SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Baixar para ler offline
Estimando o Crescimento
grggggggggggggggggggg
ggggggggg
Disciplina: Finanças Aplicadas II
Objetivo da aula: conhecer os determinantes do
crescimento das empresas, bem como estimar a
taxa de crescimento (g)
Conteúdo: Crescimento histórico. Crescimento
fundamental. Analistas de investimentos.
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Introdução
• Relembrando o básico (mais uma vez): o valor da
empresa é dado pelo valor presente dos fluxos de
caixa futuros que se espera que a empresa gere.
• O que nós já vimos sobre os inputs da valuation até
aqui?
• Para estimar os fluxos de caixa futuros, precisamos
saber como eles crescem. Precisamos do g!
• O g é o input mais crítico em uma valuation para
empresas que têm alto crescimento.
2
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Introdução
• Existem três maneiras básicas para se estimar o g de
qualquer empresa:
1. Crescimento histórico (bom para empresas estáveis);
2. Estimativas dos analistas de investimentos (nem sempre
essa informação está disponível, principalmente no Brasil
– o IDEP/UFPB tem uma base de dados da Thomson onde
há esse tipo de informação); e
3. Fundamentos da empresa.
3
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
• Existem duas formas básicas de se estimar o g
histórico:
• Média aritmética:
• Média geométrica:
Crescimento histórico
4
As duas podem dar resultados bem diferentes, principalmente para empresas
com lucros voláteis (Exemplo).
Quando há muita volatilidade ela é melhor, pois usamos
os “g’s” de cada ano, uma vez que eles são dependents.
A aritmética usa os lucros, que a priori não são
dependents”
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento histórico
• Veja a diferença entre as duas metodologias para a
Motorola.
• Percebam o desvio padrão das medidas e a
implicação disso nas duas médias. Analisem
individualmente.
• Refaça a análise para Natura:
5
Ano EBIT LL
2010 334 219
2011 469 290
2012 424 257
2013 487 293
2014 446 225
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento histórico
• Se algum dos lucros for negativo, tem-se a seguinte
sugestão:
• Em que EPS = lucro por ação.
6
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento histórico
• Aplique a solução do slide anterior na Aracruz e compare
com o cálculo “padrão” do crescimento pela média
aritmética:
• Apesar de ser uma solução, ele é um pouco perigosa para
utilizar na projeção de FC futuros.
7
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento histórico
• O crescimento histórico é uma boa medida para o
crescimento futuro?
• O passado pode ser útil para (auxiliar a) prever o
futuro, porém o passado contém alguns problemas –
principalmente para empresas voláteis, como visto
anteriormente e como será visto no próximo slide.
8
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento histórico
9
No longo prazo as correlações são mais baixas
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento histórico
• É melhor usar o
crescimento da
receita ou dos
lucros? O que está
menos sujeito às
escolhas contábeis
tende a ser menos
volátil, mais
persistente e
melhor para prever
o futuro.
10
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento histórico
• É mais fácil uma empresa pequena ou uma empresa
grande manter a taxa de crescimento? Quem tem
mais oportunidades para crescer mais rapidamente,
teoricamente, as grandes ou as pequenas?
• Precisamos ter cuidado com o efeito do tamanho da
empresa!
• Para verificar se as empresas pequenas conseguem
manter suas altas taxas de crescimento, verifique o
que fundamenta o crescimento: planos para crescer
e ativos (ou projetos de financiamento) para garantir
esse crescimento.
11
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento histórico
• Veja o exemplo da Cisco (ill11p4), uma empresa de
tecnologia.
• Qual média devemos usar para estimar os lucros para 5
anos? Por quê?
• Cuidados especiais para esse caso:
1. As taxas de crescimento devem ir se afunilando, à medida que
a empresa for crescendo;
2. O crescimento pode ser insustentável: o lucro operacional em
5 anos (usando a média geométrica) pode chegar a US$ 78 bi
(não devemos ver apenas os números); e
3. O crescimento da Cisco nesse período veio da aquisição de
empresas pequenas com tecnologias promissoras (será que ela
conseguirá comprar 80 empresas nos próximos 5 anos?).
12
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento histórico
• Guia geral para novas empresas e aquelas que têm
crescimento rápido:
1. Foque nas receitas e não nos lucros;
2. Não olhe para o crescimento dos últimos anos, analise o
crescimento ano a ano e o que motivou aquele
crescimento, para ajudar na projeção do futuro;
3. Use o crescimento histórico apenas para projetar o futuro
próximo (1 ou 2 anos); e
4. Analise o crescimento do mercado e do setor de atuação,
para comparar com o da empresa que você está
avaliando.
13
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
O que dizem os analistas?
• Os analistas não apresentam apenas recomendações
de compra ou venda de ativos. Eles também fazem
projeções e podem divulgar as taxas de crescimento
que estão utilizando.
14
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
O que dizem os analistas?
• Motivos que podem fazer com que as previsões dos
analistas sejam melhores do que a simples utilização
do crescimento histórico:
1. Inclusão de informações que se tornaram públicas após a
divulgação das últimas demonstrações financeiras (elas
não estão no g histórico, precisamos incluí-las);
2. Informações macro-econômicas: as taxas de juros,
inflação etc podem afetar o crescimento da empresa;
3. Informações reveladas pelos concorrentes;
4. Informações privadas;
5. Informações públicas que não são sobre lucros (e.g.
retenção de lucros, margem de lucro etc).
15
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento fundamental
• Crescimento nos lucros por ação (considerando que
a fonte de capital é apenas dos lucros retidos):
• Analise no exemplo da planilha ill11p5 o crescimento
esperado das três empresas. O que faz a primeira ter
um crescimento tão menor do que as demais?
• Ter um índice de retenção baixo é ruim? Ter um
payout alto é ruim? Ruim ou bom para quem?
16
1 - payout
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento fundamental
• Crescimento nos lucros por ação (medida mais
ampla – considera outras fontes):
• Exemplos na planilha ill11p6. Compare as 4
empresas, o que faz os g serem tão diferentes?
17
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Crescimento fundamental
• Considerando as variações no ROE:
• Exemplo: o ROE atual é de 11,63% e o índice de retenção
é de 29,96%. Assuma que a empresa aumentará seu ROE
para 13% no ano que vem, permanecendo o mesmo
índice de retenção dos lucros. Qual é a taxa de
crescimento esperada?
• Com as informações do exercício do slide passado,
assuma que o ROE futuro será 5% maior do que o atual
para cada empresa. Assuma também que o índice de
retenção dos lucros será o mesmo. Qual será o
crescimento futuro daquelas quatro empresas?
18
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Aspectos qualitativos
• Não devemos apenas focar nos números puros. O
crescimento é determinado por:
1. Qualidade da gestão;
2. Força do marketing;
3. Capacidade de formar parcerias;
4. Visão estratégica;
5. Etc.
• Todos esses fatores qualitativos devem ser, de
alguma forma, quantificados.
• Se você não consegue quantificá-los, é melhor se
manter cético em relação a eles (DAMODARAN,
2002).
19
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Questão
• Dados:
• Estime a média aritmética e geométrica do
crescimento dos lucros por ação (EPS). Por que eles
são diferentes? Qual é o mais confiável?
20
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Questão
• A BIC reportou um ROE de 20% em dado ano e
pagou 37% dos lucros como dividendos naquele ano.
Assumindo que esses fundamentos não mudarão,
estime a taxa de crescimento esperado dos lucros.
• Quão sensível é essa taxa de crescimento às
mudanças nesses fundamentos? Foque na variação
do ROE.
21
Felipe Pontes
www.contabilidademq.blogspot.com
Na sua empresa
• Estime o g pelas duas médias (histórico) e justifique a
sua escolha entre uma e outra.
• Estime o g pela forma “fundamentalista“ e justifique
qual é a melhor para o seu caso.
22

