SlideShare uma empresa Scribd logo

Promação da Saúde

F
feraps

Origem, concepção, princípios e principais documentos que servem de base para a construção e implantação de ações e políticas para a construção da Promoção da Saúde.

1 de 24
Baixar para ler offline
Promoção de saúde
Sustentabilidade
Prof. Fernando A. Silva
Origens e concepção
Relacionada à Vigilância à Saúde e ao movimento de crítica à
medicalização da saúde.
Se estende para além da ausência de doenças, incidindo sobre
as condições de vida da população, ultrapassando a prestação de
serviços clínico-assistenciais.
Ações: intersetoriais envolvendo a educação, o saneamento
básico, a habitação, a renda, o trabalho, a alimentação, o meio
ambiente, o acesso a bens e serviços essenciais, o lazer e outros
determinantes sociais de saúde.
Marco: Carta de Ottawa – Inspirada pelos princípios da Declaração
de Alma Ata (1978) e pela meta “Saúde para todos no ano 2000”.
A carta enfoca que a promoção está além do setor Saúde e enfatiza
que todos os setores, inclusive os não diretamente relacionados,
assumam a Saúde como meta.
“Para promover la salud se deber ir más alla del mero cuidado de la
misma. La salud há de formar parte del ordem del día de los
responsables de la elaboración de los programas políticos, em todos los
setores y a todos los niveles, com objetivo de hacerles tomar
conciencia de las consecuencias que sus decisiones pueden tener para
la salud y llevarles así a asumir la responsabilidad que tienen em este
respecto. (OMS, 1996, p.368)”
A Carta de Ottawa é um documento apresentado na
Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da
Saúde, realizado em Ottawa, Canadá, em novembro de
1986. Trata-se de uma Carta de Intenções que busca
contribuir com as políticas de saúde em todos os países,
de forma equânime e universal.
A Declaração de Alma-Ata foi formulada por ocasião da
Conferência Internacional sobre Cuidados Primários de
Saúde, reunida em Alma-Ata, na República do Cazaquistão
(ex república socialista soviética), entre 6 e 12 de
setembro de 1978, dirigindo-se a todos os governos, na
busca da promoção de saúde a todos os povos do mundo.
A carta de Ottawa menciona que a promoção da saúde tem
como campo de ação:
• Políticas Públicas favoráveis;
• Criação de ambientes propícios;
• Fortalecimento de ação comunitária;
• Desenvolvimento de habilidades pessoais;
• Reorientação dos Serviços Sanitários.
Anúncio

Recomendados

Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópiaKarla Toledo
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importânciaCélia Costa
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idosomorgausesp
 
Política nacional de humanização
Política nacional de humanizaçãoPolítica nacional de humanização
Política nacional de humanizaçãoPriscila Tenório
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE  POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE Valdirene1977
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIAAna Carolina Costa
 
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoAula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoErivaldo Rosendo
 
Humaniza sus prof. Carlos
Humaniza sus   prof. CarlosHumaniza sus   prof. Carlos
Humaniza sus prof. CarlosAprova Saúde
 
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMAula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMLuziane Costa
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Will Nunes
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saudedavinci ras
 
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveisAula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveisMario Gandra
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaRuth Milhomem
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Will Nunes
 
História da unidade de terapia intensiva no brasil
História da unidade de terapia intensiva no brasilHistória da unidade de terapia intensiva no brasil
História da unidade de terapia intensiva no brasiljudicleia silva
 

Mais procurados (20)

POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE  POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
 
Medicação em pediatria
Medicação em pediatriaMedicação em pediatria
Medicação em pediatria
 
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoAula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de Imunizacao
 
Humaniza sus prof. Carlos
Humaniza sus   prof. CarlosHumaniza sus   prof. Carlos
Humaniza sus prof. Carlos
 
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMAula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
 
Apresentação atenção básica esf
Apresentação atenção básica   esfApresentação atenção básica   esf
Apresentação atenção básica esf
 
