esse descaso como defesa, cantar com o objeto. Não nos emo- Nossa capacidade de se emo- porque ao entrar em contato cionamos mais com os problemas cionar não está perdida. Apenas com os sentimentos vai perce- ou conquistas do próximo, porque adormecida, subjugada, mas a ber que tem alguma coisa doen- estamos imbuídos de um espírito emoção é uma característica hu- do muito”, explica. egoísta, estamos voltados para nos- mana. Se conseguirmos resgatar “O ser humano precisa se sas próprias preocupações . “O ou- essa capacidade, vamos tornar o emocionar. Perder a capacida- tro e as questões humanas estão fo- mundo melhor, diz a terapeuta de de se emocionar é o mesmo radecogitação.O mundo mercanti- Vânia Medeiros. que se tornar homem morto. listaprepara amente daspessoas pa- “A mudança depende de Quando a vida do homem está ra se preocuparem exclusivamente um processo de elevação de em atividade animada, ele se com elas mesmas”, explica. consciência. Quando a pes-
  • 6. 6 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO Comportamento Piloto automático ca cansado e exige sempre Cautela a psicóloga Cláudia, é que tudo o A rotina faz parte mais. A insatisfação é inevitá- que chega pode estar contamina- vel devido à mesmice e irritabi- Na verdade, todos nós esta- do ou distorcido. da vida. Mas é lidade, que irá interferir em to- mos sujeitos a cair na cilada “Quando o sujeito tem um filtro desobstruído, como dos os relacionamentos.” desse piloto automático, afirma possível conviver Ao continuar nesse ritmo re- a psicóloga clínica de São Pau- uma peneira em que é possí- vel ‘coar o alimento’ da ma- petitivo, diz a psicóloga clínica lo. Isso porque a vida, normal- neira adequada, ele será ca- com ela de maneira e terapeuta familiar, acaba-se mente, é repleta de obrigações paz de se relacionar melhor gerando momentos de estresse para serem feitas. É comum, com o outro”, afirma Cláu- menos burocrática e sem criatividade. “São coisas diante disso, que embarque- dia, que complementa: “Isso que poderiam ser melhoradas, mos em situações sem refletir sem tantos desgastes, dando e sem graça mas não estamos parando para ou questionar o que estamos fa- o peso real para cada evento e reavaliar a qualidade de vida e zendo. Dessa forma, tudo pode vivência de sua vida.” o tempo destinado para nossas passar despercebido. Elen Valereto prioridades.” elen.valereto@diarioweb.com.br Muitas ações realizadas dia- As exigências e as crescen- riamente, por exemplo, como tes atribuições da rotina levam dirigir o carro, preparar o café A rotina muitas vezes é a mente a ficar automatizada, da manhã, separar os documen- inevitável. Ela é parte inte- porque ela não consegue parar tos do trabalho em uma pasta e grante da vida da maioria das para se questionar sobre o que o próprio caminho para levar o pessoas, mas a forma com está fazendo e o que precisa fa- filho à escola e ir em seguida ao que cada um lida com ela é o zer. Apenas executa. escritório, são feitas automati- que faz a diferença. A ansiedade, segundo Cláu- camente. A psicóloga clínica ex- Na falta desse “ar mais colo- dia Longhi Ercolin, psicóloga plica que isso acontece porque rido” para passar os dias, o que e psicodramatista, de Rio Pre- o cérebro funciona com “econo- resta é uma vida movida no pi- to, também tem papel na ori- mia de energia”, memorizando loto automático. Viver dessa gem desse piloto automático. Ela é responsável por camuflar caminhos mais fáceis para re- forma é aceitar a rotina exata- o que as pessoas estão fazendo e solver o que precisar. mente como ela se apresenta, o que acontece à sua volta. Na Nesse processo, a atenção seguindo as determinações prática, elas acabam ignorando acaba ficando reduzida, o que do dia a dia, conformando-se os demais, esquecendo compro- aumenta a probabilidade de errar com os acontecimentos roti- missos e datas significativas. um percurso novo exigido para neiros sem tentar modificá- um dia atípico. Geralmente, a per- los ou aproveitá-los mais po- “A pessoa fica engolida somen- te por seus próprios pensamen- cepção fica menor exatamente sitivamente. porque o tempo está sendo otimi- A psicóloga clínica e terapeu- tos e, muitas vezes, atropelam e invadem o outro sem perce- zado, afirma Miriam. “(O cére- ta familiar Miriam Barros, de São Paulo, explica que entre viver no ber”, afirma Cláudia. bro) está tão habituado que, en- piloto automático e viver a rotina Mas não é somente na área quanto está dirigindo, a pessoa es- há diferenças. Todo mundo tem concreta que isso pode aconte- tá pensando em outras coisas que uma rotina na qual acorda, toma cer. No campo emocional, viver precisam ser resolvidas e feitas na- banho, lê o jornal, bebe café e vai nesse piloto automático é preju- quele dia.” ao trabalho – dando início então dicial, já que a pessoa deixa de As mulheres são campeãs em a outra rotina, agora no ambien- perceber e respeitar o outro e a si ter rotinas pesadas. Suas tarefas te profissional. mesma. A vida torna-se tão co- diárias, contudo, são elaboradas São tarefas para ser feitas mum que fica impossível para es- com facilidade, fazendo com que durante o dia inteiro, em am- sa pessoa cuidar melhor de si elas consigam fazer várias coisas bientes diferentes, mas que pre- mesma e oferecer mais atenção ao mesmo tempo sem refletir so- cisam ser concluídas. “Como vi- para quem está ao seu lado. bre o que estão executando, por- ver essa rotina é a grande ques- “O respeito é fato funda- que já conhecem o passo a passo tão”, afirma Miriam. “Entrar mental nas relações afetivas e de cada atribuição. no modo mecanicista, sem pen- também consigo mesmo, pois, Esse mecanismo nas mulhe- sar ou aproveitar o momento. quando não se percebem, não res é importante, pois ajudam- As pessoas fazem várias coisas, identificam quando parar, isso nas a filtrar informações, afinal, mas têm a sensação de que não pode gerar doenças psicos- nem tudo o que nos é oferecido valeu a pena. A repetição gera somáticas”, destaca a psicóloga deve ser processado em nossa estresse, pois o corpo sente, fi- rio-pretense. mente. O motivo, de acordo com
