Android Core Aula 7 - Aplicações (Services, Broadcast Receivers, NDK/JNI)

1.169 visualizações

Publicada em

Última aula de Android Core, sobre aplicações. Nesta aula veremos conceitos e implementações de Services, Broadcasts receivers e código nativo, utilizando NDK e JNI.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.169
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Android Core Aula 7 - Aplicações (Services, Broadcast Receivers, NDK/JNI)

  1. 1. Android Core Felipe Silveira felipesilveira.com.br Aula 7
  2. 2. Aplicações II
  3. 3. Services
  4. 4. Services Service é um dos componentes principais da plataforma Android. ● Executado em background ● Sem interface com o usuário ● Sua execução continua mesmo quando o usuário inicia outra aplicação.
  5. 5. Services Dois principais tipos: ● Started: são services iniciados através de outros componentes (activities, por exemplo) através do método startService(). Após o seu início, o serviço pode continuar sendo executado indefinidamente.
  6. 6. Services ● Bound: são services iniciados através do método bindService(). Os Bound Services interagem com os outros componentes através de uma interface cliente- servidor, que inclusive podem ocorrer entre diferentes processos (IPC). Um Bound Service é executado enquanto possui requisições a serem tratadas.
  7. 7. Services O que um Service NÃO é: ● Um service NÃO é um processo separado. Ele pode ser executado em um processo separado, mas por padrão não é. ● Um service NÃO é um thread separada. Por padrão, seu código é executado na Main Thread.
  8. 8. Services Ciclo de vida
  9. 9. Services package android.helloworld.sync; import android.app.Service; import android.content.Intent; import android.os.AsyncTask; import android.os.IBinder; public class QuickNotesSyncService extends Service { @Override public int onStartCommand(Intent intent, int flags, int startId) { new SyncDataTask().execute(); return START_NOT_STICKY; } @Override public IBinder onBind(Intent arg0) { // Neste exemplo, iremos supor que o service sera invocado apenas // atraves de startService() return null; } private class SyncDataTask extends AsyncTask<Void, Integer, Void> { protected Void doInBackground(Void... p) { DataSync d = new DataSync(QuickNotesSyncService.this); d.syncPendingNotes(); return null; } } } Exemplo de implementação: QuickNotesSyncService.java
  10. 10. Services Após implementar a classe filha de Service, é necessário registrar o serviço no AndroidManifest: <application android:icon="@drawable/icon" android:label="QuickNotes" > … <service android:name="android.helloworld.sync.QuickNotesSyncService" > </service> </application>
  11. 11. Services Intent i = new Intent(context, QuickNotesSyncService.class); startService(i);
  12. 12. Broadcast Receiver
  13. 13. Broadcast receivers O último - e não menos importante - dos principais componentes de uma aplicação Android é o Broadcast Receiver. Broadcast Receivers são componentes responsáveis por receber e tratar mensagens do sistema ou de outras aplicações (Broadcasts)
  14. 14. Broadcast receivers Broadcasts podem ser lançados pelo sistema ou por aplicações. Exemplos de broadcasts do sistema: ● Intent.ACTION_BOOT_COMPLETED ● Intent.ACTION_POWER_CONNECTED ● Intent.ACTION_POWER_DISCONNECTED ● Intent.ACTION_BATTERY_LOW ● Intent.ACTION_BATTERY_OKAY
  15. 15. Broadcast receivers Broadcast receivers não possuem Interface com usuário, mas eles podem lançar um Notificação para alertar o usuário que algum evento ocorreu. Normalmente, o broadcast receiver age como um gateway, recebendo os broadcasts e invocando outros componentes, como activities, services, etc.
  16. 16. Broadcast receivers Ciclo de vida O ciclo de vida de um Broadcast é bastante simples: Quando o broadcast a ser capturado ocorre, o método onReceive() é chamado. Após isso, o broadcast receiver é retirado da memória. É importante ressaltar que o método onReceive() é executado na main thread, então é importante lançar uma nova thread para operações demoradas.