Atenção Primária à Saúde
Atenção Primária à SaúdeAtenção Primária à Saúde
Atenção Primária à Saúde
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saude
 
Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde
 
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveisAula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
 
Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da família
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
 
SUS - Aula
SUS - AulaSUS - Aula
SUS - Aula
 
EDUCAÇÃO EM SAÚDE
EDUCAÇÃO EM SAÚDEEDUCAÇÃO EM SAÚDE
EDUCAÇÃO EM SAÚDE
 
História da unidade de terapia intensiva no brasil
História da unidade de terapia intensiva no brasilHistória da unidade de terapia intensiva no brasil
História da unidade de terapia intensiva no brasil
 
Vacinas: mitos e verdades
Vacinas: mitos e verdadesVacinas: mitos e verdades
Vacinas: mitos e verdades
 

Destaque

Cartas promoção da saúde
Cartas promoção da saúdeCartas promoção da saúde
Cartas promoção da saúdeIarly Nebraska
 
Promoção da saúde
Promoção da saúdePromoção da saúde
Promoção da saúdemarco :)
 
III Conferência Internacional de Promoção de Saúde de Sundvall
III Conferência Internacional de Promoção de Saúde de SundvallIII Conferência Internacional de Promoção de Saúde de Sundvall
III Conferência Internacional de Promoção de Saúde de SundvallFilipaFonseca
 
RESUMO EM SLIDE SUS
RESUMO EM SLIDE SUS RESUMO EM SLIDE SUS
RESUMO EM SLIDE SUS marinhokel
 
A0 declaração de alma ata
A0 declaração de alma ataA0 declaração de alma ata
A0 declaração de alma ataCepedoc FSP USP
 
Modelo de atenção integral à saúde
Modelo de atenção integral à saúdeModelo de atenção integral à saúde
Modelo de atenção integral à saúdeferaps
 
Aula Inaugural ETSUS - Sudeste
Aula Inaugural ETSUS - SudesteAula Inaugural ETSUS - Sudeste
Aula Inaugural ETSUS - Sudesteferaps
 
Rede de Atenção à Saúde
Rede de Atenção à SaúdeRede de Atenção à Saúde
Rede de Atenção à Saúdeferaps
 
Tuberculose - TB
Tuberculose - TBTuberculose - TB
Tuberculose - TBferaps
 
Risco e Vulnerabilidade
Risco e VulnerabilidadeRisco e Vulnerabilidade
Risco e Vulnerabilidadeferaps
 
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDESaúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDEAndressa Carmo
 
Atenção básica e redes de atenção à saúde
Atenção básica e redes de atenção à saúdeAtenção básica e redes de atenção à saúde
Atenção básica e redes de atenção à saúdeFelipe Assan Remondi
 
Noção e promoção de saúde(original)(2º perido)
Noção e promoção de saúde(original)(2º perido)Noção e promoção de saúde(original)(2º perido)
Noção e promoção de saúde(original)(2º perido)Gabriel Cristiano
 
Clube de roma e os limites do crescimento
Clube de roma e os limites do crescimentoClube de roma e os limites do crescimento
Clube de roma e os limites do crescimentoMarllus Lustosa
 

Destaque (20)

Cartas promoção da saúde
Cartas promoção da saúdeCartas promoção da saúde
Cartas promoção da saúde
 
Dss alma ata
Dss   alma ataDss   alma ata
Dss alma ata
 
Promoção da saúde
Promoção da saúdePromoção da saúde
Promoção da saúde
 
III Conferência Internacional de Promoção de Saúde de Sundvall
III Conferência Internacional de Promoção de Saúde de SundvallIII Conferência Internacional de Promoção de Saúde de Sundvall
III Conferência Internacional de Promoção de Saúde de Sundvall
 
RESUMO EM SLIDE SUS
RESUMO EM SLIDE SUS RESUMO EM SLIDE SUS
RESUMO EM SLIDE SUS
 
A0 declaração de alma ata
A0 declaração de alma ataA0 declaração de alma ata
A0 declaração de alma ata
 