  • 7. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 7 Reforce o bem-estar Com pensamentos novos e za, a vida perde seu colorido”, fortalecimento da essência de diz a psicóloga clínica e tera- cada atitude, os padrões de peuta de casais Miriam Barros. uma rotina associada a uma vi- Por isso, é importante traba- da automática conseguem ser lhar alguns pontos fragilizados quebrados. Comece fazendo para sair dessa situação, a come- um exercício simples logo pela çar pela ansiedade, orienta a manhã: assista a outro progra- psicóloga e psicodramatista ma matinal e use um caminho Cláudia Longhi Ercolin. alternativo para ir ao trabalho. Atividades físicas que ofere- Busque novos ares, mas, ao çam qualidade de vida e relaxa- repeti-los, não deixe de pensar mento, psicoterapia, medita- ção, ioga e acupuntura são su- em tudo o que aconteceu com gestões que ajudam na conquis- você para que nada seja sem ta da tranquilidade, do reequilí- sentido. Viver nessa velocidade brio pessoal e autoconhecimen- contínua e monótona que o pi- to. Eles oferecem um ritmo loto automático exige nos impe- mais adequado a cada pessoa de de aproveitar bons momen- para que possam seguir suas ro- tos da vida. Aproveite um papo tinas, estimulando ações mais descontraído durante um café conscientes e aproveitadas. ou almoço com um amigo, pres- “Por meio do autoconheci- te atenção em uma música no- mento, o indivíduo começa a se va no rádio, observe uma nova conhecer e reconhecer. Passam loja no caminho para o traba- a se questionar, identificar seus lho. Pode ser qualquer coisa, limites, perceber o que seu com- desde que isso lhe traga prazer. portamento gera no outro”, “Com a rotina, fica tudo cin- analisa Cláudia. (EV) Desligue o modo automático Procure variar as Aproveite o almoço para atividades que faz em casa; falar sobre assuntos que não vale até trocar a manteiga pelo sejam referentes ao trabalho creme de avelã Faça um “happy hour” em um barzinho que nunca visitou Troque o percurso que faz para ir ao trabalho ou deixar os Reflita sobre a importância filhos na escola das atividades que fez durante o dia e relaxe I Conheça uma música de uma banda diferente Fonte: Reportagem
  • 8. 8 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO Comprometimento HORA DE AGIR Stock Images/Divulgação Ainda dá tempo de salvar as resoluções de ano novo, basta quebrar grandes metas em objetivos menores e se recompensar quando alcançá-los Gisele Bortoleto gisele.bortoleto@diarioweb.com.br No começo do ano, muita gente fez uma lista com suas resolu- ções para 2013: parar de fumar, começar a academia, ser mais orga- nizado, dormir mais cedo, comer alimentos mais saudáveis... Mas, passados alguns meses, começa a ficar desanimada ao perceber que boa parte daqueles planos que fez já foi por água abaixo. O Carnaval chegou, passou e você não começou a cumprir a maioria das pro- messas. Calma! Você não está sozinho: pesquisas mostram que ape- nas pouco mais de 10% das pessoas cumprem suas promessas.
  • 9. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 9 O psicó- algo diferente do que pretendía- portante não estabelecer metas impos- ou a mudança de cidade, por exem- logo britâni- mos. Quando o sistema é usado de- síveis do dia para a noite”, diz a psicó- plo, pois exigem uma programação co Richard mais, sua capacidade se deteriora e loga Karina Rodrigues. Planeje-se de prévia. Planeje-se para isso. Já ou- Wiseman, da temos mais dificuldades em contro- acordo com o que é possível realizar. tras promessas não implicam prepa- Universidade de lar nossas reações. É importante ainda que você se co- ração anterior. “Neste caso, basta Hertfordshire, es- Mas isso não serve de desculpa. nheça e descubra, por exemplo, por- coragem para tomar a iniciativa de tudou as diferenças Mesmo que tenhamos falhado, Ri- que não consegue fazer uma ativida- começar, mesmo que suas resolu- entre os que abando- chard Wiseman lembra que é pos- de física para perder peso. E mesmo ções ainda estejam só no papel. O nam suas resoluções e sível mudar essas estratégias op- que seu propósito seja emagrecer, vo- negócio é arregaçar as mangas e os que as cumprem. Ele tando por exemplo por dividir o cê pode se permitir sair da dieta e co- continuar na luta, afinal, outros acompanhou mais de 3 objetivo final em uma série de pe- mer uma pizza com amigos num sába- anos virão e novas promessas serão mil pessoas que fizeram sua quenos objetivos e se dar uma re- do à noite. feitas, e o que você conseguiu con- lista de resoluções e, no iní- compensa a cada passo, aumen- Reprimir desejos, fantasiar sobre quistar já é um grande passo a cami- cio, 52% estavam bastante con- tando assim as chances de suces- o sucesso ou adotar modelos como re- nho da mudança”, diz a psicóloga fiantes, mas após um ano apenas so. Wiseman diz que as técnicas ferência – técnicas muito sugeridas Ingrid Bérgamo. 