  17. 17. Broadcast receivers É importante ressaltar que o método onReceive() é executado na main thread, então é importante lançar uma nova thread para operações demoradas.
  18. 18. Broadcast receivers package android.helloworld.sync; import android.content.BroadcastReceiver; import android.content.Context; import android.content.Intent; import android.net.ConnectivityManager; import android.net.NetworkInfo; public class ConnWatcher extends BroadcastReceiver{ @Override public void onReceive(Context context, Intent intent) { ConnectivityManager cm = (ConnectivityManager)context.getSystemService( Context.CONNECTIVITY_SERVICE); NetworkInfo activeNetwork = cm.getActiveNetworkInfo(); boolean isConnected = (activeNetwork != null) && activeNetwork.isConnected(); if (isConnected) { Intent i = new Intent(context, QuickNotesSyncService.class); context.startService(i); } } } Exemplo de implementação: ConnWatcher.java
  19. 19. Broadcast receivers Após implementar a classe filha de BroadcastReceiver, é necessário registrar o serviço no AndroidManifest: <application android:icon="@drawable/icon" android:label="QuickNotes" > … <receiver android:name="android.helloworld.sync.ConnWatcher"> <intent-filter> <action android:name="android.net.conn.CONNECTIVITY_CHANGE" /> </intent-filter> </receiver> </application>
  20. 20. Broadcast receivers Além de registrar o broadcast receiver, é também necessário declarar a permissão que será usada. No nosso caso, a permissão para acessar o estado das conexões de rede. … <uses-sdk android:minSdkVersion="4" /> <uses-permission android:name="android.permission.ACCESS_NETWORK_STATE" /> <application android:icon="@drawable/icon" android:label="QuickNotes" >
  21. 21. HTTP
  22. 22. Clientes HTTP Em Android temos dois clientes HTTP: ● Apache HTTP Client ● HttpURLConnection O Google aconselha o uso de HttpURLConnection desde a versão 2.3 (Gingerbread)
  23. 23. Sincronização Usaremos o HTTPUrlConnection para enviar as notas, que no nosso exemplo são armazenadas no banco de dados local, para um servidor remoto. Vamos fazer isso em dois passos: 1) Criar uma flag no banco de dados, para termos controle do que já foi enviado. 2) Usar HTTPUrlConnection para enviar os dados via POST para o servidor remoto.
  24. 24. Sincronização Para criar uma coluna extra na tabela do nosso banco de dados, basta alterar o método onCreate da classe QuickNotesProvider$DBHelper @Override public void onCreate(SQLiteDatabase db) { db.execSQL("CREATE TABLE " + NOTES_TABLE + " (" + Notes.NOTE_ID + " INTEGER PRIMARY KEY AUTOINCREMENT," + Notes.SYNCED + " INTEGER," + Notes.TEXT + " LONGTEXT" + ");"); }
  25. 25. Sincronização Após a alteração no DBHelper, é necessário criar a constante SYNCED na classe QuickNotesProvider$Notes, que fica assim: public static final class Notes implements BaseColumns { public static final Uri CONTENT_URI = Uri.parse("content://" + QuickNotesProvider.AUTHORITY + "/notes"); public static final String CONTENT_TYPE = "vnd.android.cursor.dir/vnd.jwei512.notes"; public static final String NOTE_ID = "_id"; public static final String TEXT = "text"; public static final String SYNCED = "synced"; }
  26. 26. Sincronização Além das alterações no Content Provider, precisamos alterar o método addNote da MainActivity para passar a gravar as notas com a flag SYNCED = 0, significando que ela ainda não foi enviada ao server. protected void addNote(String text) { … values.put(QuickNotesProvider.Notes.SYNCED, 0); … }
  27. 27. Sincronização Com a flag criada, seguimos ao segundo passo, que é a criação dos métodos para acesso ao servidor remoto. Criaremos para isso a class DataSync, já referenciada no QuickNotesSyncService, e que possui dois métodos: ● syncPendingNotes(), responsável por procurar no banco de dados as notas ainda não enviadas, e ● sendPendingNote(), responsável por enviar uma nota ao servidor.
  28. 28. Sincronização Com a implementação dos métodos citados, a classe DataSync fica como mostrado no endereço abaixo: https://github. com/felipesilveira/QuickNotes/blob/master/src/android/he lloworld/sync/DataSync.java
