www.fee.rs.gov.br
Impacto regional
da desaceleração
no RS
Carta de Conjuntura FEE
Jaime Carrion Fialkow (Economista)
www.fee.rs.gov.br
www.fee.rs.gov.br
www.fee.rs.gov.br
Evolução regional no Século XXI
Crescimento bem distribuído
- Agropecuária (Sudoeste, Noroeste)
- Agroin...
www.fee.rs.gov.br
Cenário econômico recente
Desaceleração econômica estadual, nacional e
internacional: mudanças nas tendê...
www.fee.rs.gov.br
Impactos na economia do Rio Grande do Sul
Variação PIB estadual (1º trimestre 2015/14): -1,3%
- VAB Indú...
www.fee.rs.gov.br
FONTE: FEE
Participação nos registros
de saída de ICMS (% - 2014)
4,3
8,9
12,5
28,9
31,0
Fronteira
Noroe...
www.fee.rs.gov.br
Regiões que tendem a ser mais atingidas
- Eixo Porto Alegre – Caxias do Sul
- Noroeste (Santa Rosa, Erec...
www.fee.rs.gov.br
Admissões em relação à força de trabalho formal
(Saldo CAGED jul/14-jun/15 / RAIS 2013)
MUNICÍPIO
INDÚST...
www.fee.rs.gov.br
Vulnerabilidade de Rio Grande
Caxias do Sul e Porto Alegre mais sólidas e diversificadas
Noroeste com sa...
www.fee.rs.gov.br
Agropecuária
Boas safras nas principais lavouras (dois anos sem seca)
Fim do ciclo de alta nos preços da...
www.fee.rs.gov.br
Perspectivas
Caso dificuldades se arrastem:
- Eixo Porto Alegre – Caxias do Sul tende a sair “mais intei...
www.fee.rs.gov.br
Alternativas para seguir desconcentrando
- Resistência do Polo Naval
- Diversificação na produção agrope...
www.fee.rs.gov.br
Fundação de Economia e Estatística
Siegfried Emanuel Heuser
Diretoria
Presidente: Igor Alexandre Clement...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Impacto regional da desaceleração no RS - Carta de Conjuntura (08.2015)

379 visualizações

Publicada em

Apresentação do artigo divulgado na Carta de Conjuntura do mês de julho: "Impacto regional da desaceleração no RS", do pesquisador da FEEJaime Flalkow. Confira o texto completo: http://carta.fee.tche.br/article/impactos-regionais-da-desaceleracao-no-rs/

A Fundação de Economia e Estatística (FEE) é uma instituição de pesquisa, vinculada à Secretaria do Planejamento e Desenvolvimento Regional do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Foi instituída em 1973 (Lei n.6624 de 13/11/1973), tendo origem no antigo Departamento Estadual de Estatística (DEE).A FEE é a maior fonte de dados estatísticos sobre o Rio Grande do Sul. Dispõe de importante acervo de informações, pesquisas e documentos de natureza socioeconômica. Nela atua uma equipe multidisciplinar composta por profissionais que realizam estudos, pesquisas e análises, divulgados regularmente em publicações impressas e on-line.

Publicada em: Notícias e política
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Impacto regional da desaceleração no RS - Carta de Conjuntura (08.2015)