12% conseguiram. mais bem-sucedidas tendem a em livros de autoajuda – é bem o ti- A pesquisa de Wiseman mostra ser aquelas em que a pessoa faz po de tática que vai fazer fazer de- Perseverança que contar apenas com a força de um plano e tenta ajudar a si pró- sistir. “Se você está tentando per- vontade não é suficiente para con- pria no alcance de seu objetivo. der peso, não basta colocar a foto O circuito de recompensa do seguir cumprir as resoluções. A “As promessas no início do ano de uma modelo na porta da gela- nosso cérebro é o mecanismo bási- quebra das promessas de ano novo são mais motivadas pela esperança deira ou fantasiar sobre ser ma- co da motivação. Isso significa acontece porque a maioria usa es- de um novo tempo, como se ele fos- gro”, disse Wiseman em uma en- que se você tem uma expectativa tratégias que não funcionam para se mágico, do que a motivação pelo trevista ao jornal inglês The tentar alcançar seus objetivos. desejo genuíno das pessoas”, diz a Guardian. Segundo o psicólogo, e percebe um sinal de que vai Se você está nesse grupo, pare e psicóloga Beth Valentim, autora o que realmente funciona, além conseguir atingir seu objetivo, avalie quantas das suas estratégias do livro “Essa Tal Felicidade”. de dividir o plano em etapas, é fo- há a liberação do neurotransmis- deram certo e quantas foram aban- Nessa época, “tudo é festa” e fica car a atenção no que foi alcançado. sor dopamina, responsável pela donadas logo no início? A explica- mais fácil dizer que é possível Muitas resoluções são difíceis sensação de prazer. Só que quan- ção parece razoável para os estudio- realizar. Mas quando todos os fo- de serem cumpridas porque envol- do espera algo e não percebe que sos: nossa força de vontade funcio- gos de artifício se apagam e é pre- vem mudanças de hábitos e, quan- vai receber, o nível da dopami- na como um músculo e pode ser ciso encarar a realidade, é quan- do deixamos de cumpri-las, temos na cai, causando uma grande exercitada para se fortalecer, mas do se apresenta o confronto com de lidar com o sentimento de frus- tristeza grande, como a que você entra em fadiga quando usada as impossibilidades. tração, por isso o melhor é prometer sente quando quer engolir uma além dos nossos limites. apenas aquilo que é possível de se al- barra de chocolate, ir para o Fa- O canadense Michael Inzlicht, Ação cançar. “Estamos num momento de cebook vasculhar a vida de al- da Universidade de Toronto, mos- busca de prazer imediato e criamos guém ou fumar um cigarro. O trou que o problema está em uma A não ser que você queira pas- metas altas para serem realizadas ra- que fazer nesse caso? Estabele- estrutura do cérebro conhecida co- sar o resto do ano remoendo os ve- pidamente, e aí vem a frustração.” cer pequenos passos e, a cada pe- mo córtex cingulado anterior, en- lhos problemas, esqueça essa lista. Grandes projetos devem ser pla- queno resultado, ter a dose de volvido na detecção de erros e que É possível conseguir, desde que vo- nejados com cautela, como a com- motivação necessária para dar o faz soar o alarme quando fazemos cê use as estratégias corretas. “É im- pra de um imóvel, um carro novo próximo passo. O segredo dos vencedores No caminho certo Quebrar a meta em pequenos passos, que sejam Conheça seus limites e tente Se cometeu um deslize, não “SMART”: eSpecíficos, Mensuráveis, Alcançáveis, descobrir porque você se sabota em considere como um fracasso. Se Realistas, Temporalmente embasados. O ideal é criar um algumas circunstâncias, como não resolveu se entupir de comida em um mapa dos pequenos passos para acompanhar a conseguir parar de fumar ou encontro com os amigos, você apenas caminhada até o objetivo final comer demais deu um escorregão, não significa que abortou o plano de emagrecer Lembrar constantemente dos ganhos que serão Escolha uma meta de cada vez. obtidos, por meio de uma lista com tópicos, Procure começar agora mesmo em vez Recomece o que planejou. Não é mostrando como a vida seria melhor se o objetivo de deixar para amanhã ou para o ano porque não conseguiu iniciar suas fosse alcançado que vem novas metas que vai empurrar mais um ano para começá-las Não desistir diante das recaídas, pois novos hábitos Mantenha o foco em metas são difíceis de manter no começo, e recaídas fazem parte específicas, mensuráveis e com prazos Converse com a família e amigos do processo e não devem ser encaradas como uma estabelecidos. Em vez de planejar fazer e peça ajuda para não se desviar falha irreversível academia todos os dias, você pode do caminho I correr três vezes por semana, Fonte: Richard Wiseman por exemplo Fonte: Reportagem