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mensurando (ajustando) os lucros
Mensurando (ajustando) os lucrosMensurando (ajustando) os lucros
Mensurando (ajustando) os lucrosFelipe Pontes
 
Avaliação relativa (múltiplos)
Avaliação relativa (múltiplos)Avaliação relativa (múltiplos)
Avaliação relativa (múltiplos)Felipe Pontes
 
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamento
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamentoEstimando os parâmetros do risco e o custo do financiamento
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamentoFelipe Pontes
 
Valuation da Weg - Turma de 2016.1
Valuation da Weg - Turma de 2016.1Valuation da Weg - Turma de 2016.1
Valuation da Weg - Turma de 2016.1Felipe Pontes
 
Avaliação de carteiras e fundos de investimentos
Avaliação de carteiras e fundos de investimentosAvaliação de carteiras e fundos de investimentos
Avaliação de carteiras e fundos de investimentosFelipe Pontes
 
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuationMitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuationFelipe Pontes
 
Curso de avaliação pelo fluxo de caixa descontado (Valuation)
Curso de avaliação pelo fluxo de caixa descontado (Valuation)Curso de avaliação pelo fluxo de caixa descontado (Valuation)
Curso de avaliação pelo fluxo de caixa descontado (Valuation)Felipe Pontes
 
Valor Presente Líquido (Parte I)
Valor Presente Líquido (Parte I)Valor Presente Líquido (Parte I)
Valor Presente Líquido (Parte I)Felipe Pontes
 
Avaliação de carteiras de investimentos
Avaliação de carteiras de investimentosAvaliação de carteiras de investimentos
Avaliação de carteiras de investimentosFelipe Pontes
 
Orçamento de Capital e VPL
Orçamento de Capital e VPLOrçamento de Capital e VPL
Orçamento de Capital e VPLFelipe Pontes
 
Aula 1- Finanças Aplicadas II e FAI 2015.1
Aula 1- Finanças Aplicadas II e FAI 2015.1Aula 1- Finanças Aplicadas II e FAI 2015.1
Aula 1- Finanças Aplicadas II e FAI 2015.1Felipe Pontes
 
