Universidade Federal da Paraíba - Centro de Ciências Sociais Aplicadas - Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis
C...
INTRODUÇÃO
www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 2
• Pressupostos:
• Os ECVs afetam os fundamentos das empresas, inclu...
INTRODUÇÃO
www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 3
Figura 2 – Ambiente informacional nos diversos estágios do ciclo de...
INTRODUÇÃO
• Objetivo geral:
Analisar o efeito da competição por melhores informações em
ECVs que possuem menos informaçõe...
HIPÓTESE
1. Empresas em um estágio inicial entram nos mercados com
pouca informação disponível publicamente sobre o seu
po...
HIPÓTESE
• Hasan et al (2015) foram os primeiros a constatar
empiricamente o que Easley e O’Hara (2004) e Christensen,
Ros...
METODOLOGIA
Amostra e dados:
• Período: 2008 a 2014.
• Dados: Thomson Reuters Eikon®.
• Excluídas as empresas do setor fin...
METODOLOGIA
Custo do capital implícito (COC):
• Foi utilizado o COC em excesso à Rf (EASTON, 2004, TAR;
BOTOSAN; PLUMLEE, ...
METODOLOGIA
Estágios do ciclo de vida (ECV):
• Modelo de Dickinson (2011)
www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 9
Flux...
Teste básico da Hipótese 2 (eq. 5):
10
𝐶𝑂𝐶𝑖𝑡
= 𝛼 + 𝛽1 𝑏𝑒𝑡𝑎𝑖𝑡 + 𝛽2 𝑠𝑖𝑧𝑒𝑖𝑡 + 𝛽3ln(𝑚𝑡𝑏)𝑖𝑡 + 𝛽4ln (𝐶𝑂𝐵𝐸𝑃𝑆
)𝑖𝑡 + 𝛽5 𝑁𝑜𝑛𝑀𝑎𝑡
+ 𝛽6...
0
.2.4.6.8
1
COCpeg_prem
Nascimento Crescimento Maturidade Turbulência Declínio
0
.05
.1
.15
.2
.25
COCpeg_prem Nascimento...
Variável Sinal esperado
COCpeg_prem
(9)a
COCpeg_prem
(10)a
COCpeg_prem
(12)c
beta + 0,0114
(0,0187)
0,0118
(0,0178)
0,0448...
-4.00-2.00
0.002.004.00
NonMat
0 .1 .2 .3 .4 .5 .6 .7 .8 .9 1
Quantile
-0.20-0.10
0.000.100.20
size*NonMat
0 .1 .2 .3 .4 ....
• Contribuições do artigo:
1. Evidências de que os ECVs podem impactar o COC;
2. A competição por informações de empresas ...
CONSIDERAÇÕES FINAIS
• Principais limitações:
1. Os resultados devem ser analisados e utilizados
com cautela, devido à lim...
QUANDO A COMPETIÇÃO POR INFORMAÇÕES
DE EMPRESAS NÃO
MADURAS REDUZ SEU CUSTO DO CAPITAL?
Edilson Paulo
Universidade Federal...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

QUANDO A COMPETIÇÃO POR INFORMAÇÕES DE EMPRESAS NÃO MADURAS REDUZ SEU CUSTO DO CAPITAL?

505 visualizações

Publicada em

O artigo completo poderá ser baixado clicando aqui: http://congressos.anpcont.org.br/x/anais/files/2016-05/mfc28.pdf