  • 10. 10 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO Sentimento TRISTEZA NÃO É DEPRESSÃO Entenda as diferenças entre a sensação de estar triste e um quadro depressivo, e como se recuperar de um e de outro Jéssica Reis desenvolvimento é resultado da ca- mas de curta duração. Acontece depois nhem lado a lado. Caprio explica jessica.reis@diarioweb.com.br pacidade de tolerar frustrações, e o de um evento frustrante. Ela diz que que a tristeza é uma emoção e a de- entristecer-se é característica funda- durante um episódio de tristeza a pes- pressão, um transtorno. “A tristeza A tristeza é um sentimento que faz mental na ampliação desse processo soa mantém preservada a consciência é uma emoção natural. Nos senti- parte da vida, mas é possível superá-la. de expansão emocional. A criativi- de sua integridade física e psíquica. Po- mos tristes quando as coisas não E embora ninguém goste de se sentir dade depende impreterivelmente da de não estar radiante, mas sabe que a saem como esperávamos, quando triste, essa sensação pode ajudar a capacidade de recolher-se do mun- dor é parte da vida. passamos por uma perda, quando crescer e superar dificuldades. Por do externo, e isso coincide com o en- “A tristeza em si não é um pro- brigamos, nos sentimos ofendidos. outro lado, especialistas alertam que tristecer-se”, explica. blema. O problema é quando a pes- É um sentimento natural. Por meio é preciso saber distinguir a tristeza O especialista ainda lembra que a soa não dispõe de um conjunto de da frustração superamos nossas li- da depressão, que muitas vezes são incapacidade de tolerar tristezas po- habilidades para enfrentar a vida, mitações, por meio das falhas, nos confundidos. de nos levar a esconder de nós mes- não sabe se impor diante das deman- tornamos mais fortes. Os proble- A psicóloga cognitivo-comportamen- mos as piores dores da alma. “Contu- das ou controlar os níveis de estres- mas não são obstáculos, são de- tal Mara Lúcia Madureira diz que sentir do, essas mesmas dores ainda esta- se que enfrenta e acaba se abatendo graus de uma escada que nos eleva tristeza diante de situações que justifi- rão ali, atuando em nossa vida e no e se prejudicando por isso. A triste- cada vez mais”, afirma. quem a manifestação de tal sentimento é nosso modo de ser, mas agora, como za não requer tratamento, porque Segundo Mara Lúcia, a de- uma evidência de normalidade e de saúde se fosse responsabilidade do outro”, não é doença, mas um sentimento pressão é um transtorno de hu- psíquica. “A tristeza é a certeza de que so- complementa. normal, que surge e desaparece sem mor que envolve aspectos bio- mos capazes de criar vínculos e lamentar A tristeza, de acordo com o psico- maiores complicações”, complemen- lógicos, psicológicos e so- quando estes se rompem, de lamentar terapeuta, é corriqueira e componen- ta a psicóloga. ciais. Ela explica que é uma quando nossos projetos não correspon- te do processo normal de maturação Martino diz que a tristeza é tam- doença de múltiplas causas, dem às expectativas e empenhos a eles pe- mental. “Na realidade, numa mente bém um sinal de que existe a neces- não basta passar por alguma sadamente dispensados. A tristeza, mui- saudável momentos de tristeza de- sidade de resguardar-se por conta adversidade para manifestar tas vezes, nos presta o favor da humilda- vem ser acatados e voltados para as- de certa fragilidade emocional. Mas um episódio depressivo. É pre- de, servindo de controlador da vaidade e pectos da vida que realmente são dig- ele alerta que quando não se pode ciso reunir outros fatores, in- arrogância, serve para baixar a bola quan- nos de um olhar entristecedor”, diz. respeitá-la, a situação pode se agra- cluindo aspectos cognitivos e do estamos nos sentindo ‘bacanas além da Para Alexandre Caprio, psicólo- var e gerar um quadro mais severo comportamentais, como a inabili- conta’. Momentos tristes são excelentes go cognitivo-comportamental, de depressão. A insistência em se ex- dade para lidar com as demandas in- ocasiões para repensarmos nossas preten- quando há tristeza a mente calcula por às experiências emocionais ternas e externas, não dar conta de li- sões, presunções e até mesmo a porção de diversas possibilidade de eliminar quando se está fragilizado emocio- dar com autocobranças e exigências loucura que habita nossa sanidade.” aquele estímulo da vida. “Conver- nalmente pode trazer sérios danos, ambientais quando estas se apresen- O psicoterapeuta e escritor Rena- sar com outras pessoas ajuda mui- podendo levar a uma grave depres- tam de modo estressante ou além das to Dias Martino diz que esse estado to, porque nos faz ter uma visão di- são. “A tristeza pode tornar-se um possibilidades do sujeito; e vulnera- de espírito deve ocorrer sempre que ferente e aumenta nossa capacidade problema na vida do sujeito quando bilidade biológica, que envolve a experimentamos uma grande frustra- de análise. Uma mente triste, mas ela não consegue encontrar lugar pa- disfunção dos neurônios especializa- ção, normalmente gerada por algu- saudável, encontra as respostas ne- ra ser acolhida, respeitada e, dessa dos na receptação e recaptação de se- ma perda. “Sentir tristeza é inerente cessárias para superar a crise que forma, ser elaborada.” rotonina, um neurotransmissor, ao desenvolvimento emocional, po- atravessa”, explica. O que muita gente não sabe é que substância química produzida pelo demos até ignorá-la, mas ainda as- Mara Lúcia lembra que a tristeza é tristeza não é o mesmo que depres- cérebro responsável pela regulação sim ela estará lá. Cada etapa desse um sentimento que pode ser intenso, são, embora muitas vezes cami- do humor.