Política de Dividendos e Modelo de Desconto de Dividendos
Política de Dividendos e Modelo de Desconto de DividendosPolítica de Dividendos e Modelo de Desconto de Dividendos
Política de Dividendos e Modelo de Desconto de DividendosFelipe Pontes
 
APV e Custo do Capital
APV e Custo do CapitalAPV e Custo do Capital
APV e Custo do CapitalFelipe Pontes
 
Valor Presente Líquido (Parte 2)
Valor Presente Líquido (Parte 2)Valor Presente Líquido (Parte 2)
Valor Presente Líquido (Parte 2)Felipe Pontes
 
Apresentação de finanças 2 2016.1
Apresentação de finanças 2 2016.1Apresentação de finanças 2 2016.1
Apresentação de finanças 2 2016.1Felipe Pontes
 
Quando a competição de empresas não maduras reduz seu custo do capital?
Quando a competição de empresas não maduras reduz seu custo do capital?Quando a competição de empresas não maduras reduz seu custo do capital?
Quando a competição de empresas não maduras reduz seu custo do capital?Felipe Pontes
 
Avaliação de carteiras de investimentos
Avaliação de carteiras de investimentosAvaliação de carteiras de investimentos
Avaliação de carteiras de investimentosFelipe Pontes
 
VPL e Orçamento de Capital
VPL e Orçamento de CapitalVPL e Orçamento de Capital
VPL e Orçamento de CapitalFelipe Pontes
 
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2Felipe Pontes
 
Valor Presente Líquido (Parte II)
Valor Presente Líquido (Parte II)Valor Presente Líquido (Parte II)
Valor Presente Líquido (Parte II)Felipe Pontes
 

Mais procurados (20)

Mensurando (ajustando) os lucros
Mensurando (ajustando) os lucrosMensurando (ajustando) os lucros
Mensurando (ajustando) os lucros
 
Avaliação relativa (múltiplos)
Avaliação relativa (múltiplos)Avaliação relativa (múltiplos)
Avaliação relativa (múltiplos)
 
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamento
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamentoEstimando os parâmetros do risco e o custo do financiamento
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamento
 
Valuation da Weg - Turma de 2016.1
Valuation da Weg - Turma de 2016.1Valuation da Weg - Turma de 2016.1
Valuation da Weg - Turma de 2016.1
 
Avaliação de carteiras e fundos de investimentos
Avaliação de carteiras e fundos de investimentosAvaliação de carteiras e fundos de investimentos
Avaliação de carteiras e fundos de investimentos
 
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuationMitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
 
Curso de avaliação pelo fluxo de caixa descontado (Valuation)
Curso de avaliação pelo fluxo de caixa descontado (Valuation)Curso de avaliação pelo fluxo de caixa descontado (Valuation)
Curso de avaliação pelo fluxo de caixa descontado (Valuation)
 
Valor Presente Líquido (Parte I)
Valor Presente Líquido (Parte I)Valor Presente Líquido (Parte I)
Valor Presente Líquido (Parte I)
 
Avaliação de carteiras de investimentos
Avaliação de carteiras de investimentosAvaliação de carteiras de investimentos
Avaliação de carteiras de investimentos
 
Orçamento de Capital e VPL
Orçamento de Capital e VPLOrçamento de Capital e VPL
Orçamento de Capital e VPL
 
Aula 1- Finanças Aplicadas II e FAI 2015.1
Aula 1- Finanças Aplicadas II e FAI 2015.1Aula 1- Finanças Aplicadas II e FAI 2015.1
Aula 1- Finanças Aplicadas II e FAI 2015.1
 
Política de Dividendos e Modelo de Desconto de Dividendos
Política de Dividendos e Modelo de Desconto de DividendosPolítica de Dividendos e Modelo de Desconto de Dividendos
Política de Dividendos e Modelo de Desconto de Dividendos
 
APV e Custo do Capital
APV e Custo do CapitalAPV e Custo do Capital
APV e Custo do Capital
 
Valor Presente Líquido (Parte 2)
Valor Presente Líquido (Parte 2)Valor Presente Líquido (Parte 2)
Valor Presente Líquido (Parte 2)
 
Apresentação de finanças 2 2016.1
Apresentação de finanças 2 2016.1Apresentação de finanças 2 2016.1
Apresentação de finanças 2 2016.1
 
Quando a competição de empresas não maduras reduz seu custo do capital?
Quando a competição de empresas não maduras reduz seu custo do capital?Quando a competição de empresas não maduras reduz seu custo do capital?
Quando a competição de empresas não maduras reduz seu custo do capital?
 
