SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA
DEPARTAMENTO DE FINANÇAS E CONTABILIDADE
FINANÇAS III
ESTAGIÁRIA DE DOCÊNCIA: Geisa Paulino (mestranda/PPGCC)
PROFESSOR: Felipe Pontes
Exercício de Derivativos
Questão 1 – mercado a termo
Imagine a situação do cafeicultor ainda no início da produção. Ele não tem nenhuma
garantia do preço que poderá ser praticado ao final da safra.
Dois cenários são possíveis:
Cenário 1: as condições climáticas favoreceram muito o cultivo de café. Além disso,
houve superprodução no período. O excesso de oferta levará à queda acentuada de preços
de venda, reduzindo a margem de lucro do produtor. Algumas vezes, o valor de venda é
insuficiente para cobrir os custos de produção. Nesse caso, o produtor pode preferir
destruir o café a colocá-lo no mercado, pois minimizará seus custos com armazenagem e
transporte e, ao mesmo tempo, conterá a pressão da oferta.
Cenário 2: registrou-se a ocorrência de pragas, geadas ou outras intempéries que
dificultaram o cultivo de café, provocando escassez da mercadoria. Neste caso, haverá
alta nos preços do café e o produtor conseguirá vender sua produção por preço mais
elevado do que imaginava anteriormente.
Imagine agora a situação em que o torrefador (comprador) compra o café do produtor e
vende ao consumidor final. Ele também não sabe por qual preço poderá negociar o café
no final da safra.
Pergunta-se
 Qual a natureza do risco que o cafeicultor está exposto no cenário 1?
 Qual a natureza do risco que o torrefador está exposto no cenário 2?
Agora que você entende a natureza do risco dos participantes, pede-se para auferir o
resultado de uma operação a termo feita entre as partes buscando eliminar os riscos
associados às atividades de cada um.
Para tanto, suponha que, pelo preço de R$100,00/saca de 60kg, o cafeicultor consiga
pagar todos os custos de produção e ainda obter lucro razoável em sua atividade.
Considere também que R$100,00 seja o preço máximo que o torrefador poderá pagar para
auferir lucro e não ter prejuízo em sua atividade.
Ainda, a data de liquidação do contrato está prevista para 180 da assinatura dos mesmos
e os preços de cotação esperados para a saca de café são de R$120,00 ou R$90,00.
 Qual o resultado da operação para o cafeicultor com os preços da saca cotados a
R$ 120,00 ou R$ 90,00?
 Qual o resultado da operação para o torrefador com os preços da saca cotados a
R$ 120,00 ou R$ 90,00?
Questão 2 – mercado de opções
Considere um exportador que irá receber a quantia de US$30.000,00 e que acredita em
possível baixa da moeda norte-americana. Com o intuito de não ficar exposto a essa
variação cambial até o vencimento, compra opções cambiais de venda em dólar fixando
o câmbio em R$ 2,5/dólar. A taxa de câmbio do dia em que a operação foi realizada foi
de R$2,621/dólar e o prêmio pago pelo exportador foi de 100,00 para cada US$
10.000,00.
Agora, suponha que a taxa de câmbio no mercado a vista no dia do vencimento é igual a
R$2,400/dólar.
Pergunta-se
 O titular da opção exercerá seu direito?
 Independente do titular exercer ou não seu direito, qual o resultado da operação
na data do vencimento?
Referências:
COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS – CVM. Top: Mercado de Valores
Mobiliários Brasileiro. 3ed. Rio de Janeiro, 2014.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Derivativos: operações a termo e opções cambiais

Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010
Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010
Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010Revista Cafeicultura
 
Custos e viabilidade do confinamento
Custos e viabilidade do confinamentoCustos e viabilidade do confinamento
Custos e viabilidade do confinamentoCristiano Castro
 
Palestra barter - Uênio Nascimento
Palestra barter - Uênio NascimentoPalestra barter - Uênio Nascimento
Palestra barter - Uênio Nascimentoequipeagroplus
 
Brasil Hedge: Cartilha sobre o uso de opções e mercado futuro do boi gordo - ...
Brasil Hedge: Cartilha sobre o uso de opções e mercado futuro do boi gordo - ...Brasil Hedge: Cartilha sobre o uso de opções e mercado futuro do boi gordo - ...
Brasil Hedge: Cartilha sobre o uso de opções e mercado futuro do boi gordo - ...AgroTalento
 
Aula 38 david ricardo - principais pontos teóricos
Aula 38  david ricardo - principais pontos teóricosAula 38  david ricardo - principais pontos teóricos
Aula 38 david ricardo - principais pontos teóricospetecoslides
 
Ico icc 117-6p-economic-sustainability
Ico  icc 117-6p-economic-sustainabilityIco  icc 117-6p-economic-sustainability
Ico icc 117-6p-economic-sustainabilityGabriela Rodrigues
 