Carta de ottawa
Carta de ottawaCarta de ottawa
Carta de ottawa
 
Modelo de atenção integral à saúde
Modelo de atenção integral à saúdeModelo de atenção integral à saúde
Modelo de atenção integral à saúde
 
Aula Inaugural ETSUS - Sudeste
Aula Inaugural ETSUS - SudesteAula Inaugural ETSUS - Sudeste
Aula Inaugural ETSUS - Sudeste
 
Rede de Atenção à Saúde
Rede de Atenção à SaúdeRede de Atenção à Saúde
Rede de Atenção à Saúde
 
Tuberculose - TB
Tuberculose - TBTuberculose - TB
Tuberculose - TB
 
Risco e Vulnerabilidade
Risco e VulnerabilidadeRisco e Vulnerabilidade
Risco e Vulnerabilidade
 
Carta de ottawa.
Carta de ottawa.Carta de ottawa.
Carta de ottawa.
 
CARTA DE OTTAWA
CARTA DE OTTAWACARTA DE OTTAWA
CARTA DE OTTAWA
 
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDESaúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
 
Carta de ottawa
Carta de ottawaCarta de ottawa
Carta de ottawa
 
Atenção básica e redes de atenção à saúde
Atenção básica e redes de atenção à saúdeAtenção básica e redes de atenção à saúde
Atenção básica e redes de atenção à saúde
 
Promoção+..
Promoção+..Promoção+..
Promoção+..
 
Noção e promoção de saúde(original)(2º perido)
Noção e promoção de saúde(original)(2º perido)Noção e promoção de saúde(original)(2º perido)
Noção e promoção de saúde(original)(2º perido)
 
Clube de roma e os limites do crescimento
Clube de roma e os limites do crescimentoClube de roma e os limites do crescimento
Clube de roma e os limites do crescimento
 

Semelhante a Promação da Saúde

Aula Promoção da Saúde.pptx
Aula Promoção da Saúde.pptxAula Promoção da Saúde.pptx
Aula Promoção da Saúde.pptxEdwinCardoso3
 
Aula Promoção da Saúde
Aula Promoção da Saúde Aula Promoção da Saúde
Aula Promoção da Saúde EdwinCardoso3
 
Geoci mari iparraguirre martins rodrigues trabalho promoção em saúde
Geoci mari iparraguirre martins rodrigues trabalho promoção em saúdeGeoci mari iparraguirre martins rodrigues trabalho promoção em saúde
Geoci mari iparraguirre martins rodrigues trabalho promoção em saúdeJosi Iparraguirre
 
CONASS-Pellegrini.ppt
CONASS-Pellegrini.pptCONASS-Pellegrini.ppt
CONASS-Pellegrini.pptZé Neto
 
BASES CONCEITUAIS DO SUS.pptx
BASES CONCEITUAIS DO SUS.pptxBASES CONCEITUAIS DO SUS.pptx
BASES CONCEITUAIS DO SUS.pptxRodrigoPAESVIEIRA
 
Saude ambiental, saude publica e educacao para saude
Saude ambiental, saude publica e educacao para saudeSaude ambiental, saude publica e educacao para saude
Saude ambiental, saude publica e educacao para saudeAraujoAvelino
 
6Defining health by addressing individual, social, and environmental determin...
6Defining health by addressing individual, social, and environmental determin...6Defining health by addressing individual, social, and environmental determin...
6Defining health by addressing individual, social, and environmental determin...AbguellXerindaDinis
 
Projeto promoção a saude e qualidade_de_vida
Projeto promoção a saude e qualidade_de_vidaProjeto promoção a saude e qualidade_de_vida
Projeto promoção a saude e qualidade_de_vidaivanaferraz
 
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUSEspecialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUSSebástian Freire
 
SUS - Aula MS1- 2023.pptx
SUS - Aula MS1- 2023.pptxSUS - Aula MS1- 2023.pptx
SUS - Aula MS1- 2023.pptxCamilaMO1
 