  • 11. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 11 Como tratar É possível superar a tristeza senvolvimento de estratégias e tratar a depressão. Renato de enfrentamento, treino do Dias Martino diz que para isso controle do estresse e da ansie- Uma mente triste, é imprescindível um cuidado dade e prevenção de novos epi- sódios”, explica Mara Lúcia especial, em que o respeito ao mas saudável, tempo de cada um (que nunca é Madureira. O psicólogo Alexandre Ca- igual para todos) deve ser consi- encontra as derado. “Fica claro, então, que prio diz que a terapia cognitivo- comportamental trabalha na a pressa é um elemento extre- respostas mamente nocivo para a elabora- correção do pensamento, emo- ção e comportamento das pes- ção dessa ordem de experiên- necessárias para cias emocionais”, ressalta. soas. Se o modo de perceber o mundo for modificado, a pes- A depressão pode ser trata- superar a crise da com a combinação das tera- soa continuará desistindo de si mesma. “Se o pensamento não pêuticas psiquiátrica e psicote- que atravessa rapia cognitivo-comportamen- for remodelado, emoções co- mo tristeza e raiva minarão tal. “O psiquiatra, especialista as atividades do paciente até Alexandre Caprio, psicólogo nesse tipo de transtorno, pres- lançá-lo em um quadro de de- creve e acompanha o paciente pressão. Trabalhando as cren- no tratamento médico, e o psi- ças e motivações, torna-se mais cólogo irá desenvolver uma pro- fácil ajudar o paciente a retor- grama de tratamento baseado nar às atividades que aceleram na compreensão da doença, de- a melhora.” (JR) Sobre a depressão O psicólogo Alexandre culdade no estudo e no traba- Caprio diz que a depressão é lho - segundo Caprio, isso uma espécie de desapego, acontece porque o cérebro re- uma desistência em relação duz suas atividades, assim a tudo que era importante. como o resto do organismo. A pessoa deixa de demons- Mara Lúcia Madureira trar emoções com a mesma explica que a depressão é frequência que antes, mas é uma doença que apresenta comum a prevalência de irri- muitos sintomas e pode ser tação e mau humor. classifica em leve, moderada Ele explica que as expres- e grave, de acordo com o nú- sões faciais podem dimi- mero e a intensidade dos sin- nuir, podem ocorrer altera- tomas presentes. ções no apetite e no sono, e Os mais comuns são hu- a pessoa vai abandonando mor deprimido; perda do gradativamente suas ativida- prazer, do interesse e da des diárias. energia; sensação de cansa- Além disso, segundo o es- ço e fadiga após esforços mí- pecialista, em um primeiro nimos ou mesmo sem qual- momento, a pessoa deixa de quer esforço; diminuição fazer as coisas mais fáceis de da atividade, baixo ou ne- serem descartadas, como aca- nhum nível de produtivida- demia, ioga, trabalhos volun- de; redução da atenção e tários. “Essa primeira fase concentração; baixa autoes- não causa grande estranhe- tima, insegurança, senti- za, porque é justificada de di- mentos de culpa e inutilida- ferentes formas: cansaço, de; pensamentos recorren- agenda cheia ou mera indis- tes sobre catástrofes, mor- posição. Uma letargia come- tes, acidentes, tragédias; vi- ça a se desenvolver, gerando são desolada e pessimista prejuízos na memória e na sobre o futuro; sono pertur- concentração.” A pessoa tam- bado; choro imotivado ou bém começa a se sentir pre- por razões que normalmen- guiçosa e a apresentar difi- te não comoveria. I (JR)
  • 12. 12 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO Família ALIENAÇÃO PARENTAL Pais separados que usam os filhos como instrumento de vingança contra o outro estão cometendo crime Stock Images/Divulgação Jéssica Reis jessica.reis@diarioweb.com.br O que A alienação parental é a prá- tica, por parte da mãe ou do diz a lei pai, de afastar o outro da vida da criança. Geralmente ocorre Desde 2010 uma lei fede- com casais que se separaram e ral protege as crianças contra usam os filhos como instrumen- a alienação parental. De acor- to de vingança. do o artigo 2º da Lei 12.318, O assunto ganhou reper- de 26 de agosto de 2010, cussão na novela global “Sal- “Considera-se ato de aliena- ve Jorge”, em que o persona- ção parental a interferência gem Celso, vivido por Caco na formação psicológica da Ciocler, manipula a filha fa- criança ou do adolescente zendo com que ela sempre fi- promovida ou induzida por que contra a mãe, interpreta- um dos genitores, pelos avós da por Letícia Spiller. ou pelos que tenham a crian- ça ou adolescente sob sua au- É importante ressaltar que toridade, guarda ou vigilân- a pessoa mais prejudicada em cia para que repudie genitor situações como essa é a crian- ou que cause prejuízo ao esta- ça. A psicóloga, mediadora de belecimento ou manutenção casal e família Maria Amélia de vínculos com este”. Mussi afirma que a grande difi- Aindasegundo a lei, algu- culdade de casais divorciados mas atitudes são classificadas é separar o vínculo conjugal como alienação parental, co- do parental. mo realizar campanha de Para o especialista em inteli- desqualificação da conduta gência emocional Rodrigo Fon- do genitor no exercício da pa- seca, fundador da Sociedade ternidade ou maternidade; Brasileira de Inteligência Emo- dificultar o exercício da auto- cional, a criança é a primeira a ridade parental; dificultar o se sentir culpada, pois se sente contato de criança ou adoles- responsável pela separação. cente com genitor; dificultar “Ela se sente culpada por ter o exercício do direito regula- machucado a parte alienada. É mentado de convivência fa- uma somatória de culpa muito miliar; apresentar falsa de- grande. No futuro, ela pode ter núnciacontra o genitor,fami- dificuldade nos relacionamen- liaresdesteou contraavós, pa- tos, receio de se vincular a ou- ra dificultar a convivência de- tra pessoa por ter medo de so- les com a criança ou adoles- cente, entre outras. frer”, ressalta. As consequências da alie- Em alguns casos, o aliena- nação parental podem ser ir- dor usa a criança como “espiã” reparáveis, pois causa diver- do ex-parceiro. Esse tipo de sos conflitos internos na comportamento também pode flito de lealdade.” Uma das formas de se evitar juízos emocionais indepen- criança, que se manifestam, comprometer a formação da Ainda segundo a psicóloga, os problemas causados pela alie- dente da idade dos filhos. “A por exemplo, na forma de criança. Segundo Maria Amé- esse conflito de lealdade traz nação parental é por meio da presença do terapeuta fami- tristeza, isolamento, irrita- lia, os filhos amam os pais, muito sofrimento, uma vez que mediação familiar, feita com te- liar nas audiências propicia o bilidade e dificuldade esco- não querem fazer parte desse os filhos sentem que ser leal a rapeuta especializado em famí- encontro de uma escuta inter- lar. Vale lembrar que a lei contexto da relação conjugal um significa ser desleal com o lia e casal. disciplinar, no desejo de que também prevê sanções a e esperam poder conviver outro. “É comum que o tema O objetivo da mediação, se- casais que se separam possam quem impede a convivên- com ambos da melhor manei- lealdade seja manipulado pelos gundo Maria Amélia, é preve- encontrar enquanto pais um cia dos filhos com ambos ra. “Ter liberdade de ir e vir pais em sua guerra particular”, nir este comportamento com o ponto de interseção: o amor pe- os genitores. I (JR) na casa de cada um sem con- completa. intuito de minimizar os pre- los filhos.”