Avaliação da sustentabilidade econômica da cafeicultura da OIC
Avaliação da sustentabilidade econômica da cafeicultura da OICAvaliação da sustentabilidade econômica da cafeicultura da OIC
Avaliação da sustentabilidade econômica da cafeicultura da OICLuiz Valeriano
 
Material de apoio gregory mankiw
Material de apoio   gregory mankiwMaterial de apoio   gregory mankiw
Material de apoio gregory mankiwLídia Aguiar
 

Semelhante a Derivativos: operações a termo e opções cambiais (11)

Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010
Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010
Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010
 
Custos e viabilidade do confinamento
Custos e viabilidade do confinamentoCustos e viabilidade do confinamento
Custos e viabilidade do confinamento
 
Palestra barter - Uênio Nascimento
Palestra barter - Uênio NascimentoPalestra barter - Uênio Nascimento
Palestra barter - Uênio Nascimento
 
Exercio ponto equilibrio
Exercio ponto equilibrioExercio ponto equilibrio
Exercio ponto equilibrio
 
Arroba Do Boi
Arroba Do BoiArroba Do Boi
Arroba Do Boi
 
Brasil Hedge: Cartilha sobre o uso de opções e mercado futuro do boi gordo - ...
Brasil Hedge: Cartilha sobre o uso de opções e mercado futuro do boi gordo - ...Brasil Hedge: Cartilha sobre o uso de opções e mercado futuro do boi gordo - ...
Brasil Hedge: Cartilha sobre o uso de opções e mercado futuro do boi gordo - ...
 
Aula 38 david ricardo - principais pontos teóricos
Aula 38  david ricardo - principais pontos teóricosAula 38  david ricardo - principais pontos teóricos
Aula 38 david ricardo - principais pontos teóricos
 
Ico icc 117-6p-economic-sustainability
Ico  icc 117-6p-economic-sustainabilityIco  icc 117-6p-economic-sustainability
Ico icc 117-6p-economic-sustainability
 
Avaliação da sustentabilidade econômica da cafeicultura da OIC
Avaliação da sustentabilidade econômica da cafeicultura da OICAvaliação da sustentabilidade econômica da cafeicultura da OIC
Avaliação da sustentabilidade econômica da cafeicultura da OIC
 
Clipping cnc 11082015 versão de impressão
Clipping cnc 11082015   versão de impressãoClipping cnc 11082015   versão de impressão
Clipping cnc 11082015 versão de impressão
 
Material de apoio gregory mankiw
Material de apoio   gregory mankiwMaterial de apoio   gregory mankiw
Material de apoio gregory mankiw
 

Mais de Felipe Pontes

Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuationMitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuationFelipe Pontes
 
Ciclo de vida e desempenho das empresas
Ciclo de vida e desempenho das empresasCiclo de vida e desempenho das empresas
Ciclo de vida e desempenho das empresasFelipe Pontes
 
Fraude e gerenciamento de resultados
Fraude e gerenciamento de resultadosFraude e gerenciamento de resultados
Fraude e gerenciamento de resultadosFelipe Pontes
 
Análise de crédito e previsão de insolvência
Análise de crédito e previsão de insolvênciaAnálise de crédito e previsão de insolvência
Análise de crédito e previsão de insolvênciaFelipe Pontes
 
Apresentação do curso de valuation
Apresentação do curso de valuationApresentação do curso de valuation
Apresentação do curso de valuationFelipe Pontes
 
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsa
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsaMitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsa
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsaFelipe Pontes
 
Modelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro formaModelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro formaFelipe Pontes
 
Análise comparativa de empresas
Análise comparativa de empresasAnálise comparativa de empresas
Análise comparativa de empresasFelipe Pontes
 
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2Felipe Pontes
 
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1Felipe Pontes
 
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeis
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeisObjetivos centrais da análise das demonstrações contábeis
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeisFelipe Pontes
 
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da Contabilidade
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da ContabilidadeCaso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da Contabilidade
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da ContabilidadeFelipe Pontes
 
Análise do negócio da empresa
Análise do negócio da empresaAnálise do negócio da empresa
Análise do negócio da empresaFelipe Pontes
 
Onde coletar informações para analisar as empresas
Onde coletar informações para analisar as empresasOnde coletar informações para analisar as empresas
Onde coletar informações para analisar as empresasFelipe Pontes
 
Análise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidadeAnálise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidadeFelipe Pontes
 
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das Demonstrações
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das DemonstraçõesAnálise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das Demonstrações
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das DemonstraçõesFelipe Pontes
 
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPB
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPBIntrodução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPB
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPBFelipe Pontes
 
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comuns
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comunsPesquisa em contabilidade dicas e falhas comuns
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comunsFelipe Pontes
 
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPB
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPBPIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPB
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPBFelipe Pontes
 
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuation
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuationMitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuation
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuationFelipe Pontes
 

Mais de Felipe Pontes (20)

Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuationMitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
 
Ciclo de vida e desempenho das empresas
Ciclo de vida e desempenho das empresasCiclo de vida e desempenho das empresas
Ciclo de vida e desempenho das empresas
 