UNIDADE 1-Saúde Coletiva.pptx
UNIDADE 1-Saúde Coletiva.pptxUNIDADE 1-Saúde Coletiva.pptx
UNIDADE 1-Saúde Coletiva.pptxPatriciaNoro1
 
Dia mundial da saude
Dia mundial da saudeDia mundial da saude
Dia mundial da saudeHugo Victor
 
Slides coletiva andressa p.01 à p.20
Slides coletiva andressa p.01 à p.20Slides coletiva andressa p.01 à p.20
Slides coletiva andressa p.01 à p.20Andressa Carmo
 

Semelhante a Promação da Saúde (20)

Aula Promoção da Saúde.pptx
Aula Promoção da Saúde.pptxAula Promoção da Saúde.pptx
Aula Promoção da Saúde.pptx
 
Aula Promoção da Saúde
Aula Promoção da Saúde Aula Promoção da Saúde
Aula Promoção da Saúde
 
Carta de Ottawa
Carta de OttawaCarta de Ottawa
Carta de Ottawa
 
Carta de ottawa
Carta de ottawaCarta de ottawa
Carta de ottawa
 
PROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTO
PROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTOPROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTO
PROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTO
 
Txt 587316149
Txt 587316149Txt 587316149
Txt 587316149
 
Geoci mari iparraguirre martins rodrigues trabalho promoção em saúde
Geoci mari iparraguirre martins rodrigues trabalho promoção em saúdeGeoci mari iparraguirre martins rodrigues trabalho promoção em saúde
Geoci mari iparraguirre martins rodrigues trabalho promoção em saúde
 
Princípios e campos.pptx
Princípios e campos.pptxPrincípios e campos.pptx
Princípios e campos.pptx
 
CONASS-Pellegrini.ppt
CONASS-Pellegrini.pptCONASS-Pellegrini.ppt
CONASS-Pellegrini.ppt
 
BASES CONCEITUAIS DO SUS.pptx
BASES CONCEITUAIS DO SUS.pptxBASES CONCEITUAIS DO SUS.pptx
BASES CONCEITUAIS DO SUS.pptx
 
Saude ambiental, saude publica e educacao para saude
Saude ambiental, saude publica e educacao para saudeSaude ambiental, saude publica e educacao para saude
Saude ambiental, saude publica e educacao para saude
 
6Defining health by addressing individual, social, and environmental determin...
6Defining health by addressing individual, social, and environmental determin...6Defining health by addressing individual, social, and environmental determin...
6Defining health by addressing individual, social, and environmental determin...
 
Projeto promoção a saude e qualidade_de_vida
Projeto promoção a saude e qualidade_de_vidaProjeto promoção a saude e qualidade_de_vida
Projeto promoção a saude e qualidade_de_vida
 
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUSEspecialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
 
SUS - Aula MS1- 2023.pptx
SUS - Aula MS1- 2023.pptxSUS - Aula MS1- 2023.pptx
SUS - Aula MS1- 2023.pptx
 
UNIDADE 1-Saúde Coletiva.pptx
UNIDADE 1-Saúde Coletiva.pptxUNIDADE 1-Saúde Coletiva.pptx
UNIDADE 1-Saúde Coletiva.pptx
 
Cs1
Cs1Cs1
Cs1
 
Aula de promocao 1.
Aula de promocao 1.Aula de promocao 1.
Aula de promocao 1.
 
Dia mundial da saude
Dia mundial da saudeDia mundial da saude
Dia mundial da saude
 
Slides coletiva andressa p.01 à p.20
Slides coletiva andressa p.01 à p.20Slides coletiva andressa p.01 à p.20
Slides coletiva andressa p.01 à p.20
 

Mais de feraps

Etiologia na visão da MTC
Etiologia na visão da MTCEtiologia na visão da MTC
Etiologia na visão da MTCferaps
 
Corpo energético
Corpo energéticoCorpo energético
Corpo energéticoferaps
 
Humaniza SUS marco teorico
Humaniza SUS marco teoricoHumaniza SUS marco teorico
Humaniza SUS marco teoricoferaps
 