  • 13. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 13 Jorge Haddad Pediatra Hamilton Pavam Febre na criança Em recém-nascidos há maior oscilação de temperatura, por excesso de roupas e pouca ingestão de leite Stock Images/Divulgação O homem e os mamíferos são considerados homeotérmi- cos, pois o centro termorregula- dor no hipotálamo controla a temperatura corporal por meio de receptores periféricos de frio e calor, mantendo a tempe- ratura abaixo de 37˚, sendo a temperatura de conforto situa- da entre 36,5˚C a 36,9˚C. A febre é uma elevação da temperatura corporal acima de 37,8˚ e pode ser um sinal im- portante de doença, principal- mente em crianças. Existem vários fatores que podem elevar a temperatura: in- fecções, vacinas, medicamen- tos, doenças reumáticas, infla- mações, entre outras.Todos os pais ficam muito preocupados quando a temperatura da crian- ça começa a subir, mas rara- mente a febre significa doença grave, na maioria dos casos ela indica uma boa resposta do or- ganismo, pois cria condições ideais para o corpo combater não se trata de nenhuma doen- tões ambientais.Os digitais são estar na criança.O banho mor- agentes como vírus, bactérias e ça grave. uma boa opção, por serem bara- no não é imprescindível. So- outros microorganismos, pro- Se a febre cede e mesmo as- tos. Deve-se ter atenção para mente se a criança se sentir con- duzinho substâncias de defesa. sim a criança continua irritada, deixar o tempo necessário nas fortável. Nunca fazer compres- Muito importante lembrar chorosa ou prostrada, deve-se axilas, porque se ficar pouco sas com álcool, pelo risco de in- que, em recém-nascidos, há procurar atendimento médico tempo (menos que 3 minutos) toxicação na criança. Evitar uma maior oscilação de tempe- precocemente. Febre baixa e a temperatura aferida pode es- uso de ácido acetil salicílico. ratura, podendo apresentar fe- constante também preocupa, tar errada. Os termômetros de Manter a criança hidratada, bre por excesso de roupas e pou- principalmente em crianças ouvido e infravermelhos, que pois a febre pode desidratar a ca ingestão de leite. Mas toda fe- abaixo de 1 ano de idade, e em medem a temperatura pelo con- criança e subir mais ainda a bre abaixo de seis meses é preo- meninas pela incidência eleva- tato na pele, podem acusar uma temperatura. cupante, devendo ser avaliada da de infecção urinária. O pri- temperatura maior que a axilar por pediatra. A criança abaixo meiro sinal de febre costuma e são caros. Medicamentos de dois meses devem ser leva- ser pés e mãos frios. Depois, das imediatamente para consul- rosto avermelhado, irritação e Como tratar É importante, na consulta ta.Porém, a febre faz o organis- até calafrios. com o pediatra, já se informar mo gastar energia para se defen- Não agasalhar demais a sobre qual medicamento usar der, sendo necessário ser medi- Como medir criança, pois a temperatura po- em caso de febre, pois alguns cada. Mais importante que a fe- derá se elevar mesmo se estiver são contraindicados antes de bre é avaliar o comportamento Existem vários tipos de ter- com calafrios. Manter com rou- seis meses de idade. Importan- da criança. Se quando a tempe- mômetros no mercado. O tradi- pas adequadas para o ambien- te saber a dosagem correta, ratura volta ao normal e a crian- cional é com coluna de mercú- te. Não dar banho frio, pois a pois o excesso de medicamen- ça brinca, sorri e fica com o as- rio, porém hoje em dia existem água fria produz calafrios e to pode levar à hipotermia e pecto normal, provavelmente restrições ao seu uso por ques- vasoconstricção, causando mal- intoxicação. I
  • 14. TV - 14 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO Perfil AMIGO DA CEGONHA Personagem de Aílton Graça adotará mais bebês em “Flor do Caribe” TV Globo/Divulgação Agência Estado Menos de seis meses depois de encarar um boêmio farrista em horário nobre, na novela “Avenida Brasil” (Globo), Aíl- ton Graça está no ar novamen- te. O tempo é realmente curto para quem, há pelo menos cin- co anos, engata um trabalho no outro na telinha. Mas, desta vez, o ator garante que, apesar da proximidade dos projetos, o personagem é bem diferente dos anteriores. A prova pode ser tirada na trama das 18h de Walther Negrão, “Flor do Cari- be” (Globo). “Eu estava saindo da grava- ção de ‘Avenida Brasil’, na últi- ma semana, e fui abordado por Leonardo Nogueira e Jayme Monjardim (ambos diretores de ‘Flor do Caribe’). ‘Nós preci- samos de você’, eles disseram. Daí, eu falei: ‘Não vou fazer co- média’ (risos). E eles disseram: ‘Não, é ao contrário’”, diverte- se o ator ao contar como surgiu o convite para viver Quirino. “Comédia eu não queria por- que estava no quinto