Avaliação de carteiras de investimentos
Avaliação de carteiras de investimentosAvaliação de carteiras de investimentos
Avaliação de carteiras de investimentos
 
VPL e Orçamento de Capital
VPL e Orçamento de CapitalVPL e Orçamento de Capital
VPL e Orçamento de Capital
 
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2
Análise crítica dos indicadores contábeis tradicionais parte 2
 
Valor Presente Líquido (Parte II)
Valor Presente Líquido (Parte II)Valor Presente Líquido (Parte II)
Valor Presente Líquido (Parte II)
 

Destaque

Dividendos_LeidasSA
Dividendos_LeidasSADividendos_LeidasSA
Dividendos_LeidasSAGrupo Shield
 
Relacao entre dividend yield
Relacao entre dividend yieldRelacao entre dividend yield
Relacao entre dividend yieldGrupo Shield
 
Taxa livre de risco e prêmio pelo risco
Taxa livre de risco e prêmio pelo riscoTaxa livre de risco e prêmio pelo risco
Taxa livre de risco e prêmio pelo riscoFelipe Pontes
 
Como encontrar ações vencedoras
Como encontrar ações vencedorasComo encontrar ações vencedoras
Como encontrar ações vencedorasGrupo Shield
 
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamento
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamentoEstimando os parâmetros do risco e o custo do financiamento
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamentoFelipe Pontes
 
Marcio noronha investimento em acoes
Marcio noronha   investimento em acoesMarcio noronha   investimento em acoes
Marcio noronha investimento em acoesGrupo Shield
 
Análise Fundamentalista - Valuation - Hering - 2015
Análise Fundamentalista - Valuation - Hering - 2015Análise Fundamentalista - Valuation - Hering - 2015
Análise Fundamentalista - Valuation - Hering - 2015Guilherme Palhares
 
Curso de Análise Fundamentalista - Método INI
Curso de Análise Fundamentalista - Método INICurso de Análise Fundamentalista - Método INI
Curso de Análise Fundamentalista - Método INIBom Fundamento
 
Fundamentos da análise gráfica de ações
Fundamentos da análise gráfica de açõesFundamentos da análise gráfica de ações
Fundamentos da análise gráfica de açõesBradley Aragão
 
EDUCAÇÃO FINANCEIRA E A PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA UFP...
EDUCAÇÃO FINANCEIRA E A PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA UFP...EDUCAÇÃO FINANCEIRA E A PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA UFP...
EDUCAÇÃO FINANCEIRA E A PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA UFP...Felipe Pontes
 
Política de dividendos
Política de dividendosPolítica de dividendos
Política de dividendosFelipe Pontes
 
Webcast 1T15
Webcast 1T15Webcast 1T15
Webcast 1T15Petrobras
 
Webcast 3T15
Webcast 3T15Webcast 3T15
Webcast 3T15Petrobras
 
Webcast 2T15
Webcast 2T15Webcast 2T15
Webcast 2T15Petrobras
 
Webcast 1T16
Webcast 1T16Webcast 1T16
Webcast 1T16Petrobras
 
Trabalho de Conclusão de Curso - Guilherme Palhares - Valuation
Trabalho de Conclusão de Curso - Guilherme Palhares - ValuationTrabalho de Conclusão de Curso - Guilherme Palhares - Valuation
Trabalho de Conclusão de Curso - Guilherme Palhares - ValuationGuilherme Palhares
 

Destaque (18)

Dividendos
DividendosDividendos
Dividendos
 
Dividendos_LeidasSA
Dividendos_LeidasSADividendos_LeidasSA
Dividendos_LeidasSA
 
Relacao entre dividend yield
Relacao entre dividend yieldRelacao entre dividend yield
Relacao entre dividend yield
 
investeducar : Formação de Investidores
investeducar : Formação de Investidoresinvesteducar : Formação de Investidores
investeducar : Formação de Investidores
 
Taxa livre de risco e prêmio pelo risco
Taxa livre de risco e prêmio pelo riscoTaxa livre de risco e prêmio pelo risco
Taxa livre de risco e prêmio pelo risco
 
Como encontrar ações vencedoras
Como encontrar ações vencedorasComo encontrar ações vencedoras
Como encontrar ações vencedoras
 
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamento
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamentoEstimando os parâmetros do risco e o custo do financiamento
Estimando os parâmetros do risco e o custo do financiamento
 
Marcio noronha investimento em acoes
Marcio noronha   investimento em acoesMarcio noronha   investimento em acoes
Marcio noronha investimento em acoes
 
Análise Fundamentalista - Valuation - Hering - 2015
Análise Fundamentalista - Valuation - Hering - 2015Análise Fundamentalista - Valuation - Hering - 2015
Análise Fundamentalista - Valuation - Hering - 2015
 
Curso de Análise Fundamentalista - Método INI
Curso de Análise Fundamentalista - Método INICurso de Análise Fundamentalista - Método INI
Curso de Análise Fundamentalista - Método INI
 
Fundamentos da análise gráfica de ações
Fundamentos da análise gráfica de açõesFundamentos da análise gráfica de ações
Fundamentos da análise gráfica de ações
 
EDUCAÇÃO FINANCEIRA E A PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA UFP...
EDUCAÇÃO FINANCEIRA E A PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA UFP...EDUCAÇÃO FINANCEIRA E A PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA UFP...
EDUCAÇÃO FINANCEIRA E A PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA UFP...
 