Carta usuarios saude
Carta usuarios saudeCarta usuarios saude
Carta usuarios saudeferaps
 
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúde
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúdeRede - Intersetorialidade - Necessidades em saúde
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúdeferaps
 
Mapa - territorialização e Papel do TVS
Mapa - territorialização e Papel do TVSMapa - territorialização e Papel do TVS
Mapa - territorialização e Papel do TVSferaps
 
Trabalho de campo
Trabalho de campoTrabalho de campo
Trabalho de campoferaps
 
Território e o Processo Saúde - Doença
Território e o Processo Saúde - DoençaTerritório e o Processo Saúde - Doença
Território e o Processo Saúde - Doençaferaps
 
Participação e controle social
Participação e controle socialParticipação e controle social
Participação e controle socialferaps
 
Pacto pela saúde sus
Pacto pela saúde   susPacto pela saúde   sus
Pacto pela saúde susferaps
 
Sistema Único de Saúde
Sistema Único de SaúdeSistema Único de Saúde
Sistema Único de Saúdeferaps
 
Políticas públicas no brasil
Políticas públicas no brasilPolíticas públicas no brasil
Políticas públicas no brasilferaps
 
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempo
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempoVigilância em saúde no Brasil ao longo do tempo
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempoferaps
 
Raiva e a Importância da Campanha da Vacinação
Raiva e a Importância da Campanha da VacinaçãoRaiva e a Importância da Campanha da Vacinação
Raiva e a Importância da Campanha da Vacinaçãoferaps
 
Identidade, diferença e desigualdades no brasil
Identidade, diferença e desigualdades no brasilIdentidade, diferença e desigualdades no brasil
Identidade, diferença e desigualdades no brasilferaps
 
Formação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiroFormação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiroferaps
 
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de SaúdeProcesso Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúdeferaps
 
Teniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseTeniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseferaps
 
Tec vig saude saude doença
Tec vig saude saude doençaTec vig saude saude doença
Tec vig saude saude doençaferaps
 
Termo de consentimento livre e esclarecido tcle
Termo de consentimento livre e esclarecido tcleTermo de consentimento livre e esclarecido tcle
Termo de consentimento livre e esclarecido tcleferaps
 

Mais de feraps (20)

Etiologia na visão da MTC
Etiologia na visão da MTCEtiologia na visão da MTC
Etiologia na visão da MTC
 
Corpo energético
Corpo energéticoCorpo energético
Corpo energético
 
Humaniza SUS marco teorico
Humaniza SUS marco teoricoHumaniza SUS marco teorico
Humaniza SUS marco teorico
 
Carta usuarios saude
Carta usuarios saudeCarta usuarios saude
Carta usuarios saude
 
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúde
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúdeRede - Intersetorialidade - Necessidades em saúde
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúde
 
Mapa - territorialização e Papel do TVS
Mapa - territorialização e Papel do TVSMapa - territorialização e Papel do TVS
Mapa - territorialização e Papel do TVS
 
Trabalho de campo
Trabalho de campoTrabalho de campo
Trabalho de campo
 
Território e o Processo Saúde - Doença
Território e o Processo Saúde - DoençaTerritório e o Processo Saúde - Doença
Território e o Processo Saúde - Doença
 
Participação e controle social
Participação e controle socialParticipação e controle social
Participação e controle social
 
Pacto pela saúde sus
Pacto pela saúde   susPacto pela saúde   sus
Pacto pela saúde sus
 
Sistema Único de Saúde
Sistema Único de SaúdeSistema Único de Saúde
Sistema Único de Saúde
 
Políticas públicas no brasil
Políticas públicas no brasilPolíticas públicas no brasil
Políticas públicas no brasil
 
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempo
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempoVigilância em saúde no Brasil ao longo do tempo
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempo
 
Raiva e a Importância da Campanha da Vacinação
Raiva e a Importância da Campanha da VacinaçãoRaiva e a Importância da Campanha da Vacinação
Raiva e a Importância da Campanha da Vacinação
 