Fraude e gerenciamento de resultados
Fraude e gerenciamento de resultadosFraude e gerenciamento de resultados
Fraude e gerenciamento de resultados
 
Análise de crédito e previsão de insolvência
Análise de crédito e previsão de insolvênciaAnálise de crédito e previsão de insolvência
Análise de crédito e previsão de insolvência
 
Apresentação do curso de valuation
Apresentação do curso de valuationApresentação do curso de valuation
Apresentação do curso de valuation
 
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsa
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsaMitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsa
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsa
 
Modelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro formaModelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro forma
 
Análise comparativa de empresas
Análise comparativa de empresasAnálise comparativa de empresas
Análise comparativa de empresas
 
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2
 
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1
 
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeis
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeisObjetivos centrais da análise das demonstrações contábeis
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeis
 
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da Contabilidade
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da ContabilidadeCaso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da Contabilidade
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da Contabilidade
 
Análise do negócio da empresa
Análise do negócio da empresaAnálise do negócio da empresa
Análise do negócio da empresa
 
Onde coletar informações para analisar as empresas
Onde coletar informações para analisar as empresasOnde coletar informações para analisar as empresas
Onde coletar informações para analisar as empresas
 
Análise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidadeAnálise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidade
 
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das Demonstrações
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das DemonstraçõesAnálise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das Demonstrações
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das Demonstrações
 
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPB
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPBIntrodução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPB
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPB
 
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comuns
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comunsPesquisa em contabilidade dicas e falhas comuns
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comuns
 
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPB
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPBPIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPB
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPB
 
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuation
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuationMitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuation
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuation
 

Derivativos: operações a termo e opções cambiais

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE FINANÇAS E CONTABILIDADE FINANÇAS III ESTAGIÁRIA DE DOCÊNCIA: Geisa Paulino (mestranda/PPGCC) PROFESSOR: Felipe Pontes Exercício de Derivativos Questão 1 – mercado a termo Imagine a situação do cafeicultor ainda no início da produção. Ele não tem nenhuma garantia do preço que poderá ser praticado ao final da safra. Dois cenários são possíveis: Cenário 1: as condições climáticas favoreceram muito o cultivo de café. Além disso, houve superprodução no período. O excesso de oferta levará à queda acentuada de preços de venda, reduzindo a margem de lucro do produtor. Algumas vezes, o valor de venda é insuficiente para cobrir os custos de produção. Nesse caso, o produtor pode preferir destruir o café a colocá-lo no mercado, pois minimizará seus custos com armazenagem e transporte e, ao mesmo tempo, conterá a pressão da oferta. Cenário 2: registrou-se a ocorrência de pragas, geadas ou outras intempéries que dificultaram o cultivo de café, provocando escassez da mercadoria. Neste caso, haverá alta nos preços do café e o produtor conseguirá vender sua produção por preço mais elevado do que imaginava anteriormente. Imagine agora a situação em que o torrefador (comprador) compra o café do produtor e vende ao consumidor final. Ele também não sabe por qual preço poderá negociar o café no final da safra. Pergunta-se  Qual a natureza do risco que o cafeicultor está exposto no cenário 1?  Qual a natureza do risco que o torrefador está exposto no cenário 2? Agora que você entende a natureza do risco dos participantes, pede-se para auferir o resultado de uma operação a termo feita entre as partes buscando eliminar os riscos associados às atividades de cada um. Para tanto, suponha que, pelo preço de R$100,00/saca de 60kg, o cafeicultor consiga pagar todos os custos de produção e ainda obter lucro razoável em sua atividade. Considere também que R$100,00 seja o preço máximo que o torrefador poderá pagar para auferir lucro e não ter prejuízo em sua atividade. Ainda, a data de liquidação do contrato está prevista para 180 da assinatura dos mesmos e os preços de cotação esperados para a saca de café são de R$120,00 ou R$90,00.  Qual o resultado da operação para o cafeicultor com os preços da saca cotados a R$ 120,00 ou R$ 90,00?
  • 2.  Qual o resultado da operação para o torrefador com os preços da saca cotados a R$ 120,00 ou R$ 90,00? Questão 2 – mercado de opções Considere um exportador que irá receber a quantia de US$30.000,00 e que acredita em possível baixa da moeda norte-americana. Com o intuito de não ficar exposto a essa variação cambial até o vencimento, compra opções cambiais de venda em dólar fixando o câmbio em R$ 2,5/dólar. A taxa de câmbio do dia em que a operação foi realizada foi de R$2,621/dólar e o prêmio pago pelo exportador foi de 100,00 para cada US$ 10.000,00. Agora, suponha que a taxa de câmbio no mercado a vista no dia do vencimento é igual a R$2,400/dólar. Pergunta-se  O titular da opção exercerá seu direito?  Independente do titular exercer ou não seu direito, qual o resultado da operação na data do vencimento? Referências: COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS – CVM. Top: Mercado de Valores Mobiliários Brasileiro. 3ed. Rio de Janeiro, 2014.