Política de dividendos
Política de dividendosPolítica de dividendos
Política de dividendos
 
Webcast 1T15
Webcast 1T15Webcast 1T15
Webcast 1T15
 
Webcast 3T15
Webcast 3T15Webcast 3T15
Webcast 3T15
 
Webcast 2T15
Webcast 2T15Webcast 2T15
Webcast 2T15
 
Webcast 1T16
Webcast 1T16Webcast 1T16
Webcast 1T16
 
Trabalho de Conclusão de Curso - Guilherme Palhares - Valuation
Trabalho de Conclusão de Curso - Guilherme Palhares - ValuationTrabalho de Conclusão de Curso - Guilherme Palhares - Valuation
Trabalho de Conclusão de Curso - Guilherme Palhares - Valuation
 

Semelhante a Estimando o crescimento dos lucros e fluxos de caixa

Modelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro formaModelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro formaFelipe Pontes
 
Análise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidadeAnálise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidadeFelipe Pontes
 
Valor terminal (valuation)
Valor terminal (valuation)Valor terminal (valuation)
Valor terminal (valuation)Felipe Pontes
 
planejamento-marketing-e-vendas-alavanque -seu-negocio.pdf
planejamento-marketing-e-vendas-alavanque -seu-negocio.pdfplanejamento-marketing-e-vendas-alavanque -seu-negocio.pdf
planejamento-marketing-e-vendas-alavanque -seu-negocio.pdfneldsontrancoso
 
Planejamento Estratégico Comercial - Colocando em Prática
Planejamento Estratégico Comercial - Colocando em PráticaPlanejamento Estratégico Comercial - Colocando em Prática
Planejamento Estratégico Comercial - Colocando em PráticaNorberto Almeida De Andrade
 
Indicadores de Desempenho.pdf
Indicadores de Desempenho.pdfIndicadores de Desempenho.pdf
Indicadores de Desempenho.pdfPedro Luis Moraes
 
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario junior
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario juniorPalestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario junior
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario juniorUniversidade de Pernambuco
 
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedorPlano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedorRoney Vasconcellos
 
Planejamento Estratégico - Opinion Box
Planejamento Estratégico - Opinion BoxPlanejamento Estratégico - Opinion Box
Planejamento Estratégico - Opinion BoxOpinion Box
 
Como calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresaComo calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresaEduardo Vilas Boas
 
Atps analise de investimento
Atps analise de investimentoAtps analise de investimento
Atps analise de investimentoJoelma Ribeiro
 
Conhece os indicadores de gestão fundamentais para a sua empresa?
Conhece os indicadores de gestão fundamentais para a sua empresa?Conhece os indicadores de gestão fundamentais para a sua empresa?
Conhece os indicadores de gestão fundamentais para a sua empresa?UWU Solutions, Lda.
 
10 passos práticos para uma análise de viabilidade
10 passos práticos para uma análise de viabilidade10 passos práticos para uma análise de viabilidade
10 passos práticos para uma análise de viabilidadeAlberto Castro
 
Ebook Planejamento Estratégico
Ebook Planejamento EstratégicoEbook Planejamento Estratégico
Ebook Planejamento EstratégicoRICARDO MATTOS
 
Seu plano de vendas conta uma história?
Seu plano de vendas conta uma história? Seu plano de vendas conta uma história?
Seu plano de vendas conta uma história? Thiago Gabri
 
Sua empresa está preparada para crescer
Sua empresa está preparada para crescerSua empresa está preparada para crescer
Sua empresa está preparada para crescerAmory Serviços Ltda.
 
Aprendendo a empreender com o Sebrae
Aprendendo a empreender com o SebraeAprendendo a empreender com o Sebrae
Aprendendo a empreender com o SebraeÓscar Curros
 

Semelhante a Estimando o crescimento dos lucros e fluxos de caixa (20)

Modelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro formaModelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro forma
 
Análise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidadeAnálise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidade
 
Valor terminal (valuation)
Valor terminal (valuation)Valor terminal (valuation)
Valor terminal (valuation)
 
planejamento-marketing-e-vendas-alavanque -seu-negocio.pdf
planejamento-marketing-e-vendas-alavanque -seu-negocio.pdfplanejamento-marketing-e-vendas-alavanque -seu-negocio.pdf
planejamento-marketing-e-vendas-alavanque -seu-negocio.pdf
 
Planejamento Estratégico Comercial - Colocando em Prática
Planejamento Estratégico Comercial - Colocando em PráticaPlanejamento Estratégico Comercial - Colocando em Prática
Planejamento Estratégico Comercial - Colocando em Prática
 
Indicadores de Desempenho.pdf
Indicadores de Desempenho.pdfIndicadores de Desempenho.pdf
Indicadores de Desempenho.pdf
 
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario junior
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario juniorPalestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario junior
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario junior
 
Seguranca vol iii
Seguranca vol iiiSeguranca vol iii
Seguranca vol iii
 
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedorPlano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
 
Planejamento Estratégico - Opinion Box
Planejamento Estratégico - Opinion BoxPlanejamento Estratégico - Opinion Box
Planejamento Estratégico - Opinion Box
 
Como calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresaComo calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresa
 
Gestao financeira
Gestao financeiraGestao financeira
Gestao financeira
 
Atps analise de investimento
Atps analise de investimentoAtps analise de investimento
Atps analise de investimento
 
Conhece os indicadores de gestão fundamentais para a sua empresa?
Conhece os indicadores de gestão fundamentais para a sua empresa?Conhece os indicadores de gestão fundamentais para a sua empresa?
Conhece os indicadores de gestão fundamentais para a sua empresa?
 