Identidade, diferença e desigualdades no brasil
Identidade, diferença e desigualdades no brasilIdentidade, diferença e desigualdades no brasil
Identidade, diferença e desigualdades no brasil
 
Formação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiroFormação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiro
 
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de SaúdeProcesso Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
 
Teniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseTeniase e cisticercose
Teniase e cisticercose
 
Tec vig saude saude doença
Tec vig saude saude doençaTec vig saude saude doença
Tec vig saude saude doença
 
Termo de consentimento livre e esclarecido tcle
Termo de consentimento livre e esclarecido tcleTermo de consentimento livre e esclarecido tcle
Termo de consentimento livre e esclarecido tcle
 

Último

Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...azulassessoriaacadem3
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdfJanielleCristina1
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfRuannSolza
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...excellenceeducaciona
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 

Promação da Saúde

  • 2. Origens e concepção Relacionada à Vigilância à Saúde e ao movimento de crítica à medicalização da saúde. Se estende para além da ausência de doenças, incidindo sobre as condições de vida da população, ultrapassando a prestação de serviços clínico-assistenciais. Ações: intersetoriais envolvendo a educação, o saneamento básico, a habitação, a renda, o trabalho, a alimentação, o meio ambiente, o acesso a bens e serviços essenciais, o lazer e outros determinantes sociais de saúde.
  • 3. Marco: Carta de Ottawa – Inspirada pelos princípios da Declaração de Alma Ata (1978) e pela meta “Saúde para todos no ano 2000”. A carta enfoca que a promoção está além do setor Saúde e enfatiza que todos os setores, inclusive os não diretamente relacionados, assumam a Saúde como meta. “Para promover la salud se deber ir más alla del mero cuidado de la misma. La salud há de formar parte del ordem del día de los responsables de la elaboración de los programas políticos, em todos los setores y a todos los niveles, com objetivo de hacerles tomar conciencia de las consecuencias que sus decisiones pueden tener para la salud y llevarles así a asumir la responsabilidad que tienen em este respecto. (OMS, 1996, p.368)”
  • 4. A Carta de Ottawa é um documento apresentado na Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde, realizado em Ottawa, Canadá, em novembro de 1986. Trata-se de uma Carta de Intenções que busca contribuir com as políticas de saúde em todos os países, de forma equânime e universal.
  • 5. A Declaração de Alma-Ata foi formulada por ocasião da Conferência Internacional sobre Cuidados Primários de Saúde, reunida em Alma-Ata, na República do Cazaquistão (ex república socialista soviética), entre 6 e 12 de setembro de 1978, dirigindo-se a todos os governos, na busca da promoção de saúde a todos os povos do mundo.
  • 6. A carta de Ottawa menciona que a promoção da saúde tem como campo de ação: • Políticas Públicas favoráveis; • Criação de ambientes propícios; • Fortalecimento de ação comunitária; • Desenvolvimento de habilidades pessoais; • Reorientação dos Serviços Sanitários.
  • 7. Ao menos quatro documentos foram e são importantes para a construção das bases da Promoção da Saúde no Mundo: Textos de Henry Sigerist (1942): Propondo que a promoção da saúde seja uma das quatro tarefas básicas da medicina (promoção da saúde, prevenção das doenças, restabelecimento do doente e reabilitação). Informe de Marc Lalond (1974): Priorizando as políticas públicas voltadas para a atenção primária e ao desenvolvimento comunitário. Destacou como importantes componentes a biologia humana, o meio ambiente, o estilo de vida e a organização da atenção à saúde.
  • 8. Declaração de Alma Ata – OMS (1978): Proporcionando novos caminhos para as políticas públicas de saúde e enfatizando a importância da participação popular e a cooperação entre os diferentes setores sociais. Carta de Ottawa:
