Musicoterapia e saúde do trabalhador

621 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
621
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Musicoterapia e saúde do trabalhador

  1. 1. Discente: Izabella Lenza Crema Liga Acadêmica De Saúde Oriental (LASO) Musicoterapia e Saúde do Trabalhador
  2. 2. Artigos utilizados  Impacto de um programa de musicoterapia sobre o nível de estresse de profissionais de saúde.  Musicoterapia institucional na saúde do trabalhador: Conexões, interfaces e produções.  Humanizando o cotidiano no trabalho através da música.
  3. 3. Musicoterapia  Musicoterapia é a utilização da música e/ou seus elementos (som, ritmo, melodia e harmonia) por um musicoterapeuta qualificado, com um cliente ou grupo, num processo para facilitar e promover a comunicação, relação, aprendizagem, mobilização, expressão, organização e outros objetivos terapêuticos relevantes, no sentido de alcançar necessidades físicas, emocionais, mentais, sociais e cognitivas.  A Musicoterapia objetiva desenvolver potenciais e/ou restabelecer funções do indivíduo para que ele/ela possa alcançar uma melhor integração intra e/ou interpessoal e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida, pela prevenção, reabilitação ou tratamento.
  4. 4. Música  A música pode funcionar como um elemento modificador e mesmo transgressor do contexto legitimado de silêncio, do ruído, da hierarquia e da rigidez do trabalho.
  5. 5. Estresse no trabalho  O estresse, quando presente no individuo, pode desencadear uma serie de doenças, dentre elas a depressão. Muitos tipos de doenças podem ocorrer, dentre elas: ulceras, hipertensão, crises de pânico, herpes e fibromialgia, e sem um tratamento especializado, existe o risco de ocorrência de problemas graves, como enfarte e acidente vascular encefálico.  Não é apenas o estresse que causa essas doenças, mas propicia o desencadeamento de doenças para as quais há uma predisposição ou, ao reduzir a defesa imunológica, espaço para que doenças oportunistas apareçam.
  6. 6. Estresse no trabalho  Estudos mostram que o nível de estresse profissional tem sofrido um aumento nos últimos anos, principalmente em virtude dos avanços tecnológicos, das inovações com sobrecarga de tarefas no trabalho, da competição entre trabalhadores, da pressão relativa ao tempo de execução das tarefas de trabalho, dentre outros.  Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os locais de trabalho com um numero considerável de estressores apresentam proporcionalmente um grande numero de trabalhadores estressados, sendo 5% a 10% com problemas graves.
  7. 7. Correlação dos artigos  Em um dos estudos foi mostrado benefícios através da metodologia com musicoterapia que diminuiu em 60% a percepção de estresse nos participantes ,demonstrando que a referida terapia pode ser um instrumento de auxilio para minimização do estresse nos profissionais que atuam em hospitais.  Outros estudos corroboram com os achados apresentados na presente pesquisa, como o que foi realizado com musicoterapia e após 16 sessões apresentou dentre outras variáveis, um aumento no nível de satisfação pessoal de 44,5% e uma diminuição no nível de estresse de 66,7% nos participantes.
  8. 8. Correlação dos artigos  Foi observado em um dos estudos que os integrantes do Coral, através do desenvolvimento desta atividade, vêm manifestando satisfação no desempenho do seu trabalho, melhora em sua dinâmica profissional e melhor integração entre os integrantes do grupo.  A música pode permitir que os tempos contidos nas modulações desses fluxos de trabalho possam ser alterados. Pode ainda desestabilizar os modos de subjetivação em direção à potencialização das práticas de liberdade – aos potenciais de criação, de vida e de sublevação da música enquanto agente produtor de tempos de viver, sentir, pensar, agir e deslocar.
  9. 9. Objetivos e Hipóteses  Percebe-se no meio acadêmico número expressivo de pessoas adoecidas e principalmente, estressadas.  A musicoterapia poderia auxiliar a humanização, contato íntimo consigo mesmo e com os outros, a minimização do estresse e a melhoria da qualidade de vida da comunidade acadêmica.  A LASI poderia fornecer oportunidades de atividades de extensão e propostas de pesquisa associando a Musicoterapia a outras práticas integrativas.
  10. 10. Propostas  A musicoterapia produz efeitos positivos no âmbito do trabalho, e pode ser associada a outras práticas integrativas, como reiki, ioga e meditação, por exemplo. Potencializando seus efeitos.  Essas práticas poderiam ser implantadas pela LASI, através de projetos de pesquisa (identificação dos efeitos das práticas, levantamento de dados) e extensão (ex: coral, grupos musicais associados a meditação) voltados para os profissionais da universidade, os discentes e docentes ou para a comunidade externa.
  11. 11. Possíveis projetos  Pesquisa: - Identificação do estresse e qualidade de vida da UFTM, comunidade acadêmica em geral ou segmentos específicos. - Verificação das mudanças produzidas pelas práticas integrativas - Elaboração de planos de trabalho envolvendo musicoterapia e meditação, por exemplo.  Extensão: - Grupos musicais - Coral da UFTM - Sessões de meditação associadas a musicoterapia
  12. 12. Considerações finais  Experiências sonoro-musicais envolvem as pessoas, bem como o processo, o produto e contexto em que em que se dão essas interações.  Necessidade de novas pesquisas sobre o tema com um maior universo de abrangência. O estresse de colaboradores deve ser visto com um olhar preventivo e uma vez identificado, deve se tentar promover ações, como a utilização da musicoterapia, para que não chegue a níveis de exaustão acarretando em queda da qualidade de vida e até mesmo em afastamento do trabalho.  Foco no contexto e na saúde dos trabalhodores, para não reforçar as pressões capitalistas e produtivas.

×