10 passos práticos para uma análise de viabilidade
10 passos práticos para uma análise de viabilidade10 passos práticos para uma análise de viabilidade
10 passos práticos para uma análise de viabilidade
 
Ebook Planejamento Estratégico
Ebook Planejamento EstratégicoEbook Planejamento Estratégico
Ebook Planejamento Estratégico
 
Seu plano de vendas conta uma história?
Seu plano de vendas conta uma história? Seu plano de vendas conta uma história?
Seu plano de vendas conta uma história?
 
Sua empresa está preparada para crescer
Sua empresa está preparada para crescerSua empresa está preparada para crescer
Sua empresa está preparada para crescer
 
Guia do Planejamento Tributário [e-book]
Guia do Planejamento Tributário [e-book]Guia do Planejamento Tributário [e-book]
Guia do Planejamento Tributário [e-book]
 
Aprendendo a empreender com o Sebrae
Aprendendo a empreender com o SebraeAprendendo a empreender com o Sebrae
Aprendendo a empreender com o Sebrae
 

Mais de Felipe Pontes

Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuationMitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuationFelipe Pontes
 
Ciclo de vida e desempenho das empresas
Ciclo de vida e desempenho das empresasCiclo de vida e desempenho das empresas
Ciclo de vida e desempenho das empresasFelipe Pontes
 
Fraude e gerenciamento de resultados
Fraude e gerenciamento de resultadosFraude e gerenciamento de resultados
Fraude e gerenciamento de resultadosFelipe Pontes
 
Análise de crédito e previsão de insolvência
Análise de crédito e previsão de insolvênciaAnálise de crédito e previsão de insolvência
Análise de crédito e previsão de insolvênciaFelipe Pontes
 
Apresentação do curso de valuation
Apresentação do curso de valuationApresentação do curso de valuation
Apresentação do curso de valuationFelipe Pontes
 
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsa
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsaMitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsa
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsaFelipe Pontes
 
Análise comparativa de empresas
Análise comparativa de empresasAnálise comparativa de empresas
Análise comparativa de empresasFelipe Pontes
 
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1Felipe Pontes
 
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeis
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeisObjetivos centrais da análise das demonstrações contábeis
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeisFelipe Pontes
 
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da Contabilidade
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da ContabilidadeCaso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da Contabilidade
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da ContabilidadeFelipe Pontes
 
Análise do negócio da empresa
Análise do negócio da empresaAnálise do negócio da empresa
Análise do negócio da empresaFelipe Pontes
 
Onde coletar informações para analisar as empresas
Onde coletar informações para analisar as empresasOnde coletar informações para analisar as empresas
Onde coletar informações para analisar as empresasFelipe Pontes
 
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das Demonstrações
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das DemonstraçõesAnálise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das Demonstrações
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das DemonstraçõesFelipe Pontes
 
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPB
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPBIntrodução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPB
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPBFelipe Pontes
 
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comuns
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comunsPesquisa em contabilidade dicas e falhas comuns
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comunsFelipe Pontes
 
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPB
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPBPIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPB
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPBFelipe Pontes
 
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuation
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuationMitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuation
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuationFelipe Pontes
 
Taxa livre de risco e prêmio pelo risco
Taxa livre de risco e prêmio pelo riscoTaxa livre de risco e prêmio pelo risco
Taxa livre de risco e prêmio pelo riscoFelipe Pontes
 
Apresentação Finanças 2 - Valuation
Apresentação Finanças 2 - ValuationApresentação Finanças 2 - Valuation
Apresentação Finanças 2 - ValuationFelipe Pontes
 
Modelagem financeira e balanco pro forma
Modelagem financeira e balanco pro forma  Modelagem financeira e balanco pro forma
Modelagem financeira e balanco pro forma Felipe Pontes
 

Mais de Felipe Pontes (20)

Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuationMitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation
 
Ciclo de vida e desempenho das empresas
Ciclo de vida e desempenho das empresasCiclo de vida e desempenho das empresas
Ciclo de vida e desempenho das empresas
 
Fraude e gerenciamento de resultados
Fraude e gerenciamento de resultadosFraude e gerenciamento de resultados
Fraude e gerenciamento de resultados
 
Análise de crédito e previsão de insolvência
Análise de crédito e previsão de insolvênciaAnálise de crédito e previsão de insolvência
Análise de crédito e previsão de insolvência
 
Apresentação do curso de valuation
Apresentação do curso de valuationApresentação do curso de valuation
Apresentação do curso de valuation
 