  29. 29. Sincronização Por fim, basta invocar o serviço de sincronização no método addNote(), se houver internet: ConnectivityManager cm = (ConnectivityManager)getSystemService( Context.CONNECTIVITY_SERVICE); NetworkInfo activeNetwork = cm.getActiveNetworkInfo(); bool ean isConnected = (activeNetwork != null) && activeNetwork.isConnected(); if (isConnected) { Intent i = new Intent(this, QuickNotesSyncService.class); startService(i); }
  30. 30. Backend Para os testes, foi criado um backend no seguinte endereço: http://tests.felipesilveira.com.br/android-core/ Onde são listadas todas as notas enviadas através de POST para a URL: http://tests.felipesilveira.com.br/android-core/insert.php
  31. 31. NDK
  32. 32. NDK O NDK permite que códigos escritos em linguagem nativa (C/C++) sejam executados em uma aplicação android. O objetivo do NDK não é substituir o desenvolvimento Java por desenvolvimento nativo, e sim complementá-lo em situações específicas.
  33. 33. NDK Principais usos: ● Reaproveitamento de bibliotecas nativas ● Execução de algoritmos complexos ● Jogos
  34. 34. JNI Toda comunicação entre código Java e código nativo é feita através de JNI - Java Native Interface.
  35. 35. Activities As chamadas nativas podem ser integradas à aplicação de basicamente duas formas: ● Em Activities convencionais ● Em NativeActivities, que são Activities especiais cujo propósito é ser inteiramente implementadas de forma nativa - muito comuns em jogos.
  36. 36. Criando uma chamada nativa Iremos agora criar uma chamada nativa dentro de nossa MainActivity. Será uma chamada bastante simples, que apenas será responsável por criar uma entrada no log da aplicação.
  37. 37. Criando uma chamada nativa Passo 1 - Criando o código em C Crie o diretório jni dentro do diretório do projeto QuickNotes, e dentro dele crie o arquivo native.c, com o seguinte conteúdo: #include <jni.h> #include <string.h> #include <android/log.h> #define DEBUG_TAG "NDK_AndroidNDK1SampleActivity" void Java_com_example_Activity_helloLog(JNIEnv * env, jobject this, jstring logThis) { jboolean isCopy; const char * szLogThis = (*env)->GetStringUTFChars(env, logThis, &isCopy); __android_log_print(ANDROID_LOG_DEBUG, DEBUG_TAG, "NDK:LC: [%s]", szLogThis); (*env)->ReleaseStringUTFChars(env, logThis, szLogThis); }
  38. 38. Criando uma chamada nativa Passo 2 - Criando as chamadas no código java Dentro do método addNote() da MainActivity, adicione a seguinte chamada: helloLog("Nota corretamente adicionada!"); E declare o método nativo da seguinte forma: private native void helloLog(String logThis);
  39. 39. Criando uma chamada nativa Passo 2 - Criando as chamadas no código java Além disso, é também necessário fazer a inicialização estática da lib a ser criada: st atic { System.loadLibrary("ndk1"); }
  40. 40. Criando uma chamada nativa Passo 3 - Criando o Makefile para o código nativo É necessária a criação de um Makefile para o código nativo que criamos, para que seja possível o compilarmos usando o NDK. Para isso, crie o arquivo Android.mk com o seguinte conteúdo: LOCAL_PATH := $(call my-dir) include $(CLEAR_VARS) LOCAL_LDLIBS := -llog LOCAL_MODULE := ndk1 LOCAL_SRC_FILES := native.c include $(BUILD_SHARED_LIBRARY)
  41. 41. Criando uma chamada nativa Passo 4 - Compilando o código nativo Para compilar o código nativo, basta entrar no diretório jni e executar o comando ndk-build (presente na raiz do ndk).
  42. 42. Criando uma chamada nativa Passo 5 - Compilando a aplicação Por fim, basta compilar a aplicação QuickNotes da forma tradicional, para a chamada nativa estar integrada ao código Java.
  43. 43. Bibliografia Pro Android C++ with the NDK Onur Cinar Advanced Android: Getting Started with the NDK http://mobile.tutsplus.com/tutorials/android/ndk-tutorial/
  44. 44. Github O projeto inteiro está disponível para download no github: https://github.com/felipesilveira/QuickNotes
  45. 45. Obrigado.

×