trabalho que tinha esse perfil do humor. E não é fácil, viu?! Você não têm ideia de como cansa fazer humor e elaborar isso, sempre com perfis diferentes”, brinca. Seu mais novo personagem é um misto de “faz-tudo”, que trabalha também como piloto da lancha de Alberto (Igor Ri- ckli). Nascido em Salvador, aos 18 anos, ele entrou para o semi- nário com o objetivo de se tor- nar padre, para o desespero dos pais. No entanto, às vésperas Aílton revela, ainda, que o sociais. “Fui arte educador du- nhar a TV. “Se não fosse ator, gundo semestre, o ator não pen- de concretizar esse sonho, Qui- casal deverá adotar mais bebês, rante muito tempo. Tive a talvez seria artista circense. Eu sa em descanso. “Se eu for pin- rino encontrou um bebê aban- ao longo da trama. “Não che- oportunidade de trabalhar na amo circo. Fui trapezista duran- çado por algum diretor ou au- donado pela mãe, que criou co- ga a ser uma campanha, mas Febem (atual Fundação Ca- te muito tempo e palhaço tam- tor e o personagem for interes- mo filho, Juliano (Bruno Gisso- aponta para uma reflexão, que sa), dando aulas de teatro e bém. E gosto de gastronomia. sante, eu vou entrar. Entraria ni). Doralice (Rita Guedes), go- é a realidade de milhões de dança. Eu sei o que é. Eles são Tenho dois restaurantes. Ado- na boa. Mas não dá pra nin- vernanta e cozinheira da casa crianças que estão aí, precisan- pequenos diamantes brutos”, ro receber amigos à mesa e cozi- guém bater o Tony Ramos, que dos Albuquerque, é sua grande do desse tipo de carinho”, ana- acredita Ailton. nhar”, revela. emenda um personagem e uma paixão. Ela o ajuda a criar outra lisa. A experiência com os pe- Além de professor, o ator Ainda sem previsão de fé- história atrás da outra. Eu acho criança adotada, William (Ren- quenos vem da época em que conta que teve outras experiên- rias, afinal “Flor do Caribe” de- que ele nunca tirou férias na vi- zo Aprouch). trabalhou em alguns projetos cias de trabalho antes de ga- verá se estender até o fim do se- da (risos)”. I
  • 15. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 / 15 - TV Fique Ligado Agência Estado vez, será no humorístico “Vai que Cola”, título gou, em sua conta pessoal no Twitter, a primeira Conga conga conga provisório dado pelo Multishow. A atração será rodada numa pensão, cuja proprietária será Do- foto do elenco de “About a Boy”, adaptação para a TV do filme “Um Grande Garoto”. Nela, o di- Por essa nem a cantora Gretchen esperava. Sua fi- na Jô (Catarina Abdala). Samantha Schmütz, retor aparece acompanhado de Minnie Driver, lha, a atriz Thammy Miranda, que na novela “Salve Emiliano D’Avila, Fiorella Mattheis e Paulo Gus- David Walton e Benjamin Stockham. O mate- Jorge”, da Globo, interpreta a policial Jô, se transfor- tavo também participam. rial está sendo feito sob encomenda pela NBC, mará na infiltrada Lohane e, entre as muitas peripé- mas ainda não há data de estreia definida. cias que fará, dançará ao som de “Conga Conga Con- ga”, sucesso de Gretchen. A jovem dirá que é mu- lher de um traficante que foi preso por Helô (Gio- Já tem data Nova na área vanna Antonelli) e, como não consegue voltar para o Miguel Falabella, Marisa Orth, Luis Gustavo, Brasil, gostaria de trabalhar na boate. De quebra, Aracy Balabanian e Márcia Cabrita participarão dos ainda tenta seduzir Russo (Adriano Garib). quatro episódios inéditos do “Sai de Baixo”, que vai Em junho, quando a sexta temporada de “True ao ar a partir do dia 21 de maio, no canal Viva. As Blood” (HBO) for ao ar, os telespectadores te- gravações deverão acontecer no mesmo mês, no Tea- rão uma surpresa. Karolina Wydra, atriz que vi- Novo galã tro Procópio Ferreira, antigo cenário da turma em São Paulo. veu Dominika em “House”, aparecerá como a vampira Violet, descrita como forte, sexy e peri- Na Globo, parece que o “trono” de galã, que já foi de gosa. Rutger Hauer (“Blade Runner”), Arliss José Mayer e Antônio Fagundes, agora tem outro do- Howard, Jurnee Smollett e Amelia Rose Blaire no. Nos bastidores de “Salve Jorge”, Domingos Montagner ganhou o apelido de Tudão. Vai ver por- Para todos também reforçam o elenco. que, na novela de Glória Perez, o personagem dele, Zyah, tem à disposição as mulheres interpretadas Enquanto o mercado de séries norte-americanas não para de lançar títulos novos, alguns consagrados começam a chegar aqui, na TV aberta. Três atra- Mais temporada por Cleo Pires e Tânia Khalill. Comenta-se também que o cavalheirismo de Montagner tem feito as mu- ções de sucesso já estão a caminho: “Mad Men”, Outra atração da TV norte-americana que ganhou lheres se derreterem. na TV Cultura; “Smash” e “The Bible - a Bí- mais um ano é “Cougar Town” (TBS). Treze