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsa
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsaMitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsa
Mitos sobre investimentos: além da "seguranca" da poupanca e do "risco" da bolsa
 
Análise comparativa de empresas
Análise comparativa de empresasAnálise comparativa de empresas
Análise comparativa de empresas
 
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1
Análise por Indicadores Tradicionais - Parte 1
 
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeis
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeisObjetivos centrais da análise das demonstrações contábeis
Objetivos centrais da análise das demonstrações contábeis
 
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da Contabilidade
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da ContabilidadeCaso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da Contabilidade
Caso Abdul - Revisão dos Princípios Básicos da Contabilidade
 
Análise do negócio da empresa
Análise do negócio da empresaAnálise do negócio da empresa
Análise do negócio da empresa
 
Onde coletar informações para analisar as empresas
Onde coletar informações para analisar as empresasOnde coletar informações para analisar as empresas
Onde coletar informações para analisar as empresas
 
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das Demonstrações
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das DemonstraçõesAnálise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das Demonstrações
Análise do Relatório de Auditoria Antes da Análise das Demonstrações
 
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPB
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPBIntrodução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPB
Introdução à Análise Avançada das Demonstrações Contábeis UFPB
 
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comuns
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comunsPesquisa em contabilidade dicas e falhas comuns
Pesquisa em contabilidade dicas e falhas comuns
 
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPB
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPBPIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPB
PIBIC, Monitoria e Extensão no DFC/UFPB
 
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuation
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuationMitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuation
Mitos, (nem tao) verdades (assim) e aplicacoes de valuation
 
Taxa livre de risco e prêmio pelo risco
Taxa livre de risco e prêmio pelo riscoTaxa livre de risco e prêmio pelo risco
Taxa livre de risco e prêmio pelo risco
 
Apresentação Finanças 2 - Valuation
Apresentação Finanças 2 - ValuationApresentação Finanças 2 - Valuation
Apresentação Finanças 2 - Valuation
 
Modelagem financeira e balanco pro forma
Modelagem financeira e balanco pro forma  Modelagem financeira e balanco pro forma
Modelagem financeira e balanco pro forma
 