O objetivo deste artigo foi analisar o efeito da competição por informações em estágios do ciclo de vida organizacional (ECV) que possuem menos informações publicamente disponíveis no custo implícito do capital das companhias abertas brasileiras. Utilizou-se a teoria de Grossman e Stiglitz (1980) e Easley e O’Hara (2004), sobre a distribuição de informações, bem como a teoria do ciclo de vida organizacional (e.g. Miller & Friesen, 1984). A amostra contou com observações no período de 2008 a 2014. Para classificar as empresas em um dos 5 ECV, utilizou-se o modelo de Dickinson (2011). Como proxies para a competição por informações, utilizou-se a cobertura de analistas e o tamanho da empresa. Os principais resultados apontaram que as empresas não maduras se deparam com um custo do capital maior e a competição por informações sobre as empresas não maduras pode reduzir seu custo do capital. A análise conjunta da competição por informações sobre as empresas não maduras e o ambiente informacional na qual estas empresas estão inseridas evidenciou que o comportamento da não maturidade e da interação entre ela e a competição por informações é mais forte para empresas com custo de capital alto, ou seja: com ambiente informacional previamente ruim. A principal contribuição deste artigo à literatura sobre custo do capital e ciclo de vida foi relacionada com a análise da competição por melhores informações especificamente sobre empresas no estágio de não maturidade, uma vez que elas possuem menos informações publicamente disponíveis do que as demais.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
505
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
329
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

QUANDO A COMPETIÇÃO POR INFORMAÇÕES DE EMPRESAS NÃO MADURAS REDUZ SEU CUSTO DO CAPITAL?