  • 9. Sete Princípios da Promoção da Saúde – OMS, 1998 • Concepção Holística; • Intersetorialidade; • Empoderamento; • Participação Social; • Equidade; • Ações multi-estratégicas; • Sustentabilidade.
  • 10. Conferências Internacionais sobre Promoção da Saúde I Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde Foi realizada em Ottawa, no Canadá, em novembro de 1986. O tema era “Promoção da Saúde nos Países Industrializados”, em decorrência das expectativas mundiais por uma saúde pública eficiente, focalizando em especial as necessidades dos países industrializados, e estendendo tal necessidade aos demais países. Mediante os progressos alcançados após a Declaração de Alma-Ata para a Atenção primária à saúde, o documento da OMS “As Metas da Saúde para Todos” e o debate ocorrido na Assembléia Mundial da Saúde sobre as ações intersetoriais necessárias, foi elaborada a Carta de Ottawa, que estabelecia fatores de importância para o alcance de uma saúde para todos.
  • 11. II Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde Foi realizada em Adelaide, na Austrália em abril de 1988. O tema central era “Promoção da Saúde e Políticas Públicas Saudáveis”. Na Declaração (Declaração de Adelaide) é firmado que o principal propósito das políticas públicas saudáveis é a criação de ambientes físicos e sociais favoráveis a saúde.
  • 12. III Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde Foi realizada em Sundsvall, na Suécia em junho de 1991. O tema era “Promoção da Saúde e Ambientes Favoráveis á Saúde”. Ressaltava, portanto, que o ambiente físico, social, econômico ou político deveria ser cada vez mais propício à saúde. Como documento final, a Declaração de Sundsvall, que reconhecia a importância do papel de cada um na criação de ambientes favoráveis e promotores de saúde, cuja criação deve ser guiada pela equidade.
  • 13. IV Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde Foi a primeira a ter lugar em um país em desenvolvimento e a incluir o setor privado no apoio à promoção da saúde. Foi realizada em Jacarta em julho de 1997, e o tema era “Promoção da Saúde no Século XXI”. A Declaração de Jacarta reafirmou a concepção e os princípios proferidos nas conferências anteriores e enfatiza que a “saúde é um direito humano fundamental e essencial para o desenvolvimento social e econômico” (Brasil, 2001, p.43).
  • 14. V Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde Foi realizada na Cidade do México em de julho de 2000, e seu tema era “Promoção da Saúde: Rumo a Maior Equidade”. Reconheceu a responsabilidade dos governantes nas políticas de saúde, assim como a necessidade do compartilhamento dessas estratégias entre todos os setores sociais. O documento proposto, a Declaração do México, constatou uma melhora significativa do bem-estar social em muitos países do mundo, porém ressaltou a persistência de problemas que exigiam solução urgente e, para tanto, estabeleceu ações dirigidas à saúde, em especial à Saúde Pública.
  • 15. VI Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde Foi realizada em Bangkok, na Tailândia em agosto de 2005. O tema foi a “Promoção da Saúde num Mundo Globalizado”, com a elaboração da Carta de Bangkok, que buscou identificar as ações, os compromissos e as promessas necessárias para abordar os determinantes da saúde num mundo globalizado, através da promoção da saúde. A Carta de Bangkok defendeu como requisito do desenvolvimento global as políticas e alianças capazes de capacitar as comunidades para a melhoria social, além de reafirmar os valores e estratégias da Carta de Ottawa.
  • 16. Promoção da Saúde não é responsabilidade apenas do Setor Saúde, pois exige estilos de vida saudáveis para o bem estar. A Promoção da Saúde é um processo que pretende aumentar a capacidade dos indivíduos ou grupos de controlarem sua saúde, no sentido de melhorá-la. Pré Requisitos fundamentais para saúde: • Paz • Abrigo • Educação • Alimentação • Recursos Econômicos • Ecossistema Sustentável • Recursos Sustentáveis • Justiça Social • Equidade