Estimando o crescimento dos lucros e fluxos de caixa

  • 1. Estimando o Crescimento grggggggggggggggggggg ggggggggg Disciplina: Finanças Aplicadas II Objetivo da aula: conhecer os determinantes do crescimento das empresas, bem como estimar a taxa de crescimento (g) Conteúdo: Crescimento histórico. Crescimento fundamental. Analistas de investimentos.
  • 2. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Introdução • Relembrando o básico (mais uma vez): o valor da empresa é dado pelo valor presente dos fluxos de caixa futuros que se espera que a empresa gere. • O que nós já vimos sobre os inputs da valuation até aqui? • Para estimar os fluxos de caixa futuros, precisamos saber como eles crescem. Precisamos do g! • O g é o input mais crítico em uma valuation para empresas que têm alto crescimento. 2
  • 3. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Introdução • Existem três maneiras básicas para se estimar o g de qualquer empresa: 1. Crescimento histórico (bom para empresas estáveis); 2. Estimativas dos analistas de investimentos (nem sempre essa informação está disponível, principalmente no Brasil – o IDEP/UFPB tem uma base de dados da Thomson onde há esse tipo de informação); e 3. Fundamentos da empresa. 3
  • 4. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com • Existem duas formas básicas de se estimar o g histórico: • Média aritmética: • Média geométrica: Crescimento histórico 4 As duas podem dar resultados bem diferentes, principalmente para empresas com lucros voláteis (Exemplo). Quando há muita volatilidade ela é melhor, pois usamos os “g’s” de cada ano, uma vez que eles são dependents. A aritmética usa os lucros, que a priori não são dependents”
  • 5. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Crescimento histórico • Veja a diferença entre as duas metodologias para a Motorola. • Percebam o desvio padrão das medidas e a implicação disso nas duas médias. Analisem individualmente. • Refaça a análise para Natura: 5 Ano EBIT LL 2010 334 219 2011 469 290 2012 424 257 2013 487 293 2014 446 225
  • 6. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Crescimento histórico • Se algum dos lucros for negativo, tem-se a seguinte sugestão: • Em que EPS = lucro por ação. 6
  • 7. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Crescimento histórico • Aplique a solução do slide anterior na Aracruz e compare com o cálculo “padrão” do crescimento pela média aritmética: • Apesar de ser uma solução, ele é um pouco perigosa para utilizar na projeção de FC futuros. 7
  • 8. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Crescimento histórico • O crescimento histórico é uma boa medida para o crescimento futuro? • O passado pode ser útil para (auxiliar a) prever o futuro, porém o passado contém alguns problemas – principalmente para empresas voláteis, como visto anteriormente e como será visto no próximo slide. 8
  • 10. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Crescimento histórico • É melhor usar o crescimento da receita ou dos lucros? O que está menos sujeito às escolhas contábeis tende a ser menos volátil, mais persistente e melhor para prever o futuro. 10
  • 11. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Crescimento histórico • É mais fácil uma empresa pequena ou uma empresa grande manter a taxa de crescimento? Quem tem mais oportunidades para crescer mais rapidamente, teoricamente, as grandes ou as pequenas? • Precisamos ter cuidado com o efeito do tamanho da empresa! • Para verificar se as empresas pequenas conseguem manter suas altas taxas de crescimento, verifique o que fundamenta o crescimento: planos para crescer e ativos (ou projetos de financiamento) para garantir esse crescimento. 11
  • 12. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Crescimento histórico • Veja o exemplo da Cisco (ill11p4), uma empresa de tecnologia. • Qual média devemos usar para estimar os lucros para 5 anos? Por quê? • Cuidados especiais para esse caso: 1. As taxas de crescimento devem ir se afunilando, à medida que a empresa for crescendo; 2. O crescimento pode ser insustentável: o lucro operacional em 5 anos (usando a média geométrica) pode chegar a US$ 78 bi (não devemos ver apenas os números); e 3. O crescimento da Cisco nesse período veio da aquisição de empresas pequenas com tecnologias promissoras (será que ela conseguirá comprar 80 empresas nos próximos 5 anos?). 12
  • 13. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Crescimento histórico • Guia geral para novas empresas e aquelas que têm crescimento rápido: 1. Foque nas receitas e não nos lucros; 2. Não olhe para o crescimento dos últimos anos, analise o crescimento ano a ano e o que motivou aquele crescimento, para ajudar na projeção do futuro; 3. Use o crescimento histórico apenas para projetar o futuro próximo (1 ou 2 anos); e 4. Analise o crescimento do mercado e do setor de atuação, para comparar com o da empresa que você está avaliando. 13
  • 14. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com O que dizem os analistas? • Os analistas não apresentam apenas recomendações de compra ou venda de ativos. Eles também fazem projeções e podem divulgar as taxas de crescimento que estão utilizando. 14
  • 15. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com O que dizem os analistas? • Motivos que podem fazer com que as previsões dos analistas sejam melhores do que a simples utilização do crescimento histórico: 1. Inclusão de informações que se tornaram públicas após a divulgação das últimas demonstrações financeiras (elas não estão no g histórico, precisamos incluí-las); 2. Informações macro-econômicas: as taxas de juros, inflação etc podem afetar o crescimento da empresa; 3. Informações reveladas pelos concorrentes; 4. Informações privadas; 5. Informações públicas que não são sobre lucros (e.g. retenção de lucros, margem de lucro etc). 15
  • 16. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Crescimento fundamental • Crescimento nos lucros por ação (considerando que a fonte de capital é apenas dos lucros retidos): • Analise no exemplo da planilha ill11p5 o crescimento esperado das três empresas. O que faz a primeira ter um crescimento tão menor do que as demais? • Ter um índice de retenção baixo é ruim? Ter um payout alto é ruim? Ruim ou bom para quem? 16 1 - payout
  • 17. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Crescimento fundamental • Crescimento nos lucros por ação (medida mais ampla – considera outras fontes): • Exemplos na planilha ill11p6. Compare as 4 empresas, o que faz os g serem tão diferentes? 17
  • 18. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Crescimento fundamental • Considerando as variações no ROE: • Exemplo: o ROE atual é de 11,63% e o índice de retenção é de 29,96%. Assuma que a empresa aumentará seu ROE para 13% no ano que vem, permanecendo o mesmo índice de retenção dos lucros. Qual é a taxa de crescimento esperada? • Com as informações do exercício do slide passado, assuma que o ROE futuro será 5% maior do que o atual para cada empresa. Assuma também que o índice de retenção dos lucros será o mesmo. Qual será o crescimento futuro daquelas quatro empresas? 18
  • 19. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Aspectos qualitativos • Não devemos apenas focar nos números puros. O crescimento é determinado por: 1. Qualidade da gestão; 2. Força do marketing; 3. Capacidade de formar parcerias; 4. Visão estratégica; 5. Etc. • Todos esses fatores qualitativos devem ser, de alguma forma, quantificados. • Se você não consegue quantificá-los, é melhor se manter cético em relação a eles (DAMODARAN, 2002). 19
  • 20. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Questão • Dados: • Estime a média aritmética e geométrica do crescimento dos lucros por ação (EPS). Por que eles são diferentes? Qual é o mais confiável? 20
  • 21. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Questão • A BIC reportou um ROE de 20% em dado ano e pagou 37% dos lucros como dividendos naquele ano. Assumindo que esses fundamentos não mudarão, estime a taxa de crescimento esperado dos lucros. • Quão sensível é essa taxa de crescimento às mudanças nesses fundamentos? Foque na variação do ROE. 21
  • 22. Felipe Pontes www.contabilidademq.blogspot.com Na sua empresa • Estime o g pelas duas médias (histórico) e justifique a sua escolha entre uma e outra. • Estime o g pela forma “fundamentalista“ e justifique qual é a melhor para o seu caso. 22