  1. 1. Universidade Federal da Paraíba - Centro de Ciências Sociais Aplicadas - Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis Campus I - Cidade Universitária - CEP 58.051-900 - João Pessoa/PB Telefone: +55 (83) 3216 7285 - http://ccsa.ufpb.br/ppgcc - e-mail: ppgcc@ccsa.ufpb.br QUANDO A COMPETIÇÃO POR INFORMAÇÕES DE EMPRESAS NÃO MADURAS REDUZ SEU CUSTO DO CAPITAL? LUIZ FELIPE DE A. PONTES GIRÃO LFAPG@HOTMAIL.COM EDILSON PAULO e.paulo@uol.com.br
  2. 2. INTRODUÇÃO www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 2 • Pressupostos: • Os ECVs afetam os fundamentos das empresas, inclusive o COC, (BLACK, 1998; EASLEY; O’HARA, 2004; DRAKE, 2015; LIMA et al, 2015) e à medida em que há a evolução com relação aos ECVs, as incertezas sobre os fundamentos serão reduzidas (CHRISTENSEN; ROSA; FELTHAM, 2010). • Empresas menos maduras são mais opacas informacionalmente do que as empresas mais maduras (EASLEY; O’HARA, 2004).
  3. 3. INTRODUÇÃO www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 3 Figura 2 – Ambiente informacional nos diversos estágios do ciclo de vida organizacional e a sua relação com a incerteza sobre a empresa
  4. 4. INTRODUÇÃO • Objetivo geral: Analisar o efeito da competição por melhores informações em ECVs que possuem menos informações publicamente disponíveis no custo do capital das companhias abertas brasileiras www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 4
  5. 5. HIPÓTESE 1. Empresas em um estágio inicial entram nos mercados com pouca informação disponível publicamente sobre o seu potencial para geração de receitas e custos relacionados a sua atividade; 2. Empresas em estágio de crescimento têm muitas informações privadas sobre novos projetos; 3. Empresas maduras precisam apenas manter suas operações e já possuem muita informação pública; 4. Empresas em shake-out e declínio têm um histórico de informações longo, porém pouco se sabe sobre o seu futuro (DICKINSON, 2011). www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 5 Hipótese: o efeito da competição por melhores informações no custo de capital é menos evidente em empresas que estão em um estágio mais maduro do seu ciclo de vida organizacional.
  6. 6. HIPÓTESE • Hasan et al (2015) foram os primeiros a constatar empiricamente o que Easley e O’Hara (2004) e Christensen, Rosa e Feltham (2010) previram analiticamente: o COC é afetado pelos ECVs. • Este artigo avança nesta literatura da seguinte forma: • Inclusão da competição por informações nos diferentes ECVs; • Uso da não maturidade, no lugar da turbulência, como benchmark; e • Usa um conceito mais amplo de incerteza (a informacional), no lugar de usar apenas a disponibilidade de recursos. www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 6
  7. 7. METODOLOGIA Amostra e dados: • Período: 2008 a 2014. • Dados: Thomson Reuters Eikon®. • Excluídas as empresas do setor financeiro. • N = 394 observações. www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 7
  8. 8. METODOLOGIA Custo do capital implícito (COC): • Foi utilizado o COC em excesso à Rf (EASTON, 2004, TAR; BOTOSAN; PLUMLEE, 2002, JAR, 2013, JBFA), com base nas equações abaixo: 1. 𝑃0 = 𝑡=1 5 1 + 𝑟𝑑𝑖𝑣 −𝑡 𝐸0 𝑑 𝑡 + 1 + 𝑟𝑑𝑖𝑣 −5 𝐸0 𝑃5 2. 𝐶𝑂𝐶 𝑝𝑒𝑔 = 𝑒𝑝𝑠2−𝑒𝑝𝑠1 𝑃0 www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 8 Excluído da análise principal, por levar a perda de muitas observações. Correlação entre as duas proxies = 0,9377***
  9. 9. METODOLOGIA Estágios do ciclo de vida (ECV): • Modelo de Dickinson (2011) www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 9 Fluxo de Caixa Nascimento Crescimento Maturidade Turbulência Declínio Operacional - + + + - + - - Investimento - - - + - + + + Financiamento + + - + - - + - Figura 3 – Classificação dos ECV com base nos padrões de fluxos de caixa