  • 17. A Promoção da Saúde para sua implantação tem como estratégia: • Intersetorialidade; • Mobilização Social; • Sustentabilidade; • Advocacia (Defesa Pública da Saúde). Sua meta: • Melhora na qualidade de vida Princípios norteadores: • Justiça Social; • Paz; • Equidade. Campo de ação, segunda a Carta de Ottawa: • Implementação de Políticas Públicas; • Criação de Ambientes Saudáveis; • Capacitação da comunidade; • Desenvolvimento de habilidades individuais e coletivas; • Reorientação dos serviços de saúde.
  • 18. Os resultados das intervenções na Promoção da Saúde se baseiam em dois conceitos fundamentais: Eficácia Efetividade Ou seja: A Promoção da Saúde é eficaz quando conduz a mudanças nos determinantes de saúde. E efetiva quando uma intervenção é favorável ou exitosa em condições de vida real com sustentabilidade.
  • 19. Prosseguindo: O paradigma Promoção da Saúde tem como um dos seus pilares as Cidades Saudáveis. Cidades Saudáveis enfatiza o papel dos cidadãos em lidar com o complexos problemas de saúde para atingir o objetivo de se criar uma cidade saudável. Cidade Saudável deve ser definida como um Política de Governo, o qual deve estar envolvido em todo o processo. Tendo no Brasil o setor saúde uma tradição em lutas e pioneirismo nos processos de descentralização é por ele que se inicia os Projetos para a construção de Cidades Saudáveis.
  • 20. Projeto Cidade Saudável é necessário: • Inter-relação da saúde com a educação: • Inter-relação com a habitação; • Inter-relação com o saneamento; • Inter-relação com o transporte; • Inter-relação com o lazer. Desta forma: É requerido Políticas Integradas e mudanças no processo de trabalho e na gestão. Para que isso aconteça é necessário uma mudanças na sociedade, já que uma cidade é a expressão de sua sociedade. A sociedade precisa começar as mudanças. Para isso a OMS define 10 requisitos para um cidade saudável: Ambiente limpo e seguro; Ecossistema estável e sustentável; Alto suporte social; Alto grau de participação social; Necessidades básicas satisfeitas; Acesso a experiências, recursos, contatos e interações e comunicações; Economia local diversidade e inovadora; Orgulho e respeito pela herança biológica e cultural; Serviços de saúde acessíveis; Alto nível de saúde.
  • 21. Estando ligados a Saúde, o Ambiente e a Economia a Ponte Dialógica que representa a possibilidade de desenvolvimento sustentável é a: S U S T E N T A B I L I D A D E Hoje: • Políticas e modos de ação voltadas para: • Acúmulo de Poder Políticos; • Acúmulo de Poder Econômico; • Política ambiental de insustentabilidade; • Política social de cunho assistencialista tanto na saúde com no social.
  • 22. Há inúmeros sinais da relação saúde e sustentabilidade, fazendo com que esse conceito ganhe destaque nos dias de hoje. Desta forma, o crescimento econômico que não tem sido capaz de diminuir a pobreza e melhorar as condições de vida e saúde da população, pelo contrário, com o aumento dos desastres ambientais, escassez dos recursos naturais não renováveis, mudanças epidemiológicas, extinção de espécies, poluição de rios, mares e do ar fez surgir o conceito de Desenvolvimento Sustentável. Assim, segundo a Comissão Mundial de Meio Ambiente e Desenvolvimento, Desenvolvimento Sustentável é aquele que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem suas próprias necessidades.
  • 23. Na RIO - ECO 92 foram assinados documentos que server de base para a elaboração das Políticas Públicas: • Agenda 21; • Carta da Terra; • Declaração sobre as Florestas; • Convenções sobre Mudanças Climáticas; • Biodiversidade; • Desertificação; • Etc.
  • 24. A Agenda 21: Programa de ação constituído de um documento de 40 capítulo. É uma ferramenta de Planejamento participativo para o Desenvolvimento Sustentável. Assim temos: • Agenda 21 Global . • Agenda 21 Brasileira – Instrumento para o desenvolvimento sustentável do país. • Agenda 21 Local – Processo de planejamento participativo de um determinado território. Três áreas da saúde estão mais relacionadas e preocupadas com a interface entre o meio ambiente, o desenvolvimento sustentável e a saúde: • Promoção da Saúde; • Saúde Ambiental; • Saúde do Trabalhador.