epi- blia”, na Record. sódios foram encomendados para a quinta tempo- rada. As novas aventuras deverão estrear nos Férias prolongadas Em dose dupla EUA somente em 2014, em data a ser definida. No Brasil, a série é exibida pelo canal pago Sony. Por ter engatado a personagem Suelen, de “Avenida Brasil” (Globo), e a protagonista de “O Canto da Se- reia” (Globo), Isis Valverde deve agora descansar. O conhecido humorista Moacyr Franco, que recen- temente apareceu no longa-metragem “O Palhaço”, Caminhando Ela foi dispensada de mais um compromisso e não está de volta na mídia. Isso porque Selton Mello, di- deverá mais ser a protagonista da nova novela das retor da série “Sessão de Terapia”, no GNT, teria Apesar de ainda não receber a confirmação do 18h, escrita por Duca Rachid e Thelma Guedes. chamado o amigo para participar da segunda tempo- fim de “Smash”, parece que a atriz Debra Mes- rada da atração. Ao que tudo indica, as gravações co- sing está tentando um novo emprego. A atriz Em campo paulista meçam ainda neste semestre. faz parte agora do elenco de “Mother’s Day”, tí- tulo provisório da nova série da CBS. A atração Depois de passar pelo Rio de Janeiro, o “Rockgol” volta a ser realizado em São Paulo. O programa terá Vende mais ganhou a encomenda de um episódio piloto pa- ra avaliação. como cenário um campo de futebol da cidade e os jo- Um dos cantores românticos mais conhecidos do país, gos entre os artistas serão apresentados por Daniel Furlan, do “Furo MTV”, e Paulinho Serra. As ban- Fábio Jr., será, pela terceira vez, astro da campanha da Tele Sena do Dia das Mães, título comercializado pela Melhor da tv das Cidade Negra, Fresno e Skank marcam presen- Liderança Capitalização, empresa que pertence ao Gru- Recentemente, Fátima Bernardes, em “Encon- ça. A exibição será durante o mês de maio. po Silvio Santos. Atualmente, ele está viajando pelo país tro” (Globo), levou ao ar uma rica discussão so- com a turnê do seu DVD, intitulado “Íntimo”. bre a descoberta da homossexualidade na adoles- Na biblioteca Diversão garantida cência. Foi emocionante ver o depoimento de um pai que aceitou a condição sexual de seu fi- lho, mesmo o garoto acreditando que isso não se- As aventuras de quatro jovens que viajaram para lu- ria possível. Até o deputado Jean Wyllys chorou. gares “em conflito” e registraram seus pontos de Quatorze séries receberam o aval do canal estaduni- Bravo! vista com uma câmera ganham as páginas de um li- dense CBS para novas temporadas. Entre elas estão vro. Com o mesmo título do programa, “Não Conta “The Good Wife”, “Elementary”, “Hawaii Five-0” e Lá em Casa” (Multishow), o trabalho sairá pela edi- tora Record. A ideia é mostrar os bastidores dessas “The Mentalist”. Aparentemente, “Two and a Half Men”, “CSI: NY” e “Vegas” não estão entre as esco- Pior da tv aventuras. lhidas. Mas nada impede que a emissora aumente es- A volta do “Teste de Fidelidade”, na RedeTV! sa relação e inclua ambas. Para enfrentar o “Pânico na Band” (Band), a emissora de Osasco (São Paulo) decidiu colocar Mais uma Caiu na rede o comediante João Kleber para testar casais no ar. Como era de se esperar, a atividade, que para Mais uma doméstica entrará para a vida de Cacau alguns é levada a sério demais, acaba em confu- Protásio, a Zezé de “Avenida Brasil” (Globo). Desta Jon Favreau, o mesmo de “Homem de Ferro”, divul- são. Triste. I
  • 16. TV - 16 / São José do Rio Preto, 7 de abril de 2013 DIÁRIO DA REGIÃO Entrevista NO MUNDO DAS ARTES “A diversidade na televisão é importante”, diz Adriana Couto, apresentadora do “Metrópolis” Agência Estado Referência para o telespecta- dor que busca notícias sobre ci- nema, música, literatura e artes plásticas, o programa “Metrópolis”, da TV Cultura, está comemorando 25 anos nes- te mês. E motivos para come- morar não faltam. Atualmente, é a única atração diária da tele- visão brasileira dedicada exclu- sivamente ao mundo das artes, indo ao ar de segunda a sexta- feira às 23h30 e, aos domingos, às 20h30. A estreia do programa foi comandada pelos apresentado- res Ricardo Soares e Maria Amélia Rocha Lopes. No entan- to, outros nomes importantes TV Cultura/Divulgação da televisão já estiveram à fren- te da revista cultural, tais como Lorena Calábria, Cadão Volpa- to, Cuca Lazarotto, Herbert Henning e Patrícia Travassos. Ao longo desses 25 anos, a história do “Metrópolis” tam- bém foi marcada por diversas mudanças estruturais. A princi- pal delas ocorreu em março de 2012, quando a TV Cultura anunciou a extinção dos con- sagrados programas “Entreli- nhas” e “Vitrine” - respecti- vamente sobre literatura e bastidores de produções cul- turais - e sua incorporação ao “Metrópolis” na forma de quadros.