  10. 10. Teste básico da Hipótese 2 (eq. 5): 10 𝐶𝑂𝐶𝑖𝑡 = 𝛼 + 𝛽1 𝑏𝑒𝑡𝑎𝑖𝑡 + 𝛽2 𝑠𝑖𝑧𝑒𝑖𝑡 + 𝛽3ln(𝑚𝑡𝑏)𝑖𝑡 + 𝛽4ln (𝐶𝑂𝐵𝐸𝑃𝑆 )𝑖𝑡 + 𝛽5 𝑁𝑜𝑛𝑀𝑎𝑡 + 𝛽6ln 𝐶𝑂𝐵𝐸𝑃𝑆 ∗ 𝑁𝑜𝑛𝑀𝑎𝑡𝑖𝑡 + 𝜇𝑖𝑡 Variável Sinal esperado Significado 𝑏𝑒𝑡𝑎 + Exposição ao risco sistemático 𝑠𝑖𝑧𝑒 - Menos assimetria ln(𝑚𝑡𝑏) - Reconhecimento de oportunidades de crescimento ln (𝐶𝑂𝐵𝐸𝑃𝑆 ) - Monitoramento e busca por informações Non𝑀𝐴𝑇 + Menos informações publicamente disponíveis ln 𝐶𝑂𝐵 𝐸𝑃𝑆 ∗ 𝑁𝑜𝑛𝑀𝐴𝑇 - Competição por informações em ambientes mais opacos informacionalmente Devido à alta multicolinearidade e para explorar melhor a variabilidade da “competição”, retirou-se a ln(COB) da análise principal, porém não há mudança significativa quando retirada a size e inserida a ln(COB) em seu lugar, pois basicamente empresas grandes têm muita COB no Brasil METODOLOGIA
  11. 11. 0 .2.4.6.8 1 COCpeg_prem Nascimento Crescimento Maturidade Turbulência Declínio 0 .05 .1 .15 .2 .25 COCpeg_prem Nascimento Crescimento Maturidade Turbulência Declínio Destaques descritivos: nasc: 7,61%, cresc: 35,28%, mat: 48,22%, turb: 7,11% e decl: 1,78% da amostra. COCNONMAT > COCMAT (t = -3,3779***) 11 Figura 4.1 – Boxplot da variável COCpeg_prem distribuída entre os ECV Figura 4.2 – Distribuição ajustada da variável COCpeg_prem entre os ECV RESULTADOS
  12. 12. Variável Sinal esperado COCpeg_prem (9)a COCpeg_prem (10)a COCpeg_prem (12)c beta + 0,0114 (0,0187) 0,0118 (0,0178) 0,0448*** (0,0118) [7/7] size - -0,0295*** (0,0085) -0,0176*** (0,0060) -0,0203** (0,0080) [6/7] ln(mtb) - -0,0309*** (0,0066) -0,0321*** (0,0064) -0,0334*** (0,0031) [7/7] NonMat + 0,0038 (0,0077) 0,4581* (0,2628) -0,0104 (0,3645) [4/7] size*NonMat - – -0,0203* (0,0117) 0,0001 (0,0160) [4/7] Constante ? 0,8307*** (0,1967) 0,5598*** (0,1386) 0,5593** (0,1832) R² ajustado 0,4222 0,4354 0,3988 Teste F 10,58*** 11,03*** 981,92*** Teste de White 327,89*** 349,14*** NA Teste de Wooldridge 5,109** 4,964** NA Dummy do ano Sim Sim NA Dummy do setor Sim Sim NA 12 Tabela 3 – Análise do efeito da competição (size) por informações nos ECV sob o custo do capital RESULTADOS Pressupondo que o ambiente informacional ruim leva a um maior COC (EASLEY; O’HARA, 2004), principalmente em economias pequenas (HUGHES; LIU; LIU, 2007). Com o OLS se perde informação com scale e não é possível explorar a heterogeneidade dos dados (OHLSON, KIM, 2015).
  13. 13. -4.00-2.00 0.002.004.00 NonMat 0 .1 .2 .3 .4 .5 .6 .7 .8 .9 1 Quantile -0.20-0.10 0.000.100.20 size*NonMat 0 .1 .2 .3 .4 .5 .6 .7 .8 .9 1 Quantile 13 Figura 5 – Comportamento das variáveis NonMat e size*NonMat ao longo dos quantis Rejeita-se a H0 de q.05 = q.50 = q.95 (size*NonMat) F = 3,24** Comportamento do gráfico semelhante quando usado o ln(COBeps) scaled, porém rompendo o intervalo do OLS apenas nos últimos quantis. q.05: (+)* q.10: (+) q.50: (-) q.90: (-)*** q.95: (-)** q.05: (-) q.10: (-) q.50: (+) q.90: (+)*** q.95: (+)** A competição afeta, ao nível de 1% (q.10), o custo do capital daquelas empresas em uma ambiente informacional previamente ruim. RESULTADOS
  14. 14. • Contribuições do artigo: 1. Evidências de que os ECVs podem impactar o COC; 2. A competição por informações de empresas não maduras (mais opacas) é mais importante para redução do COC das empresas que já têm um custo do capital alto (ambiente informacional ruim); e 3. É importante que as empresas estimulem a competição por suas informações, principalmente nas fases mais opacas informacionalmente do seu ciclo de vida. 14 CONSIDERAÇÕES FINAIS
  15. 15. CONSIDERAÇÕES FINAIS • Principais limitações: 1. Os resultados devem ser analisados e utilizados com cautela, devido à limitação amostral; 2. A limitação amostral foi, em grande parte, fruto da baixa quantidade de empresas com cobertura de analistas. • É possível utilizar modelos de previsão dos EPSs (e.g. HOU et al., 2012), contudo seria uma proxy estimada sendo explicada por outras proxies que são observadas. www.ccsa.ufpb.br/ppgcc ppgcc@ccsa.ufpb.br 15
  16. 16. QUANDO A COMPETIÇÃO POR INFORMAÇÕES DE EMPRESAS NÃO MADURAS REDUZ SEU CUSTO DO CAPITAL? Edilson Paulo Universidade Federal da Paraíba e.paulo@uol.com.br ccsa.ufpb.br/ppgcc Luiz Felipe de Araújo Pontes Girão Universidade Federal da Paraíba lfapg@hotmail.com contabilidademq.blogspot.com OBRIGADO PELA ATENÇÃO!

×