  1. 1. www.fee.rs.gov.br Impacto regional da desaceleração no RS Carta de Conjuntura FEE Jaime Carrion Fialkow (Economista)
  2. 2. www.fee.rs.gov.br
  3. 3. www.fee.rs.gov.br
  4. 4. www.fee.rs.gov.br Evolução regional no Século XXI Crescimento bem distribuído - Agropecuária (Sudoeste, Noroeste) - Agroindústria (Noroeste) - Polo Naval (Rio Grande) - Indústria metalomecânica (Caxias do Sul) - RMPA cresce menos que demais regiões - Baixo crescimento em Porto Alegre e Vale dos Sinos - Expansão na periferia (Gravataí, Cachoeirinha, Alvorada, Viamão) - Espraiamento (Lajeado, Venâncio Aires, Santa Cruz do Sul)
  5. 5. www.fee.rs.gov.br Cenário econômico recente Desaceleração econômica estadual, nacional e internacional: mudanças nas tendências regionais? Difícil fazer análise conjuntural de movimentos regionais - Dados setoriais de produção (PIB, PIM, safras) - Tendências no mercado de trabalho formal (CAGED)
  6. 6. www.fee.rs.gov.br Impactos na economia do Rio Grande do Sul Variação PIB estadual (1º trimestre 2015/14): -1,3% - VAB Indústria: -6,9% (Transformação: -8,6%) - VAB Agropecuária: 1,1% - VAB Serviços: 0,5% Variação produto industrial (jan-mai 2015/14): -11,3% - Metalurgia: -14,8% - Automotiva: -24,8% - Máquinas e equipamentos: -29,3% - Outros produtos de metal: -15,1% FONTES: FEE, PIM-IBGE
  7. 7. www.fee.rs.gov.br FONTE: FEE Participação nos registros de saída de ICMS (% - 2014) 4,3 8,9 12,5 28,9 31,0 Fronteira Noroeste Sul Vale do Rio dos Sinos Metropolitano Delta do Jacuí Serra Complexo metal- mecânico 85,6% do total
  8. 8. www.fee.rs.gov.br Regiões que tendem a ser mais atingidas - Eixo Porto Alegre – Caxias do Sul - Noroeste (Santa Rosa, Erechim, Passo Fundo) - Município de Rio Grande
  9. 9. www.fee.rs.gov.br Admissões em relação à força de trabalho formal (Saldo CAGED jul/14-jun/15 / RAIS 2013) MUNICÍPIO INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO DEMAIS SETORES PORTO ALEGRE -4.6% -1.1% CANOAS -8.0% -4.2% CAXIAS DO SUL -10.4% -0.9% B. GONCALVES -5.9% 3.8% RIO GRANDE -16.1% -6.2% PELOTAS -1.3% 0.5% PASSO FUNDO -4.9% 0.7% ERECHIM -10.4% -0.7% SANTA ROSA -14.6% 1.4% S. CRUZ DO SUL -4.5% -0.1% LAJEADO 1.2% 1.6% VENANCIO AIRES -11.7% 2.7% FONTE: RAIS E CAGED - MTE
  10. 10. www.fee.rs.gov.br Vulnerabilidade de Rio Grande Caxias do Sul e Porto Alegre mais sólidas e diversificadas Noroeste com safra recorde e diversidade produtiva Rio Grande - Crescimento recente em região decadente há décadas - Altamente dependente do Polo Naval e da Petrobrás - Pouca diversidade e pouca dinâmica própria
  11. 11. www.fee.rs.gov.br Agropecuária Boas safras nas principais lavouras (dois anos sem seca) Fim do ciclo de alta nos preços das commodities impede maior crescimento no valor de produção Alta do câmbio pode ajudar no curto prazo Perspectiva de preços no médio e longo prazo?
  12. 12. www.fee.rs.gov.br Perspectivas Caso dificuldades se arrastem: - Eixo Porto Alegre – Caxias do Sul tende a sair “mais inteiro”: - Capacidade atrativa mais elevada - Maior diversidade produtiva - Centralizam setores mais modernos - Quebra do ciclo dinâmico nas regiões periféricas - Aprofundamento no esvaziamento das áreas rurais e oeste - Interrupção da formação de polo no sul (Rio Grande)
  13. 13. www.fee.rs.gov.br Alternativas para seguir desconcentrando - Resistência do Polo Naval - Diversificação na produção agropecuária - Valorizar regiões de fronteira e integração - Transbordamentos de Porto Alegre-Caxias - Fortalecimento dos centros regionais
  14. 14. www.fee.rs.gov.br Fundação de Economia e Estatística Siegfried Emanuel Heuser Diretoria Presidente: Igor Alexandre Clemente de Morais Diretor Técnico: Martinho Roberto Lazzari Diretora Administrativa: Nóra Angela Gundlach Kraemer Rua Duque de Caxias, 1691 Centro Histórico, Porto Alegre CEP: 90010-283 (51) 3216.9000 Obrigado Jaime Carrion Fialkow – jaime@fee.tche.br Carta de Conjuntura FEE carta.fee.tche.br

×